Anda di halaman 1dari 14

Pais na Escola

Baú das Letras


Nº 9 2010/2011 1

Dia Mundial da Alimentação


O Dia dos Pais na Escola tem como objec-
tivo contribuir para uma plena articulação
entre a escola e as famílias.
Não podemos deixar de agradecer aos inú-
meros pais/encarregados de educação
Rik e Rok vieram à escola
que nos acompanharam nesta visita, onde
No dia 15 de Outu-
mais uma vez mostraram todo o seu entusi-
bro, na escola sede
asmo, apoiando de forma veemente esta
do Agrupamento
iniciativa. Prof.Egas Moniz,
Sentimo-nos orgulhosos por ter tido a opor- celebrámos o Dia
tunidade de partilhar este dia com todos os Mundial da Alimen-
presentes. tação, antecipando
a data oficial de 16
A todos, o nosso MUITO OBRIGADO! de Outubro.
Contámos com a
A Coordenadora da Escola EB1Nº2 de Massamá presença, na es-
5/11/2010 cola do Rik e Rok,
mascotes do pro-
grama Alimentação
Saudável do hiper-
mercado Jumbo
que patrocinou esta
Durante o 1º periodo actividade, ofere-
teremos ainda: cendo a todos os
Departamento de Expressões alunos uma “meren-
A festa de Natal ! da saudável”.

A turma do 5º B vai levar a efeito, no âmbi-


to da Área de Projecto, uma recolha de al-
imentos, cobertores e produtos de higiene
para doar à União Zoófila.

Boas Festas
O Departamento de Expressões vai orga-
nizar novamente uma exposição-concurso
subordinada ao tema “Elementos Natalí-
cios”, como elemento de ligação da co-
munidade à Escola. No dia 5 de Outubro de 2010 comemorou-se o Centenário da
República.
Na escola assinalou-se este dia com actividades e trabalhos realiza-
dos por professores e alunos.
Exposição de trabalhos de alunos, entrega de marcadores comemo-
rativos e colocação de cartazes informativos.
Os alunos cantaram também o hino nacional.
O Agrupamento de escolas Egas Moniz agradece os apoios dados a esta edição pelas seguintes entidades:

Farmácia O´neil Pedrosa O.A. Centro Médico


Editorial Receitas

EDITORIAL
As Boas Intenções
Indice Farófias PUDIM DE OVOS
Ambiente................................3 Ingredientes: Ingredientes:
Em organizações complexas de que a escola • 1 lata leite condensado • 10 ovos
é um exemplo as boas intenções não são Francês....................................4 • 1 medida de leite (da lata de leite condensado) • 20 colheres de sopa de açúcar
suficientes. As boas intenções apenas levam a • 4 dl de água • 1 litro de leite
desperdício do tempo. Aconteceu na escola...........6 • 4 ovos
Nas organizações o recurso mais precioso são • 4 colheres de sopa de açúcar Confecção
as pessoas. Nada substitui o seu profissionalismo Associação de Pais..............11 • 1 colher de café de baunilha Coloque os ovos num recipiente, junte
e o seu trabalho árduo. Sendo assim, importa • raspa de 1/2 limão o açúcar e o leite, e mexa bem com a
discernir sobre a atitude mais correcta na Curiosidades.........................12 Confecção batedeira. Coloque numa forma previ-
procura da melhoria contínua no sentido Misture o leite condensado, o leite e a água. Leve amente caramelizada e leve ao forno
de conseguir melhorar a qualidade das Ensino Especial.....................14 ao lume, deixe ferver e diminua a intensidade do lume. En- em banho Maria, tendo em atenção
aprendizagens dos alunos e aumentar o bem tretanto bata as claras em castelo e junte aos poucos o que o lume não deve estar muito alto,
estar das pessoas e concomitantemente o bem Imaginar e criar....................16 açúcar, até as claras ficarem bem firmes. Com a ajuda de para que a água não ferva (caso con-
comum. 2 colheres de sopa deite na mistura anterior uma peque- trário o pudim ficará com buraquinhos).
Como o tempo é um bem escasso e não chega Clube de Teatro...................23 na porção das claras e deixe ferver lentamente, durante
para tudo, temos de nos focar em algumas 2 minutos. Vire com uma escumadeira para cozinhar do
coisas e tentar fazê-las bem. Temos de tentar Biblioteca/CRE.....................24 outro lado. Retire as farófias, deixe escorrer bem o leite e
obter resultados e não boas intenções. coloque-as numa taça grande. À parte misture as gemas
Desta forma, urge não esquecer que nos Dos mais crescidos..............25 com um pouco de leite, a baunilha e mexa bem. Fora do BOLO DE CHOCOLATE
devemos orientar pela procura das melhores lume, deite esta mistura no leite que sobrou, mexendo sem-
respostas para as seguintes questões – chave: Passatempos.......................25 pre, para evitar que talhe. Por fim, leve novamente a lume Ingredientes:
brando, sem parar de mexer com uma colher de pau, até •1 frasco de maionese de 500 g
Qual é a nossa missão? Receitas ...............................26 ficar um creme aveludado. Junte a raspa de meio limão. •2 medidas de açúcar
Deite o creme sobre as farófias e leve-as ao frigorífico, para
•2 medidas de farinha com fermento
Quem são os interessados no nosso serviço as servir bem geladas. •125 g de chocolate em pó
público de educação? Ao Mauro José de Almeida D’alva.
•3 ovos
O salame de chocolate é um doce muito próprio para •1 frasco de água fria
O que é que os alunos e as suas famílias chás e lanches, sendo muito apreciado pelas crianças.
valorizam? A comunidade educativa do Agrupa- Além disso é bastante económico. Nota: o frasco servirá apenas como
mento de Escolas Professor Egas Moniz medida. A receita não leva maionese.
Qual é o nosso plano? recordar-te-á para sempre com carinho.
SALAME DE CHOCOLATE Confecção:
Mistura-se tudo numa tigela grande.
Quais são os nossos resultados? Vai a cozer em forma grande untada e
Ficha Técnica Ingredientes:
• 100 g de manteiga ou margarina de mesa polvilhada com farinha.
Acredito que o futuro do nosso Agrupamento Cobertura
Escola sede: EB 2/3 Professor Egas Moniz, Av. Azedo • 100 g de açúcar
depende essencialmente de cada um •1 tablete de chocolate de culinária
Gneco 2745-727 Massamá • 100 g de chocolate em pó
assumir as suas responsabilidades individuais e •1 pacote de natas sem ser batido
Telefone: 214 389915 Fax: 214389915 • 1 ovo
colectivas. E-mail: eb23.n2.massama@escolas.min-edu.pt Derrete-se o chocolate com um pouco
• 200 g de bolacha Maria
Acredito que um dos segredos do sucesso de margarina. Junta-se as natas. Vai
• 1 rectângulo de papel de alumínio
está em conseguirmos conciliar a tensão Escola do 1º Ciclo: Av. Aquilino Ribeiro, 2745-721 ao lume até formar um creme homo-
entre a necessidade de ter estabilidade e a Massamá
Passe a bolacha na máquina de picar mais grossa. Amasse géneo. Cobre-se o bolo após esfriar.
necessidade de inovação e mudança. Telefone: 214392931 Fax: 214307092
E-mail: eb23.n2.massama@sapo.pt muito bem a manteiga (ou margarina) com o açúcar, mis-
Acredito que devemos ter a humildade de Mafalda Eleutério, 5ºA
ture-lhe o ovo e bata muito bem. Junte o chocolate, volte
aprender com os outros e uns com os outros.
Jornal nº5 2009/2010 a mexer bem e por fim junte a bolacha, amassando tudo
Acredito que iremos ter um ano de 2011 cheio
Tiragem: 700 exemplares muito bem. Deite este preparado no papel vegetal molha-
de sucesso pois acredito no potencial das
do em vinho do Porto ou aguardente, dê-lhe forma de sal-
pessoas que constituem o nosso Agrupamento. Equipa responsável: ame. enrole muito direitinho, aperte para ficar bem ajusta-
Um Santo Natal a todos e que, este tempo de
do, feche nas extremidades e leve ao frigorífico durante
dificuldades que se avizinha, possa contribuir Prof. Carlos Antunes
algumas horas. Logo que esteja rijo, retire o papel vegetal
para uma maior solidariedade entre os Profª Célia Ferraz
e embrulhe no papel de alumínio, fechando ou atando
elementos da nossa comunidade educativa e Profª Cláudia Alves
Profª Cláudia Pinto nas extremidades. Normalmente prepara-se de véspera.
para o despertar do melhor que existe dentro
Prof. José Santos Se não quiser passar as bolachas pela máquina de picar
dos nossos corações.
Profª Luísa Rosário esmague-as; só que picadas acho que ficam melhor. Tam-
Prof. Miguel Jesus bém pode embrulhar o papel de alumínio directamente
O Director
Profª Virginia Farelo sobre o papel vegetal; mas é papel a mais.
Rui Gonçalves
2 27
Receitas Ambiente

Bavaroise de Castanhas Aqui está uma recolha de receitas de alguns En- O Ambiente
carregados de Educação da turma 3º F.
Ingredientes: Somos um grupo de alunos do 4º ano que se
500 g de puré de castanhas Bolo de Outono preocupa com o ambiente e que gostaria que
5 dl de leite esta fosse também uma preocupação de to-
6 folhas de gelatina Ingredientes
das as pessoas, para que o nosso planeta se tor-
4 colheres de sopa de rum
6 gemas 500 g de castanhas nasse um lugar melhor para vivermos.
150 g de açúcar 1 colher de chá de erva doce Como todos sabemos, a poluição resulta da
5 dl de natas 1 colher de café de sal acção do homem sobre o meio ambiente. As-
1 pitada de baunilha 250 g de açúcar sim sendo, queríamos sensibilizar as pessoas
100 g de manteiga para terem um comportamento adequado,
Preparação: 2 colheres de chá de fermento tendo em mente as seguintes atitudes:
Demolha-se a gelatina em água fria. 5 ovos
Leva-se o leite a ferver com a pitada de baunilha Separar o lixo;
e retira-se do lume. Preparação Colocá-lo no ecoponto;
Numa tigela, mexe-se as gemas, adicionando as Evitar ter desnecessariamente as torneiras
100 g de açúcar. Obtém-se, desta forma, uma Coza as castanhas com a erva doce e o sal. abertas;
mistura clara e espumosa. Descasque e reduza a puré. Bata o açúcar com Reparar torneiras que estejam a pingar;
Junta-se, de seguida, o leite, mexendo sempre. A as gemas e a manteiga, acrescente o puré de Evitar ter indevidamente luzes acesas;
mistura passa-se para um tacho e, sem deixar de castanhas e o fermento e, por fim, as claras em Reutilizar os sacos que se utilizam nas com
mexer, vai ao lume. Não chega a ferver, retiran- castelo. pras;
do-se do lume e adicionando a gelatina escor- Leve ao forno, a 200 ºc, previamente aquecido, Adoptar medidas de redução de energia;
rida. Mistura-se muito bem. Junta-se a este creme em forma untada com margarina e polvilhada Evitar a utilização de aerossois;
o puré de castanhas e volta-se a mexer. com farinha. Não fazer fogueiras nas matas e florestas;
Bate-se as natas com 50g de açúcar até formar Não poluir os mares;
o chantilly e adiciona-se ao preparado anterior. Não matar animais;
Junta-se, finalmente, o rum. Optar por andar a pé ou de transportes
públicos;
Optar por fazer cargas completas de loiça
Crumble de Maçã ou roupa;
Utilizar pilhas recarregáveis.
Ingredientes: Marmelos Assados com Licor
4 a 5 maçãs Nós, na escola, comprometemo-nos a cola-
1 a 2 colheres de açúcar amarelo Alfarroba borar também na melhoria do ambiente. Para
2 colheres de canela em pó isso vamos poupar água; poupar e reaproveiar
2 chávenas almoçadeiras de farinha extra-fina Ingredientes: as folhas dos cadernos; colocar no papelão,
1/2 chávena almoçadeira de açúcar branco 2 marmelos
100g de manteiga ou margarina amolecida
existente na sala, as folhas que não sejam ne-
2 colheres de sopa de açúcar de cana integral
1 Cálice de Vinho do Porto 1 colher de chá de canela
cessárias; colocar no embalão o pacote de
2 cálices de Licor de Alfarroba leite espalmado; reutilizar o saco onde se traz o
Preparação: 1 colher de sopa de amêndoas em lascas lanche; apagar as luzes da sala quando vamos
Cortam-se as maçãs em pedaços pequeninos para o recreio.
para uma taça larga, adiciona-se o açúcar Preparação: No exterior, vamos manter o chão e os can-
amarelo, canela e o Vinho do Porto. Mistura-se Descasque os marmelos e corte-os em fatias, teiros limpos e, para isso, contamos, também,
muito bem e reserva-se. Noutra taça, mistura-se mantendo-os dentro de uma taça com água com as equipas ecológicas existentes na esc-
a farinha, o açúcar branco e a manteiga a seco. e sumo de limão para não oxidarem enquanto ola.
Mistura-se sem bater, de preferência com as descasca o outro. Ainda podemos trazer de casa, para separar
pontas dos dedos, de maneira a que se formem Numa taça que possa ir ao forno, coloque as na escola, pilhas, tinteiros das impressoras e o
pequenos caroços de farinha. fatias de marmelo, polvilhe com o açúcar e a óleo usado.
No tabuleiro ou tacinhas individuais onde vai ser- canela e regue com o licor de alfarroba e leve Todos nós sabemos que a maioria das pes-
vir a sobremesa, pincele com margarina e colo- ao forno quente cerca de 30 minutos, polvilhe soas conhece estes procedimentos, mas não os
que o preparado de maçã e em seguida a mis- com a amêndoa e deixe no forno mais 5 ou 10 aplicam, porque não acreditam que mudem
tura da farinha. Regue com o molho que ficou minutos para tostar. alguma coisa, ou acham-nos mesmo desne-
da mistura das maçãs. cessários.
Leva-se ao forno a 180º durante 30 minutos, até Notas: Quem não tiver licor de Alfarroba pode Se cada um de nós acreditar e fizer um bo-
ficar tostado por cima e está pronto a servir! fazer com vinho do Porto ou outro vinho doce, cadinho pela melhoria do ambiente, todos jun-
Acompanha-se com gelado de baunilha ou para quem quiser uma versão sem álcool pode tos faremos muito.
nata. fazê-la com chá. Texto colectivo
4º H

26 3
Biblioteca/CRE

Notícias FUNDO DOCUMENTAL DA BIBLIOTECA La pauvreté des enfants


ISABEL ALÇADA
Está a decorrer o Concurso para a criação do Les enfants victimes de la pauvreté sont confrontés à de multiples difficultés, notamment du point
Logótipo da Biblioteca Isabel Alçada, aberto a O nosso fundo documental foi enriquecido com de vue de la qualité du logement, de la santé, de l’éducation, de la nourriture et de l’habillement.
todos os alunos do 2º e 3º ciclos. 166 livros distribuídos pelas várias áreas de estu-
O prazo de entrega terminou no dia trinta de do e Literatura Juvenil bem como por 24 DVDs Au Portugal
Novembro. No próximo número daremos notícia educativos e lúdicos. Estas aquisições foram fei-
dos premiados. Quelques ambassadeurs portugais
tas com a verba atribuída pela Rede de Biblio-
tecas Escolares .
Comemoração do Dia de S. Martinho – Leitura e Também o Plano Nacional de Leitura financiou
reconto da lenda de S. Martinho nas turmas de a aquisição de nove novos títulos, destinados
5º e 6º ano e actividades desenvolvidas na Biblio- aos três ciclos de ensino.
teca – visualização da lenda no Blogue da BE e
exploração de provérbios alusivos ao dia.

Sandra Barata Belo (Actrice) Salvador Mendes de Almeida


(Entrepreneur)
“ Quarenta e cinco minutos a ler” será uma ac-
tividade dinamizada pela Biblioteca, em colabo- Uma Poesia…
ração com a Área de Estudo Acompanhado,
destinada às turmas do 5º e 6º anos, cujo objec- A BIBLIOTECA DA NOSSA ESCOLA
tivo é criar hábitos de leitura e desenvolver as lit-
eracias. Está sempre aBerta para quem quer ler
Faz-te Imaginar!
É a Baía dos livros
A mãe dos Livros
Filmes para veres,Imaginação  
É O que não falta! Boss AC   Lídia Jorge Fernanda Freitas Sónia Araújo
As porTas estão sempre abertas..
Entra, não fiques à Espera (Chanteur)  (Écrivain) (Journaliste) (Présentatrice)
EnCantados estão os livros
E és tu o seu convidAdo

Marieta Cá
Todos os meses tens novos desafios na tua Biblio-
teca…
PARTICIPA!!!!
CLUBE DE LEITURA
Departamento de Ciências Exactas – “O Pro-
Organização de actividades de “Leitura e Escri-
blema do Mês”
ta Criativa”, a ser desenvolvida no tempo livre
“ O Cientista do Mês”
dos alunos, dinamizadas pelo Prof. Rui Alecrim.
Departamento de Línguas –
Horário: 2ª e 6ª feira das 14.15 h às 15.00h ; 2ª
- “Adivinha do Mês” – Actividade de Língua In-
feira das 15.20h às 16.05h.
glesa
- “Quem é Quem?” – Actividade de Língua In-
glesa/Francesa
Obras na Biblioteca

ENDEREÇO DO BLOGUE DA BE A Biblioteca do 1º ciclo está em remodelação.


http://www.becreactivos.blogspot.com O espaço vai ser ampliado e equipado com
EMAIL DA BE mobiliário novo. Em Janeiro esperamos ter uma
Biblioteca maior, mais acolhedora e com mais
begasmoniz@gmail.com
valências. Photographie de la Cérémonie de l´Ouverture Oficielle, le 6 février, Fondation Calouste Gulbenkian

24 5
Francês Dos mais crescidos Passatempos

Année européenne de lutte contre la pauvreté et l'exclusion sociale Meu Deus…. Adivinhas
Dá-me entendimento, ensina-me a com- O que é, que nasce grande e morre pequeno?
preender.
Que cidade é o"olfacto de cão”?
Já não me lembro, ao fim de tantos anos,
de todos os meus desejos Tenho uma casa com doze damas, cada uma
L’Union européenne est l’une des régions les
de todos os meus receios tem três quartos, todas elas têm meias e nenhu-
plus riches de la planète. Pourtant, 17 % des
Européens ont si peu de ressources qu’ils ne dos tempos de criança. ma tem sapatos.
peuvent couvrir leurs besoins élémentaires. Pois há muito, muito tempo vivi no mundo
Tomás Costa, Nº20, 6ºA
das crianças.
Já não me lembro bem... das brincadeiras
As horas
L’Europe se mobilise pour lutter contre la
que inventava,
Faro
pauvreté et l’exclusion sociale Respostas – O lápis
Près de 84 millions d’Européens sont con- dos brinquedos com que brincava.
cernés par la pauvreté: ils vivent dans Parece que foi ontem e no entanto… tão Liga as letras do Alfabeto e descobre a imagem es-
condida.
l’insécurité, et manquent de ce que la plu- personnes ayant vécu dans la pauvreté distante…
part des gens tiennent pour acquis. joueront le rôle d’ambassadeurs, ce qui Lembro-me sim dos meus sonhos de crian- Pinta o desenho a teu gosto.
La pauvreté peut engendrer toute sorte de renforcera la visibilité et la crédibilité des ça que foram interrompidos.
problèmes: manquer d’argent pour s’habiller actions organisées pendant l’Année euro- Mas, eis que agora perante os meus olhos,
ou se nourrir, vivre dans des conditions pré- péenne, tout en incitant d’autres citoyens surgem diante de mim
caires et même se retrouver sans domicile. à s’impliquer. com as mesmas brincadeiras ou novas de
La pauvreté limite également les choix en faces rosadas, cabelos ao vento e de olhos
matière de modes de vie, ce qui peut en- Qu’est-ce qui a conduit à la décision de brilhantes, crianças como outrora eu fui...
traîner l’exclusion sociale. faire de 2010 l’Année européenne de lutte Meu Deus …
Animée par son principe fondamental de contre la pauvreté et l’exclusion sociale ? Ajuda-me a compreender, sei tão pouco
solidarité, l’Union européenne s’est asso- La crise financière ?
ciée aux États membres pour faire de 2010 do que se passa por detrás dos olhos des-
La lutte contre la pauvreté et l’exclusion
l’Année européenne de lutte contre la pau- sas crianças, olhos brilhantes cheios de vida
sociale constitue l’un des engagements
vreté et l’exclusion sociale. e, alguns, ávidos de carinho.
forts de l’UE (29 pays participants) en vue
Ses objectifs clés sont : d’améliorer la cohésion sociale, de stim- Nos seus cabelos ondulados há tantas
- Renforcer la prise de conscience du uler la croissance économique et de créer maravilhas tantos sonhos...
public sur ces questions ; des emplois plus nombreux et de meil- Foi há tanto tempo que vivi no mundo das
- Renouveler l'engagement politique leure qualité. La décision de faire de 2010 crianças.
de l’UE et de ses États membres dans la lutte l’Année européenne de lutte contre la Dá-me meu Deus te peço,
contre la pauvreté et l’exclusion sociale. pauvreté et l’exclusion sociale a été prise sabedoria, paciência, carinho, amor e Observa as imagens e descobre as palavras
Les organisations de la société civile et les avant le ralentissement économique. Ce compreensão, para as entender escondidas a partir das sílabas:
partenaires sociaux s’associeront aux pays qui n’empêche pas cette Année d’arriver Faz-me outra vez a criança que ontem fui...
participants et à la Commission européenne à point nommé : avec la forte poussée du sou – te – ra
pour organiser de nombreuses activités tout chômage l’an dernier dans de nombreux Para todas as crianças deste Agrupamento
au long de l’année 2010. pays, la pauvreté n’a jamais menacé au- um carinho da vossa amiga.
Des manifestations locales et nationales se tant de personnes.
tiendront dans chaque État membre ainsi
Ilda Pedro
qu’en Islande et en Norvège. Au nombre ma – te – to
de ces manifestations, on comptera des
campagnes de sensibilisation, des ateliers, L’ouverture de l’Année européenne de
ainsi que des séminaires d’information dans lutte contre la pauvreté et l’exclusion so-
les écoles. Des films, magazines et autres ciale a eu lieu le Jeudi 21 janvier à Madrid
supports d’information seront produits afin en présence du Président du gouverne-
co – di – cro - lo
d’aider les communautés à prendre con- ment espagnol M. Rodríguez Zapatero, le
science des incidences de la pauvreté et de Président de la Comission Européenne M.
l’exclusion sociale. Durão Barroso, ... et Benoist Apparu, secré-
Aux côtés de personnalités publiques, des taire d’Etat au logement pour la France.
Professora: Maria Aurelina Gonçalves
Professora do Enino Sócio Educativo
4 25
Imaginar e Criar Aconteceu na Escola

CONTO: A MENINA PERDIDA Comemorações do Centenário da Républica

No dia 5 de Outubro de 2010 comemorou-


Era uma noite muito fria e escura. Numa rua numa coisa que estava enrolada no chão… se o Centenário da República.
deserta da cidade uma menina ia andan- baixou os olhos e viu que… era o cachecol Na escola assinalou-se este dia com activi-
do sozinha e perdida e tremia de medo e do seu pai! dades e trabalhos realizados por todos os
de frio… Mais confiante continuou a seguir o raio de professores e alunos das suas turmas.
luz do anjo e em breve avistou uma casa
com as janelas todas iluminadas. Turma do 4º ano a cantar o Hino Nacional
Ela não parava de chorar. Há muito que se - Deve ser esta a casa a que o anjo se referiu a uma turma do 1º ano.
tinha perdido dos pais e ninguém encontr- – pensou - e entrou curiosa. Mal pisou a tijo-
ara que se propusesse tomar conta dela. A leira da sala de entrada deu logo de caras
única recordação que ainda tinha dos pais com um casal de aspecto calmo e bondoso.
era a lã colorida e quentinha do cachecol
do seu pai e o toque de veludo das luvas
da sua mãe. Eles eram José e Maria.
Abraçaram-se logo à menina e disseram-lhe:
- Ah que saudades nós tínhamos da nossa …
A menina não parava de chorar. Mas…de Menina Jesus!
repente apareceu-lhe um anjo africano A Menina Jesus nunca mais se perdeu dos Placard alusivo aos 100 anos da Repúbli-
que estava vestido com um pano branco, seus pais. ca com trabalhos de todas as turmas.
tinha sandálias brancas tal como as asas e E dali em diante, todos os anos, pendurava
usava uma coroa verde feita de folhas de um anjo africano em cima da sua árvore de
árvore. Natal. Entrega dos marcadores comemorativos
Placard
do alusivo aos
Centenário da100 anos da República com
República. Turma do 4º ano a cantar o Hino Nacional a uma
trabalhos de todas as turmas. turma do 1º ano.

O anjo disse à menina: - A partir de hoje Conto de autoria colectiva:


não passarás mais fome nem sede!
- Ah - exclamou a menina, surpreendida e Sunilsa nº19 e Cátia Moreno nº 6 do 6ºA;
enxugando a última lágrima.
- Mas que devo fazer para que tal me acon- Ivana Gomes nº 14, João Lopes nº 16, Kássia
teça? – perguntou ela ao anjo. Francisco nº 19 e Madalena Cardoso nº 21
Este respondeu-lhe: - Só tens que seguir do 6º E;
este raio de luz branca que agora mesmo
lançarei das pontas dos meus dedos! Se Tiago Ferreira nº 20 do 6ºG Cartazes informativos colocados em vários
seguires este raio em breve encontrarás locais da escola.
uma casa muito bonita, com muitas luzes
acesas e dentro dela talvez lá estejam os
teus pais. DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E
HUMANAS

Dito isto o anjo desapareceu e a menina


começou a seguir o raio de luz que parecia
uma seta de néon a correr junto dos azule-
jos dos prédios. 4 de Outubro - Cantar o Hino Nacional
Actividades (Átrio da escola):
9h.45m – alunos do 6º ano
Ao passar a ponte a menina encontrou pen- 1 a 8 de Outubro - Exposição de trabalhos (colaboração entre História e Geografia de
duradas no gradeamento o que lhe pare- de alunos (2º e 3º ciclo) sobre a temática Portugal e Educação Musical)
ceu serem umas luvas. Aproximou-se para republicana e painel de documentos 15h.00m – alunos do 6º ano
ver melhor e viu que…eram as luvas da sua diversos (caricaturas, fotos e/ou imagens e (colaboração entre História e Geografia de
mãe! Mais à frente quase ia tropeçando textos..) - Átrio da Escola e Biblioteca Portugal e Educação Musical)

22 7
Aconteceu na Escola Imaginar e Criar Clube de Teatro

DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO Férias de Verão Clube de Teatro


No dia 15 de Outubro, na escola sede do Agru-
pamento Prof.Egas Moniz, celebrámos o Dia O Rui é um rapaz bem comportado e compe- O Clube de Teatro da escola está mais uma
Mundial da Alimentação, antecipando a data titivo. O Rui tem dezasseis anos, é moreno, alto, vez em actividade, dividido por dois grupos,
oficial de 16 de Outubro. magro, de olhos claros e cabelo castanho. o da manhã e o grupo da tarde, com os
Privilegiámos a importância do pequeno-almoço Nas férias de Verão o Rui e os seus amigos
e das refeições intermédias na prática de uma
nomes, respectivamente, de “Mimos &
João e Manuel foram passar as férias numa ilha
alimentação equilibrada, com diferentes sug- Bobos” e “Miúdos Faz-de-Conta”.
deserta. Mal chegaram à ilha, quiseram logo
estões. acampar; a ilha era linda! Para além de desenvolverem actividades
Contámos com a presença, na escola do Rik Então eles decidiram ir dar um passeio pela de aprendizagem das diversas técnicas
e Rok, mascotes do programa Alimentação ilha. teatrais estes grupos têm previsto, para este
Saudável do hipermercado Jumbo que patroci- Estavam a passear quando uma folha de pa- ano lectivo, a apresentação de trabalhos,
nou esta actividade, oferecendo a todos os alu- pel muito velha ficou debaixo do pé do Rui e
nos da Escola 2.3 Prof. Egas Moniz uma “merenda
no Natal e no final do ano.
ele interrogou-se:
saudável”: um pacote de leite natural ou sumo e Para este Natal está previsto o grupo
- O que é isto?
uma maçã, acompanhados de um folheto sobre - Isso parece um mapa! - Exclamou o Manuel “Mimos & Bobos” apresentar um trabalho
práticas alimentares saudáveis. admirado. de improvisação colectiva, intitulada
Foi realizada uma exposição no átrio da escola O Rui olhou melhor e disse: “Reencontro do Natal” e o grupo “Miúdos
com trabalhos elaborados pelos alunos dos 6º, 8º - Pois é! Este mapa parece que tem esta ilha Faz-de-Conta”, a peça de Ana Maria
e 9º anos. desenhada. Olhem aquela torre! Faz parte do Magalhães e Isabel Alçada, “As três
mapa e está mesmo ali. Vamos para perto dela.
Magas”. Estes trabalhos serão anunciados
Turma 8ºA - Está bem. – Disseram o João e o Manuel.
E daí seguiram o mapa. A meio do caminho e confirmados na devida altura, através da
estavam os três a olhar para o mapa e chocar- afixação de cartazes.
am com o Ricardo e o Jorge (os piores e mais
mal comportados da turma).
O Rui ao vê-los perguntou de imediato:
- O que estão aqui a fazer?
Egas Moniz reconhecida Internacionalmente - Estamos a fazer o mesmo que tu. – Disse o
Ricardo.
Graças ao trabalho que o nosso grupo de - O quê? Também estão à procura do tesouro?
Subbuteo tem vindo a desenvolver ao lon- - Perguntou o Manuel.
go dos últimos anos e aos resultados que - Sim! – Disse o Jorge, entusiasmado.
Momentos depois, o Rui disse:
temos conquistado, tanto a nível nacio-
- Vamos embora.
nal como internacional, foi, finalmente re- Então cada grupo foi para seu lado procurar
conhecido o nosso mérito. o tesouro.
A Escola Egas Moniz foi reconhecida como Depois de procurarem, procurarem, procura-
Clube pela Federation Internacional Sports rem, os três amigos chegaram à cruz assinalada
Table Football (FISTF). no mapa e voltaram-se a cruzar com o Ricardo.
Mas desta vez, nem se chatearam, foi cada
Parabéns atletas de Subbuteo!
um para seu lado. Sem querer, o Manuel pisou
Parabéns professor José Santos! uma pedra e saiu de lá o tesouro que era um
bilhete de avião para ir onde se quisesse. Dava
Parabéns à nossa Escola!!! até doze pessoas, era muita gente. O Ricardo,
que sempre fora malvado, em vez de arrancar
o bilhete da pedra, não, agradeceu ao Manuel
e ficou bonzinho e honesto.
Então decidiram ir todos, com os pais e os avós
fazer a viagem que tanto desejavam.

Diogo Canadas Sózinho


Turma: 5º B
Data: 30/10/2010

6 23
Imaginar e Criar Aconteceu na escola

PLANO NACIONAL DE LEITURA

O Plano Nacional de Leitura Há fogo na floresta


Incentiva-nos a ler cada vez mais É o livro que estamos a ler
Nós fazemos leitura orientada Capítulo a capítulo
Para sermos leitores profissionais. Vamos dá-lo a conhecer.

RESUMO DA HISTÓRIA “HÁ FOGO NA FLO-


RESTA”
A família dos coelhinhos vão mudar de
casa, vão viver na Árvore Grande.
Ao chegarem à casa nova encontram
novos vizinhos e fazem logo amizades.
Chega uma família para fazer um pique-
nique.
O pai faz uma fogueira para assar as salsi-
chas.
Ao saírem, o vento do escape do carro faz
as brasas acenderem espalhando-as pela
floresta.
A floresta começa a arder e muitos ani-
mais perdem a sua casa.

Uma história inédita


Que nos ajuda a defender a floresta
Com informações úteis
Não encontramos história igual a esta.

Para evitar incêndios


Ou qualquer tipo de ameaça
Este livro deves ler
Para evitares uma desgraça.

É um livro indispensável
Apresentando-nos a vida da floresta portu-
guesa
Devem lê-lo com muita atenção
E vão adorá-lo com certeza.

Trabalho colectivo realizado pelo 3º D

20 9
Aconteceu na escola Imaginar e Criar

O dia de S. Martinho Se eu fosse… uma lapiseira Natal para todos


No dia 11 de Novembro comemorámos o dia
de S. Martinho. Poderia ser a lua, com estrelas à minha Era Inverno, a aldeia estava coberta de neve.
beira, mas o que eu quero mesmo é ser Em quase todas as casas, uma lareira estava
Na nossa escola fizémos um magusto.
acesa e o fumo saía pela chaminé.
No recreio da escola comemos muitas cas- uma lapiseira.
As pessoas que viviam na aldeia não eram
tanhas. . Viajar no alto mundo, nas mãos com muito ricas, e as crianças não tinham brinque-
As castanhas estavam muito saborosas! pensamentos, de escrever histórias bonitas dos nem jogos para brincar.
Depois de comermos as castanhas fomos até poemas ou passatempos. Ser usada muitas Um homem, já de alguma idade, com umas
à biblioteca ver um filme sobre a lenda de S. vezes, e tratada com cuidado, mas o que grandes barbas brancas, queria dar àquelas
Martinho. importa mesmo é ter alguém a meu lado. crianças um pouco de felicidade.
Se eu fosse uma lapiseira, seria acinzentada Para tal, como não era o verdadeiro Pai Natal,
Agora já sabemos quem foi S. Martinho e qual
como a lua, com muitas minas pretas como o senhor Gomes, o homem das barbas, decidiu
foi a boa acção que ele praticou. escrever cartas para todas as empresas de
o chão da minha rua. Gostaria de per-
Também sabemos que foi devido à boa brinquedos a contar a história daqueles meni-
tencer a uma criança, que gostasse de es-
acção praticada pelo S. Martinho que todos nos e a pedir, se fosse possível, que lhe envias-
crever, e entrasse na minha dança. Dança
os anos comemoramos esse dia. sem brinquedos para ele poder distribuir no
esta, oiçam só, a das asas e pensamentos, Natal.
Este dia vai ficar guardado na nossa memória. porque se fosse uma lapiseira, também es- A maior parte das empresas ficaram sensibiliza-
creveria segredos. das com a história do senhor Gomes e deram-
Trabalho colectivo 2º B Mas uma lapiseira também poderia via- lhe os presentes que ele tinha pedido e ofere-
jar, no bolso de um astronauta, poderia eu cerem-lhe, também, vales de compras no valor
ficar. Iria, conhecer a lua, e as estrelas à sua de duzentos euros em hipermercado para dar
beira, e poderia desenha-las sendo uma às famílias.
lapiseira. Quando recebeu todas estas coisas, o senhor
Para ter uma boa vida como lapiseira, tem Gomes achou que tinha de criar um verda-
deiro ambiente de Natal. Assim, no dia vinte e
muito em que se pensar, mas basta fechar
três de Dezembro, foi até à praça da aldeia e
A 5 de Outubro de 1910, Portugal deixou de ser governado por um rei e passou a ser governado por um presidente. Este os olhos , encontrar a imaginação, e imagi- enfeitou a maior árvore.
ano a República fez cem aninhos e completou um século. nar .Se eu fosse uma lapiseira, gostaria de Na verdade, a grande árvore verde ficou
PORTUGAL É O NOSSO PAÍS E JUNTAMENTE MAIS TARDE, EM 1143, É DURANTE A MONARQUIA QUEM GOVERNAVA falar, mas isso são coisas que só se pode repleta de várias cores: azul celeste, roxo,
COM ESPANHA FORMA A PENÍNSULA IBÉRICA. RECONHECIDA A INDEPENDÊNCIA A O PAÍS ERA O REI E QUANDO ESTE MORRIA imaginar. Às vezes, quando dizemos “papá , amarelo, laranja, preto, branco, cinzento, uma
HÁ MUITOS ANOS A PENÍNSULA FOI HABITADA PORTUGAL E D. AFONSO HENRIQUES SUCEDIA-LHE O FILHO MAIS VELHO. mamã , quando for grande vou querer voar grande estrela dourada, fitas azuis e pedacin-
POR VÁRIOS POVOS. TORNOU-SE REI.
e ter poderes mágicos “ e os nossos pais hos de algodão branco a imitar pequenos
dizem”por favor , sabes que isso não vai flocos de neve.
acontecer, não existem fadas nem bruxas Ao ver a árvore todos ficaram maravilhados,
nem muito menos magia…” não devemos mas não sabiam a surpresa que os esperava …
No dia vinte e quatro, por volta das onze horas
ficar tristes. Devemos continuar a imaginar.
da noite, o senhor Gomes, começou a sua
É verdade que não existem fadas nem ma- tarefa de Pai Natal.
gia, mas também é verdade que na nossa Assim, foi buscar a sua carroça e o seu velho
imaginação, podemos ser o que quisermos. cavalo “Skipy” para iniciar a distribuição. Foi
E se me perguntarem algum dia que com andando de porta em porta, tocando à cam-
tanta imaginação , e com tantos pensam- painha, deixando os presentes.
A 5 DE OUTUBRO DE 1910, O NA REPÚBLICA, O CHEFE DE ESTADO É O OS SÍMBOLOS NACIONAIS SÃO O HINO E A entos, porquê querer ser uma lapiseira, eu Ao ouvirem o som do cavalgar, as crianças iam
PARTIDO REPUBLICANO ORGANIZOU PRESIDENTE E É ELEITO PELO POVO. BANDEIRA NACIONAL. iria responder: à porta e quando viam os brinquedos ficavam
UMA REVOLUÇÃO E IMPLANTOU A felizes.
REPÚBLICA.
-“querer ser uma lapiseira? Porquê? Eu
não sei! Só sei que com tanta imaginação, No final da noite, como era tradição na aldeia,
todos se juntaram ao pé da árvore. Este ano,
posso ser o que eu quiser!!!
as pessoas estavam mais felizes que nunca,
especialmente o senhor Gomes, porque tinha
Susana 5ºD
cumprido a tarefa e a partir daí ficou conhe-
cido como o verdadeiro Pai Natal.

Joana Martins, N.º 12 – 5º A


4ºC

8 21
Imaginar e Criar Associação de Pais

SE EU FOSSE UMA TESOURA


Férias de Verão Introdução
Se eu fosse uma tesoura de cabeleireiro, cor-
tava o cabelo a todas as pessoas e deixava-as O Rui é um rapaz bem comportado e compe- Caros amigos(as),
com um cabelo deslumbrante. titivo. O Rui tem dezasseis anos, é moreno, alto,
Se eu fosse uma tesoura escolar, cortava uma magro, de olhos claros e cabelo castanho. Uma das principais funções da Associação de O nosso ATL
folha A4 no centro para emoldurar os lindos e Nas férias de Verão o Rui e os seus amigos Pais e Encarregados de Educação é a defesa e
variados desenhos que as crianças fazem. João e Manuel foram passar as férias numa ilha promoção dos seus associados em tudo quanto O projecto pedagógico, elaborado para funcio-
Se eu fosse uma tesoura de artista, ele agarrar- deserta. Mal chegaram à ilha, quiseram logo respeita à educação e ensino dos seus filhos e namento no ATL, vigente no ano lectivo 2010/11,
me-ia com paixão e eu deslizava suavemente acampar; a ilha era linda! educandos. intitula-se “Casa dos Afectos”
no papel fazendo coisas lindas. Então eles decidiram ir dar um passeio pela Com base neste princípio, a A.P.E.E., eleita para Para que o ATL seja, efectivamente, uma casa
Se eu fosse uma tesoura, gostava de ter um ilha. o ano lectivo 2010/11, tudo fará para que sejam de afectos, a A.P.E.E./direcção do ATL decidiu
bom dono, um dono que me tratasse bem, que Estavam a passear quando uma folha de pa- cumpridos os objectivos que se propôs alcan- efectuar alguns melhoramentos no espaço ATL,
me usasse em vez de me deixar numa gaveta pel muito velha ficou debaixo do pé do Rui e çar. para que, de facto, as “nossas crianças” possam
ou numa secretária cheia de pó. Gostava de ele interrogou-se: Para que possamos estabelecer o contacto e sentir afecto, acolhimento e bem-estar no espa-
ter um dono aplicado e muito asseado. - O que é isto? o diálogo entre pais, professores e alunos, de- ço referido.
Gostava de estar numa casa cheia e bonita. - Isso parece um mapa! - Exclamou o Manuel fender os interesses dos alunos e participar nas
Gostava que o meu dono me deixasse num es- admirado. iniciativas da escola, pedimos a colaboração
tojo longe de canetas, para não ficar apertada. O Rui olhou melhor e disse: de todos os pais e encarregados de educação.
Se eu fosse uma tesoura não queria ser uma - Pois é! Este mapa parece que tem esta ilha Com a participação de toda a comunidade
tesoura de médico, porque não gosto de fazer desenhada. Olhem aquela torre! Faz parte do escolar, será, com toda a certeza, mais fácil
operações às pessoas. mapa e está mesmo ali. Vamos para perto dela. cumprir o mandato, preenchido de actividades
Se eu fosse uma tesoura, só queria ser útil. - Está bem. – Disseram o João e o Manuel. que vão ao encontro dos interesses de todos.
E daí seguiram o mapa. A meio do caminho Para rir
Inês Jesus, 5ºE estavam os três a olhar para o mapa e chocar- Direcção da A. P. E. E.
am com o Ricardo e o Jorge (os piores e mais Ao telefone
mal comportados da turma). Eleição para a Associação de Pais e Encarrega-
Se eu fosse um gato O Rui ao vê-los perguntou de imediato: dos de Educação "Está? De onde fala?"
- O que estão aqui a fazer? No passado dia 3 de Novembro 2010, realizou- "Da sapataria."
- Estamos a fazer o mesmo que tu. – Disse o se a eleição dos órgãos de gestão da Associa- "Desculpe, enganei-me no número!"
Se eu fosse um gato, andava por todo o lado:
Ricardo. ção de Pais e Encarregados de Educação. "Não faz mal. Traga cá que nós trocamos!"
debaixo de carros e em cima de casas. Brinca- Os elementos constituintes dos órgãos de
- O quê? Também estão à procura do tesouro?
va com todos os animais que lá viviam perto; se gestão da APEB1-2M são: Conversa de miúdos
- Perguntou o Manuel.
eles não quisessem brincar, ia para novos sítios - Sim! – Disse o Jorge, entusiasmado. Assembleia-Geral
conhecer novas pessoas e animais. Momentos depois, o Rui disse: Presidente – Teresa Ouro - Então, o teu pai é sapateiro e trazes os sapatos
Esperava à porta de um restaurante que um - Vamos embora. Secretário – Laura Oliveira todos rotos?
Então cada grupo foi para seu lado procurar Vogal – Paulo Lopes - Olha que grande coisa! Também o teu pai é
empregado bondoso me desse alguma coisa
o tesouro. Suplente – Carlos Fonseca dentista e o teu irmão, que nasceu há dias, não
para comer. Se não, ia à caça de comida. Se Direcção
Depois de procurarem, procurarem, procura- tem dentes.
um dia for parar ao gatil, espero que alguém Presidente – António Albuquerque
rem, os três amigos chegaram à cruz assinalada
queira adoptar-me e assim iria para uma nova no mapa e voltaram-se a cruzar com o Ricardo. Vice-Presidente – Armindo Batista Adivinha
casa com os meus adorados donos. Esperava Mas desta vez, nem se chatearam, foi cada Secretário – Paulo Piçarra O que é que está no início da rua, no fim do mar
pela hora de comer para pedir comida. Deit- um para seu lado. Sem querer, o Manuel pisou Tesoureira – Adelaide Gonçalves e no meio da cara?
uma pedra e saiu de lá o tesouro que era um Vogal – Manuel Ferreira Passatempo
ava-me no colo do dono para dormir ou para
bilhete de avião para ir onde se quisesse. Dava Suplentes – João Carlos e Elsa Cristina Mendes
pedir festas. Se me portasse bem, receberia um
até doze pessoas, era muita gente. O Ricardo, Mini Sudoku
prémio - um biscoito ou uma brincadeira. Se Conselho Fiscal
que sempre fora malvado, em vez de arrancar
ficasse sozinho, ia dormir ou ia correr pela casa o bilhete da pedra, não, agradeceu ao Manuel Presidente – Eurico Gonçalves Utilizando as letras A, B, C e D, preenche as casas,
fora ou falava com os outros animais que hou- e ficou bonzinho e honesto. Vogal – Cristina Casegas sem repetires as letras nas linhas horizontais e verticais
vesse lá em casa. Gostaria de dormir na cama Então decidiram ir todos, com os pais e os avós Vogal – Lurdes Rodrigues
fazer a viagem que tanto desejavam. Suplente – Mª Natália Araújo C D
dos donos porque é confortável e seria bom
B A
dormir acompanhado durante a escura e fria Curiosidade B A
noite. Em 26-9-1997, com a publicação no diário da C D
Diogo Canadas Sózinho
Mas digo uma coisa, nunca abandonem os Turma: 5º B República - III Série, foi, oficialmente, criada a
vossos animais de estimação, ponham-nos Data: 30/10/2010 A.P.E.E. da escola EB1 nº 2 Massamá. A A.P.E.E. deseja-vos um excelente Natal e feliz
no gatil ou canil municipal porque os animais Ano Novo, com muita alegria e boa disposição.
adoram-nos.
Solução da adivinha: Letra r
David Carrasco 5ºD
18 11
Aconteceu na Escola Imaginar e Criar

Semana da Ciência Poema de Natal O HERÓI DA ALDEIA

A semana da Ciência decorreu na E.B.1 As prendas vamos comprar, José era um homem já um pouco velho; tinha
Mas pouco dinheiro gastar cabelos brancos e dois cães que gostavam
nº 2 de Massamá, entre o dia 22 e 26 de No-
Com esta crise no Natal muito de estar com ele. José vivia numa aldeia
vembro. Pretendeu-se com esta actividade pequena.
desenvolver competências nos domínios Vamos ter de poupar.
Um dia tal como os outros, José foi ao café
do Ambiente e das Ciências Experimentais. «Pão Doce».
Os temas propostos pelo grupo de trab- Vamos todos divertir-nos -Que estranho; está fechado! – disse José muito
alho foram os seguintes: E música ouvir admirado, pois estava sempre aberto.
Dançar até cair, Decidiu então ir ao «Fresquinho», o mercado
Isto vai ser só rir. mais conhecido da aldeia. Aí ainda ficou mais
admirado quando viu uma placa na porta que
Como em todos os Natais, dizia: Fechado, falta de comida.
Os primos vão chegar José não se importou. Pensou que aquilo era
Todos juntos para brincar, de rotina, por isso voltou para casa, e durante
Guerriar e chatear. muitos dias foi comendo aquilo que tinha na
cozinha; até que um dia nem migalhas havia.
Ligou a televisão, e viu imensas pessoas a morrer
Adoro o Natal, à fome. Agora o caso estava a ficar cada vez
Não só pelos presentes, mais grave.
Mas pela comida e companhia, José não ficou de braços cruzados, pois tinha de
Pois estamos todos em harmonia. resolver este caso o mais rápido possível.
Começou a pensar como ia resolve-lo, pensou,
Não vamos desanimar pensou, até que teve uma ideia:
este Natal é para festejar -E que tal se eu fosse falar com a Lucinda? Se
Vamos boas notas tirar ela trabalhava no «Fresquinho», deve saber.
A forma dos líquidos
Para os pais alegrar! Quando chegou a casa da Lucinda, bateu à
porta e perguntou:
-Está alguém em casa?
Nome: Mariana Reis Azinheira 6ºH Lucinda abriu a porta. Sentaram-se os dois no
Água, óleo, álcool e mel... sofá e José começou a falar:
...uma mistura fantástica! O NATAL -Olá Lucinda! Vim aqui perguntar-te porque
é que o mercado «Fresquinho» e o café «Pão
O Natal a chegar Doce» fecharam. Eu já não tenho nada para
E prendas para comprar comer, os meus cães já não comem desde on-
Muitas coisas giras tem, tu de certeza que também já tens pouca
Nós vamos dar. comida, e já viste as noticias da aldeia?
A amiga passou a explicar:
-É assim; o padeiro nunca mais fez pão, disse
Passar com a família
que para o trabalho que tinha não lhe davam
E amigos também dinheiro suficiente. O pescador reformou-se e o
Docinhos e sumos, caçador perdeu-se numa floresta e nunca mais
É o que vamos comer. voltou. A partir desse dia, estamos à espera que
alguém se candidate.
Prendas, embrulhos, papéis José já sabia como ajudar.
Alegria, companhia, divertimento; Foi para a floresta e, ao fim do dia, já tinha
Como funcionam os aviões a jacto? Música para ouvir e cantar, pescado cinco peixes e, com a ajuda dos cães,
Dançar e bailar. caçou duas lebres e um veado. Na sua horta os
Como é habitual estas actividades foram do vegetais cresciam lindamente.
agrado de todos os alunos que participaram Quando José já tinha alimentos suficientes foi
Jogos e jogos e
com entusiasmo na realização das experiências dá-los a Lucinda para abrir o mercado.
Muitos risos A partir desse dia José, pescava, caçava e plan-
e no final registaram, numa grelha própria, as suas O natal é assim
descobertas e opiniões. tava os vegetais na sua horta e Lucinda fazia o
Sempre divertido. pão.
Grupo da Ciência Viva
Artigos Secos Na aldeia, José era conhecido como o Herói da
aldeia.
E.B. nº 2 de Massamá
Marta Pereira Turma 5º A
10 19
Imaginar e Criar Curiosidades

Um conto de Natal O que é o Ramadão?


A palavra Ramadão encontra-se relacio-
nada com a palavra árabe ramida, “ser
ardente”, possivelmente pelo facto do Is-
Um conto de Natal é sempre algo mágico, A mãe chegou-se ao pé deles e disse-lhes: lão ter celebrado este jejum pela primeira
pois, entramos no mundo da fantasia! Para -Não liguem, queridos… o que interessa é vez no período mais quente do ano. Uma
além disso também ficamos a conhecer que estamos todos juntos! vez que o calendário islâmico é lunar, o Ra-
as tradições de cada região. Com certeza O dia foi passando. E de repente… toda madão não é celebrado todos os anos na
que esta história que vou contar daqui a a gente começou aos pulos. A mãe pergun- mesma data, podendo passar por todas as
uns instantes, vai pôr a vossa imaginação tou: estações do ano.
a funcionar. Então, aqui vai um conto de -O que é que se passa para estarem tão O Ramadão é um mês sagrado, período
Natal… de renovação da fé, da prática mais in-
excitados?
Há uns anos atrás existia uma família muito tensa da caridade, e vivência profunda da
Eles os dois responderam:
pobre, que nem sequer tinha dinheiro para fraternidade e dos valores da vida familiar.
-Olha ali, o Pai Natal!
oferecer um bombom às crianças. A casa Neste período pede-se ao crente maior
O Pai Natal entregou uma prenda a cada proximidade dos valores sagrados, leitura
desta família era tão velha como os anos um, desejou-lhes um Bom Natal, e foi--se em- mais assídua do Alcorão, frequência à mes-
que tem o terramoto de Lisboa (duzentos e bora. Estavam todos muito contentes a abrir quita, correcção pessoal e autodomínio.
cinquenta e cinco anos). Mas, para aquela as prendas. A irmã mais nova disse:
família, a casa estava em muito bom esta- -É aquela boneca que eu queria!
do. E jamais iriam mudar de casa. O irmão anunciou:
Um dia, a Rosa (mãe das crianças), olhou -O jogo de futebol vai começar! Sabem
pela janela e viu que na casa ao lado da porquê? Recebi uma bola de futebol! Quantos e quais os feriados do O Jejum
dela, havia uma família com muito dinhei- De seguida, a família com muito dinheiro, Ramadão ?
ro, então afirmou: bateu à porta de casa da família mais pobre
-Já viram a sorte daquela família? Até e disse: O Ramadão tem dois feriados, o Laylat al O jejum é observado durante todo o mês,
têm dinheiro para oferecer aquelas má- Podemos entrar? Kadr e o Eid al Fitr. do alvorecer ao pôr-do-sol. O jejum aplica-
quinas de jogar às crianças! E nós, estamos A Rosa disse: Laylat al Kadr ("noite do decreto") é celeb- se também ao fumo e às relações sexuais.
aqui e nem sequer temos um tostão! -Claro que podem, mas o que é que que- rado na noite do dia 26 para o 27 do Rama- O crente deve não só abster-se de praticar
Passado algum tempo, o irmão mais vel- rem? dão, data em que se comemora a noite em estas actividades, mas também não deve
ho, que tinha sete anos, foi a correr para a Eles disseram: que Profeta Muhammad recebeu a primei- pensar nelas. Durante o Ramadão, é co-
janela, e disse para a sua irmã mais nova, ra revelação do Alcorão. Muitos muçulma- mum a frequência mais assídua à mesquita.
-Decidimos oferecer umas prendas às vos-
de apenas três anos: nos passam esta noite a rezar, acreditando Além das cinco orações diárias (salat), du-
sas crianças. Aqui estão elas!
-Mana, mana! Anda cá! que os pedidos feitos durante estas horas rante este mês sagrado recita-se uma ora-
Os dois irmãos disseram:
E lá foi ela a correr. Quando chegou lá, serão atendidos por Deus. Considerada a ção especial chamada Taraweeh (oração
-Muito obrigado! nocturna).
ela perguntou: noite mais importante para o Islão.
Ficaram todos muito contentes e apren- Eid al Fitr
-O que se passa? deram que não é por serem mais ricos que EId al Fitr - ("o banquete do final do jejum"),
O irmão respondeu: são melhores que os outros. ocorre quando a lua nova é avistada no
-Não se passa nada, é apenas para
céu, isto quer dizer que o mês de Shawwal
veres isto: aqueles miúdos têm uns jogos
inicia-se, dando fim ao mês de Ramadan.
muito engraçados, já reparaste? No primeiro dia do mês deste novo mês,
A irmã, com muita inveja, disse: ocorrem feriados de 3 dias consecutivos.
-Pois é, e aquela menina tem umas bon- Está prescrito a distribuição de alimentos
ecas tão giras! para os pobres, banquetes são servidos,
Texto de: Inês Oliveira, nº11, 5ºA presentes são trocados, roupas novas são
vestidas e os agradecimentos a Deus são
efetuados, congregando amigos e famili- Gonçalo fortes
ares. Em muitas cidades islâmicas grandes 8ºA - nº 8
celebrações são realizadas para celebrar
o EId al Fitr.

16 13
Curiosidades Imaginar e Criar

Método de datação em História A sensibilidade das espécies arbóreas ao NO OUTONO … O desejo do pequeno pinheiro
meio ambiente, isto é, aos factores como
o solo e as condições climáticas, permite Quando o Menino Jesus nasceu. todas as
Carbono 14 que alterações de temperatura, humidade, Regressamos à escola; pessoas e animais e até as árvores sentiram
radiações solares, etc, fiquem registadas nos Caem as folhas das árvores; uma imensa alegria.
anéis de crescimento. As árvores ficam despidas Do lado de fora do estábulo onde o menino
O Carbono é um elemento que é absor- A dendrocronologia representa também um As folhas ficam mais coloridas: de amarelo, dormia, estavam três árvores: uma palmeira,
vido pelos seres vivos ao longo da vida. método de datação, aplicado à arqueolo- de cor de laranja, de vermelho, de casta- uma oliveira e um pequeno pinheiro.
Quando morrem as plantas, animais e out- gia. nho; Todos os dias as pessoas passavam e
ros seres perdem gradualmente o carbo- Esta técnica foi inventada e desenvolvida Começam a cair as primeiras chuvas; deixavam presentes ao menino.
no. Medindo a sua radiação, os cientistas por Douglass o fundador do laboratório Fica mais vento; - Nós também lhe devíamos dar prendas! -
ficam a saber a data da sua morte e há Tree-Ring Reseach na Universidade do Ari- Aparecem os vendedores de castanhas na
zona. Disseram as árvores.
quanto tempo essa vida existiu. rua;
- Eu vou dar-lhe a minha folha mais
Este método pode datar documentos Começa a ficar mais frio;
larga. - Disse a palmeira. Quando vier o tem-
históricos que tenham entre 50 mil e 70 Podemos saborear alguns frutos de Outono
como os figos, as nozes, os marmelos, as po do calor, ele pode abanar-se com ela e
mil anos de idade desde que contenha
uvas, as castanhas, as maçãs, as peras e sentir-se mais fresco.
carbono. Se isto não acontecer utiliza-se
as romãs; Então a oliveira disse:
geralmente o método Árgon 40.
Fazem-se as vindimas; -E eu vou dar-lhe óleo.
As andorinhas partem para sul à procura -Mas que lhe poderei dar eu? – Perguntou,
de terras mais quentes; ansioso, o pequeno pinheiro.
Escurece mais cedo, os dias ficam mais -Tu? Os teus ramos são agudos e picam. -
pequenos; Disseram as outras duas árvores. Tu não tens
Alguns animais escondem-se nas suas to- nada para lhe dar!
cas; O pequeno pinheiro estava triste. Pensou
7ºA e 7º B Começamos a vestir roupas quentes; em qualquer coisa que pudesse oferecer ao
Há pouco sol; Menino que dormia, qualquer coisa de que
É uma estação bonita mas temos de nos o menino gostasse.
Árgon 40 proteger do frio para não ficarmos doentes;
Mas não tinha nada para lhe dar. Então um
Os ouriços das castanhas caem;
anjo, que tinha ouvido a conversa toda, sen-
Trata-se da técnica mais viável para a data- Não há flores para embelezar os campos.
tiu pena da arvorezinha, que não tinha nada
ção de materiais arqueológicos muito vel- para dar e realizou o seu desejo…
hos, com resultados em datações na ordem
Então, quando o pinheirinho andava muito
dos 4,5 biliões de anos (idade do planeta triste pela rua à procura de qualquer coisa
Terra) até aos 100 mil anos. Texto colectivo - 2ºD Sala 2 Manhã
que pudesse oferecer ao Menino, encontrou
Os métodos de datação química são base-
luzes de várias cores, arames e redes.
ados em alterações químicas previsíveis que
Teve uma ideia! Com todos os materiais que
ocorrem ao longo do tempo.
encontrou, construiu uma estrela muito bril-
O método baseia-se no facto de que parte
do isótopo radioactivo do Árgon, Árgon-40 hante, enfeitou-se com as luzes e colocou a
Gonçalo Tavares nº12
(k-40), que ocorre naturalmente em várias estrela no seu ramo mais alto.
Rafael Valente nº 22
rochas, se altera e transforma num isó- Assim, iluminou o estábulo onde estava o
7ºB
topo estável do gás Árgon, como Árgon- Menino Jesus e teve um Natal muito, muito
40(Ar-40). FELIZ!!!!!

Dendrocronologia Pedro Costa


5º G, nº 24
A dendrocronologia é uma ciência que
analisa e interpreta o crescimento anual
dos anéis das árvores. O termo provém do
grego dendron ou árvore, kronos ou tem-
po, e logos ou conhecimento.

12 17
Educação Especial Educação Especial

Arte na Escola Na disciplina de Actividades da Vida


Diária os alunos têm desenvolvido conhe-
O grupo de Educação Especial tem uma cimentos inerentes ao local onde vivem,
parceria com a Sr.ª D. Teresa Cruz, uma essencialmente os serviços.
artesã certificada pela CMS e com pré- Na jardinagem, os alunos realizam activi-
mios atribuídos em presépios e outras dades inerentes a esta disciplina.
obras de barro figurativo e pintura em
porcelana.
Esta artesã promove junto dos alunos
com Necessidades Educativas Especiais a
aprendizagem da técnica de moldagem
de objectos de barro que, posteriormente,
irão ser usados na disciplina de Jardina-
gem.

Os alunos na disciplina de Cozinha na parte


prática.

Colocação da cerca no espaço para a


Jardinagem.

Este ano lectivo, os alunos com Currículo


Especifico Individual estão inseridos em
diversos projectos associados ao seu currí-
culo e a novas disciplinas: Cozinha, Activi-
dades da Vida Diária e Jardinagem.
De salientar também as parcerias real-
izadas com a comunidade envolvente:
a Junta de Freguesia, dois cabeleireiros
promovendo a integração de dois alunos
Salada de frutas realizada pelos alunos com
na vida activa e a doação de bens ali-
os produtos doados pelo Pingo Doce.
mentares, por parte do Pingo Doce, para Material comprado com o financiamento Arranjo da terra para colocar as sementes
da Junta de Freguesia de Massamá. das ervas aromáticas.

14 15