Anda di halaman 1dari 1

Alm dos aspectos legais, as empresas que decidirem participar do processo eleitor

al devem buscar procedimentos ticos na tomada de decises relacionadas ao financiam


ento de candidatos e partidos polticos. Tradicionalmente, os controladores das em
presas so os responsveis pela deciso de como os recursos devem ser distribudos entre
candidatos e partidos. Os scios e colaboradores dificilmente so consultados, e mu
itas vezes o apoio reflete mais as posies pessoais dos controladores do que os val
ores e princpios das empresas. A consulta aos scios e colaboradores sobre candidat
os e partidos que a empresa deve apoiar no implica, necessariamente, transformar
a deciso desse apoio em algo coletivo. O simples fato de consult-los ajuda a criar
um ambiente socialmente responsvel nas empresas. certo que a separao dos valores e
princpios pessoais dos controladores dos valores e princpios das empresas e, mais
ainda, a transformao dessa dissociao em um novo critrio para a tomada de decises sobr
e aspectos to sensveis como o apoio a determinado partido ou candidato ainda uma a
titude difcil para grande parte dos empresrios. Tambm certo, por outro lado, que, a
o aumentarem a transparncia do processo de tomada de decises, as empresas adquirem
o respeito das pessoas e comunidades que so impactadas por suas atividades e so g
ratificadas com o reconhecimento e engajamento dos seus colaboradores e a prefern
cia dos consumidores, em consonncia com o conceito de responsabilidade social, o
qual, sempre bom lembrar, est se tornando cada vez mais fator de sucesso empresar
ial e abrindo novas perspectivas para a construo de um mundo economicamente mais p
rspero e socialmente mais justo. importante desmistificar a ideia de que poltica u
ma sujeira s e sem
utilidade.