Anda di halaman 1dari 1

A Causa versus O princpio da causalidade Podera-se dizer que a causa tem como sentido principal o que causado, no caso,

, causao. E o prncipio da causalidade entra em relao direta com o sentido de causa e efeito. Nenhuma causa verdadeiramente necessria ou suficiente para seu efeito. Num exemplo: Pode-se dizer que algum consegue um trabalho, porque foi indicado. Porm, algum s podera ser indicado ao trabalho se tivesse qualificao necessria para a realizao do trabalho. E esse algum, s teria a qualificao para esse tipo de trabalho, se tivesse estudado, por exemplo. Assim, analizando que, para o 'efeito' de algum conseguir a indicao para o trabalho, consiste em vrias causas. Assim, uma srie de efeitos seriam necessrios para a relao de uma causa. No entanto, principalmente em pocas passadas, o homem via muitas causas, porm, no tinha capacidade de identificar seus efeitos. Ento, eles identificavam-as como milagres, da umas das necessidade do homem idealizar ou acreditar nas religies, principalmente em Deus, que, para a grande maioria, quem concebe essas causas sem efeitos. Tendo, at hoje, inexplicveis argumentos para essas causas, o homen opta por acreditar em Deus. Antes, simples acontecimentos, como cura de uma doena, eram milagres. Mal sabiam que poderia ser apenas o sistema imunolgico da pessoa estar mais forte, ou alguma planta ter o poder de cura, etc. So esses efeitos que no viam, alm de at hoje poder haver situaes em que nem mesmo cientistas podem explicar, chamam, os religiosos, de milagres. Sendo assim, as pessoas somente conseguem ter chances na vida atravs do princpio da causalidade. Para que o que se almeja ocorra, ela passa a abrir as portas para elas mesmas, resultando na indicao de um amigo para um chefe do escritrio, relacionando-se ao primeiro exemplo citado. E pelas causas, onde no h explicao bvia para o acontecido, j se torna um motivo principal das pessoas acreditarem em religies, j que so crenas com a idealizao do que o impossvel existe, alcanvel, s bastando a f.