Anda di halaman 1dari 4

TERMOTERAPIA

BANHO DE PARAFINA

por Mahyra Mota

TERMOTERAPIA

Banho de PARAFINA:

O banho de Parafina é uma forma de terapia que usa o calor superficial. O


banho contém uma mistura de cera e óleo mineral, na proporção de sete partes de
cera para uma parte de óleo (7:1). A parafina derretida é mantida a uma
temperatura constante, é usada principalmente para o tratamento de extremidades
superiores (de 47,7oC a 52,2oC) e para extremidades inferiores (45 a 49,4oC) usa-
se mais baixas porque a circulação é menos eficiente.

A parafina pode fornecer aproximadamente 6x mais calor que a água, e ela é


melhor tolerada que a água na mesma temperatura.É um excelente isolante térmico,
pois conserva por um longo período de tempo a temperatura (retém o calor por 20 a
30’). O calor se transmite por condução de áreas mais superficiais para mais
profundas, chegando ao máximo de 3mm de profundidade.

Ela é utilizada para oferecer calor para áreas pequenas e de formas


irregulares, como mãos, dedos, punhos e pés.

Aparelho de Parafina:

1) gabinete metálico externo


2) tanque metálico interno
3) óleo mineral e parafina (cera)

Obs:
Entre os dois tanques é necessário haver água, para aquecimento em banho-maria do
óleo que irá derreter a Parafina. Para durar mais tempo a Parafina deve ser sempre
derretida em banho-maria (a partir dos 30ºC).

Efeitos:
• Amacia e hidrata a pele,
• Analgesia,
• Hiperemia,
• Aumento do Metabolismo tecidual,
• Aumento do O2 tecidual,
• Relaxamento muscular
• Redução do edema (aumento do fluxo linfático, aumento do retorno venoso)
• Aumenta a hidratação da pele, facilitando a massagem e cinesioterapia,
• Aumenta a extensibilidade cápsulo-ligamentar, facilitando o alongamento.
• Efeito isolante de calor (durante os banhos de imersão, a quantidade de
isolamento aumenta com o número de camadas adicionadas).

Obs:
Deve-se retirar a parafina endurecida e ferver em óleo periodicamente ou descartá-
la.

Técnicas de Aplicação:

Antes de iniciar qualquer aplicação com Parafina, limpar e secar


cuidadosamente o local a ser tratado.

1. Banho de Imersão:
(Este é o melhor método para elevar a temperatura do tecido, entretanto é maior o
risco de queimadura)
 Mergulhar e retirar o membro, de 6 a 12 mergulhos, deixando secar entre um e
outro mergulho = película de + ou - 3mm.
 Após isso pede ao paciente manter o membro no interior da parafina até o fim
do tempo estabelecido de tratamento.
 Após o tratamento, retirar a parafina endurecida e devolve-la para a unidade
de aquecimento, ou descartá-la.

Obs:
Está técnica exige um cuidado maior do terapeuta, pois há um perigo maior de
queimadura. O paciente deve ser acompanhado cuidadosamente.

2. Método da Pincelada:
 Pode ser usado em qualquer área do corpo
 Com um pincel passar a parafina
 Após atingir a camada desejada, cobrir a área com um plástico e uma toalha,
respectivamente.
 Após o tratamento, retirar a parafina endurecida e devolve-la para a unidade
de aquecimento, ou descartá-la.

Obs:
Fator limitante = sujeira no local de trabalho.

3. Método da Luva:
 Mergulhar e retirar o membro, de 6 a 12 mergulhos, deixando secar entre um e
outro mergulho = película de + ou - 3mm.
 Após a última retirada de parafina, cobrir a extremidade com um saco
plástico, folha de alumínio ou papel de parafina. Em seguida, enrole e segure uma
toalha de algodão ao redor da área tratada.
 Se indicado, a parte do corpo pode ser elevada.
 Após o tratamento, retirar a parafina endurecida e devolve-la para a unidade
de aquecimento, ou descartá-la.

Duração do Tratamento:
O tratamento com parafina deve durar de 15 a 20min, podendo ser repetido
várias vezes ao dia.

Cuidados:

• Antes de iniciar, dar segurança ao paciente,


• Orientar o paciente que não deve movimentar a área ou segmento corporal onde
está a Parafina, pois ela é quebrável, e por causa do vapor que se forma entre a
pele e a Parafina, o paciente terá a sensação desagradável de queimação.
• Fazer a Tricotomia: depilação antes da aplicação nas áreas onde houver
muitos pelos, ou passar óleo mineral antes do tratamento.
• Regular o termostato e usar termômetro para se assegurar da temperatura
ideal (entre 40o a 54o).
• Retirar objetos de qualquer tipo (anel, relógio, pulseira e também esmalte)
• Verificar a integridade da pele (micoses, ferimentos, retirada de cutícula)
e grau de hidratação da região (pele desidratada ou com hipotrofismo).

Obs:
Teste de Sensibilidade quente e frio. Usar dois tubos de ensaio iguais, um com
água gelada e outro com água quente = a sensibilidade é subjetiva.

Indicações:
• Quadros inflamatórios crônicos e sub-agudos.
• Contraturas e espasmos musculares,
• Distúrbios articulares (artrites),
• Nódulos de Bouchard (falange média ou proximal) e Nodulos de Heberden
(falange distal) comum nas osteoartrites, artrose, osteoartrose (OA).
• Limitação de movimento após imobilização.
• Pré-massoterapia de mão e perna

Contra-indicações:

• Em ferimentos ou fissuras na pele,


• Sequela de doenças vasculares (flebite, trombose)
• Em face,
• Distúrbios de sensibilidade,
• Processos hemorrágicos ativos ou processos cicatriciais incompletos,
• Processos infecciosos cutâneos, independente de controle por antibiótico,
• Processos Neoplásicos: tumores de pele,
• Micoses,
• Queimaduras em qualquer fase = devido a formação de quelóide.
• Doença Vasculare Periférica - caracterizada por uma diminuição no fluxo de
sangue nos membros superiores e inferiores, devido a obstruções existentes nas
artérias. (Ex: hipertensão arterial, sedentarismo, fatores genéticos, aumento do
colesterol sanguíneo e, principalmente, diabetes e tabagismo.)

Vantagens:

• Dentre os tipos de calor superficial é o mais isolante, pois o calor demora


muito mais tempo pra se dissipar, retendo o calor por mais tempo, devido ao calor
específico e capacidade térmica da Parafina.
• É meio de produção de calor reciclável e durável,
• Baixo custo = apenas o gabinete é caro,
• Fácil aplicabilidade em MMSS e MMII,
• Calor terapêutico é mais duradouro que a compressa quente e o forno de Bier.

Desvantagens:

• Inviabilidade da parafina ser trocada a cada paciente,


• Proliferação de fungos, pois é um meio de cultura. (40 e 45º C não é
suficiente para eliminar fungos e bactérias)
• Acúmulo de fâneros (pelos, unhas, restos de pele).
• A parafina não tem aplicação imediata, leva de 2 à 3h para alcançar a
temperatura ideal de aplicação.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

KOTTKE, Frederic J. et al. Krusen: Tratado de Medicina Física e Reabilitação. 4ed.


São Paulo: Manole, 1994.

LIANZA, Sérgio. Medicina de Reabilitação. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001.

THOMSON, Ann. Fisioterapia de Tidy. 12 ed. São Paulo: Santos, 1994.