Anda di halaman 1dari 2

GABARITO - EXERCÍCIOS SOBRE CONCORDÂNCIA VERBAL I

1. Observe o cartum e relacione-o com o título do texto a seguir. Eloquência significa


“talento de convencer, falando”. O personagem do cartum está dizendo “rios de palavras”,
tentando convencer seus interlocutores.

Questões:
1. "Mal iniciara seu discurso, o deputado embatucou:" Explique por quê. O deputado
embatucou pois não sabia como continuar sua frase, já que tinha dúvidas quanto à
concordância verbal.
2. De que artifícios recorreu o deputado para adiar a continuação da frase com que tinha
iniciado o seu discurso? Intercalou várias orações e, depois, fingiu ter ouvido um aparte.
3. Dê o significado das seguintes palavras do texto. Consulte um dicionário, observando qual
significado se adapta ao trecho onde a palavra aparece:

a) aparte- interrupção
b) castiço- puro, correto
c) cônscio - consciente
d) idiotismo – construção peculiar a uma língua
e) peremptoriamente - decisivamente
f) pinguela- armadilha
g) questiúncula- questão fútil

4. Justifique o uso da maiúscula no vocábulo "Casa". Casa, no texto, refere-se à Câmara dos
Deputados ou Assembleia Legislativa.

5. Releia o trecho: O silêncio continuava. Interessados, os demais deputados se


agrupavam em torno do orador, aguardando o desfecho daquela agonia, que agora já
era, como no verso de Bilac, “a agonia do herói e a agonia da tarde”. Explique o recurso
do narrador usando as palavras de Olavo Bilac para descrever a situação em que se
encontrava, naquele momento, o deputado. Tanto o narrador quanto os outros deputados
estavam aflitos, agoniados, sem saber como ele terminaria seu discurso.

6. Consulte uma gramática e tire a dúvida do deputado: o verbo ficará no singular ou no


plural? Por quê? O verbo fica no plural. Porém, se ele quiser dar destaque a si mesmo (UM
daqueles que...), pode fazer a concordância no singular, combinando com “UM”.
GABARITO: EXERCÍCIOS SOBRE CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL

1. (FUVEST 1994)

a) No segundo período, há uma infração às normas de concordância. Reescreva-o de maneira


correta. “A polícia desses países não pôde prendê-los porque o governo brasileiro não fez o
pedido formal de captura."

b) Indique a causa provável dessa infração. Provavelmente foi feita a concordância com
“países”, que estava mais próximo.

2.

a) Transcreva o trecho em que ocorre um erro de concordância. "Pode-se argumentar, é certo,


que eram previsíveis os percalços que enfrentariam qualquer programa de estabilização (...)
necessário no Brasil."

b) Lendo atentamente o texto, você descobrirá que existe uma explicação para esse erro. Qual
é? A concordância foi feita com “os percalços”, porém o sujeito com quem o verbo deve
concordar está posposto ao verbo: “qualquer programa de estabilização”.

c) Reescreva o trecho de forma a adequá-lo à modalidade escrita culta. . "Pode-se argumentar,


é certo, que eram previsíveis os percalços que enfrentaria qualquer programa de estabilização
(...) necessário no Brasil."

3.

a) a quem o jornal atribui a opinião de que quem abusa nos preços deve ir para a cadeia?
Atribui aos “assessores de Itamar”.

b) do ponto de vista sintático, o que produz a sensação de que há um erro de concordância?


Pode-se pensar que o verbo deveria ficar no singular, concordando com o pronome “quem”,
que seria o sujeito. Porém, o sujeito não é esse pronome, e a concordância está feita
corretamente.

c) explique por que não há erro algum. Não há erro, pois o sujeito é “assessores de Itamar”,
pedindo verbo no plural.