Anda di halaman 1dari 5

Instrumentos da Pesquisa Qualitativa

Observação e Entrevista

Observação

É uma técnica de coleita de dados para conseguir informações e utiliza os

sentidos na obtenção de determinados aspectos da realidade a respeito de objectivos sobre os quais os indivíduos não tem consciência, mas que orientam seu comportamento Não consiste apenas em ver e ouvir, mas também em examinar factos ou ferramentas que se deseja estudar.

A observação pode ser utilizada na pesquisa conjugada a outras técnicas ou de

forma exclusiva.

Pode ser utilizada como procedimento científico à medida que atende aos seguintes requisitos:

- serve a um objectivo formulado de pesquisa;

- é sistematicamente planeada;

- é submetida a verificação e controle de validade e precisão;

Tipos de Observação

Na investigação científica são empregadas várias modalidades de observação, que variam consoante as circunstâncias.

Segundo os meios utilizados:

Observação não estrutura: é a que se realiza sem planeamento e sem controle antes elaborados, como decorrência de fenómenos que surgem de imprevisto.

Observação estruturada: é a que se realiza em condições controladas para se responder a propósitos, que foram anteriormente definidos. Requer planeamento e necessita de operações específicas para o seu desenvolvimento.

Segundo a participação do observador:

Participante: consiste na participação real do pesquisador com a comunidade ou grupo. Em geral são apontados duas formas:

Natural - o observador pertence à mesma comunidade ou grupo que investiga.

Artificial - o observador integra-se ao grupo com a finalidade de obter informações.

Vantagens:

- Facilita o rápido acesso a dados sobre situações habituais em que os membros das comunidades encontram-se envolvidos;

- Possibilita o acesso a dados que a comunidade ou grupo considera de domínio privado;

- Possibilita captar as palavras de esclarecimento que acompanham o comportamento dos observados.

Desvantagens:

- Restrições. Pode significar uma visão parcial do objecto estudado;

- Desconfiança do grupo investigado em relação ao pesquisador;

Não participante: o observador toma contacto com a comunidade, grupo ou realidade estudada, mas sem integrar-se a ela - permanece de fora.

Vantagens:

- Possibilita a obtenção de elementos para a definição do problema de pesquisa;

- Favorece a construcção de hipóteses acerca do problema do pesquisador;

- Facilita a obtenção de dados sem produzir suspeitas nos membros das comunidades, grupos ou instituições que estão a ser estudados.

Desvantagens:

- É canalizada pelos gostos e afeições do pesquisador. Muitas vezes a sua atenção

é desviada para o lado pitoresco, exótico ou raro do fenómeno;

- O registo das observações depende, frequentemente, da memória do investigador;

- Dá ampla margem à interpretação subjectiva e parcial do fenómeno estudado.

Segundo o número de observadores:

Individual: é a técnica de observação realizada por um pesquisador. Neste caso,

a personalidade dele projecta-se sobre o observado, fazendo algumas inferências ou distorções, pela limitada possibilidade de controles.

Em equipa: é a mais aconselhável, pois o grupo pode observar a ocorrência de vários ângulos.

Pontos a ter em consideração da observação estruturada

pois o grupo pode observar a ocorrência de vários ângulos. Pontos a ter em consideração da

Principal problema com a observação

O principal problema é que a presença do pesquisador que pode provocar

alterações no comportamento dos observados, destruindo a espontaneidade dos

mesmos e produzindo resultados pouco confiáveis.

Entrevista

“A entrevista é um método de recolha de informações que consiste em conversas orais, individuais ou de grupos, com várias pessoas seleccionadas cuidadosamente, cujo grau de pertinência, validade e fiabilidade é analisado na perspectiva dos objectivos da recolha de informações” (Ketele, 1999: 18). Através de um questionamento oral ou de uma conversa, um indíviduo pode ser interrogado sobre os seus actos, as suas ideias ou os seus projectos. Previamente, a entrevista carece de um propósito (tema, objectivos e dimensões) bem definifo e é essencial ter uma imagem do entrevistado, procurando caracterizar sucintamente a sua pessoa. De seguida, seleccionam-se a amostra dos indíviduos a entrevistar segundo um método representativoda população ou oportunidade.

É uma conversa com um objectivo. ´um encontro interpessoal que se desenrola

num contexto e numa situação social determinados, implicando a presença de um profissional e de um leigo. A entrevista é uma conversa intencional, geralmente dirigida por uma das pessoas, com o objectivo de obter informações sbre a outra.

Características da entrevista

- Requer pessoal especializado

- Possibilita diversidade relativamente às questões e respostas

- Maior eficácia de resposta

- Interacção directa

- Reformulação constante

- Papel activo do entrevistador

- Oportunidade para aprofundar

- Recolha oral de informação

Entrevista Não-Estruturada

É considerada um entrevista aberta pois não segue um guião prévio estruturado.

O entrevistador propõe um tema que se desenvolve no fluir de uma conversa. As questões emergem tipicamente do contexto imidiato em que o entrevistador promove, encoraja e orienta a participação do sujeito e fornece a tomada de consciência dos entrevistados.

Pontos fortes:

- Permite ao entrevistador ter uma boa percepçãp das diferenças individuais e mudanças.

- As questões podem ser individualizadas para melhor comunicação.

Pontos fracos:

- Requer muito tempo para obter informação sistemática.

- Depnde bastante das capacidades e treino do entrevistador.

Entrevista Semi-Estruturada

Caracteriza-se pela excelência de um guião previamente preparado que serve de eixo orientador ao desenvolvimento da entrevista. Procura garantir que os diversos participantes respondam às mesmas questões mantendo um elevado grau de flexibilidade na exploração das mesmas. Est tipo de entrevista não exige uma ordem rigida nas questões e o seu desenvolvimento vai-se adaptando ao entrevistado.

Pontos fortes:

- Optimização do tempo disponivel

- Tratamento mais sistemático de dados.

- Especialmente aconselhada para entrevistas a grupos.

- Permite seleccionar temáticas para aprofundamento.

- Permite introduzir novas questões.

Pontos fracos:

- Requer uma boa preparação por parte do entrevistador.

Entrevista Estruturada

Caracteriza-se por ser sistemática pois as questões colocadas são previamente escritas, as palavras utilizadas são escolhidas e sondadas previamente e as categorias possiveis de respostas estão previamente definidas. Neste tipo de entrevista é importante mnimizar a variação entre as questões postas aos entrevistados. É composta por questões fechadas de modo a obter dados sobre a amostra. Há maior uniformidade no tipo de informação recolhida e há vários entrevistadores. Por último, a avaliação das respostas durante a entrevista é reduzida.

Pontos fortes:

- Facilita análise dos dados.

- Permite a replicação do estudo.

Pontos fracos:

- A flexibilidade e espontaneidade são reduzidas.

- Reduz ou anula a possibilidade de aprofundar questões que não foram

antecipadamente pensadas.

- Circustâncias e elementos pessoais não são tomados em consideração.

Para planear uma entrevista, primeiro selecciona-se os participanetes, de seguida especifica-se as dimensões que pretendemos estudar e elabora-se as questões. Por último, selecciona-se os entrevistadores que tenham experiência.

Vantagens da entrevista:

A) possibilita a obtenção de dados referentes aos mais diversos aspectos da vida

social;

B) é eficiente para a obtenção de dados em profundidade;

C) os dados obtidos são susceptíveis de classificação e quantificação;

D) não exige que a pessoa entrevistada saiba ler;

E) possibilita um maior número de respostas, pois é mais fácil se negar a

responder a um questionário do que a ser entrevistado;

F) oferece maior flexibilidade ao pesquisador;

G) possibilita captar a expressão corporal do entrevistado.

Desvantagens da entrevista:

A) Falta de motivação do entrevistado;

B) A inadequada compreensão do significado das perguntas;

C) O fornecimento de respostas falsas;

D) Inabilidade do entrevistado para responder;

E) Influência exercida pelo aspecto pessoal do entrevistador sobre o entrevistado;

F) Influência das opiniões pessoais do entrevistador sobre as respostas do

entrevistado;

G) Custos do treinamento de pessoal e aplicação das entrevistas.