Anda di halaman 1dari 10

Teste Intermédio de Filosofia

Teste Intermédio
Filosofia
Duração do Teste: 90 minutos | 22.02.2011

10.º Ano de Escolaridade

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março

GRUPO I
1.
1.1. ................................................................................................... 5 pontos
1.2. ................................................................................................... 5 pontos
2. ............................................................................................................ 15 pontos
3.
3.1. ................................................................................................... 10 pontos
3.2. ................................................................................................... 30 pontos

65 pontos

GRUPO II
1.
1.1. ................................................................................................... 20 pontos
1.2. ................................................................................................... 20 pontos
2.
2.1. ................................................................................................... 5 pontos
2.2. ................................................................................................... 5 pontos
2.3. ................................................................................................... 5 pontos
2.4. ................................................................................................... 5 pontos

60 pontos

GRUPO III
1.
1.1. ................................................................................................... 20 pontos
1.2. ................................................................................................... 20 pontos
2. ............................................................................................................ 35 pontos

75 pontos

TOTAL..........................................  200 pontos

TI de Filosofia – Critérios de Classificação • Página C/1/ 10


A classificação do teste deve respeitar integralmente
os critérios gerais e os critérios específicos a seguir apresentados.

CRITÉRIOS GERAIS DE CLASSIFICAÇÃO

A classificação a atribuir a cada resposta resulta da aplicação dos critérios gerais e dos critérios específicos
de classificação apresentados para cada item e é expressa por um número inteiro, previsto na grelha de
classificação.

As respostas ilegíveis ou que não possam ser claramente identificadas são classificadas com zero pontos. No
entanto, em caso de omissão ou de engano na identificação de uma resposta, esta pode ser classificada se
for possível identificar inequivocamente o item a que diz respeito.

Se o aluno responder a um mesmo item mais do que uma vez, não eliminando inequivocamente a(s)
resposta(s) que não deseja que seja(m) classificada(s), deve ser considerada apenas a resposta que surgir
em primeiro lugar.

Havendo escolas em que os alunos já contactam com as novas regras ortográficas, uma vez que o Acordo
Ortográfico de 1990 já foi ratificado e dado que qualquer cidadão, nesta fase de transição, pode optar pela
ortografia prevista quer no acordo de 1945, quer no de 1990, são consideradas correctas, na classificação
dos testes intermédios, as grafias que seguirem o que se encontra previsto em qualquer destes normativos.

ITENS DE SELECÇÃO

Escolha múltipla

A cotação total do item é atribuída às respostas que apresentem de forma inequívoca a única opção correcta.

São classificadas com zero pontos as respostas em que seja assinalada:


–  uma opção incorrecta;
–  mais do que uma opção.

Não há lugar a classificações intermédias.

Se o aluno, em vez de indicar a letra da opção escolhida, transcrever o texto dessa opção, essa resposta deve
ter a mesma classificação que teria no caso da indicação da letra correspondente.

ITENS DE CONSTRUÇÃO

Resposta curta

As respostas correctas são classificadas com a cotação total do item. As respostas incorrectas são classificadas
com zero pontos.

Não há lugar a classificações intermédias.

Caso a resposta contenha elementos que excedam o solicitado, só são considerados para efeito de
classificação os elementos que satisfaçam o que é pedido. Porém, se os elementos referidos revelarem uma
contradição entre si, a classificação a atribuir é zero pontos.

TI de Filosofia – Critérios de Classificação • Página C/2/ 10


Resposta restrita e resposta extensa

Os critérios de classificação dos itens de resposta restrita e dos itens de resposta extensa estão organizados
por níveis de desempenho, sendo apresentada, para cada um desses níveis, a pontuação a atribuir a cada um
deles. O afastamento integral dos aspectos de conteúdo relativos a cada um dos itens implica que a resposta
seja classificada com zero pontos.

Os descritores dos níveis de desempenho constantes dos critérios específicos de classificação nunca poderão
ser considerados exaustivos. Contudo, uma resposta correcta deve:
–  apresentar os conteúdos considerados relevantes de forma completa;
–  apresentar esses conteúdos de forma articulada e coerente;
–  utilizar adequadamente a terminologia filosófica.

Nos itens de resposta extensa estão previstos níveis de desempenho intercalares não descritos. Sempre que
uma resposta revele um desempenho que não se integre em nenhum de dois níveis descritos consecutivos,
deve ser-lhe atribuída a pontuação correspondente ao nível intercalar que os separa.

Nos itens de resposta restrita e nos itens de resposta extensa, a classificação a atribuir traduz a avaliação
simultânea das competências específicas da disciplina e das competências de comunicação escrita em língua
portuguesa, tendo em consideração os níveis de desempenho que a seguir se descrevem.

Níveis Descritores

Composição bem estruturada, sem erros de sintaxe, de pontuação e/ou de ortografia, ou


3
com erros esporádicos, cuja gravidade não implique perda de inteligibilidade e/ou de sentido.

Composição razoavelmente estruturada, com alguns erros de sintaxe, de pontuação e/ou de


2
ortografia, cuja gravidade não implique perda de inteligibilidade e/ou de sentido.

Composição sem estruturação aparente, com erros graves de sintaxe, de pontuação e/ou
1
de ortografia, cuja gravidade implique perda frequente de inteligibilidade e/ou de sentido.

Os cenários de resposta que se apresentam para os itens de construção consideram-se orientações gerais,
que visam uma aferição de critérios. Por isso, qualquer resposta que não coincida com os cenários de resposta
apresentados nos critérios específicos, desde que corresponda ao que é requerido e seja considerada válida
pelo professor classificador, deve ser classificada em igualdade de circunstâncias.

TI de Filosofia – Critérios de Classificação • Página C/3/ 10


CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE CLASSIFICAÇÃO

GRUPO I

1. .................................................................................................................................................... 10 pontos

Item Resolução Pontuação

1.1. C 5

1.2. D 5

2. ..................................................................................................................................................... 15 pontos

Descritores do nível de desempenho no domínio


da comunicação escrita em língua portuguesa Níveis*
Descritores do nível de desempenho
no domínio específico da disciplina 1 2 3

–  Explicita inequivocamente o conceito relativo à acção humana presente no texto.


3 13 14 15
–  Apresenta uma resposta articulada e coerente, a partir do texto.

– Explicita, com algumas imprecisões, o conceito relativo à acção humana presente


no texto.
Níveis 2 8 9 10
– Faz algumas afirmações avulsas ou irrelevantes, embora correctas, acerca da
acção humana.

–  Identifica o conceito relativo à acção humana presente no texto.


1 3 4 5
–  Faz afirmações incorrectas, avulsas ou irrelevantes acerca da acção humana.

* Descritores apresentados nos Critérios Gerais de Classificação.

Cenário de resposta

Na resposta, é explicitado o conceito presente no texto, integrando-se os aspectos seguintes:


– identificação do conceito de finalidade ou de fim;
– integração do conceito na rede conceptual da acção;
– referência à função do conceito: resposta à pergunta «para quê?».

NOTA:

São de considerar as respostas que, sendo correctas e pertinentes, utilizem termos diferentes dos apresentados no
cenário de resposta.

3.1. .................................................................................................................................................. 10 pontos

Cenário de resposta

O problema filosófico abordado no texto é o problema do livre-arbítrio OU o problema do determinismo e


da liberdade.

TI de Filosofia – Critérios de Classificação • Página C/4/ 10


3.2. .................................................................................................................................................. 30 pontos

Descritores do nível de desempenho no domínio


da comunicação escrita em língua portuguesa Níveis*
Descritores do nível de desempenho
no domínio específico da disciplina 1 2 3

– Expõe duas críticas à teoria do determinismo radical que visam ou a própria


teoria, ou argumentos que a suportam, ou consequências dessa teoria, partindo
do argumento presente no texto e recorrendo a outra teoria, argumento, objecção
5 28 29 30
ou exemplo pertinente.
–  Utiliza os conceitos com rigor.
–  Apresenta os conteúdos de forma articulada e coerente.

4 NÍVEL INTERCALAR 22 23 24

Níveis – Expõe uma crítica à teoria do determinismo radical, partindo do argumento


presente no texto, e limita-se a mencionar outra crítica à mesma teoria.
3 16 17 18
–  Utiliza os conceitos com imprecisões pontuais.
–  Faz algumas afirmações avulsas ou irrelevantes, embora correctas.

2 NÍVEL INTERCALAR 10 11 12

–  Menciona uma crítica à teoria do determinismo radical.


1 –  Utiliza os conceitos de modo impreciso. 4 5 6
–  Faz afirmações incorrectas, avulsas ou irrelevantes.

* Descritores apresentados nos Critérios Gerais de Classificação.

Cenário de resposta

Na resposta, integram-se as críticas que a seguir se enunciam, ou outras consideradas relevantes e


adequadas:
– a experiência da liberdade da vontade, que é o argumento presente no texto, constitui uma objecção à
tese determinista radical, que afirma não haver acções livres;
– a tese determinista radical, ao negar a existência de acções livres, tem como consequência a negação
da responsabilidade moral. Assim, outra das críticas ao determinismo radical consiste em apresentar
exemplos da experiência comum que impliquem a atribuição de responsabilidade moral, como o da
apreciação das acções humanas enquanto louváveis ou condenáveis.

NOTA:

São de considerar as respostas que, sendo correctas e pertinentes, recorram a teorias filosóficas que afirmem a
existência de uma vontade livre, ou a outros argumentos, objecções ou exemplos adequados.

TI de Filosofia – Critérios de Classificação • Página C/5/ 10


GRUPO II

1.1. .................................................................................................................................................. 20 pontos

Descritores do nível de desempenho no domínio


da comunicação escrita em língua portuguesa Níveis*
Descritores do nível de desempenho
no domínio específico da disciplina 1 2 3

– Identifica a situação de conflito valorativo que o texto descreve.


– Relaciona, com clareza, a noção de preferência valorativa com a situação de
3 18 19 20
conflito valorativo.
–  Apresenta os conteúdos de forma articulada e coerente.

– Identifica a situação de conflito valorativo que o texto descreve.


Níveis 2 – Relaciona a noção de preferência valorativa com a situação de conflito valorativo. 12 13 14
–  Faz algumas afirmações avulsas ou irrelevantes, embora correctas.

–  Identifica a situação de conflito valorativo que o texto descreve.


– Relaciona, de modo impreciso, a noção de preferência valorativa com a situação
1 6 7 8
de conflito valorativo.
–  Faz afirmações incorrectas, avulsas ou irrelevantes.

* Descritores apresentados nos Critérios Gerais de Classificação.

Cenário de resposta

Na resposta, abordam-se os seguintes aspectos, ou outros considerados relevantes e adequados:


– na situação descrita no texto, há um conflito valorativo entre o valor da vida própria e o valor da vida de
outrem;
– na situação descrita no texto, o valor superior é o valor da vida, ocupando o lugar superior na hierarquia
e na preferência valorativa que orienta a escolha;
– em condições normais, o valor da vida (a própria e a dos outros) é respeitado; na situação do texto,
prevalece o valor de auto-protecção.

NOTA:

São de considerar as respostas que, sendo correctas e pertinentes, utilizem termos diferentes dos apresentados no
cenário de resposta.

TI de Filosofia – Critérios de Classificação • Página C/6/ 10


1.2. .................................................................................................................................................. 20 pontos

Descritores do nível de desempenho no domínio


da comunicação escrita em língua portuguesa Níveis*
Descritores do nível de desempenho
no domínio específico da disciplina 1 2 3

–  Descreve de forma inequívoca uma outra situação de conflito de valores.


3 18 19 20
–  Apresenta os conteúdos de forma articulada e coerente.

–  Descreve uma outra situação de conflito de valores.


Níveis 2 12 13 14
–  Faz algumas afirmações avulsas ou irrelevantes, embora correctas.

–  Descreve, de modo impreciso, uma outra situação de conflito de valores.


1 6 7 8
–  Faz algumas afirmações incorrectas, avulsas ou irrelevantes.

* Descritores apresentados nos Critérios Gerais de Classificação.

Cenário de resposta

Na resposta, apresenta-se um exemplo adequado de outra situação de conflito de valores, integrando-se


os seguintes aspectos, ou outros considerados relevantes:
– a escolha é inevitável;
– a tábua de valores habitual para a tomada de decisão é insuficiente;
– a escolha, numa situação dilemática, envolve um conflito.

2. .................................................................................................................................................... 20 pontos

Item Resolução Pontuação

2.1. D 5

2.2. A 5

2.3. B 5

2.4. C 5

TI de Filosofia – Critérios de Classificação • Página C/7/ 10


GRUPO III

1.1. .................................................................................................................................................. 20 pontos

Descritores do nível de desempenho no domínio


da comunicação escrita em língua portuguesa Níveis*
Descritores do nível de desempenho
no domínio específico da disciplina 1 2 3
–  Distingue imperativo categórico de imperativo hipotético, considerando o texto.
3 –  Utiliza os conceitos com rigor. 18 19 20
–  Apresenta os conteúdos de forma articulada e coerente.

– Distingue imperativo categórico de imperativo hipotético, considerando o texto.


Níveis 2 – Utiliza os conceitos com imprecisões pontuais. 12 13 14
–  Faz algumas afirmações avulsas ou irrelevantes, embora correctas.

–  Distingue imperativo categórico de imperativo hipotético.


1 –  Utiliza os conceitos de modo impreciso. 6 7 8
–  Faz afirmações incorrectas, avulsas ou irrelevantes.

* Descritores apresentados nos Critérios Gerais de Classificação.

Cenário de resposta

Na resposta, são referidos os aspectos seguintes:


– o imperativo categórico exprime a lei moral sob a forma de dever;
– só as acções praticadas em obediência ao imperativo categórico, por puro respeito à lei, têm valor moral;
o imperativo categórico ordena sem condições;
– o imperativo hipotético ordena mediante condições. Neste caso, as acções são praticadas em função de
inclinações, ou como condição para se atingir uma finalidade extrínseca, pelo que não têm valor moral.

TI de Filosofia – Critérios de Classificação • Página C/8/ 10


1.2. .................................................................................................................................................. 20 pontos

Descritores do nível de desempenho no domínio


da comunicação escrita em língua portuguesa Níveis*
Descritores do nível de desempenho
no domínio específico da disciplina 1 2 3

–  Interpreta o exemplo dado no texto segundo a ética de Stuart Mill.


3 –  Utiliza os conceitos com rigor. 18 19 20
–  Apresenta os conteúdos de forma articulada e coerente.

–  Interpreta o exemplo dado no texto segundo a ética de Stuart Mill.


2 –  Utiliza os conceitos com algumas imprecisões. 12 13 14
Níveis
–  Faz algumas afirmações avulsas ou irrelevantes, embora correctas.

– Interpreta o exemplo dado no texto, apresentando insuficiências na relação entre


o exemplo e a ética de Stuart Mill.
1 6 7 8
–  Utiliza os conceitos de modo impreciso.
–  Faz afirmações incorrectas, avulsas ou irrelevantes.

* Descritores apresentados nos Critérios Gerais de Classificação.

Cenário de resposta

Na resposta, abordam-se os seguintes aspectos, ou outros considerados relevantes:


– a acção de salvar alguém de se afogar (exemplo do texto) é moralmente correcta, independentemente
da intenção do agente;
– o valor moral da acção depende das consequências da acção.

NOTA:

São de considerar as respostas que, sendo correctas e pertinentes, utilizem termos diferentes dos apresentados no
cenário de resposta.

TI de Filosofia – Critérios de Classificação • Página C/9/ 10


2. ..................................................................................................................................................... 35 pontos

Descritores do nível de desempenho no domínio


da comunicação escrita em língua portuguesa Níveis*
Descritores do nível de desempenho
no domínio específico da disciplina 1 2 3

–  Diferencia o princípio da ética de Kant do princípio da ética de Stuart Mill.


– Compara o critério de moralidade em Kant com o critério de moralidade em
5 Stuart Mill. 33 34 35
–  Utiliza os conceitos com rigor.
–  Apresenta os conteúdos de forma articulada e coerente.

4 NÍVEL INTERCALAR 26 27 28

–  Diferencia o princípio da ética de Kant do princípio da ética de Stuart Mill


OU
Compara o critério de moralidade em Kant com o critério de moralidade em
3 19 20 21
Stuart Mill.
Níveis
–  Utiliza os conceitos com imprecisões.
–  Faz algumas afirmações avulsas ou irrelevantes, embora correctas.

2 NÍVEL INTERCALAR 12 13 14

–  Refere o princípio da ética de Kant


OU
o princípio da ética de Stuart Mill.
1 OU 5 6 7
–  Refere o critério de moralidade em Kant
OU
o critério de moralidade em Stuart Mill.

* Descritores apresentados nos Critérios Gerais de Classificação.

Cenário de resposta

Na resposta, integram-se os seguintes aspectos, ou outros considerados relevantes e adequados:


– segundo o princípio da vontade autónoma (racional), na ética formal de Kant, é na intenção do agente,
na obediência ao imperativo categórico (dever), que se encontra o critério de moralidade; é moralmente
boa a acção realizada por dever;
– segundo o princípio da maior felicidade para o maior número de pessoas, na ética utilitarista de Stuart Mill,
são as consequências da acção que devem ser julgadas; é moralmente boa a acção cujas consequências
beneficiem o maior número de pessoas, independentemente da intenção do agente;
– a ética de Kant é considerada deontológica, enquanto a ética de Stuart Mill é considerada consequencialista.

NOTA:

São de considerar as respostas que, sendo correctas e pertinentes, utilizem termos diferentes dos apresentados no
cenário de resposta.

TI de Filosofia – Critérios de Classificação • Página C/10/ 10