Anda di halaman 1dari 12

Hidroterapia

A hidroterapia é o uso da água na prevenção e tratamento de doenças. Ela é um método


tradicional de tratamento que vem sendo usado por diferentes culturas há muitos séculos,
principalmente por romanos, chineses, japoneses, egípcios e hebreus. O efeito curativo da
hidroterapia é baseado em seus efeitos mecânicos e ou termais de água sulfurosa e
radioativa. Ela explora a reação do corpo à estímulos quentes e frios, à pressão exercida
pela água e à sensação que ela dá. Os nervos carregam impulsos sentidos na pele, para o
interior do corpo, onde estimulam o sistema imunológico, aumentam a circulação,
melhoram a digestão e diminuem a sensação de dor.

Geralmente o calor acalma e relaxa o corpo, diminuindo a atividade dos órgãos internos. Já
o frio, estimula e revigora a atividade interna. Se você está com os músculos tensos e
ansiedade causada pelo estresse, um banho quente ou ducha pode resolver. Se está se
sentindo cansada e estressada, você pode tentar tomar um banho morno, seguido de uma
ducha rápida fria para ajudar na estimulação de seu corpo e sua mente. A hidroterapia é
indicada para tonificar o corpo, estimular a digestão, a circulação, o sistema imunológico e
aliviar a dor. A água parece ter um poder especial para ajudar no combate do estresse e
rejuvenescer o corpo. Ela age sobre a pele e os músculos, acalma os pulmões, coração,
estômago e sistema endócrino estimulando os reflexos nervosos na espinha dorsal. Hoje,
as técnicas mais utilizadas pela hidroterapia são as duchas, massagens, saunas, banhos de
imersão completos ou parciais e compressas.

Segundo o Código das águas minerais, as águas classificam-se, quanto à composição


química em:

- Alcalino-bicarbonatadas: as que contêm, por litro, uma quantidade de compostos


alcalinos equivalentes no mínimo a 0,200 g de bicarbonato de sódio.
- Alcalino-terrosas: as que contêm, por litro, uma quantidade de alcalino-terrosos
equivalente no mínimo a 0,120 g de carbonato de cálcio (existem as alcalino-terrosas
cálcicas e magnesianas).
- Carbogasosas: as que contêm, por litro, no mínimo 200 mg de gás carbônico livre
dissolvido, a 20°C e 760 mm de Hg de pressão.
- Cloretadas: as que contêm, por litro, no mínimo, 0,500 g de cloreto de sódio;
- Ferruginosas: as que contêm, por litro, no mínimo 0,500 g de ferro;
- Nitratadas: as que contêm, por litro, no mínimo 0,100 g de nitrato de origem mineral.
- Oligominerais: quando, apesar de não atingirem os limites estabelecidos, possuem
incontestável ação medicamentosa.
- Radíferas: quando contêm substâncias radioativas dissolvidas que lhes atribuam
radioatividade permanente.
- Radioativas: as que contêm radônio dissolvido, detectado na fonte, obedecendo limites
de unidades Mache por litro, a 20°C e 760 mm de Hg de pressão:
fracamente radioativas: teor de radônio entre 5 e 10 Maches por litro
radioativas: teor de radônio entre 10 e 50 Maches por litro
fortemente radioativas: teor de radônio superior a 50 Maches por litro.
- Sulfatadas: as que contêm, por litro, no mínimo 0,100g de sulfato, combinando ao
sódio, potássio ou magnésio.
- Sulforosas: as que contêm, por litro, no mínimo 0,001g de enxofre.
- Torioativas: as que possuem teor de torônio em dissolução equivalente
em unidades eletrostáticas, a 2 unidades Mache por litro, no mínimo.

Argiloterapia ou geoterapia

::: 01/10/2004

É da terra que retiramos nosso alimento, nossa água, nossa energia vital. Nas palavras do chefe índio
Seattle, de nação Sioux, "tudo quanto fere a terra, fere também os filhos da terra".

Os antigos egípcios utilizavam a argila como um dos componentes no embalsamamento das múmias e para
a preservação de alimentos de origem animal.

Na América, alguns grupos indígenas tinham por tradição "enterrar" seus doentes, que eram colocados de
corpo inteiro, na posição vertical, dentro de um buraco cavado na terra. Apenas a cabeça era deixada para o
lado de fora, e o doente permanecia assim, em contato com a terra, durante muitas horas. Esse tipo de
tratamento era aplicado aos doentes terminais, à beira da morte.

Argiloterapia é a técnica terapêutica das terapias naturais utilizada desde a existência do ser humano.
Hipócrates, Avicena, Averrois, Galeno e outros preconizavam o uso da argila em suas práticas de cura. A
Argiloterapia consiste no uso tópico de compressas de silicato minimizado, ou ainda a sua ingestão natural
com água, para normalizar uma determinada região do corpo inflamada.

A argila ou o silicato minimizado


Acredita-se que as suas propriedades homoestáticas são devidas às trocas energéticas, iônicas e radiônicas
exercidas pelos elétrons livres, existentes nos minerais de sua composição, tais como: manganês, magnésio,
alumínio, ferro, sílica, titânio, cobre, zinco, cálcio, fósforo, potássio, boro, selênio, lítio, níquel, sódio e
outros.

É originária da decomposição do solo, por ações físico-químicas do ambiente natural, no decorrer de diversos
anos. Ao ser retirada do solo para fins de uso corpóreo, alguns aspectos devem ser considerados: - ser de
um local inócuo, não retirar de terrenos úmidos, escolher a argila com a coloração desejada, ater para a
retirada da argila de uma profundidade mínima de quatro metros.

A argila pode ser usada ao natural ou depurada, isto é, dissolver em água potável, decantá-la e secá-la.

Como a terra cura


Em contato com o corpo doente, a terra produz certas alterações que promovem a cura. Conheça os
principais efeitos obtidos com a utilização desse tipo de terapêutica:

a. Troca de energia com a área afetada: quando aplicada externamente ou quando ingerida, a
argila é capaz de absorver a energia perniciosa acumulada na área doente e transmitir sua energia
de elevada qualidade vital. Assim, uma compressa fria de argila alivia a região em que foi aplicada
e torna-se quente, pois absorve o calor da região doente. Nos casos de tumores malignos, o
aquecimento da compressa é intenso. Isso se deve à passagem das energias malsãs do doente para
a compressa, que funciona como uma espécie de "mata-borrão" energético, ao mesmo tempo que
fornece energia de boa qualidade.

Equilíbrio térmico: o equilíbrio de temperatura ocorre graças ao efeito dissipador de calor produzido
pela compressa de argila fria. Esse efeito é bem conhecido na hidroterapia.

b. Ação vitalizante: esse efeito é mais claro no uso interno da argila, que fornece a sua carga
energética ao organismo mesmo quando ingerida em pequena quantidade, como em geral é
recomendado. A ação neste caso é do tipo "homeopático", pois torna o organismo mais saudável e
dinâmico.
c. Ação anti-radiativa: a capacidade anti-radiativa da argila foi recentemente descoberta, graças à
observação de que objetos contaminados por radiatividade, ao entrarem em contato com a lama,
perdem a radiação em pouco tempo. Embora não seja uma propriedade aceita por todos os
cientistas, sabemos que a argila tem a capacidade de absorver energias estranhas ao organismo,
como é o caso da radiação proveniente das explosões nucleares que se precipita da atmosfera
sobre o planeta.

A argila pode ser usada interna e externamente


Uso interno - Existem vários tipos de argilas que são usadas externamente, e cada uma tem pequenas
diferenças para uso terapêuticos. Estas argilas podem ser usadas em banhos, máscaras e cataplasmas.
As cataplasmas devem ser usadas no tratamento de edemas, picadas de
insetos e distensões musculares. Os banhos são indicados para aliviar a
tensão e fadiga muscular, insônia e má circulação. As máscaras são
muito usadas em tratamentos estéticos para eliminar toxinas, limpar e
tonificar a pele.

Como usar a argila

Em compressas quentes: diluí-la em água mineral morna, até


transformá-la numa pasta, depois coloque-a em uma gaze e aplique-a
no local desejado, por um período de 20 a 30 minutos.

Em compressas frias: usar água mineral à temperatura normal e


aplicar por 2 horas.

Em aplicação direta: principalmente no rosto, aplicar a pasta


diretamente sobre a pele em uma camada bem fina.

Pode ser aplicada topicamente no tórax, no abdômen, na região pélvica, na coluna, sobre os rins, nas
pernas, nos braços, no rosto, na cabeça e no pescoço.

Pode também ser usada por via oral, neste caso, dilui-se uma colher das de chá de silicato minimizado em
um copo de água mineral, aguarde a decantação (30 minutos), despreze a parte sólida e tome o líquido em
jejum ou 1 hora antes das refeições. Para melhores esclarecimentos é necessário procurar um médico que
conheça do assunto.

Aplicação na estética: No rosto, pescoço, mãos e braços, para eliminar manchas senis e espinhas.

Aplicação da argila com ação terapêutica:

 na garganta para casos de inflamação e calos nas cordas vocais

 no pescoço: em casos de tumor na parótida e obstrução das veias que alimenta o cérebro

 nos ombros: nas burcites e artrose

 nos seios: nas displasia , mastite e cisto

 nos braços: casos de tendinites e tenossinovite

 nos joelhos: artrose

 nas pernas: varizes, trombose venosa, flebite, varicose


 nos calcanhares: para esporão de calcareo, gota

Aplicação da argila na região da coluna:

 para os casos de artrose na cervical, lombar, hérnia de disco (dissolver), inflamação do nervo ciático
 Na região do pulmão: para as bronquites, nos fibromas pulmonares
A argiloterapia, a fitoterapia assim como a acupuntura, a cada dia se tornam mais procuradas, pelo fato
de serem, as suas ações, de aspectos naturais, deixando o organismo humano isento dos radicais livres, tão
falados na atualidade.
São muitos os benefícios do tratamento com a argila, aplicada em compressas frias ou quentes.
Com sinceros votos de muita paz a tudo e a todos, ficamos à disposição para responder e esclarecer pontos
relacionados a este tema.
Encerramos com saudações holísticas!
Armando Falconi Filho
é terapeuta holístico, consultor e advogado

HIDROTERAPIA

Desde a antigüidade, o homem sabe a importância da água para sua vida e procurou
desde os primeiros agrupamentos erguer suas moradias perto de cursos ou fontes de
água que garantissem, primeiramente, o fornecimento de água para suas necessidades
vitais e posteriormente que suprisse as necessidades restantes.

Um exemplo disso, entre os antigos, são famosas as termas em Roma e os jardins


suspensos da Babilônia.

A cura pela água não é coisa nova para o Ocidente, vários pesquisadores ocidentais já
expuseram a importância de seu uso e elaboraram métodos específicos que pretendem
curar as pessoas.

A água tem um efeito extraordinário na abertura. Desobstrução e limpeza dos poros da


pele, e por isso o banho, especialmente de banheira, exerce um efeito altamente
benéfico para o corpo, que geralmente é desconhecido.

Descrevemos a seguir, sucintamente, esse método conhecido como flutuação dos


órgãos.

O corpo mantém seus órgãos internos sustentados por vários apoios, que são os
músculos e ligamentos, e os mantém fixados solidamente às estruturas ósseas
internas; da mesma forma alguns órgãos externos, como os seios na mulher e os
genitais masculinos. praticamente ficam pendurados ao corpo e, quando o corpo deita
assumem uma posição de apoio sobre o corpo numa direção qualquer.

Dessa forma. quando nosso corpo é mergulhado na água (na banheira, por exemplo),
esses órgãos ficam numa posição diferente daquela em que se encontravam quando
em pé ou sentados.

A pressão normal da água sobre o corpo o faz flutuar e produz uma condição particular
que permite que tanto os órgãos internos (o estômago, o fígado, os pulmões, os
intestinos, o baço, o pâncreas, etc.) como os órgãos externos, os seios e os genitais
masculinos, descansem comodamente em seus lugares e permaneçam numa posição
confortável.

Por esse motivo podemos obter efeitos benéficos altamente relaxantes se tomarmos
periodicamente um banho de banheira com uma temperatura um pouco acima do calor
corporal e acrescentamos sais ou óleos aromáticos por um período mínimo de um
quarto de hora.

Com esse banho conseguimos tonificar todos os nossos órgãos tanto internos como
externos, produzindo uma sensação real de descanso e recuperação energética.

ARGILA TERAPIA OU FANGOTERAPIA

A ARGILA

É um silicato minimizado, ou silicato de


alumínio e diversos oligoelementos, entre os
minerais encontrados se destacam os de
silício, segundo elemento mais abundante na
natureza. Sua carência produz uma
desestruturação do tecido conjuntivo, com
sinais de envelhecimento.

Atuação dos oligoelementos:

· Silício (Si): tem papel fundamental na reconstituição dos tecidos cutâneos e


na defesa do tecido conjuntivo. Tem ação hemostática, purificante, adstringente
e remineralizante. Rehidrata a pele e as mucosas e reduz as inflamações.
Também tem ação na elasticidade da pele atuando em flacidez cutânea.

· Alumínio (Al): este elemento atua contra as faltas de tonicidade, tem ação
cicatrizante, o alumínio inibe o desenvolvimento de estafilococo áureo em
cultura.

· Cobre (Cu): tem desempenho importante nos processos de fixação do


oxigênio, melanogenese. É eficaz em todas as manifestações infecciosas.

· Enxofre (S): na pele é um componente dos aminoácidos na proteína da pele.


Tem efeito anti-séptico.

· Ferro (Fe): o ferro tem papel importante na respiração celular e na


transferência de elétrons. Na pele as carências de ferro manifestam-se por uma
epiderme fina, seca e com falta de elasticidade.

· Manganês (Mn): tem ação específica na bio-síntese do colágeno, tem ação


antiinfecciosa, cicatrizante, anti-alérgico.

· Magnésio (Mg): tem poder de fixar os íons de potássio e do cálcio e a


manutenção do gel celular, ou seja hidratação.
· Zinco (Zn): sua concentração é relativamente elevada na pele, sua carência
se traduz por uma queratinização. Acontece também uma camada tissular
excepcional e localizada no momento da cicatrização das lesões.

Forma de preparo:

Recomenda-se escolher um lugar afastado de fontes poluentes (estradas,


depósitos de lixo, habitações humanas) para coletá-las. Encontrado um veio,
deve-se cortá-lo e transportá-lo para secagem ao sol, para desenvolver suas
qualidades sutis. Durante a secagem, desmanchar cuidadosamente a argila,
sem o uso de instrumentos metálicos, preferencialmente com as mãos, até que
atinja a textura desejada. Depois de seca deve ser peneirada.

A boa argila, quando umedecida, fica marcada pelos sucos dos dedos se a
pressionarmos. Se esfarela à pressão, é sinal de mistura de elementos não-
argilosos, tais como areia, saibro, matéria orgânica.

Atuação:

A argila tem grande capacidade para absorver vibrações densas e materiais,


sendo eficiente também como harmonizador energético, além das propriedades
anti-séptica, anti-inflamatória, anti-reumática e anti-tumorais.

OBJETIVOS EXEMPLO DE USO CORES associadas


Eczema sem infeção, após extração de
Regenerar e drenar Amarelo, laranja
comedões
Tratamento de pele manchada e com
Revitalizar e cicatrizar Amarelo, laranja
cicatrizes, desvitalização em geral
Acelerar, queimar e
Tratamento de celulite, gordura localizada Rosa, amarelo, laranja
drenar
Desinflamar e Inflamações, coceiras, acne, entorse,
Verde, azul
regenerar foliculite, pós cirurgia estética
Desacelerar e acalmar Pressão alta, anti-stress, olheiras Verde, azul
Relaxar e drenar Edemas, derrames, cansaço Verde, amarelo
Relaxar, drenar e
Alergia Verde, amarelo, azul
acalmar
Descongestionar Pele irritada, lábios rachados Azul, verde
Feridas, acne, hematoma, estrias, pós-
Acalmar e regenerar Azul, amarelo
operatório de cirurgia estética
Regenerar e dissolver
Cistos sebáceos, milium, seborréia Verde, laranja
gordura
Desinfetar e regenerar Erupções com infecção, caspa Violeta, amarelo
Desinfetar e acalmar Acne infectada Violeta, azul
Acalmar e harmonizar Metabolismo acelerado Azul, violeta
Estimular e energizar Metabolismo lento Vermelho, laranja

Argila
Saúde por dentro e por fora
A argila vem sendo usada há milhares de anos como meio terapêutico, devido à suas
qualidades comprovadas.
Existem 3 propriedades fundamentais da argila que são:

• Quando acrescentada à água, as partículas da argila tornam-se maleáveis e sua


absorção é muito eficaz no tratamento de inflamações, edemas e inchaços.
• A argila tem facilidade para liberar elementos que fazem parte de sua
constituição. Tanto no uso interno quanto no uso externo, a argila é muito
importante pelo seu efeito protetor e liberador de toxinas em vários órgãos,
como por exemplo a pele e a mucosa digestiva.
• A argila também tem um poder muito grande de fixação de elementos gasosos,
partículas do meio ambiente e moléculas. Este poder poder é muito grande e
quase irreversível, tornando-se assim, muito útil na fixação de toxinas
presentes no organismo para uma posterior eliminação das mesmas.

A argila pode ser usada interna e externamente:


Uso interno - Para uso interno, a argila deve possuir uma granulometria muito
pequena e ser completamente isenta de microorganismos patogênicos. Ela pode ser
encontrada para a venda em forma de cápsulas ou comprimidos e indicadas para o
tratamento de diarreias crônicas ou agudas, úlceras, anemias, colites, hemorragias,
feridas, dermatoses, alguns tipos de reumatismos e intoxicações.
Uso externo- Existem vários tipos de argilas que são usadas externamente, e cada
uma tem pequenas diferenças para uso terapêuticos. Estas argilas podem ser usadas
em banhos, máscaras e cataplasmas.
As cataplasmas devem ser usadas no tratamento de edemas, picadas de insetos e
distensões musculares. Os banhos são indicados para aliviar a tensão e fadiga
muscular, insônia e má circulação. As máscaras são muito usadas em tratamentos
estéticos para eliminar toxinas, limpar e tonificar a pele.
Experimente esta receita caseira de máscara purificante para o corpo com argila,
lavanda e sálvia para peles normais e oleosas.
1/2 xícara (chá) de argila marinha em pó.
1 xícara (chá) de iogurte em pó
2 colheres (sopa) de mel
1 colher (sopa) de óleo de prímula
1/2 colher (sopa) de vitamina E
25 gotas de óleo essencial de lavanda
25 gotas de óleo essencial de sálvia
Misture o iogurte, mel, prímula, vitamina E e os óleos essenciais em um recipiente
cerâmico ou de vidro até que estejam bem homogêneos. Adicione a argila marinha
aos poucos até atingir a consistência desejada. Tome uma ducha morna bem rápida.
Aplique a máscara com as mãos ou com a ajuda de um pincel, cobrindo seu corpo da
cabeça aos pés. Descanse 15 a 20 minutos enquanto a máscara seca. Enxague bem,
primeiro com água morna e depois com água fria. Enxugue o corpo e aplique um
hidratante suave. Você vai ver como sua pele vai ficar macia!
A argila marinha é rica em minerais, tem uma cor verde bem escura e é obtida do
fundo do mar. Ela tem uma grande concentração de algas marinhas o que a faz
perfeita para purificar e tonificar o corpo.
Por
Equipe de Jornalismo
Planeta Natural

ARGILA

Um tratamento estético sem contra indicação e 100% natural.

O que posso fazer com o uso da argila?

INDICAÇÕES

• Limpeza profunda;
• Hipercromias;
• Envelhecimento das faces;
• Peeling mineral;
• Acnes e seborréias;
• Manchas e melasma;
• Máscara tensora;
• Flacidez;
• Redução de papadas;
• Máscara tensora pós elétro-estimulação ou drenagem linfática manual;
• Tratamento pré e pós-operatório;
• Efeito oclosivo em tratamentos liporedutores;
• Alopésia moderada;

SUA ATUAÇÃO

Como estimulante da micro-circulação, executa uma esfoliação uniforme, suave e segura, remove secreções
e oleosidade retida nos óstios foliculares e demonstra ser inigualável na flacidez cutânea, provendo seu
característico efeito.

Melhora a atividade celular e reforça a função protetora da epiderme, a reestruturação da pele, aumenta a
resistência natural, contra as agressões diárias.

A pele readquire sua tonicidade e firmeza, recuperando a jovialidade e saúde.

Sua ação é antiinflamatória, calmante e grande poder de absorção.

Restaurando a pele como também, favorecendo a eliminação de ácido úrico.

Favorece a reprodução celular;

Possui minerais e oligoelementos necessários ao organismo;

Argila livra de toxinas


A argila tem poder rejuvenescedor, ação cicatrizante e é utilizada para a prevenção de várias
doenças, entre as quais a artrose

As civilizações antigas já conheciam as propriedades curativas e terapêuticas da argila, mas nunca


os benefícios estiveram tão em evidência como agora. Além de seu poder rejuvenescedor – o que
faz com que o produto seja muito empregado pela medicina estética – a argila também pode ser
utilizada no combate e prevenção de vários males, de uma simples inflamação de garganta a
doenças crônicas, como a hipertensão.

Foi justamente de olho nesses benefícios que a auxiliar de enfermagem Isabel de Freitas, de 59
anos, resolveu inserir o produto em seu tratamento para artrose. Depois de amargar fortes dores
por todo o corpo durante muito tempo, há dois anos ela encontrou alívio nas aplicações em forma
de emplastros. “Três vezes por semana, cobria as juntas inchadas com argila em temperatura
ambiente. A melhora foi incrivelmente rápida”, comenta feliz pelo resultado.

Atualmente, Isabel faz apenas “manutenção”, aplicando a argila uma vez por mês. Mas não se
livrou apenas da artrose com todo o processo. Segundo ela, o funcionamento dos órgãos
melhorou, a insônia e o estresse foram embora. “Acho que é um remédio para todos os males”, diz.

Segunda a psicóloga e terapeuta corporal Giovanna Costa Lamaita, é devido à sua composição
química e mineralógica que a argila traz tantos benefícios. Ela é constituída por óxidos de zinco,
sódio, cálcio, magnésio, alumínio, titânio, silício, ferro, potássio, estrôncio, manganês e bário. “São
os mesmos minerais presentes no organismo. Se algum deles está em falta, a argila faz a doação”,
explica.

Devido à grande capacidade de absorção, o produto é altamente desintoxicante, “puxando” do


corpo as toxinas. A argila limpa os sistemas digestivo e circulatório, neutraliza o Ph interno do
corpo e expulsa agentes agressores como bactérias e fungos. “Ela promove um verdadeiro
reequilíbrio físico”, assegura.

Existem vários tipos de argilas, como as verdes, brancas, vermelhas e amarelas. A mistura
barrenta, muito utilizada nas olarias, tem ação cicatrizante, esfoliante, antiinflamatória, revigorante,
relaxante, rejuvenecedora, bactericida e hidratante. Esteticamente, o produto pode ser utilizado
para clarear pelos e manchas, combater estrias e acne, reduzir medidas e até eliminar edemas e
inchaços.

A aplicação da argila pode ser feita diretamente na pele ou por cima de um tecido do tipo gaze ou
fralda de pano. Antes de adquirir o produto, é preciso verificar se ele está livre de toxidade. Cada
aplicação pode durar entre 20 minutos a uma hora, dependendo da necessidade. No início de
qualquer tratamento, é interessante que as aplicações sejam feitas diariamente, sempre com
orientação de um médico ou terapeuta especializado. “Mas as pessoas podem aprender a preparar
o produto para aplicação. Existem workshops que ensinam e é muito fácil aprender”, afirma.

Ingestão

Na hora do preparo dos emplastros, é preciso saber qual a temperatura indicada para cada região.
Além disso, o vasilhame empregado é fundamental. Deve-se evitar material plástico e de metal.
Mas a argila também pode ser ingerida. De acordo com Giovanna Lamaita, normalmente, o
tratamento associa a aplicação e a ingestão de “água” de argila, ou seja, depois de misturar o
produto na água mineral ou filtrada, espera-se decantar para, então, beber o líquido.
A argila não deve ser reutilizada depois do tratamento, já que ela tem a propriedade de absorver as
substâncias tóxicas do organismo. Não é aconselhável que pessoas hipertensas ou com prisão de
ventre tomem a água argilosa. Seu poder de ação se limita a duas horas. Depois desse tempo,
deve-se fazer a substituição por argila nova.

(Vanessa Jacinto/ Bem Viver)

Aplicada no corpo e no rosto, a mistura de água e terra funciona como um verdadeiro tratamento
natural de beleza

Extraída da terra, a argila era utilizada antes mesmo da Era Cristã para a cura de afecções da pele. Os
egípcios aplicavam a substância no corpo para deixar a pele macia e também no processo de mumificação.
Gregos e romanos recorriam à argila quente para curar dores reumáticas, enquanto os hindus a ingeriam por
acreditarem que trazia saúde ao corpo e refinamento à mente. No Brasil, os povos nativos preparavam uma
mistura com argila e fubá para afinar a pele.

Fonte de minerais
Rica em ferro, sódio, potássio e silício, a argila volta a ganhar espaço em spas e clínicas que oferecem
tratamentos estéticos. "O silício, por exemplo, estimula a microcirculação da pele, auxiliando no processo de
renovação celular, além de devolver brilho, elasticidade e viço", afirma Eidi Cardoso, dermatologista da
Clínica Dermacentro, especializada em medicina estética, em São Paulo.

A argila também é considerada um hidratante. Usada na forma de máscara, deixa a pele impermeável,
aumentando a retenção de água. E, aplicada nos cabelos, absorve as impurezas e revigora os tecidos,
agindo como um renovador celular no couro cabeludo.

Banho de lama
O banho de argila (ou banho de lama) funciona como uma esfoliação natural. "Além de desintoxicar a pele, prepara
o corpo para receber outros tratamentos, como massagem ou bandagem", explica Débora de Oliveira, esteticista
corporal e facial do Spa Los Alamos, em Uberaba, Minas Gerais.

Veja como preparar:


Numa tigela de louça, coloque 100g de argila em pó e três copos de água mineral em temperatura ambiente.
Misture com uma espátula até formar um creme grosso. Espalhe a pasta por todo corpo. Depois de 30 minutos,
entre numa banheira de água morna ou vá para debaixo do chuveiro. Retire a argila fazendo movimentos de fricção
com a bucha.

Efeitos terapêuticos
Anti-séptica, cicatrizante e bactericida, a argila auxilia na regeneração de tecidos lesados. A aplicação diária trata a
acne, furúnculos, alergias, psoríase e herpes. Na forma de emplasto, aplicado na temperatura ambiente, também
trata lesões recentes e entorses, devido a sua ação anti-inflamatória. Nos casos de lesões crônicas articulares com
rigidez ou cólicas renais, recomenda-se fazer um cataplasma, com temperatura em torno de 40 graus.

Eliane Mesquita

Aplicada na pele, essa mistura de água e terra, riquíssima em


minerais, está ajudando a tratar várias doenças
Para embalsamar faraós egípcios e acabar com a cólera que assombrou os russos em
1945 a receita foi a mesma: argila. Até hoje ela é a solução de moradores da roça
nordestina para curar queimaduras. Com tantos poderes catalogados na história e
apregoados boca a boca, sua aplicação na pele ganhou nome de tratamento —
geoterapia — e está sendo indicada por médicos contra inflamações, infecções e até
tumores. O sucesso está na composição de minerais, como quartzo e mica,
acompanhados de magnésio, ferro, feldspato, potássio, sódio e cálcio — bastante
semelhante à do corpo humano. Mas há argilas e argilas. Segundo o Laboratório
Municipal de Polícia de Paris, a verde e a branca são as melhores para fim terapêutico.
“Elas têm uma concentração ideal de minerais”, confirma o fitoterapeuta Andirásio
Donato, de São Paulo.

O grande mérito da argila é fortalecer as defesas do corpo

Derramados sobre a pele da região que se pretende curar, os minerais da argila são
absorvidos e passam a atuar em várias frentes, regenerando as células, agindo como
antiinflamatórios e estimulando a drenagem linfática. “Com tudo isso o corpo sai
fortalecido e tem mais chances de vencer a doença”, garante a médica Maria Lúcia dos
Santos, do Centro de Medicina Natural, em Vinhedo, interior de São Paulo, que se vale
do método para ajudar a tratar, por exemplo, problemas respiratórios, dores
musculares, reumatismo, prisão de ventre, cólica menstrual e até câncer.

Vitória Bergamin, de 2 anos, é prova disso. Depois de tentar uma série de antibióticos
contra as infecções de garganta e intestinais da menina, a mãe, a veterinária Hermínia
Sanchez Bergamin, partiu para sessões diárias de geoterapia. Deu certo. “A argila
esfriava bastante no corpo de Vitória”, conta Hermínia. O pediatra e acupunturista
Marcius Mattos Ribeiro Luz, de São Paulo, tem explicação para o fato: “Por meio de
seus minerais, ela reequilibra a temperatura local que está alta por causa da
inflamação, impedindo que o problema se agrave”. Os médicos naturalistas acreditam
que isso tem a ver também com a energia do sol e da terra que o barro carrega.

Por Priscila de Paula Gorzoni

Na clínica e em casa

É bom frisar que a argila é um reforço do tratamento e não ele em si, principalmente
no caso de doenças graves. “As aplicações começam na clínica, mas são mantidas em
casa”, avisa Eliana Guimarães Pin, fundadora do Centro de Medicina Natural.

Faça você mesmo um medicamento para descongestionar as vias aéreas

Ingredientes:
• Chá de camomila
• Argila verde medicinal em pó
• Recipiente de barro
• Colher de pau
• Ataduras

Modo de preparo:
Despeje 1 xícara de chá de camomila frio no recipiente e acrescente
4 punhados do pó. Misture com a colher de pau até formar uma
pasta. Mergulhe, então, uma atadura no preparado e coloque-a
sobre o peito. Depois enfaixe a região com ataduras limpas e deixe agir por duas
horas. A aplicação do cataplasma deve ser feita duas horas antes ou depois das
refeições.

Receita indicada pela médica Maria Lucia dos Santos


Argila Medicinal

O uso da argila como terapia é uma técnica milenar.Tendo


agora, sua ação comprovada cientificamente.
O poder de cura pela terra(geoterapia) se dá pela energia
que ela contém, através dos raios solares que impregnam as
camadas superficiais do solo com energias caloríficas e
radiantes que ativam os cristais e elementos,
desencadeando um processo dinâmico e vitalizador capaz
de beneficiar o corpo humano.
Os componentes químicos em maior quantidade,destacam-
se a sílica, o alumínio, o ferro, o cálcio, o potássio , o
magnésio e o titânio.