Anda di halaman 1dari 61

L

I
C
E
N
C
I
A
T
U
R
A
S
L
I
C
E
N
C
I
A
T
U
R
A
S
DIRETRIZES E REGULAMENTO DE ESTÁGIO E TRABALHO DE GRADUAÇÃO

CURSOS DE PEDAGOGIA

2009/1

L
I
C
E
N
C
I
A
T
Indaial U
R
2010 A
S

iii
L
I
C
E
N
C
I
A
T
U
R
A
S

iv
SUMÁRIO

1 DIRETRIZES BÁSICAS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR


SUPERVISIONADO E DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO.................................................. 1
1.1 INTRODUÇÃO.................................................................................................................. 1

2 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO................................................................... 1


2.1 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL............................................................................................. 1
2.2 ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO ........................................................................................ 2
2.3 COORDENAÇÃO, SUPERVISÃO E ORIENTAÇÃO......................................................... 2
2.4 EXECUÇÃO...................................................................................................................... 2
2.5 AVALIAÇÃO....................................................................................................................... 2
2.6 REGULAMENTO DE ESTÁGIO........................................................................................ 3

Anexos do Regulamento de Estágio .................................................................. 10

ANEXO I – MODELO DE PROJETO DE ESTÁGIO .......................................................... 11


ANEXO II – CRONOGRAMA DE ATIVIDADES DO ESTÁGIO . ......................................... 15
ANEXO III – TERMO DE CONVÊNIO................................................................................... 20
ANEXO IV – TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO ................................................ 26
ANEXO V – CARTA DE APRESENTAÇÃO ........................................................................ 28
ANEXO VI – MODELO DE MEMORIAL DESCRITIVO DE ESTÁGIO . .............................. 29
ANEXO VII – NORMAS DE CONDUTA DO ESTAGIÁRIO ................................................. 31
ANEXO VIII – AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO ESTAGIÁRIO Pelo supervisor
responsável .................................................................................................................. 32
ANEXO IX – AVALIAÇÃO DO PROJETO DE ESTÁGIO . .................................................. 33
ANEXO X – AVALIAÇÃO DO MEMORIAL DESCRITIVO DE ESTÁGIO ........................... 34
anexo xi – avaliação da socialização ................................................................. 35
anexo XII – Roteiro de observação....................................................................... 36
anexo xiii – modelos de plano de aula . .............................................................. 37
anexo xIV – AVALIAÇÃO DE SUPERVISÃO DO ESTÁGIO............................................ 41

3 TRABALHO DE GRADUAÇÃO ...................................................................................... 42

Anexos do Regulamento do Trabalho de Graduação ................................ 48


ANEXO I – CRONOGRAMA DE ATIVIDADES DO TG ....................................................... 49
ANEXO II – MODELO DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO ................................................ 50
ANEXO iII – AVALIAÇÃO DA PRIMEIRA PARTE DO PAPER – Fundamentação teórica.. 53
ANEXO IV – AVALIAÇÃO DA SEGUNDA PARTE DO PAPER – Descrição métodos, análise L
e interpretação dos dados da pesquisa ............................................................................... 54 I
C
ANEXO V – AVALIAÇÃO FINAL PAPER . .......................................................................... 55 E
ANEXO VI – AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO NO SEMINÁRIO DE SOCIALIZAÇÃO .... 56 N
C
I
A
T
U
R
A
S

v
1
1 DIRETRIZES BÁSICAS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR
SUPERVISIONADO E DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO

D
1.1 INTRODUÇÃO I
R
E
T
R
Os Referenciais de Qualidade para Educação Superior a Distância, preconizados pelo I
Z
Ministério da Educação em agosto de 2007, pontuam que a superação da visão fragmentada E
S
do conhecimento e dos processos naturais e sociais enseja uma estruturação curricular por
E
meio da interdisciplinaridade e contextualização. Compactuando com essa ideia, o Centro
R
Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI – compreende que seus Cursos de Graduação E
G
na modalidade a distância devem proporcionar aos seus acadêmicos a possibilidade de não U
L
só conhecer os conteúdos de cada disciplina, mas também reconhecer a interação entre as A
M
disciplinas ou áreas do saber. E
N
T
O
Essa relação entre teoria e prática estabelece um movimento entre o saber e o fazer, que
D
é um dos princípios da UNIASSELVI, e é um eixo articulador da dinâmica da aprendizagem entre E

conteúdo e forma, numa relação dialética. Neste contexto o Estágio Curricular Supervisionado E
S
T
e o Trabalho de Graduação tornam-se importantes instrumentos de vinculação da teoria à Á
G
prática, contribuindo para a formação do futuro professor. I
O

E
Portanto, o Estágio Curricular Supervisionado e o Trabalho de Graduação são dois
T
componentes curriculares complementares. Por isso, podem, e devem, ser tratados como R
A
processos acadêmicos que se articulam. Esta é a posição assumida pelo Centro Universitário B
A
Leonardo Da Vinci – UNIASSELVI –, ou seja, a de fazer do Estágio Curricular Supervisionado L
H
um momento inicial que se completa no Trabalho de Graduação, integrando os conhecimentos O

adquiridos durante o curso e proporcionando o contato com a pesquisa, atividade vista como D
E
princípio educativo que possibilita ao acadêmico desenvolver uma ação questionadora e
G
reflexiva. R
A
D
U
A
Ç
Ã
2 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO O

2.1 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL C


U
R
S
De acordo com a Resolução do CNE/CES nº 1, de 15 de maio de 2006, que institui as O
S
Diretrizes Curriculares Nacionais, para o Curso de Graduação em Pedagogia, Licenciatura,
D
o Estágio é um componente curricular obrigatório para a obtenção do título. A carga horária E

do Estágio encontra-se definida no respectivo Projeto-Pedagógico de cada curso. Há que se P


E
observar, ainda, o disposto na Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008, que dispõe sobre o D
A
estágio de acadêmico, quer seja obrigatório ou não, quer seja remunerado ou não. G
O
G
I
A
2

2.2 ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO

D
O objeto do Estágio Curricular Supervisionado deverá ser enquadrado nas Áreas de
I
R
Concentração definidas pelo colegiado do curso.
E
T
R
I
Z
E 2.3 COORDENAÇÃO, SUPERVISÃO E ORIENTAÇÃO
S

E
A Coordenação, Supervisão e a Orientação de Estágio serão feitas conforme consta
R
E no respectivo regulamento.
G
U
L
A
M
E 2.4 EXECUÇÃO
N
T
O

D
• Cada turma será orientada por um (1) Professor Orientador, função esta exercida pelo
E
Professor-Tutor Externo de cada turma;
E
S
T
Á • serão programados encontros presenciais com todos os acadêmicos da turma, que constam
G
I no cronograma de cada curso;
O

E
• o cronograma de atividades contém as datas de entrega do Projeto de Estágio, do Memorial
T
R Descritivo e o período de desenvolvimento das atividades na Instituição Concedente;
A
B
A
L • o desenvolvimento das atividades no local de estágio será feito depois de cumpridas as
H
O formalidades definidas na legislação em vigor;
D
E

G
• o produto final do Estágio Curricular Supervisionado consistirá no Memorial Descritivo, cujo
R
A
formato se encontra em anexo a essas Diretrizes.
D
U
A
Ç
Ã
O 2.5 AVALIAÇÃO
-

C • A avaliação do Estágio Curricular Supervisionado será feita da maneira descrita no respectivo


U
R regulamento, devendo contemplar no mínimo: a) o desempenho em cada etapa da fase
S
O de planejamento; b) o desempenho na fase de atuação na Instituição Concedente; c) a
S
qualidade do Memorial Descritivo; d) a socialização do estágio.
D
E

P
E
• será considerado aprovado o acadêmico que obtiver média final 7,0 (sete).
D
A
G
O
G
I
A
3
2.6 REGULAMENTO DE ESTÁGIO

CAPÍTULO I
D
CONCEPÇÃO, DURAÇÃO E OBRIGATORIEDADE I
R
E
T
R
Art. 1º. O Estágio Curricular Supervisionado é concebido como um dos momentos I
Z
privilegiados de integração teoria-prática. E
S
Art. 2º. O Estágio Curricular Supervisionado terá a duração, em horas, estipulada na
E
Matriz Curricular dos cursos conforme as Diretrizes Curriculares Nacionais.
R
Art. 3º. Nenhum acadêmico poderá colar grau sem ter cumprido as exigências do Estágio E
G
Curricular Supervisionado. U
L
A
M
E
CAPÍTULO II N
T
DA ORGANIZAÇÃO O

D
E

E
Art. 4º. O Estágio Curricular Supervisionado do Curso compreende as etapas a seguir S
T
nomeadas e descritas: Á
G
I
O
I – ETAPA DA PREPARAÇÃO
E
Esta etapa compreende: T
R
a) definição do local de estágio; A
B
b) observação da Instituição Concedente, relacionada às áreas de concentração A
L
especificadas neste Regulamento; H
O
c) coleta dos dados e escolha da área de concentração para execução das etapas
D
posteriores. E

G
R
II – ETAPA DO PLANEJAMENTO A
D
Esta etapa compreende: U
A
a) elaboração do Projeto de Estágio, cuja aprovação pelo Professor Orientador é Ç
Ã
condição indispensável para a realização da ETAPA III; O

b) definição do cronograma de atividades. -

C
U
R
§ 1º - O Projeto de Estágio será elaborado de acordo com o modelo definido pelo S
O
colegiado do curso (ANEXO I). S
§ 2º - Do Cronograma de Atividades (ANEXO II), constarão as atividades a serem D
E
realizadas e o respectivo período de realização.
P
§ 3º - No processo de definição do local de estágio, serão providenciados os seguintes E
D
documentos: a) assinatura do Termo de Convênio de Estágio entre a Instituição Concedente e a A
G
UNIASSELVI (ANEXO III); b) assinatura do Termo de Compromisso de Estágio Obrigatório entre O
G
a Instituição Concedente e o acadêmico (ANEXO IV); c) Carta de Apresentação (ANEXO V). I
A
4

§ 4º O acadêmico que não entregar o Projeto na data prevista poderá pedir prorrogação
de prazo.

D
§ 5º O pedido de prorrogação de prazo mencionado no parágrafo anterior será decidido
I
R
pelo Professor Orientador e não deverá ser superior a 15 dias contados da data inicialmente
E
T prevista para a entrega.
R
I
Z
E III – ETAPA DO DESENVOLVIMENTO
S
Esta etapa compreende:
E
a) realização das atividades programadas;
R
E b) reuniões de acompanhamento entre o Professor Orientador e o acadêmico;
G
U c) visitas do Professor Orientador ao local de Estágio;
L
A d) reuniões do acadêmico estagiário com o supervisor responsável da Instituição
M
E Concedente.
N
T
O

D
§ 1º - No desenvolvimento desta etapa, as reuniões de acompanhamento entre o
E
Professor Orientador e o acadêmico serão programadas de acordo com o cronograma.
E
S § 2º - Cabe ao supervisor responsável da Instituição Concedente acompanhar o
T
Á desenvolvimento do plano elaborado pelo acadêmico e preencher a Avaliação de Desempenho
G
I do Acadêmico Estagiário (ANEXO VIII).
O

E
IV – ETAPA DA CONCLUSÃO
T
R
A
B Nesta etapa, será elaborado o Memorial Descritivo do Estágio Curricular
A
L Supervisionado.
H
O § 1º - O Memorial Descritivo será elaborado de acordo com o modelo (ANEXO VI).
D
E
§ 2º - Durante o desenvolvimento da Etapa III, o Professor Orientador fará atendimento

G
ao acadêmico sempre que for necessário.
R
A
D
U
A
Ç CAPÍTULO III
Ã
O LOCAIS DE REALIZAÇÃO E ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO
-

C Art. 5º. O Estágio poderá ser realizado nos seguintes locais:


U
R
S
O a) Escolas, públicas e/ou privadas;
S
b) Entidades, públicas e/ou privadas.
D
E
P
E
Parágrafo Único - O Estágio poderá assumir a forma de prestação de serviços.
D
A
G
O
Art. 6º. O estágio deverá ser realizado nas seguintes áreas de concentração, conforme
G
I descrição a seguir:
A
5
CURSO DE PEDAGOGIA

a) Educação, Escola e Políticas Públicas


D
Estudos voltados para a relação entre educação e sociedade. Espaços escolares e não I
R
escolares. A Escola Básica nas políticas educacionais orientadas pela LDB e suas interpretações E
T
R
e aplicações atuais, no contexto municipal, regional e estadual. Políticas Públicas Educacionais. I
Z
Estudos sobre desenvolvimento, implementação e avaliação de políticas públicas em educação E
S
no que tange ao planejamento e financiamento de projetos e instituições de ensino. Relação
E
escola x comunidade.
R
E
G
b) Formação e Profissionalização Docente U
L
Reflete sobre o trabalho do professor como profissional da educação nas diferentes A
M
áreas de atuação; o professor segundo a LDB; a formação profissional no currículo universitário; E
N
a profissão do professor frente às mudanças sócio-político-econômicas. Competências, T
O
habilidades e valores inerentes ao perfil do professor da Educação Infantil e dos Anos Iniciais
D
do Ensino Fundamental. Processos de formação docente. Estudos sobre a formação inicial e/ E

ou continuada de professores. Saberes docentes. E


S
T
Á
G
c) Metodologias de Ensino I
O
O processo de ensino e a aprendizagem. Propostas Curriculares e os Parâmetros
E
Curriculares Nacionais. Dificuldades de ensino/aprendizagem. Fundamentos para a construção
T
de projetos interdisciplinares. Práticas educativas. Processos de alfabetização. Novas mídias R
A
e educação. Processos educativos na Educação Infantil. B
A
L
H
d) Educação Inclusiva O

Estudos sobre questões sociais, pedagógicas, filosóficas, históricas e culturais inseridas D


E
no processo educativo e relacionadas aos educandos que necessitam de recursos educacionais
G
especiais. Práticas Inclusivas. Intervenção pedagógica no processo educacional voltado para R
A
a educação especial. Inclusão de alunos com deficiência em contextos escolares. D
U
A
Ç
Ã
O

CAPÍTULO IV -

DAS ATRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO, SUPERVISÃO E ORIENTAÇÃO C


U
R
S
Art. 7º. A coordenação do Estágio Curricular Supervisionado será exercida pelo O
S
Coordenador do Curso.
D
E

Art. 8º. São atribuições do Coordenador do Estágio Curricular Supervisionado: P


E
D
A
I. elaborar o calendário de atividades do estágio e divulgá-lo em tempo hábil; G
O
II. baixar normas e instruções pertinentes complementares a este Regulamento; G
I
A
III. orientar e acompanhar as atividades dos Supervisores e Professores Orientadores
6

quanto às normas e programação do estágio.

D
Art. 9º. A Supervisão do Estágio Curricular Supervisionado será assim realizada:
I
R
E
T I – Pelo Polo de Apoio Presencial
R
I
Z
E Ao Polo de Apoio Presencial da UNIASSELVI para a oferta de cursos a distância,
S
compete:
E

R
E a) supervisionar o Professor Orientador no cumprimento de suas funções;
G
U b) indicar preferencialmente outro Professor Orientador ou profissional que tenha
L
A disponibilidade e habilitação na área, na impossibilidade de o Professor Orientador responsável
M
E pela turma acompanhar o Estágio;
N
T
O
c) articular-se com organismos públicos e privados e efetuar os ajustes necessários

D
para a realização do Estágio, fortalecendo o vínculo entre a UNIASSELVI e os mesmos;
E
d) efetuar o levantamento das Instituições Concedentes.
E
S
T
Á Parágrafo Único: O Profissional habilitado que substituir o Professor Orientador na
G
I supervisão in loco do estágio deverá cumprir todas as tarefas inerentes à função.
O

E
II – Pelo Articulador
T
R
A
B Ao articulador compete:
A
L
H
O I- orientar e esclarecer dúvidas dos acadêmicos e dos Professores-Tutores
D
E
Externos quanto à elaboração do Projeto e Memorial Descritivos de Estágio Curricular

G
Supervisionado;
R
A
II- supervisionar as atividades dos Professores-Tutores Externos no que diz
D
U respeito:
A
Ç a) ao desenvolvimento do Estágio Curricular Supervisionado;
Ã
O b) à aplicação, correção e lançamento no sistema, das notas das provas de avaliação
- da aprendizagem do Estágio Curricular Supervisionado;
C c) ao lançamento, no campo próprio do sistema, do Memorial Descritivo do Estágio
U
R realizados pelos acadêmicos;
S
O d) ao desenvolvimento dos encontros presenciais, com especial atenção para o
S
cumprimento do horário e realização das atividades programadas, segundo as orientações
D
E da UNIASSELVI;
P
E
e) à socialização do Estágio Curricular Supervisionado;
D
A
f) à supervisão in loco das atividades desenvolvidas pelo acadêmico estagiário.
G
O
G
I III- elaborar e manter atualizado cadastro, incluindo Termo de Convênio de Estágio,
A
de entidades concedentes de Estágio, disponibilizando-o a Professores-Tutores Externos e a
7
discentes;
IV- preencher e manter sob sua guarda a Ficha de Supervisão do Estágio (ANEXO
XIV);
D
V- conferir a documentação (Diário de Classe, Ata de Entrega do Memorial Descritivo I
R
do Estágio e Termo de Compromisso do Estágio Obrigatório com a Instituição Concedente) E
T
R
que deverá ser enviada à UNIASSELVI ao término de cada Estágio. I
Z
E
S
Art. 10. A Orientação do Estágio Curricular Supervisionado será assim realizada:
E

R
I – Pelo Professor-Tutor Interno, a quem compete: E
G
U
L
a) revisar e atualizar, quando necessário, as Diretrizes e Regulamento de Estágio; A
M
b) orientar o Professor Orientador, articuladores de EAD e os acadêmicos através do E
N
telefone 0800, e-mail e AVA, sobre os procedimentos de Estágio, tais como: aplicação do manual, T
O
aproveitamento de horas de Estágio, formatação do projeto, escrita do memorial e outros;
D
c) orientar quanto à fundamentação teórica e metodológica, para a realização do E

Estágio; E
S
T
d) alimentar e acompanhar o ambiente virtual – AVA; Á
G
e) orientar o planejamento e organização dos seminários de socialização dos I
O
Estágios;
E
f) responder dúvidas dos Polos de apoio presencial e organismos públicos e
T
privados; R
A
g) orientar o Professor Orientador sobre a sistemática de avaliação e lançamento das B
A
notas. L
H
O

II - Pelo Professor Orientador, a quem compete: D


E

G
a) proceder ao estudo das Diretrizes e Regulamento de Estágio e de Trabalho de R
A
Graduação com acadêmicos estagiários, esclarecendo-lhes eventuais dúvidas; D
U
A
b) divulgar entre os acadêmicos estagiários os planos e cronogramas necessários à Ç
Ã
execução do Estágio; O

c) efetuar o levantamento das Instituições Concedentes; -

d) articular-se com organismos públicos e privados, efetuando os ajustes necessários C


U
para a realização do estágio; R
S
e) orientar a elaboração do Projeto de Estágio e do Memorial Descritivo; O
S
f) acompanhar o acadêmico estagiário na execução de suas tarefas, orientando-o nas
D
suas necessidades e dificuldades; E

g) avaliar o desempenho do acadêmico estagiário; P


E
h) fazer a supervisão in loco das atividades desenvolvidas pelo acadêmico estagiário; D
A
i) proceder à correção final do projeto (ANEXO IX) e do Memorial (ANEXO X) de Estágio G
O
e aferir nota; G
I
A
j) lançar todas as notas referentes ao estágio no site da UNIASSELVI;
8

l) organizar a socialização do estágio e avaliar o desempenho dos acadêmicos na


respectiva atividade;

D
m) fazer todos os registros no diário de classe, ata de entrega do memorial e Termo
I
R
de Compromisso de Estágio, e depois enviá-lo ao articulador, para que seja remetido à
E
T UNIASSELVI;
R
I n) postar o Memorial Descritivo no campo próprio no site da UNIASSELVI;
Z
E o) zelar pelo fiel cumprimento do Termo de Convênio de Estágio entre a Instituição
S
Concedente e a UNIASSELVI e pelo Termo de Compromisso;
E
p) exercer outras atividades atribuídas pelo Colegiado do Curso e não previstas neste
R
E Regulamento.
G
U
L
A III - São atribuições do Supervisor da Instituição Cedente:
M
E
N
T
O
O supervisor responsável é o profissional que, na Instituição Concedente de Estágio, é

D
responsável pelo acompanhamento do acadêmico estagiário, a quem compete:
E

E
S a) supervisionar as atividades do acadêmico estagiário;
T
Á b) preencher os formulários próprios de acompanhamento e avaliação do acadêmico
G
I estagiário;
O
c) dar visto nos projetos de estágio de cada acadêmico estagiário.
E

T
R Art. 11. São atribuições do acadêmico estagiário:
A
B
A
L I – estar devidamente matriculado na disciplina de estágio;
H
O II - elaborar o Projeto de Estágio;
D
E
III - cumprir as tarefas programadas;

G
IV - prestar as informações que lhe forem solicitadas;
R
A
V - elaborar o Memorial Descritivo do Estágio;
D
U VI – Cumprir, fielmente, as Normas de Conduta do Estagiário (ANEXO VII).
A
Ç VII – Cumprir outras obrigações previstas no Termo de Compromisso de Estágio entre
Ã
O a Instituição Concedente e a UNIASSELVI e pelo Termo de Convênio.
-

C CAPÍTULO V
U
R DA AVALIAÇÃO DO ESTÁGIO
S
O
S
Art. 12. A avaliação do Estágio compreende:
D
E

P
E
I - Avaliação do Projeto de Estágio (ANEXO IX).
D
A
II - Avaliação de desempenho do acadêmico estagiário, efetuada pelo Supervisor
G
O
Responsável da Instituição Concedente (ANEXO VIII).
G
I III - Avaliação do Memorial Descritivo (ANEXO X).
A
IV - Socialização do Estágio ( ANEXO XI).
9

§ 1º. Será considerado aprovado o acadêmico estagiário que obtiver média aritmética
final igual ou superior a 7 (sete).
D
I
R
§ 2º. O acadêmico estagiário que não obtiver nota final igual ou superior a 7 (sete) será E
T
R
considerado reprovado na disciplina e, consequentemente, terá que repeti-la. I
Z
E
S
CAPÍTULO VI
E
DAS DISPOSIÇÕES GERAIS
R
E
G
Art. 13. A realização do Estágio Curricular Supervisionado não acarretará vínculo U
L
empregatício de qualquer natureza. A
M
Art. 14. O Estágio Curricular Supervisionado poderá ser realizado mediante participação E
N
em programas de extensão institucionais, após manifestação favorável do Coordenador do T
O
Curso.
D
Art. 15. Os casos omissos neste Regulamento serão resolvidos pela Coordenação do E

Curso, cabendo os recursos regimentais. E


S
T
Á
G
I
O

T
R
A
B
A
L
H
O

D
E

G
R
A
D
U
A
Ç
Ã
O

C
U
R
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
10

D
I
R
E
T
R
I
Z
E
S

R
E
G
U
L
A
M
E
N
T
O

D
E

E
S
T
Á
G
I
O

E
Anexos DO
T Regulamento de Estágio
R
A
B
A
L
H
O

D
E

G
R
A
D
U
A
Ç
Ã
O

C
U
R
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
11
ANEXO I – MODELO DE PROJETO DE ESTÁGIO

Centro Universitário Leonardo Da Vinci D


I
R
E
T
R
I
Z
E
NOME DO(A) ACADÊMICO(A) S

(TURMA) R
E
G
U
L
A
M
E
N
T
O

D
E

E
S
T
Á
G
I
O

T
R
A
B
A
L
H
O

D
E

G
R
A
D
U
A
Ç
(PROJETO DE ESTÁGIO) Ã
O

C
U
R
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
12

SUMÁRIO

D
I
1 ÁREA DE CONCENTRAÇÃO........................................................................................ 1
R
E
T
R
2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA...................................................................................... 2
I
Z
E
S 3 OBJETIVOS.................................................................................................................... 3
E

R 4 METODOLOGIA ............................................................................................................ 4
E
G
U
L REFERÊNCIAS . ............................................................................................................... 5
A
M
E
N
T
O

D
E

E
S
T
Á
G
I
O

T
R
A
B
A
L
H
O

D
E

G
R
A
D
U
A
Ç
Ã
O

C
U
R
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
13
1 ÁREA DE CONCENTRAÇÃO (o que vai ser estudado)

Aqui o autor deve enunciar com clareza a área de concentração e o tema articulados
D
com as atividades do Estágio. I
R
E
T
R
I
Z
2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA E
S

E
Os fundamentos teóricos devem referendar a área de concentração e sustentar a escolha
R
do tema. Neste capítulo, o acadêmico deverá elaborar ideias e propor discussões sobre a área E
G
de concentração, autores e/ou documentos que fundamentem as reflexões. U
L
A
M
De acordo com Martins (2006, p. 84), a fundamentação teórica E
N
T
O
É a ocasião de se relacionar a literatura mais relevante sobre o assunto, es-
tabelecendo um diálogo crítico com diversos autores que escreveram sobre D
E
o tema em estudo. A revisão bibliográfica [ou fundamentação teórica] procura
estabelecer o estado atual da questão e examinar as diversas correntes teóri- E
cas sobre o assunto. Daí resulta a escolha do marco teórico que será utilizado S
T
para orientar e embasar o trabalho. Trata-se também de conceituar os termos Á
que são essenciais para a melhor compreensão do trabalho. O objetivo da G
I
definição de termos é torná-los claros, compreensivos, objetivos e adequados O
ao contexto do trabalho.
E

T
Os autores e/ou documentos podem ser utilizados de forma direta (utilizando palavras R
A
tiradas literalmente da obra do autor e/ou documento) ou de forma indireta (quando a ideia é B
A
retirada do autor, porém a elaboração do texto é feita com a interpretação de quem escreve, L
H
no caso, o acadêmico). O

D
E
No caso de citações diretas de até três linhas, a citação permanece no parágrafo.
G
Exemplo: De acordo com Martins (2006, p. 84), a fundamentação teórica “É a ocasião de se R
A
relacionar a literatura mais relevante sobre o assunto, estabelecendo um diálogo crítico com D
U
diversos autores que escreveram sobre o tema em estudo”. A
Ç
Ã
O
No caso de citações diretas com mais de três linhas, a citação se desprende do parágrafo. -
Na próxima linha, a 4,0 cm da margem esquerda, como o exemplo acima escrito, no primeiro C
U
parágrafo dessa seção. R
S
O
S
Quando os autores e/ou documentos são utilizados de forma indireta, faz-se necessário o
D
nome do autor entre parênteses, com letras maiúsculas, vírgula e ano. Exemplo: O conhecimento E

é social, histórico e culturalmente construído. Desde o nascimento, os sujeitos constroem e P


E
adquirem significados, por meio do convívio familiar, da relação com outras pessoas e pelo D
A
uso de objetos necessários à sua sobrevivência (VYGOTSKY, 1991). G
O
G
I
A
14

3 OBJETIVOS

D
Escrever apenas os objetivos específicos, os quais devem indicar, com precisão, o “para
I
R
quê” do trabalho, o qual deve traduzir:
E
T
R
I a) o que se espera com o produto final;
Z
E
S
b) os resultados que se pretendem alcançar;
E

R
E c) as soluções que se pretendem dar ao tema escolhido.
G
U
L
A O autor deve iniciar com verbos de ação: coletar, interpretar, registrar.
M
E
N
T
O
Leia a seguir alguns verbos de ação que podem ser empregados:
D
E

E Reconhecer, lembrar, identificar, significar, listar, citar, nomear, apontar,


S
T enumerar, indicar, registrar, sublinhar, enunciar, definir, mostrar, transformar,
Á
G reescrever, reorganizar, representar, interpretar, reordenar, explicar, demonstrar,
I
O inferir, predizer, extrapolar, exemplificar, sumariar, reproduzir, questionar, diferenciar,
E derivar, descrever, estimar, narrar, prever, relatar, aplicar, solucionar, calcular, usar,
T operar, redigir, construir, montar, desenvolver, empregar, computar, estruturar,
R
A
B
praticar, distinguir, discriminar, separar, subdividir, analisar, destacar, classificar,
A
L
descobrir, deduzir, comparar, diferenciar, examinar, investigar, comunicar, especificar,
H
O
sintetizar, criar, julgar, argumentar, criticar, justificar.
D
E

G
4 METODOLOGIA (como vou fazer)
R
A
D
U Aqui é o lugar para descrever todas as atividades a serem realizadas durante o Estágio.
A
Ç Neste item, o acadêmico apresenta o local onde o estágio será realizado, a forma de como a
Ã
O intervenção será desenvolvida, como os dados serão levantados (por exemplo, observação,
- entrevistas, questionários etc.). O acadêmico informará a análise dos dados coletados.
C
U
R REFERÊNCIAS
S
O
S
Traz as referências da literatura efetivamente utilizada.
D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
15
ANEXO II – CRONOGRAMA DE ATIVIDADES DOS ESTÁGIOS – 2009/1

ESTÁGIO I – DISCIPLINAS PEDAGÓGICAS


D
Cronograma de atividades I
R
E
T
R
Data/Período Atividade CH Desempenho I
Z
Providenciar o Anexo V- Carta de E
21/08/2010 a Leitura das Diretrizes e Regulamento
Apresentação e Anexo IV - Termo S
28/08/2010 de Estágio e Trabalho de Graduação 4
de Compromisso E

Observação: R
- identificar na Instituição Concedente Período em que o acadêmico E
G
os dois professores, através da definirá a Instituição Concedente U
04/09/2010 a Carta de Apresentação e Termo de para estagiar e coletar os dados: L
4 A
02/10/2010 Compromisso - entregar a Carta de Apresentação e M
(em 3 vias: uma para a Instituição Termo de Compromisso devidamente E
Concedente, uma para o Professor assinado N
T
Orientador e uma para o acadêmico) O

D
Projeto de Estágio (Anexo I): E
- levantar bibliografias e proceder à leitura
E
das referências bibliográficas sobre o Elaborar a fundamentação teórica S
tema do Estágio e sua relação com o TG T
Á
G
- elaborar um roteiro de entrevista I
09/10/2010 a (entre 8 a 10 questões) considerando a Preparar o roteiro das entrevistas O
15
30/10/2010 área de concentração e tema escolhido, E
que será aplicado a dois professores
T
do Normal Médio (Magistério) e/ou R
Anos Iniciais do Ensino Fundamental Entregar o projeto ao Professor A
Orientador (Tutor Externo) B
A
- apresentação ao Professor Orientador L
(Tutor Externo) H
O

06/11/2010 a D
Entrevista com os professores 5 Registrar as respostas E
20/11/2010
G
Compor o Memorial Descritivo (Anexo R
VI), envolvendo os elementos: Providenciar as fichas avaliativas A
27/11/2010 a D
introdução, corpo do trabalho, 15 (Anexos VIII, IX, X e XI) e elaborar U
04/12/2010
conclusão, referências e fichas o Memorial Descritivo A
Ç
avaliativas Ã
O
06/12/2010 a Entregar e socializar o Memorial
Seminário de Socialização do Estágio 5
11/12/2010 Descritivo -

Total da carga horária 48 C


U
R
S
ATENÇÃO: para acessar a documentação do Estágio entre no site da UNIASSELVI com seu O
S
login/senha e clique no link - Estágio EAD. D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
16

ESTÁGIO II – DOCÊNCIA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

D
Cronograma de atividades
I
R
E
T
Data/Período Atividade CH Desempenho
R
I Leitura das Diretrizes e Regulamento Providenciar o Anexo V- Carta de
22/01/2011 a
Z d e E s t á g i o e Tr a b a l h o d e Apresentação e Anexo IV - Termo
E 05/03/2011 4
S Graduação de Compromisso
E Observação:
- identificar na Instituição Concedente
R
E a turma onde realizará o Estágio, Período em que o acadêmico
G através da Carta de Apresentação e definirá a Instituição Concedente
U
L
Termo de Compromisso (em 3 vias: para estagiar e coletar os dados:
A uma para a Instituição Concedente,
M
uma para o Professor Orientador e - entregar a Carta de Apresentação
E 12/03/2011 a
N uma para o acadêmico) 6 e Te r m o d e C o m p r o m i s s o
02/04/2011
T - coletar os dados da Instituição devidamente assinado
O
Concedente e da turma (Anexo
D XII). - sintetizar os dados coletados,
E
- conversar com o Professor Regente relacionando-os com a área de
E para identificar os conteúdos/temas concentração do Estágio/TG
S
T
para a intervenção, aproximando
Á com a área de concentração do TG
G
I Projeto de Estágio (Anexo I):
O
- levantar bibliografias e proceder à
E leitura das referências bibliográficas Elaborar a fundamentação
sobre a área de concentração do teórica
T
R Estágio e sua relação com o tema do TG
A
B
A 09/04/2011 a - elaborar projeto ou planos de aula Preparar o projeto ou planos de
40
L 30/04/2011 (Anexo XIII) considerando a área de aula
H
O
concentração do Estágio, que será
aplicado em uma turma de Anos
D Iniciais do Ensino Fundamental – Entregar o projeto ao Professor
E
durante 20 horas/ aula Orientador (Tutor Externo)
G - apresentação ao Professor
R
A Orientador (Tutor Externo)
D
U 07/05/2011 a Exercer a regência de classe Registrar os resultados (análise
20
A 14/05/2011 da intervenção)
Ç
Ã
Compor o Memorial Descritivo (Anexo
O Providenciar as fichas avaliativas
VI), envolvendo os elementos:
- 21/05/2011 a (Anexos VIII, IX, X e XI) e elaborar
introdução, corpo do trabalho, 20
28/05/2011 o Memorial Descritivo
C conclusão, referências e fichas
U avaliativas
R
S
30/05/2011 a Seminário de Socialização do Entregar e socializar o Memorial
O 5
S 04/06/2011 Estágio Descritivo
D Total da carga horária 96
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
17
ESTÁGIO III – DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Cronograma de atividades
D
I
R
Data/Período Atividade CH Desempenho E
T
R
Providenciar o Anexo V- Carta de
06/08/2011 a Leitura das Diretrizes e Regulamento de I
Apresentação e Anexo IV - Termo Z
27/08/2011 Estágio e Trabalho de Graduação 4 E
de Compromisso S

Observação: E
- identificar na Instituição Concedente a
Período em que o acadêmico R
turma onde realizará o Estágio, através
definirá a Instituição Concedente E
da Carta de Apresentação e Termo de G
para estagiar e coletar os dados: U
Compromisso (em 3 vias: uma para
L
a Instituição Concedente, uma para A
- entregar a Carta de Apresentação
03/09/2011 a o Professor Orientador e uma para o M
6 e Te r m o d e C o m p r o m i s s o E
17/09/2011 acadêmico) N
devidamente assinado
- coletar os dados da Instituição T
O
Concedente e da turma (Anexo XII).
- sintetizar os dados coletados,
- conversar com o Professor Regente D
relacionando-os com a área de E
para identificar os conteúdos/temas para
concentração do Estágio/TG
a intervenção, aproximando-os da área E
de concentração do TG S
T
Á
Projeto de Estágio (Anexo I): G
- levantar bibliografias e proceder à leitura Elaborar a fundamentação I
das referências bibliográficas sobre o teórica O

tema do Estágio e sua relação com o TG E

T
24/09/2011 a - elaborar projeto ou planos de aula Preparar o projeto ou planos de
40 R
22/10/2011 (Anexo XIII) considerando a área de aula A
B
concentração e tema, que será aplicado A
em uma turma da Educação Infantil – L
durante 20 horas/ aula Entregar o projeto ao Professor H
O
- apresentação ao Professor Orientador Orientador (Tutor Externo)
(Tutor Externo) D
E
29/10/2011 a Registrar os resultados (análise
Exercer a regência de classe 20 G
12/11/2010 da intervenção) R
A
Compor o Memorial Descritivo (Anexo VI), D
Providenciar as fichas avaliativas U
19/11/2011 a envolvendo os elementos: introdução,
20 (Anexos VIII, IX, X e XI) e elaborar A
03/11/2011 corpo do trabalho, conclusão, referências Ç
o Memorial Descritivo
e fichas avaliativas Ã
O
05/12/2011 a Entregar e socializar o Memorial
Seminário de Socialização do Estágio 5 -
10/12/2011 Descritivo
C
Total da carga horária 96 U
R
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
18

ESTÁGIO IV – GESTÃO ESCOLAR

D
I
R
Cronograma de atividades
E
T
R
I Data/Período Atividade CH Desempenho
Z
E Providenciar o Anexo V- Carta de
16/01/2012 a Leitura das Diretrizes e Regulamento de
S Apresentação e Anexo IV - Termo
21/01/2012 Estágio e Trabalho de Graduação 4
E de Compromisso
R Observação:
E - identificar na Instituição Concedente
G
U o Gestor Escolar (Diretor), através da Período em que o acadêmico
L Carta de Apresentação e Termo de definirá a Instituição Concedente
A
M Compromisso para estagiar e coletar os dados:
E (em 3 vias: uma para a Instituição
N 06/02/2012 a
Concedente, uma para o Professor 4 - entregar a Carta de Apresentação
T 11/02/2012
O Orientador e uma para o acadêmico) e Te r m o d e C o m p r o m i s s o
- observar as atividades desenvolvidas devidamente assinado
D
E pelo Gestor Escolar (Diretor), o Projeto
Político-Pedagógico, as normas - registrar as observações
E
S administrativas, estrutura e funcionamento
T da administração escolar
Á
G Projeto de Estágio (Anexo I):
I
O - levantar bibliografias e proceder à leitura
Elaborar a fundamentação
das referências bibliográficas sobre o
E teórica
tema do Estágio e sua relação com o TG
T
R 13/02/2012 a - elaborar um roteiro de entrevista
A 15 Preparar o roteiro das
B 25/02/2012 (entre 8 a 10 questões) considerando a
entrevistas
A área de concentração/tema do Estágio,
L
H que será aplicado ao Gestor Escolar
O (Diretor)
Entregar o projeto ao Professor
- apresentação ao Professor Orientador
D Orientador (Tutor Externo)
E (Tutor Externo)
G 27/02/2012 a Entrevista com o Gestor Escolar
R 5 Registrar as respostas
A 10/03/2012 (Diretor)
D
U Compor o Memorial Descritivo (Anexo
Providenciar as fichas avaliativas
A 12/03/2012 a VI), envolvendo os elementos: introdução,
Ç 15 (Anexos VIII, IX, X e XI) e elaborar
à 31/03/2012 corpo do trabalho, conclusão, referências
o Memorial Descritivo
O e fichas avaliativas
- 02/04/2012 a Entregar e socializar o Memorial
Seminário de Socialização do Estágio 5
C 07/04/2012 Descritivo
U
R Total da carga horária 48
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
19

ESTÁGIO IV – ORIENTAÇÃO E SUPERVISÃO ESCOLAR

D
Cronograma de atividades I
R
E
T
R
Data/Período Atividade CH Desempenho I
Z
Providenciar o Anexo V- Carta de
06/02/2012 a Leitura das Diretrizes e Regulamento de E
Apresentação e Anexo IV - Termo S
11/02/2012 Estágio e Trabalho de Graduação 4
de Compromisso E

Observação: R
- identificar na Instituição Concedente E
G
o Orientador e Supervisor Escolar
Período em que o acadêmico U
(Coordenação Pedagógica), através L
definirá a Instituição Concedente A
da Carta de Apresentação e Termo de
para estagiar e coletar os M
Compromisso (em 3 vias: uma para E
dados:
a Instituição Concedente, uma para N
13/02/2012 a T
o Professor Orientador e uma para o 4 O
25/02/2012 - entregar a Carta de Apresentação
acadêmico)
e Te r m o d e C o m p r o m i s s o D
- observar as atividades desenvolvidas
devidamente assinado E
pelo Orientador e Supervisor Escolar
E
(Coordenação Pedagógica), o Projeto
- registrar as observações S
Político-Pedagógico, as normas T
administrativas, estrutura e funcionamento Á
G
da administração escolar I
O
Projeto de Estágio (Anexo I):
- levantar bibliografias e proceder a leitura E

das referências bibliográficas sobre o Elaborar a fundamentação T


tema do Estágio e sua relação com o TG teórica R
A
B
- elaborar um roteiro de entrevista A
L
27/02/2012 a (entre 8 a 10 questões) considerando a Preparar o roteiro das
15 H
10/03/2012 área de concentração/tema do Estágio, entrevistas O
que será aplicado ao Orientador e
D
Supervisor Escolar (Coordenação E
Pedagógica) Entregar o projeto ao Professor
G
Orientador (Tutor Externo) R
- apresentação ao Professor Orientador A
D
(Tutor Externo) U
A
12/03/2012 a Entrevista com o Orientador e Supervisor Ç
5 Registrar as respostas
31/03/2012 Escolar (Coordenação Pedagógica) Ã
O
Compor o Memorial Descritivo (Anexo
Providenciar as fichas avaliativas -
02/04/2012 a VI), envolvendo os elementos: introdução,
15 (Anexos VIII, IX, X e XI) e elaborar
28/04/2012 corpo do trabalho, conclusão, referências C
o Memorial Descritivo U
e fichas avaliativas R
S
30/04/2012 a Entregar e socializar o Memorial O
Seminário de Socialização do Estágio 5
05/05/2012 Descritivo S

D
Total da carga horária 48 E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
20

ANEXO III – TERMO DE CONVÊNIO

D
TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO
I
R
E
T Nos termos da Lei 11.788, de 25 de setembro de 2008, celebrado entre as partes
R
I abaixo qualificadas:
Z
E
S
INSTITUIÇÃO DE ENSINO
E

R
E CENTRO UNIVERSITÁRIO LEONARDO DA VINCI – UNIASSELVI
G
U Razão Social: SOCIEDADE EDUCACIONAL LEONARDO DA VINCI S/S
L
A
M
CNPJ: 01.894.432/0001-56
E
N End: Rod. BR 470, Km 71 nº 1.040 Bairro: Benedito
T
O Cidade: Indaial UF: SC Fone: (47) 3281-9000 R. 9073
D CEP: 89.130-000 E-mail: kopelke.professor@uniasselvi.com.br
E
Representada por: André Luiz Kopelke Cargo: Coordenador de Estágios
E
S
T
Á
G
UNIDADE CONCEDENTE
I
O

E
Razão Social:

T CNPJ:
R
A End: Bairro:
B
A Cidade: UF: Fone:
L
H CEP: E-mail:
O

D Representada por: Cargo:


E

G
R I – OBJETO
A
D
U
A O objeto do presente Convênio é regular as condições de realização de Estágios
Ç
à Curriculares Obrigatórios para acadêmicos da UNIASSELVI, nas dependências da ENTIDADE
O
CONCEDENTE.
-

C
U Parágrafo Primeiro – Para fins deste Convênio, o Estágio Obrigatório deve observar
R
S o Projeto Pedagógico do Curso, tendo caráter de complementação educacional e de
O
S prática profissional. Entendem-se como Estágio as atividades que visam ao aprendizado de
D
E
competências próprias da atividade profissional e à contextualização curricular, objetivando o
P
desenvolvimento do acadêmico para a vida cidadã e para o trabalho.
E
D
A
G Parágrafo Segundo – O estágio somente poderá ser contratado quando possuir expressa
O
G previsão no Projeto Pedagógico do Curso frequentado pelo acadêmico.
I
A II – PRAZO DO ESTÁGIO
21

Os Estágios Obrigatórios terão a duração e carga horária de acordo com o previsto no


Projeto Pedagógico dos Cursos de Graduação.
D
I
R
O estágio terá a duração e carga horária estabelecidas no termo de compromisso, E
T
R
podendo ser renovado, desde que o período total contratado não ultrapasse o tempo máximo I
Z
de 2 anos. E
S

R
III – JORNADA E
G
U
L
A jornada a ser cumprida será definida no termo de compromisso. A jornada deverá ser A
M
sempre compatível com o horário escolar e não poderá ultrapassar o limite de 6 (seis) horas E
N
diárias e 30 (trinta) semanais, não podendo ser alterada, salvo ajuste formal com a anuência T
O
da instituição de ensino e do acadêmico.
D
E

Parágrafo Primeiro: Durante os períodos de avaliação ou verificações de aprendizagem, E


S
T
a carga horária do Estágio será reduzida à metade. Á
G
I
O
Parágrafo Segundo: A UNIASSELVI deverá fornecer, sempre que solicitado, documento
E
que indique a data das avaliações.
T
R
A
B
A
IV – ATIVIDADES L
H
O

As atividades que serão realizadas pelo(a) acadêmico(a) deverão observar as seguintes D


E
condições:
G
R
A
a) as atividades a serem desenvolvidas deverão ser compatíveis com a estrutura curricular D
U
A
e com o Projeto Político-Pedagógico do curso em que ele está matriculado; Ç
Ã
b) as atividades principais poderão ser ampliadas, reduzidas, alteradas ou substituídas O

somente com prévia e expressa anuência do(a) estagiário(a) e da UNIASSELVI, devendo -

ser realizadas sempre dentro do contexto básico da profissão e do Projeto Pedagógico C


U
do Curso. R
S
O
S

D
V – BOLSA E

P
E
Os estágios regulados por este instrumento, por se tratarem exclusivamente de D
A
ESTÁGIOS OBRIGATÓRIOS, não serão remunerados. G
O
G
I
A
22

VI – OBRIGAÇÕES DA UNIASSELVI

D
Compete à UNIASSELVI:
I
R
a) fornecer a documentação que viabilize a contratação do estágio;
E
T b) avaliar as instalações da parte concedente e a adequação das atividades à formação
R
I cultural e profissional do(a) educando(a);
Z
E c) indicar Professor-Tutor Externo orientador, da área desenvolvida no Estágio, como
S
responsável pelo acompanhamento e avaliação das atividades do estagiário;
E
d) exigir do acadêmico a apresentação dos relatórios e/ou fichas de avaliação, na
R
E periodicidade estabelecida no termo de compromisso, que não poderá ser superior a
G
U 6 (seis) meses;
L
A e) em caso de descumprimento das condições acordadas no termo de compromisso,
M
E orientar o(a) acadêmico(a) e a UNIDADE CONCEDENTE visando à adequação do
N
T
O
estágio, ou, quando necessário, recomendar ao(à) acadêmico(a) o encerramento do

D
estágio;
E
f) elaborar as normas complementares e instrumentos de avaliação dos estágios;
E
S g) comunicar o calendário acadêmico à UNIDADE CONCEDENTE no início de cada
T
Á período letivo;
G
I h) receber, avaliar e arquivar os relatórios ou fichas de avaliação;
O
i) informar as condições e requisitos mínimos para a realização do Estágio, observando
E
a carga horária, duração e jornada;
T
R j) efetuar a contratação de seguro contra acidentes pessoais em favor do estagiário, cuja
A
B apólice seja compatível com valores de mercado;
A
L k) encaminhar sistematicamente os relatórios ou as fichas de avaliação de estágio para
H
O preenchimento e devolução no prazo assinado;
D
E
l) comunicar a Unidade Concedente em caso de alteração da situação acadêmica do

G
estagiário.
R
A
D
U Parágrafo Único: Em caso de abandono, a comunicação da UNIASSELVI à UNIDADE
A
Ç CONCEDENTE será feita somente após a identificação de tal situação acadêmica pelo sistema
Ã
O ou, quando isto não for possível, ao término do período letivo.
-

C
U
R VII – OBRIGAÇÕES DA UNIDADE CONCEDENTE
S
O
S
Compete à UNIDADE CONCEDENTE:
D
E a) conceder estágio curricular, ao corpo discente da UNIASSELVI, nos termos da
P
E
legislação vigente e das disposições deste Convênio, definido em parceria com os
D
A
departamentos interessados em abrir campo de Estágio e a UNIASSELVI, as atividades
G
O
dos estagiários;
G
I b) fixar o número de vagas pelas áreas de formação e informar a UNIASSELVI para os
A
devidos encaminhamentos;
23
c) oferecer instalações que tenham condições de proporcionar ao aluno a boa execução
das atividades previstas no plano de atividades, disponibilizando local, materiais e
equipamentos adequados;
D
d) apresentar ao acadêmico o local de trabalho, equipe, normas de funcionamento, I
R
objetivos, políticas e filosofia internas, visando à integração do estagiário; E
T
R
e) controlar a frequência do estagiário; I
Z
f) informar à UNIASSELVI em caso de interrupção ou de problemas na realização do E
S
Estágio, bem como nos casos em que o acadêmico, por motivos de natureza técnica,
E
administrativa ou disciplinar, não for considerado apto a continuar as atividades de
R
estágio; E
G
g) avaliar o desempenho do estagiário e/ou preencher a ficha de avaliação sempre U
L
que solicitado pela UNIASSELVI, obedecendo à periodicidade fixada no Termo de A
M
Compromisso, que em nenhuma hipótese poderá ultrapassar o limite de 6 (seis) E
N
meses; T
O
h) indicar um supervisor responsável, que deverá acompanhar as atividades do aluno;
D
i) manter à disposição da fiscalização os documentos que comprovam a realização do E

Estágio; E
S
T
j) permitir à UNIASSELVI acesso às instalações onde o Estágio é realizado, sempre que Á
G
solicitado; I
O
k) formalizar o Estágio Curricular através de Termo de Compromisso firmado com o
E
estagiário, tendo a obrigatória interveniência da UNIASSELVI;
T
l) não alterar as atividades do acadêmico estagiário sem prévia comunicação e anuência R
A
da UNIASSELVI; B
A
m) informar à UNIASSELVI quaisquer modificações ocorridas no quadro de estagiários; L
H
n) fornecer a declaração do Estágio ao acadêmico, sempre que solicitado; O

o) compatibilizar a jornada de trabalho, com o horário escolar e com o horário da D


E
concedente;
G
p) prestar todo tipo de informações sobre o desenvolvimento do estágio e da atividade do R
A
acadêmico estagiário, que venha a ser solicitada pela UNIASSELVI e que ela entenda D
U
A
necessária; Ç
Ã
q) ao final do Estágio, emitir certificado de sua realização. O

Parágrafo Primeiro: O supervisor indicado deverá pertencer ao quadro de pessoal da C


U
Unidade Concedente e ter formação ou experiência profissional na área de conhecimento R
S
desenvolvida no curso frequentado pelo estagiário. O
S

D
Parágrafo Segundo: O supervisor indicado não poderá ser responsável pela orientação E

de mais de 10 (dez) estagiários simultaneamente. P


E
D
A
G
O
G
I
A
24

VIII – OBRIGAÇÕES DO ESTAGIÁRIO

D
Constituem obrigações do ACADÊMICO:
I
R
a) cumprir carga horária de Estágio, prevista nas Matriz Curricular do Curso de Graduação
E
T da UNIASSELVI;
R
I b) apresentar relatórios das atividades realizadas sempre que solicitados, de acordo com
Z
E as normas de Estágio;
S
c) acatar as normas existentes na instituição em que realiza o estágio, procurando manter
E
a rotina de trabalho e qualidade dos serviços prestados;
R
E d) cumprir as demais determinações constantes do Termo de Compromisso.
G
U
L
A
M
E IX – DO PRAZO E DA VIGÊNCIA
N
T
O

D
O presente convênio é firmado por prazo de 12 (doze) meses, podendo ser prorrogado
E
mediante acordo entre as partes.
E
S
T
Á Parágrafo único - As partes poderão rescindir o presente convênio mediante aviso
G
I prévio de 30 (trinta) dias, sendo que, em caso de rescisão, fica garantida a continuidade dos
O
Termos de Compromisso de Estágio já firmados, respeitando os trabalhos que estiverem em
E
andamento.
T
R
A
B
A
L X – DISPOSIÇÕES GERAIS
H
O

D
E
1. O Estágio não gera vínculo na forma da lei.

G
2. Para a execução das atividades previstas neste convênio, as partes administrarão os
R
A
recursos humanos, materiais e financeiros considerados indispensáveis à vista dos
D
U respectivos trabalhos, sob a responsabilidade e gerenciamento de cada convenente.
A
Ç 3. Deverá cada um dos convenentes se assegurar de que os recursos humanos designados
Ã
O para trabalhar nas atividades concernentes ao presente convênio conheçam e aceitem
- todas as obrigações aqui estabelecidas, bem como as que venham a ser criadas através
C de termos aditivos ou planos de trabalho.
U
R 4. Os convenentes terão que cumprir rigorosamente com seus deveres de observância
S
O de sigilo e ética profissional, fazendo as recomendações oportunas e desenvolvendo
S
todos os demais atos e funções necessários ou convenientes ao bom cumprimento
D
E das atribuições contratadas, comprometendo-se ainda a manter o caráter sigiloso das
P
E
informações a que poderão ter acesso em função deste contrato, tomando todas as
D
A
medidas cabíveis para que tais informações somente sejam divulgadas no âmbito da
G
O
execução dos serviços, sob pena de responsabilidade.
G
I
A
25
XI – DO FORO

Fica eleito o Foro da Comarca de Indaial, Estado de Santa Catarina, para dirimir questões
D
oriundas do presente convênio. I
R
E
T
R
E por assim estarem de pleno acordo, lavrou-se o presente instrumento em 2 (duas) vias I
Z
de igual teor e forma, assinam as partes o presente convênio na presença das testemunhas E
S
abaixo identificadas.
E

R
E
G
Indaial, ___ de _______________ de _________. U
L
A
M
E
N
T
O
INSTITUIÇÃO CONCEDENTE André Luiz Kopelke
D
Coordenador Geral de Estágios E

UNIASSELVI E
S
T
Á
TESTEMUNHAS: G
I
O

__________________________ _______________________ T
R
Nome: Nome: A
B
CPF: CPF: A
L
H
O

D
E

G
R
A
D
U
A
Ç
Ã
O

C
U
R
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
26

ANEXO IV – TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO

TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO


D
I Nos termos da Lei 11.788/08, celebrado entre as partes abaixo qualificadas:
R
E
T
R
CENTRO UNIVERSITÁRIO LEONARDO DA VINCI - UNIASSELVI
I ENDEREÇO: Rod. BR 470, Km 71 nº 1.040 BAIRRO: Benedito CEP: 89130-000
Z
E CIDADE: Indaial ESTADO: SC TELEFONE: (47)
S 3281-9000 ramal 9012
E REPRESENTADA POR: André Luiz Kopelke CARGO: Coordenador de Estágios
R
E A INSTITUIÇÃO CONCEDENTE
G
U
RAZÃO SOCIAL:
L ENDEREÇO: BAIRRO:
A
M CIDADE: ESTADO:
E CEP: TELEFONE:
N
T SUPERVISOR: Registro Profissional ou Experiência:
O

D ESTAGIÁRIO
E
ACADÊMICO: MATRÍCULA:
E CURSO: TURMA:
S
T END: BAIRRO:
Á CIDADE: UF: CEP: FONE:
G
I SEGURADORA: APÓLICE:
O

E
Neste ato celebram entre si este Termo de Compromisso de Estágio convencionando as
T
R cláusulas e condições seguintes:
A
B
A
L CLÁUSULA 1ª O presente Termo de Compromisso de Estágio Curricular Obrigatório
H
O tem por objetivo formalizar as condições básicas para a realização de atividades de interesse
D
E
curricular entendido o estágio como estratégia de profissionalização que complementa o
G
processo ensino-aprendizagem.
R
A
CLÁUSULA 2ª Em decorrência do convênio firmado entre a UNIASSELVI e a
D
U INSTITUIÇÃO, celebra-se o Termo de Compromisso de Estágio entre o estudante e a
A
Ç Instituição Concedente com interveniência e assinatura da UNIASSELVI, nos termos do Art.
Ã
O 3º da Lei 11.788/08.
- CLÁUSULA 3ª O presente Termo de Compromisso constituirá comprovante da
C inexistência de vínculo empregatício, salvo nos casos em que o estagiário já for funcionário
U
R da Instituição Concedente.
S
O CLÁUSULA 4ª Fica compromissado entre as partes as condições básicas de realização
S
de estágio curricular com as seguintes orientações:
D
E O contrato terá vigência de ____________ a ____________, podendo ser denunciado a
P
E
qualquer tempo, unilateralmente, mediante comunicação escrita.
D
A
As atividades serão desenvolvidas em horário a ser ajustado entre as partes, não podendo
G
O
exceder a carga horária de 6 horas diárias ou 30 semanais. A Instituição Concedente
G
I proporcionará à UNIASSELVI, sempre que necessários, subsídios que possibilitem o
A
acompanhamento, a supervisão e avaliação das atividades do acadêmico.
27
O acadêmico deverá elaborar e entregar relatório sobre as atividades realizadas, na forma,
prazo e padrões estabelecidos.
O acadêmico deverá integralizar a carga horária de estágio definida na grade curricular do
D
curso. I
R
As atividades a serem desenvolvidas deverão estar em conformidade com o previsto no E
T
R
Projeto de Estágio e cronograma constantes nas Diretrizes e Regulamento de Estágio I
Z
da UNIASSELVI. E
S
CLÁUSULA 5ª O trabalho realizado pelo estagiário poderá ser remunerado ou não, a
E
critério da instituição concedente.
R
CLÁUSULA 6ª No desenvolvimento das atividades ora compromissadas, caberá E
G
ao acadêmico obedecer às normas internas da Instituição Concedente, bem como outras U
L
eventuais recomendações ou requisitos ajustados entre as partes. A
M
CLÁUSULA 7º Constituem motivos para a interrupção automática da vigência do E
N
presente Termo de Compromisso: T
O
o abandono do Curso e/ou trancamento da matrícula;
D
o não cumprimento do convencionado nos Termos deste Compromisso. E

CLÁUSULA 8ª A Instituição Concedente e o acadêmico elegem, como seu representante E


S
T
e órgão de apoio, o Foro da cidade sede da Instituição Concedente para decisão de eventuais Á
G
controvérsias que atinjam a esfera judicial. I
O
E, por estarem de inteiro e comum acordo com as condições deste Termo de compromisso,
E
as partes o assinam em 3 (três) vias de igual teor.
T
R
A
Indaial, ___ de _________________ de 20___. B
A
L
H
O

D
E
____________________ _______________________
G
INSTITUIÇÃO COORDENADOR DE ESTÁGIOS ESTAGIÁRIO R
A
CONCEDENTE ANDRÉ LUIZ KOPELKE D
U
UNIASSELVI A
Ç
Ã
O

C
U
R
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
28

ANEXO V - CARTA DE APRESENTAÇÃO

D
I
R
E
T Indaial, ____ de __________ de ________.
R
I
Z
E
S
Prezado(a) Sr.(a):
E

R
E Apresentamos a V.S.ª o(a) acadêmico(a) __________________________________
G
U _____, regularmente matriculado(a) no_____________módulo, do Curso de ___________
L
A _____________________________ da UNIASSELVI, que pretende realizar Estágio nessa
M
E Instituição Concedente.
N
T
O

D
Informamos que Estágio é um componente curricular obrigatório, perfazendo um total
E
de ______ horas e será supervisionado pela Coordenação de Estágios da UNIASSELVI, que
E
S poderá fazer eventuais contatos com V.S.ª com a finalidade de acompanhar o desempenho
T
Á do(a) acadêmico(a) em sua experiência prática na Instituição Concedente, bem como para
G
I colher dados da atuação do(a) mesmo(a) em suas tarefas.
O

E
Agradecemos antecipadamente a oportunidade dada ao(a) nosso(a) acadêmico(a).
T
R
A
B
A
L Atenciosamente,
H
O

D
E

G
___________________________________________
R
A
Nome do(a) Professor(a) Orientador(a)
D
U
A
Ç
Ã
O

C
U
R
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
29
ANEXO VI – MODELO DE MEMORIAL DESCRITIVO DE ESTÁGIO

D
TÍTULO I
R
E
T
R
Autor (acadêmico) I
Z
Prof. Orientador (Professor-Tutor Externo) E
S
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI
E
Curso/Habilitação (TURMA) – Estágio
R
dd/mm/aa E
G
U
L
A
M
1 INTRODUÇÃO E
N
T
O
Na introdução, deve-se anunciar a ideia central do trabalho, delimitando o tema em
D
relação à área de concentração escolhida. Em linhas gerais, o acadêmico de Estágio deverá, E

num espaço não superior a uma página, resumir na introdução os quatro primeiros itens do E
S
T
seu projeto de estágio, ou seja, a área de concentração, a fundamentação teórica, os objetivos Á
G
e a metodologia. I
O

T
2 CORPO DO TRABALHO (os títulos são livres conforme o texto tratado) R
A
B
A
Nesta seção, o autor deve se preocupar em apresentar a área de concentração/tema em L
H
que se enquadra. Isto implica uma apresentação clara, lógica e objetiva. Para a apresentação O

o autor poderá fazer uso de diversas ferramentas como dados estatísticos, tabelas, gráficos e D
E
outros, de forma a complementar o texto e amparar as análises discutidas. Deve-se levar em
G
consideração que a argumentação deve ser consistente, além de seguir uma sequência lógica R
A
e coerente com a área de concentração. D
U
A
Ç
Ã
É nesta etapa que o acadêmico de Estágio tem a oportunidade de relatar as atividades O

por ele desenvolvidas na Instituição Concedente. Aqui o acadêmico deve mostrar como o -

projeto de estágio foi implementado na prática, ou seja, como os objetivos foram cumpridos, C
U
respeitando (quando possível) o cronograma originalmente previsto. R
S
O
S

D
3 CONCLUSÃO E

P
E
A conclusão deve apresentar o posicionamento sintetizado da argumentação D
A
desenvolvida no corpo do trabalho. Apresenta-se uma análise sobre o trabalho desenvolvido, G
O
informando resultados e reflexões sobre o Estágio, área de concentração. Também poderá G
I
A
ser relatada uma opinião pessoal sobre a experiência que acaba de realizar, apresentando
30

recomendações e sugestões referentes ao aperfeiçoamento de futuros trabalhos.

D
I
R
REFERÊNCIAS
E
T
R
I Traz as referências da literatura efetivamente utilizada.
Z
E
S

R
E
G
U
L
A
M
E
N
T
O

D
E

E
S
T
Á
G
I
O

T
R
A
B
A
L
H
O

D
E

G
R
A
D
U
A
Ç
Ã
O

C
U
R
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
31
ANEXO VII – NORMAS DE CONDUTA DO ESTAGIÁRIO

As Normas de Conduta devem ser observadas com a finalidade de unificar uma postura
D
aos acadêmicos durante o período de Estágio. É um momento de autoavaliação, cuja principal I
R
preocupação deve ser a aproximação cada vez maior entre “o que eu digo e o que faço, entre E
T
R
o que pareço ser e o que realmente sou”. I
Z
E
S
Aspectos profissionais a serem observados:
E

R
1. Solicita autorização do responsável pela Instituição Cedente para a realização do Estágio, E
G
acertando questões práticas, tais como: data, horário, departamento, processo. U
L
2. Cumpre o programa, tendo como parâmetro o aprendizado adquirido. A
M
3. Planeja as ações, observando os horários e o ritmo da Instituição Concedente. E
N
4. Procura identificar as dificuldades para refazer suas estratégias. T
O
5. Exercita sua autoavaliação.
D
6. Fica atento à receptividade de suas atividades. E

7. Observa com atenção e registra. E


S
T
8. Otimiza o tempo. Á
G
9. Respeita a privacidade e a individualidade no local de Estágio. I
O
10. Participa da rotina da Instituição Cedente, sem criar polêmicas.
E
11. Preserva sigilo das informações a que tiver acesso.
T
12. Discute seu projeto com o seu supervisor na Instituição Concedente. R
A
13. Aprofunda os conteúdos, a fim de garantir a cientificidade dos mesmos. B
A
14. Não julga o seu supervisor(a), muito menos fala dele(a) para outrem. L
H
15. Promove a imagem dos acadêmicos e da Instituição UNIASSELVI. O

D
E
Aspectos humanos:
G
R
A
1. Procura ser assíduo(a) e pontual em todas as atividades do estágio. D
U
A
2. Tem uma atitude receptiva e colaboradora. Ç
Ã
4. Veste-se adequadamente. O

5. Não fuma no ambiente de estágio. -

6. Não utiliza celular. O celular deve ser mantido desligado quando estiver no local e horário C
U
de estágio. R
S
7. Dirige-se de forma cordial a todas as pessoas. O
S
8. Atitudes de bom senso são medidas para o sucesso.
D
9. Adota postura adequada no que se refere à linguagem utilizada, não usa gírias. E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
32

ANEXO VIII – AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO ESTAGIÁRIO

D
É PREENCHIDA PELO(A) SUPERVISOR(A) DA INSTITUIÇÃO CONCEDENTE
I
R
E
T Estagiário: Matrícula:
R
I Curso:
Z
E Instituição Concedente:
S

E
Supervisor(a) do Estágio:
R
E
G
INDICADORES NOTA
U
L
A 1. Assiduidade. Frequência, Regularidade e Pontuali­dade.
M
E
N 2. Disciplina. Observação das Normas e Regula­mentos.
T
O 3. Responsabilidade. Capacidade de responder pelos seus próprios atos,
D
bem como desempenhar as atividades que lhe são confiadas, de forma sa­
E tisfatória.
E
S
4. Iniciativa. Capacidade de pensar e agir com bom senso na falta de normas
T e processos previa­mente determinados, assim como a de apresentar sugestões
Á
G
ou ideias pendentes ao aperfeiçoa­mento do serviço (respeitando a hierarquia
I e as normas da instituição).
O

E
5. Criatividade. (Capacidade de criar gerando alter­nati­vas inovadoras no
desenvolvimento das ati­vi­dades.)
T
R 6. Apresentação Pessoal. Maneira de trajar-se, trato com a aparência,
A
B apresentação pessoal.
A
L 7. Zelo. (Cuidado dispensado no manuseio dos equipa­mentos, ferramentas,
H
O máquinas, instala­ções e outros materiais.)
D 8. Cooperação. Qualidade de cooperar com os superiores e com os colegas
E
na realização das tarefas rela­cionadas ao setor em que atuou.
G
R 9. Capacidade de relacionamento. (Capacidade de integrar-se ao grupo de
A
D
trabalho, favorecendo um clima de solidariedade, colaboração, respeito e poli­
U dez.)
A
Ç 10. Planejamento/Organização. (Sistematização de meios para a realização
Ã
O das atividades.)
- NOTA FINAL (atribuir nota de 0 a 10 a cada indicador. A nota final é o resultado
C da soma das notas obtidas nos dezoito indicadores, dividido por 10).
U
R
S
O
S
Data:........../........../.......... _______________________________________
D
E Assinatura do(a) Acadêmico(a)
P
E
D
A
G
O Data:........../........../.......... _______________________________________
G
I Assinatura e carimbo do(a) Supervisor(a)
A
33
ANEXO IX – AVALIAÇÃO DO PROJETO DE ESTÁGIO

É PREENCHIDA PELO(A) PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A)


D
I
R
CURSO: _______________________________________________________ E
T
R
I
Z
NOME DO(A) ACADEMICO(A) ESTAGIÁRIO(A): TURMA: E
S

E
PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A)
R
E
INSTITUIÇÃO CONCEDENTE: G
U
(em que realizou estágio) L
A
M
ASPECTOS A CONSIDERAR NOTA E
N
T
I - apresentação formal (normas de produção acadêmica); O

D
E
II - elaboração da fundamentação teórica e sua relação com a prática;
E
S
III - clareza e correção de linguagem; T
Á
G
IV - articulação entre a área de concentração/tema do TG com a disciplina de I
Estágio; O

E
V - coerência dos objetivos em relação ao tema proposto;
T
R
A
VI - a metodologia apresenta as atividades vivenciadas no campo de estágio. B
A
NOTA FINAL (atribuir nota de 0 a 10 a cada item. A nota final é o resultado da L
H
soma das notas obtidas nos seis aspectos considerados, dividido por seis). O

D
E

G
Data:____/____/_______ R
A
D
U
A
Ç
Ã
_______________________________________________ O

Assinatura do(a) Professor(a) Orientador(a) -

C
U
R
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
34

ANEXO X – AVALIAÇÃO DO MEMORIAL DESCRITIVO DE ESTÁGIO

D
É PREENCHIDA PELO(A) PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A)
I
R
E
T CURSO: ______________________________________________________
R
I
Z
E NOME DO(A) ACADÊMICO(A) ESTAGIÁRIO(A): TURMA:
S

E
PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A)
R
E
G
U
INSTITUIÇÃO CONCEDENTE:
L (em que realizou estágio).
A
M
E ASPECTOS A CONSIDERAR NOTA
N
T
O I- apresentação do tema escolhido na introdução em relação à área de
D
concentração do TG e Estágio;
E
II - síntese dos principais itens do projeto de estágio (área de concentração,
E fundamentação teórica, objetivos, metodologia);
S
T
Á
III - elaboração da fundamentação teórica de acordo com a área escolhida e a
G prática do Estágio;
I
O
IV - clareza e correção de linguagem;
E

T
R
V - relevância da observação e dos dados coletados na intervenção;
A
B
A VI - apresentação formal (normas de produção acadêmica).
L
H
O NOTA FINAL (atribuir nota de 0 a 10 a cada item. A nota final é o resultado da
soma das notas obtidas nos seis aspectos considerados, dividido por seis).
D
E

G
R
A
Data:____/____/______
D
U
A
Ç
Ã
O

C _____________________________
U
R Assinatura do(a) Professor(a) Orientador(a)
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
35
ANEXO XI – AVALIAÇÃO DA SOCIALIZAÇÃO DE ESTÁGIO

É PREENCHIDA PELO(A) PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A)


D
I
R
CURSO: _______________________________________________________ E
T
R
I
NOME DO(A) ACADÊMICO(A) ESTAGIÁRIO(A): TURMA: Z
E
S
PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A): E

R
INSTITUIÇÃO CONCEDENTE: E
G
(na qual realizou estágio) U
L
A
ASPECTOS A CONSIDERAR NOTA M
E
N
I - relação teoria-prática; T
O

D
II - respeito ao tempo predefinido; E

E
S
III - clareza na comunicação, postura e movimento, habilidade no uso de recursos, T
domínio do conteúdo, segurança, interação com a plateia; Á
G
I
O
IV - relevância das conclusões apresentadas;
E

T
V - apresentação do tema em relação à área de concentração do TG e R
A
Estágio; B
A
L
VI - objetividade. H
O

D
NOTA FINAL (atribuir nota de 0 a 10 a cada item. A nota final é o resultado da E

soma das notas obtidas nos seis aspectos considerados, dividido por seis). G
R
A
D
U
A
Ç
Data:____/____/______ Ã
O

C
U
R
S
O
S
_____________________________
D
Assinatura do(a) Professor(a) Orientador(a) E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
36

ANEXO XII – ROTEIRO DE OBSERVAÇÃO

D
Alguns itens que seguem podem ser observados no Projeto Político-Pedagógico e no
I
R
funcionamento da escola/turma.
E
T
R
I 1 Caracterização da Instituição em relação à Educação Básica: estruturação e condições
Z
E de espaço físico, área externa, localização, área coberta, qualidade e quantidade da construção
S
e dependências, acervo bibliográfico - se tiver, como é utilizado, material pedagógico, etc.
E

R
E 2 Caracterização do corpo técnico-administrativo: formação e quantidade. Caracterizar
G
U a formação e indicar a quantidade dos profissionais que atuam na gestão escolar (diretor(a),
L
A supervisor(a), orientador(a), secretário(a))o
M
E
N
T
O
3 Caracterização do(a) professor(a) da turma: formação. Experiência profissional.

D
Relacionamento com os alunos. Criatividade.
E

E
S 4 Planejamento: existe? Como ele é realizado, diariamente, semanalmente, anualmente?
T
Á Em nível de unidade, municipal/secretaria de educação ou do(a) professor(a)? Qual é o
G
I referencial? Projeto Político-Pedagógico? Qual a importância real do planejamento para a
O
Educação Básica?
E

T
R 5 Caracterização da turma: número de alunos, faixa etária, saúde, lazer, condições de moradia,
A
B constituição familiar, nível socioeconômico, número de irmãos, quantos componentes da família
A
L trabalham, nível de escolaridade da família. Obs.: fazer uma média desses dados.
H
O

D
E
6 Como está organizado e estruturado o espaço físico dos alunos na sala de aula: qual

G
o material didático-pedagógico existente para os alunos, TV, retroprojetor, tamanho da sala.
R
A
D
U 7 Alternativas: quais são as alternativas que os professores buscam para resolver as questões
A
Ç dos limites em relação a espaço físico, falta de material pedagógico e número excessivo de
Ã
O alunos?
-

C 8 Rotina: descrever todos os momentos de uma aula ou período de aula.


U
R
S
O Observação: esse roteiro deverá ser apresentado de forma descritiva.
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
37
ANEXO XIII – MODELOS DE PLANO DE AULA

ESCOLA:................................. D
I
SÉRIE:..................................... R
NOME DO(A) ESTAGIÁRIO(A):.................... E
T
DATA DA INTERVENÇÃO:........................... R
I
ÁREA DO CONHECIMENTO: Interdisciplinar Z
E
S

I. Objetivos de Aprendizagem: E

R
E
• Ampliar o repertório musical das crianças. G
U
• Aprender a ouvir/apreciar músicas diversas. L
• Conhecer alguns poemas ou obras literárias musicadas. A
M
E
N
T
II. Conteúdos: O

D
• Escuta musical. E
• Repertório musical. E
• Poesia. S
T
• Canções. Á
G
I
O
III. Metodologia E

T
• Dialogar com as crianças que algumas das canções que vão ser ouvidas foram originalmente R
escritas como poesia. Ex: CD - A Arca de Noé (poemas). A
B
• Ouvir canções em roda. FONTE: A Arca de Noé – volumes 1 e 2 – Moraes (1980), Quero A
passear – Grupo Rumo (1988), Palavra Cantada – Perez e Tatit (1994), Canções dos direitos L
H
das Crianças – Toquinho (1986). O
• Ler poemas, textos e letras das canções antes e também depois de ouvir a música. D
• Apresentar para as crianças os livros em que estão os poemas ou textos musicados, para que E
eles sejam manuseados após a roda de leitura, de música, e também em outros momentos G
do dia. R
A
• Cantar as músicas que conheceram na roda e gravar as crianças cantando. D
• Estimular as crianças para que a atividade de escutar canções e poemas musicados seja U
A
um momento especial. Ç
• Criar uma roda aconchegante de música, na própria sala de convívio diário, estimulando o Ã
O
contato com músicas, poesias, etc.
-

C
U
IV. Recursos: R
S
O
• Aparelho de gravador S
• CDs D
• Livros de poemas E

P
V. Avaliação: E
D
A
• Quando a atividade envolve música, é importante que o professor não compare as G
O
aprendizagens, mas que consiga observar as características de cada criança dentro do G
grupo. Ao escutar uma canção, elas não manifestam seu prazer e seu interesse da mesma I
A
38

maneira. Nem todas dançam ou batem palmas; algumas preferem se manter atentas,
apenas escutando, o que não significa não gostar do que ouvem. Avaliar se as crianças
incorporaram canções apresentadas na roda de música ao seu repertório e se as cantam
D espontaneamente; interessaram-se em procurar e localizar os poemas/letras de canções
I
R
nos livros; se solicitam, em outros momentos do dia, para que o professor toque as canções
E que escutaram na roda de música.
T
R
I Obs.: Referenciar as obras que foram citadas no item III. Metodologia por completo conforme
Z
E as Normas da ABNT, no item “Referências”.
S

E FONTE: Disponível em: revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/praticapedagogica.


R
Acesso em: 06 jul. 2010.
E
G
U ESCOLA:.................................
L SÉRIE:.....................................
A
M NOME DO(A) ESTAGIÁRIO(A):....................
E
N
DATA DA INTERVENÇÃO:...........................
T ÁREA DO CONHECIMENTO: Língua Portuguesa
O

D
E
I. Objetivos de Aprendizagem:
E
S
T • Levar os alunos à prática da leitura crítica do texto.
Á
G
• Desenvolver nos alunos técnicas de “diálogos” com o texto lido.
I • Motivar os alunos a manterem contato com a leitura e, ao mesmo tempo, incentivar a
O
escrita.
E

T
R II. Conteúdos:
A
B
A
L
• Diários de leitura
H
O

D III. Metodologia:
E

G • Peça aos alunos que cada um providencie um caderno. Nele serão anotadas as
R
A observações, os comentários, as dúvidas, etc. acerca da leitura que farão.
D
U
• Esclareça para eles que o “diário de leitura” não é um diário íntimo, isto é, aquele em
A que se escreve sobre a vida, e sim um diário reflexivo de leitura.
Ç
Ã
• Peça aos alunos que registrem tudo: a busca de objetivos para a leitura, a expressão
O de dúvidas diante da leitura, reflexões sobre as dificuldades com a leitura e tentativas de
- compreender suas causas ou, mesmo, reflexões sobre o processo de leitura.
• Diga para não se preocuparem com o certo ou o errado, pois tudo o que se pensar ao
C
U ler o texto deverá ser registrado.
R
S
• Explique aos alunos que, por se tratar de uma espécie de conversa, eles não devem
O falar o tempo todo, mas também devem ouvir o autor do texto que está sendo lido, pois, como
S
numa conversação, também precisamos dar voz ao nosso interlocutor.
D • Para isso, há várias ações envolvidas: falamos, escutamos, concordamos, discordamos,
E
interferimos, perguntamos, etc. Esse movimento permite que ambos (autor do texto e aluno),
P falem e escutem.
E
D
A
G
O IV. Recursos:
G
I
A • Caderno
39
• Texto

V. Avaliação:
O desempenho do aluno será observado na participação da construção do diário, as reflexões D
e interesse na busca pela ampliação do conhecimento por meio da pesquisa e troca de I
R
experiências. E
T
R
I
A ELABORAÇÃO DE UM DIÁRIO DE LEITURA Z
E
S

Jorge Viana de Moraes E

R
E
O diário de leitura é, segundo Rachel Machado, Lousada e Abreu-Tardelli (na obra G
U
L
Resenha - leitura e produção de textos técnicos e acadêmicos, Editora Parábola), uma A
M
ferramenta para a leitura crítica de textos. As autoras defendem a ideia de que, com a prática E
N
do diário de leitura, o aluno poderá ter uma atitude de leitor ativo, interativo e crítico diante T
O
dos textos, o que, segundo elas, pode ajudá-lo a ter opinião mais segura e fundamentada
D
sobre o texto lido. E

A leitura do diário deve ser iniciada pelo professor junto aos seus alunos na sala de E
S
aula (nas aulas de leitura, por exemplo), mas deve se estender para casa, como uma prática T
Á
de estudo que acompanhará o estudante pela vida escolar afora, desde o Ensino Fundamental G
I
até a carreira universitária. O

O diário de leitura não é um texto para ser entregue ao professor, pois, como o próprio E

nome sugere, é um diário, ou seja, um texto que apenas o aluno irá ler. Todavia, se houver T
R
a necessidade de que o texto seja entregue ao professor, uma segunda versão deverá ser A
B
A
elaborada, verificando se há alguma informação que o aluno prefira omitir, se ele deseja rever L
H
suas posições, ou mesmo melhorar o texto, não se esquecendo de que, pelo fato de entregar O

ao professor, o caderno deixa de ser um diário. D


E
Seguem abaixo, com pequenas adaptações, algumas instruções, dadas pelas autoras
G
do livro, para a elaboração de um diário de leitura: R
A
D
U
Instruções para elaboração do diário de leitura A
Ç
Ã
O
1. Observe o título do texto e registre no seu diário:
-
- suas impressões: gostou ou não?
C
- tem vontade de ler? U
R
- que tipo de texto espera encontrar? Sobre o que você acha que o texto trata? S
O
S

D
2. Antes de iniciar a leitura, observe todas as informações – (verbais ou não verbais) – que E

podem ajudá-lo a melhor compreender o texto: a última capa, a orelha, as notas sobre o autor, P
E
a bibliografia (se houver), o índice, etc. Anote tudo o que você julgar importante e as ideias D
A
que você for tendo a respeito do texto a ser lido. G
O
G
I
3. À medida que você for lendo, vá registrando (sempre com frases completas): A
40

a) as relações que você puder ir estabelecendo entre os conteúdos do texto e qualquer outro

D
tipo de conhecimento que você já tenha (livros ou textos que já leu, aulas, músicas, filmes,
I
R
sua experiência de vida, etc.).
E
T b) as contribuições que julga que o texto está trazendo para: qualquer tipo de aprendizado, o
R
I desenvolvimento de sua prática de leitura, o desenvolvimento de produção de textos, algum
Z
E trabalho que vai realizar, etc.
S
c) sua opinião sobre o texto, sobre sua forma e seu conteúdo: vá discutindo as ideias do autor
E
(concordando ou discordando, levantando dúvidas)
R
E d) vá registrando as dificuldades de leitura que encontrar e anotando os trechos que não
G
U compreender ou aqueles de que mais gostar.
L
A
M
E Jorge Viana de Moraes é professor universitário em cursos de graduação e pós-
N
T
O
graduação na área de Letras. Atualmente, é mestrando em Língua Portuguesa e Filologia

D
pela Universidade de São Paulo.
E

E
S FONTE: Disponível em: <www. educação.uol.com.br/planos-aula>. Acesso em: 12 jun. 2010.
T
Á
G
I
O

T
R
A
B
A
L
H
O

D
E

G
R
A
D
U
A
Ç
Ã
O

C
U
R
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
ANEXO XIV - AVALIAÇÃO DE SUPERVISÃO DO ESTÁGIO
TURMAS:       PÓLO:  
ARTICULADOR:        
  TURMAS SUPERVISIONADAS
TURMA: TURMA: TURMA: TURMA: TURMA:
Aspectos a Considerar
ESTÁGIO: ESTÁGIO: ESTÁGIO: ESTÁGIO: ESTÁGIO:
I. DOCUMENTOS: o(a) acadêmico(a) entregou no campo de
         
estágio a documentação necessária.
II. EXECUÇÃO DA ENTREVISTA E/OU REGÊNCIA: o(a)
         
acadêmico(a) realizou a entrevista e/ou regência.
III. INTERAÇÃO: houve o envolvimento do Professor(a)-
Tutor(a) Externo(a) e do(a) acadêmico(a) nas atividades          
desenvolvidas no campo de estágio.
IV. RELATÓRIO/MEMORIAL: o(a) acadêmico(a) elaborou
o Relatório/Memorial de acordo com as normas da        
UNIASSELVI.
V. SOCIALIZAÇÃO: o(a) acadêmico(a) apresentou clareza
na comunicação, postura e movimento, habilidade no uso
         
de recursos, domínio do conteúdo, segurança, interação
com a platéia.
VI. DOCUMENTOS UNIASSELVI: o(a) Professor(a)-Tutor(a)
Externo(a) entregou documentação a ser enviada para          
UNIASSELVI.

Observações e sugestões:  
 
 
41

Data: ____/______/_________. Assinatura Articulador(a)

I
I
I
I

-
L
L
Z

T
T
T
T

E
E
S
S
Ã
E
B
E
Á
S
E
E
E
E
E
S
E
E

A
A
D
D
R
U
C
Ç
A
U
D
A
R
D
H
A
A
R
D
N
R

A
U
R
R
D

G
O
G
O
O
G
O
O
G
O
G

M
42

3 TRABALHO DE GRADUAÇÃO

D

I
R
3.1 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL
E
T
R
I A Resolução do CNE/CES nº 2, de 19 de fevereiro de 2002, que institui a duração e a
Z
E carga horária dos Cursos de Licenciaturas, de graduação plena, de formação de professores
S
da educação básica em nível superior, faculta à Instituição de Ensino Superior a inclusão do
E
Trabalho de Graduação como componente curricular. Ao incluir o Trabalho de Graduação
R
E em seu Projeto Pedagógico do curso, a Instituição de Ensino Superior se obriga a elaborar o
G
U respectivo regulamento e o torna obrigatório para a obtenção do respectivo título.
L
A
M
E
N
T
O
3.2 ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO E LOCAIS DE REALIZAÇÃO

D
E
O objeto do Trabalho de Graduação deverá ser enquadrado nas Áreas de Concentração
E
S definidas neste regulamento pelo Colegiado do Curso.
T
Á
G
I
O
3.3 COORDENAÇÃO, SUPERVISÃO E ORIENTAÇÃO
E

T
R A Coordenação, Supervisão e a Orientação do Trabalho de Graduação serão feitas
A
B conforme consta no respectivo regulamento.
A
L
H
O

D
E
3.4 EXECUÇÃO

G
R
A
• Cada turma será orientada por um (1) Professor Orientador, função esta exercida pelo
D
U Professor-Tutor Externo de cada turma;
A
Ç • serão programados encontros presenciais com todos os acadêmicos da turma, que
Ã
O constam no cronograma de cada turma;
- • o cronograma de atividades contém as datas de entrega das etapas do Paper e de sua
C versão final, da realização do Seminário de Socialização do Trabalho de Graduação,
U
R bem como da realização de outras atividades pertinentes;
S
O • o produto final do Trabalho de Graduação consistirá de um Paper, cujo formato se
S
encontra em anexo a essas Diretrizes;
D
E • a publicação do resultado do Trabalho de Graduação será feita através do Seminário
P
E
de Socialização.
D
A

G
O

G
I
A
43
3.5 AVALIAÇÃO

• A avaliação do Trabalho de Graduação será feita da maneira descrita no respectivo


D
regulamento, devendo contemplar, no mínimo: a) o desempenho em cada etapa da I
R
fase de pesquisa; b) o desempenho em cada fase de escrita do paper; c) qualidade do E
T
R
Paper; d) desempenho no Seminário de Socialização; I
Z
• será considerado aprovado o acadêmico que obtiver, no mínimo, média final 7 (sete). E
S

R
3.6 REGULAMENTO DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO E
G
U
L
CAPÍTULO I A
M
DA CONCEPÇÃO, DURAÇÃO OBRIGATORIEDADE E
N
DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO T
O

D
Art. 1º. O Trabalho de Graduação dos Cursos de Licenciatura são concebidos como E

um dos momentos que privilegia o domínio teórico-metodológico de temas desenvolvidos ao E


S
T
longo do curso. Á
G
I
O
Art. 2º. O Trabalho de Graduação terá a duração, em horas, estipulada na matriz
E
curricular em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais.
T
R
A
Art. 3º. Nenhum acadêmico poderá colar grau sem ter cumprido as exigências do B
A
Trabalho de Graduação. L
H
O

D
E
CAPÍTULO II
G
DA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO R
A
D
U
A
Art. 4º. O Trabalho de Graduação dos Cursos de Licenciaturas compreende as etapas Ç
Ã
a seguir nomeadas e descritas. O

I – ETAPA DO PLANEJAMENTO C
U
a) escolha da área de concentração para execução das etapas posteriores. R
S
O
S
Parágrafo único - Do Cronograma de Atividades (ANEXO I) constarão as atividades a
D
serem realizadas e o respectivo período de realização. E

P
E
II – ETAPA DO DESENVOLVIMENTO D
A
Esta etapa compreende: G
O
G
I
A
a) realização das atividades programadas;
44

b) realização de encontros de orientações gerais com todos os acadêmicos;


c) reuniões de acompanhamento entre o Professor Orientador e o acadêmico;

D
d) a elaboração do paper.
I
R
E
T § 1º - No desenvolvimento desta etapa, as reuniões de acompanhamento entre o
R
I Professor Orientador e o acadêmico serão programadas de acordo com o cronograma.
Z
E
S
III – ETAPA DA CONCLUSÃO
E
Nesta etapa é realizada a entrega e socialização do Paper, com data prevista no
R
E Cronograma do Curso.
G
U
L
A CAPÍTULO III
M
E DAS ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO
N
T
O

D
Art. 5º. O Trabalho de Graduação deverá ser realizado nas seguintes áreas de
E
concentração, conforme descrição a seguir:
E
S
T
Á CURSO DE PEDAGOGIA
G
I
O
a) Educação, Escola e Políticas Públicas
E
Estudos voltados para a relação entre educação e sociedade. Espaços escolares e não
T
R escolares. A Escola Básica nas políticas educacionais orientadas pela LDB e suas interpretações
A
B e aplicações atuais, no contexto municipal, regional e estadual. Políticas Públicas Educacionais.
A
L Estudos sobre desenvolvimento, implementação e avaliação de políticas públicas em educação
H
O no que tange ao planejamento e financiamento de projetos e instituições de ensino. Relação
D
E
escola x comunidade.

G
R
A
b) Formação e Profissionalização Docente
D
U Reflete sobre o trabalho do professor como profissional da educação nas diferentes áreas
A
Ç de atuação; o professor segundo a LDB; a formação profissional no currículo universitário;
Ã
O a profissão do professor frente às mudanças sócio-político-econômicas. Competências,
- habilidades e valores inerentes ao perfil do professor da Educação Infantil e dos Anos Iniciais
C do Ensino Fundamental. Processos de formação docente. Estudos sobre a formação inicial e/
U
R ou continuada de professores. Saberes docentes.
S
O
S
c) Metodologias de Ensino
D
E O processo de ensino e a aprendizagem. Propostas Curriculares e os Parâmetros Curriculares
P
E
Nacionais. Dificuldades de ensino/aprendizagem. Fundamentos para a construção de projetos
D
A
interdisciplinares. Práticas educativas. Processos de alfabetização. Novas mídias e educação.
G
O
Processos educativos na Educação Infantil.
G
I
A
d) Educação Inclusiva
45
Estudos sobre questões sociais, pedagógicas, filosóficas, históricas e culturais inseridas no
processo educativo e relacionadas aos educandos que necessitam de recursos educacionais
especiais. Práticas Inclusivas. Intervenção pedagógica no processo educacional voltado para
D
a educação especial. Inclusão de alunos com deficiência em contextos escolares. I
R
E
T
R
CAPÍTULO IV I
Z
DAS ATRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO, SUPERVISÃO E ORIENTAÇÃO E
S

E
Art. 6º. A coordenação do Trabalho de Graduação será exercida pelo Coordenador do
R
Curso. E
G
U
L
Art. 7º. São atribuições do Coordenador de Trabalho de Graduação: A
M
E
N
I. elaborar o cronograma de atividades do Trabalho de Graduação e divulgá-lo em T
O
tempo hábil;
D
II. baixar normas e instruções pertinentes complementares a este Regulamento; E

III. orientar e acompanhar as atividades do Professor Orientador quanto às normas e E


S
T
programação do Trabalho de Graduação. Á
G
I
O

E
Art. 8º. A supervisão do Trabalho de Graduação será feita pelo Articulador.
T
R
A
Art. 9º São atribuições do Articulador: B
A
L
H
O

I - orientar e esclarecer dúvidas dos acadêmicos e dos Professores-Tutores Externos D


E
quanto à elaboração do Trabalho de Graduação;
G
II - Supervisionar as atividades dos Professores-Tutores Externos no que diz R
A
respeito: D
U
A
a) ao desenvolvimento do Trabalho de Graduação e da Prática; Ç
Ã
b) à aplicação, correção e lançamento no sistema, das notas das provas de avaliação O

da aprendizagem do Trabalho de Graduação; -

c) ao lançamento, no campo próprio do sistema, do Paper do Trabalho de Graduação C


U
realizado pelos acadêmicos; R
S
d) ao desenvolvimento dos encontros presenciais, com especial atenção para o O
S
cumprimento do horário e realização das atividades programadas, segundo as orientações
D
da UNIASSELVI; E

e) à socialização do Trabalho de Graduação; P


E
f) receber os diários de classe, ata de entrega Trabalho de Graduação, conferir e enviá- D
A
lo à Gerência Acadêmica da UNIASSELVI; G
O
g) verificar a postagem do Trabalho de Graduação no ambiente de aprendizagem. G
I
A
46

Art. 10. A orientação do Trabalho de Graduação é feita pelo Professor-Tutor Externo.

D
Art. 11. São atribuições do Professor-Tutor Interno:
I
R
a) revisar e atualizar, quando necessário, as Diretrizes e Regulamento do Trabalho de
E
T Graduação;
R
I b) orientar o Professor Orientador, articuladores de EAD e os acadêmicos através do
Z
E telefone 0800, e-mail e AVA, sobre os procedimentos de Trabalho de Graduação, tais como:
S
aplicação do manual, escrita do paper e outros;
E
c) orientar quanto à fundamentação teórica para a realização da Pesquisa;
R
E d) alimentar e acompanhar o ambiente virtual – AVA;
G
U e) orientar o planejamento e organização do seminário de socialização do Trabalho de
L
A Graduação;
M
E f) responder dúvidas dos Polos e organismos públicos e privados;
N
T
O
g) orientar o Professor Orientador sobre a sistemática de avaliação e lançamento das

D
notas.
E

E
S Art. 12. São atribuições do Professor-Tutor Externo:
T
Á I – dar a conhecer o presente Regulamento aos acadêmicos, esclarecendo-lhes
G
I eventuais dúvidas;
O
II – divulgar entre os acadêmicos os planos e cronogramas necessários à execução do
E
Trabalho de Graduação;
T
R III – orientar a elaboração do Paper;
A
B IV – acompanhar o acadêmico na execução de suas tarefas, orientando-o nas suas
A
L necessidades e dificuldades;
H
O V – avaliar o desempenho do acadêmico;
D
E
VII – avaliar o Paper;

G
VIII – lançar todas as notas referentes ao Trabalho de Graduação no site da
R
A
UNIASSELVI;
D
U IX – fazer todos os registros o Diário de Classe e Ata de entrega do Trabalho de
A
Ç Graduação de todos os acadêmicos da turma e depois entregar ao articulador;
Ã
O X – organizar o Seminário de Socialização;
- XI – postar no site da UNIASSELVI os Papers de todos os acadêmicos e indicar os três
C melhores trabalhos;
U
R XII – exercer outras funções atribuídas pelo colegiado do curso e não previstas neste
S
O Regulamento.
S

D
E CAPÍTULO V
P
E
DO ACADÊMICO
D
A
G
O
Art. 13. São atribuições do acadêmico:
G
I I - estar devidamente matriculado na disciplina de Trabalho de Graduação;
A
II - cumprir as tarefas programadas;
47
III - comparecer aos encontros presenciais destinados à orientação do Trabalho de
Graduação;
IV - elaborar o Paper ( ANEXO II);
D
IV- entregar uma cópia digital do Trabalho de Graduação ao professor orientador; I
R
IV - cumprir outras tarefas solicitadas pela Coordenação ou pelo Professor E
T
R
Orientador. I
Z
E
S

E
CAPÍTULO VI
R
DA AVALIAÇÃO DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO E
G
U
L
Art. 14. A avaliação do Trabalho de Graduação compreende: A
M
E
N
I - Avaliação da Primeira parte do Paper – Fundamentação teórica (ANEXO III). T
O
II - Avaliação da segunda parte do Paper – descrição dos materiais, métodos, resultados
D
e discussões (ANEXO IV). E

III - Avaliação final do Paper (ANEXO V). E


S
T
IV - Avaliação do desempenho no Seminário de Socialização (ANEXO VI). Á
G
I
O
§ 1º. Será considerado aprovado o acadêmico que obtiver média aritmética final igual
E
ou superior a 7 (sete).
T
R
A
§ 2º. O acadêmico que não obtiver nota final igual ou superior a sete (7) será considerado B
A
reprovado na disciplina e, consequentemente, terá que repeti-la. L
H
O

D
E

G
CAPÍTULO VI R
A
DAS DISPOSIÇÕES GERAIS D
U
A
Ç
Ã
Art. 15. O Trabalho de Graduação poderá ser realizado mediante participação em O

programas de extensão ou de Iniciação Científica institucionais, após manifestação favorável -

do Coordenador do Curso. C
U
R
S
Art. 16. Os casos omissos neste Regulamento serão resolvidos pela Coordenação do O
S
Curso, cabendo os recursos regimentais.
D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
48

D
I
R
E
T
R
I
Z
E
S

R
E
G
U
L
A
M
E
N
T
O

D
E

E
S
T
Á
G
I
O Anexos
E

T do Trabalho de Graduação
R
A
B
A
L
H
O

D
E

G
R
A
D
U
A
Ç
Ã
O

C
U
R
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
49
ANEXO I – CRONOGRAMA DE ATIVIDADES DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO – 2009/1

DATA/PERÍODO ATIVIDADE OBSERVAÇÃO D


I
R
Professor-Tutor Externo fará a explicação E
03/09/2011 Encontro de orientações de como deverá ser escrito o paper do TG T
R
e as datas de entrega parciais. I
Z
Período em que o acadêmico irá escrever E
03/09/2011 a Período de escrita S
a primeira parte do seu paper, que consiste
24/09/11 (Primeira parte do paper)
na sua fundamentação teórica. E

R
Entrega da fundamentação teórica do E
Entrega parcial do Paper
24/09/2011 paper. G
(Fundamentação Teórica) U
NOTA 1 L
A
Período em que o acadêmico irá escrever a M
E
24/09/2011 a Período de escrita segunda parte do seu paper, que consiste N
T
15/10/2011 (Segunda parte do paper) na descrição dos materiais e métodos e O
resultados e discussão. D
E
Entrega parcial do Paper Entrega do descritivo referente a materiais
15/10/2011 (Materiais/Métodos e e métodos e resultados e discussão. E
S
Resultados/Discussão) NOTA 2 T
Á
Período em que o acadêmico irá concluir a G
15/10/2011 a Período de escrita I
escrita de seu paper, inserindo o Resumo, O
17/12/2011 (Paper final)
Introdução, Conclusão e Referências. E

- Entrega final do paper em formato T


R
impresso e em arquivo eletrônico. A
Entrega final do Paper NOTA 3 B
A
17/12/2011 e - Apresentação pública do TG em local e L
H
Socialização do TG data a ser publicado pelo Professor-Tutor O
Externo.
D
NOTA 4 E

G
R
A
D
U
A
Ç
Ã
O

C
U
R
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
50

ANEXO II – MODELO DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO

D
TÍTULO
I
R
Subtítulo (opcional)
E
T
R
I Autor
Z
E Prof. Orientador
S
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI
E
Curso (TURMA) – Trabalho de Graduação
R
E dd/mm/aa
G
U
L
A
M
E RESUMO
N
T
O

D
O resumo só pode ser elaborado depois de concluído o trabalho e constitui-se de uma
E
breve explanação de todo o trabalho. Normalmente, o resumo não excede 900 caracteres (15
E
S linhas ou 150 palavras). O resumo deve ser uma apresentação concisa dos pontos relevantes
T
Á do texto.
G
I
O
Palavras-chave: __________. __________. __________.
E

T
R
A
B 1 INTRODUÇÃO
A
L
H
O A introdução diz respeito ao próprio conteúdo do trabalho: sua natureza, sua metodologia.
D
E
A introdução não deve ser dispensada, pois é parte integrante do desenvolvimento do trabalho

G
científico.
R
A
D
U Na introdução, deve-se anunciar a ideia central do trabalho delimitando o ponto de vista
A
Ç enfocado em relação ao assunto e à extensão; deverá situar o problema ou o tema abordado,
Ã
O no tempo e no espaço.
-

C Nessa parte, deve ser enfocada a relevância do assunto no sentido de esclarecer seus
U
R aspectos obscuros, bem como da contribuição desse trabalho para uma melhor compreensão
S
O do problema.
S

D
E

P
E
2 CORPO DO TRABALHO (os títulos são livres conforme o texto tratado)
D
A
G
O
Nesta seção, o autor deve se preocupar em apresentar o trabalho resultante de sua
G
I pesquisa. Isto implica uma apresentação clara, lógica e objetiva, seja negativa ou positiva. Para a
A
apresentação, o autor poderá fazer uso de diversas ferramentas como dados estatísticos, tabelas,
51
gráficos e outros, de forma a complementar o texto e amparar as análises discutidas.

A apresentação do tema é a parte mais livre do trabalho, pois é nesse momento que
D
o autor pode argumentar sobre o tema e inferir determinadas conclusões. Contudo, deve-se I
R
levar em consideração que a argumentação deve ser sólida, além de seguir uma sequência E
T
R
lógica e coerente. I
Z
E
S
Nesta etapa, o acadêmico deve apresentar a fundamentação teórica aprofundada sobre
E
o tema desenvolvido no Trabalho de Graduação.
R
E
G
U
L
3 CORPO DO TRABALHO (continuação) A
M
E
N
O corpo do trabalho poderá ter diversas seções, dependendo das características T
O
peculiares de cada atividade prática desenvolvida pelos acadêmicos nas suas respectivas
D
escolas. Mas como o presente trabalho tem por objetivo ser publicado na revista do curso, o E

acadêmico necessita considerar que o relato não deve ser extremamente extenso. O objetivo E
S
T
do paper não é ser um tratado que esgote determinado assunto, porém, como pode ser também Á
G
tratado como artigo científico, deve ter de 15 a 30 páginas. I
O

T
3.1 CORPO DO TRABALHO (subseções) R
A
B
A
O corpo do trabalho também poderá apresentar subseções secundárias e terciárias, L
H
dependendo da necessidade do acadêmico no relato de seus estudos no Trabalho de Graduação. O

Nesse caso, deve ser observada a formatação correta de cada título: seção primária (escrita em D
E
caracteres maiúsculos e em negrito), seção secundária (caracteres maiúsculos e sem negrito),
G
seção terciária e demais seções (apenas a primeira letra maiúscula e sem negrito), todas elas R
A
alinhadas à esquerda. (TAFNER; SILVA, 2008, p. 36). D
U
A
Ç
Ã
Quanto às citações longas, elas também têm formatação específica: O

-
[...] as citações longas são apresentadas em parágrafo próprio, com espace-
C
jamento simples, e destacadas do texto com recuo de 4 cm da margem es- U
querda. O tamanho da fonte deve ser menor (10) em relação ao restante do R
texto. Não há aspas no início e ao término da citação [...] (TAFNER; SILVA, S
O
2008, p. 74). S

D
E

P
4 MATERIAL E MÉTODOS E
D
A
G
Neste espaço, o acadêmico deve descrever de que forma foram coletados os dados no O
G
decorrer do Trabalho de Graduação, quais os procedimentos adotados, bem como os dados I
A
52

que foram anotados em forma de tabelas, quadros ou a melhor forma de apresentação.

D
I
R
5 RESULTADOS E DISCUSSÃO
E
T
R
I Os resultados obtidos a partir do aporte teórico, das análises realizadas e dos dados
Z
E obtidos no Trabalho de Graduação devem ser discutidos neste espaço, podendo também estar
S
complementados com tabelas, quadros, gráficos ou outras formas que o acadêmico considerar
E
convenientes.
R
E
G
U
L
A 6 CONCLUSÃO
M
E
N
T
O
A conclusão deve apresentar o posicionamento sintetizado da argumentação

D
desenvolvida no corpo do trabalho. Apresenta-se uma análise sobre o trabalho desenvolvido,
E
informando resultados e reflexões sobre o Estágio, área de concentração. Também poderá
E
S ser relatada uma opinião pessoal sobre a experiência que acaba de realizar, apresentando
T
Á recomendações e sugestões referentes ao aperfeiçoamento de futuros trabalhos.
G
I
O

E
REFERÊNCIAS
T
R
A
B TAFNER, Elisabeth Penzlien; SILVA, Everaldo da. Metodologia do Trabalho Acadêmico.
A
L Indaial: UNIASSELVI, 2008.
H
O

D
E

G
R
A
D
U
A
Ç
Ã
O

C
U
R
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
53
ANEXO III – AVALIAÇÃO DO TG

Primeira parte – Fundamentação teórica


D
I
R
É PREENCHIDA PELO(A) PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A) E
T
R
I
Z
CURSO: ________________________________________________________ E
S

R
NOME DO(A) ACADÊMICO(A): TURMA: E
G
U
L
PROFESSOR(A) ORIENTADOR (A): A
M
E
N
TEMA: T
O

D
ASPECTOS A CONSIDERAR NOTA E

E
I - Elaboração da Fundamentação teórica (coerência com a área de S
concentração; consistência teórica; apresentação lógica das ideias) T
Á
G
II - Relação Teoria-Prática (articulação entre a pesquisa de campo - prática I
e pesquisa bibliográfica - dados teóricos) O

E
III - Abrangência Teórica (utilização de obras/autores que fundamentam a
área de concentração pesquisada.) T
R
A
IV - Clareza e correção de linguagem (fluência do texto; erros ortográficos; B
coerência do texto; preocupação com a figura do leitor) A
L
V - Apresentação formal (normas de produção acadêmica, utilização correta H
O
das normas da ABNT: formatação, citações, referências, entre outros).
D
NOTA FINAL (atribuir nota de 0 a 10 a cada item. A nota final é o resultado E

da soma das notas obtidas nos cinco aspectos considerados, dividido por G
cinco). R
A
D
U
A
Ç
Ã
Data:____/____/______ O

C
U
________________________________________________ R
Assinatura do(a) Professor(a) Orientador(a) S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
54

ANEXO IV – AVALIAÇÃO DO TG

D
Segunda parte – descrição métodos, análise e interpretação dos dados da pesquisa
I
R
E
T É PREENCHIDA PELO(A) PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A)
R
I
Z
E CURSO: ________________________________________________________
S

R
E
NOME DO(A) ACADÊMICO(A): TURMA:
G
U
L PROFESSOR(A) ORIENTADOR (A):
A
M
E
N TEMA:
T
O

D
E
ASPECTOS A CONSIDERAR NOTA
E
S
I - Descrição da metodologia (coerência entre as metodologias e instrumentos
T utilizados na pesquisa)
Á
G
I II - Apresentação da análise dos dados (organização dos dados coletados)
O

E III - Interpretação dos dados (significação dos dados; posicionamento do


acadêmico frente aos dados)
T
R
A
IV - Clareza e correção de linguagem (fluência do texto; erros ortográficos;
B coerência do texto; preocupação com a figura do leitor)
A
L
H
V - Apresentação formal (normas de produção acadêmica, utilização correta
O das normas da ABNT: formatação, citações, referências, entre outros)
D NOTA FINAL (atribuir nota de 0 a 10 a cada item. A nota final é o resultado
E
da soma das notas obtidas nos cinco aspectos considerados, dividido por
G
R
cinco).
A
D
U
A
Ç
Ã
Data:____/____/______
O

C
U ________________________________________________
R
S Assinatura do(a) Professor(a) Orientador(a)
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
55
ANEXO V – AVALIAÇÃO DO TG

Terceira parte – Paper completo


D
I
R
É PREENCHIDA PELO(A) PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A) E
T
R
I
Z
CURSO: ________________________________________________________ E
S

E
NOME DO(A) ACADÊMICO(A): TURMA:
R
E
G
PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A): U
L
A
M
TEMA: E
N
T
O
ASPECTOS A CONSIDERAR NOTA
D
E
I - Relevância da pesquisa (âmbito social, pessoal, educacional, entre
outros) E
S
T
II - Consistência teórica (cientificidade do paper) Á
G
I
III - Elementos Textuais (Introdução/ Desenvolvimento /Considerações Finais O

apresentam os propósitos de cada elemento) E

IV - Clareza e correção de linguagem (fluência do texto; erros ortográficos; T


R
coerência do texto; preocupação com a figura do leitor) A
B
V - Apresentação formal (normas de produção acadêmica, utilização correta A
das normas da ABNT: formatação, citações, referências, entre outros). L
H
O
NOTA FINAL (atribuir nota de 0 a 10 a cada item. A nota final é o resultado
da soma das notas obtidas nos cinco aspectos considerados, dividido por D
E
cinco).
G
R
A
D
U
A
Data:____/____/______ Ç
Ã
O

________________________________________________ -
Assinatura do(a) Professor(a) Orientador(a)
C
U
R
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A
56

ANEXO VI – AVALIAÇÃO DA SOCIALIZAÇÃO DO TG

É PREENCHIDA PELO(A) PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A)


D
I
R
E CURSO: _______________________________________________________
T
R
I
Z NOME DO(A) ACADÊMICO(A): TURMA:
E
S

E PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A):
R
E
G
TEMA:
U
L
A
M ASPECTOS A CONSIDERAR NOTA
E
N
T I - Apresentação do conhecimento teórico (domínio do conteúdo, relação
O
teoria-prática).
D
E

E
II - Relevância das conclusões apresentadas.
S
T
Á
G
III - Clareza na comunicação; postura; objetividade.
I
O
IV - Didática da apresentação (forma, instrumentos, recursos utilizados na
E
apresentação).
T
R
A
B V - Coerência entre a fala na socialização e a produção da pesquisa.
A
L
H
O NOTA FINAL (atribuir nota de 0 a 10 a cada item. A nota final é o resultado
da soma das notas obtidas nos cinco aspectos considerados, dividido por
D
E cinco).
G
R
A
D
U
A Data:____/____/______
Ç
Ã
O
________________________________________________
- Assinatura do(a) Professor(a) Orientador(a)
C
U
R
S
O
S

D
E

P
E
D
A
G
O
G
I
A