Anda di halaman 1dari 1

Dentro do meu caldeiro, vou fazer meu feitio

Tem fundanga e enxofre, tem o poder do meu catio


Tem borra do veleiro, tem um gole de marafo
Tem p de pemba e de ossos, tem sapo, aranha e rato!
Kimbanda, escureceu e comea tocar
Risca ponto, acende a vela porque meu Diabo vai chegar!
Na fumaa da caldeira, pulou um e pulou trs
Diabo pra todo lado, ladainha forte, comea outra vez!
O meu inimigo nem sabe o que est fincando
Na sua ponteira de morte, est me fortificando
Eu sou filho da noite escura, nasci com capa e garfo
O amuleto no meu bero era uma cobra e uma espora de galo!
Kimbanda, escureceu e comea tocar
Risca ponto, acende a vela porque meu Diabo vai chegar!
Na fumaa da caldeira, pulou um e pulou trs
Diabo pra todo lado, ladainha forte, comea outra vez!
E a terra de Kalunga que jogaram no meu jardim
Coloquei na minha rosa e sua inteno chegou ao fim
No adianta mexer comigo, eu no mecho com ningum
Mas se tentar me derrubar, no teu caixo o padre dir amm!
A Kimbanda culto lindo e cada panela tem sua tampa
Cada Exu tem sua mironga, sete punhais e um jogo de lana!
Kimbanda escureceu e comea tocar
Risca ponto, acende a vela porque meu Diabo vai chegar!
Na fumaa da caldeira, pulou um e pulou trs
Diabo pra todo lado, ladainha forte, comea outra vez!