Anda di halaman 1dari 9

BREVE HISTÓRIA DA

MÚSICA
Preparado para descobrir o
passado daquilo que ouves hoje?
Começa a clicar!
PRÉ-HISTÓRIA
• O homem primitivo teve desde muito cedo necessidade
de comunicar.
• Para isso usava, por exemplo, sinais sonoros como:
gritos, sons corporais, batimentos com pedras ou com
ramos de árvores, etc.
• No fundo, o homem pré-histórico tinha como principal
objectivo o de imitar a natureza e não o de fazer
música
• Assim o homem começou a fazer uso da música nas suas
cerimónias e rituais, como por exemplo, na evocação
das forças da natureza, no culto dos mortos, no
decorrer da caça,...
• Começou por usar apenas a voz e os diversos sons
corporais, mais tarde, também introduziu
gradualmente instrumentos que construía para usar
nas suas músicas e danças numa tentativa de agradar
mais aos deuses.

ANTIGUIDADE
A música assumiu um papel central
nas grandes civilizações: -A m ú sica re ce b e u
in flu ê n cia s g re g a s;
 Egipto, Grécia
-A m e ú sica e ra
co n sta n te n a s ca sa s
Roma. d a s fa m ília s m a is
rica s;
-N o rm a lm e n te a s -A fla u ta e a
m u lh e re s é q u e p a n d e ire ta e ra m
to ca va m ; fre q u e n te s;
-A m ú sica tin h a u m a -Fo i n a G ré cia a n tig a q u e su rg iu o
o rig e m d ivin a e ó rg ã o ;
e sta va m u ito lig a d a -A m ú sica e ra u m a d a s d iscip lin a s
a o cu lto d o s d e u se s; e sse n cia is e n sin a d a s a o s jo ve n s n a s
- A harpa , a lirae a e sco la s;
p e rcu ssã o e ra m -R e a liza va m -se a n u a lm e n te
b a sta n te u tiliza d a s; co n cu rso s d e ca n to , e a s p e ça s d e
te a tro e ra m vá ria s ve ze s
IDADE MÉDIA
• A igreja passa a ter um papel fundamental para o
desenvolvimento e evolução da música, pois são os monges que,
nos mosteiros, desenvolveram a escrita e a teoria musical.
•     Nasce o Canto Gregoriano, que era basicamente uma forma de
oração para demonstrar o amor a Deus. Este canto tinha uma
melodia simples que seguia o ritmo das palavras.
•     Nesta época começa a haver uma grande separação entre a
música religiosa e a música popular. Uma das grandes
diferenças entre elas está nos instrumentos que são usados em
ambas. Na igreja apenas o órgão era permitido, enquanto que na
música não religiosa ou chamada profana usavam-se a flauta, a
gaita de foles, a harpa, os pratos, os tambores,...
•     A língua usada nos cantos da igreja era o Latim, enquanto
que na música popular eram os dialectos próprios de cada
região.
•     Os menestréis eram cantores, músicos e malabaristas que
andavam de terra em terra juntamente com os saltimbancos.
•     Os trovadores eram nobres que compunham música e poesia
tendo como tema preferido, para as suas composições, o amor.
RENASCIMENTO
• Este tempo é caracterizado pela
mudança de pensamento do
homem perante o mundo.
• Esta mudança influenciou também a
arte. O homem do renascimento já
não vive apenas dominado pelos
valores da igreja, agora encontra
valores nele próprio e na natureza.
•     É nesta altura também que os
donos das cortes e homens ricos
concedem oportunidades de
trabalho aos compositores e aos
músicos, promovendo festas,
audições e acontecimentos
culturais.
•     É também no renascimento que,
apesar de se continuar a utilizar os
instrumentos para duplicar,
BARROCO
• É o período em que a música instrumental atinge, pela
primeira vez, a mesma importância que a música
vocal.
•     A música do barroco é exuberante, de ritmo energético
e frases melódicas longas muito bem organizadas.
•     O violino é o instrumento que mais se afirmou devido á
evolução da sua construção e logo da sua execução.
Também os instrumentos de tecla sofrem grandes
evoluções, nomeadamente o cravo que aparece como
instrumento solista, e não apenas como
acompanhante.
•     A orquestra também, por sua vez, toma maiores
proporções e uma forma mais estruturada. Dá-se
também um aperfeiçoamento técnico dos músicos,
assim como um maior acesso à música por parte do
público em geral.
•     A ópera e o ballet são formas musicais, orquestrais e
vocais que surgem e se desenvolvem.
•     A Suite que também é outro género deste período, é
uma sucessão de diferentes peças musicais com
andamentos de dança.
•     Entre os compositores mais famosos destaca-se:
Johann Sebastian Bach.
CLASSICISMO

• No período Clássico a música torna-se mais leve


e menos complicada que no Barroco.
• A música revela uma extrema suavidade e
beleza com grande equilíbrio e perfeição
estética.
• É a melodia com acompanhamento de acordes
que predomina. As frases melódicas são
curtas, claras e bem definidas, sentindo-se o
princípio, meio e fim de cada uma. Há
também uma maior variação em relação à
dinâmica das obras musicais, surge o
sforzatto, o crescendo e diminuendo.
•     O cravo cai em desuso para dar lugar ao
piano que o irá substituir definitivamente.
Também a orquestra toma maiores proporções
ao mesmo tempo que diversifica os seus
instrumentos.
ROMANTISMO

• Este período caracteriza-se pela liberdade de expressão e de


sentimentos.
•  Paris junta-se a Viena e tornam-se os principais centros de
música da Europa.
• Os compositores do Romantismo procuravam suscitar, através
da música, os seus sentimentos e afectos em relação à
sociedade da época.
• Surgem compositores como Schubert, Mendelsson, ou
Chopin .
• Os compositores também conseguem libertar-se da tutela dos
nobres que os empregavam e passam a compor por conta
própria.
• Os concertos públicos tornam-se mais frequentes e, como
consequência disto, surgem grandes salas de espectáculos
e concertos.
• As melodias românticas são mais líricas e as harmonias mais
contrastantes, dando assim um resultado sonoro com uma
maior variedade de sonoridades, dinâmicas e timbres.
MÚSICA MODERNA

• O século XX surgiu como a era das experiências, da procura de


novas técnicas e de novos caminhos para a arte em geral.
• Surgem os primeiros instrumentos electrónicos(guitarra eléctrica
e sintetizador) ligados, numa primeira fase, à música Pop e
Rock e, numa segunda, a outros géneros musicais.
•  Há uma maior tendência para valorizar as culturas extra-
europeias.
• Aparecimento da gravação.
• Os instrumentos convencionais são transformados e devidamente
preparados de forma a alargar as suas possibilidades tímbricas
e sonoras, pois, é importante saber que o timbre é talvez o
parâmetro da música mais valorizado deste período.