Anda di halaman 1dari 1

Aula Prática de Microbiologia – Coloração de Gram

A coloração de Gram é usada para classificar as bactérias em relação à forma,


tamanho, morfologia celular e propriedade tintorial. A coloração de Gram foi originalmente
descrita por Christian Gram em 1884 e modificada por Hucker em 1921, comumente usada
na prática bacteriológica devido proporcionar uma melhor estabilidade dos reagentes e
melhor diferenciação dos microrganismos.
O método de Gram se baseia no fato de que quando certas bactérias são coradas
pelo o cristal violeta (corante azul) e depois tratadas pela solução de iodo–iodetada (lugol),
forma-se um composto de coloração escura entre o iodo e o corante, que é fortemente retido
por um grupo de bactérias e não pode ser removido pelo descoramento subseqüente com o
álcool – gram positiva. Outras bactérias, denominadas gram negativas, deixam-se descorar
facilmente pelo álcool. Então, as bactérias gram negativas aparecerão coradas em vermelho,
ao passo que as gram positivas aparecerão coradas em roxo.
O mecanismo da coloração de Gram está baseado na diferença de permeabilidade da
parede celular. As bactérias gram negativas apresentam uma elevada concentração de
lipídeos e uma delgada parede celular quando comparadas com as bactérias gram positivas.
Sugere-se que quando há o tratamento com álcool, os lipídeos das bactérias gram negativas
são retirados da parede celular, aumentando a permeabilidade da mesma e fazendo com que
estas bactérias percam o primeiro corante (cristal violeta). As bactérias gram positivas, por
possuírem uma menor concentração de lipídeos, se tornam desidratadas com o tratamento
pelo álcool, diminuindo a permeabilidade da parede celular e retendo o primeiro corante.

TÉCNICA DA COLORAÇÃO DE GRAM


1. Fazer um esfregaço do material desejado em uma lâmina;
2. Fixar o material , com o fogo, na lâmina;
3. Cobrir o esfregaço com cristal violeta (1º corante) por 1 minuto;
4. Escorrer o corante. Cobrir com lugol (mordente) por 1 minuto;
5. Lavar em água corrente de baixa pressão;
6. Descorar com álcool-cetona por 1 – 5 segundos;
7. Lavar em água corrente de baixa pressão;
8. Cobrir o esfregaço com fucsina de Ziehl-Neelsen 1:10 (2º corante) por 30 segundos;
9. Lavar em água corrente de baixa pressão;
10. Deixar secar espontaneamente;
11. Observar ao microscópio com objetiva de imersão.