Anda di halaman 1dari 8

IMPORTÂNCIA DOS QUINTAIS PRODUTIVOS PARA SEGURANÇA

ALIMENTAR

DAMASCENO, Maria Ivanilde Fidelis1; SOUSA, José Emannuel Lima1; SANTOS, Maria
Neila Ferreira dos1 ; NASCIMENTO, Francisca Cristina do1; LIMA, Antônio Vitor Nobre
de1; GONÇALVES, Florença Moreira1
1
Centro de Estudos do Trabalho e de Assessoria ao Trabalhador – CETRA (ivanilde@cetra.org.br)

Resumo
O uso das práticas agroecológicas nos quintais produtivos tem influência direta sobre a
segurança alimentar e nutricional e consequentemente qualidade de vida das famílias que
trabalham utilizando essa metodologia, com isso o objetivo do presente trabalho é ressaltar a
importância dos quintais produtivos como forma de envolver toda unidade familiar para
adoção das práticas agroecológicas, garantindo a segurança alimentar e nutricional e para
geração de renda. Esse trabalho vem sendo realizado mediante processos de formações
através oficinas, encontros, seminários e intercâmbios realizadas nas
comunidades/assentamentos pelos/as técnicos/as do CETRA. A produção dos quintais
agroecológicos está favorecendo que as famílias se alimentem melhor, bem como um
aumento da renda familiar, mediante a comercialização dos produtos e consequentemente
melhorando a qualidade de vida das famílias envolvidas. Agricultores e agricultoras já estão
conscientizados dos benefícios trazidos pelas práticas de manejo agroecológico utilizados nos
quintais produtivos.

Palavras-chave: Agroecologia; aumento da renda; formação; saúde; segurança nutricional.


Introdução
A tecnologia social quintais produtivos agroecológicos, apresenta e resgata valores
inerentes aos espaços do quintal, com toda sua simbologia, suas estórias, sua importância na
convivência familiar e comunitária. O quintal possui relevância cultural, social, econômico e
político. (LEONEL, 2010). Os quintais produtivos são sistemas agroflorestais destinados a
colaborar com a segurança alimentar, renda, saúde e outras necessidades básicas, de pequenos
agricultores e suas famílias, em várias partes do mundo. A grande diversidade de espécies
vegetais presentes nestes espaços refletem a bagagem cultural, a situação social e econômica
de seus proprietários, e seus planos para o futuro (SABLAYROLLES, 2004). O termo
¨quintal¨ é usado para se referir ao espaço do terreno situado ao redor da casa, regularmente
manejado, onde são cultivadas plantas para vários fins, tais como: alimentares,
condimentares, medicinais, ornamentais, etc., e criados animais domésticos de pequeno porte
como: galinhas, patos e cachorros (AMOROZO e GÉLY, 1988; LIMA e SARAGOUSSI,
2000; WINKLERPRINS, 2002).
Os quintais produtivos podem ser utilizados na unidade familiar como parte integrante
de sua missão de promover a agricultura familiar como estratégia para o desenvolvimento
rural sustentável, economicamente viável e ecologicamente correto. Não podemos considerar
somente aspectos referentes à produção agrícola e à renda, mas às pessoas que a compõem.
Esse contexto inclui mudanças econômicas, ambientais e nas relações sociais, dentre outras, e
a desconfiança de que o aporte do trabalho ao fortalecimento da agricultura familiar pode não
estar sendo apropriado de maneira igualitária por todos os membros da família.
Objetivou-se com esse trabalho ressaltar a importância dos quintais produtivos como
forma de envolver toda unidade familiar para adoção das práticas agroecológicas, buscando
garantir a segurança alimentar e nutricional e geração de renda.

Material e Métodos
Esse trabalho está sendo realizado em vinte comunidades/assentamentos localizadas no
Sertão Central Cearense, onde o Centro de Estudos do Trabalho e Assessoria ao Trabalhador -
CETRA é responsável pelas formações relativas ao uso das práticas agroecológicas,
realização de processos de formações.
Para a identificação das vinte comunidades/assentamentos, foi considerado
contextualização dos processos de aprendizagem relacionados a realidade local como
estratégia de sensibilização, mobilização e organização das famílias interessadas em fazer
parte desse trabalho. Essa estratégia possibilitou a reflexão conjunta de situações problemas e
soluções apropriadas à melhoria da qualidade de vida. Assim, foram criadas as condições para
socialização da proposta de sistematização dos quintais agroecológicos junto as famílias
envolvidas. Para seleção das familias participantes foi considerado como principal critério que
a familia fosse ou tivesse interesse em experimentar a agroecologia.
O acompanhamento técnico vem sendo realizado periodicamente pelos técnicos do
CETRA, e os processos de formações são contínuos a partir de demandas das comunidades.
Foram selecionadas incialmente vinte e uma que estão sendo beneficiadas pelo projeto na
região do Sertão Central Cearense são elas: Teodósio, Iracema, Olivença, Parelhas, Recreio,
Patos, São Bento, Jiqui, Logrador, Santa Maria, Ibiapaba, Lagoa do Mato, Freitas, Pau Darco,
Sergipe Paraná, Lages, Camará, Caraíbas, Lagoa de São Miguel, Boa Vista e São José.
No processo de acompanhamento inicial são fundamentais alguns procedimentos
técnicos que embasam a ação da equipe. O primeiro é a elaboração do mapa da unidade
familiar realizada pela familia que tem como objetivo identificar de forma visual o que há na
unidade e o segundo é aplicação do marco zero do quintal objetivando diagnosticar o que o
quintal apresenta antes da intervação do projeto.
Resultados e Discussão
Os agricultores já estão conscientes sob a eficácia do uso dos defensivos e fertilizantes
naturais, diversas são as formas de preparo dos medicamentos para combater as pragas que
venham a atacar os quitais, tais como: macerado de folha de ata Annona sp, macerado de
folha de ninho e o composto a base de castanha de caju que são utilizados para combater as
pragas, a calda nutritiva é utilizada como um fertilizante natural, o termo macerado refere-se
ao líquido resultante da trituração das partes das plantas utilizadas.
A melhoria da qualidade de vida e alimentar resultante de um alimentação saudável
devido as práticas agroecológicas e do não uso de agrotóxicos pode ser observada nas
comunidades assistidas pelo projeto. De acordo com Amarante Júnior (2002), a exposição de
pessoas aos agrotóxicos, quer seja através do consumo de produtos contaminados ou do
contado direto, como é o caso dos agricultores, pode causar sérios problemas à saúde, que vão
desde irritações na pele e nos olhos, dermatites, dores de cabeça constantes, náusea, vômitos
até câncer.
Podemos observar um aumento da renda familiar nas famílias atendidas pelo projeto
onde algumas comercializam seus produtos nas feiras agroecológicas existentes no território
do Sertão Central Cearense.
Toda unidade familiar vem participando das atividades relacionadas ao quintal
produtivo, inserindo os jovens e mulheres no processo de conscientização do uso e benefícios
das práticas agroecológicas.

Figura 1 - Quintal Produtivo do Assentamento Freitas/Quixeramobim-CE.

Conclusão
Além de assegurar a estruturação e o dinaminismo dos quintais produtivos o projeto
com o CETRA tem conseguido garantir que as famílias envolvidas construam conhecimentos
agroecológicos a partir das suas próprias experiências e através da troca de experiências com
outras famílias. Os quintais produtivos expressam diversidade, marca maior da agricultura
familiar e são irradiadores da Agroecologia nas comunidades.

Referências Bibliográficas
AMARANTE JUNIOR, Ozelito Possidônio de, SANTOS, Teresa Cristina Rodrigues dos,
BRITO, Natilene Mesquita et al. Glifosato: propriedades, toxicidade, usos e legislação.
Química Nova, jul. 2002, vol.25, no.4, p.589-593. ISSN 0100-4042.

AMOROZO, M.C.M.; GÉLY, A. Uso de plantas medicinais por caboclos do Baixo


Amazonas. Barcarena, PA, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Série
Botânica, Belém, v.4., n.1, p. 47-131, 1988.

LEONEL, Junia Conceição. Quintais para Vida: tecnologia social no semiárido. Fortaleza:
CETRA, 2010.
LIMA, R.M.B.; SARAGOUSSI, M. Floodplain home gardens on the Central Amazon in
Brazil. In: JUNK, W. J. et al. (Eds.). The Central Amazon floodplain: actual use and
options for a sustainable management, Leiden: Backhuys, 2000. p. 243-268.

WINKLERPRINS, A.M.G.A. House-lot gardens in Santarém, Pará, Brazil: linking rural with
urban. Urban Ecosystems v. 6, p. 43-65, 2002.

Dia de Campo movimenta Fazenda Santo Izidro


Sex, 22 de Outubro de 2010 00:00

A Ematerce, em parceria com a prefeitura municipal de General Sampaio, realizou,


na quinta-feira, 21, um Dia de Campo sobre o Projeto Quintais Produtivos, no
município de General Sampaio, precisamente, na Fazenda Santo Izidro, onde três
agricultores familiares, Luciano Sales de Andrade, Francisco Alciano da Silva Gomes
e Francisco Ferreira da Silva, implementam esse experimento agropecuário. A
presidência da Ematerce esteve representada pelo gerente de apoio técnico, Engº
Agrº Cláudio Matoso.

Com este evento, a Ematerce contribui para reduzir os riscos econômicos e sociais,
que ocorrem, em decorrência da instabilidade climática e outros fatores, além de
incrementar a produtividade global da propriedade, garantir a segurança alimentar e
nutricional das famílias rurais.

Projeto Quintais Produtivos

Segundo o articulador da Rede Temática Metodologias Participativas, Engº Agrº José


Roberto Ribeiro Vieira, o Projeto Quintais Produtivos é um modelo de exploração,
conduzido por agricultores familiares, em pequenas áreas, definidas na unidade
produtiva, que se caracterizam pelo cultivo irrigado e diversificado de espécies
produtivas, agrícola ou pecuária e plantas medicinais, na mesma área, objetivando a
melhoria do padrão alimentar e a geração de renda.

Outro modelo de exploração incentivado é o sistema agroflorestal, que se refere à


forma de uso da terra, onde se processa ampla interação, entre o cultivo de árvores,
arbustos e explorações agrícolas ou pecuárias, resultando em um sistema de manejo
de produção economicamente viável e ecologicamente sustentado. As experiências,
conduzidas no momento, mostram a produção de hortaliças (cenoura, beterraba,
coentro, cebolinha, tomate, pimentão, berinjela), fruteiras (mamão, banana),
macaxeira, milho e feijão. Na pecuária, destaca-se a criação de galinhas caipiras,
patos e peixes.

Enfatizando, ainda, a importância do projeto, no meio rural, o técnico da Ematerce


afirmou que a produção dos agricultores familiares está sendo destinada ao
programa de aquisição de alimentos (PAA) do Governo Federal, cuja garantia de
comercialização estimula o aumento do número de comunidades envolvidas no
processo.

O Projeto Quintais Produtivos visa, ainda, proporcionar o incremento da renda,


estimular a experimentação e o espírito investigativo do agricultor familiar, promover
a inclusão de gênero e juventude, nas atividades econômicas e sociais, estimular a
organização rural e a preservação do meio ambiente. Informou, também, que, no dia
3 de dezembro vindouro, a Ematerce realizará idêntico Dia de Campo, desta feita no
município de Quiterianópolis.
OPINIÕES

A prefeita municipal de General Sampaio, Eliene Leite Araújo Brasileiro, disse ao


assessor de comunicação da Ematerce, Antonio José de Oliveira, que a realização
do dia de campo sobre quintais produtivos, em parceria com a prefeitura, ser
importantíssima, pois ensejava que se pudesse multiplicar essa prática agropecuária
para outras comunidades rurais.

A sua relevância deve-se – acrescentou – ao fato de contribuir para o aumento da


renda dos agricultores familiares e, consequentemente, proporcionar-lhes melhores
condições de vida, sem falar da ocupação de mão-de-obra ociosa, no campo,
sobretudo quando ocorre mais uma seca no Estado. “É preciso que multipliquemos
essa experiência agrícola, bastante produtiva, para quem cultiva a terra”, concluiu a
prefeita.

O agricultor familiar Luciano Sales Andrade, entusiasmado com o projeto fundos de


quintais, na presença dos parceiros do empreendimento agropecuário, Francisco
Alciano da Silva Gomes e Francisco Ferreira da Silva, assim se expressou: “Nós três
estamos satisfeitos com a produção agropecuária do projeto fundos de quintais. Na
verdade, virou uma atividade que nos dá boa renda, além do sustento de nossas
famílias. É melhor do que a produção de carvão, que fazíamos anteriormente, pois
evita o desmatamento e dá menos trabalho pra nós”. Em seguida, acrescentou que,
graças à atuação da Ematerce, tudo melhorou para eles e que continuariam
praticando uma agricultura com culturas diversificadas iguais à do projeto fundo de
quintais.

Para o representante do presidente da Ematerce, Itamar Teixeira Bezerra, o gerente


de apoio técnico, Engº Agrº Cláudio Matoso, disse tratar-se de um projeto muito
produtivo, em pleno semi-árido, que, além da produção de hortaliças, de frutas e de
aves (galinhas, patos e peixes), ajuda a aumentar a renda dos agricultores, melhora
suas condições de vida e gera empregos no campo. Elogiou, em nome da
presidência da Ematerce, a iniciativa da prefeitura, na presença da prefeita Eliene
Brasileiro, por ter sido parceira no dia de campo e por apoiar o órgão estadual de
assistência técnica e extensão rural em suas atividades no meio rural. Ao concluir
sua opinião, comentou: “Trata-se, assim, de mais uma fonte alternativa de renda para
o homem do campo e isso é ótimo, tanto para os agricultores familiares, quanto para
nós, extensionistas da Ematerce”.

O gerente do escritório de Pentecoste, Francisco Lopes, cujo posto avançado da


Ematerce, em General Sampaio, está sob sua jurisdição, destacou o trabalho da sua
equipe de trabalho e os articuladores estaduais, que contribuíram para o êxito do dia
de campo, nas pessoas dos Engenheiros Agrônomos Josualdo Justino e José
Roberto Vieira, sem falar do apoio da diretoria executiva da Ematerce, presidida por
Itamar Teixeira.

No projeto fundo de quintais, a Ematerce local orientou o uso de práticas agrícolas,


tais como: adubação verde e orgânica; fertilizantes naturais (biofertilizantes), urina de
vaca; cobertura morta (restos de cultura); rotação de culturas; consórcio de plantas;
controle alternativo de pragas e doenças; uso de defensivos naturais (calda
bordoleza, extração de folha do Nim; calda de fumo).

PRESENÇAS

Dentre as autoridades presentes, destacaram-se a prefeita municipal de General


Sampaio e presidente da Associação dos Prefeitos do Estado do Ceará (Aprece),
Eliene Leite Araújo Brasileiro; o delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário
no Ceará, Francisco Sombra; a presidente do Sindicato dos Trabalhadores(as)
Rurais de General Sampaio, Maria Dores; o coordenador estadual da agricultura
familiar, na secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), Itamar Marques; o
consultor da diretoria de financiamento e proteção da produção (Depp), do
MDA/SAF, João Luiz Guadagnin; jornalista Paulo Ponte, da TV Diário do Nordeste,
em Canindé; agricultores familiares de General Sampaio, de Pentecoste, de
Paramoti, secretários de agricultura desses municípios.

Presentes, ainda, o assessor de comunicação, o coordenador de eventos da


empresa, respectivamente jornalistas Antonio José de Oliveira e Edilmo Gurgel, além
de extensionistas do escritório estadual, do escritório local de Pentecoste e os
gerentes do regional Meio Norte e escritório local, Antonio José Praciano e Francisco
Lopes Santos; o consultor do MDA/SAF, na secretaria do Desenvolvimento Agrário
do Ceará, Luciano Bezerra, dentre outras.

LEGENDAS
Foto 1 -Cultivo de Hortaliças e de frutas.
Foto 2 - Água para irrigação e para criação de peixes.
Foto 3 - A prefeita de General Sampaio, ladeada po Cláudio Matoso, Antonio José de
Oliveira, e Francisco Sombra.

Foto 4 - O agricultor Luciano Sales, sendo entrevistado pelo jornalista Antonio José
de Oliveira , ao lado do parceiro Francisco Alciano, que tocam, com sucesso, o
projeto fundos de quintais.

Assessor de Comunicação e Ouvidor


Jornalista Antonio José de Oliveira – antonio.jose@ematerce.ce.gov.br
Fone 85.3217.7872