Anda di halaman 1dari 24

Trauma = doença do século

XXI
Epidemiologia
 É a primeira causa de morte entre 11 e 40 anos de vida.
 No Brasil, em 1999 ocorreram:
em 1 ano: 120.000 mortes e 360.000 seqüelas,
em 1 mês: 10.000/30.000
em 1 dia: 350 / 1.000
em 1 hora: 14 / 42
 Reduz a expectativa de vida mais que o câncer e as DCV
 Custos diretos e indiretos de BILHÕES de reais por ano
 Número de óbitos por trauma no Brasil vem crescendo a
cada ano.
Epidemiologia
 78% das lesões em paciente
politraumatizado
Equivalente a incidência de TCE

2x maior que trauma torácico

4x maior que trauma abdominal


O que é grave no Trauma
Ortopédico?
 Hemorragia
 Isquemia
 Síndrome compartimental
 Fratura exposta – lesão de partes moles
 Esmagamento
 Luxação de grandes articulações
 Múltiplas fraturas (embolia gordurosa)
Avaliação: ATLS
 Primária
 Via aérea com controle da coluna cervical
 Respiração
 Circulação com controle da hemorragia
 Status neurológico
 Exposição e controle do ambiente
 Secundária
 Avaliar perfusão
 Identificar as lesões expostas
 Identificar as lesões fechadas
 Avaliar função neuromuscular
 Identificar mobilidade articular anormal
Mecanismo da lesão e energia
envolvida
 Acidente automobilístico
 Atropelamento

 Queda de altura
 Explosão

 Ferimento por PAF


Manejo Inicial
 Restaurar o alinhamento do membro
 Imobilizar

 Cuidados com o ferimento


 Encaminhar ao rx
Lesões vasculares
 Prioridade
 Hemorragia ativa, hematoma
volumoso, pulsátil, ausência
de pulsos, palidez, etc.
 Arteriografia
 Tempo isquemia < 4-6h
 Tratamento das lesões
ósseas concomitante
Síndrome
Compartimental
 Elevação da pressão intersticial em um compartimento
fechado que resulta em comprometimento neurovascular
 P>30mmHg necrose tecidual
 Dor severa
 Dor na mobilização passiva
 Palidez, parestesia, paralisia
 Ausência de pulso
Síndrome
Compartimental
 Fasciotomia em 4-6 horas
Fratura exposta
 Desbridamento no bloco
 Profilaxia de tétano e ATB
 Estabilização
 Fechamento tardio (5-7 dias)
Fratura exposta
Classificação de Gustillo
Amputação
 Reimplante

Acondicionamento

adequado do segmento
Somente em centros

especializados
Fraturas
 Avaliação radiológica adequada
 Estaratento a lesões ocultas e
associadas (nervosa e vasculares)
 Prevenção de TVP
 Planejar tratamento
Precoce
○ (fx exposta, múltiplas, lesões associadas, etc)
Tardio
Imobilização do MS
 Dedos: tala de zimer
 Mão: tala de punho e dedos
 Punho, antebraço e
cotovelo: tala axilo-palmar
 Braço: tipóia-velpeau ou
tala tipo “pinça-de-
confeiteiro”
 Ombro: velpeau de inverno
ou de verão
Fratura da clavícula e da
escápula
Fraturas e luxações do
ombro
Fraturas e luxações do
ombro
Fraturas e luxações do
cotovelo
Fraturas de antebraço e
punho
Erros comuns no tto das lesões
ortopédicas no politraumatizado:

 O paciente está muito grave!


 Fraturas no pcte com trauma torácico
 Fraturas no pcte com TCE
 Fraturas no pcte queimado