Anda di halaman 1dari 45

Índice

Histórico de Versões _____________________________________________________________________________________________________ 1


Questionamento – ECD ___________________________________________________________________________________________________ 3
Questionamento – EFD __________________________________________________________________________________________________ 24

Histórico de Versões
Data Versão Descrição Autor

01/06/09 V.018 Incluídos questionamentos “ECD_19”; ECD_20”; “ECD_21”; “ECD_22”; “ECD_23”; “EFD_32”; EFD_33”; “EFD_34”; Hans Fritzsche
“EFD_35”; “EFD_36”.

27/05/09 V.017 Incluídos questionamentos “EFD_31”; “ECD_17” e “ECD_18”. Hans Fritzsche

20/05/09 V.016 Incluídos questionamentos “ECD_16” e “EFD_30”. Hans Fritzsche

18/05/09 V.015 Incluídos questionamentos “ECD_14”; “ECD_15” e “EFD_29”. Hans Fritzsche

12/05/09 V.014 Incluído questionamento “ECD_13”. Hans Fritzsche

11/05/09 V.013 Incluída resposta do questionamento “ECD_08”. Hans Fritzsche

08/05/09 V.012 Incluído questionamento “ECD_11” e “ECD_12”. Hans Fritzsche

24/04/09 V.011 Incluído questionamento “EFD_27”; “EFD_28”; “ECD_09” e “ECD_10”. Hans Fritzsche

22/04/09 V.010 Incluído questionamento “ECD_07”; “ECD_08”; “EFD_25” e “EFD_26”. Hans Fritzsche

14/04/09 V.009 Incluído questionamento “EFD_23” e “EFD_24”. Hans Fritzsche

13/04/09 V.008 Incluído questionamento “ECD_05” e “ECD_06”. Hans Fritzsche

12/03/09 V.007 Incluída as alterações para a ECD (IN787_07_ECD_SPED_CONTABIL_ALTERADA_IN_825_IN_926_20090311) Hans Fritzsche

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 1
Data Versão Descrição Autor

“ECD_04”.

06/03/09 V.006 Incluída resposta do questionamento “EFD_06”. Hans Fritzsche

Incluído questionamento “EFD_22”.

06/02/09 V.005 Incluídos questionamentos “EFD_16”; “EFD_17”; “EFD_18”; EFD_19; EFD_20 e EFD_21. Hans Fritzsche

Incluída resposta do questionamento SEFAZ/ES "EFD_08”

28/01/09 V.004 Incluído questionamento "EFD_14"”; "EFD_15”. Hans Fritzsche

Incluída resposta do questionamento "EFD_08”.

Incluído link no item “Histórico de Versões”, permitindo o posicionamento na questão em referência.

27/01/08 V.003 Incluído questionamento "EFD_12”; “EFD_13”. Hans Fritzsche

Incluída resposta do questionamento ECD “"ECD_03".

21/01/09 V.002 Incluído questionamento "EFD 11” e “complemento” do questionamento “EFD_10”. Hans Fritzsche

Incluído questionamento “ECD_03”.

Invertida a ordem das datas e incluída a numeração dos questionamentos, para facilitar a verificação das novidades.

16/01/09 V.001 Elaboração da versão inicial. Hans Fritzsche

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 2
Questionamento – ECD
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta
23 01/06/09 ECD (14/05/09 – Consulta realizada pelo colega Alfredo Cesar) Alfredo,

Srs., fiz o teste do SPED CONTÁBIL e gerei o PVA. Na DRE devem ser informados as linhas da demonstração como a
empresa pretende que sejam visualizadas.
No meu sistema origem o DRE tem de zerar após o enceramento do exercicio.
Após validação e registro no PVA demonstra os valores. Ats.,
Márcio Tonelli
É o que realmente se espera no PVA para o DRE, todos os valores registrados? Supervisor Técnico do Sped Contábil
Obrigado

22 01/06/09 ECD (14/05/09 – Consulta realizada pelo colega Alfredo Cesar) Alfredo,

Para o ano de 2008, já imprimi e registrei 6 Livros Diários por mês. Desta forma, Uma saída é informar, no campo NAT-LIVR, que ele corresponde
gostaria de ouvir a tua sugestão sobre qual número de Livro deveria ser aos livros "x" a "n" em papel (livros já autenticados).
adotado, uma vez que a menor periodicidade para o ECD é de 1 mês? Esta
situação ocorre para todos os meses do ano, ou seja: Para os ainda não autenticados, a regra está descrita na 20a.
Mês - Livros Impressos e Registrados - ECD Janeiro 01; 02; 03; 04; 05; 06 - ?? questão de perguntas frequentes do sítio do Sped.
(06)
...
Dezembro 67; 68; 69; 70; 71; 72 - ?? (72) Ats.,
Márcio Tonelli
Para o SPED CONTÁBIL 2008, que numero deveria ser informado caso o Supervisor Técnico do Sped Contábil
arquivo fosse único para o período de 01 a 12?

Obrigado!

21 01/06/09 ECD (14/05/09 – Consulta realizada pelo colega Alfredo Cesar) Alfredo,

Obrigado pela atenção Marcio, Normalmente, respondo pessoalmente as questões enviadas ao


É que como estou lendo seu material, me senti mais a vontade em perguntar a fale conosco. Como estava de férias, outros colegas assumiram a
vc mesmo que está direcionado ao SPED CONTÁBIL e sabe das função na semana passada.
complexidades.
De forma objetiva: se a empresa tem controle contábil por centro de
No fale conosco do SPED as questões demoram em serem respondidas. custos, deve incluir a informação na ECD. Tanto na IN 86 quanto no
Sped, a informação tem a mesma natureza. A alteração decorre da
Vc não consegue me responder de forma mais prática e simples a questão que mudança da forma "relacional" para a "hierárquica".
coloco?

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 3
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta
Atenciosamente,
Exemplo: Márcio Tonelli
O Centro de custo é informado na IN86 por item e no SPED contábil eu informo Supervisor Técnico do Sped Contábil
o Centro de Custo como uma tabela, sem vinculo ao item contabilizado, e
embora exista o campo, está em branco, onde na normativa informa que não é Meu caro Marcio,
obrigatório.
Como devo interpretar isso de forma prática e objetiva? Obrigado pela resposta, mas devido a redundância, muitas vezes não
Obrigado pela atenção fica muito claro na prática para mim que estou atuando neste tema as
respostas dadas.
Por exemplo, em relação ao assunto mencionado abaixo CDC, não
temos o que fazer.
No SPED CONTÁBIL, tenho a coluna do CDC (Centro de Custo),
porém não é preenchido a nível de lançamento individual e também
não há critica,o campo TXT simplesmente fica em branco.

A única informação que tenho de CDC executado é simplesmente uma


tabela global como todos os CDCS utilizados pela empresa.
Consegui registrar no PVA sem esta informação.Não há menção de
erro.

Em relação à ORDENS INTERNAS, entendo que não é exigência do


SPED CONTÁBIL também.Procede?
Na norma nada é mencionado.

Temos aqui 2 temas.CDC e ORDENS.

Obrigado,

Alfredo,

A legislação obriga que a empresa mantenha todas as informações


de natureza contábil, econômica ou financeira à disposição do fisco, no
formato digital, quando assim tenha controle (IN 86/01).

Já a IN RFB 787/07 dispensa da IN 86/01 ,e em relação às mesmas


informações, os usuários da ECD. Ressalto: EM RELAÇÃO ÀS
MESMAS INFORMAÇÕES. Assim, caso exista controle contábil por
centro de custos e a informação não for inserida na ECD, continua a
obrigatoriedade da apresentação na forma da IN 86.

Atenciosamente,
Márcio Tonelli
Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 4
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta
Supervisor Técnico do Sped Contábil

20 01/06/09 ECD (14/05/09 – Consulta realizada pelo colega Alfredo Cesar) Alfredo,

Sr. Márcio, peço a gentileza de me tirar uma dúvida. A IN RFB 926/09 alterou a redação desse dispositivo para torná-lo
mais claro. A apresentação da ECD supre, em relação as mesmas
Com a entrada do SPED CONTÁBIL em 30/06/2009, teremos que continuar a informações (e não arquivos), a IN SRF 86/01 e o manad. Assim, as
disponibilizar para a SRFB os dados exigidos pela Instrução Normativa nº informações que constarem da ECD não precisam mais ser
86/2001 ou não? apresentadas na forma da IN 86.

Eu entendo que estou duplicando a informação se continuar a enviar os livros Para facilitar nossos levantamentos e possibilitar que outros
digitais. colegas possam atendê-lo(a), solicito que as próximas dúvidas sejam
enviadas pelo "fale conosco" do sítio do Sped.
Para mim não está claro se devo ou não continuar a informar pelo artigo abaixo.
Ats.,
Em relação ao Art. 6º A apresentação dos livros digitais, nos termos desta Márcio Tonelli
Instrução Normativa, supre, em relação aos arquivos correspondentes, a Supervisor Técnico do Sped Contábil
exigência contida na Instrução Normativa SRF nº 86, de 22 de outubro de
2001, e na Instrução Normativa MPS/SRP nº 12, de 20 de junho de 2006. Obrigado pela atenção Marcio,

Obrigado, É que como estou lendo seu material, me senti mais a vontade em
perguntar a vc mesmo que está direcionado ao SPED CONTÁBIL e
sabe das complexidades.

No fale conosco do SPED as questões demoram em serem


respondidas.

Vc não consegue me responder de forma mais prática e simples a


questão que coloco?

Exemplo:
O Centro de custo é informado na IN86 por item e no SPED contábil eu
informo o Centro de Custo como uma tabela, sem vinculo ao item
contabilizado, e embora exista o campo, está em branco, onde na
normativa informa que não é obrigatório.
Como devo interpretar isso de forma prática e objetiva?
Obrigado pela atenção

Alfredo,

Normalmente, respondo pessoalmente as questões enviadas ao

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 5
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta
fale conosco. Como estava de férias, outros colegas assumiram a
função na semana passada.

De forma objetiva: se a empresa tem controle contábil por centro de


custos, deve incluir a informação na ECD. Tanto na IN 86 quanto no
Sped, a informação tem a mesma natureza. A alteração decorre da
mudança da forma "relacional" para a "hierárquica".

Atenciosamente,
Márcio Tonelli
Supervisor Técnico do Sped Contábil

19 27/05/09 ECD (26/05/09 – Consulta realizada pelo colega Alexandre) Alexandre,

Considerando q a premissa do SPED é ñ alterar a forma como as obrigações Pelo que se apresenta a sua empresa possui exercício contábil
vinham sendo atendidas (apenas apresentação em meio magnético) e que diferente do fiscal.
tanto a leg.fiscal(Art 274 e 275 do RIR) quanto a societária (Art 176 e 177 da Tendo em vista que para as empresas sujeitas à ECD, o objetivo é
Lei 6404) devem ser atendidas, levanta-se as questões: dirimir outras obigações acessórias, entendemos que se deva atender
às duas legislações, inclusive apresentando as demonstrações
1) O arquivo a ser entregue até 30/06/09 deve considerar qual período? financeiras (blocos J) nos arquivos ECD que finda dezembro (à
De jan/08 a dez/08 (fiscal) ou abr/08 a mar/09 (societário) , neste caso exemplo do que se faz na DIPJ).
incluindo Balanço do período fiscal no arquivo ou transcrevendo-o no
LALUR? Ats.,
2) Sendo o período a ser atendido o fiscal, como a empresa deverá Josenildo Soares
proceder para atender a Leg.societária,já que as Demonstrações - Equipe Sped – ECD
contemplando seu exercício societário não constarão do arquivo
entregue?
Josenildo, bom dia!

Apenas para fixar o nosso entendimento.


Iremos apresentar os arquivos de 01/2008 a 12/2008 com as
demonstrações em 03/2008 (nosso fechamento societário), e iremos
incluir no J800: Outras informações um arquivo contendo o balanço e a
demonstração de dezembro/2008.
Lembrando que apresentando as informações nesses moldes,
deixaremos de atender a legislação comercial (Art 176 e 177 da Lei
6404) encerrado em março de 2009.
Seria isso?

Obrigado pela atenção.

Alexandre,

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 6
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta

O que eu disse é que a empresa tem que atender à legislação


societária e fiscal.

O Sped não alterou nenhuma Norma comercial, apenas vem modificar


a forma em que os livros Diário devem ser apresentados pelas
empresas - da forma papel para a forma digital.

No mais, todas as formalidades e obrigações acessórias continuam as


mesmas. Por ex.: a autenticação do livro diário, continua sendo
obrigada; a entrega da DIPJ anual com levantamento do Balanço em
31/12, continua obrigado, a elaboração do livro LALUR, e assim por
diante.

As respostas para os seus questionamentos estão em você agir


exatamente como procedia antes, com relação à autenticação dos seus
livros e publicação das demonstrações - Atendendo assim à legislação
própria.

Pergunto então: Como você fazia para atender à legislação fiscal


(apresentação da escrituração autenticada, entrega da DIPJ, arquivos
de lançamentos na forma digital, etc...) antes da publicação do Dec
6.022/2007? Como você autenticava os seus livros diário?

Para lhe facilitar no novo procedimento, informo que a diferença é que


agora você tem data e lugar certo para encaminhar a sua escrituração:
Até o último dia útil do mês de junho, relativamente aos fatos contábeis
ocorridos no ANO-CALENDÁRIO anterior.

Então, Se a sua escrituração (empresa) tem exercício social diferente


do ano-calendário, adequações hão que ser feitas para atende às
DUAS legislações. E por assim dizer, entendo que vc não pode deixar
para entregar a escrituração referente ao seu exercício social findo em
31/03/2009 somente em 30/06/2010, eis que, esse período envolve em
grande parte o ANO CALENDÁRIO de 2008 (cujo prazo para entrega
será 30/06/2009). Portanto, várias alternativas existem para que se
possa fazer atender às duas legislação; cabe à vcs escolherem a que
melhor se adequar a sua realidade operacional; desde que não fira a
norma posta que exige a entrega até 30/06/2009, sob pena de incorrer
nas sanções pelo seu não atendimento.

Atenciosamente,

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 7
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta
Josenildo Soares da Silva
AFRFB - Matr. 6630
RFB - 4a.RF - DRF-Recife-PE - SEFIS
Fone: + 55 81 3797.5244

18 27/05/09 ECD (26/05/09 – Consulta realizada pelo colega Oldair) Oldair,

Já registramos fisicamente 72 livros diários referentes à 2008 na Junta Algumas empresas, na mesma situação e para evitar a imposição
Comercial, teremos que registrar novamente eletrônicamente um único livro de penalidade, estão enviando a ECD para Sped, mesmo sabendo que
contemplando todo o período para atender ao SPED Contábil? terão sua autenticação indeferida (não podem existir duas escriturações
relativas ao mesmo perído). Na numeração dos livros, procuram usar a
Os registros que já fizemos vão perder a validade? mesma dos livros físicos. Quando isto é impossível, indicam o primeiro
número da série no campo próprio e os demais no campo NAT_LIVR
Qual sequência de numeração deveremos utilizar, inicial de 2008, ou dar do termo de abertura.
sequência na numeração;o atual?
Atenciosamente,
Márcio Tonelli
Supervisor Técnico do Sped Contábil

17 26/05/09 ECD (08/05/09 – Consulta realizada pela colega Elma) Elma,

Na ficha 38 linha 18 da DIPJ precsio informar o nº do Registro do Livro Se ainda não autenticado, não informe o número na DIPJ. Ela pede,
Diário na Junta Comercial. também, a página onde foram transcritas as demonstrações. Na ECD
Com o SPED sendo entregue até 30/06, provavelmente não terei o nº do não existe número de página. Observe que, na DIPJ, a falta dessa
Registro para ser informado. informação gera apenas advertência.
Poderei enviar a DIPJ sem esta informação? Não gostaria de ter de
retificá-la por este motivo. Atenciosamente,
Márcio Tonelli
Supervisor Técnico do Sped Contábil
16 20/05/09 ECD (15/05/09 – Consulta realizada pela colega Marcia) Márcia,

Bom dia, Procede e estamos enviando cópia do MATERIAL DE TRABALHO.

A Lei 11.638/07 e MP 449/08 (cujo projeto de conversão foi submetida à sanção Ats.,
presidencial) altera a escrituração comercial das empresas (grupos do Balanço Márcio Tonelli
Patrimonial). Acredito que isso tenha repercussão na DIPJ e automaticamente Supervisor Técnico do Sped Contábil
no Plano Referencial.
Obtive uma informação não oficial no site do SPED Brasil que há um novo PVA
da ECD e um novo Ato Declaratório a serem divulgados, assim que houver a
sanção da MP 449.
Esta mesma fonte informou há alguns dias atrás que seria divulgado um novo

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 8
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta
PVA da EFD também.
Esta informação procede?
Obrigada

15 19/05/09 ECD (11/05/09 – Consulta realizada pela colega Debora) Débora,

Até o ano passado, tínhamos que pagar a junta e registrar os Livros Quanto ao registro dos livros, continua como antes, mas agora eles
Diários com o Balanço na última página do livro de Dezembro. são digitais.

Outra coisa que tínhamos que fazer era arquivar o BALANÇO, separadamente, Não houve modificação quanto o arquivamento das demonstrações
para participarmos de licitações o qual eram o mesmo. em papel para fins de licitação.

Com o SPED Contábil sabemos que ficamos dispensados de imprimir o diário e Em virtude de problemas operacionais, estou respondendo pelo
registraremos eles em um momento após a entrega. meu e-mail pessoal. AS DÚVIDAS DEVEM CONTINUAR SENDO
ENCAMINHADAS PELO "FALE CONOSCO" DO SÍTIO DO SPED.
Mas como fica o ARQUIVAMENTO do Balanço na Junta? (tratamos isto como
fatos distintos ) Ats.,
Estamos dispensados de ARQUIVAR em 30/Abril e passa a valer o do SPED ? Márcio Tonelli
Supervisor Técnico do Sped Contábil

14 19/05/09 ECD (11/05/09 – Consulta realizada pela colega Debora) Débora,

Estamos arquivando na JUNTA COMERCIAL RJ nosso Balanço, DRE, DMPL e A DRE do Sped é aquela que a empresa informar nos registros
FC de acordo com a Lei 11.638 J150.
Observe que, quanto ao batimento dos valores com os registros de
Com a entrega do SPED sei que se fizermos uma estrutura de Balanço igual a saldos, são geradas apenas advertências. Cabe à empresa avaliar se
entregue na junta em 30/04 não teremos divergências, mas como fica a DRE, elas são ou não erro. As advertências não impedem a continuidade dos
pois em nossa base, por exemplo, é feito vários rateios de Despesa para trabalhos.
Custo. Entendo que a DRE do SPED ficará diferente do arquivado na JUNTA e
isto não deveria acontecer. Em virtude de problemas operacionais, estou respondendo pelo
meu e-mail pessoal. AS DÚVIDAS DEVEM CONTINUAR SENDO
ENCAMINHADAS PELO "FALE CONOSCO" DO SÍTIO DO SPED.

Ats.,
Márcio Tonelli
Supervisor Técnico do Sped Contábil

13 12/05/09 ECD (08/05/09 – Consulta realizada pela colega Elma) Elma,

Quem deve preencher o campo 10 do registro I030 - "Data de arquivamento do Com o novo Código Civil (já não é tão novo assim), parte das
ato de conversão de sociedade simples em sociedade empresária" antigas sociedades simples foram convertidas em sociedades
empresariais, sujeitas a registro em Juntas Comerciais e não mais em

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 9
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta
cartórios. É, portanto, a data da conversão.

Ats.,
Márcio Tonelli
Supervisor Técnico do Sped Contábil

12 08/05/09 ECD (07/05/09 – Consulta realizada pela colega Elma) Elma,

Ao fazermos o fechamento do ano, não zeramos todas as contas de resultado, As advertências não impedem a continuidade dos trabalhos.
fazemos uma apropriação em duas contas para as despesas e resultado. Por
este motivo, quando validamos o arquivo dá a seguinte advertência: Sobre a obrigatoriedade dos lançamentos de encerramento, anexei
"O valor informado nas contas de maior detalhamento do registro da DRE não parecer normativo da RFB.
corresponde à soma dos valores informados nos registros de Saldos das
Contas de Resultado antes da Apuração na mesma data." Quanto à mensagem, o PVA faz o seguinte:

Podemos enviar o arquivo com esta advertência? I. os lançamentos de encerramento têm marcação específica nos
registros I200. Identificados os lançamentos, o sistema exige que sejam
incluídos os registros I350/I355 correspondentes.

II. às contas contábeis da empresa (I050) são vinculadas às linhas


das demonstrações pelos registros I052 (código de aglutinação). Com
base nisto, o PVA totaliza os registros de saldos (I155 e I355) por
código de aglutinação. Compara a soma dos registros I155 com as
linhas do balanço e do I355 com as da DRE.

Assim, o problema pode ter origem na indicação dos registros I052,


I355 ou J150.

Ats.,
Márcio Tonelli
Supervisor Técnico do Sped Contábil

11 08/05/09 ECD (27/04/09 – Consulta realizada pela colega Elma) Elma,

Gostaria de saber se para o ano de 2008 é obrigatório a apresentação no Não são obrigatórios. Portanto, fica a critério da empresa incluídos.
SPED Contábil os campos: É importante ressaltar que um dos objetivos da ECD e dispensar a
03 - Código do centro de custos- do registro I155 empresa de fornecer à RFB as mesmas informações no formato da IN
03 - Código do centro de custos- do registro I250 SRF 86/01 e do Manad.
03 - Código do centro de custos- do registro I355 Isto só será possível em relação às informações que forem inseridas na
ECD.
Aguardo retorno.
Ats.,

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 10
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta
obrigada. Márcio Tonelli
Supervisor Técnico do Sped Contábil

10 23/04/09 ECD (22/04/09 – Consulta realizada pelo colega Ivanir) Ivanir,


Tonelli,
Verifique a configuração do equipamento.
Fizemos e validamos diversos arquivos no PVA, no entanto ele se comportou
bem até 80 MB, porém na ultima semana ao geramos um arquivo com um Já recebemos arquivos de 2,5 GB com 30 milhões de registros.
volume de 247 MB, arquivo este que contém 2 milhões de lançamentos Nosso maior teste do PVA foi com um arquivo de 70 milhões de
contábeis, o processo de validação foi interrompido no PVA com a seguinte registros.
mensagem: Java Heap space.
Ats.,
Márcio Tonelli
Supervisor Técnico do Sped Contábil

E agora o que devemos fazer sendo que temos arquivos bem maiores já
gerados e não adianta solicitar o fracionamento porque os arquivo já são
mensais e para validarmos o arquivo não temos nenhum outro arquivo validado
na base do PVA.

Se o processo de validação já deu problema me preocupa o processo de


transmissão, a RFB já testou arquivo com que tamanho?

Atenciosamente,

09 23/04/09 ECD (18/04/09 – Consulta realizada pelo colega Ivanir) Ivanir,


Tonelli,
Observe que a relação entre os registros I050 e I051 é 1:N. Caso
Estamos enfrentando o seguinte problema em alguns projetos o que você nos seja
sugere? possível segregar as informações com utilização de um centro de
custos,
Partindo do principio que a contabilidade do ano de 2008 foi encerrada como ótimo. Nada impede, entretanto, que um pai tenha mais de um filho
proceder no caso abaixo: (mesmo sem
centro de custos).
Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 11
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta
Tenho determinadas contas analíticas que para referenciá-las ao plano de
contas da SRF temos que ter duas da SRF para uma conta Comercial da A distribuição dos valores será feita no e-lalur, quando entrar em
empresa. produção (isto não vai ocorrer em relação ao ano-base de 2008).

Pelo fato de contas patrimoniais, por exemplo, nem sempre terem critérios de Ats.,
rateio por centro de custo, no mês de junho do ano subseqüente ao realizarmos Márcio Tonelli
a DIPJ, fazemos um rateio entre as fichas da DIPJ e atendemos perfeitamente Supervisor Técnico do Sped Contábil
esta obrigação.

Como entendemos que o plano de contas referencial da SRF uma cópia fiel da
DIPJ, não conseguiríamos enviar-lhes estas informações com tal compreensão
de rateio, em função da contabilidade estar fechada e não termos a conta ou
centro de custo que satisfaçam a demonstração da DIPJ, apresentado este
cenário poderíamos então ter três opções para cumprimento do De/Para:

1. Fazer o De/Para simples e utilizar o critério de referenciamento pela


conta que tiver a maior relevância no Referencial;
2. Demonstrar no registro I051 o critério de rateio utilizando um centro de
custo aleatório apenas para demonstrar que a conta analítica em
questão sofre um rateio apesar de não estar demonstrada no registro
I155 e I355;
3. Fazer a demonstração conforme item 2 e enviar num arquivo RTF a
proporcionalidade do rateio a ser utilizada na DIPJ.

Não consigo enxergar outras opções que não estas, Sem que tenhamos que
alterar os saldos e conseqüentemente os lançamentos por centro de custo e
partindo do princípio de que o tempo é muito curto e a contabilidade das
empresas já estão encerradas, o que você sugere?

Atenciosamente,

08 22/04/09 ECD Hans,


Bom dia Marcio Tonelli,
Existem algumas restrições no PVA: a ECD é mensal, podendo
Gostaria de obter um esclarecimento sobre a questão do Período Societário x conter mais de um mês se não utlrapassar 1GB. O período do livro
Período Fiscal. deve estar contido no mesmo ano. Nada impede, portanto, que você
tenha um livro digital de, por exemplo, julho a dezembro de um ano e
Considerando que a premissa do SPED é não alterar a forma como as outro de janeiro a junho do ano seguinte. Para fins fiscais pode haver,
obrigações vinham sendo atendidas (trata-se apenas de apresentação em meio inclusive, um livro com período de janeiro a dezembro, com
magnético), temos uma situação onde uma empresa em virtude da demonstrações em junho.
sazonalidade da produção tem o seu período de fechamento diferente do ano Quanto à transcrição das demonstrações para fins fiscais, elas
calendário. podem ser feitas no Diário ou no Lalur (embora não seja usual):

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 12
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta

Para efeito de DIPJ, são feitas todas as considerações no mês de dezembro, Demonstrações Financeiras
sendo transcritos para o Livro Diário. Entretanto, as Demonstrações requeridas Art. 274. Ao fim de cada período de incidência do imposto, o
(Balanço e DRE), bem como o próprio Livro Diário, continua a contemplar o contribuinte deverá apurar o lucro líquido mediante a elaboração, com
período societário, inclusive para efeito de publicação. observância das disposições da lei comercial, do balanço patrimonial,
da demonstração do resultado do período de apuração e da
Atualmente o seu Livro Diário (o qual é objeto de substituição pelo SPED demonstração de lucros ou prejuízos acumulados (Decreto-Lei nº
Contábil) é gerado, impresso e registrado observando o período societário. 1.598, de 1977, art. 7º, § 4º, e Lei nº 7.450, de 1985, art. 18). (V.
Neste caso, o “novo” Livro Diário continuará a observar uma nova periodicidade NOTAS 815 a 817 APÓS O § 2º)
ou deverá ser alterado? § 1º O lucro líquido do período deverá ser apurado com observância
das disposições da Lei nº 6.404, de 1976 (Decreto-Lei nº 1.598, de
Obrigado. 1977, art. 67, inciso XI, Lei nº 7.450, de 1985, art. 18, e Lei nº 9.249, de
1995, art. 5º).
§ 2º O balanço ou balancete deverá ser transcrito no Diário ou no
LALUR (Lei nº 8.383, de 1991, art. 51, e Lei nº 9.430, de 1996, arts. 1º
e 2º, § 3º).

Ats.,
Márcio Tonelli

Boa tarde, Hans.

Não houve alteração legal. O período do livro deve estar contido no


mesmo ano. Assim, uma empresa com encerramento em junho, pode
apresentar a ECD de janeiro a junho ou de janeiro a dezembro (para
fins fiscais).
Pelo Código Civil, a transcrição das demonstrações é obrigatória no
encerramento do exercício social.
O Regumento do Imposto de Renda permite que as demonstrações
para fins fiscais sejam transcritas no Lalur, embora não seja usual,
conforme transcevo abaixo:
Demonstrações Financeiras
Art. 274. Ao fim de cada período de incidência do imposto, o
contribuinte deverá apurar o lucro líquido mediante a elaboração, com
observância das disposições da lei comercial, do balanço patrimonial,
da demonstração do resultado do período de apuração e da
demonstração de lucros ou prejuízos acumulados (Decreto-Lei nº
1.598, de 1977, art. 7º, § 4º, e Lei nº 7.450, de 1985, art. 18). (V.
NOTAS 815 a 817 APÓS O § 2º)
§ 1º O lucro líquido do período deverá ser apurado com observância
das disposições da Lei nº 6.404, de 1976 (Decreto-Lei nº 1.598, de
1977, art. 67, inciso XI, Lei nº 7.450, de 1985, art. 18, e Lei nº 9.249, de
Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 13
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta
1995, art. 5º).
§ 2º O balanço ou balancete deverá ser transcrito no Diário ou no
LALUR (Lei nº 8.383, de 1991, art. 51, e Lei nº 9.430, de 1996, arts. 1º
e 2º, § 3º).

Atenciosamente,

Paulo Roberto da Silva

Boa tarde Marcio Tonelli,

Gostaria de voltar ao assunto, pois, hoje estive conversando com


colegas que têm esta situação e restou a seguinte dúvida, ainda sobre
a tua resposta, considerando que o Livro Diário (digital) deverá conter
um único ano/calendário:

1) O Livro Diário referente ao período societário de Abril/07 a Março/08


já foi impresso e registrado.

2) Para o atendimento do SPED/08, devemos gerar um arquivo de


Abril/08 a Dezembro/08 e outro de Janeiro/09 a Março/09 (período
societário da Empresa).

3) Serão considerados os Registros J100 (Balanço) e J150 (DRE),


somente no segundo arquivo, pois nesse é que estão contidos os
Lançamentos de Encerramento ao final do período societário.

Na tua resposta é mencionado que as demonstrações para fins fiscais,


poderão ser apresentadas em um Livro com período de Janeiro a
Dezembro.

Para fins fiscais, poderemos ter outro Livro?

CONFORME A LEGISLAÇÃO TRANSCRITA, AS DEMONSTRAÇÕES


FINANCEIRAS PARA FINS DE APURAÇÃO DO IRPJ PODEM SER
TRANSCRITAS NA ESCRITURAÇÃO COMERCIAL OU NA
ESCRITURAÇÃO FISCAL (LALUR).

Em resumo, como ficarão os arquivos a serem apresentados?

a) Arquivo de Abril a Dezembro, e, de Janeiro a Março, com as


Demonstrações com data de Março? Atenção para o fato de que o
Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 14
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta
SPED tem como um dos objetivos suprimir informações da DIPJ, logo,
não poderíamos considerar o período societário, conforme sugerido na
resposta.

CONTINUA EM VIGOR A OBRIGAÇÃO DE LEVANTAR AS


DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NA DATA DA OCORRÊNCIA DO
FATO GERADOR PARA O IRPJ. A EMPRESA DEVE, TAMBÉM,
LEVANTAR AS DEMONSTRAÇÕES AO FINAL DO EXERCÍCIO
SOCIAL, CONFORME LEGISLAÇÃO COMERCIAL.

b) Arquivo de Janeiro a Dezembro, lembrando que Jan a Mar já estão


impressos e registrados no Livro anterior, e com as Demonstrações
com data de Dezembro?

ALGUMAS EMPRESAS, JÁ TENDO IMPRESSO OS LIVROS, ESTÃO


GERANDO A ECD DO MESMO PERÍODO A APRESENTANDO AO
SPED, MESMO SABENDO QUE A AUTENTICAÇÃO SERÁ
INDEFERIDA PELA JUNTA COMERCIAL. TENTAM EVITAR A
IMPOSIÇÃO DE PENALIDADE. NO SEU CASO, O PROCEDIMENTO
SERIA GERAR UMA ECD DE JANEIRO A MARÇO DE 2008
(PRFERENCIALMENTE COM O MESMO NÚMERO DO LIVRO EM
PAPEL JÁ AUTENTICADO) E OUTRA PARA O PERÍODO
REMANESCENTE.

Obrigado.

Wladimir,

Primeiramente gostaríamos de agradecer sua atenção no sentido de


esclarecer nossas dúvidas quanto ao SPED contábil.

Abaixo retransmito os e-mails trocados entre Hans e Márcio Tonelli,


que é o mesmo que lhe mostramos impresso.

As dúvidas que permanecem são as seguintes:

- Qual o período que deve ser atendido com a entrega dos arquivos
ECD?
Janeiro a dezembro (exercício fiscal); ou
Abril a março (exercíciosocietário/comercial)?

- Caso devamos atender o período fiscal, como atenderemos a


obrigação de arquivar nossas demonstrações financeiras prevista na
Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 15
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta
legislação comercial?
Como devemos fazer com os meses de janeiro a março/2008, já que
estes meses já foram impressos e registrados junto À JUCESP?

- Caso devamos atender o período societário, nesta primeira entrega


com data limite em 30/06/2009, devemos entregar um arquivo de abril a
dezembro/2008 e outro de janeiro a março/2009?

Estas são as principais dúvidas que temos no momento e o andamento


/conclusão do nosso projeto depende do esclarecimento das mesmas.

Caso não tenha sido claro nas questões acima, fique à vontade para
entrar em contato por e-mail ou no telefone abaixo.

Desde já agradecemos.

Antonio Celso Roxo

Wladimir,

Tudo bem, e vc?

Extraído de perguntas frequentes do sítio do Sped:

20. O arquivo da escrituração contábil digital (ECD) pode conter


mais de um mês?

Como regra geral, ECD é mensal. PODENDO CONTER MAIS DE UM


MÊS SE NÃO ULTRAPASSAR 1 GB.
Apenas para uma avaliação, estima-se que em 1GB possam ser
inseridos até 1.100.000 registros da ECD.
Existem outros limites: todos os meses devem estar contidos no
mesmo ano e não deve conter fração de mês (exceto nos casos de
abertura, cisão, fusão, incorporação ou extinção).

Respeitadas tais regras, o contribuinte pode dividir o período como


entender mais conveniente.

Ats.,
Tonelli

Mas o fato dele já ter registrado livros referente a 2008, pelo fato de ter
Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 16
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta
sua contabilidade ser feita de abril a março (exercício comercial) o
desobriga deste período??? Entendo que não, pois não estariam
cumprindo a obrigação perante o SPED (exercício fiscal). Estou
correto??

Então ele entregaria, para 2008, dois conjuntos de arquivos. Um de


janeiro a março, e outro do restante do período (obedecidas as
restrições de tamanho). É isso?

Wladimir Machado Vieira


AFRFB - DRF/Franca
(16) 3012-8026

Perfeito.
Tonelli

Boa tarde Wladimir,

Mais uma vez obrigado pela atenção.

Não sei se para os colegas ficou claro, mas pra mim ainda restou uma
dúvida.

Vamos gerar 2 arquivos?

1) Período de Janeiro a Março, com as Demonstrações e


respectivos lançamentos de “encerramento”, com data final de Março; e

2) Período de Abril a Dezembro, sem Demonstrações, podendo


incluir no Registro J800 Outras informações, o arquivo RTF com todas
as demonstrações publicadas pela empresa.

Fiquem a vontade de fazer quaisquer comentários.

Márcio

Está correta a interpretação do contribuinte?

Creio que deve ser gerada a apuração conforme legislação tributária..

Wladimir Machado Vieira


AFRFB - DRF/Franca
(16) 3012-8026
Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 17
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta

Wladimir,

Apenas um reparo. Em relação às demonstrações contábeis,


Balanço e DRE devem ser inseridas nos registros I100 e I150 (e não no
J800). As que embasam a apuração do IR podem, opcionalmente, ser
transcritas no Lalur. Normalmente são transcritas no Diário.

Ats.
Tonelli

Bom dia Wladimir,

Apenas um comentário sobre o esclarecimento do Tonelli, os registros


para Balanço e DRE são na verdade J100 e J150 e não “I”.

Obrigado pela atenção.

Um forte abraço.

07 22/04/09 ECD Hans,


Boa tarde Marcio Tonelli,
Não deve gerar erro.
Gostaria de contar com teu auxílio para o entendimento sobre o Registro “J005”. Pode existir, por exemplo, uma ECD relativa a 01.12.2008 a
31.12.2008 contendo demonstrações de 01.01.2008 a 31.12.2008.
Considerando que há a possibilidade de ter que dividir o arquivo do ECD
(devido ao tamanho ou mesmo opção), gostaria de uma orientação no que diz Mesmo na anual, podemos ter balanços intermediários. Assim,
respeito ao conteúdo dos campos 02-DT_INI e 03-DT_FIN. podemos ter, no 0000, período de 01.01.2008 a 31.12.2008, e várias
demonstrações contendo frações deste período.
A) No caso de haver apenas um arquivo, teremos Data Inicial (J005) =
Data Inicial (0000) e Data Final (J005) = Data Final (0000); Ats.,
B) No caso de vários arquivos (por exemplo 01 a 06/2008 e 07 a Márcio Tonelli
12/2008), não teremos no primeiro arquivo o Registro J005, entretanto no Supervisor Técnico do Sped Contábil
segundo arquivo a Inicial (J005) <> Data Inicial (0000) e Data Final (J005) <>
Data Final (0000), uma vez que no Registro 0000 estaremos informando o
período a que se referem as informações, logo estamos considerando neste
caso, 07 a 12/2008, e, no Registro J005, deveria ser 01 a 12/2008, pois o
Balanço e o DRE referem-se a posição em 31/12/2008, porém compreendendo
ao “ano inteiro de 2008”.

Considerando a regra Campo 02 – DT_INI


a) [REGRA_DATA_INI_MAIOR] Verifica se o campo foi preenchido com a

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 18
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta
data igual ou anterior a data do campo (DT_FIM) do registro 0000.
b) [REGRA_DT_INI_MAIOR_DT_FIN] Verifica se a data inicial é igual ou
anterior que a data final informada no registro.

A situação acima exposta não irá gerar um “erro”?


Esse entendimento está correto?

Obrigado.

06 13/04/09 ECD(03/04/09 – Consulta realizada pelo colega Ivanir) Ivanir,


Prezado,
Balanço e DRE devem ser "apresentados" no arquivo na mesma
Analisando o PVA, verifiquei que mesmo os dados dos registros I200 onde são ordem em que devam ser visualizados (isto consta expressamente do
solicitado as datas dos lançamentos contábeis podem estar fora ordem, no leiaute). Os demais, não. Pelo Código Civil, os lançamentos devem ser
entato o PVA o reclassifica por data e indicador de Débito e Crédito, O mesmo feitos em ordem cronológica, mas o sistema não está validando este
conceito não se aplica ao I050 Plano de contas e J100 Balanço Patrimonial e aspecto.
J150 DRE.
Ats.,
Mediante ao esposto gostaria de saber se é necessario demostrar o planto de Márcio Tonelli
contas atendendo a ordem de liquidez do plano de contas, assim como o Supervisor Técnico do Sped Contábil
Balanço Patrimonial e o DRE.

Atenciosamente,

05 13/04/09 ECD(03/04/09 – Consulta realizada pelo colega Ivanir) Ivanir,

Prezado, Respostas após as perguntas.

A Instrução Normativa 926/09 altera a IN 787/07 bem como o anexo 2, mediante Ats.,
ao exposto gostaria de obter as seguintes informações: Márcio Tonelli
Supervisro
O livro de inventário não será mais obrigatório para quem estiver obrigado ao
convênio 143/06, no entanto a EFD será entregue a partir de janeiro/09, o que o
contribuinte deve fazer para suprir a obrigatoriedade do inventário para o ano de
2008 tendo como premissa a obrigatoriedade da ECD? Prezado,

A IN 926 altera obrigatoriedades e campos, o contribuinte terá prazo maior para A Instrução Normativa 926/09 altera a IN 787/07 bem como o anexo 2,
se adequar as alterações? mediante ao exposto gostaria de obter as seguintes informações:

Quanto aos contribuintes que já entregaram a ECD o que deve ser feito? O livro de inventário não será mais obrigatório para quem estiver
obrigado ao convênio 143/06, no entanto a EFD será entregue a partir

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 19
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta
O fisco irá disponibilizar o PVA com as alterações quando? Este PVA estará de janeiro/09, o que o contribuinte deve fazer para suprir a
com o plano de contas referencial adaptado ao RTT? obrigatoriedade do inventário para o ano de 2008 tendo como premissa
a obrigatoriedade da ECD?
O lançamento de encerramento deve zerar todas as contas de resultado, ou o
contribuinte pode ultilizar da premissa de uma conta transitósia onde a GERAR OS LIVROS UTILIZANDO O FORMATO "Z" (RAZÃO
somatória dos valores nas contas de resultado sejam transferida para AUXILIAR) E ENVIAR AO SPED PARA AUTENTICAÇÃO.
posteriormente zerar apenas a conta de apuração do resultado com a conta
patrimonial? A IN 926 altera obrigatoriedades e campos, o contribuinte terá prazo
maior para se adequar as alterações?

NÃO. ALGUNS CAMPOS FACULTATIVOS FORAM ALTERADOS


PARA "NÃO SE APLICA". MESMO ASSIM, O PVA JÁ ESTAVA
BARRANDO NA VALIDAÇÃO.

Quanto aos contribuintes que já entregaram a ECD o que deve ser


feito?

AS ALTERAÇÕES TORNARÃO O PVA MAIS FLEXÍVEL. OU SEJA,


OS ARQUIVOS QUE PASSAM NO PVA ATUAL PASSARÃO, MAIS
FACILMENTE, NO NOVO.

O fisco irá disponibilizar o PVA com as alterações quando? Este PVA


estará com o plano de contas referencial adaptado ao RTT?

A HOMOLOGAÇÃO ESTÁ PREVISTA PARA O FINAL DE ABRIL. EM


ANEXO O MATERIAL DE TRABALHO QUE ESTAMOS UTILIZANDO
NA REVISÃO DO PLANO DE CONTAS REFERENCIAL.
ELE SÓ DEVE SER PUBLICADO APÓS A VOTAÇÃO DA MP 449
(QUE INSTITUI O RTT).
CRÍTICAS E SUGESTÕES SÃO BEM-VINDAS.

(See attached file: Anexo II ADE Cofis ______ Plano de Contas


Referencial -2009_03_31.zip)

O lançamento de encerramento deve zerar todas as contas de


resultado, ou o contribuinte pode ultilizar da premissa de uma conta
transitósia onde a somatória dos valores nas contas de resultado sejam
transferida para posteriormente zerar apenas a conta de apuração do
resultado com a conta patrimonial?

SOBRE O ENCERRAMENTO DAS CONTAS DE RESULTADO,


CONSULTE O PARECER NORMATIVO ANEXO.
Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 20
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta

ENTENDO QUE AS CONTAS DEVEM SER ENCERRADAS


INDIVIDUALMENTE. A EXIGÊNCIA DO ENCERRAMENTO POR
CENTRO DE CUSTOS NO PVA ESTÁ SENDO ALTERADA PARA
QUE A VERIFICAÇÃO SEJA FEITA POR CONTA.

Bom dia Ivanir,

Obrigado pelas informações.

Entretanto acredito ser prudente questionarmos a orientação de


uso do Livro Z para Inventário.

"...
O livro de inventário não será mais obrigatório para quem estiver
obrigado ao convênio 143/06, no entanto a EFD será entregue a
partir de janeiro/09, o que o contribuinte deve fazer para suprir a
obrigatoriedade do inventário para o ano de 2008 tendo como
premissa a obrigatoriedade da ECD?

GERAR OS LIVROS UTILIZANDO O FORMATO "Z" (RAZÃO


AUXILIAR) E ENVIAR AO SPED PARA AUTENTICAÇÃO.
..."

a) Para que eu possa entregar um Livro Auxiliar, em formato "Z"


ou não, é preciso informar que a minha Contabilidade é
"Resumida", o que pode não ser verdade.
b) Por definição, o Livro Auxiliar será utilizado em referência a um
Livro Resumido devendo-se identificar a contas do respectivo
Livro, que recebem os lançamentos "globalizados", o que neste
caso, não são "Lançamentos", mas sim o "SALDO DA(s) CONTA(s)
DE ESTOQUE".

Quando tiveres alguma novidade, poderias encaminhá-la?

Hans Fritzsche

04 12/03/09 ECD

Alterações da IN 787/07:

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 21
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta

http://www.receita.fazenda.gov.br/Legislacao/Ins/2007/in7872007.htm
http://www.receita.fazenda.gov.br/Legislacao/Ins/2008/in8252008.htm
http://www.receita.fazenda.gov.br/Legislacao/Ins/2009/in9262009.htm

03 19/01/09 ECD Hans,


Boa tarde,
Estou retornando de férias hoje e os colegas que ficaram
Gostaria de uma orientação quanto ao preenchimento do campo 09 - encarregados do "fale conosco" não se sentiram seguros para
COD_PART no Registro I250 - Partidas do Lançamento. responder.

Por exemplo, pela compra de materiais para revenda, de uma empresa cujo Informe o código de relacionamento na partida que melhor
Código de Relacionamento é "04-Controladora", podemos ter: representa a operação. Nos seus exemplos, seriam as contas de
fornecedores e, nas operações à vista, estoque.
D - Estoque
C - Fornecedores ou Bancos ou Caixa; Ats.,
Márcio Tonelli
D - Impostos (Vários) Supervisor Técnico do Sped Contábil
C - Impostos a Recolher (Vários)

D - Fornecedores
C - Bancos ou Caixa (Quando do pagamento, caso a compra tenha sido à
prazo).

Quais serão as partidas onde o Código do Participante deverá ser identificado?

Obrigado.
02 16/12/08 ECD Hans,
Livro Diário Auxiliar -
Imobilizado - Gostaria de saber sobre a real aplicação/necessidade de se ter um Devem ser observadas as regras do Código Civl (e do CFC). Elas
Livro Auxiliar quando a contabilização da depreciação não for feita bem-a-bem? determinam que os lançamentos devem ser feitos com individuação e
Até onde vai a necessidade do detalhamento em um Diário Auxiliar? clareza.

Estoque - Gostaria de saber sobre a real aplicação/necessidade de se ter um Art. 1.184. No Diário serão lançadas, com individuação, clareza e
Livro Auxiliar, para as contabilizações dos estoques? Atualmente temos a figura caracterização do documento respectivo, dia a dia, por escrita direta ou
fiscal e legal do Livro Modelo 03, o qual fará parte do SPED Fiscal, ou seja, faz reprodução, todas as operações relativas ao exercício da empresa.
sentido criarmos um arquivo para ser o Livro Auxiliar, quando já dispomos § 1o Admite-se a escrituração resumida do Diário, com totais que
dessas informações no módulo fiscal? não
excedam o período de trinta dias, relativamente a contas cujas
operações sejam numerosas ou realizadas fora da sede do

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 22
Nr. Data Questionamento - ECD Resposta
estabelecimento, desde que utilizados livros auxiliares regularmente
autenticados, para registro individualizado, e conservados os
documentos que permitam a sua perfeita verificação.

O Sped Contábil não alterou as regras de contabilização.

Ats.,
Márcio Tonelli
Supervisor Técnico do Sped Contábil

01 16/12/08 ECD Hans,


Livro Diário Auxiliar -
A Empresa que vende com Cupom Fiscal, escritura as suas vendas ao final do É a mesma resposta para o e-mail anterior.
dia através do registro do Mapa Fiscal, neste caso faz-se necessária a
elaboração de um arquivo auxiliar detalhando os Cupons Fiscais? Ats.,
Tonelli
Então seria necessário o detalhamento dos Itens dos Cupons?

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 23
Questionamento – EFD
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta
36 01/06/09 EFD (28/05/09 – Consulta realizada pela colega Marcia) Márcia,
Aguarde a próxima versão para a próxima semana.
Boa tarde
Atenciosamente,
Obtive a informação que um dos objetivos da nova versão do Manual Equipe Sped
EFD foi eliminar advertências geradas no PVA em relação ao
preenchimento do CST ICMS. Porém além desta alteração houve uma
mudança no Registro C170 – campo QTD - alteração da quantidade de
decimais para 05, que no guia pratico anterior era de tamanho 3.
A minha duvida é: se eu aplicar as alterações do guia pratico 4 eu não
terei divergência com o atual PVA, ou seja, eu não teria que aguardar
uma nova versão do PVA para aplicá-las?

Obrigada,
35 01/06/09 EFD (28/05/09 – Consulta realizada pela colega Danielli) Bom dia,

Olá bom dia! Conforme respondido na mensagem anterior, a alteração foi decorrente das muitas dúvidas
Estou com dúvidas em relação ao novo conceito do CST_ICMS para as de preenchimento do CST em operações de entradas. Embora tenha havido a alteração de
notas de entrada. orientação nada impede que o contribuinte possa informar o CST sobre seu enfoque, visto
Infelizmente na prática uma grande parte das empresas não preenchem que o Validador não criticará, desde que o código CST exista na tabela.
o campo "CST" na nota fiscal. Outro ponto é que o conhecimento de
transporte nem tem o campo "CST". Não há necessidade de solicitar carta de correção para as notas fiscais que não constem
CST_ICMS, registre a situação na sua EFD.
Como proceder para escriturar estes documentos?
Não há necessidade de alterar a EFD de períodos anteriores.
Em relação as notas cujo campo esteja sem preenchimento (Em
branco), devemos soliticar carta de correção para todas as notas?

E em relação ao frete? como informar o CST? Atenção: Novo Guia Prático do Usuário, versão 1.0.4, encontra-se disponível no endereço:
http://www1.receita.fazenda.gov.br/sped-fiscal/download/Guia_Pratico_da_EFD.pdf
Outro ponto que está gerando muitas dúvidas é em relação ao meses
anteriores.... temos que alterar o períodp de janeiro a maio/2009? O modelo da procuração eletrônica com opção exclusiva para a assinatura da Escrituração
Fiscal Digital foi alterado. Para a transmissão da EFD será necessário recadastrar todas as
Obrigada procurações.
Visite o endereço:
https://cav.receita.fazenda.gov.br/scripts/CAV/login/login.asp e faça o recadastramento.

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 24
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta

Atenciosamente,

Equipe SPED Fiscal.

"As dúvidas esclarecidas por esta mensagem possuem caráter de orientação, não gerando o
efeito decorrente da consulta formal”.

34 01/06/09 EFD (28/05/09 – Consulta realizada pela colega Danielli) Bom dia,

Olá! A alteração foi decorrente das muitas dúvidas dos contribuintes com relação ao
Gostaria de um esclarecimento em relação ao Registro C170-Campo 10 preenchimento do CST em operações de entradas. Embora tenha havido a alteração de
CST_ICMS no novo Guia Prático 1.0.4 orientação, nada impede que o contribuinte possa informar o CST sobre seu enfoque, visto
A orientação do Guia Prático 1.0.3 era "preencher com o código da que o Validador não criticará, desde que o código CST exista na tabela.
Situação Tributária sob o enfoque do declarante, independentemente,
nas operações de entradas, do que constar no documento fiscal". No Períodos anteriores não serão afetados pela nova regra.
novo Guia Prático 1.0.4 a orientação para o mesmo campo passou a
ser: "preencher com o código da Situação Tributária sob o enfoque do
declarante, nas operações de saídas. Nas operações de entradas, Atenção: Novo Guia Prático do Usuário, versão 1.0.4, encontra-se disponível no endereço:
informar o CST que constar no documento fiscal de aquisição dos http://www1.receita.fazenda.gov.br/sped-fiscal/download/Guia_Pratico_da_EFD.pdf
produto."
O modelo da procuração eletrônica com opção exclusiva para a assinatura da Escrituração
O conceito mudou mesmo? Como ficam os meses anteriores?A partir de Fiscal Digital foi alterado. Para a transmissão da EFD será necessário recadastrar todas as
que data este novo conceito será obrigatorio? procurações.
Visite o endereço:
https://cav.receita.fazenda.gov.br/scripts/CAV/login/login.asp e faça o recadastramento.

Atenciosamente,

Equipe SPED Fiscal.

"As dúvidas esclarecidas por esta mensagem possuem caráter de orientação,


não gerando o efeito decorrente da consulta formal”.

33 01/06/09 EFD (27/05/09 – Consulta realizada pelo colega Jose Onofre) Bom dia,

Ao realizar operação de VENDA regularizada com NF, sabidamente As contribuições seguem a regra geral dos impostos. Se o débito constar do documento
tributada pela PIS e COFINS, tais contribuições devidamente fiscal, informar valor e base de cálculo. Se existir direito ao crédito informar também valor e
codificadas com os CST 01 (ZERO UM), o valor das referidas BC nos registros C100 e filhos.
contribuições devem ir para o SPED-FISCAL e serem visualizadas no
Registro C100 - nota fiscal - do SPED? Entretanto, a EFD não apura as contribuições para o PIS e COFINS, pois a forma de
apuração dos valores dessas contribuições não depende somente de informações constantes

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 25
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta
em documentos fiscais. No futuro, deverá ser implementado esse módulo. Assim, as
Se afirmativo a resposta, compreendo que devo ajustar a base de informações solicitadas na EFD demonstram apenas os créditos e débitos das referidas
dados (SAP) para que tais valores sejam visualizados no Registro C100 contribuições provenientes dos documentos fiscais.
- nota fiscal - do SPED.
Atenção: Novo Guia Prático do Usuário, versão 1.0.4, encontra-se disponível no endereço:
Se negativo, onde visualizo no SPED o valor das contribuições? Elas http://www1.receita.fazenda.gov.br/sped-fiscal/download/Guia_Pratico_da_EFD.pdf
serão informadas pelo SPED CONTÁBIL?
O modelo da procuração eletrônica com opção exclusiva para a assinatura da Escrituração
Atenciosamente, Fiscal Digital foi alterado. Para a transmissão da EFD será necessário recadastrar todas as
procurações.

Visite o endereço:
https://cav.receita.fazenda.gov.br/scripts/CAV/login/login.asp e faça o recadastramento.

Atenciosamente,

Equipe SPED Fiscal.

"As dúvidas esclarecidas por esta mensagem possuem caráter de orientação, não gerando
o efeito decorrente da consulta formal”.
32 01/06/09 EFD (26/05/09 – Consulta realizada pelo colega Jose Onofre) Prezado Senhor José Chaves,
A alteração foi decorrente das muitas dúvidas de preenchimento do CST em operações
O novo Guia EFD – Versão 1.0.4, na página 31, informa que o de entradas. Embora tenha havido a alteração de orientação nada impede que o contribuinte
preenchimento do CST deverá ser feito sob o enfoque do declarante, possa nformar o CST sobre seu enfoque, visto que o Validador não criticará, desde que o
nas operações de saídas. Nas operações de entradas, informar o CST código CST exista na tabela.
que constar no documento fiscal de aquisição dos produtos. Equipe Sped

Pelo que entendi esta regra altera substancialmente os projetos SPED


implantados e todos que estão em desenvolvimento.

Esta alteração não trará um custo muito alto para os contribuintes que já
implantaram o SPED e para os que estão com o projeto em andamento?

A mudança é imediata ou existe data prevista para vigência?

Quando estará disponível o novo PVA?

Atenciosamente,

31 27/05/09 EFD Hans,


O que foi entregue permanece válido e nada mudou. Apenas que modificamos a forma de
Bom dia, informar o CST_ICMS nas entradas pois havia muita dúvida em qual utilizar e isto estava

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 26
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta
Gostaria de um esclarecimento a respeito da alteração introduzida com gerando uma quantidade muito grande de perguntas e Advertências pelo programa
o Guia Prático 1.0.4, no que diz respeito ao CST_ICMS, pois houve uma Validador.
alteração de conceito, entre o que era solicitado (inclusive com regras Equipe Sped
de validação no PVA) e o que passou a ser esperado a partir de...

Qual a data limite para essa adequação, haja vista de que, sob a ótica
do informante, a CST_ICMS era classificada de acordo com a
finalidade/aplicação da "Entrada"?

Como ficam os meses anteriores, para efeito de entrega, deverão ser


alterados?

A Equipe imagina o retrabalho e a adequação que deverão ser feitas


nos sistemas de gestão das empresas?

No aguardo,

30 20/05/09 EFD (15/05/09 – Consulta realizada pelo colega Jose Onofre) José Chaves,

O SPED FISCAL está rejeitando NF de crédito de Ativo Imobilizado Ver excessão 04 do registro C100 - Guia Prático da EFD.
(CFOP 1.604) emitida nos termos do art. 168, incisos II e III, Anexo V,
do Dec. 43080/2002. A crítica é aponta da para o CST "00" (direito de Equipe Sped
crédito de ICMS) destacado no documento e para a omissão de
quantidade.
“Exceção 4: Notas Fiscais emitidas por regime especial ou norma específica (campo
Sabendo que o CFOP 1.604 não movimenta mercadoria, o erro poderia COD_SIT igual a “08”). Para documentos fiscais emitidos com base em regime especial ou
ser corrigido com a inserção de um valor positivo para unidade, mas, norma específica, deverão ser apresentados os registros C100 e C190, obrigatoriamente, e
para o CST se o mesmo for alterado para outro código, o reflexo na os demais registros “filhos”, se estes forem exigidos pela legislação fiscal. Nesta situação,
escrita será de NÃO aproveitamento do crédito do imposto. somente os campos REG, IND_EMIT, COD_PART, COD_MOD, NUM_DOC e DT_DOC são
de preenchimento obrigatório. Os demais campos são facultativos (se forem preenchidos
Ante o exposto, como devemos proceder? Enquanto não se ajusta a inclusive com valores iguais a Zero, serão validados e aplicadas as regras de campos
operação no SPED há alternativa para solucionar o problema? existentes).”

Atenciosamente,

29 19/05/09 EFD (15/05/09 – Consulta realizada pelo colega Jose Onofre) Cada estabelecimento será tratado com um estabelecimento independente e portanto as
informações valem somente para cada EFD apresentada.
Como será tratado no SPED, um mesmo item do Registro 0200, que na Equipe Sped
filial é considerado Produto Acabado (04) e na Matriz é considerado
Matéria-Prima (01), em razão da sua aplicação?

A questão é colocada em função de utilizarmos um sistema integrado

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 27
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta
onde o material é identificado apenas por um código, independente do
estabelecimento que o movimenta.

Atenciosamente,

28 23/04/09 EFD (21/04/09 – Consulta realizada pelo colega Jesus Ney) Ney, bom-dia!
Essa solicitação já está sendo contemplada na próxima versão do PVA.
No registro 0200-Tabela de Identificação do Item, é exigido a NCM Ats., Luís Tutomu
quando atividade industrial ou equiparado, exceto para 07-Uso e
Consumo, 09-Serviços, 10-Outros Insumos ou 99-Outras.

Ativo Imobilizado não está na lista de exceções, porém as empresas


normalmente não tem a NCM no cadastro de Ativo Imobilizado ou tem
para parte e é muito complexo resgatar a informação.

É possível acrescentar a exceção oTIPO_ITEM = 08-Ativo Imobilizado


nas críticas do PVA ?

Att,

27 23/04/09 EFD Hans, boa-tarde!


Boa tarde, Em princípio a adesão à EFD é de caráter irrevogável com entrega de todos os arquivos
a partir de janeiro de 2009, visto que o prazo de entrega foi prorrogado até setembro de
Gostaria de um esclarecimento sobre a adesão voluntária ao SPED 2009.
Fiscal. Algumas Secretarias de Fazenda solicitam um ofício da empresa e outras não.
Seria necessário que você me informasse os CNPJs e Inscrições estaduais e em quais
Um empresa que, por opção, resolva aderir ao SPED Fiscal no estados a empresa estaria fazendo a opção para que estas definissem o perfil de
transcorrer do ano de 2009 (por exemplo), deverá observar quais apresentação dos arquivos e cadastramento.
procedimentos? Ats., Luis Tutomu

E para os meses anteriores, período no qual a empresa não estava Muito obrigado pela tua atenção.
obrigada a entregar o arquivo da EFD, deverão ser desconsiderados, ou
seja, a partir do mês em que foi aceita a sua adesão, passará a entregar Quanto a empresa em questão, ela está no estado de São Paulo, porém apenas gostaria de
os arquivos sem considerar o período anterior? saber como ficariam os meses anteriores à sua opção de adesão ao Sped.

Obrigado. De qualquer forma, uma vez cadastrada, seria necessária a geração e entrega de “todos” os
arquivos, desde o início da vigência do SPED.

E quando houver uma nova relação de empresas obrigadas, elas entregarão de forma
retroativa, ou, será definida uma “nova” data de vigência para elas?

Um abraço.

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 28
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta

Hans, bom-dia!
Neste ano de 2009, as adesões deverão ser enviando os arquivos de janeiro de 2009
em diante, pelo motivo da prorrogação de prazo. Caso a empresa queira aguardar para 2010,
deverá solicitar à Sefaz a sua inclusão para esta situação.
Ats., Luís Tutomu

26 22/04/09 EFD (16/04/09 – Consulta realizada pelo colega Ivanir) Ivanir,


Prezados, São excludentes os registros. Se for orientado para apresentar o registro D600 não
deverá ser informado o registro D695, que trata dos mesmos documentos. No caso de SC,
Estou com uma dúvida, e gostaria de esclarecimentos: informo que a informação deverá ser prestada nos registros D500 ou D600, e não no registro
D695, pois o estado dispensou a entrega dos arquivos do convênio 115/03 para as empresas
obrigadas à EFD.
Empresa Obrigadas ao Convênio 115/2003, devem apresentar nas Equipe Sped
saídas os Registros D695 e filhos ou D600 e filhos caso a UF peça o
registro detalhado, mesmo contrariando a instrução do manual, como Muito Obrigado pela informação.
Santa Catarina o fez. No entanto gostaria de fazer a seguinte observação:
Sendo os registros D500, D600 e D695 excludentes para operações de Saídas, sugiro que
E neste caso quando a UF solicita o registro D600 e o contribuinte seja melhorado o texto no manual do GT. Pois existem muitos contribuintes que ficam na
é obrigado ao convêncio 115/2003 ele ficará obrigado também a dúvida entre o que as SEFAZ solicitam com relação as orientações do manual.
apresentar o registro D695? ou as duas informações para o mesmo
estabelecimento é redundante? O Texto que apresentam para os registro D600 e D695 sugerem que o primeiro seja
obrigatório para empresas com perfil B e que não estão sujeita ao Convênio 115/03 enquanto
que o segundo para empresas obrigadas ao convênio 115/03.
Grato
Devido ao grande problema de apresentar os documentos fiscais para operações de saídas
no registro D500 e C500 em função da obrigatoriedade do cadastro do cliente e sabermos
que neste momento a legislação não pode obrigar a apresentação do cadastro em função
dos serviços serem considerados como essenciais e portanto o contribuinte pode não ter
CPF, os Registro D600 e
D695 podem neste momento serem solicitados com maior ou menor nível de detalhamento,
sedo que o primeiro pode até de acordo com cada SEFZ dispensar o Convênio 115/03 em
função do maior detalhamento.

Portanto sugiro que melhoremos a instrução de uso dos registro acima mensionados.

Atenciosamente,

Boa tarde,

Sua sugestão foi repassada ao supervisor do grupo.

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 29
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta

25 22/04/09 EFD Não vai disponibilizar informações cadastrais.


Boa tarde Wladimir,

Visando sanear os dados cadastrais das empresas, algumas têm Wladimir Machado Vieira
questionado sobre a existência de um WebService (como existe para a AFRFB - DRF/Franca
NF-e) para automatizar as consultas à situação e aos dados de CPF.

Já existe algo nesse sentido? Caso não exista, tens alguma idéia de
como a RFB vai tratar disto? Se é que vai disponibilizar algo?

Um abraço e obrigado pela tua atenção.

24 14/03/09 EFD Sr. Hans


Bom dia Waldimir,
Fiquei sabendo algo sobre isso mas não tenho o posicionamento.
Na última semana houve um encontro entre algumas empresas e a RFB
(Tutomu) e alguns representantes de SEFAZ. Não há reuniões do GT previstas por hora, pelo menos que eu tenha sido convidado a
participar. Mas certamente, logo que haja definição a resposta será encaminhada.
Uma dúvida que ficou pendente é justamente a previsão/orientação
legal, para que sejam emitidas Notas Fiscais de Entrada, cuja “Data de
Entrada” seja menor que a “Data de Emissão”. Esta situação gera uma
crítica no PVA o que invalida a escrituração, por tratar como “erro”. Wladimir Machado Vieira
AFRFB - DRF/Franca
A polêmica é justamente esta, a legislação prevê e orienta tal situação,
logo não trata-se de um erro. Este questionamento seria levado
inclusive para o GT.

Este assunto refere-se ao “ANEXO X - OPERAÇÕES COM CANA-DE-


AÇÚCAR EM CAULE OU SEUS DERIVADOS; CAPÍTULO I - DAS
OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS DA USINA AÇUCAREIRA E DA
DESTILARIA DE ÁLCOOL”

Já temos alguma definição quanto a isto?

23 14/03/09 EFD Sr. Hans


Bom dia Wladimir,
Não existe previsão legal para a não escrituração de documentos.
“...
Bom dia, Portando todas as notas fiscais devem ser escrituradas.
Por favor, vocês poderiam me auxiliar no entendimento das questões
abaixo? O SPED Fiscal trata somente do registro dos documentos. A forma de pagamento é

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 30
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta
1) Compras de material de consumo, combustível, de valores baixo, indiferente.
podem ser pagas com fundo fixo e não entrar no registro de entradas,
mesmo que a compra seja suportada por uma NF Mod 01 ou 55? Pode Wladimir Machado Vieira
haver penalização por isso? AFRFB - DRF/Franca
2) Em relação ao SPED, existe algum impedimento de pagamentos pelo (16) 3012-8026
fundo fixo uso/consumo e combustível?
3) Existe na Lei algo que fale que notas de determinados valores NÃO
precisam ser escrituradas?
4) Podemos entender que toda NF passível de registro no Livro Mod 1 e
Mod 2, independentemente da forma de contabilização/pagamento
deverá ser escriturada?
...”
Obrigado.

22 06/03/09 EFD Valor da operação já contempla o desconto.


Boa tarde, Equipe Sped

Gostaria de um esclarecimento quanto ao preenchimento do campo


VL_OPR (REG 190). A orientação que consta no Guia de Usuário é :

"Valor da operação na combinação de CST_ICMS, CFOP e alíquota do


ICMS, correspondente ao somatório do valor das mercadorias,
despesas acessórias (frete, seguros e outras despesas acessórias),
ICMS_ST e IPI."

O valor a ser considerado deve ou não contemplar o "DESCONTO"?


Em caso negativo, como fazer para que o valor da Operação represente
o que de fato ocorreu?

Obrigado.

21 06/02/09 EFD (05/02/09 – Consulta realizada pela colega Edir) Resposta AF: Esta obrigação permanece.

3) Há algum posicionamento sobre a DAPI - Declaração de apuração do


ICMS?

20 06/02/09 EFD (05/02/09 – Consulta realizada pela colega Edir) Resposta AF: Sim.

2) A obrigatoriedade da transmissão do arquivo digital relativo à Supondo que a ...(Empresa) esteja apta a entrega a EFD referente janeiro/09 em 15 de
Escrituração Fiscal Digital até o dia 15 do mês subseqüente ao período fevereiro de 2009, não precisará mais realizar a entrega do SINTEGRA. Por outro lado, a ...
de apuração, é uma substituição ao SINTEGRA? (Empresa) realizando a entrega da EFD referente aos períodos de janeiro a abril em 31 de
maio de 2009 (data limite estabelecida pelo Estado), fará a entrega do SINTEGRA até abril

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 31
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta
de 2009, a partir de então esta obrigação estará extinta, ou seja, a obrigação do SINTEGRA
existe até a entrega da Escrituração Fiscal Digital, conforme definições do SPED.

19 06/02/09 EFD (05/02/09 – Consulta realizada pela colega Edir) Resposta AF: Não.

1) Há a necessidade de manter o formato atual dos livros fiscais,


vislumbrando eventuais necessidades do fisco?

18 04/02/09 EFD Somente consultando cada uma das Secretarias de Fazenda.


Boa tarde, Equipe Sped

Gostaria de um esclarecimento quanto a continuidade da exigibilidade


por parte das Secretarias de Fazenda, do arquivo do Sintegra. As UF já
se pronunciaram? Há em algum lugar a lista com o posicionamento de
cada Estado?

Obrigado.

17 02/02/09 EFD (28/01/09 – Consulta realizada pela colega Danielli) Boa tarde,
Olá, boa tarde!
No Guia, registro D190, campo 02, temos:
Referente ao registro D190 CST ICMS.
Campo 02 - Preenchimento: o código de Situação Tributária é composto de três dígitos na
Ao entrar com o conhecimento de transporte de determinado item eu forma ABB, onde o 1º dígito deve ser sempre 0 (zero), para este registro, e os 2º e 3º dígitos
informo o CST de 3 posições conforme layout do SPED. O primeiro indicam a tributação pelo ICMS, com base na Tabela B constante no Anexo do Convênio
dígito do CST significa a origem da mercadoria seguido de mais 2 SN/70.
dígitos que corresponde a tributação.
Validação: o valor informado no campo deve existir na Tabela da Situação Tributária
Basedo nisso pergunto: referente ao ICMS, indicada no item 4.3.1 do Ato COTEPE/ICMS nº 09, de 18 de abril de
Ao adquirir um item do mercado interno cuja origem é Estrangeira (2) e 2008.
tributada integralmente, entendemos que o CST correto seria 200. No
entanto o validador só aceita origem 0 (Nacional) para o tipo Frete. O campo VL_RED_BC só pode ser preenchido se os dois últimos dígitos deste campo forem
iguais a 20, 70 ou 90
Como proceder a escrituração neste caso?
O CST tratado no registro D190 se refere ao frete, não à mercadoria.

Assim, será SEMPRE iniciado com zero.

16 02/02/09 EFD (28/01/09 – Consulta realizada pela colega Danielli) Boa tarde,
Olá, boa tarde!
No Guia, encontramos:
Sobre o campo 17 IND_Frete do registro D100.

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 32
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta
Campo 17 – Valores válidos: [0, 1, 2, 9]
No registro D100 informamos somente conhecimentos de transportes,
logo registro somente os documentos em que a responsabilidade pelo Preenchimento: usar o valor 0 (por conta de terceiros) para os casos em que o tomador é
pagamento é minha que ora posso ser remetente ora destinatário. Então diferente do emitente ou destinatário.
como proceder para informar o campo 17 IND_Frete, qual é a regra para
preenchimento deste campo? Tem-se por tomador quem efetuou o contrato junto à transportadora, arcando com o valor do
serviço. Somente a este deve ser enviada a primeira via do conhecimento e só ele terá direito
ao crédito.

15 28/01/09 EFD (07/01/09 – Consulta realizada pelo colega Adailson) Sr. Adailson

O registro do sped fiscal 1100 indica no campo pais (12 PAIS Código do A tabela de países é a constante do sitio do Banco Central - www.bcb.gov.br e possue 05
país de destino da mercadoria - Preencher conforme tabela do
caracteres.
SISCOMEX com Numérico de 003 posições).

Onde podemos ter esta tabela? O campo não deveria ser de 4 posições A NF-e utiliza com 4 caracteres, abandonando o primeiro caracter que é o Zero.
pois no siscomex atual o pais brasil = 1058
A tabela SISCOMEX utiliza três caracteres abandonando o primeiro e último caractere da
tabela original.

Para a EFD no registro 0150 é permitido informar com 4 ou 5 caracteres. No registro 1100
devem deve ser utilizado código com 3 dígitos, conforme tabela SISCOMEX.

Equipe SPED

14 28/01/09 EFD Boa tarde,


Bom dia,
Sim. Utilize código 002 para documentos a partir de 01/01/2009.
Gostaria de um esclarecimento a respeito das Versões do Leiaute. A versão relativa a 2008 era de testes para ambiente de homologação, fase que encontra-
se encerrada.
O “Manual de Orientação do Leiaute da Escrituração Fiscal Digital –
EFD” atualizado sobre este assunto pelo “ATO COTEPE/ICMS Nº 19, Atenção: O novo PVA, versão 1.0.1, encontra-se disponível no endereço eletrônico:
DE 23 DE JUNHO DE 2008”, item XII, quando passou a ter a seguinte
redação: http://www.receita.fazenda.gov.br/Sped/Download/SpedFiscal/SpedFiscalMultiplataforma.htm
.
XII – o item 3.1.1: O Guia Prático do Usuário, versão 1.0.3, encontra-se disponível no endereço:
http://www1.receita.fazenda.gov.br/sped-fiscal/download/Guia_Pratico_da_EFD.pdf
3.1.1- Tabela Versão do Leiaute
Atenciosamente,
Código Versão leiaute instituído por Obrigatoriedade (Início)

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 33
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta
001 100 Ato Cotepe 01/01/2008 Equipe SPED Fiscal.
002 101 Ato Cotepe 01/01/2009

Apesar desta citação, as versões do Validador “1.0.0” e a atual “1.0.1”,


não têm em sua tabela de verificação a informação do Código “001”, ou
seja, não será possível validar doctos fiscais com data fiscal menor que
“01/01/2009"?

13 26/01/09 EFD From: Geraldo Scheibler [mailto:geraldo.scheibler@sefaz.rs.gov.br] On Behalf Of Nota


Boa tarde, Fiscal Eletrônica
Gostaria de um esclarecimento a respeito da exigibilidade do Certificado Sent: sexta-feira, 23 de janeiro de 2009 16:35
Digital na emissão da NF-e. To: hans.fritzsche@firsteam.com.br; Nota Fiscal Eletrônica
Subject: RES: Exigibilidade do Certificado Digital na emissão da NF-e.
Há uma questão extraída do site da NF-e
http://www.nfe.fazenda.gov.br/portal/assuntoagrupado5.aspx , a qual é
ratificada no site da Sefaz/RS
http://www.sefaz.rs.gov.br/Site/MontaDuvidas.aspx?al=l_nfe_faq_certDig
A informação contida nos links listados está correta. Favor consultar o Manual de Integração
onde consta a orientação de que uma empresa poderá utilizar o – Contribuinte.
certificado digital da matriz, para assinar as NF-e emitidas pelas filiais.
Geraldo Scheibler
===============================

4. Caso minha empresa possua vários estabelecimentos que irão Agente Fiscal do Tesouro do Estado
emitir NF-e, será necessário adquirir um certificado digital para
cada estabelecimento?
Imagem (Bitmap independente de dispositiv o)

Não, a empresa poderá utilizar o certificado digital da matriz para


assinar as NF-e emitidas pelas filiais.
===============================

Esta orientação continua valendo, ou seja, posso utilizar a assinatura da


matriz, nas Notas Fiscais emitidas pelas filiais? Ou há alguma outra
orientação em sentido contrário, obrigando as empresas a terem um
“novo” certificado a ser utilizado pelas filiais estabelecidas em cada UF
distinta de onde está a Matriz?

Obrigado.

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 34
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta
12 26/01/09 EFD – (23/01/09 – Consulta registrada no site NF-e
http://www.nfe.fazenda.gov.br/portal/assuntoagrupado1.aspx) A principal mudança para os destinatários da NF-e, seja ele emissor ou não deste
documento, é a obrigação de verificar a validade da assinatura digital e a autenticidade do
7. O que muda para meu cliente se minha empresa passar a utilizar arquivo digital, bem como a concessão da Autorização de Uso da NF-e mediante consulta
NF-e em suas operações? eletrônica nos sites das Secretarias de Fazenda ou Portal Nacional da Nota Fiscal Eletrônica
(www.nfe.fazenda.gov.br).
Observem o ponto de “Atenção”, na resposta, “... o destinatário deverá
exigir a sua emissão, sendo vedada a recepção de mercadoria cujo Para verificar a validade da assinatura e autenticidade do arquivo digital o destinatário tem à
transporte tenha sido acompanhado por outro documento fiscal ...” disposição o aplicativo “visualizador”, desenvolvido pela Receita Federal do Brasil - disponível
na opção “download” do Portal Nacional da NF-e.

O emitente e o destinatário da NF-e deverão conservar a NF-e em arquivo digital pelo prazo
previsto na legislação, para apresentação ao fisco quando solicitado, e utilizar o código “55”
na escrituração da NF-e para identificar o modelo.

Caso o cliente não seja credenciado a emitir NF-e, alternativamente à conservação do


arquivo digital já mencionada, ele poderá conservar o DANFE relativo à NF-e e efetuar a
escrituração da NF-e com base nas informações contidas no DANFE, desde que feitas as
verificações citadas acima.

Atenção: Relativamente às operações em que seja obrigatória a emissão da NF-e, o


destinatário deverá exigir a sua emissão, sendo vedada a recepção de mercadoria cujo
transporte tenha sido acompanhado por outro documento fiscal, ressalvada a hipótese
prevista na emissão de DANFE em formulário de segurança devido à problemas técnicos na
emissão da NF-e, bem como nos casos de excepcionalidades definidas no Protocolo ICMS
88/07.

11 19/01/09 EFD – (22/12/09 – Consulta realizada pela colega Danielli) Date: Tue, 23 Dec 2008 15:36:40 -0200
To:
Com relação ao CST (ICMS). Subject: Re: Fale Conosco - Sítio SPED
Ao efetuar uma compra de material de uso/consumo, sendo a From: sped@receita.fazenda.gov.br
mercadoria tributada pelo ICMS na saída do meu fornecedor. Pergunto:
Esta compra, por ser uso/consumo não tomo o crédito do imposto Boa tarde,
destadado no documento fiscal. Sendo assim, analisando sempre pela
ótica da entrada, qual o CST devo informar na entrada da mercadoria 90.
"41" não tributada ou "90" outros?

Obrigada, Atenção: O Guia do Usuário atualizado encontra-se disponível para “download” no endereço:
Danielli http://www1.receita.fazenda.gov.br/sped-fiscal/download/Guia_pratico_da_efd.pdf

Atenciosamente,

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 35
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta
Equipe SPED Fiscal.

"As dúvidas esclarecidas por esta mensagem possuem caráter de orientação, não gerando o
efeito decorrente da consulta formal”

10 16/01/09 EFD Sr. Hans


Bom dia,
Gostaria de um esclarecimento sobre o Registro 0200 e 0205, quanto ao Se colocar descrições genéricas não ha necessidade de mudança.
uso de Códigos Genéricos.Lembrando que nestes casos não haverá
descaracterização do produto, pois o Código continuará com o Mas veja que você pode colocar um material específico e classificar como
TIPO_ITEM “07 - Material de Uso e Consumo” ou “08 - Ativo material de uso e consumo. Então poderão ser diversos itens cadastrados
Imobilizado".Considerando que será usado um mesmo Código para como materiais de uso e consumo. O mesmo vale para Ativo Imobilizado.
itens com descrições diferentes, inclusive no mesmo dia, qual é a
orientação para o preenchimento do 0205 (se é que deverá ser Por exemplo, o sr. poderia cadastrar um item como material de limpeza e
informado), uma vez que há a restrição “Não podem ser informados dois classificá-lo como Material de Uso e Consumo. Poderia também cadastrar
ou mais registros com sobreposição de períodos.”? Devo usar uma outro item como material de escritório e classificá-lo também como Material
descrição genérica a qual não será alterada, mencionando apenas a de Uso e Consumo. Seriam dois itens diferentes e de mais fácil controle
descrição complementar cpo 04 reg 170? para a empresa. Normalmente as empresas já tem estes cadastros
Obrigado. separadamente. Para o ativo imobilizado não deve ser cadastrados itens
genéricos. devem ser cadastrados os itens com sua identificação,
possibilitando até um controle maior por parte da empresa.

Equipe SPED

Enviado novo questionamento.


Bom dia,
Vocês poderiam dar continuidade a este assunto? Recebi uma mensagem automática de que
o Wladimir Vieira estará ausente até o dia 02/02/09.

Um colega fez a seguinte consideração:

...” Hans referente a resposta acima como devemos proceder ref ao registro C170 campo 04
Descrição complementar, Descrição complementar do item como adotado no documento
fiscal, pois nas notas fiscais de saída e devolução vamos ter que informar a descrição correta
do produto, pois alguns fornecedores não aceitam uma devolução com um código genérico
ex: material elétrico.”.

Assim sendo, nos casos de saída por “Devolução”, poderia manter o Código Genérico com
sua descrição e a cada item do documento fiscal acrescentar a “Descrição Complementar”?
Obrigado.

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 36
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta
Obrigado.

Bom dia,

A sugestão é correta e o PVA aceita perfeitamente a maneira sugerida.


Cabe ao contribuinte escolher como melhor trabalhar seu cadastro.
Certo é que o registro C100 (incluindo seus filhos) deve refletir o conteúdo do documento
fiscal a que se refere.

Atenção: O novo PVA, versão 1.0.00, encontra-se disponível no endereço


eletrônico:

http://www.receita.fazenda.gov.br/Sped/Download/SpedFiscal/SpedFiscalMultiplataforma.htm.
O Guia Prático do Usuário, versão 1.0.3, encontra-se disponível no
endereço:
http://www1.receita.fazenda.gov.br/sped-fiscal/download/Guia_Pratico_da_EFD.pdf

Atenciosamente,

Equipe SPED Fiscal.

09 16/01/09 EFD Sr. Hans


Gostaria de uma orientação quanto a escrituração de documentos
fiscais emitidos com Modelo “01”, quando normalmente é utilizado pelo Conforme ato cotepe existem registros específicos para a informação
fornecedor outro Modelo, como por exemplo Compra de Energia Elétrica conforme modelos de documentos.
ou Gás, cujos modelos previstos são “06” e “28” respectivamente.
Veja que o C100 é para nota fiscal 01, nota fiscal avulsa (1b), nota fiscal
Estes documentos, quando da escrituração serão registrados com a do produtor (04) e NFe (55)
identificação do modelo “01” (que é o modelo do documento, e nosso
entendimento) ou deverá ser alterado para os respectivos modelos “06” Já o C350 é para notas fiscais de venda ao consumidor.
e “08”, conforme for o caso?
O C400 e filhos são para Cupons Fiscais.
O mesmo vale para quando a Nota Fiscal emitida pelo fornecedor seja
do modelo “55” (emitida em substituição à de modelo “01”)? O C500 para nota fiscal de energia elétrica - 06 e gas 28. inclusive nas
entradas.
Obrigado.
Verifique o ato cotepe e o Guia prático para obrigatoriedade de cada
Hans Fritzsche registro.

08 14/01/09 EFD
Boa tarde, Sr. Hans

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 37
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta

Gostaria de um esclarecimento sobre a obrigatoriedade do Registro Nos regulamentos do ICMS conta que nos casos de emissão de nota fiscal, além do cupom,
C114, especificamente para as ENTRADAS. serão anotados nas vias do documento fiscal emitido, os números de ordem do Cupom Fiscal
e do ECF, estes atribuidos pelo estabelecimento.
Considerando que nos casos em que temos uma Nota emitida em
"substituição" a um Cupom Fiscal, este é retido para ser anexado a via Veja o Regulamento do ICMS de São Paulo
fixa da Nota Fiscal:
Artigo 135 - O Cupom Fiscal será emitido, qualquer que seja o valor da operação, por meio
1) Como poderemos informar o Número de Série do ECF; Número de de Equipamento Emissor de Cupom Fiscal - ECF, nas vendas à vista a pessoa natural ou
Caixa; Número do Cupom, se este está em poder do emitente? jurídica não-contribuinte do imposto, em que a mercadoria for retirada ou consumida no
próprio estabelecimento pelo comprador (Lei 6.374/89, art. 67, § 1º, Convênio de 15-12-70 -
Obrigado SINIEF, art. 50, na redação do Ajuste SINIEF-10/99):

Hans Fritzsche I - na hipótese de uso obrigatório de ECF, prevista no artigo 251;

II - quando autorizado pelo fisco, na forma disciplinada pela Secretaria da Fazenda.

§ 1º - Na hipótese de o adquirente da mercadoria, ainda que não-contribuinte do imposto,


estar inscrito no Cadastro de Contribuintes, poderá ser emitida a Nota Fiscal ou a Nota Fiscal
de Produtor, nos termos da legislação específica, em substituição ao Cupom Fiscal.

§ 2º - Além do cupom fiscal, deverá ser emitida, também, a Nota Fiscal nos casos em que a
legislação exija esse documento ou quando solicitada pelo adquirente da mercadoria,
hipótese em que:

1 - serão anotados nas vias do documento fiscal emitido, os números de ordem do Cupom
Fiscal e do ECF, este atribuído pelo estabelecimento;

2 - o documento fiscal será escriturado no livro Registro de Saídas apenas na coluna


"Observações", onde serão indicados o seu número e a sua série;

3 - o Cupom Fiscal será anexado à via fixa do documento fiscal emitido.

§ 3º - É permitida a utilização de Cupom Fiscal, desde que indicados por qualquer meio
gráfico indelével, ainda que no verso, a identificação do adquirente, por meio do nome, dos
números da inscrição estadual, do CNPJ ou do CPF, e o endereço do destinatário, a data e a
hora da saída das mercadorias, nas seguintes hipóteses:

1 - na entrega de mercadoria em domicílio, em território paulista;

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 38
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta
2 - nas vendas a prazo, hipótese em que deverão constar, também, as informações referidas
no § 8º do artigo 127.

§ 4º - O contribuinte que também seja contribuinte do Imposto sobre Produtos


Industrializados - IPI deve, ainda, atender à legislação desse imposto.

§ 5º - O cupom fiscal de que trata este artigo será emitido com os requisitos previstos em
disciplina estabelecida pela Secretaria da Fazenda, que poderá, também, disciplinar a sua
emissão na hipótese de prestações de serviços de transporte e de comunicação, exceto
telecomunicação.

§ 6° - Quando solicitado pelo consumidor, o número de inscrição no Cadastro de Pessoas


Físicas - CPF ou no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas - CNPJ que o identifique deverá
constar no Cupom Fiscal. (Parágrafo acrescentado pelo artigo 2º do Decreto 52.097, de 28-
08-2007; DOE 29-08-2007)

Enviado novo questionamento.


Boa tarde Wladimir Vieira,

Obrigado pelo retorno, entretanto resta uma informação que é obrigatória para o Registro
C114, porém não é mencionada no Regulamento ( “03 - Número de Série de Fabricação do
ECF”).

Neste caso, continuamos com a dúvida.

Mais uma vez obrigado.

Enviado novo questionamento.


Bom dia,
Vocês poderiam dar continuidade a este assunto? O colega Wladimir Vieira estará ausente
até o dia 02/02/09.

Boa tarde,

Favor dirigir seu questionamento à SEFAZ da circunscrição do contribuinte, que responde


dúvidas específicas relativas ao ICMS.
Em SP: spedfiscal@fazenda.sp.gov.br
Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 39
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta

Atenção: O novo PVA, versão 1.0.1, encontra-se disponível no endereço


eletrônico:

http://www.receita.fazenda.gov.br/Sped/Download/SpedFiscal/SpedFiscalMultiplataforma.htm
.
O Guia Prático do Usuário, versão 1.0.3, encontra-se disponível no
endereço:
http://www1.receita.fazenda.gov.br/sped-fiscal/download/Guia_Pratico_da_EFD.pdf

Atenciosamente,

Equipe SPED Fiscal.

Enviado novo questionamento. spedfiscal@fazenda.sp.gov.br


Boa tarde,
Vocês poderiam dar continuidade a este assunto?

Boa tarde,

Nosso entendimento, equipe do SPED em SP, é que sejam lançadas no C114 somente as
saídas e não as entradas.
O assunto já foi considerado para discussão com o grupo do SPED e pretendemos
orientar o contribuinte de SP dessa forma.

Atenciosamente,

Equipe SPED Fiscal SP

Enviado novo questionamento. 'spedfiscal@sefaz.es.gov.br'


Ola Hans.

Ok! entendi, mas observe que na entrada basta a escrituração da Nota fiscal de entrada. A
operação inicialmente realizada com o cupom foi, ao final, acobertada pela Nota fiscal.
Escriture essa apenas. O seu fornecedor deve escriturar os dois documentos e para isso ele
tem dados.

Equipe SpedFiscal-ES-JAD

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 40
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta
Secretaria de Estado da Fazenda-ES
www.sefaz.es.gov.br

Bom dia,

Obrigado pelo retorno, porém ainda resta a dúvida?

Eu como cliente, vou escriturar a Nota de Entrada, mesmo porque o Cupom Fiscal ficou no
estabelecimento do Fornecedor. Entretanto, nessa mesma Nota que eu vou escriturar, há
uma Observação impressa, no quadro de informações adicionais, a qual imagino(?) deva ser
transcrita quando da escrituração da referida Nota. Por tratar-se de Cupom Fiscal, segundo o
Manual Orienta, no Registro C110, devo mencionar a "Observação" e no C114 (filho do
C110), devem ser informados os detalhes do Cupom (que é o que temos neste caso).

A nossa dúvida reside exatamente nesta situação: "O Registro C114, deve ser informado
quando tratar-se da escrituração da Nota Fiscal de Entrada?"

Enviado novo questionamento. 'geraldo.scheibler@sefaz.rs.gov.br'

Resposta.

07 14/01/09 EFD Sr. Hans


Boa tarde,
Se for ressarcimento do IPI relativos ao PIS e Cofins, na verdade serão créditos e não
Gostaria de um esclarecimento sobre o Registro E520. débitos.

Neste Registro são considerados os Valores de Ajustes de IPI, os quais Qual tipo especifico de ressarcimento de IPI que a que o sr. se refere?
são detalhados no Registro E530. Assim sendo, aqui deverá ser
considerado o valor do Ressarcimento de IPI, juntamente com Outros
Débitos e Estorno de Créditos (campo 05 - VL_OD_IPI - Valor de Outros Enviado novo questionamento.
Débitos de IPI)? Boa tarde Wladimir Vieira,

Obrigado. Refiro-me ao Ressarcimento/Compensação de Créditos – IPI, considerados à Débito na


Apuração (Código de Ajuste 103).
Hans Fritzsche
Obrigado.

Sr. Hans

O Ressarcimento considerado irá no campo indicado pelo Sr.

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 41
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta

Wladimir Machado Vieira


AFRFB - DRF/Franca
(16) 3012-8026

06 13/01/09 EFD Prezado(a) Sr(a).


Por favor, gostaria entender melhor como será feita e emissão da Nota
Fiscal de retorno de industrialização? A NF-e não alterou a legislação tributária. Caso a legislação discipline o preenchimento de
documento fiscal para esta operação, é isso o que deve ser seguido.
Teremos uma Nota Fiscal com 2 itens, com CFOP e CST próprio para
cada situação: A NF-e traz algum detalhamento de determinados campos, que deverão ser preenchidos
'1' - material recebido para beneficiamento/industrialização caso a operação comporte seu preenchimento.
'2' - total do material aplicado + serviço.
O CFOP consta no item da nota, portanto, é possível informar mais de um CFOP's na mesma
Além destes itens a observação complementar, referenciando o nota: Um item com CFOP 5.124 com a mercadoria industrializada para terceiros, outro com
documento de entrada (emitido pelo solicitante do beneficiamento)? CFOP 5.902 com os insumos recebidos para industrialização e incorporados ao produto final,
e outro com CFOP 5.903 com os insumos recebidos para industrialização e não aplicados no
referido processo

A NF referenciada deve ser informada no campo próprio existente no leiaute da NF-e. (grupo
B12a).

Att
Equipe NF-e

Atenciosamente,

Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo

05 13/01/09 EFD Prezado Hans,


Gostaria de confirmar qual é o procedimento a ser considerado nos
casos de contingência: A informação do Perguntas e Respostas está em processo de atualização.
1) O que está esclarecido no Perguntas e Respostas - pergunta "31" Brevemente será republicada.
com as opções "I - SCAN" ou "II - Formulário de Segurança", ratificado Considere a informação mais recente, constante do manual da DPEC (que foi aprovada no
no Manual de Contingência do Contribuinte Versão 6.0.0 final de 2008).
Dezembro/2007?
ou A opção pela forma de contingência a ser adotada é decisão do próprio contribuinte emissor
2) O que está esclarecido no Manual _DPEC_1.00 disponibilizado no (apenas o SCAN é que depende de ativação, para ficar disponível, por parte da SEFAZ).
site do CONFAZ, onde temos:
"I - Emissão Normal (tpEmis=1)", ou
"II - Contingência em Formulário de Segurança (tpEmis=2)", ou

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 42
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta
"III - Contingência SCAN (tpEmis=3)" ou
"IV - Contingência Eletrônica (tpEmis=4)"?

Pode-se observar uma situação conflitante. Qual deve ser considerado?

Obrigado.

Hans Fritzsche
04 17/12/08 EFD Bom dia,
Identificação/criação de Códigos de Materiais –
Nos casos de recebimento eventual de mercadorias, por exemplo Campo 03 - Preenchimento: são vedadas descrições diferentes para o mesmo item ou
Recebimento em Demonstração ou Evento Especial, faz-se necessária descrições genéricas, ressalvadas as operações abaixo, desde que não destinada à
a identificação/cadastramento de Códigos de Materiais (0200), mesmo posterior circulação ou apropriação na produção:
que tais materiais não estejam relacionados a atividade principal da 1- de aquisição de "materiais para uso/consumo" que não gerem
empresa? direitos a créditos;
2- que discriminem por gênero a aquisição de bens para o "ativo
fixo" (e sua baixa);
3- que contenham os registros consolidados relativos aos
contribuintes com atividades econômicas de fornecimento de energia
elétrica, de fornecimento de água canalizada, de fornecimento de gás
canalizado e de prestação de serviço de comunicação e telecomunicação que poderão, a
critério do Fisco, utilizar registros consolidados por classe
de consumo para representar suas saídas ou prestações.
É permitida a modificação da descrição, desde que não implique
descaracterização do produto. Neste caso, o campo deve ser preenchido com a atual
descrição utilizada no período. As descrições substituídas devem ser informadas nos
registros 0205.

As únicas exceções são as acima, então sua hipótese não está contemplada.

Atenção: O Guia do Usuário atualizado encontra-se disponível para


“download” no endereço:
http://www1.receita.fazenda.gov.br/sped-fiscal/download/Guia_pratico_da_efd.pdf

Atenciosamente,

Equipe SPED Fiscal.

03 17/12/08 EFD Bom dia,


Entrada de Material sem crédito de ICMS e sua Devolução com Débito

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 43
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta
de ICMS – Favor dirigir seu questionamento à SEFAZ da circunscrição do
No caso de termos uma entrada “sem crédito” (CST 41) e sua saída contribuinte, que responde dúvidas específicas relativas ao ICMS.
“devolução” no momento seguinte, com o “débito” do ICMS (CST 00). Em SP: spedfiscal@fazenda.sp.gov.br
Como proceder para a correta escrituração/apuração do imposto, que
neste caso “não é devido”? Atenção: O Guia do Usuário atualizado encontra-se disponível para
“download” no endereço:
http://www1.receita.fazenda.gov.br/sped-fiscal/download/Guia_pratico_da_efd.pdf

Atenciosamente,

Equipe SPED Fiscal.

Enviada mensagem para spedfiscal@fazenda.sp.gov.br em 13/01/09.

02 17/12/08 EFD Bom dia,


Retorno de Conserto
Quando do retorno de conserto, temos 3 documentos: Em se tratando de nota fiscal conjugada, preencher o registro C170,
1) O retorno do “equipamento” enviado para conserto; Ok! discriminando o CST_ICMS de todos os itens, inclusive o serviço, que deve
2) O serviço do conserto tributado pelo ISS; Ok! corresponder a um CST sem direito a crédito do ICMS.
3) O material aplicado no conserto do equipamento, tributado pelo
ICMS, permitindo a tomada do crédito. ??!
Atenção: O Guia do Usuário atualizado encontra-se disponível para
Como proceder com a escrituração neste caso, no que diz respeito a “download” no endereço:
identificação dos itens da NF? http://www1.receita.fazenda.gov.br/sped-fiscal/download/Guia_pratico_da_efd.pdf

Criando itens individuais para cada peça aplicada ou adotando um


código genérico, considerando que a entrada é do equipamento e não Atenciosamente,
das peças aplicadas?
Equipe SPED Fiscal.

01 17/12/08 EFD
Escrituração da Substituição Tributária
Considerando uma aquisição de mercadoria com Substituição Tributária;
não tendo como destinação a comercialização;
não estando esta empresa obrigada a escrituração e apuração da ST.

Gostaríamos de saber como ficará a escrituração deste caso, visto que


se mencionado o valor da ST nos respectivos campos dos Registros do
Bloco C, estes são considerados para efeito de apuração no Bloco E
(Apuração da ST), lembrando que no nosso exemplo a empresa não

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 44
Nr. Data Questionamento - EFD Resposta
está obrigada a escrituração e apuração da ST?

Questionamentos_RFB_SPED_V_018_.doc Página 45