Anda di halaman 1dari 132

Produzido por

Almir Chediak

.1

~
LUMIAR
EDITORA
Songbook 1 AIy Barroso

Volume 1 Volume 2
Ary de todos, meu Ary Dorival Caymmi O Ary- de todos, meu Ary Dorival Caymmi 6
Álbum de família O Entre amigos _.................................................. 8
Ary, o polivalente Sérgio Cabral O Entrevista imaginária Sérgio Cabral 12

MÚSICAS MÚSICAS
A batucada começou . o Anistia __ __ _ __ _ __ _..__ 23
A casta Suzana . O ~Aquarela do Brasil _ . 30
Assobia um samba . O Aquarela mineira _ _ . 26
As três lágrimas . O Aula de música _ _ . 21
A vizinha das vantagens . O Bahia __ _.. __ _. 35
Bahia imortal . O Boneca de piche __ . 37
Brasil moreno . O Caboca __ __ . 39
Caco velho . O Camisa amarela __._ _ _ __ _ . 42
Canta, Maria . O Canção em tom maior _ _ . 44
Carne-seca com Tutu . O Cem por cento brasileira _ ~ __.. 46
Chula-ô . O Cinco horas da manhã _._ . 48
Como "vais" você . O Coisas do carnaval _ _._ . 50
Deixa essa mulher sofrer . O Dá nela _ - - - . 52
Deve ser o meu amor . O De qualquer maneira __._ __ _ _.._ . 57
Duro com duro . O Deixa o mundo falar __ _ . 60
É do balacobaco . O 54
E o samba continua . O ~il~;~:gã~ ..::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::. 62
Eu dei . O . E mentira, oi . 64
Eu quero uma mulher : . O Escrevi um bilhetinho _ . 66
Eu vou pro Maranhão . O Eu nasci no morro . 70
Faceira : . O Eu sonhei _._.._ . 68
Fechei a página . O Faixa de cetim . 73
Foi ela . O Falta um zero no meu ordenado . 76
Folha morta . O Flor tropical _ _._._ _ . 78
Garota colossal . O Forasteiro _ _ ._ . 80
Inquietação . O Grau dez _ . 83
Malandro sofredor . O laiá boneca _ _ . 85
Mês de Maria . O sto aqui o que é . 87
Morena boca de ouro . O aria _ _ . 89
Na Baixa do Sapateiro . O Menina que tem uma pose _ . 92
Na virada da montanha . O Meu amor não me deixou _ . 94
No Rancho Fundo . O Na batucada da vida _ . 98
Nunca mais . O No tabuleiro da baiana _ 101
O amor vem quando a gente não espera . O Novo amor _ _ _ _ . 96
O correio já chegou . O O Brasil há de ganhar . 104
Os quindins de laiá . O Ocultei _._._ _ . 106
Palmeira triste . O Perdão .._ . 112
Quando eu penso na Bahia . O ~Por causa desta cabocla .- . 109
Quero dizer-te adeus . O 'iPra machucar meu coração _.. 114
Rio ~ . O Rancho das namoradas _ . 118
Risque . O 7Rio de Janeiro (Isto é o meu Brasil) . 116
Sem ela . O Salada mista _ . 120
Sobe meu balão . O Segura esta mulher . 122
Trapo de gente . O Sentinela alerta _ . 124
Tu qué tomá meu home . O Terra seca . 126
Upa-upa (Meu trolinho) . O Tu _._ . 130
Vão pro Scala de Milão . O Um samba em Piedade _ 132
Vou à Penha , . O Vamos deixar de intimidade . 134
,'P elos salões arrastando o seu vestido
rendado - Brasil! Brasil!"
conhecia o homem. O querido Ary. Como seria?
Pelo cronista e autor teatral Henrique Pongetti
Era Carmem me fazendo entrar no seu e sua esposa Aída, fui chamado para participar dos
camarim no Casino da Urca. Canta "Brasil! ensaios da peça musical que a primeira-dama dona
Brasil !.... quero ver essa dona caminhando ... Darcy Vargas promoveria todos os anos no
Brasil... Brasil! ... Meu Brasil brasileiro ..." e diz Municipal para obter recursos para a criação e
com aquela sua alegria: manutenção de instituições de proteção a crianças
- Ary está fazendo um samba que é uma desvalidas. Os participantes das peças: amadores
beleza! (cantando) ... "terra de Nosso Senhor! (atores, cantores, músicos, diretores etc.) e gentes
Brasil!" - e o riso famoso mais perto de minha da fina sociedade do Rio. Minha função: ensaiar a
surpresa! - Uma maravilha! Uma beleza, baiano! mais bonita dama do Rio, dona Lucília Noronha,
Eu, aliviado e feliz, penso: Que sorte, Ary esposa do sr. Miguel Barroso do Amaral; ela can-
Barroso e Carmem Miranda fizeram as pazes. Que taria a minha canção O mar.
alívio. Eu, novato e desinformado, me culpando Ensaio, à tarde no Teatro Municipal; Radamés
no caso do filme Banana da terra. rege a grande orquestra e entra o Candido Botelho
Eu não conhecia o consagrado Ary Barroso de (cantor de rádio, teatro e da alta sociedade) que
tantos sucessos; no chamado "meio de ano" e começa cantando - "Brasil! Meu Brasil
nosso saudoso carnaval; aqueles carnavais. Não brasileiro! Meu mulato inzoneiro ... !"
Fomos colegas da Rádio Tupi mas ele sempre Stella Tostes Caymmi, minha mulher e minha can-
muito ocupado - jornalismo esportivo, produção, tora preferida e parenta do querido e admirado Ary
programa, calouros ... sempre em movimento, Barroso.
muito ocupado. Fui ver meu Ary na casa de saúde.
- Papo madrugada ... Ary ... Caymmi ... Dei um beijo nele; saí.
Copacabana . Deus é mais!
- Nós somos parentes, sabia?
- Essa não, Ary!
- Sim; na casa do Major, o primo Candinho
tava sempre lá, Yvonne o trata de primo, parente ...
eu também: são Arantes, são Tostes ... de Minas. Dorival Caymmi
- Minha mulher Stella, filha de Candinho, Rio, 25 - Nov. - 1994 (Sexta-feira)
sim, ela me fala, sim. Veja o que é o destino!
Francisco Alves - gravação - a primeira da
gloriosa Aquarela do Brasil.
Sabem de quem é aquela voz linda que está no
coro, cantando "Brasil! Brasil! Pra mim!" ...
sabem? Não; não é? Pois é Stella Maris depois,
Entre 'amigos

1, o time
de futebol em Ubá, o goleiro Ary no centro,
de óculos, 1918.
2. Ary com a seleção brasileira de futebol,
1937.

3. Ary com Mário Lago,


década de 40.

4. Ary Barroso
com Lupiscínio Rodrigues,
1946.

5. Ary com o amigo Alvaro, parceiro da música Kekereke, década de 40.


6. Ary com Carmem
Miranda e Max
Gordon, EUA, década de
40. 8. 3' ida de Ary para os EUA, com os amigos no navio Brasil, 1949.
9. Ary com a atriz Vivian Blaine, EUA, 1944.
7. Ary e Mary Anderson,
EUA,1944.
Entre amigos
1. Ary com o cantor Edson Lopes, 1953.
2. Ary com Manuel Bandeira, década de 50.
3. Ary com a atriz Heloísa Helena, 1958.

4. Ary com os amigos Sílvio Caldas, Floriano


Faissal e Fernando Lobo, década de 50. -
5. Ary com Fernando Lobo, década de 50.
6. Ary com o cantor Ernani Filho, Argentina,
década de 50.
7. Ary Barroso e a cantora Luciane Franco,
1960.

8. Ary com Dircinha


Batista, década
de 50.

9. Ary com o time do Bangu no México.


Em destaque de camisa branca o zagueiro
Zózimo, 1958.

9
Songbook o AIy Barroso

Entrevista
Imaginária I Ary Barroso
sta' "entrevista" foi baseada em

E pronunciamentos feitos por Ary


Barroso em artigos, crônicas,
reportagens e até mesmo em entre-
vistas que concedeu durante a sua
longa e vitoriosa carreira. Nada do que
é atribuído a ele neste trabalho foi
inventado. Recuperando confissões,
conceitos e desabafos do grande com-
positor, radialista, jornalista, homem de
televisão, boêmio, vereador durante
quatro anos e chefe de farnília, acredi-
tamos oferecer ao leitor a oportunidade
de conhecer melhor uma figura de forte
personalidade, amante da polêmica,
ciclotímico em 'matéria de humor e
sempre muito franco. A palavra, por-
tanto, está com Ary Barroso:

SÉRGIO CABRAL - Os mineiros


dizem que você, nascido em Minas
Gerais, preferiu ser cidadão carioca e
compositor baiano.
ARY BARROSO - Eu fiz a Aquarela
de Minas Gerais, mas os mineiros não
deram a menor importância.
SÉRGIO - Então, por que você Ary Barroso, Rio,1959.
compôs tantas músicas para a Bahia?
ARY - Outro erro em que incidem é o SÉRGIO - Por sinal, Antônio Maria das prescrições médicas: fumar, no
de suporem que descobri musicalmente anda dizendo que você está rico. máximo, 10 cigarros por dia (eu fumo
a Bahia. Não é verdade. Eu é que me ARY - Para Antônio Maria ler: três maços) e evitar preocupações
descobri na Bahia. Os seus ritmos, os possuo um automóvel Chevrolet, sérias (ando cheio delas). Posso tomar
seus candomblés, as suas capoeiras, sua modelo 1953, cujo acabei de pagar há scotch puro, moderadamente (bebo
gente, em geral, foram uma revelação dois meses mais ou menos (foram 20 com soda e quase sem moderação). E
para mim. Fiquei de tal modo prestações), um rádio, uma televisão, daí?
impressionado que o jeito foi um piano, uma geladeira, trens de SÉRGIO - Está, pelo menos,
exteriorizar a minha admiração através cozinha, tapetes, meu busto de bronze fumando menos?
da música. ARY - Só eu sei quanto tenho
SÉRGIO - Soube que você ganha Um smoking sofrido.
muito dinheiro com direitos autorais. É para pagar SÉRGIO - Mas você está resolvido a
verdade? deixar de fumar?
ARY - Tenho, pelo menos, 15
em cinco vezes
ARY - Ando fumando
músicas executadas diariamente no (presente de amigos como Simões de exageradamente. Tenho ensaiado
Brasil inteiro: Aquarela do Brasil, Na Castro), algumas garrafas de scotch diminuir o fumo. Fico no ensaio. Não
Baixa do Sapateiro, No Rancho Fundo, (que acabarão), uns temos, um smoking tenho o que se chama força de vontade.
Faceira, Maria, Morena boca de ouro, novinho que mandei fazer para pagar Além do mais, quem deixa de fumar
Tu, Por causa desta cabocla, Brasil em cinco vezes ... que mais? A casa assim, de estalo, desanda a engordar
moreno, No tabuleiro da baiana, onde vivo, um pequeno sítio em que não pára mais. Lamartine Babo
Boneca de piche, Terra seca, Ocultei, Araras, dois lotes no Vale do Sol e engordou. Carlos Frias engordou.
Maria das Dores, Risque, além de duas posses em Gramacho, que não me Quem me fez ficar de boca aberta foi o
outras menos popularizadas. Com tudo pertencem mas aos meus filhos Flávio Geysa Bôscoli. Era tão magro quanto o
isto, ganho uma média de Cr$ 19 mil. e Mariúza. Gostou? Héber de Bôscoli. Agora está enorme.
Há colegas, sem esse repertório, que SÉRGIO - E a saúde como vai? Engordou 16 quilos! Não fuma nem
tiram de Cr$ 30 mil a Cr$ 40 mil. Tá? ARY - Fui ao cardiologista. Trecho bebe mais o seu chopezinho. Engordou

12
Songbook o Ary Barroso

Ary com Radamés Gnattali, Jorge Curi, Sílvio Caldas e Femando Lobo, Rio, década de 50.

13
Songbook o Ary Barroso
FOTOS ARQU!YQ MAR lUZA BARROSQ

Angela Maria e Ary, comemorando o tricampeonato do Flamengo, i955 Ary e Araci de A1meida, Rio, 1953

tanto que começou a fazer regime para ARY - Para quem vive cheirando SÉRGIO - E tem saído?
emagrecer. Fico, pois, nesse dilema gasolina queimada, para quem vive ARY - Foi o que fiz. Fugi na noite
terrível: fumo ou não fumo. Fumando, comendo picadinho em boates, para triste de Finados e me embrenhei pelo
como estou, prejudico-me; deixando de quem sente o dever de trabalhar mato adentro. Fui ao Madrigal. Um
fumar, engordarei como um balão. O diariamente em busca de notícias, para silêncio saudável. Silêncio de coisas
melhor é deixar como está para ver quem passa as noites ouvindo as vivas. Silêncio das águas crespas do
como é que fica. mesmas músicas, vendo as mesmas lago. Silêncio com cheiro de mel
SÉRGIO - Vai continuar fumando? caras, conversando os mesmos silvestre que reconforta os pulmões. E,
ARY - Tem dia que chego a não assuntos, para quem é incorrigível se não houver silêncio, há o canto do
comprar nem um macinho. Não sabiá. Há o sussurro do vento
consigo, é besteira. Vocês querem
Fugi brincando com o leque dos coqueiros.
ajudar-me? Que devo fazer? na noite triste Há o marulho do rio que continua
SÉRGIO - É verdade que você vai querendo abrir caminho entre as pedras
operar o estômago?
de finados que algum cataclisma antiqüérrimo
ARY - Meu médico, além de me espectador da Yanity-fair, película jogou no seu caminho. Há o dia longo
aconselhar uma operação, me pediu os seriada que já não provoca tantas que começa às oito horas e acaba às 18,
.seguintes exames: radiografia seriada emoções, para quem a monotonia dos ou mais tarde, à vontade do sol. Há
do estômago e do duodeno, hemograma elogios mútuos anda gerando a também um biriba familiar, pretexto
de Shilling, azo temia, proteínas monotonia da vida, para quem vai ao para os homens se divertirem e as
parciais e totais, ovos, parasitas. Jirau, ao Sacha's, do Farolito ao mulheres aprenderem a contar. Sai cada
Positivamente, virei laboratório. Beguin, do Beguin ao Jirau, do Jirauao briga! E, depois, há o sono-sono, sem
SÉRGIO - De vez em quando você se Sacha's e, às vezes, à cama, para quem pílulas, sem pulgas e com dois
recupera em seu sítio de Araras, o vive no Rio, afinal, sair, de vez em cobertores. Agora, voltei. Voltei e
Madrigal. quando, é bom. estou aqui. Continuemos. Não há

14
Soogbook o Ary Barroso

- Ary, Aloísio de Oliveira e Haroldo Barbosa. Entre eles a primeira mulher de Aloísio, 1948

remédio. Meus amigos, bom dia! cantora, o barman, a dose raquítica de gelo, se prefere água mineral ou clube-
SÉRGIO - Você é um grande uísque, o preço gordíssimo, aves soda. Nada disso. Saber beber é
boêmio, um homem da noite. Continua noturnas tresnoitadas. Vazio, o bar conservar a sua personalidade depois
freqüentando as boates do Rio? parece o corredor da Santa Casa. do quinto scotch. Admite-se mesmo
ARY - Pergunto: há vida noturna no Cheio, pouca diferença de um mercado que o bebedor fique mais falante,
Rio de Janeiro? Se vida noturna é de peixe: gritaria. O carioca não sabe excessivamente gentil, ou que não fale
freqüentar os mesmos bares, correr os conversar baixinho. E a fumaceira? Os com ninguém, limitando-se a dialogar
mesmos restaurantes, ver as mesmas olhos ardem até as lágrimas. E o consigo próprio ou com um
caras, ouvir os mesmos cantores com freguês chatíssirno que nos abraça personagem qualquer, invisível. Quem
as mesmas músicas, assistir aos não sabe beber fica chato, valente,
mesmos shows, discutir os mesmos Saber beber grosseiro, barulhento, brigador, quando
assuntos - se vida noturna é isso, a não é coisa não dá para insultar os garçons ou para
vida noturna carioca é formidável. quebrar copos. Corro dessa gente como
Entra ano, sai ano, é a mesma. De vez
assim tão fácil
o diabo da cruz. Infelizmente, os maus
em quando, aparecem um Lido, uma vigorosamente oito vezes e nos conta a bebedores andam proliferando.
Amália Rodrigues, um Sílvio Caldas ou mesma história quatro? SÉRGIO - Você é muito assediado
uma Elizeth Cardoso. Passaram SÉRGIO - É gente que não sabe na noite?
depressa e tudo retoma à tranqüilidade beber. ARY - Estou com um amigo,
clássica. ARY - Saber beber não é coisa assim tranqüilamente, tomando o meu scotch,
SÉRGIO - Quer dizer que é tudo tão fácil. Pode-se mesmo aquilatar a lá no canto do bar. Chega um camarada
igual? classe do boêmio observando a sua que nunca vi mais gordo e começa:
ARY - As variações são mínimas. maneira de beber. Não se trata de saber "Ary, você não me conhece. No
Tudo escurinho. Já se sabe que o amor se ele pega o copo assim, se bebe tudo entretanto (sic), vim falar com você
adora meia-luz. Um pianista, uma de uma vez, se gosta de mais ou menos assim mesmo, para lhe perguntar por

15
Songbook o Ary Barroso
FOTOS ARQUIVO MARJUZA BARROSO

que você é tão grosseiro com os


calouros." Tenho uma explicação, mas
o camarada não deixa e prossegue:
"Aliás, a opinião de muita gente é que
você não passa de um sujeito
pretensioso." Começo a me
impacientar. E tome: "Com um ar de
celebridade, não dando pelota a
ninguém etc. etc." Olho o relógio, vou
pedindo a conta, vou-me desculpando
com toda humildade, deixando uma
explicação rápida, e caio fora.

Minhas noites
estão ficando
muito chatas
SÉRGIO - Para onde você vai?
ARY - Vou para outro bar. Logo na
entrada, sou interceptado por outro
desconhecido, já um pouquinho alto.
Agarra na gola do meu paletó, leva-me
bem junto dele e grita dentro do meu
ouvido. O homem quer saber se me
lembro dele, de uma vez, no Teatro
Alhambra, quando ele assistiu à revista
Segura esta mulher. Quero dizer algo,
mas o camarada não deixa: "Você ficou
importante. Não liga mais para os
pequenos." Com jeito, consigo
desembaraçar-me das mãos do
desconhecido. Outra desculpa ... e rua!
SÉRGIO - Gente famosa como você - .
está sempre enfrentando essas coisas. Ary Barroso e Vi lia-Lobos, condecorados com a Ordem Nacional do Mérito, 1955
ARY - Noutro dia, foi uma senhora.
Em pleno restaurante (eu comia meu toque. É horrível. Araújo, o rei da embolada.
franguinho), saiu lá do seu conforto, SÉRGIO - O que é que você ARY - É assim que o Manezinho
agachou-se à minha frente (sim, consome na noite? Araújo come ~arapatel: espalha o
senhores, agachou-sei) e queria, a todo ARY - Não bebo coquetel de sarapatel no prato. Cobre com boa
custo, que eu cantasse (sim, senhores, . qualidade nenhuma. Gosto de um gim- camada de farinha de mandioca.
que eu cantasse!) Camisa amarela. Não tônica pela manhã. Só bebo uísque com Quantidade suportável de pimenta ... e
há quem agüente! Não cantei e a soda e, assim mesmo, depois das 19 manda! Para acompanhar, cerveja
senhora voltou à sua-mesa dizendo que horas. Detesto champanhe. Não gosto gelada. Dá até água na boca.
eu não passava de um "orgulhoso" e de "abrideiras". Só tomo uma espécie SÉRGIO - Você andou gripado. Já
que fiquei assim depois que me. está bom?
condecoraram. Que me dizem os Gosto de um ARY - Tomei café com cafiaspirina,
amigos? De minha parte, juro que sou - gim-tônica cabeça no travesseiro, cobertor em
u~ homem de paciência requintada. O cima e pé na tábua. Três horas mais
diabo é que minhas noites estão ficando
pela manhã tarde, estava bom. A gripe não arranjou
muito chatas. de sopa: pavesa. Gosto de frango, nada comigo. O uísque conserva os
SÉRGIO - E ainda têm aquelas inteiro, quente, para comer com a mão. corpos mortos, quanto mais os vivos.
pessoas que pedem para você tocar Cerveja, só preta, para misturar com o SÉRGIO - Se o uísque for de boa
piano. chope em taça grande. Não gosto de procedência ...
ARY - Aviso importante: quando comer sozinho. Quando não tenho ARY - Ainda se vende uísque
estou matando tempo num bar, só vou fome, é só apreciar Antônio Maria que falsificado nesta cidade. São uns
ao piano quando quero. Não estou ali a fome aparece. ladrões! Cobram os olhos da cara e
para divertir ninguém. De forma que, SÉRGIO - Outro comilão que deve ainda nos arrebentam o estômago e a
por favor, não insistam para que eu abrir o apetite dos outros é Manezinho cabeça com as suas porcarias. Por onde

16
Songbook o Ary Barroso

Dorival Caymmi, Vinicius de Moraes e Ary Barroso entre amigos, década de 60

anda a Saúde Pública que ainda não cabelos esticados brilhando. Quando, seu feitio artístico, dificilmente será
deu incertas em algumas casas da periodicamente, dava um pulo no Elite, superada.
noite? A ganância dos inescrupulosos era mais compositor e compreendia SÉRGIO - Dos novos compositores,
não tem limites. Será que os bares e melhor o sentido exato do samba com de quem você está gostando?
boates são territórios interditados à telecoteco. A música de boate convida ARY - Bárbaro esse Antonio Carlos
ação das autoridades? à melancolia. A música de gafieira Jobiml O homem compõe de fato.
SÉRGIO - Como você consegue espanta as mágoas e é mais Brasil. Vou SÉRGIO - E dos cantores novos?
trabalhar tanto, se passa as noites lá. Mas vou todo! Depois eu conto. ARY - João Gilberto é um cantor que
bebendo nas boates? SÉRGIO - Diga-me o nome de uma me tem impressionado muito.
ARY - Vou dar uma receita SÉRGIO - Pelo visto, você gosta da
admirável. É ótima para quem bebe A música Bossa Nova.
diariamente ou para quem tem medo de de gafieira ARY - No Brasil, a Bossa Nova fez
beber por causa do fígado: extrato sucesso mas não enpolgou as massas.
fluido de boldo, 30 gramas; extrato
é mais Brasil Fez sucesso na interpretação de alguns
fluido de jurubeba, 30 gramas. Uma cantora que você goste. dos seus expoentes. Mas ninguém
colher de chá pela manhã e outra à ARY - Elizeth - refiro-me à ainda canta ou assobia a Bossa Nova
noite. Bom proveito. Cardoso. Artista de raça. Voz nos bondes. Um amba desse estilo,
SÉRGIO - Você gosta da música que suavíssima e convincente. Note-se um porém, foi bem recebido pelas massas:
as boates estão tocando? certo alheamento de Elizeth por essa A felicidade, de Tom Jobim e Vinicius
ARY - Amanhã irei a uma gafieira. coisa importante que se chama de Moraes. Nenhum outro repetiu esse
Preciso ver aqueles pares sambando. O repertório. Quando Elizeth se dedicar à êxito. A Bossa Nova prossegue
mestre-sala manobrando. O trombone seleção de um repertório de categoria, circunscrita a certas áreas, enquanto os
chorando. A cerveja entornando. Os de acordo com as suas emoções e com campeões de vendagem de discos no

17
Songbook o Ary Barroso

Ary com a cantora mexicana Maria Antonieta Pons, México, 1953 Ary e Carmem Miranda, EUA, 1944

Brasil ainda são Adelino Moreira, SoviéticalEstados Unidos/Cuba, a Agora, ao receber a condecoração, fico
Nélson Gonçalves e Orlando Dias. Palma de Ouro conferida ao filme O pensando que estou vivendo os
SÉRGIO - Qual o problema da pagador de promessas, em Cannes, e o melhores dias de minha vida. Se o
Bossa Nova? novo prêmio conferido ao mesmo filme Itamaraty achou que mereço a medalha,
ARY - Não é porque a Bossa Nova em São Francisco, Califórnia. Por que é porque, de alguma maneira, fiz
seja de má qualidade e, sim, porque não haveremos também de ganhar alguma coisa por minha terra.
avançou demais no tempo. Está a algumas vitórias internas, a começar SÉRGIO - Por que você deixou de
alguns quilômetros na frente do povo. pela batalha da música popular? compor músicas para o carnaval?
SÉRGIO - Mas ela está brigando SÉRGIO - O que foi que você disse ARY - Já estou cansado de explicar
para se impor. para o presidente Café Filho, quando os motivos pelos quais me retirei do
ARY - Na verdade, não é só a Bossa chamado páreo carnavalesco. Em
Nova que está lutando por um lugar ao Um poeta como respeito ao meu patrimônio artístico e
sol. É toda a música popular que vem Vinicius pode até aos meus cabelos brancos, recolhi-me e
sendo passada para trás pelo twist e não penso em voltar. Salvo se o
pelo chá-chá-chá. Eu ficaria tranqüilo
me beijar ambiente sofrer radical filtragem, coisa
se as minhas músicas fossem ele o condecorou com a Ordem que não acredito.
ignoradas, não em benefício da música Nacional do Mérito? SÉRGIO - Yinicius de Moraes voltou
estrangeira, mas da Bossa Nova, que, ARY - O samba subiu muito, da Europa. Já esteve com ele?
pelo menos, nada tem de exótica. presidente. ARY - Até que enfim consegui botar
SÉRGIO - O rádio toca muita SÉRGIO - Qual foi a sua reação os olhos no Vinicius. No ameno
música estrangeira. quando soube que iria ser Vinicius de Moraes. Está a mesma
ARY - Temos vencidomuitas condecorado? coisa. Abraçou-me, deu-me um beijo.
batalhas no exterior: o bicampeonato ARY - No princípio, eu estava Um poeta como Vinicius pode até me
de futebol, a vitória da mediação pessimista, pois sempre achei a Ordem beijar. Tomara que ele me pegue
brasileira na guerra fria União do Mérito uma coisa muito séria. poesia. Está "sorvendo" direitinho.

18
Songbook o Ary Barroso

,

Ary, Walt Disney e Adalgisa Nery, EUA, década de 40

Iremos ter noites magníficas. pronunciar Rua da Assembléia." pedaços, o tronco varonil. As raízes
SÉRGIO - Como um legítimo SÉRGIO - Você é um pioneiro não ainda fortes o bastante para suportar O
carioca, embora nascido em Minas apenas na música popular e no rádio. peso de mais de dois séculos. As outras
Gerais, o que você acha dessas Como vereador, foi de sua autoria um duas irmãs da morta aguardam, de
mudanças de nomes de rua? projeto criando a coleta seletiva de galhos abertos, em prece, a sua hora. O
ARY - Já houve até uma tentativa de lixo, um tema que só seria discutido 40 homem é uma besta!
mudar o nome da Rua da Assembléia anos mais tarde. Além disso, você se SÉRGIO - Dorival Caymmi já voltou
para República do Peru. O desinteresse preocupou com a ecologia, quando de sua temporada paulista. Já esteve
do público foi tão grande que o ninguém usava esta palavra. com ele?
Executivo se viu obrigado a recolocar a ARY - Para deixar à vista o cortiço ARY - Ainda não botei as botucas no
placa "Rua da Assembléia" e dar a uma Dorival Caymmi, desde que retomou
rua de Copacabana o nome de o sacrificio ao lar antigo. Façamos uma idéia de
República do Peru. Antes dis o, chegou de uma árvore como estará: mais gordinho, cabelos
ao Rio um coestaduano meu. Na branquinhos, bem queimado (o sol de
esquina da Rua da Assembléia com a
de 300 anos
São Paulo queima à traição), de bom
Avenida Rio Branco, indagou de um mais ignóbil que já se construiu nesta humor, com roupa nova e alguns
português que passava na ocasião: "O pobre terra, ali onde era o Hotel dos sambas magníficos. Quero vê-io. Me
senhor pode me dizer onde fica a Rua Estrangeiros, a prefeitura permitiu que telefona, Dó!
da Assembléia?" O português se sacrificasse uma árvore de 300 anos, SÉRGIO - Ary Barroso, para
respondeu: "Ora, rapaz, a Rua da que dava sombra, que tinha ninhos, que terminar, quero fazer a seguinte
Assembléia fica exatamente aqui." foi testemunha de acontecimentos declaração: você não morre nunca.
Disse, então, o mineiro: "Mas ali está empolgantes da vida brasileira, ARY - Sou eterno porque Deus me
escrito Rua República do Peru." inclusive o assassinato de Pinheiro quis assim.
Resposta do português: "Está escrito Machado. Gente cega! Gente
Rua República do Peru para se impiedosa! Lá está debruçado, em

19
Songbook O Ary Barroso

Ary Barroso no
maracanã irradiando
futebol com sua
famosa gairinha,
década de 50.

20
Songbook o Ary Barroso

Aula de música
ARYBARROSO

D7 G7 Bb Ab A7(b13)

C6 t Dm t C/E t F6 t C/E / C#o / Dm / / A7* Dm t A7/E t Dm/F t


Dó Ré Mi Fá Só, minha vida eu le--vo a cantar Ré Mi Fá

GO t Dm / D#Ü / C/E D#Ü C/E E7 Am / / / Em / / /


Sol Pois já can-sei de sofrer e pe-nar E que a since-rida-de Ho-je em

F6 / / / C6 A7 D7 G7 C6 t Dm t C/E t F6 t C/E / D7 G7
di--a é chamada co-vardi--a Dó Ré Mi Fá Pe-nei por-que te amei

C6 / / E7 Am / / / Bb / / / Ab / / / C/G / / /
Quem já gostou na vi---da, E sua alma feri---da Procura a-Iegrar

A7(b13)/ A7 /D7/// G7 / / / C6 t t t Am / /
Pe ga a via Ia E a aI-ma assim conso-Ia Lá ra ra ra ra ra ra Eu que

/ Bb / / / Ab / / / C/G / / / A7(b13)/ A7/ D7 / / /


tive um amor Falso e traidor Muito já chorei A gora can to

G7 / / / C6 t t t
Porque meu mal espan--to Por isso agora eu te-nho ...

21
Songbook O Ary Barroso

Aula de música

1 1 1 1
C6 t Dm t CIE t F6 t CIE

I~; J
* ~
* 1
~
*
~
~*~
1 1 1
Dm Dm A7 * Dm t A71E t Dm/F t GO t
~
§E~~~~
I~ *
~
* * * *
Dm CIE D#O CIE E7 Am

ij
*
Em F6 C6 A7 D7 G7

ttr~f~~· ;mo
1 1 1
Dm t CIE t F6 t CIE D7 G7

ij
*
~ ~~~~~*~~r
*
C6 C6 E7 Am

Jij
C/G A 7(~13) A7

G7 C6 t
~'-/ D.e

Copyright by MANGIONE, FILHOS & CIA. LTOA.


Rua do Ouvidor, 183/1° andar - Rio de Janeiro - Brasil
Todos os direitos reservados para todos os países do mundo - Ali rights reserved.

22
Songbook o Ary Barroso

Anistia
ARYBARROSO

F#m7(b5) B7(b9) Em7 A7(9)

m / / D7(9) G6 / / G7 F#7 / / / Bm7 F#7/C# D/F#


Anisti a Anisti a Nos três dias de foli a Seu doutor

G6 / C#7/G# / D/A D7/A C#7/G# C7/G F#m7(bS) / B7(b9)


não faça isso, por favor Na prisão, basta só meu

/ Em7
Por is-so
/
é que eu
A7(9) / m / / D7(9) G6 / / G7 F#7 / / /
co-ração peço Anisti a Anisti a Nos três dias de

Bm7 F#7/C# Bm/D D/F# G6 / C#7/G# / D/A / B7(b9) /


foli a Seu doutor não faça isso, por favor Na prisão,

Em7 /
basta
A7(9)
só meu co-ração
/ m / / G7 F#7 /
Passo a
/
vida no
/ /
baten-te Ali,
/
rente,
/
somente

/ / / / / Bm/D F#7/C# Bm7 B/A Em/G / /


por----que sei Que o trabalho é na-tural Seu doutor quero ir

G#<' D/A Am6/C B7 / E7(9) / / / A7 / A7(#S)


simbo ra É hora, lá fora co-meçou Minha festa, o car-naval Ai, seu doutor

/ m / / D7(9) G6 / / G7 F#7 / / / Bm7 F#7/C# G6


Anisti a Anisti a Nos três dias de foli a doutor não

23
Songbook o Ary Barroso

/ C#7/G# / D/A / B7(b9) / Em7 / A7(9) / D69 / / G7


faça isso, por favor Na prisão, basta só meu co-ração

F#7 / / / / / / / / / / /
Meu amor tá me es-peran--do E chorando, passando um pierrô Que comprei à pres-tação

Bm/D F#7/C# Bm7 B/A Em/G / / G#o D/A Am6/C B7


Seu doutor, por pi---eda de É mal-dade essa grade

/ E7(9) / / / A7 / A7(#5) / m/ / D7(9) G6 / / G7 F#7


se-parar De mim o meu co-ração Anisti--a Anisti a Nos

/ / Bm7 F#7/C# Bm/D D/F# G6 / C#7/G# / D/A /


três dias de foli a Seu doutor não faça isso, por favor

B7(b9) / Em7 / A7(9)


meu
/
co--ração
m
Na prisão, basta só

D7(9) G6 G6 G7

~
ij J ~

F~7 B m7 F~7/C~ BmID D/F~ G6

~~~ ~~. ~ê)J ~~. §


C#7/G~ I ~/A D 7/A C~7/G# C 7/G F~m7(b5) B 7(b9)

~~~I~~~
Em7 A7(9) II ~/A B 7(b9) E m7

~~~I*~~
Songbook o Ary Barroso

B m7 B/A EmlG EmlG G~o D/A Am6/C B7

~~~~I*~~

ªA'~
E7(9) A7 A 7(~5)

(direto casa 2)
e -(j)-

D~

Copyright by IRMÃOS VIT ALE SI A I DÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. lnternational Copyright Secured.

25
Songbook o Ary Barroso

Aquarela mineira
ARYBARROSO

Eb~ Bbl(9) Bb7(b9) Eb/G GbO Fm7 C7(b9) F7(13)

F7(b13) Gm7 C7(9) Fm7(9) E7(9) Bbm7 Eb7(9) Eb7(b9)

Ab7M Ab6 Abm6 Db7(9) Fm6 Bb/ Ab Gm7(bS)

wlIllitl 9 I 11111
F#o C7(#9) F7(9) Bb7(13) Eb6 Cm7(1l) Cb7(#1l)

Bbm7(1l) A7(#11) AO BO F7(b9) Bbm

Gb/Bb Bbm6 Cm7 Cm7(bS) F7/ C Dbm7 Gb7(13)

26
Songbook o Ary Barroso

Eb~ / Bb~(9) Bb7(b9) Eb~ / Bb~(9) Bb7(b9)


_ e--gras, redondas de gor das Le-vando a comi-da Dos negros sua dos Dos negros

Eb/G / cs- / Fm7 / C7(b9) / Fm7 / C7(b9) /


.:ansa-dos de ca-pinar Ba--te o monjolo A cadên cia do milho

Fm7 / C7(b9) / F7(13) F7(b13) Bb~(9) Bb7(b9)


soca do "Moleque, olha o ga-do, ainda está no curral! Põe pra

Gm7 C7(9) Fm7(9) E7(9) Eb~ / Bb~(9) Bb7(b9) Eb~ /


pastar!" Ro---da o engenho de ca na, de cana caia--na É de

Bb~(9) Bb7(b9) Bbm7 / Eb7(9) Eb7(b9) Ab7M / Ab6 /


manhãnzi nha A vida come ça na fa-zenda da Barri nha

Abm6 / Db7(9) / Eb/G / Gbo I Fm6 / Bb/Ab


Mi nas Gerais Oh, meu Minas Gerais! Se eu pudesse voltar

I Gm7(bS) / C7(b9) / Ab6 / C7(b9) /


a trinta anos a-trás Tocava os meus bo-is Fumava escondi do entre os cafezais

Fm7 I FitO / Eb/G C7(#9) F7(9) Bb7(13) Eb6 / / / Eb7(9) I /


Oh, tempi-nho bom que não vol ta ma--is

/ / / / / / / / / / / / / Bbm7 / Eb7(9) / Ab7M / Ab6 / Bbm7 / Eb7(9) / Cm7(1l) Cb7(#11)

Bbm7(ll) A7(#1l) Ab6/ AO / Bbm7 / Eb7(9) / Ab6/C /


Em Minas Gerais tem Tem fer ro, tem ouro,

BO / Bbm7 / F7(b9) / Bbm / Gb/Bb / Bbm6 /


tu-tu Tem ga-do ze-bú Tem também umas toa das AI-ma

Gb/Bb / Bbm6 / Eb7(b9) / Cm7 F7(b9) Bbm7 Eb7(b9) Cm7(bS)


so-nora das quebra das Encanto das noites de luar E

/ F7(b9) / Bbm7 / F7/C / Dbm7 / Gb7(13) G7(13) Ab6


a histó ria do Brasil Tem muitas páginas herói---cas,

/ Db7 / Cm7 / B7 / Bbm7 / Dbm6 / Cm7 F7(b9)


i-mortais Escri--tas com sangue minei ro Salve o meu Esta do de

Bb7 Eb7(b9) E/D / / / / / / / / / / Eb/Db Ab6/C / / Eb/Db Ab6/C


Mi--nas Gerais!

~;_. Ebg Bb~(9) Bb7(b9) Ebg Bb~(9) Bb7(b9) Eb/G

Fm7 C 7(b9) Fm7 C 7(b9)

27
Songbook o Ary Barroso

-~~~~*~
Fm7 C 7(~9) Gm7 C7(9)

F m7(9) E 7(9)

n~m7 E~7(9) E~7(~9) A~7M A~m6

~~ .. ~@ 1"

D~7(9) E~/G G~o F m6 n~/A~

~J12M~~
G m7(~5) C7(~9) A~6 C7(~9) Fm7

~~~I~" ~~ .. ~~
F# o Eb/G F 7(9) B~7(13) Eb6
instrumental

~~~2~~
Eb7(9)

n~m7 Eb7(9) C m7(11) d7(#11)

n~m7(11) A 7(#11) A~6 AO B~m7 E~7(9)

Ei=$, *
~ 1"
~
v~~~~§?§ ~ .. ~ g 'I~

28
Songbook o Ary Barroso

BO B~m7 F7(~9) B~m

B~m6 B~m6

C m7 F7(~9) B~m7 Eb7(~9) Cm7(~5) F7(~9) Bbm7

_~~I* J" ~~J ~~

"~.. ~~Ym
F7/C D~m7 Gb7(13) G7(13) Ab6 Db7

Cm7 B7 B~m7 Dbm6 Cm7 F7(~9)

Vª~~.€t

Fade Ou!

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. International Copyright Secured.

29
Songbook o Ary Barroso

Aquarela do Brasil
ARYBARROSO

E6 EU D7(9) C#7(9) C#7(b9) F#m7 B7(9)

E7M B~(9) B7(9) E E(#5) F#m F#m(#5)

Am7 F#7(13) F#7(b13) B~ (b9)

Vl9111
E6 / / / / / / / EO / / / / / / / E6 / / / / / / /
Bra-sil Meu Brasil bra-silei-ro Meu mulato in-zonei-ro Vou cantar-te nos meus

D7(9) / C#7(9) C#7(b9) F#m7 / B7(9) / F#m7 / B7(9) / F#m7 /


ver sos O Brasil, samba que dá Bamboleio que faz gingar O Brasil,

B7(9) / F#m7 / B7(9) / E7M / E6 / B~ (9) / B7(9) / E7M / E6 /


do meu amor Terra de Nosso Senhor Brasil Brasil Pra

J J
B~ (9) / B7(9) / E6 E E(#5) E6 E E#(5) E6 E E(#5) E6
mim Pra rrurn

n J n J
E E(#5) E6 E E(#5) E6 E E(#5) E6 E E(#5) F#m F#m F#m (#5)
Ah, abre a cor--ti--na do pas--sado

J J J J
F#m6 F#m F#m(#5) F#m6 F#m F#m(#5) F#m6 F#m F#m(#5) F#m6 F#m F#m(#5)
Tira a Mãe Pre ta do ser--rado

J. j,--,Jl")~J
F#m6 F#m F#m(#5) B7 / / / E7M / E6 / B~ (9) / B7(9) /
Bota o Rei Con-go no conga--do Brasil

30
Songbook o Ary Barroso

E7M E7 D#7 D7 C#7 I D7 I C#7 I D7 I C#7 I D7 I C#7


Pra mim Dei--xa cantar de no-vo o tro-vador À

I D7 I C#7 I D7 I C#7 I C#7(b9) I F#m I D/F#


me-rencó--ria luz da lu--a Toda canção do meu amor

I F#m6 I D/F# I Am7 I I I D7(9) I I I E6 I F#m7 I E7M/G#


Quero ver a Sá Do-na ca-minhan---do Pelos

I C#7(b9) I F#7(13) I F#7(b13) I B~ (9) I (b9) m I E7M I E6 I


salões ar-rastan do O seu ves-tido renda do Brasil

BH9) I B7(9) I E7M I E6 I BH9) I B7(9) I E7M I I I I I I I E6


Brasil Pra mim Pra rrurn Bra-sil

I I I I I I I EO IIII I I I E6 IIII I I I D7(9) I


Terra boa e gosto-sa Da morena sestro-sa De olhar in-discre to

. C#7(9) C#7(b9) F#m7 I B7(9) I F#m7 I B7(9) I F#m7 I B7(9)


O Brasil, samba que dá Bamboleio que faz gingar O Brasil, do

I F#m7 I B7(9) I E7M I E6 I B~ (9) I B7(9) I E7M I E6 I


meu amor Terra de Nosso Senhor Brasil Pra mim

J n
B~ (9) I B7(9) I E6 E E(#5) E6 E E (#5) E6 E E(#5) E6 E E(#5) E6
Pra mim Pra num

E E(#5) E6 E E(#5) E6 E E(#5) E6 E E(#5) F#m F#m F#m(#5) F#m6 F#m F#m(#5) F#m6
esse co-quei-ro que dá co-co

J
F#m F#m(#5) F#m6 F#m F#m(#5) F#m6 F#m F#m(#5) F#m6 F#m F#m(#5) B7
Onde eu a mar--ro a mi-nha re---de Nas

I I I E7M I E6 I m (9) I B7(9) I E7M E7 D#7 D7 C#7 I D7


noi-tes ela-ras de luar Brasil Pra mim Ah,

I C#7 I D7 I C#7 I D7 I C#7 I D7 I


ouve es-sas fon--tes mur-muran--tes Ah, on-de eu ma--to a mi-nha

C#7 I D7 I C#7 I C#7(b9) I F#m I D/F# I F#m6 I D/F# I Am7


se-de E on-de a lu a vem brincar Ah,

I I I D7(9) I I I E6 I F#m7 I E7M/ G# I C#7(b9)


este Brasil lindo e triguei--ro É o meu Brasil

I F#7(13) I F#7(b13) I m (9) I B~ (b9) I E7M I E6 I BH9) I


bra-silei ro Terra de samba e pandei--ro Brasil

B7(9) I E7M I E6 I m (9) I B7(9) I E7M


Brasil Pra mim Pra mim

31
Songbook O Ary Barroso

Aquarela do Brasil

~E6 EO

~!q D'If~~~~I~
E6

D7(9) C~7(9) C#7(b9) F#m7

-~*~~~(-~j ~
B 7(9) F#m7 B 7(9) F~m7 B 7(9)

~~

B7(9) E7M E6 Bá(9)

~~~I~ y ~§' ~~
E7M E6 B á(9) B 7(9)
~ rr>.

~
I * y ~
I~ y ~

E6
n n n-i'---" 1
E E (#5) E6
~
E E (#5) E6
n n~~
E E (#5) E6 E E (#5) E6

- I....J
E6
1
E
~
n nn-i E(#5)
I

E6
~
E E(#5)
'---"
I
1
E6
n nn-i
E E(#5)
I

E6 E
~
E(#5)
.I
I....J
F#m

~~ (Te _
\J1 n n fTl_) n n~fTi~

~~~~-
F~m F#m F#m(#5) F#m6 F#m F#m(#5) F#m6 F#m F#m(#5) F#m6 F#m F#m(#5)F~m6

32
Songbook o Ary Barroso

J
F#m6
n n~r
1 1,-/
F~m F#m(~5) F#m6 F#m F#m(#S) B7 E 7M

~P _~ •• ~

m~..~~~~~
B7(9) E7M E7 D7

_ ~ y ~~) ~~I *~1


~~[~--:.----......
C#7 D7 C#7 D7 C#7

D7 C#7 D7 C#7 D7

~~~~ .. ~~~

E6 F#m7

-
F#7(~13) B~(9) B~(~9) E7M E6

~.. ~ªI*~ô{~
:
B 7(9) E7M E6 B ~(9)
r--.

I ô{ §§f I ô{
* *
~)

_~* m~~~~~~I~~
B 7(9)
-$- E7M

~1 ~"t~fjAo%e-$-
33
Songbook o Ary Barroso

• E7M E6

y
TI~(9) TI7(9)

y
~

I I
~ * ~
* ~

E7M E6 TI~(9) TI7(9)


~

I y t y
~ * ~ * ~
Fade Out

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. lntemational Copyright Secured.

34
Songbook o Ary Barroso

Bahia
ARYBARROSO

G7 C7 F6 D7 Gm7

G7 I C7 F6 I I I G7 I C7 I F6 I I I
Bahi--a, ter-ra do coco ba-baq:ú Bahi--a, que tem rnu-queca e umbú

D7 I I I Gm7 I I I G7 I I
Baia--na tem mandin-ga Ba-iana tem feiti----ço Eu sou da Bahi--a E mereço um

I C7 I C7(#5) I G7 I C7 I F6 I I I G7 I
sacrifí--cio Bahi--a, ter-ra do coco ba-baçú Bahi--a, que tem

C7 I F6 I I I D7 I I I Gm7 I I I
mu-queca e umbú Baia--na tem mandin-ga Ba-iana tem feiti-ço Eu sou da

G7 I I I C7 I I I G7/B C/Bb F/A Abo


Bahi--a E mereço um sacrifí----cio Quem da Ba-hia ti-ver sauda de Pega o

Gm7 C7 F6 D7 I I Gm7 I G7 I
pan-deiro e cai no cho--ro Roda o tundá, bota a chine--la Cai num desa-fio Integrando o

C7 I G7/B C/Bb F/A Abo Gm7 C7 F6 D7


co--ro Ter-ra do jongo e do batu--que A batu-car nas noi--tes de Reis Eu

I I Gm7 I F6 C7 F6 I
pra Bahia hei de voltar Juro por Deus E não tem tal-vez

35
Songbook o Ary Barroso
Bahia

G7 C7 F6

G7 C7 F6 D7

Gm7 G7

Gm7 C7 F6 D7 D7 Gm7 G7

~.§c._
~

C7 G7/B C/Bb FIA Gm7 C7 F6 D7

D7 Gm7 F6 C7 F6

Copyright by ARY BARROSO.


Todos os direitos reservados para todos os países do mundo - Ali rights reserved.

36
Songbook o Ary Barroso

Boneca de piche
ARY BARROSO E LUIZ IGLÉSIAS

D Bb D(#5) D6 G6 A7

1IIImel Bm7 Em D7M B7

1ill111111
D Bb D / / D(#5) D6 /
Venho da-nado com meus quen-te Quase enforcado no meu colari--nho Venho

G6 I / / A7 I D / A7/E A7
empur-rando quase toda a gen-te Eh! Eh! PIa ver o meu benzi-nho Pra ver o meu

D / A7/E A7 D / / Bb D /
benzi-nho PIa ver o meu benzi-nho Nego tu vem quase num arran-co Cheio de

I D(#5) D6 I G6 I I / A7 I
dedo dentro dessas lu--va Bem que o di-tado diz: "nego de bran-co Eh! Eh! É sinar de

D / A7/E A7 D / A7/E A7 D / Bm7 / Em / I


chu-va É si-nar de chu-va É si-nar de chu-va" Da cor do aze-viche

B7/D# Em / A7 I D7M I D A7/E D/ B7 I Em / I B7/D# Em / A7 /


Da ja-boti-caba Bo-ne-ca de piche É tu que me

B7 / A7/E A7 D / A7/E
aca--ba Sou preto e meu gos to Nin-guém me contes-ta Mas há muito bran co Com

A7 D / A7/E A7 D / A7/E
pinta na tes-ta Sou preto e meu gos to Nin-guém me contes-ta Mas há muito bran co

A7 D / I Bb D / / D(#5)
Com pinta na tes-ta Tem português assim nas minhas á-gua Que culpa eu tenho de sê bo-a

D6 / G6 I / / A7 / D
mula--ta Nego, se tu borrece as minhas má-goa Eh! Eh! Eu te dou a ia-ta Eu te

A7 D I A7/E A7 D I / Bb D /
dou a ia-ta Eu te dou a ia-ta Não me farseia, ó mui-é cana-ia Se tu me

/ D(#5) D6 / G6 / / / A7 / D /
engana vai ha-ver banzé Eu te sa-peco dois rabo-de-arra-ia Eh! Eh! E te piso o pé

A7 DI A7/E A7 D / Bm7 / Em / / B7/D# Em /


te piso o pé E te piso o pé Da cor do aze-viche Da

A7 / D7M / D A7/E D I B7 / Em / / B7/D# Em I A7 I B7 /


ja-boti-caba Bo-ne-ca de piche Sou eu que te aca--ba Tu é preto

37
Songbook o Ary Barroso

A7/E A7 D / A7/E A7 D
e teu gos to Nin-guém te contes-ta Mas há muito bran co Com pinta na tes-ta Tu é

/ A7/E A7 D / A7/E A7 D
preto e teu gos to Nin-guém te contes-ta Mas há muito bran co Com pinta na tes-ta

%D B~ D D D (#5) D6

~il_
G6 A7 D A7/E A7

~~.*ê~
D A 7tE A7 I' D Ir;:;-- Bm7

~. ~ ~. l~ê. ~J m~~
Em Em B71D# Em A7 D7M

.,I
I
* ~

D A 7/E D B7 Em Em B71D#

A 7/E A7 D A 7/E A7 D

A7/E A7 D

Copyright by IRMÃOS VIT ALE SI A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
ALIrights reserved. lntemational Copyright Secured.

38
Songbook o Ary Barroso

Caboca
ARY BARROSO E JOSÉ CARLOS BURLE

Ab6 AO Db7 C7 Fm7 Bb7 Eb7

Eb6 Abm6 GbO Gm7(b5) Fí

VI 1mfi I ml I I I
i vi i)i ml i wi i
Introdução: I AO I Eb/Bb
Ab6 Db7 C7 I Fm7 I Bb7 I Eb7 I I I Ab6 I AO I Eb/Bb Db7 C7 I Fm7 I
Bb7 I Eb6 Abm6 Eb6 I

Eb6 I GbO Bb7/F Eb6 I GbO Bb7/F Eb6 I


Cabo-----ca Quando os teus o-lhos me olha--ram E teus braços me abraça--ram

GbO I Fm7 I Bbm/Db C7 Fm7 I Gm7(b5) C7 Fm7 I


Quase que me enlou-queci Cabo-----ca Da bo ca chei--a de viço

C7 I F7 I I I Bb7 III Eb7 I I


Me pu-seste um tal feiti---ço Que nunca mais te esqueci Cabo-----ca Fugi pro meio

I I I I I I I I I Ab6 C7/G Fm7 I Abm/Cb


do ma-to Sem saber que teu retra-to Trazi-a no cora---ção Cabo ca

I I I Eb/Bb I C7 I Fm7 I Bb7


Que nas curvas do cami nho As cur-vas do teu cor--pinho Me vi-nham à

I Eb6 I I Eb7 Ab6 I C7/G I Fm7 I Cm/Eb


imagi-nação Cabo-----ca Sapo-ti de sei-va for--te Das ma tas virgens

I Bbm/Db I F7/C I Bbm7 F7/ A Bbm7 I DbUVFb I I


do Nor te Perfu-madas co-mo quê Cabo ca Caboca

I Ab7M I Ab6 Fm7 Bb7 I I I Bbm7 I Eb7(#5)


simpli-cida de Nem mes--mo a-qui na ci-dade Posso de ti me esquecer

III Ab6 I C7/G I Fm7 I Cm/Eb I Bbm/Db


Cabo-----ca Juro por Nos-sa Senho--ra Que por este mun-do afo ra

39
Songbook o Ary Barroso

F7/C / Bbm7 F7/ A Bbm7 / Dbm/Fb / /


Coisa i-gual não po-de haver Cabo ca É o Brasil bem

/ Ab7M / Ab6 Fm7 Bb7 / Eb7 / Ab6


bra-silei ro Brasil ver-de, hospita-Ieiro Que des-cubro em você

Eb6 Eb6 Gbo Bb7/F Eb6 Gbo Bb7/F

~im;~~·~

Gm7(~5) C7 Fm7 C7 F7

~.~
---./

Ab6 C7/G Fm7

~. ~~r ~ij~? ~

Eb7 Ab6 C7/G

~§~I~~~q~
40
Songbook o Ary Barroso

Fm7 F7/C B~m7 F7/A

n~m7 Fm7

I ~~7 B~m7 E~7(ls) i

_. ~~~fr~~I:~y~

Copyright by IRMÃOS VIT ALE SI A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. International Copyright Secured.

41
Songbook O Ary Barroso

Camisa amarela
ARYBARROSO

Bb7M(9) Ab7(9) Gm7 Db7(9) Cm7(9) F7(13) F7

Bb~ Dm/ A Am7 C7(b9) F7M F/ A Ab" C7(9)

I II I I milti I
F7(#5) Bb~ (9) Bb7(9) Bb7(b9) Eb7M(9) Eb~ G7

C~ (9) C#" E" Dm7 Bb6 Db" Cm7

Bb7M(9) Ab7(9) Gm7 Db7(9) Cm7(9) / F7(13) / Cm7(9)


Encon-trei o meu pe-daço na Ave-nida de ca-misa amare Ia Can-tando a Florisbe Ia,

/ F7/A F7 Bb~ Dm/A Gm7 F7(13) Bb7M(9) Am7 Gm7


oi! A Florisbe--Ia Convi-dei-o a vol-tar pra ca--sa

C7(b9) F7M / F/A Abo Gm7 / C7(9) /


em minha companhi--a Exi-biu-me um sor-riso de iro-nia E desapare-ceu no turbilhão da

Cm7(9) / F7(#5) / Bb~ (9) / Bb7(9) / Bb~ (9) Bb7(b9)


GaIe-ria Não estava nada bom O meu pedaço, na ver-dade, es-tava bem

Eb7M(9) / Eb~ / G7/D / G7 / C~ (9)


ma-mado Bem chumbado, atraves-sado Foi por aí carnbale-ando Se acabando num cor-dão

/ C7(9) / C#O EO GO Dm7 Ab7(9)


Com um reco-reco na mão Mais tarde, o encon-trei num ca-fé Zur-rapa do Largo da

G7(b9) / C~ (9) C7(9) Cm7(9) F7(13) Bb6 DbO Cm7 F7(#5) Bb7M(9)
Lapa Folião de raça Be-bendo o quinto copo de cacha~a Vol-tou

Ab7(9) Gm7 Db7(9) Cm7(9) / F7(13) / Cn0(9) / F7/A


às sete horas da ma-nhã Mas, só na quarta-fei ra Can-tando a Jardinei ra, oil

F7 Bb~ Dm/ A Gm7 F7(13) Bb7M(9) Am7 Gm7


A Jardinei--ra Me pe-diu, ainda zonzo, um copo d'água com

42
Songbook o Ary Barroso

C7(b9) F7M / F/A Abo Gm7 / C7(9) C7(b9)


i-carbona--to o meu pe-daço estava ruim de fato Pois caiu na cama e não ti-rou nem

Cm7(9) / F7(#5) / Bb~ (9) / Bb7(9) / Bb~ (9) Bb7(b9)


o sa-pato~ E roncou uma se-mana Despertou mal-hurno-rado E quis bri-gar

Eb7M(9) / Eb~ / G7/D / G7 /


co-migo Que perigo! Mas não ligo O meu pedaço me do-mina, me fascina Ele é o

C~ (9) / C7(9) / C#O EO GO C#O Dm7 Ab7(9)


tal Por isso, não levo a mal Pe-gou a ca-misa A ca-misa ama-rela E o-tou fogo

G7(b9) / CX(9) C7(9) Cm7(9) F7(13) Bb6 / F7(#5)


nela Gosto dele as-sim Pas-sada a brinca-deira Ele é pra mim (Meu Senhor do Bon-fim)

B~7M(9) A~7(9) G m7 Dh(9) C m7(9) F7(13) C m7(9)

.;r';--_
F7/A F7 DrnJA Gm7 F7(13) B~7M(9) Am7 Gm7 C 7(~9)

F7M FIA Gm7 C 7(9) Cm7(9)

F7(~5) n~~(9) nh(9) nb~(9) nb7(~9) Eb7M(9)

~~} ~

G7/D G7 C 7(9)

~~ ..

Ilcm7(9) F7(13)

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. International Copyright Secured.

43
Songbook o Ary Barroso

Canção em tom maior


ARYBARROSO

C B7(b13) Gm/Bb A7 Dm7 Dm/c G7/B

19111111
E7 Am7 Gm7 C7(b9) F6

Iltlllrll A7(b 13) Fm6 D#" Ab7M Db7M

c / B7(b13) / Gm/Bb / A7 / Dm7 / Dm/c / G7/B


Eis a-qui uma can~ão em tom mai-or Pra can-tar toda a ale-gria de vi-ver

F/A G7 G~ C / Dm7 / C/E / Em/B C/Bb F/A /


Pra can-tar um certo a-mor Que é a ra-zão do meu so-frer Uma dor que não

Dm7 / ·Fm/Ab / G7 / C / B7(b13) / Gm/Bb / A7 / Dm7


mal-trata E que é boa de do-er Melo-dia harmoni-zada ao natu-ral Escu-tando a

/ E7 / Am7 / Gm7 C7(b9) F6 / / / F#O /


voz do mestre uni ver-sal, o cora~ão Em quatro tempos se marca O com-passo ideal da

/ / C7M/G / Gm/Bb / A7(b13) / A7 / Dm7/ F6 /


canção Como em quatro tempos vivemos a vi da In=-terpreta-ção simples da

Fm6 / G7 / C / A7(b13) / Dm7 C G7/B / C / B7(b13) / Gm/Bb /


vi---da La-ra la-ra la-ra la-ra Eis a-qui uma can~ão em tom mai-or

A7 / Dm7 / / / D#O / / / C B7(b13) Gm/~ Dm7


Pra can-tar esse po-ema que é meu bem Pra vi-ver com o meu bem

/ G7 / C / / / Dm7 / G7
Mais nin-guém

44
Songbook o Ary Barroso

*i~~· ~
B 7(~13) GmIB~ A 7 Dm7 Dmle G7fB FIA G7 G~
3

§. ~~

~
e Dm7 elE / EmIB efB~ FIA Dm7 FmlA~ G7

e B 7(~13) GmIB~ A 7 Dm7 E7 Am7 / Gm7 e7(~9)

F6 e7M1G GmIB~ A 7(~13) A7

Dm7 F6 Fm6 G7 e A 7(~13) Dm7 e G7fB /

e B 7(~13) GmIB~ A7 Dm7

e B 7(~13) G mIB~ A 7 G7 e G7

A~7M D~7M e
.c Pf rei: 1"(( pc [f II
1* *

Copyright by EDIÇÕES EUTERPE LTDA.


Rua Sete de Setembro, 98/3° andar - Rio de Janeiro - Brasil
Todos os direitos reservados para todos os países do mundo - Ali rights reserved.

45
Songbook o Ary Barroso

Cem por cento brasileira


ARYBARROSO

E6 F#m7 B7(9) E7M G#rn7

IIIII
E6 / / / F#m7 / / / B7(9) / / / E6 / / / / /
Lá no sul do meu pa-ís Tem uma mo-re-na valente como quê Quê, quê Quê, quê Cem

/ / F#m7 / / / B7(9) / / / E6 / / / F#m7


por cento bras i-I eira Gaúcha triguei ra, esse ano é pra vo-cê Pacatapá, é pra vo-cê

/ B7(9) / E6 / / / F#m7 / B7(9) / E6 / B7(9) / E7M /


Pacatapá, é pra vo-cê Pacatapá, é pra vo-cê Pacata pá, é pra vo-cê Mi--nuano

/ F#m7/ / / G#m7/ / / A7M / / / C#7 / / /


quando pas-sa Zunindo na vi-dra-ça A gente perde a gra-ça Pois não é sopa, não Pra gaúcha

F#m7 / B7(9) / E/G# / C#7(b9) / F#m7 / B7(9) / E6 /


boa Minu-ano é coisa à toa Puxa o vento e ela en-toa A chimar-rita ao vio-lão Pu-xa o

C#7(b9) / F#m7 / B7(9) / E6


vento e ela en-toa A chimar-rita ao vio-lão

E6 F#m7 B 7(9)

E6 F#m7

~
B 7(9)
7
1

*- E6 F#m7
(C
B 7(9)

46
Songbook o Ary Barroso

--~~~
E6 F#m7 B 7(9) E6 B 7(9)

.§.-
~ F#m7 G#m7

~~-
A 7M C#7 F#m7 B 7(9)

E/G~ C#7(~9) F#m7 B 7(9) E6 C#7(~9)


.

F# m7 B 7(9) E6 B 7(9)

E6 B 7(9) E6

B 7(9) E6 B 7(9)

~~f~rr~~~~~11 D.e.

Copyright by IRMÃos VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
AlI rights reserved. International Copyright Secured.

47
Songbook o AIy Barroso

Cinco horas da manhã


ARYBARROSO

E6 B7 F' G#7

I III ~m
E6 I B7 I E6 I I I I I FO I B7/F# I B7 I G#7 / I
São cinco horas da manhã O sol já vem raian do Mari--a tá em casa

I C#m7 I I I F#7 I I I B7 I I I
me es-peran do Eu vou-me embo----ra· É ho--ra do corpo des-cansar Sou

F#m/A / B7 I E6 III B7 I I I E6 III


boê mio, mas não quero me a-cabar Mari--a, minha boa com-panhei--ra Não

G#7 I I I C#7 I I C#/B F#m/A I B7 I E6 I


dor me enquanto eu não che go Sou boê mio e Ma-ria re---conhe----ce Por

C#7 I F#7 I I I B7 I I I
isso não me a-borre---ce (É ho-ra) Vou-me embo ra

B 7/F# B7 G#7 C#m7

.~ij~'1_. <:>
'1

~~-
F#7 B7 F#m/A B7

48 /'>:
Songbook o Ary Barroso

E6 B7 E6

_~.
~*
I~*
~1_-* ~:rm

-~~~~~:~
E6 C~7 F~7 B7

Copyright by IRMÃOS VITAL E S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. InternationaI Copyright Secured.

49
Songbook O Ary Barroso

Coisas do carnaval
ARYBARROSO

D7(9) Dm7 Bm7(b5) E7(b9) G7(13) G7(b13) C7(9)


C~

F6 Fm6 Em7 A7(13) A7(b13) Dm7(9) G7(#S)

III Ilml 9
C6 EbO G7/D G7 C6 EbO G7/D G7
Eu encon-trei uma ba-iana bran--~ca De braço com um pa-lhaço lá na Galeri---;a Eu vi uma

C6 EbO G7/D G7 C6 Ebo G7/D G7 Am


holan-desa que era u-ma bele---za Sam-bando com um ca-reca tipo caresti---a Fazendo chopp

Am7 Am6 F7M/A Am Am7 Am6 F7~A Am


duplo. na barra ca Eu vi uma Su-zana mesmo da fuzar-----ca Ten-do por compa-nheiro

Am7 D7(9) / Dm7/ G7 / C6 Ebo G7/D G7


Um velho gaitei ro Breve contra fo-li---a Passou por mim uma ci-gana ra ra Que era

C6 Ebo G7/D G7 C6 Ebo G7/D G7


(I+~Sa-fio ao meu com-portamen to Adi-ante se encon-traram ela e o complemen to E-Ie

C6 Ebo G7/D G7 Am Am7 Am6 F7M/A


fantasi-ado com jei-tão de ara ra O que me fez vir á-gua na bo-----ca Foi essa coisa

Am Am7 Am6 F7M/A Am Am7 D7(9) / Dm7


louca que pas-so a contar Eu VI um more-não ali no Serrador Lutar com um a-mor

/ G7 / Bm7(bS) / E7(b9) / Am7 / Ebo / Dm7 /


A tal mo-rena era um desaca to It ali era ma--to Pu-lava, sambava,

G7(13) G7(b13) C~ / C7(9) / F6 / Fm6 / Em7 / A7(13)


gin-gava e de-sacata.---va Quando falei com e--Ia, meu Deus, que de-cep-ção!

A7(b13) D7(9) / / / Dm7(9) G7(13) G7(#S)


A tal mo-rena se denomina-va O que? Quincas Pe-roba Chisto d'Assunção

50
Songbook o Ary Barroso

% C6 Ebo G7/D G7 C6 Ebo G7/D G7

1*; 1

C6 G7/D G7 C6 G7/D G7

Am Am7 Am6 F7M1A Am Am7 Am6 F7M1A

B m7(bS) E7(b9) Am7

Dm7 G7(13) G7(b13) C~ C7(9)

Fm6 Em7 A 7(13) A 7(b13) D7(9)

fE~'~~l~'
D m7(9) G 7(13) C~ G 7(#5)

~~1~AO%

Copyright by ARY BARROSO.


Todos os direitos reservados para todos os países do mundo - Ali rights reserved.

51
Songbook o Ary Barroso

Dá nela
ARYBARROSO

nl rol IVI I I ml I
C6 C#" G6/D Em7 A7 D7 G6

G7 G/F C/E Cm/Eb G/D E7 Am7

llilllll
Introdução: C6 I I C#<' G6/D I Em7 I A7 I D7 I G6 / G7 I C6 I I C#<' G6/D I Em7 I A7 I D7 I G6 I

G6 I I I I I D7 I I I Ii I I G6 I I I I I I I
Esta mulher há muito tempo me pro-voca Dá nela, dá ne-Ia É perigosa, fala mais que pata

D7 Ii I Ii I I G6 I G/F IC/E I Cm/Eb I G/D I E7 I Am7 I D7 I


choca Dá nela, dá ne-Ia Fa-Ia, língua de .tra-po Pois da tua boca eu não

G6 I G/F I C/E I Cm/Eb I G/D I E7 I Am7 I D7 I G6 I I I


es-ca-po Fa-Ia, língua de tra-po Pois da tua boca eu não es-ca-po

C6 I I C#<' G6/D I Em7 I A7 I D7 I G6 I G7 I C6 I I C#<' G6/D I Em7 I A7 I D7 I G6 I I I


Agora

I I I I D7 I I I Ii I I G6 I I I I I I I D7 I I I
deu para falar aberta-mente Dá nela, dá ne-la É intrigante, tem veneno e mata a gen-te Dá

II I I G6 I G/ F I C/E I Cm/Eb I G/D I E7 I Am7 I D7 I G6 I


nela, dá ne-la Fa-Ia, língua de tra-po Pois da tua boca eu não es-ca-po

G/F I C/E I Cm/Eb I G/D I E7 I Am7 I D7 I G6 I I I


Fa-Ia, língua de tra-po Pois da tua boca eu não es-ca-po

G6 G7 C6 C6 C#o G6/D Em7

rrn~~~~,-~~~
52
Songbook o Ary Barroso

A7 D7 G6 G6
voz

D7 G6

J I : f a J I : f ~ J :~

GIF CIE CmIE~ GID E7

~
J J
~ r
Am7 A7 D7 G6

Copyright by ARY BARROSO.


Todos os direitos reservados para todos os países do mundo - Ali rights reserved.

53
Songbook o Ary Barroso

Diz que dão


ARYBARROSO

D6 E7(9) A7(13) D7 G6

1Iltllm G#" A#O Bm7 Em7(9)

D6 / / B7/D# E7(9) / A7(13) /


As morenas bonitas do meu rincão Oi, diz que dão, dão, dão Oi, diz que dão, dão

E7(9) / A7(13) / D6 / / B7/D#


Oi, diz que dão, dão, dão Oi, diz que dão, dão As morenas bonitas do meu rincão

E7(9) / A7(13) / E7(9) / A7(13)


Oi, diz que dão, dão, dão Oi, diz que dão, dão Oi, diz que dão, dão, dão Oi, diz

/ D6 / / B7/D# E7(9) / A7(13)


que dão, dão Um abracinho só Oi, diz que dão, dão Oi, diz que dão, dão, dão Oi,

/ D6 / B7/D# / E7(9) /
diz que dão, dão Oi, um beijinho só Oi, diz que dão, dão Oi, diz que dão, dão,

A7(13) / D6 / / B7/D# E7(9)


dão Oi, diz que dão, dão Oi, um carinho só Oi, diz que dão, dão Oi, diz que

/ A7(13) / D6 / / / D7 / / /
dão, dão, dão Oi, diz que dão, dão Quando é dia de domin--go As morenas bonitas

/ / / / / / / / G6 / / / / /
Se anu-mam Se apru-mam Se perfu-mam E vão ver os na-mora dos Cada ban--co

G#O / F#m/A A#O Bm7 / / / E7(9) /


de pra-ça Cada canto de jardim Tem um par amoroso aconchegadi---nho Ai, meu Deus

A7(13) / D6 / B7/D# / E7(9) /


quem me dera ter um cari--nho Ai meu Deus como é bom! Ai meu Deus como é

A7(13) / D6 / / B7/D# / E7(9) / A7(13) / D6


bom se viver assim! Oi, skidindin-dim oi, skidindim Oi, skidindin-dim skidindim Oi,

/ B7/D# / E7(9) / A7(13) / D6


skidindin-dim ai, skidindim Oi, skidindin-dim skidindim

54
Songbook o Ary Barroso

D6 D6 B71D~ E 7(9) A 7(13) E 7(9)

A 7(13) D6 D6 B 71D~ E 7(9) A 7(13)

D6 B71D~ E7(9) A 7(13) D6

A 7(13)

D7

F#mlA Ar Bm7 E7(9) A 7(13)

D6 B71D# E 7(9) A 7(13) D6

B71D# E 7(9) A 7(13) D6 B71D#

55
Songbook O Ary Barroso

E 7(9) A 7(13) ~ D6 D6 B71D~ E 7(9)

A 7(13) E7(9) A 7(13) D6

_*l~~O~
D6 B71D~ E7(9) A 7(13) D6

J ~
~ D6 B71D~ Em7(9) A 7(13) D6

~1~=ij~*~

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. International Copyright Secured.

56
Songbook o Ary Barroso

De qualquer maneira
ARY BARROSO E NOEL ROSA

C/A C/G Bb7 C7M Eb" Dm C#"

III 11m I rui


G7(#5) C6 C7 F6 A7 Dm7 C/Bb

m um I IIII
Introdução: Fm6 / / / C/E / A7/C# / D7 / G7 / C C/B C/A C/G

C / / Bb7 C7M / / Bb7 C7M / C/E


Quem tudo olha quase na---da en-xerga Quem não quebra se enver--ga A favor

Ebo Dm / / C#O Dm / C#O / Dm / C#o


do ven--to Eu não sou perfei--to Sei que tenho de pecar Mas ar-ranjo

/ Dm / G7(#5) / C6 / G7(#5) / C / / Bb7


sem-pre jei--to De me des culpar Eu lá na Penha agora vou

C7M / / / C7 / / / F6 / / /
esti fa Mas não vou como um cafi--fa Que foi lá desa-catar Mas a força

Fm6 / / / C/E / A7/C# / D7 / G7


fa lha Ele teve um tris-te fim Agre-dido à nava--lha Na porta de um

/ C C/B C/A C/G C / A7 / Dm7 / / / G7


bo-tequim Pra ver a minha santa pa-droei--ra Eu vou à Pe--nha

/ / / C C/B C/A C/G C / A7 / Dm7 / / /


De qualquer manei--ra Pra ver a minha santa pa-droei---ra Eu vou à

G7 / / / C C/B C/A C/G C / / Bb7


Pe--nha De qualquer manei--ra Faz hoje um mês que eu fui naque--Ie

C7M / / Bb7 C7M / C/E Ebo Dm / / C#O Dm


mor--ro E a Jujú pediu socor ro Lá da ri--bancei--ra Toda ma-chuca-da

/ C#O / Dm / C#O / Dm / G7(#5) /


Satu--rada de panca---da Que apa--nhou do seu mula--to Por con tar

57
Songbook O Ary Barroso

C6 / G7(#5) / C / / Bb7 C7M / / / C7


boa--to Meu coração bateu à to-da pres---sa E eu fiz uma promes--sa

/ / / F6 / / / Fm6 / / / C/E /
Pra mulata não morrer Pe-la padroei---ra Ela foi bem con-templa da

A7/C# / D7 / G7 / C C/B C/A C/G C


Levan tou do chão cura--da Saiu sam-bando faguei--ra Pra ver a

/ A7 / Dm7 / / / G7 / / / C C/B C/A C/G


minha santa pa--droei---ra Eu vou à Pe--nha De qualquer manei--ra

C / A7 / Dm7 / / / G7 / / / C C/B
Pra ver a minha santa pa--droei---ra Eu vou à Pe--nha De qualquer manei--ra

C/A C/G C / / Bb7 C7M / / Bb7 C7M


Eu vou à Penha de qualquer manei ra Pois não é por brin---cadei---ra

/ C/E Ebo Dm / / C#O Dm / C#o / Dm /


Que se faz promes--sa E o tal mula--to Para não entrar na le--nha Fez

C#O / Dm / G7(#5) / C6 / G7(#5) / C /


co---migo um contra--to pra su-mir da Pe--nha Quem faz acordo não

Bb7 C7M / / / C7 / / / F6 / / /
tem i--nimi--go A mulata vai comi--go Carregando o vi-olão E com devoção

Fm6 / / / C/E / A7/C# / D7 / G7


Junto à santa mi-lagrei---ra Vai can-tar meu sam-ba pro--sa Nu-ma pri--meira

/ C C/B C/Bb / Fm6 / / / C/E / A7/C# / D7 / G7 / C


au--dição

Fm6 CIE A 7/C#


& intro

l~i~1{9~.
D7 G7 C cm C/A C/G ~ C
voz ~

~
"1
1[~ ~~~"1~
* I*
C B~7 C7M C7M B~7 C7M

Dm

58
Songbook o Ary Barroso

Cr Dm C6

~~.~(~~
c c C7M C7

-- F6 Fm6

CIE A 7/C# D7 G7 cm C/A C/G

C A7 Dm7 G7

~~~J ~~:~~
I1 C cm C/A C/G li' C em C/A ~G

~~. * I~ y ~~. ~~ ~I~~~7 ~2v~;e~.


-e- C cm CIBb Fm6 CIE
instrumental

Lij ~§iY~Y9~
I ~

A 7/C~ D7 G7 C

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A iNDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
AlI rights reserved. International Copyright Secured.

59
Songbook o Ary Barroso

Deixa o mundo falar


ARYBARROSO

Bb6 DbO Cm7 G7(b13) Cm Cm(7M) F7(13)

/ Bb6 / / / / / / / / / Bb/D
Nos-so amor Pra você já morreu Mas pra mIm não morreu Está vivo no meu

ne- Cm7 / G7(b13) / Cm Cm(7M) Cm7 / F7(13) /


co--ração, ai, ai Nos-so amor É co mo o luar Que hoje

/ / Cm7 / F7(13) / Bb6 G7 C7 F7 Dm7(bS)


brilha, amanhã se a-paga E depois, vol-ta a brilhar Nos--so amor Terá

/ G7(b13) / Cm7 / / / Cm7(bS) / F7 /


vida en-quanto eu viver Não me impor ta o seu modo cru-el de pro-ceder

Bb7M / Bb6 / Bb/D / Dbo / Cm7 / EO / Bb/F /


To------<lo mun do já sabe o que há E me chama covar de

Eb/G / Fm6/Ab / Db7(9) / C7(9) / / / Cm7 /


Co-varde eu não sou Deixa o mundo falar, Ai, ai Sei que a minha

/ / F7(13) / F7(b13) / Bb6 / Eb7(9) / Bb6 / Bb/ Ab


vida não será Igual a vi da de quem a--ma por amar

/ Eb/G / Ebm/Gb / Bb/F / G7 / C7 / /


Prefi ro assim Pois quem a--ma de verda--de Faz do seu amor A

/ Cm7 / F7
pró-pria feli---cida--de

60
Songbook o Ary Barroso

B~/D D~o Cm7 G7(b13) Cm Cm(7M)


r=-: rr>:------------........

~.~§I"~~
F7(13) Cm7 F7(13)

B~6 G7 C7 F7 D m7(\'S) G 7(\'13) C m7

·Vt~I~·f"~~--..
C m7(bS) F7 B~7M B~6

~_.~

B~/D D~o C m7 Eo B~IF

~.~.~~.~

v=r·~·~7
E~/G Fm6/A~ D~7(9) C 7(9) Cm7

E~m1G~ G7 C7

Cm7 F7

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. Intemational Copyright Secured.

61
Songbook O Ary Barroso

~ ~
E luxo 80
ARY BARROSO E LUIZ PEIXOTO

D7M Em7 F#m7 B1 B7 A7(9) D~

D7M / / / / / / / Em7 / F#m7 / Em7 / B~ / B7 / Em7 / / / / /


O--lha, essa mulata quando dan--ça É luxo só Quan-do todo o

A7(9) / D~ / Em7 / F#m7 / / / B7 / B~ / B7 / B7(b9) / E7(9) / /


seu corpo se emba-lança É luxo só Tem um não - sei - quê Que faz

/ / / / / Em7 / / / / / Gm6 / D7M/F# / B7(b9) / Em7 / A7(9)


a confusão O que ela não tem, meu Deus, é com--pai-xão Êta mu-lata

/ D7M / / / / / / / Em7 / F#m7 / Em7 / m / B7 / Em7 / / / /


bamba! O--Iha, essa mulata quando dan--ça É luxo só Quan--do

/ A7(9) / D~ / Em7 / F#m7 / / C7 B7 / B~ / B7 / B7(b9) /


todo o seu corpo se emba-Iança É luxo só Po-rém, seu cora--ção quando

Em7 / / / FO / / / D7M/F# / B7(b9) / Em7/ A7(9) / D~ / /


se a-gi-ta E pal-pi-ta mais li-gei ro Nunca VI com-pas-so tão brasi-lei-ro Êta

/ D7M / / / / / / / / / /
samba! Cai pra lá, cai pra cá, cai pra lá, cai pra cá Êta samba! Cai pra lá, cai pra cá, . cai

/ / / B7(b9) / Em7 / Gm6 / D7M/F# / / Em7 /


pra lá, cai pra cá Mexe com as ca--dei--ras mu-la-ta Seu reque-bra do mal-tra-ta

A7(#S)
Ai, ai!

D7M Em7

F#m7 Em7 B~ B7 Em7

~1~~ ~ r=J ~
'-.J '--- -~
----
62
Songbook o Ary Barroso

B7 B7 B 7(b9) E7(9)

Em7

Gm6 D7M1F# B 7(b9) Em7 A 7(9)

I ~#m7 F#m7 C7 B7 B~ B7

• B 7(b9)
I
*
Em7
if M( 11
FO

~ r I
* ~ r
D 7M1F# B 7(b9) E m7 A 7(9) Dg

~-=== ;fiE! ~
D7M

B 7(b9) Em7

Em7 A 7(#5)

~~~~
'--'

Copyright by EMBI - Editora de Música Brasileira e Internacional S/A


Todos os direitos reservados para todos os países do mundo - AlI rights reserved.

63
~
E merrttra.oí
Songbook o Ary
..
Barroso

ARYBARRaSa

Em7 E7 Am

Em / / / Am/C / B7 / Em / / / Am/ C / B7 / Em / / /
É menti ra, oi É menti ra, oi a meu amor nunca te

F#7 / / / Em / F#7 B7 Em ~ ~ ~ Em / / / Am/C


dei Eu sou po--bre Mas já me con--formei Arranje outro! É menti ra,

/ B7 / Em / / / Am/C / B7 / Em / / / F#7 / / /
oi É menti ra, oi a meu amor nunca te dei Eu sou

Em / F#7 B7 Em ~ D7 / /
pa--bre Mas já me con--formei Andas, por aí falan-do Tanta coisa a meu

Em7 / / / B7 / / / Em / E7 / Am / /
respei---to Eu juro, é despei--to Mas não estou ligan do Este mundo é

/ Em / / / F#7 / / / B7
u-ma esco--la Já quebrei minha cacha--la Hoje eu sei me de-fender ai, é mentira, oi,

~ Em / / / Am/C / B7 / Em / / / Am/ C / B7 / Em / /
lá se É menti ra, ai É menti ra, oi a meu amor

/ F#7/// Em / F#7 B7 Em ~ ~ ~ Em / / /
nunca te dei Eu sou po-bre Mas já me con--formei Arranje outro! É

Arn> C / B7 / Em / / / Am> C / B7 / Em / / /
menti ra, ai É menti ra, oi a meu amor nunca te dei

F#7 / / / Em / F#7 B7 Em D7 /
Eu sou po-bre Mas já me con--farmei Quem ficar comi-go sa--be Que

B7/D# / Em7 / I / B7 / / / Em / E7 / Am
a-gora eu an-do Ii---s o Quem ama por amor Sempre toma pre-juí zo

64
Songbook o Ary Barroso

/ / / Em / / / F#7 / / /
Perde o tempo no chame---go Passa a vida sem sosse go Este é o meu

B7 Em
segre-do Oi, é mentira, oi lá se é...

Em A m/C B7 Em

A m/C B7 Em F#7

~~ê§I.~~

Em B7 I' Em t I
i§l1g:
~~. 7 ~~:~

t D7 B71D# Em7

~. J~

B7 Em E7

~1~
instrumental
Am voz Em F#7

l1j~-~
B7 t
~DC

Copyright by ARY BARROSO.


Todos os direitos reservados para todos os países do mundo - Ali rights reserved.

65
Songbook o Ary Barroso

Escrevi um bilhetinho
ARYBARROSO

Bm7 Bm/ A Em6/ G F#7 B7 Em7

I I m Ilml
/ Bm7 / Bm/A / Em6/G / / / F#7 / / / Bm7 / / / /
Escre-vi um bilhe-tinho para o meu amor Numa péta-la de rosa perfu-ma--da Escrevi um

/ Bm/A / Em6/G / / / F#7 / / / Bm7/ / / B7 / /


bilhe-tinho para o meu amor Numa péta-la de rosa perfu-ma-da E entre as páginas do livro

/ Em7 / / / F#7 / / / Bm7 / / / F#7 / / / Bm7 / / / A7


da re-cordação A péta-la secou Fim do nosso amor Nem a saudade fi-cou Eu, que

/ / / D6 / / /F#7 / / / Bm7 / / / F#7 / / /


sozinha no mun---do Vivo a minha vida tris-tonha, arrependi-da Sei que um amor quando

B7 /B/A
mOf-re
/ Em/G
Deixa uma
/ /
semen-te
/
no
Bm7/
coração da
/
gen-te
/ Bm
Mas se
~
amar
~
é
~ Em7
so-frer
t
Eu prefiro
t t viver

C#7 / F#7 / Bm7 /


Sem querer bem a ninguém

% Bm7 Bm/A Em6/G

~i_~*~
Bm7 I' II'Bm7 B7

~~~~*

66
Songbook o Ary Barroso

EmlG Bm7 Bm ~ ---


3

~§jS

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. International Copyright Secured.

67
Songbook O Ary Barroso

Eu sonhei
ARYBARROSO

G6 D7(9) G~(9) G7(b9) Am7 E7(b9) D7(b9) F7(13)

G7M C7(9) G7(#5) F7(9) Dl (9) Ab7(#11)

G6 / D7(9) / G6 / Gá (9) G7(b9) Am7 / E7(b9) / Am7 / D7(b9) / G6


Eu so-nhei, eu so-nhei A noite in-teiri--nha, oi

/ F7(13) / Em7 / Em(7M) / Am7 / A7(13) A7(b13) D7(9) /


Com você A-cordei, eu não sei Meu Deus, pra que

Am7 G/B A7/C# / D7(9) / G6 / E7(b9) / Am / Am(7M) / Am7 / D7(9) /


So-nhei que eu era de vo-cê É um fei-tiço qualquer

G7M / C7(9) / G7M / G7(#5) / C~ / F7(9) / / E7(b9) /


Te-nho cer-teza, mulher A--té no céu ca--<ia estre Ia are-luzir

A7(13) A7(b13) Dá (9) D7(b9) G6 / Ab7(#11) / G6 / D7(9) / G6 / G~ (9) G7(b9)


Eu ve jo vo-cê a me sorrir Eu so-nhei,

Am7 / E7(b9) / Am7 / D7(b9) / G6 / F7(13) / Em7 / Em(7M)


eu so-nhei A noite in-teiri--nha, oi Com você

/ Am7 / A7(13) A7(b13) D7(9) / Am7 G/B


A-cordei, eu não sei Meu Deus, pra que So-nhei que eu era de

D7(9) / G6 / E7(b9) / Am / Am(7M) / Am7 / D7(9) / G7M / C7(9) / G7M /


vo-cê Não sei que devo fazer Pra sua i-magem es-quecer

G7(#5) / C~ / F7(9) / G/B / E7(b9) / A7(13) A7(b13)


Não há remé dio O meu futu ro a Deus entre go O passa do

m (9) D7(b9) G6 /
foi teu Isso eu não ne--go

68
Songbook o Ary Barroso

G~(9)

:r ;r
G6 D7(9) G6 G7(b9) Am7

--=
~
ij( T
E 7(b9) Am7 D 7(b9) G6 F7(13)

Em7 Em(7M) Am7 A 7(13) A 7(b13) D 7(9)

Am7 GIB A7/q D7(9) G6 E 7(b9)

Am Am(7M) Am7 D7(9) G7M

C 7(9) G7M G 7(~5) c~ F7(9) GIB

E 7(b9) A 7(13) A7(b13) D~(9) D7(b9) G6 A~7(#11)

~~F~im ~~~D.C.~
e Fim

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. International Copyright Secured.

69
Songbook o Ary Barroso

Eu nasci no morro
ARYBARROSO

n W
D6/F# F" A7/E F#7/ A# Bm7 A7/C# D~

I Il9 I nlWI
A7(#5) A6/C# F#m7 G7M Em7 A7(9) F#7(#5)

VR nl ti m I nl I
F7(#11) E~ E7 A7 AbO A/G D6

IIIII
C#7
tlWI
Bm7(9)/ A Ab7(#11) G6 B7(b9} Em7/B C(add9)

IVI ml ml I I I I
C#m7(bS) Gm6 D7M/F# Em7(9) G7(9) D7M/ A B7(#5)

II I II ml 11·
G#" A~ (9) A7(gll) Ai (b9) D7M F7(9)

I mm Ivm mm nl rnm
Am7 D7(b9) C#7/ G# F#m7(bS) Eb7(9)

VI WI fi m I
70
Songbook o Ary Barroso

D6/F#
Não tenho
FO
queixas
A7/E
da vida Nem
F#7/A#
de
Bm7
nin-guém
A7/C#
que nas-ceu fe-liz
m A7(#S) m
Pois cada
A6/c#
um

Bm7 F#m7 G7M F#m7 Em7 A7(9) Bm7 F#7(#S) F#m7 F7(#1l) E~
de nós, neste mundo Tem o des-tino que Deus lhe deu Não adi-anta cho-rar Não

E7 A7 Abo A/ G / D6 / C#7 / D6 / C#7 / m / Bm7 I


adi-anta se re-vol-tar Eu nas-ci no mor--ro, num

Bm7(9)/ A Ab7(#1l) G6 I Ab7(#1l) / G6 / B7(b9) / Em7/B / C(add9) / C#m7(b5) /


pobre bar facão De caixão Vi da de cachor ro

Gm6 / D7M/F# / B7(b9) / Em7(9) / A7(#5) / D6/F# / G7(9) I D7M/A


Pé no chão Sem tostão E de-pois segui

I B7(#S) I Em7/ F#m7 / G6 / G#0 / A7(9) I A~ (9) / A7(~1I) / A~ (b9)


o meu cami nho Eu sozi nho Co--nhe-ci o lu xo, a

/ D7M / F7(9) / Em7(9) / A7(9) / m / A6/C# / Bm7 / Bm7(9)/ A


va-ida de Lá da cida de Meus a-mo--res não du-ravam

Ab7(#1l) G6 / Ab7(#1l) / G6 / B7(b9) I Em7/B / C(add9) /


mais que um di--a Eu sofri--a Con so-Ia va o

C#m7(b5) / Gm6 / D7M/F# / B7(b9) I Am7 / D7(b9) / G6 1// / /


co ra-ção No meu vi-oIão A final me

/ D7M/A / / / B7(9) / / / Em7 / F#m7(bS)


conven-ci Lugar melhor não encontrei No mor--ro eu nas-ci E

B7(b9) Em7/ A7(9) / m / F7(9) / Em7(9) / Eb7(9) /


no mor--ro eu mor--rerei

D61F# A7/E Um7 A 7/C# D~ A 7(#5) A6/C#

Um7 F#m7 G7M F#m7 Em7 A 7(9) Bm7 F#m7 F7(#U)

E~ E7 A7 A~o A/G D6

~. Ei~·~~~i ~~~~~
71
Songbook o Ary Barroso

_§. ~~~.
% D~ A6/C#

G6
Bm7

B 7(b9)
~~ê~]
B m7(9)/A Ab7(#11)

Em71B
G6

C(add9)

Gm6 D7M1F# B 7(b9) 11Em7(9) A 7(#5)

D61F# G7(9) D7MJA B 7(#5) Em7

F#m7
-- G6
I r

A 7(9)
I

A ~(9)
I

A 7(#il)

~~fr~~~· ~ §j

D7M F7(9) Em7(9) A 7(9)


I
~~~~fr~~~~· ~ê9
G6

D7MJA B7(9) Em7 F#m7(b5) B 7(b9)

Em7 A 7(9) D~ F7(9) Em7(9) Eb7(9)

Copyright by ffiMÃOS VITALE S/A I DÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
AIJ rights reserved. Intemational Copyright Secured.

72
Songbook o Ary Barroso

Faixa de cetim
ARYBARROSO

D7M(9) G7(13) D~ F#m7 Em7(9) C#m7(b5)

F"(b13) Am7 F#m7(b5) B7(b9) Gm6 A7(b13)

1111911
D7M(9)
Ba-hia
/ G7(13)
Terra de
/
luz e
D7M(9)
a-mar
/
Foi
m onde
/ F#m7 / FO / Em7(9) / / /
lá nasceu Nosso Se-nhor

C#m7(bS) / F#7(b13) / Bm7 / Bm/A / E/G# / E7


Ba-hia, de Ia-iá e de Ioiô Da mãe preta ca-rinho sa Que no colo me

/
em-balou
Em7(9) / A7(13) / D7M(9)
Ba-hia
/ G7(13)
Terra de luz
/
e
D7M(9)
a-mar
/
Foi
mlá onde
/
nasceu

F#m7/ FO / Em7(9) / / / C#m7(bS) / F#7(b13) / Bm7 / Bm/A


Nosso Se-nhor Ba-hia, de Ia-iá e de Ioiô Da mãe presa

/ E/G# / E7 / Em7(9) / A7(13) / Em7(9) / A7(13)


ca-rinho sa Que no colo me em-balou Quando eu nas--ci

/ D7M(9) / D7M/F# FO(b13) Em7(9) / A7(13) / Am7 /


~a Cidade Baixa Me enro-Iaram nu ma fai xa Cor - de rosa de cetim

/ / F#m7(bS) / B7(b9) / Em7(9) / Gm6 / F#m7


Quando eu cresci dei a faixa de presen te Pra pa-gar uma promes--sa

B7(b9) Em7(9) A7(13) m / D6/F# FO Em7(9) / A7(13)


ao meu Se nhor do Bonfim Pedi que me a-brisse o cami nho da

/ D7M(9) / D6/F# FO Em7(9) / A7(13) A7(b13) Am7 /


eli-cida de Pedi que me desse um cari nho Pra minha mo cida de

73
Songbook O Ary Barroso

/ / F#m7(bS) / B7(b9) / Em7(9) / Gm6 / F#m7 B7(b9) Em7(9)


Sou fe-liz, ninguém mais feliz que eu Bahi--a! Se-nhor do Bon-fim

A7(13) m / D6/F# FO Em7(9) / A7(13) / D7M(9) /


me a tendeu Pedi que me a-brisse o cami nho da feli-cida de Pedi

D6/F# FO Em7(9) / A7(13) A7(b13) Am7 / / / F#m7(bS) /


que me desse um cari nho Pra minha mo cida de Sou fe-liz ninguém

D(,
B7(b9) / Em7(9) / Gm6 / F#m7 B7(b9) Em7(9) A7(13) 9
mais feliz que eu Bahi--a Se-nhor do Bon-fim me a tendeu

D7M(9) G7(13) D7M(9) D~ F~m7

~~i~'f~~~
Em7(9)
~---------

Bm7 Bm7 Um/A E/G~ E7 I E m7(9)


J

A 7(13) A 7(13) Em7(9) A 7(13)

D7M(9) D7M1F# FO(~13) Em7(9) A 7(13) Am7

~~~---
F#m7(bS) U7(b9) Em7(9) Gm6

~~~~~

F#m7 B 7(b9) E m7(9) A 7(13) D6/F# Em7(9)

74
Songbook o Ary Barroso

A 7(13) D7M(9) D61F# Em7(9) A 7(13) A 7(~13)

A m7 F#m7(~5) B 7(~9) E m7(9)

~~ .. ~~~q~

~
Gm6
b ---
F#m7 B7(b9) Em7(9) A 7(13) I ~~ I ~1J
1 9

~ y y~~. ~ag~f=f§~ *

Copyright by IRMÃOS VIT ALE SI A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro· Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. lnternational Copyright Secured.

75
Songbook o Ary Barroso

Falta um zero no meu ordenado


ARY BARROSO E BENEDITO LACERDA

C7(9) F6 D7(9) D7(b9) Gm Gm(b6)

Gm6 Gm7 G#" G7(13) G7(b13)

C7 (9) / / / F6 / / / / / / / D7 (9)
Trabalho co-mo lou----co Mas ganho mui-to pou~o Por is-so eu vi vo

/ D7(b9) / Gm / Gm(b6) / Gm6 / Gm7 / C7(9) / /


sem pre atra-palha--do Fa-zendo faxi--na Co-mendo no "Chi na" Tá

/ / / / / F6 / C7 (9) / F6 / / /
faltan-do um ze-ro no meu or-dena--do Tra-balho co-mo lou--co Mas ganho mui-to

/ / / / D7(9) / D7(b9) / Gm / Gm(b6) / Gm6 /


pou----.:co Por is-so eu vi vo sem pre atra-palha--do Fa-zendo faxi--na

Gm7 / C7(9) / / / / / / / F6 / / /
Co-mendo no "Chi na" Tá faltan-do um ze-ro no meu or-dena--do Tá faltando um

/ / C7(9) / F6 / D7(b9) / Gm7 / D7(b9) / Gm7 / /


ze-ro no meu or-dena---do Tá faltan-do so--Ia no meu sapa--to Somente o

/ G#O / / / F/ A / D7(9) / G7(13) / G7(b13) /


retra--to Da rainha do meu sam--ba É que me canso Ia Nes-ta cor da

C7(9) /
bam ba

C7(9) % F6

D 7(9) D 7 (b9) Gm G m(b6)

tf I ~~. gr~~R==1f r=231


76
Songbook o Ary Barroso

Gm6 Gm7 C7(9)

~~$J~~~: ~
C7(9) I r
-f3' ~~~~. J ~

C7(9) F6 D 7(b9) Gm7

D7(b9) Gm7 G~o

~.~.~.

FIA D7(9) G7(13) G 7(b13) C 7(9)

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. International Copyright Secured.

77
Songbook o Ary Barroso

Flor tropical
ARYBARROSO

D7M(9) C#m7 F#7(b13) F#m7 B7(9) Em7 Am7(1l) Ab7(#Il)

D~ Am6 D7(b9) G7M G#m7(bS) C#7(b9)

D7M(9) / / / C#m7 / F#7(b13) / F#m7 / B7(9) / Em7 / Am7(1l) Ab7(#1l) G6


Foram lá fo-ra bus-car Como atração singu-Iar Dona

/ Gm6 / D/F# / B7(b9) / E7(9) / / / Em7(9) / A7(9) / D7M(9)


Chiqui--ta de Martini ea E a espanhola De xale e easta-nhola Mas a

/ / / C#m7 / F#7(b13) / F#m7 I B7(9) I Em7 / Am7(1l) Ab7(#1l) G6


more-na tri-gueira Que tem diplo ma e ear-taz Pôs a

/ Gm6 / D/F# / B7(b9) / E7(9) / / I Em7(9) / A7(9) / Em7(9)


Chiqui--ta e a espanho Ia Num chine-Io Pra nun-ca mais Oh,

/ A7(9) / D7M(9) / m / Am6 I D7(b9) I G7M / G6 / G#m7(b5) / C#7(b9) /


more na, mo--reni--nha Flor do jar-dim tro-pi-cal És de di-rei--to

F#m7 I B7(b9) / E7(9) / A7(9) I m/I I Em7(9) I A7(9) /


e de fa--to A rai nha do meu car-naval Oh, more na,

D7M(9) / m / Am6 / D7(b9) / G7M / G6 / G#m7(b5) / C#7(b9) / F#m7 /


mo--reni--nha Flor do jar-dim tro-pi-cal És de di-rei--to e de fa--to

I D(, /
B7(b9) / E7(9) A7(9) / 9 / /
A rai nha do meu car-naval

78
Songbook o Ary Barroso

D7M(9) C#m7 F#m7 B 7(9)

Em7 A m7(1l) A~7(#1l) G6 Gm6 B 7(b9)

E 7(9) Em7(9) A 7(9) D7M(9)

C#m7 F#m7 B 7(9)

Em7 A m7(1l) A~7(#1l) G6 Gm6

B7(b9) E7(9) E m7(9) A 7(9)

Em7(9) A 7(9) D 7M(9) D~ Am6

D7~~ G7M G6 G#m7(bS)

~ ~~= ~1f
F#m7 B 7(b9) E7(9) A 7(9) D~

~J

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. International Copyright Secured.

79
Songbook O Ary Barroso

Forasteiro
ARYBARROSO

G G7M Gil<' Am7 E7(b9) Am Am(7M) Am7(bS)

D7/F# Dm/F E7 Cm7 G/B C7(9) F7 Bm7(bS)

I II ml I I I VII
G / G7M G#" Am7 / / E7(b9) Am Am(7M) Am7(bS)
A-migo, olha esta terra e me diga se e--xiste outra igual A-migo, olha esse mar,

D7(b9) G6 GO G6 D7(b9) G6 / G6/B Bbo Am7 E7(b9)


este céu de matiz sensa-cional A terra tem a forma de um i--menso coração

Am7/ Am Am(7M) Am7 D7(b9) G6/B Eb7/Bb Am7 D7(9) G /


A-berto aos foras-teiros Para o mun--do intei ro A-migo, olha

G7M G#" Am7 / / E7(b9) Am7 Am/G D7/F# /


estes rios que fervem na es-puma das casca-tas Tra-zendo no ronco das águas, a voz

Dm/F / E7 / Am7 / Cm7 / G/B / Bbo / Am7


das ma-tas Es--te é o Brasil das mis-sões Dos santos, das procissões Vem

/ D7(9) D7(b9) G6 C7(9) G6 / / / G#" / Am7


saber oh, foras-teiro O que é ser brasilei--ro Olha só a mu-lata passando, arras-tando

/ D7(9) / Am7 / D7(9) D7(b9) G7M E7(b9) Am7


a sandália de pra--ta O--lha só a cadên cia que ela tem Ô, Ô Ô

D7(9) G6 / G#0 / Am7 / D7(9) / Am7 /


Ou--ve o sam-ba ras-gado Ribombo do mor--ro, da batu--cada Que só ter-mina ao

D7(9) / F7 / E7 / Am7 / D7(9) / G6 / E7(b9) / Am7 /


romper da madru-ga--da Vem, foras-teiro Vem ver o meu País Sambar

Bm7(bS) E7(b9) Am7/ Bm7(bS) E7(b9) Am7 / D7(9) D7(b9) G6


Sambar Sambar de noi-te e de dia Com al--ma

C7(9) G6 /
e alegri--a

80
Songbook o Ary Barroso

G G7M Am7 A m7 E 7 (b9) Am Am(7M)

Am7(bS) D7(b9) G6 G6 D7(b9) G6 G6/B

f_ i_

=rsw~
Am7 E7(b9) Am7 Am Am(7M) Am7 D7(b9) G6!B Eb7!Bb

Am7 D7(9) G G7M Am7 Am7

Am7 AmlG D71F# DmIF E7 Am7

Cm7 G/B Am7 D7(9)

G6 C 7(9) G6 G6 Am7

D7(9) Am7 D7(9) D7(h9) G7M Am7 D7(9)

D 7(9) F7 E7 A m7 D7(9)

f ~~~~.. w~-9ii;m a#b


81
Songbook O Ary Barroso

G6 E 7(b9) Am7 B m7(bS) E 7(b9) Am7

Bm7(bS) E7(b9) Am7 D7(9) D7(b9) G6 C 7(9) G6

Copyright by IRMÃOS VIT ALE SI A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. lntemational Copyright Secured.

82
Songbook o Ary Barroso

Grau dez
ARY BARROSO E LAMARTINE BABO

C7 D7/F# D7 E7 Am C/G Am7

II milII I
G7/D / C#'l / / G7 / C / / / / / / /
A vitória há de ser tu---,a, tu--a, tua More-ninha pro-sa Lá no céu a própria

F / F#'l / C7/G / C7 / F / / D7/F# G7 / / / C / / / /


lu-a, lu--a, lua Não é mais formo-sa Ra--inha da cabe-ça aos pés Morena

/ D7 G7 C / / / G7 / / / / / C / E7 / / / /
eu te dou grau dez O in-glês diz: "Yes, my ba-by!" O a-I e-mão diz: "Yá,

/ Am / F / F#'l / C/G / Am7 / G7/D / G7 /


corraçon!" O fran-cês diz: "Bon jour, mon amour!" Trés bi-en! Trés bi-en! Trés

C ~ ~ ~ G7/D / C#'l / G7/D / G7 / C / / / / / /


bi-en! A vitória há de ser tu--a, tu--a, tua More-ninha pro---sa Lá no céu

/ F / F#'l / C7/G / C7 / F / / D7/F# G7 / / / C /


a própria lu-a, lu--a, lua Não é mais formo-sa Ra--inha da cabe-ça aos pés

/ / / / D7 G7 C / / / G7 / / / / / C / E7
Morena eu te dou grau dez O argen-tino, ao te ver tão boni--ta Toca um tango

/ / / / / Am / F / F#'l / C/G / Am / G7/D /


e só diz: "Milongui--ta" O chi-nês diz que diz, mas não diz Pede bis, pede

G7 / C
bis, pede bis

83
Songbook o Ary Barroso
Grau dez

G7/D G7/D G7

C7/G C7 F F D71F# G7

~~~
l4=r~
c D7 G7 c

G7 c E7

Am F C/G Am7

~ '---""
EEij~*
~I*§-

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A I DÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. Intemational Copyright Secured.

84
Songbook o Ary Barroso

Iaiá Boneca
ARYBARROSO

C6 CiI" Dm7 G7(13) Dm Dm(7M) G7 G7(#5)

C6 / / / / / / / / / C/f! / Dm7 / G7(13) / Dm


De-pois da Jardineira que chorando sumiu Nos di-as do outro car-naval De-pois da

/ Dm(7M) / Dm7 / / / G7 / G7(#5) / C6 / / / C/E / Ebo /


Tiro-lesa que can-tando fugiu Dei-xan do todo mundo mal Chegou a vez de dominar

Dm7 / / / Em/G / G7(#5) / C6 / / / Em7(bS) / A7(b13) / Dm7


De imperar como ra-inha de en-cantos sem par laiá Bo-neca, a brasi--Iei-rinha

/ Fm / C/E Am7 D7G7 C6 / / / G7 / / / C6 /


e-mo-ção Dona do meu co-ra-ção Ai, ai, como é bo-nita! Ai, ai, como é for-mosa! Ai,

/ / Dm7 / G7 / C6 / C7 / F / F#O / C/G / A7(b13) /


ai, laiá Bo-neca É um bo-tão de ro--sa laiá me dá u-ma esmoli nha dos bei--jos

Dm7 / G7 / C6/ C7 / F / F#O / C/G / A7(b13) / i>m7


teus Pelo a-mar de Deus! laiá me dá u-ma esmoli nha dos bei--jos teus

/ G7(13) / C C/B C/A C/G


Pe-lo a-mar de Deus!

C6

J
C~O Dm7 G7(13) Dm
J ~

Dm(7M)

~y ~ .~~-7 ~
'------'"

85
Songbook o Ary Barroso

Drn7 G7 G7(#5) C6

~~J '-----""
CIE
~w--~~~~~ Drn7

EmlG G 7(#5) C6 Ern7(~5)

A 7(~13) Drn7 Frn CIE Arn7 D7 G7

C6 G7 C6

Drn7 G7 C6 C7

C/G A 7(~13) Drn7

G7 C6 C7 F

~
* I "1 ~ J
C/G A 7(~13) Drn7 G7(13) C cm C/A C/G

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. International Copyright Secured.

86
Songbook o Ary Barroso

Isto aqui o que é


ARYBARROSO

Cm6 E7(9) E7(b9) G#<' Am6 BbO

G6 / / / / / / / Am7 / / / D7(9) / / /
Is--to aqui
ô ô
É um pouquinho de Brasil, Ioiô Deste Brasil que can-ta e

Am7 / / / D7(9) / D7(b9) / G6 / / Dm/F E7/ Dm/F / E7 / /


é feliz Feliz, feliz É também um pouco de

/ Am7 / / / Cm7 / Cm6 / Bm7 / E7(9) E7(b9) Am7 /


u-ma ra-ça Que não tem medo de fuma-ça ai, ai E não

D7(b9) / G6 / / Gtto Am6 / D7(9)


se en-tre ga, não Olha o jeito nas cadeiras que ela sabe dar Olha o tombo nos qua-dris

/ G6 / / Gtto Am6 / Am7


que ela sabe dar Olha o passo de batuque que ela sabe dar Olha só o reme-Iexo que ela

D7(9) G6 / Bbo / Am7 / D7(9) / G6 Dm/F E7 / Am7


sabe dar More na bo--a Que me faz penar Põe a sandália de pra--ta

/ D7(9) / G6 / Bbo / Am7 / D7(9) / G6 Dm/F


E vem pro samba sambar Mo-re--na bo--a Que me faz penar Põe a

E7 / Am7 / D7(9) / G6 /
sandália de pra--ta E vem pro samba sambar

G6 Am7

D7(9) Am7 D7(9)

87
Songbook o Ary Barroso

D 7(~9) G6 G6 DmIF E7 Dm/F E7

Vr J pC ~ ..

Am7 Cm7 Cm6 Em7

E7(9) E7(~9) Am7 D 7(~9) G6 G6 Am6

D 7(9) G6 G6 Am6 Am7 D7(9) G6

Em7 A7 D7(9) G6 DmIF E7 Am7

D 7(9) G6 Em7 A7 D7(9) G6 DmIF

E7 Am7 D7(9) G6 D7(9)

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


S50 Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. lnternationaJ Copyright Secured.

88
Songbook o Ary Barroso

Maria
ARY BARROSO E LUIZ PEIXOTO

Em7(bS) A7(b13) Dm7 Dm/C Bbm6 F7(13) Bb7M

Illalml
Am7(bS) D7(b9) B7(#11) Ci (9)

Introdução: Bb6 / BO / F6/C / Bbm/Db / F/C D/C G7/B C/Bb F6/A AbO Gm7 C(#S)

F7M / F#Ü / Gm7 / C7(9) / F7M / C7(9) / F7M / Em7(b5)


Ma-ria O teu nome prin-cipi--a Na palma da rrU-nha mão

A7(b13) Dm7 / Dm/C / G7/B / Bbm6 / F6/A / Abo / Gm7


E ca be bem direi-tinha Dentro do meu c~ração, Ma-ria

/ C(#5) / F7M / F#Ü / Gm7 / C7(9) / F7M / C7(9) /


Ma-ria, de olhos claros, cor do di--a Como os de Nos-so Senhor

F7M / Em7(bS) A7(b13) Dm7 / Dm/C / G7/B / Bbm6 / F6/A


Eu, por vê-Ias tão de perto Fiquei ceguinho de amor,

/ Abo /Gm7 / C7(9) F7(13) Bb7M / Bb6 / Am7(b5) D7(b9) Gm7


Ma-ria No dia, minha queri----da Em que junti-nhos na VI da

/ G#o / F6/ A / Bbm6 / Dm7 / A/C# / Am/ C / B7(#1l)


Nós dois nos quisermos bem A noite em nosso canti nho Hei

/ Bb7M / G7/B / C~(9) / AbO / Gm7 / C(#5) / F7M /


de chamar-te bai-xinho Não hás de ouvir mais nin-guém, Ma-ria Ma-ria,

89
Songbook O Ary Barroso

F#O I Gm7 I C7(9) I F7M I C7(9) I F7M I Em7(bS) A7(b13)


era o nome que eu dizi--a Quando apren-di a falar

Dm7 I Dm/C I G7/B I Bbm6 I F6/A I Ab? IGm7 I C7(9)


Da vo zinha, coita-dinha Que eu não canso de chorar Ma-ria

F7(13) Bb7M I Bb6 I Am7(bS) D7(b9) Gm7 I G#o


E quando eu mo-rar conti--go Tu hás de ver que peri--go Que isso vai

I F6/A I Bbm6 I Dm7 I A/C# I Am/C I B7(#1l) I


ser Ai, meu Deus! Vai nas-cer todos os di as U ma porção de

Bb7M I G7/B I C~ (9) I Abo I Gm7 I C(#S) I F7M I I I


Ma-rias De o-lhinhos da cor dos teus, Ma-ria Ma-ria ...

nb6 n° F6/C

tf~inío§7~Y ~
~6JA A'o Gm7 C(l~, ~ F7M

~. ~ ~. ~§f~r
<:>

F7M E m7(bS) A 7(b13) Dm7 DmlC G7ffl

nbm6 F6/A Gm7

1 C7(9) F7(13) Am7(bS) D7(b9) Gm7

F6/A nbm6 Dm7

90
Songbook o Ary Barroso

AmlC B7(~11) B~7M G7/B C~(9)


3

~=~J
Gm7

~~7.·
<:» '-------"
c (#5)

Ao ~
(direto casa 2)
F7M

j@(

Copyright by IRMÃOS VIT ALE SI A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
All rights reserved. Intemational Copyright Secured.

91
Songbook o Ary Barroso

Menina que tem uma pose


ARY BARROSO E HAROLD DALTRO

C6 G7 F#7 C7 F6 A7 Dm D7

C6 / / / / / / / / /
Sei de uma meni-na Ai, que tem uma pose Que tem uma pose Que tem uma pose Que pensa

/ / G7 / F#7 G7 / / / / /
que o m un-------d
o É bola de pa-pel Mas ela não sa-be Que eu sou quelque chose Que

/ / / / / / / C6 / /
eu sou quelque chose Que eu sou quelque chose Que tenho dipio-ma E que sou bacha-rel

/ C7 / / / / / F6 / / / / / G7 /
Eu sou bi---cho bam-ba Conheço as peque--nas Entendo da escri-ta Sei tudo o

C6 / A7 / / / / / Dm / D7 / / / / /
que há Vou driblando to-------das, louras e more--nas Não tiram fari-nha Pra cima de

G7 / C6 / / / / / / / /
mo-i Sei de uma meni-na Ai, que tem uma pose Que tem uma pose Que tem uma pose

/ / / G7 / F#7 G7 / / / /
Que pensa que o mu n-------d
o É bola de pa-pel Mas ela não sa-be Que eu sou quelque

/ / / / / / / /
chose Que eu sou quelque chose Que eu sou quelque chose Que tenho diplo-ma E que sou

C6 / / / C7 / / / / F6 / / / / / G7
bacha-rel Eu sou da arreli-a Eu e minha cacha--ça É qualquer more-na De

/ C6 / A7 / / / / / / D7 / / /
boca de flor E porque na vi-------d a tudo morre É que eu sou ras ga-------d
o Do

/ / G7 /
time do A-mor

C6

G7 G7 G7

92
Songbook o Ary Barroso

C6

C7 F6

G7 C6 A7

Dm D7 G7

Copyright by MANGIONE, FILHOS & CIA. LTDA.


Rua do Ouvidor, 183/ I o andar - Rio de Janeiro - Brasil
Todos os direitos reservados para todos os países do mundo - All rights reserved.

93
Songbook o Ary Barroso

Meu amor não me deixou


ARYBARROSO

G6 / / / / / D7 / / / / / / / G6 /
Meu barracão de zin-co, o vento levou Meu canário a-mare-Io Há muito se calou

/ / C6 / / C#'l G/D / E7 / D7/A /


Meu pé de ,.a-Iecrim, o sol já queimou Con-tudo eu sou feliz assim

D7 / G6 / / / / / / / D7 / /
Meu a-mar não me deixou Meu barracão de zin-co, o vento levou Meu canário

/ / / / / G6 / / / C6 / / C#'l G/ D /
a-mare-Io Há muito se calou Meu pé de a-Iecrim, o sol já queimou

E7 / D7/A / D7 / G6 / C6 / / /
Con-tudo eu sou feliz assim Meu a-mor não me deixou Ai, a mi-nha

G6 / Em7 / Am7 / D7 / G6 / D7 / G6 / D7
vi--da é uma cacho-eira perdi-da O barulho d'água, chuá Canta a minha mágoa,

/ G6 / D7 / G6 / D7 / G6 / / D7 G6 / / D7 G6 /
chuá A corrente passa, chuá Meu sonho é fu-maça, chuá, chuá, chuá Meu

/ / / / / / D7 / / / / / / / G6 /
Sabiá da Ser-ra, de noite fugiu Meu cavalinho a-Iazão, do pasto esca-puliu Meu

/ / C6 / / C#'l G/D / E7 / D7/A / D7


velho tam-borim, de velho partiu Con-tudo eu sou feliz assim Meu a-mor

/ G6 / / / / / / / D7 / / / / /
não me deixou Meu Sabiá da Ser-ra, de noite fugiu Meu cavalinho a-Iazão, do

/ / G6 / / / C6 / / C#'l G/D / E7 /
pasto esca-puliu Meu velho tam-borim, de velho partiu Con-tudo eu sou

D7/A / D7 / G6 / C6 / / / G6 / Em7 / Am7


feliz assim Meu a-mor não me deixou Ai, a mi-nha vi-da é

94
Songbook o Ary Barroso

/ D7 / G6 / D7 / G6 / D7 / G6 /
uma cacho-eira perdi--da O barulho d'água, chuá Canta a minha mágoa, chuá A corrente

D7 / G6 / D7 / G6 / / D7 G6 / / D7 G6 /
passa, chuá Meu sonho é fu-maça, chuá, chuá, chuá

G6

rr=r~J C6

§=C
C6 C~o

~~1
GID

~
E7 D7/A

D7 IIG6 !l'G6 C:-__


~§~J ~§~t ~~ ~
G6 Em7 Am7 D7 G6

Vt r t
I~~~.~ J"

D7 G6 D7 G6 D7

G6 D7 G6 G6 D7 G6
~ r=>;

- ~ I t f"
ª
rr
G6 D7 G6
~

*
f i=t=f"
Copyright by ARY BARROSO.
Todos os direitos reservados para todos os países do mundo - Ali rights reserved.

95
Songbook o Ary Barroso

Novo amor
ARYBARROSO

D6 E7 A7 B7 A6

Ab7(#11) G6 Gm6

D6 I I B7/D# E7 I Ii A7 I I I D6 B7 E7 A7 D6
Eu arranjei um no vo amor Um no-vo amor para o meu co-ração

I I I A6 I I I E7 I I I A7 Ii I D6
A minha vida já mudou E minh'alma e-xultou de satis-fação Que bão, que bão!

I I B7/D# E7 I II A7 I I I D6 B7 E7 A7 D6
Eu arranjei um no vo amor Um no-vo amor para o meu co-ração

I I I A6 I I I E7 I I I A7 I I I I I
A minha vida já mudou E rninh'alma e-xultou de satis-fação Que bão! Ho-je

I I I I I I D6 I I I F#m/ A I Ab7(#11) I G6 I
eu me sinto feliz E te-nho me:--~do Pra que mentir? Pois a

Gm6 I I B7 I E7 I A7 I D6
fe-Ii---cida---<de é trai--çoei-ra E co-mo vem também pode par--tir Eu arranjei, ar-ranjei ...

D6 I I B7/D# E7 I Ii A7 I I I D6 B7 E7 A7 D6
Eu arranjei um no vo amor Um no-vo amor para o meu co-ração

I I I A6 I I I E7 I I I A7 Ii I D6
A minha vida já mudou E minh'alma e-xultou de satis-fação Que bão, que bão!

I I B7/D# E7 I II A7 I I I D6 B7 E7 A7 D6
Eu arranjei um no vo amor Um no-vo amor para o meu co-ração

I I I A6 I I I E7 I I I A7 III I I
A minha vida já mudou E minh'alrna e-xultou de satis-fação Que bão! E dos seus

I I I I I I D6 I I I F#m/ A I Ab7(#11) I G6 I Gm6


dois o-lhos Eu fiz Os meus o--lhos apai-xona dos Só peço a Deus

I I B7 I E7 I A7 I D6
que fa---<ça de nós dois Eter-namen--te, dois na-mora--dos Eu arranjei, ar-ranjei ...

96
Songbook o Ary Barroso

D6 D6 B71D~ ~E7 A7

~L~

D6 B7 E7 A7 D6

A6 E7 A7

~~~~

r- 1~7
~ y F R :~~~~
D6 F~mlA

~
'{
~
J~ m
G6 Gm6 DIF~ B7 E7

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A I DÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
All rights reserved. International Copyright Secured.

97
Songbook o Ary Barroso

Na batucada da vida
ARY BARROSO E LUIZ PEIXOTO

AbJ (9) GJ (9) G7(9) C7M(9) A7(b9) C~ (9) C7(b9)

fi m Ilull
F7M Fm(7M) Em7 Am7 D7(~1I) D7(9)
I Fm7

C~ Bm7(bS) E7 Am/G F#m7 B7 Em7(9)

IllatEll
B7(b13) B7(b9) Dm7(9) G7(13) C7(h~J) Fm6 A7

li ImlmlrrE I I
Ab~ (9) / G~ (9) G7(9) C7M(9) / A7(b9) / Ab~ (9) / G~(9)
No dia em que eu a-pare--ci no mundo Jun-tou uma por-ção de

G7(9) C7M(9) / C~ (9) C7(b9) F7M / Fm(7M) / Em7 / Am7


vaga-bundo da or-gia De noite teve lua e ba-tu-cada Que aca-bou de

/ D7(~1I ) / D7(9) / G~ (9) / G7(9) / Abá (9) / G~ (9) G7(9) C7M(9)


ma--dru-gada Em gros---sa pancada-ri a De-pois do meu ba-tismo de fu-maça

/ / / Cá (9) / C7(b9) / F7M / Fm7/ C6~ / Bm7(b5) E7


Ma-mei um litro e meio de ca--chaça Bem pu-xa-do E fui adorme--cer como um

Am7 / / F#m7 / B7 / Em7(9) / F#m7 B7(b13) Em7(9) /


des-pacho Deitadinha no ca-pacho Na porta dos injei-tados Cres-ci

F#m7 B7(b9) Em7(9) / F#m7 B7(b9) Em7(9) / Dm7(9)


olhando a vida sem ma-lícia Até que um cabo de po-lícia Desper-tou meu

G7(13) C~ (9) / C7(b~3) / Fm7 / Fm6 / Em7 / A7 / Dm7(9)


cora--ção E, como eu fui pra ele muito boa Me Iar-gou na vi-da à toa

/ G7(13) / C7M(9) / F#m7 B7(b13) Em7(9) / F#m7 B7(b9)


Despre-zada co-mo um cão E hoje, que eu sou mesmo da

98
Songbook o Ary Barroso

Em7(9) / F#m7 B7(b9) Em7(9) / Dm7(9) G7(13) C1 (9) / C7(b9) / Fm7 /


vi-rada E topo qual-quer pa-rada Por um prato de co-mi da I-rei cada

Fm6 / Em7 / A7 / Dm7(9) / G7(13) / C~ / / /


vez mais me esmo-Iam-bando Segui-rei sempre sam-bando Na batu-cada da vida


Ab~(9) G~(9) G7(9) C7M(9) A 7(b9)

I~~;~~§· ~g~~I*~J
Ab~(9) G~(9) G7(9) C7M(9) C~(9) C7(b9) F7M

F m(7M) E m7 A m7 D 7(~ fI) D 7(9)

*~~~§. G7(9)

~~§.
Ab~(9)Ab7(9) G~(9) G7(9) C 7M(9)

8ª~
C7(b9) F7M Fm7

C~ Bm7(bS) E7 Am7 Am7 Am/G F#m7

~-~
B7 E m7(9) F#m7 B 7(b13) E m7(9) F#m7 B 7(b9)

~~. ~I~* ~J~p~[~~


E m7(9) F# m7 B 7 (b9) E m7(9) D m7(9)

99
Songbook o Ary Barroso

D m7(9) G7(13) C 7M(9) F~m7 B 7(b13) E m7(9)


r=-;

~~~I*~l~
F#m7 B7(b9) Em7(9) F#m7 B7(b9) Em7(9) Dm7(9) G7(13)

~~1~

C~(9) C 7(b9) Fm7 Fm6 Em7


~

_"m
* A7 D m7(9) G7(13) C~

Copyright by IRMÃOS VITALES/A I DÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. lnternational Copyright Secured.

100
Songbook o Ary Barroso

No tabuleiro da baiana
ARYBARROSO

m Bm7 Em7 A7 D/C G/B Ai!<' Gil<'

ITIIIIIIII A7(13) Di!<' E7 F#7(b13) F#m7 G6

D7 Db7 C7 B7 Gm6 B7(b13) E7(9)

Introdução: m Bm7 Em7 A7 m Bm7 Em7 A7 m D/C G/B AJIO Bm7 GJIO D/ A A7 m Bm7 Em7

A7 D~ Bm7 Em7 A7 m D/C G/B AJIO Bm7 GJIO D/ A A7 m


~ ~ ~ A7(13) I D~ -; I I I I I I I
No tabuleiro da baiana tem Vatapá, 01 Carurú Mungunzá, oi Tem umbú Pra Ioiô

I I I I I DJIO I A/E I DJIO I E7 I I I A7


Se eu pe-dir você me d'?
a. O seu co-ração Seu a-mor de raiá?

I I I D~ ~ ~ ~ A7(13) I m I I I I I I
No cora-ção da baiana tem Sedução, oi Canjerê Ilusão, oi Candomblé

I I I F#7(b13) I Bm7 I I I F#m7 I I I G6 I I I m


pra você Ju--ro por Deus Pelo Senhor do Bonfim Que-ro você Baia-ninha

I I D7 Db7 C7 B7 I I I Em7 I Gm6 I F#m7


inteirinha pra mim E depois O que será de nós dois? Seu amor

D(, I F#7(b13) I Bm7 I


B7(b13) E7(9) A7 9 I I F#m7 I I I G6
é tão fu-gaz, enga--nador Tu--do já fiz Fui até num canjerê Pra

I I I D~ I I D7 Db7 C7 B7 I I I Em7 I
ser feliz Meus tra-pinhos juntar com você E depois Vai ser mais uma

Gm6 I F#m7 B7(b13) E7(9) A7 D~ I I I


ilusão No amor quem gover na é o co----ração

101
Songbook o Ary Barroso
No tabuleiro da baiana

~rY.
D~ Em7 Em7 A7 D~ Em7 Em7 A7 D~ D/C

i
_.~ '--;/B A#o Bm7 G#o DIA

1
A7 ~ Bm7

12D~ ~ A 7(13)

~@;z~

D~O AlE D#o E7

~~ ~.~

A7 D~ ~ --- A 7(13)
1
~ ...--..

~~~~I*~q~
Bm7
~

~-m~~~
F#m7 G6 6

~~ ~~

D~ D7 D~7 C7

- B~~_B7 Em7 Gm6

102
Songbook o Ary Barroso

E 7(9) A7 D~ D~ A 7(13)

Copyright by IRMÃOS VITALE SI A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. International Copyright Secured.

103
Songbook o Ary Barroso

o Brasil há de ganhar
ARYBARROSO

Ab6 Eb7(9) Ab7 G7 Gb7 F7

Bbm7 F7(b13) Bb7(9)

Fm7 Ab7(#5) Db6

Ab6 / Eb7(9) / Ab6 Ab7 G7 Gb7 F7 / / / Bbm7 / / / E7/B /


o Bra-sil há de ganhar, ê, ê

Para se glorifi-car, ê,
ê

Sol-ta

/ / Ab/C / F7(b13) / Bb7(9) / / /


a pelota no grama do Pai-mas pro sele ciona do Dei-xa a maçada se es-palhar,

Eb7(9) / / / Ab6 / Eb7(9) / Ab6 Ab7 G7 Gb7 F7 / / / Bbm7


ê, ê, ê,
ê

O Bra-si! há de ganhar, ê,
ê
Para se glorifi-car,

/ / / E7/B / / / Ab/C / F7(b13) / Bb7(9) /


ê, ê

Sol-ta a pelota no grama do Pai-mas pro sele ciona do Dei-xa

/ / Eb7(9) / / / Bbm7 / Eb7(9) / Ab6 / Fm7


a maçada se es-palhar, ê, ê,
ê, ê É a raça bra-silei--ra Numa festa

/ Bbm7 / Eb7(9) / Ab6 / Ab7(#5) / Db6 / / DO


al-tanei ra Mostrando que é boa e varo--nil Quando o time apa--recer

Ab/Eb / Fm7 / Bbm7 / / / Eb7(9) / / /


Gritaremos a-té morrer: Brasil! Bra-sil!

104
Songbook o Ary Barroso

E~7(9) G7 F7

n~m7 Em Ak

~~*~Iy·~
F7(b13) nh(9)

n~m7 E~7(9) Fm7 n~m7

E~7(9) A~7(~S)

Fm7 n~m7 E~7(9)


~

't ÍEj3 * ~
D.e.

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. International Copyright Secured.

105
Songbook O Ary Barroso

Ocultei
ARYBARROSO

F#rn7 B7(9) B7(b9) E7M F<> B/ A E7M/G#

IlII
GO(b13) E(~5) E~
Ilwlt] 11
E7(9) Am7(9) Am~ E~

E7 G#m7(9) C#7(#5) F#m7(1l) B~(9) Bb7(#Il) A6

Bi (9)* E7M(9) Am6 El (9) E7(b9)

F#m7 / B7(9) B7(b9) E7M / FO / F#m7/ B7(9) B/A E7M/G#


OcuI-tei Um sofri-mento de morte Te-mendo a sorte Do grande a-mor que te dei

GO(b13) F#m7 B7(b9) F#m7 / B7(9) B7(b9) E7M / FO / F#m7 / B7(9)


Procu-rei Não pertur-bar nossa vida Que era fIo-rida Como, a

B7(b9) E(add9) E(#~) E~ E7(9) Am7(9) / Am] / E7M / E~ E7 Am7(9)


prin-cípio, so-nhei Hoje, porém Abri as portas do des-ti-na

/ Am~ / G#m7(9) C#7(#S) F#m7(1l) B7(b9) F#m7 / B7(9) B7(b9)


Mandei andar o a-mar Um mero clandes-tino Encer-rei Um epi-sódio

/ F#m7 / B~ (9) B7(b9) E7M / Bb7(#Il) / A6 /


fu-nesto A-gora de-testo Aquele a quem tanto a-mei o meu mais ardente

106
Songbook o Ary Barroso

Eb7/Bb / E7M/B D7(9) C#7(9) C#7(b9) F#m7 G#m7 Am7


de-sejo Que Deus me per-doe o pe-cado É que outra mu-lher ao teu la-do

B~ (9F E7M(9) Am6 E~ (9) E7(b9) A6 / Eb7/Bb / E7M/B


Te mate na hora de um bei jo O meu mais ardente de-sejo Que Deus

D7(9) C#7(9) C#7(b9) F#m7 G#m7 Am7 m (9)* E7M(9) Am6


me per-doe o pe-cado É que outra mu-lher ao teu la-do Te mate na hora

E/G# C#7(b9)
de um bei jo

_i~~~.~
F~m7 B 7(9) B 7(b9) E7M

B 7(b9)

_S~~~~· E(add9) Ed~d9) E7(9) A m7(9) E7M

E( j

E7 A m7(9) G~ m7(9) C~7(~5) F#m7(1l) B 7(b9)

107
Songbook o Ary Barroso

.~~_~~=.
~
W'l
~ F#m7 B 7(9) B 7(b9) E 7M

~
F o

~
F#m7

-'
B~(9) B7(b9) E7M Bb7(~11)

~~---= ~~ "1

E7M/B D7(9) C#7(9) C#7(b9) F#m7 G#m7 Am7 B ~(9) * E 7M(9) A m6 -$-

~. "1.~

Ao ~
e -$-

-$- Eg

~§1 j§. ªII

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. International Copyright Secured.

108
Songbook o Ary Barroso

Por causa desta cabocla


ARYBARROSO

D7M DI#" Em7 F" D6/F# Cm6 Bm6 Bb°(b13)

I IJ I Irng mn Illi I
Bm7 F#m7 G6 D/F# E7/G# Al(9) A7('; n Am7

liUm! I I I mlnl I
D7(b9) G7M Gm6 D7M/F# F#m7(b5) B7(b9) Em7 * A7(9)

~Ifi m I ti I I ul
D~ D~(9) G7(#5) C7M Bm7(b5) E7(b9) Fm6
Dm7

Em(7M) A7(13) D7(9) B7/F# Em E/D Am/C D/C

II~IIIII E7(b13) B7 (13) B7(b13) E~(9) A7(b13) Eb7M


eM

D7M / D#" / Em7 / FO / D6/F# / Cm6 /


À tar-de Quan-do de volta da serra Com os pés sujinhos de terra Vem a cabo----cla

Bm6 / BbO(b13) / Bm7 / F#m7 / G6 / D/F# / Em7 /


pas-sar As flores Vão pra beira do cami--nho Pra ver aque-le jei-tinho

E7/G# / Al(9) / A7(~ O / D7M / D#O / Em7 / FO


Que ela tem de cami--nhar E quan-do E--Ia na rede ador-mece E o seio

109
Songbook O Ary Barroso

/ D6/F# / Cm6 / Bm6 / Am7 D7(b9) G7M / Gm6 /


moreno es-queee De na eami-sa ocul-tar As rolas As rolas também

/ F#m7(b5) B7(b9) Em7* / A~ (9) A7(9) m / D7(b9) /


more nas Cobrem-lhe o colo de pe--nas Pra ele se a-gasalhar

G7M / m (9) D#O Em7 / Dm7 G7(#5) C7M /


Na noi-te Dos seus ea-belos, os gram--pos São feitos de pirilam---pos Que às

Bm7(b5) E7(b9) Am7 / Fm6 / F#m7(b5) / B7(b9) / Em(7M) / Em7*


es-trelas querem che-gar E as águas dos rios que vão passan do Fitam

/ A7(13) / / / D7(9) / D7(b9) / G7M / B7/F#


seus olhos pen-sando Que já chegaram ao mar Com ela dorme toda a

/ Em / E/D / Am/C / D/C / Bm7(b5) / E7(b13) /


na-ture--za Emu-deee a cor-rente za Fiea o céu todo apa-ga do

Am7 / Cm6 / B7(13) B7(b13) E~ (9) E7(b9) A7(13) A7(b13) m (9)


Somen-te Com o nome dela na bo--ca Pensando nesta ca-bocla Fica um

D7(b9) Eb7M / / /
ea-boclo acor-c\a do

~ D7M D#o Em7

~il~·
Cm6 Bm6 IIB~O(~13) Bm7 F~m7

G6 DIF# Em7 E7/G#

~·~§·~~M
ll'Am7 D7('9) G7M Gm6 D7M1F#

J ~ê!~~· ~~J ~~. r@


D 7(b9)

110
Songbook o Ary Barroso

rr ~
G7M D~(9) D~o Em7 Dm7 G 7(~S) C7M

~§. ~S. jgJ~. E


fi m7(bS) E 7(b9) A m7 Fm6 F#m7(bS) fi 7(b9)

~~~§~J~. ~ ~
Em(7M) Em7·· '" A 7(13) D7(9)

D 7(b9) G7M fi71F# Em EID

AmlC D/C fi m7(bS) E 7(b13) Am7

Cm6 fi 7(13) fi7(b13) E~(9) E 7(b9) A 7(13) A 7(b13)

D ~(9) D 7(b9)

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
All rights reserved. International Copyright Secured.

111
Songbook O Ary Barroso

Perdão
ARYBARROSO

F#m7(1l) B7(b9) c~ Bb7 A7 D7(9) G7(13) Bbm6

Am6 G7 Gil" Am7 E7(b9) FiI" F"

IVm IIIII
Am/c
III A7/C# Dm7 Am/G B7/F# E7/G# Gl (9) G7(9)

Irrlm mim m I
C~/G / / / F#m7(1l) / B7(b9) / C~ / / / Bb7 / A7 /
Per-dão Não quis o-fender te Per-dão Foi receio de perder te

D7(9) / / / G7(13) / / / C~ / Bbm6 / Am6 /


Meu amor Por favor Eu pe~o o teu perdão, por com-paixão

G7 GitO Am7 / E7(b9) / Am7/ C7/G / FitO / FO / Am/E /


Não de--ves levar a mal Eu não quis te ma-goar

Am/C A7/C# Dm7 / G7(13) GitO Am7 / Am/G / B7/F#


O despre zo é um jo--go Onde quem está perden do

/ E7/G# / Am7 / G~ (9) G7(9) C~/G / /


É que no fim vem a ganhar Perdão Per-dão Não quis

/ F#m7(1l) / B7(b9) / C~ / / / Bb7 / A7 / D7(9) / / /


o-fender te Per-dão Foi receio de perder te Meu amor

G7(13) / / / C~ / Bbm6 / Am6 / G7 G#0 Am7 /


Por favor Eu pe~o o teu perdão, por com-paixão Só

E7(b9) / Am7/ C7/G / F#o / FO / Am/E / Am/C A7/C#


é puro aquele amor Quem es-quece e que perdo a

Dm7 / G7(13) CitO Am7 / Am/C / B7/F# /


É por is so que te pe~o Não vais me jogar pro Ia do O que

E7/G# / Am7
se deu foi coi-sa à to--a

112
Songbook o Ary Barroso

C ~G F~m7(11) B 7(h9) C~

I~; lBr~~~~~tF==S
A7 D7(9)

~~~§~~~~~~
---
C~ B~m6 Am6

G7 Am7 E 7(b9) Am7 C7/G

F#O A mIE A mlC A 7/C# Dm7

I~~*~~~)~ij~) ~~

~~·l_,
G7(13) G#O A m7 AmlG B71F# E7/G#

Am7 G~(9) G7(9)

~. m 1.D. :~

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro· Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. lnternational Copyright Secured.

113
Songbook o Ary Barroso

Pra machucar meu coração


ARYBARROSO

I I IvgvllNI
D7M/F# F"(b13) Em7 A7 A7(#5) D~ DH9)

D7(9) G7M Gm6 B7(b9) A7(b9) D7M(9)


vi Bm7(9)

F#7(13) F#7(b13) E7(9) Bm] E7(13) E7(b13)

!lmlllll
D7M/F# / FO(b13) / Em7 / / / A7 / A7(#5) / m / A7(#5)
Es-tá fazendo um a no e meio, amor Que o nosso lar desmoro-nou

/ Dá (9) / D7(9) / G7M / / / Gm6 / / / D7M/F# / / /


Meu sabi-ã Meu violão E uma cruel desilu-são Foi tudo o que

FO(b13) / / / Em7 / B7(b9) / Em7 / A7(b9) / D~ / A7(#5) / D7M/F# /


fi-cou Fi-cou pra machu--car meu cora--ção Es-tá fazendo

Em7 / / / A7 / A7(#5) / m / A7(#5) / Dá(9) /


um a---no e meio, amor Que o nosso lar desmoro-nou Meu

D7(9) / G7M / / / Gm6 / / / D7M/F# / / / FO(b13) / / /


sabi-ã Meu violão E uma cruel desilu-são Foi tudo o que fi--cou

Em7 / B7(b9) / Em7 / A7(b9) / D7M(9) / m / Em7 / A7 /


Fi--cou pra machu--car meu cora--ção Quem sabe, não foi bem

D7M(9) / Bm7(9) / Em7 / A7 / F#7(13) / F#7 (b 13) / B7(b9) /


me-lhor assim Melhor pra vo--cê e me-lhor pra mim A vida é

/ / E7(9) / Bm3 / E7(13) / E7(b13) / Em7 / A7(b9) /


uma esco-la Onde a gente precisa apren-der A ci-ência de vi-ver pra não so-frer

114
Songbook o Ary Barroso

A7(~5) D~ A 7(~5) Dá(9) D7(9)

• ~,~~§~~~~
G7M Gm6 D7MIF~

~~J~~~~

FO(b13) Em7 B7(b9)

~~O~r ~fF~f~~-~ir~~

_~~:I~~~~~
Em7 A 7(b9) A 7(#5) II'D7M(9l D~

fim

Em7 A7 B m7(9) Em7

E7(9) Bm~ E 7(13) E 7(b13) E m7 A 7 (b9)

~~I t 1~) ~~ ~j~

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A I DÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro. - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. Intemational Copyright Secured.

115
Songbook o Ary Barroso

Rio de Janeiro
(Isto é o meu Brasil)
ARYBARROSO

Eb6 Gb" Fm7 C7(b9) F7 Bb7 Bb7(#5)

Gm7(b5) C7 Abm6 Eb/G B7/F# Bb7(9) B7(9)

1119111
Eb6 I I I I I I I I I I I I I I I I I I I
Ô, nos-sas praias são tão e1a-ras Nos-sas flores são tão ra-ras

Gbo I I I Fm7 I I I C7(b9) III Fm7 I I I C7(b9) I I I Fm7


Is--to é o meu Brasil Ô, nos-sas fontes nos-sas i--lhas e

I I I C7(b9) I I I Fm7 I I IF7 I I I Bb7 I I I


ma--tas Nos-sos montes, nos-sas lin~as casca-tas Deus foi quem CrI-OU Ô,

Bb7(#5) I I I Eb6 I I I I I I I I I I I I I I I I I I
ô

Ô, rni-nha terra bra-silei-ra Ou-ve esta canção ligei-ra

I Gm7(b5) I C7(b9) I Fm7 I C7 IFm7


I I I Abm6 I I I I I
Que eu fiz quase lou--co de sau------<:la----de Brasil, tan-ge as cor------<:Ias

I I Eb6 I I I Eb/G I B7/F# I Fm7 I I I Bb7(9) I


dos seus vi-olões E can ta o teu canto de amor Que vai fun do

I I B7(9) I I I I I I I
nos co-ra-ções

116
Songbook o Ary Barroso

Fm7 C7(~9) Fm7

C 7(~9) Fm7 C 7(~9)

Gm7(~5) C 7(~9) Fm7 C7 Fm7

~~~~-~~~fr~~~~

Eb/G n 71F# Fm7 nb7(9)

tF% \~~7 ~

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. International Copyright Secured.

117
Songbook o Ary Barroso

Rancho das namoradas


ARY BARROSO E VINICIUS DE MORAES

Em7 Am7 F#m7(bS) B7 Bm7 BbO B7(b9)

II1III1 E7 F#7 E E6 C#7 F#m7

I na I I I t1I
Em7 / / / Am7 / / / F#m7(bS) / B7 / Em7/ / / / / / /
Já vem raiando a madru-ga-da A--cor da, que lin-do! Mesmo a tristeza está

Bm7/ / / Bbo / / / B7(b9) / / / Em7 / /


sor-rin--do Entre as flores da manhã Se a-brindo nas cores do céu O véu das nuvens

/ Am7 / / / F#m7(b5) / B7 / E7 / / / Am7 / /


que esvo-a--çam Que pas---sam pela estrela a mor-rer Pa-recem nos dizer Que

B7 Em7 / / / F#7 / B7 / E / B7 / E6 /
não e-xiste beleza maior Do que o a-ma--nhe-cer E no entanto mai-or Bem maior que a

C#7 / F#m7 / / / B~ / B7 /
do céu Bem maior que a do mar Maior que toda a natu-reza É a beleza que tem a mulher

A#Ü / E B7 E6/G# / GO / F#m7 / / / /


namo-ra-da Seu corpo é assim como a au-rora ar-den--te Sua alma é uma estrela

F#7 / B7 / / / E6 / C#7 /
ino--cente Seu corpo é uma rosa fechada E em seu seio, pu-dores Renascem das dores de antigos

F#m7 / / / / B7 / A#O / E E7 Am7


a-mores Que vieram, mas não eram o amor que se es-pera O amor prima-ve--ra São tantos

/ / / / C#7 / F#m7 / B7 / E
seus encantos Que para os compa-rar Nem mesmo a beleza que têm As auroras no mar

118
Songbook o Ary Barroso

Em7 Am7 F#m7(~5) B7

ê!f fr" ~
Em7 Bm7

Am7 F#m7(~5) B7 E7

A m7 A m7 B7 E m7 F# 7 B7

~~)~It~
E B7 E6 C#7 F#m7

~
~~

F#m7 F#7/C# F#7 B7

J~M~" §êij~~~~' ~~~


E6 C#7 F#m7

B~ B7 Af E E7 A m7

~ rr· ~~~
EIB C#7 F#m7 B7 3 E

~~1 ~--ij~) ~
Copyright by EDIÇÕES EUTERPE LTDA.
Rua Sete de Setembro, 98/3° andar - Rio de Janeiro - Brasil
Todos os direitos reservados para todos os países do mundo - Ali rights reserved.

119
Songbook o Ary Barroso

Salada mista
ARYBARROSO

D6 D/F# F" Em A7 D7 C#7

um I I I I WI I
C7 B7 B7/F# G6 Gm6 D/C F#m7

IIImll19
/ D6 / / / / / / / D/F# / / FO Em / / / / / /
Uma pi-tada de massa de tomate All right Ali right E três gotinhas de molho

/ A7 / / / Em / A7 / D6 / / / D7 / C#7 / C7 / B7 / Em /
in-glês Q-k Q-k Algumas gramas de petit-po-is Fran-çois

B7/F# / Em / / / G6 / Gm6 / D/F# / / FO Em /


Fran-çois E ficou pronto o pirão do chance-ler Que papou de colher Que

A7 / D6 / D/C / G6 / Gm6 / D/F# / / FO Em


pa-pou de colher E ficou pronto o pirão do chance-Ier Que papou de colher

/ A7 / D6 / / / A7 / / / D6 / / / A7 / / /
Que pa-pou de colher Disse o francês: "Qui, oui, oui" Disse o in-glês: Yes, yes,

D6 / D/C / G6 / / / F#m7 / B7 / Em / A7
yes Quem não gos-tou foi o tchecoslova co Que deu o cava-co Que deu o

/ D6 / D/C / G6 / / / F#m7 / B7 / Em / A7 /
cava----co I-tali-ano entrou então na sala--da E não sobrou na----da E não sobrou

D6 /
na----da

D6 DIF~

~
; "1
DIF~

~
*
120
Songbook o Ary Barroso

Em A7 D6 D7
3

C7 B7 Em B7/F~ Em

~i_ G6 Gm6 D/F~ D/F~ FO Em

~i_ A7

D/F#
D6

Em
D/C

A7
G6

D6
Gm6 D/F~

A7

D6 A7 D6

J t4~~i ~~ê~J~t4~
~i~i~
D/C G6 F#m7 B7 Em

A7 D6 D/C G6 F#m7

~~~~1~
B7 Em A7 D6

Copyright by IRMÃOS VIT ALE SI A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
AlI rights reserved. International Copyright Secured.

121
Songbook o Ary Barroso

Segura està mulher


ARYBARROSO

<;6 Aro7 G/B C A7 D7(#5)

I 1mI II
G6 / / / Am7 / G/B / c / G/B / A7 / D7(#5) / G6
Se-gura esta mulher Ela quer fu-gir Rou-bou meu cora-ção Não pode es--ca-pu-lir, oi! Se-gura

/ / / Am7 / G/B / C / G/D / D7 / G / C / /


esta mulher Ela quer fu-gir Rou-bou meu cora-ção Não pode es--ca-pu-lir, Eu não

/ G6 / / B7/F# Em / A7 / D7 / D7(#5) / G6 / /
se! o que vai ser, meu a-mor Não sejas "desmancha-pra-zer", oi! Se-gura esta mulher

/ Am7 / G/B / C / G/B / A7 / D7(#5) / G6 / / / Am7


Ela quer fu-gir Rou-bou meu cora--cão Não pode es--ca-pu-lir, oi! Se-gura esta mulher Ela quer

/ G/B / C / G/D / D7 / G / C / / / G6 / /
fu-gir Rou-bou meu cora-ção Não pode es--ca-pu-lir Fui bem pesa-dinho Eu sei,

B7/F# Em / A7 / D7 / D7(#5) / G6 / / / Am7 / G/B /


meu a-mor De outra mu-lher não gosta-rei, oi Se-gura esta mulher Ela quer fu-gir

C / G/B / A7 / D7(#5) / G6 / / / Am7 / G/B / C


Rou-bou meu cora-ção Não pode es--ca-pu-lir, oi Se-gura esta mulher Ela quer fu-gir Rou-bou

/ G/D / D7 / G
meu cora-ção Não pode es--ca-pu-lir

G6 Am7 GIB C

GIB A7 D 7(#5) G6

122
Songbook o Ary Barroso

Am7 GIB c GID D7

G c G6 G6 B71F#

Em A7 D7 D7(ftS)

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. IntemationaI Copyright Secured.

123
Songbook o Ary Barroso

Sentinela alerta
ARYBARROSO

/ Cm / Gm/Bb / Fm/Ab / / G7 Cm / Cm/Bb / AO / Abo/ GO / C7


Senti-ne-Ia a-ler ta O ini-migo é astu--cio so Um descui---<:lo

/ Bbo/F / Fm / Cm Cm/Bb AO G7 Cm Fm/C Cm


é mor-te cer ta E o ama-nhã é sem pre du vido--so

t Cm
Cora-ção
/ Gm/Bb / Fm/Ab
a-ler
/ / G7 Cm /
ta O
Cm/Bb
a-mar é o
/
i-nimi--go
AO / Ab? / GO /
Sor-ratei--ro
C7

/ Bbo/F / Fm / Cm Cm/Bb AO G7 Cm FnvC Cm / Bb7 /


te desper ta Ouve es-te conse lho de ami--go Sou qual

/ / Eb / / / G7 / / / Db7 / C7 /
pássaro feri---<:lo Perdido, caído por dois o---lhos Que, de maus, me aban--dona ram

Fm / / / Cm / Cm/Bb / AO / G7 /
Hoje vivo da sauda---de Da felici-clade que o amor prome-teu Mas não me deu

Cm Fm/C Cm

~Cm FrnlAb FrnlAb G7 Cm


rubato samba

tf>h; ~
c m!Bb AO C7

~~~M~~
124
Songbook o Ary Barroso

.~~~~q~~~. Fm Cm CmJB~ AO G7 Cm FmlC

1t rubato
I'em

G7 D~7 C7

Fm Cm

~ª}* ~ 1 t
~l=jFj
G7 Cm FmlC Cm

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. Intemational Copyright Secured.

125
Songbook o Ary Barroso

Terra seca
ARYBARROSO

Em Em/D Am6/C B7 Em* Em/D# Em/D* C#m7(bS)

IIUlllllm
C7M* Em/B* Am Am>G Dm6/F E7 Am* Am/G#*

Illflllll
Am/G* F#m7(bS)* F7M* Am/E* Am7 D7(9) G6 A#"

IIIII~III
B7 E G#m/D# C#m7 Bm6/D C#7 F#m F#m(7M)

I I~I~I~I~I
II
F#m7 Bm6/F# F#m/E F#7(13) F#7(b13) B~ (9) B7(9) F#m*

1IIIIIInl
F#m/E#* F#m/E* Am/E B7/D# A6/C# E/D E7(9) A7M

nlnnI1VIill~I"I~
A6 B~(b9) B7(b9) B7(b9)* E(add9) Am6/

vl~lIIII
IVI
E

126
Songbook o Ary Barroso

Em EOVD Am6/C B7 Em* Em/D# Em/D* C#m7(b5) C7M


O nego tá moia do de su-or (Tra-baia, tra-baia, ne:----go)

Em* Em/D# Em/D* C#m7(bS) C7M EOVB Am Dm6/F E7


(Tra-baia, tra-baia, ne go) As mãos do ne go tá que é

Am* Am/G#* Am/G* F#m7(b5)* F7M* Am/E* Am* Am/G#* Am/G* F#m7(b5)* F7M*
calo só (Tra-baia, tra-baia, ne go) (Tra-baia, tra-baia, ne----go)

Am7 / D7(9) / Am7 / D7(9) / G6


Ai, meu Se-nhor Ne-go tá véio Não aguen--ta Esta terra tão dura, tão

A#O / B7 / Em* Em/D# EOVD* C#m7(b5) C7M Em/B Em* Em/D#


seca, poei-ren--ta (Tra-baia, tra-baia, ne----go) (Tra-baia,

Em/D* C#m7(bS) C7M Em/B Em Am6/C B7 Em* Em/D#


tra-baia, ne:----go) Nego pe:----de li-cença pra pa-rar (Tra-baia,

Em/D* C#m7(bS) C7M Em/B Em* Em/D# Em/D* C#m7(bS) C7M


tra-baia, ne----go) (Tra-baia, tra-baia, ne----go) Nego

Am6/C B7 E G#OVD# C#m7 B7 E G#m/D# C#m7 B7 E


não pode mais trabai-á Quando o ne go che-gou por a-qui

G#m/D# C#m7 B7 E G#m/D# C#m7 B7 E G#m/D# Bm6/D C#7 F#m


Era mais vivo e li-geiro que o sa-ci Va-rava

F#m(7M) F#m7 Bm6/F# F#m F#m/E Bm6/D C#7 F#7(13) /


estes rios, estas matas, estes campos sem fim Nego era moço e a

F#7(b13) / B~(9) / B7(9) / E G#rn/D# Bm6/D C#7


vida, um brinquedo pra mim Mas esse tempo passou E esta terra secou

/ C#7 / F#m* F#m/E# AIIVE


ô, ô, ô, Ô A ve-Ihice chegou E o brin-quedo quebrou

B7 E G#m/D# E/D E7(9) A7M / A6 / F#7(13)


Si-nhô, nego véi o tem pe---na de ter se acaba do Si-nhô, nego

/ F#7(b13) / B~(b9) / B7(b9) / E G#m/D# Bm6/D C#7


véi-o carre ga este corpo can-sa do Mas esse tempo passou E esta terra

Bm6/D / C#7 / F#m* F#m/E# F#m/E AIIVE B7/D# A6/C#


secou Ô, Ô, ô, Ô A ve-lhice chegou E o brin-quedo quebrou

Am6/C B7 E G#m/D# E/D E7(9) A7M / A6 / F#7(13)


Si-nhô, nego vé io tem pe---na de ter se acaba do Si-nhô

F#7(b13) m (9) B7(b9)* E(add9) / Am6/E / E(add9) / / /


nego vé !O carre ga este cor po cansa do

127
Songbook o Ary Barroso

Terra seca

Em EmID

D7(9) Am7

B7

Em EmID

1-
Am6/C B7
EmIB

1 L EmID#
1
p1r bJ 1-
128
Songbook o Ary Barroso

E G~mID~ qm7 B7 E G~mID~ qm7 B7 E G~mID~ qm7 B7

~ i;mr~ f=F~
F~m F~m(7M) F~m7 B m61F~

B m6/D C~7 F#7(13) B 7(9)

F~mIE* A mIE B 71D# A 6/C# A m6/C B7 E G# m1D# EID E 7(9)

~~~j
~rr~
1

A7M A6 1 F~7(13)

Am61E E(add9)

Copyright by IRMÃOS VITALE S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
AlI rights reserved. Intemational Copyright Secured.

129
Songbook o Ary Barroso

Tu
ARYBARROSO

E7M C#7(b9) F#rn7 F7(#11) D#m7(bS) G#7(b13) C#m7

D#7(b9) G#m(7M) G#m7 F#~ F#7 B7(9)

CU Bm6 Bb7(#11) A6 C7(9) B~(9) D7(9)

C#l (9) C#7(9) A7M A#m7(bS) Bl (9)* Bl (b9) E~

E7M / C#7(b9) / F#m7 / F7(#11) / E7M / C#7(b9) / F#m7 /


Teu olhar é um sonho a-zul Teu sorriso, uma promessa louca

D#m7(b5) G#7(b13) C#m7 / D#7(b9) / G#m(7M) / G#m7 G~ F#~ / F#7 / F#m7


Teus lábios, duas jóias de co-ral No en-gaste sensu-al

/ B7(9) CO C#m7 / Bm6 Bb7(#11) A6 / / C7(9) B~ (9) / B7(9) /


de tua boca o mais lindo lu-ar Tu A grandeza do mar

E7M / / D7(9) C#~ (9) / C#7(9) C#7(b9) F#m7 / G#7(b13) / A7M


Tu Só te quero a ti Só te sinto a ti Só palpito por ti És

A#m7(b5) B~(9)* B~(b9) E~ /


minha vida, queri---<la

130
Songbook o Ary Barroso

E7M F#m7 F7(#11) E7M

G#m(7M) G#m7 G~ F#m7

_~~~~I*~J~

~~.ª~
TI7(9) C o C#m7 TIm6 Bb7(#11) A6 A6 C 7(9)

tt~~~
TI~(9) TI7(9) E 7M E 7M D 7(9) C#~ (9)

~~~Ff~~ª~~
C#7(9) C#7(b9) F#m7 G#7(b13) A 7M A#m7(bS) B ~(9) B ~(b9)

~~.~IJ·
E~

~~ .. ~~~

Copyright by IRMÃOS VIT ALE SI A INDÚSTRIA E COMÉRCIO


São Paulo - Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os países.
Ali rights reserved. Intemational Copyright Secured.

131
Songbook o Ary Barroso

Um samba em Piedade
ARYBARROSO

E6 D7(9) F#m7 B7 E7

I IVI I ti I I
A6 G#m7 G"

E6 / D7(9) / E6 / / F#m7 / B7 / E6 /
Eu fui num sam--ba Pra ma-tar minha sauda--<le Na Pieda--de Na Pieda---<le

/ / E6 / D7(9) / E6 / / F#m7 / B7
Eu fui num samba Pra ma-tar minha sauda---de Na Pieda----<de Na

/ E6 / E7 / A6 / / / / G#m7 F#m7
Pieda---<le Rapazi-ada, no batuque nun--ca fa---Iha Quando a roda está forma--da

/ B7 / E6 / E7 / A6 / / / /
Bate a-té chapéu de pa--Iha Gente da-nada, pra sambar tá sem-pre bo---,a Samba a

G#m7 F#m7 / B7 / E6 E6 / /
filha da cria-da E a fa-mília da patro--a (Escolhe!) Eu fui num sam--ba Pra

D7(9) / E6 / / F#m7 / B7 / E6 / / /
ma-tar minha sauda---<le Na Pieda----de Na Pieda---de Eu fui num

E6 / D7(9) / E6 / / FO F#m7 / B7 / E6 / E7 /
samba Pra ma-tar minha sauda--<le Na Pieda-de Na Pieda---<le Não tem

A6 / / / E/G# / G#m7 GO F#m7 / B7


ban--deira Pra sambar ninguém se ave--xe Mexe a-té moça soltei--ra E as ca-sadas

/ E6 / E7 / A6 / / / E/G# / G#m7
tam-bém me--xe E a cozi-nheira Pra pegar também o de Ia Vai me-xendo com

GO F#m7 / B7 / E6 ~
as cadei ra Enquanto mexe com as pane--la (E agora?)

\
132
Songbook o Ary Barroso

F#m7 ll7 E6

~~. 1~IY
~~. 1§_

D 7(9) E6 E6 F#m7 ll7

~~. 1§ §~. 1~IY~


E6 E7 A6 E/G#

ll7 E6 t

Copyright by ARY BARROSO.


Todos os direitos reservados para todos os países do mundo - Ali rights reserved.

133
Songbook o Ary Barroso

Vamos deixar de intimidade


ARYBARROSO

Drn A7 Frn D7

G7 / / / C6 / / / G7 / / /
Mulher Vamos deixar de intimida---de Entre nós, mais na---da exis-te Nem o

C/E Ebo G7/D / G7 / / / C6 / / / G7


a-mor, nem a sauda de Mulher Vamos deixar de intimida---de Entre nós,

/ / / Dm/A G7/B C6 / C/E Ebo Dm


mais na---da exis-te Nem o a-mar, nem a sauda--de Tu ju-raste, cer--to di--a

/ G7 / C6 / A7/C# / Dm / G7 / C6 /
Aos meus pés cinicamen--te Que o a-mor não morreri---a Ele foi, zombou da gen--te

/ A7 / / / Dm / Fm / C/G A7
Mas veio ou--tro Me puseste na [U--a Eu também não me incomo do Minha

D7 G7 C6 / / / G7 / / / C6 / / / G7
vida con--tinu--a Mulher Vamos deixar de intimida---de Entre nós, mais

/ / / C/E Ebo G7/D / G7 / / / C6


na---da exis-te Nem o a-mar, nem a sauda de Mulher Vamos deixar de

/ / / G7 / / / Dm/A G7/B C6 /
intimida-de Entre nós, mais na---da exis-te Nem o a-mar, nem a sauda-de Um

C/E Ebo Dm / G7 / C6 / A7/C# / Dm /


a-mar que a gen--te per--de É se-mente de outro amor Se pra tudo tem remé-dio

G7 / C6 / C/Bb / A7 / / / Dm
também tem remé---dio a dor Ah, o meu san--to que me guarda É muito for--te

Fm / C/G A7 D7 G7 C6
Se me livrou dos teus o-lhos Também me livra da mor--te

134
Songbook o Ary Barroso

~ G7 C6

Ig~i~l~~*~J~· ~~. "I~

G7 r elE E~o G7{f) ~ ir:-


I~ ~. l~. í~~. "I§
DmlA G7m C6 CIE do Dm G7

~.~.í~-~.~

C6 A 7/C# Dm G7 C6

cm~ A7 Dm Fm

C/G A7 D7 G7 C6

Copyright by ARY BARROSO.


Todos os direitos reservados para todos os países do mundo - AIl rights reserved.

135