Anda di halaman 1dari 27

1

NEUROANATOMIA

NEUROANATOMIA

Conceito – Constitui o estudo do Sistema Nervoso

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA

NERVOSO

O Sistema Nervoso é assim denominado por ser constituído por um tecido especializado em receber e enviar estímulos, que é formado por células conhecidas como Neurônios.

NEURÔNIOS

NEURÔNIOS

Também conhecidos como Células Nervosas, apresentam um corpo celular, do qual saem prolongamentos que podem ser denominados dendritos ou prolongamentos citoplasmáticos, e axônios ou cilindro-eixos.

1 NEUROANATOMIA NEUROANATOMIA Conceito – Constitui o estudo do Sistema Nervoso SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO O

Estas células apresentam duas propriedades fundamentais:

IRRITABILIDADE:

Propriedade de ser sensível a um estímulo, permite a uma célula

detectar as modificações ocorridas no meio ambiente.

CONDUTIBILIDADE:

Propriedade de propagar um impulso da região onde recebeu um

estímulo, até uma outra região qualquer.

2

TIPOS DEDE NEURÔNIOS

TIPOS

NEURÔNIOS SEGUNDO

SEGUNDO AA FUNÇÃO

FUNÇÃO

AFERENTE - Conduz o impulso nervoso sensitivo a uma determinada área

do Sistema Nervoso Central (da periferia para o SNC).

EFERENTE - Conduz o impulso nervoso motor do Sistema Nervoso

Central até uma outra área qualquer (parte do SNC para a periferia).

ORIGEM EMBRIONÁRIA

ORIGEM

EMBRIONÁRIA DODO SISTEMA

SISTEMA NERVOSO

NERVOSO

O Sistema Nervoso é constituído a partir de vesículas primordiais, que são

dilatações originadas do tubo neural. Estas dilatações recebem o nome de

prosencéfalo, mesencéfalo e rombencéfalo.

2 DE DE NEURÔNIOS TIPOS SEGUNDO A A FUNÇÃO AFERENTE - Conduz o impulso nervoso sensitivo

Com o desenvolvimento do feto, ocorrem subdivisões: o Prosencéfalo

subdivide-se em Telencéfalo e Diencéfalo, dando origem ao cérebro. O

Mesencéfalo não sofre subdivisão e o Rombencéfalo dará origem ao

Metencéfalo e ao Mielencéfalo. Daí surgem as seguintes relações:

Vesículas

Estruturas

Cavidades

Primordiais

Após Divisão

Relacionadas

Relacionadas

Prosencéfalo

Telencéfalo

Hemisférios Cerebrais

Ventrículos Laterais

Diencéfalo

Paredes do 3º Ventrículo

Terceiro Ventrículo

 

Pedúnculos Cerebrais

Mesencéfalo

Mesencéfalo

Tecto do Mesencéfalo

Aqueduto Cerebral

Rombencéfalo

Metencéfalo

Ponte e Cerebelo

Quarto Ventrículo

Mielencéfalo

Medula Oblonga

Medula

Medula Espinhal

Quinto Ventrículo

3

DIVISÃO ANATÔMICA

DIVISÃO

ANATÔMICA DODO SISTEMA

SISTEMA NERVOSO

NERVOSO

O Sistema Nervoso, anatomicamente, subdivide-se em:

Cérebro

Encéfalo Cerebelo

SISTEMA

NERVOSO

CENTRAL

Mesencéfalo Ponte Bulbo
Mesencéfalo
Ponte
Bulbo

Tronco Encefálico

Medula espinhal

Espinhais – 31 pares Nervos Cranianos – 12 pares Gânglios Terminações nervosas
Espinhais – 31 pares
Nervos
Cranianos – 12 pares
Gânglios
Terminações nervosas

SISTEMA

NERVOSO

PERIFÉRICO

DIVISÃO

DIVISÃO FUNCIONAL

FUNCIONAL DODO SISTEMA

SISTEMA NERVOSO

NERVOSO

O Sistema Nervoso, funcionalmente, subdivide-se em:

SISTEMA

NERVOSO

SOMÁTICO

Aferente

Eferente

SISTEMA

NERVOSO

VISCERAL

Aferente

Eferente

= S.N. Autónomo

3 ANATÔMICA DIVISÃO DO DO SISTEMA NERVOSO O Sistema Nervoso, anatomicamente, subdivide-se em: Cérebro Encéfalo Cerebelo

Simpático

Parasimpático

4

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA

NERVOSO CENTRAL

CENTRAL

MEDULA ESPINHAL

MEDULA

ESPINHAL

Etimologicamente, medula significa miolo, e indica o que está dentro.

Localiza-se dentro do canal vertebral, sem ocupá-lo completamente.

Tipo de tecido:

Nervoso

Tamanho:

No homem adulto aproximadamente 45 cm.

Na mulher apresenta-se um pouco menor.

Cranial limita-se com o bulbo, aproximadamente em

Limites:

nível do forame magno do osso occipital.

Caudal

no adulto situa-se aproximadamente na 2ª

vértebra lombar (L2).

A medula termina afilando-se para formar um cone – o

Terminação:

Formato:

cone medular, e continua em um delgado filamento – o

filamento terminal.

Aproximadamente

cilíndrica,

ligeiramente

(sentido ântero–posterior)

achatada

Não apresenta calibre uniforme, pois apresenta duas

Calibre:

dilatações, denominadas intumescências cervical e lombar.

São resultantes das conexões de grossas raízes que formam

os plexos braquial e lombo-sacral.

Função:

Condução nervosa (impulsos sensitivos subindo e impulsos

motores descendo).

Substância

Branca:

Fibras axoniais, na maioria mielínicas (microscópicas).

Localiza-se externamente.

Substância

Cinzenta:

Concentração de corpos neuronais multipolares (motores).

Localiza-se por dentro da branca, apresentando um

formato de borboleta ou da letra H.

Envoltórios da

Medula:

dura-máter (externa e mais espessa)

pia-máter (interna e mais delicada)

aracnóide (entre as duas anteriores)

Epidural - entre a dura-máter e o periósteo do canal vertebral

Espaços

Meníngeos:

Subdural - espaço virtual entre a dura-máter e a aracnóide

Subaracnóideo - entre a aracnóide e a pia-máter

5

6

6

7

7
7

8

TRONCO ENCEFÁLICO

TRONCO

ENCEFÁLICO

Estrutura de tecidos nervoso e conjuntivo situada ventralmente ao cerebelo.

Interpõe-se entre a medula e o diencéfalo.

Divisão

Anatômica

do

Tronco

Encefálico

Funções:

Relação com

os nervos

cranianos:

Limites do

tronco

encefálico:

Ponte:

Mesencéfalo:

Mesencéfalo (cranial)

Ponte

(entre ambos)

Bulbo (caudal)

Condução nervosa e

controle dos sistemas

cardiovascular e

respiratório.

Dos 12 pares, 10 emergem

da sua estrutura.

8 TRONCO ENCEFÁLICO TRONCO ENCEFÁLICO Estrutura de tecidos nervoso e conjuntivo situada ventralmente ao cerebelo. Interpõe-se
8 TRONCO ENCEFÁLICO TRONCO ENCEFÁLICO Estrutura de tecidos nervoso e conjuntivo situada ventralmente ao cerebelo. Interpõe-se
de os centros cerebelo, e
de
os
centros
cerebelo,
e

superior (diencéfalo)

inferior (forame magno)

posterior (cerebelo)

Interposto entre a ponte e o

cérebro,

aqueduto cerebral, que liga o 3º ao

Interposto entre o mesencéfalo e o bulbo, é

é

atravessado

pelo

quase que totalmente composto

4º Ventrículo. substância branca, servindo como ponto de

ligação

entre

o

bulbo

Dorsalmente ao aqueduto, temos o

tecto do mesencéfalo, e suas massas

Situa-se

nucleares: os colículos superiores

ventralmente

ao

corticais superiores.

com

(envolvidos repousa nos sobre reflexos o dorso visuais), da cela os túrcica.

colículos inferiores (relacionados à

Em sua face ventral, encontramos um feixe

audição).

de fibras que forma o pedúnculo cerebelar

Ventralmente, encontramos os pedúnculos cerebrais, que

que

se

a

cada

médio,

dirige

hemisfério

cerebelar. Encontramos também um sulco,

constituem a conexão motora principal entre o encéfalo

anterior e o rombencéfalo.

o

sulco

basilar,

que geralmente aloja a

Em sua porção média (interna), o tegmento, encontramos

o

núcleo

bulbo pelo sulco bulbo-pontino.

rubro, que

é conectado ao cerebelo,

sendo

artéria basilar.

A ponte

é separada

do

importante na atividade motora e situações posturais

Da Ponte, emergem 4 nervos

craniais: o

reflexas. Trigêmeo (5º par, misto), o Abducente (6º

Do

par, motor), o

Mesencéfalo,

Facial (7º par, misto)

2

nervos

emergem

craniais:

e

o

o

Oculomotor (3º par) e o Troclear (4º par), ambos nervos

Vestibulococlear (8º par, sensitivo).

motores.

9

9

10

Situado entre a medula espinhal e a ponte,

sua face posterior forma

Ventrículo.

o

chão

do

Em sua face ventral, encontramos a

pirâmide, um feixe de fibras que forma o

tracto piramidal, que constitui a via para

iniciar os movimentos coordenados dos

músculos esqueléticos. Na parte caudal do

bulbo, vemos a decussação das pirâmides,

Bulbo:

onde os feixes se cruzam. Identificamos, na

face lateral, a Oliva, uma eminência de

substância cinzenta. Os núcleos grácil e

cuneiforme, posteriores, estabelecem

comunicação entre a medula e o tálamo e

cerebelo.

Do Bulbo, emergem 4 nervos craniais: o

Glossofaríngeo (9º par, misto), o Vago (10º

par, misto), o Acessório (11º par, motor) e o

Hipoglosso (12º par, motor).

10 Situado entre a medula espinhal e a ponte, sua face posterior forma Ventrículo. o chão

11

CEREBELO CEREBELO
CEREBELO
CEREBELO

Está situado no interior da

cavidade craniana (na fossa

cerebelar), inferiormente ao

Localização:

cérebro e posteriormente ao

tronco encefálico. Está

separado do cérebro por

uma prega da dura-máter, a

Funções:

tenda do cerebelo.

Coordenação

dos

movimentos, manutenção

da postura, regulação do

tônus

muscular,

motricidade fina e controle

do equilíbrio.

11 CEREBELO CEREBELO Está situado no interior da cavidade craniana (na fossa cerebelar), inferiormente ao Localização:

Divisões

Anatômicas:

Hemisférios cerebelares direito e esquerdo e uma parte

central denominada vérmis.

11 CEREBELO CEREBELO Está situado no interior da cavidade craniana (na fossa cerebelar), inferiormente ao Localização:

12

Na superfície, o cerebelo apresenta pequenos sulcos

transversais que irão delimitar um nº variado de lâminas

Presença de

Sulcos

Transversais,

Lóbulos e

Fissuras:

que são denominadas folhas do cerebelo. A reunião de

várias folhas vai dar origem a uma área chamada de

lóbulo. Os principais lóbulos do cerebelo são:

quadrangular, semilunar superior, semilunar inferior,

simples. As principais fissuras, que dividem os lóbulos, são

a prima ou primária, a horizontal, e a pós-clival. No

entanto, esta divisão é puramente anatômica.

Funcionalmente, encontramos três divisões no cerebelo:

Divisões

Funcionais:

Lobo Anterior

Lobo Posterior

Lobo Flóculo-

nodular

Ambos os lobos estão relacionados com a

função do movimento.

Relacionado com a função do equilíbrio.

É constituído por um centro de substância branca, o corpo

Constituição:

medular do cerebelo, revestida externamente por uma fina

camada de substância cinzenta, o córtex cerebelar.

13

13 CÉREBRO CÉREBRO O Cérebro é formado por duas vesículas primordiais: o telencéfalo e o diencéfalo
CÉREBRO CÉREBRO
CÉREBRO
CÉREBRO

O Cérebro é formado por duas vesículas primordiais: o telencéfalo e o

diencéfalo. O telencéfalo, por si só, constitui os hemisférios cerebrais, e o

diencéfalo é representado pelas formações nervosas que constituem as

paredes do terceiro ventrículo (ventrículo

médio).

TELENCÉFALO

Funções

Localização:

Corticais:

Cavidade craniana,

Motora, sensitiva e

ocupando 80% da

sensorial.

Divisões

Anatômicas I:

13 CÉREBRO CÉREBRO O Cérebro é formado por duas vesículas primordiais: o telencéfalo e o diencéfalo

mesma.

Hemisfério cerebral direito e esquerdo, separados pela

fissura longitudinal do cérebro, cujo assoalho é formado

por uma larga faixa de fibras, o corpo caloso (principal

meio de união entre os dois hemisférios).

13 CÉREBRO CÉREBRO O Cérebro é formado por duas vesículas primordiais: o telencéfalo e o diencéfalo

14

14 Os hemisférios cerebrais possuem cavidades, os ventrículos laterais Divisões direito e esquerdo (telencéfalo) , que

Os hemisférios cerebrais possuem cavidades, os ventrículos laterais

Divisões

direito e esquerdo (telencéfalo), que se comunicam com o terceiro

Anatômicas

ventrículo (diencéfalo), pelos forames interventriculares. O terceiro

II:

ventrículo se comunica com o quarto ventrículo (rombencéfalo)

através do aqueduto cerebral.

14 Os hemisférios cerebrais possuem cavidades, os ventrículos laterais Divisões direito e esquerdo (telencéfalo) , que

15

O Hipocampo e o fórnix são duas estruturas cerebrais relacionadas

intimamente aos ventrículos laterais. O hipocampo é uma formação

Hipocampo

e Fórnix:

curva e pronunciada, fazendo parte do sistema límbico, com funções

relacionadas ao comportamento e à memória. Está ligado pela fímbria

do hipocampo ao fórnix. O fórnix é um feixe complexo de fibras,

situado abaixo do corpo caloso, que une o corpo do hipocampo ao corpo

mamilar, que são duas eminências pertencentes ao diencéfalo.

15 O Hipocampo e o fórnix são duas estruturas cerebrais relacionadas intimamente aos ventrículos laterais. O

16

Os hemisférios cerebrais apresentam depressões, os sulcos e giros. A

Sulcos e

Giros:

função dos sulcos é delimitar os lobos e giros cerebrais. Os principais

sulcos são: sulco lateral (de Silvius) e o sulco central (de Rolando). Além

destes, encontramos também os sulcos pré-central e pós-central. Os

principais giros são: giro pré-central e pós-central.

16 Os hemisférios cerebrais apresentam depressões, os sulcos e giros. A Sulcos e Giros: função dos
16 Os hemisférios cerebrais apresentam depressões, os sulcos e giros. A Sulcos e Giros: função dos

Os lobos cerebrais recebem sua denominação de acordo com os

ossos do crânio, com os quais se relacionam (excetuando-se o

quinto lobo, a ínsula, situada profundamente ao sulco lateral).

Lobos:

Os lobos são (por cor): frontal (relaciona-se com as áreas

motoras), parietal (relaciona-se com as áreas sensitivas), occipital

(relaciona-se com as áreas da visão), e temporal (relaciona-se

com a audição e memória dos fatos antigos).

16 Os hemisférios cerebrais apresentam depressões, os sulcos e giros. A Sulcos e Giros: função dos
PARIETAL FRONTAL TEMPORAL OCCIPITAL
PARIETAL
FRONTAL
TEMPORAL
OCCIPITAL

17

DIENCÉFALO

Localização

e

Estrutura:

Pode ser comparado a um pequeno

funil, preso superiormente por sua

base entre os hemisférios cerebrais e

por diante dos pedúnculos cerebrais.

Quatro estruturas básicas: o tálamo,

Constituição:

o hipotálamo, o epitálamo e o

subtálamo. Apresenta ainda uma

cavidade: o terceiro ventrículo.

17 DIENCÉFALO Localização e Estrutura: Pode ser comparado a um pequeno funil, preso superiormente por sua

É constituído por duas massas ovóides de substância cinzenta, unidas pela

aderência intertalâmica. Suas extremidades são: tubérculo anterior do

tálamo (anterior) e pulvinar do tálamo (posterior). Apresenta os corpos

geniculados lateral e medial: no lateral, encontramos o Colículo Superior,

que faz parte da via óptica; no medial, encontramos o Colículo Inferior,

Tálamo:

que faz parte da via auditiva.

O Tálamo relaciona-se medialmente com o III Ventrículo, lateralmente

com a Cápsula Interna, superiormente com os Ventrículos Laterais e

Inferiormente com o Hipotálamo e o Subtálamo.

Seus núcleos estão relacionados com o Comportamento Emocional,

Motricidade, Sensibilidade e Ativação do Córtex.

17 DIENCÉFALO Localização e Estrutura: Pode ser comparado a um pequeno funil, preso superiormente por sua

18

Está localizado abaixo do sulco hipotalâmico, que o separa do Tálamo.

Compreende os

Corpos Mamilares

(Eminências de Substância

Cinzenta),

Quiasma Óptico

(Ponto de cruzamento dos Nervos

Ópticos), Túber Cinéreo(Prende a hipófise por meio do Infundíbulo).

Hipotálamo:

Possui as funções de:

Controle do Sistema Nervoso Autônomo Simpático e Parassimpático:

controla o aumento ou diminuição do ritmo cardíaco e pressão

sanguínea, entre outras funções; Regula a temperatura corporal;

Regula o sono e a vigília; Influi no Comportamento emocional;

Regula a diurese; Regula a ingestão de alimentos (centro da sede e da

fome), a ingestão de H 2 0 (Centro da Sede);

Regula o sistema endócrino (Glândula Hipófise).

18 Está localizado abaixo do sulco hipotalâmico, que o separa do Tálamo. Compreende os Corpos Mamilares

Limita posteriormente o III Ventrículo, acima do sulco hipotalâmico.

Possui a glândula Pineal, glândula endócrina de forma piriforme,

Epitálamo:

ímpar e mediana, que repousa sobre o tecto do Mesencéfalo.

Esta

glândula secreta Melatonina, que regula o metabolismo diário, que

interfere do Ritmo Circadiano.

18 Está localizado abaixo do sulco hipotalâmico, que o separa do Tálamo. Compreende os Corpos Mamilares

Compreende a zona de transição entre o Diencéfalo e o Mesencéfalo.

Localiza-se abaixo do Tálamo, sendo limitado lateralmente pela

Cápsula Interna e medialmente pelo Hipotálamo.

Subtálamo:

O elemento mais evidente do Subtálamo é o Núcleo Subtalâmico, que

regula a motricidade somática. Lesões nesse núcleo provocam o

Hemibalismo, que é o funcionamento desordenado das extremidades,

caracterizando-se por movimentos anormais.

19

NÚCLEOS DA BASE

Como núcleos da base, reconhecemos as seguintes estruturas: Núcleo

Constituição:

Caudado, Núcleo Lentiforme, Claustrum e o Corpo Amigdalóide.

Os dois primeiros, por serem parcialmente unidos, constituem o

Corpo Estriado, importante centro regulador da motricidade.

É uma massa alongada, volumosa, composta por substância cinzenta,

Núcleo

Caudado:

relacionada em toda a sua extensão com os ventrículos laterais.

Anteriormente, apresenta uma extremidade dilatada, a cabeça do

núcleo caudado, que se continua gradualmente com o corpo do núcleo

caudado, se afinando para formar a cauda do núcleo caudado.

19 NÚCLEOS DA BASE Como núcleos da base, reconhecemos as seguintes estruturas: Núcleo Constituição: Caudado ,

Situa-se profundamente no interior do hemisfério cerebral, e

relaciona-se medialmente com a cápsula interna, que o separa do

Núcleo

Lentiforme:

núcleo caudado e do tálamo. Relaciona-se lateralmente com o córtex

da ínsula, do qual é separado pelo Claustrum. Divide-se em putâmen

e globo pálido. O putâmen situa-se lateralmente, sendo maior que o

globo pálido.

Claustrum:

Situa-se entre o córtex da ínsula e o núcleo lentiforme, sendo formado

por substância cinzenta.

20

Situa-se no pólo temporal do hemisfério cerebral, também é formada

Corpo

por substância cinzenta.

Possui relação com a cauda do núcleo

Amigdalóide:

caudado.

Faz parte do sistema límbico, sendo importante centro

regulador do comportamento sexual e agressividade.

20 Situa-se no pólo temporal do hemisfério cerebral, também é formada Corpo por substância cinzenta. Possui

MENINGES E LÍQUOR

Meninges são envoltórios de proteção do cérebro, que

Meninges:

apresentam três túnicas ou camadas: dura-máter (mais

externa), aracnóide (intermediária) e pia-máter (mais

interna, intimamente acoplada aos hemisférios cerebrais).

O Líquor é um fluido aquoso e incolor de proteção do

Líquor:

Sistema Nervoso Central, encontrado no espaço

subaracnóideo e nas cavidades ventriculares.

21

SISTEMA NERVOSO

SISTEMA

NERVOSO PERIFÉRICO

PERIFÉRICO

O Sistema Nervoso Periférico é constituído por fibras que

ligam o Sistema Nervoso Central ao receptor (se o impulso

Definição:

for sensitivo) ou ao efetor (se o impulso for motor). É

constituído por Nervos Espinhais (31 pares) e Cranianos

(12 pares), Plexos e Terminações Nervosas.

São os que fazem conexão com a Medula Espinhal, e são

responsáveis pela inervação do tronco, membros e parte da

cabeça. Estão divididos em 8 pares cervicais, 12 torácicos,

Nervos

5 lombares, 5 sacrais e 1 coccígeo, totalizando 31 pares.

Espinhais:

Cada nervo espinhal é constituído por duas raízes: uma

ventral (que é responsável pela inervação dos membros e

da porção ântero-lateral do tronco) e outra dorsal

(inervam pelo e os músculos do dorso).

21 SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO PERIFÉRICO O Sistema Nervoso Periférico é constituído por fibras que

22

É a união de nervos ou ramificações nervosas, constituindo

Plexos

Nervosos:

uma rede que será responsável pela condução da resposta

motora em determinadas regiões. Estas regiões são:

cervical, braquial, lombar e sacrococcígea.

O Plexo Cervical é constituído pelos ramos ventrais de C1

a C4, recebendo um ramo anastomótico de C5. Cada ramo

ventral se anastomosa com o subseqüente, formando as

alças cervicais. Destas alças, formam-se as duas partes do

Plexo

Cervical:

plexo: a superficial e a profunda.

A superficial é predominantemente sensitiva, inervando a

região inferior da cabeça, pescoço e superior do tronco. A

profunda, predominantemente motora, destina-se à

musculatura ântero-lateral do pescoço e ao diafragma,

através do Nervo Frênico.

22 É a união de nervos ou ramificações nervosas, constituindo Plexos Nervosos: uma rede que será

23

O Plexo Braquial fornece os nervos que se dirigem ao membro

superior. É formado pelos ramos ventrais de C5 a T1,

recebendo um ramo anastomótico de T2.

Três troncos:

Superior (C5 e C6), médio (C7) e inferior (C8 e T1).

Plexo

Braquial:

Três fascículos:

Posterior: 3 ramos posteriores de cada tronco;

Lateral: 2 ramos anteriores do tronco superior e médio;

Medial: ramo anterior do tronco inferior.

Nervos:

Fascículo Lateral: Nervo Musculocutâneo e raiz lateral do

Nervo Mediano;

Fascículo Medial: Raiz medial do Nervo Mediano e o Nervo

Ulnar;

Fascículo Posterior: Nervo Axilar e o Nervo Radial.

23 O Plexo Braquial fornece os nervos que se dirigem ao membro superior. É formado pelos

24

O Plexo Lombar fornece os nervos que se dirigem ao membro

inferior e pelve. É formado pelos ramos ventrais de L1 a L4,

recebendo um ramo anastomótico de T12, e dando um ramo ao

plexo sacral.

L1: Recebe o ramo de T12 e se trifurca, formando os nervos

ílio-hipogástrico, ílio-inguinal e a raiz superior do nervo genito-

Plexo

Lombar:

femoral.

L2: Se trifurca, formando a raiz inferior do nervo genito-

femoral, e as raízes superiores dos nervos cutâneo lateral da

coxa e nervo femoral.

L3: Se trifurca, formando a raiz inferior do nervo cutâneo

lateral da coxa, a raiz média do nervo femoral e a raiz superior

do nervo obturatório.

L4: Fornece o ramo anastomótico a L5 e se bifurca, formando

as raízes inferiores dos nervos femoral e obturatório.

24 O Plexo Lombar fornece os nervos que se dirigem ao membro inferior e pelve. É

25

O Plexo Sacral é formado

pelos ramos ventrais de L5,

recebendo um ramo anastomótico de L4, e dos quatro primeiros

nervos sacros (S1 a S4), que emergem pelos forames sacros

Plexo

Sacral e

Coccígeo:

pélvicos.

 

L5: Recebe o ramo de L4 e constitui o tronco lombo-sacral.

Este

se

une com

S1,

S2,

S3

e S4, formando um complexo

nervoso que forma, em última instância, o nervo Isquiático

(Ciático).

Este

nervo é o mais calibroso

e extenso

do corpo

humano.

É constituído por duas porções: o nervo tibial e o

nervo fibular comum, que

se separam

em nível

da região

poplítea.

 

O Plexo Coccígeo é constituído por S5, que recebe um ramo

anastomótico de S4, e por C0. Formam juntos um conjunto de

fibras que conferem sensibilidade à cútis da região do cóccix.

25 O Plexo Sacral é formado pelos ramos ventrais de L5, recebendo um ramo anastomótico de

26

26

27

São os que fazem conexão com o Encéfalo. Sua origem

Nervos

aparente e suas funções básicas são mostradas na tabela e

Cranianos:

esquema abaixo, respectivamente. Formam, ao todo, 12

pares, numerados em alinhamento crânio-caudal.

Par Craniano

Origem aparente no

Origem aparente no

 

Encéfalo

Crânio

I – Olfatório

Bulbo olfatório

Lâmina crivosa – etmóide

 

II

– Óptico

Quiasma Óptico

Canal Óptico

 

III

– Oculomotor

Pedúnculo cerebral

Fissura orbital superior

 

IV – Troclear

Véu medular superior

Fissura orbital superior

 
 

Entre a ponte e o

Fissura

orbital

superior

(oftálmico),

V – Trigêmeo

forame

redondo

(maxilar)

e

forame

pedúnculo cerebelar médio

oval (mandibular)

 

VI

– Abducente

Sulco Bulbo-pontino

Fissura orbital superior

 

VII

– Facial

Idem, lateralmente ao VI

Forame estilomastóide

 

VIII – Vestíbulo-

Idem, lateralmente ao VII

Penetra no osso temporal pelo meato

Coclear

acústico interno

 

IX – Glosso-

Sulco lateral posterior -

Forame Jugular

 

faríngeo

bulbo

X – Vago

Idem, caudalmente ao IX

Forame Jugular

 

XI

– Acessório

Sulco lateral posterior do

Forame Jugular

 

bulbo e medula

 

Sulco lateral anterior -

XII

- Hipoglosso

bulbo

Canal do Hipoglosso

 
27 São os que fazem conexão com o Encéfalo. Sua origem Nervos aparente e suas funções