Anda di halaman 1dari 2

Classificação Das Pastilhas de Metal Duro Pela Norma ISO

Enviado por Lucas às 21:35

As
propriedades do metal duro sofrem influências significativas do processo de fabricação e da
mistura dos elementos que formam o material. Como consequência desses dois fatores básicos,
decorrerá a microestrutura, a porosidade e características como a resistência ao desgaste, a
tenacidade e a dureza. As possibilidades quanto à variação de dosagem dos elementos
constituintes é muito grande, tomando um universo bastante amplo. A identificação de cada
produto ou sub-produto seria impraticável, caso não fosse criada uma convenção normalizada.

Com esse objetivo foram criados sistemas de classificação para as qualidades de metal duro, que
restringiriam a amplitude de materiais. Dentre os sistemas criados, os mais utilizados são a
classificação segundo as normas ISO (lnternational Organization for Standardization), que agrupa
os países europeus mais industrializados e o Brasil e as normas ASA (American Standard
Association), que atende ao mercado americano.

A ISO estabelece três campos de aplicação, designados pelas letras maiúsculas, P, M e K. Esses
campos referenciam os tipos de materiais a serem usinados recebendo o nome de grupos de
usinagem.

O ISO P (representado pela cor azul) cobre o campo de aplicação de materiais, que produzem
cavacos longos como os aços carbono e aços de baixa liga.

O campo ISO M (representado pela cor amarela) relaciona principalmente materiais de difícil
usinagem como os aços inoxidáveis, aços fundidos, aços ao manganês e ferro fundido maleável.

O campo ISO K (representado pela cor vermelha) compreende materiais que geram cavacos
curtos (normalmente conhecidos como cavacos de ruptura), como os ferros fundidos cinzentos,
além de não-ferrosos e outros materiais congêneres, como latão e bronze.
O sistema prevê ainda propriedades relevantes para a seleção do material cortante como a
resistência ao desgaste (dureza) e a tenacidade. Dentro da classificação, cada grupo de usinagem
recebe uma graduação numérica segundo as exigências e a severidade da operação. Quanto menor
o valor da graduação, mais duro e resistente ao desgaste será o metal duro daquele grupo de
usinagem. De maneira contrária, quanto maior o valor da graduação maior será a tenacidade do
metal duro dentro do grupo. Pastilhas com uma numeração intermediária, como por exemplo as
pastilhas P25 possuem um equilíbrio entre as duas características, e são aplicáveis na maior parte
dos casos dentro de seu campo de aplicação.

• Classificação das Pastilhas de Metal Duro Segundo a Norma ISO

Ferramentas com elevada tenacidade são indicadas para operações desfavoráveis onde haja
choques mecânicos (cortes interrompidos), pouca estabilidade, etc..., como, por exemplo, desbaste
de roscas, desbaste de eixos com rasgo de chaveta ou peças com ranhuras ou rasgos. Já as
ferramentas mais duras são mais indicadas para operações estáveis em condições de corte
favoráveis, com perfis fáceis de usinar e sem corte interrompido.

Cada qualidade de metal duro é projetada para cobrir um determinado campo de aplicação, que
dentro do quadro de classificação ISO é representado por um símbolo cujo centro indica a área de
aplicação principal. O restante da região coberta pelo símbolo indicará a extensão de abrangência
da classe. Segue abaixo um exemplo dessa representação.