Anda di halaman 1dari 13

A IMPORTÂNCIA DO MINISTÉRIO COM HOMENS

NAS IGREJAS EVANGÉLICAS

Vilson Trindade MONTEIRO

1 - RESUMO:
Este texto traz uma reflexão sobre ministério com homens nas igrejas
evangélicas. Nele podemos observar que é muito importante para a igreja,
família, sociedade e nação que os homens assumam verdadeiramente seu
papel de líder, agindo e desencadeando um processo de desenvolvimento que
fortalecerá os diversos segmentos da sociedade. Desenvolvendo o homem
serão beneficiados as esposas, os filhos, as empresas, o país e o mundo. Para
elaborar este trabalho, realizamos pesquisas pela Internet sobre grupos de
homens existentes nas denominações protestantes brasileiras, consultando
seus líderes, bem como a leitura de livros que tratam do assunto.

2 - PALAVRAS-CHAVE: Homem. Líder. Família. Igreja. Deus. Ministério.

3 - INTRODUÇÃO:
Este artigo visa contribuir para entendermos o comportamento do
homem cristão nas igrejas evangélicas e, o que está sendo feito para ajudá-lo
em sua maturidade cristã. Na Bíblia constatamos que Deus fez o homem para
ser o sacerdote do lar e líder da família, da sociedade e do mundo.
Historicamente percebemos que as mulheres conquistaram espaços em todos
os setores da sociedade. No mercado de trabalho as mulheres avançam
ocupando, com muita competência, cargos de altíssimas responsabilidades.
Nas igrejas, embora ainda sofram discriminações, as mulheres estão
exercendo liderança e até criando denominações evangélicas de grande
destaque. Longe de nós o machismo! Temos que parabenizar o sexo feminino
que não ficou parado, se esforçou, teve bom ânimo e venceu as barreiras.

Mas, e os homens? Cabe uma reflexão sobre o desempenho do papel


masculino nas lideranças que lhe são impostas por Deus: O homem tem
exercido seu papel de líder? Como tem se comportado na família, na igreja e
na sociedade? Será que as mulheres estão sendo forçadas a assumirem
papeis que não são delas? O homem tem se omitido? Este artigo se propõe a
discutir estes assuntos.

Para desenvolver este artigo utilizamos pesquisa eletrônica pela


Internet, fazendo um levantamento dos principais grupos de homens existentes
no Brasil e também sobre o Promise Keepers (Cumpridores de Promessas) nos
EUA. Enviamos Emails aos líderes dos grupos com o objetivo de saber o nível
de comprometimento dos homens com os ministérios específicos para eles e
com a igreja local e, principalmente, conhecer a visão dos líderes sobre a
importância de trabalhar com o desenvolvimento dos homens cristãos para a
igreja, família e sociedade.

4 - DESENVOLVIMENTO TEXTUAL:

4.1 - A REALIDADE DOS HOMENS NAS IGREJAS


Na Bíblia, no capítulo sete de Juízes, Gideão tinha trinta e dois mil
homens que iriam lutar contra os midianitas. Deus determinou que fosse feita
uma seleção entre eles, retirando primeiramente os medrosos e tímidos, houve
uma redução de vinte e dois mil homens. Entre os dez mil que ficaram Deus
ordenou que fosse feita nova seleção, e então sobraram somente 300 homens,
que realmente estavam prontos e dispostos a fazer diferença no Exército de
Deus.
“Agora apregoa aos ouvidos do povo: Quem for medroso e tímido, volte, e retire-se da
região montanhosa de Gileade. Então voltaram do povo vinte e dois mil, e dez mil ficaram.
Fez Gideão descer o povo às águas. Então o Senhor disse a Gideão: Qualquer que lamber
as águas com a sua língua, como se lambe o cão, esse porá à parte; como também a todo
aquele que se abaixar de joelhos e beber. Foi o número dos que lamberam as águas,
levando a mão à boca, trezentos homens. Todo o restante do povo se abaixou de joelhos a
beber as águas. Então disse o Senhor a Gideão: com estes trezentos homens que
lamberam as águas eu vos livrarei, e darei os midianitas nas tuas mãos. Que a outra gente
se vá cada um para o seu lugar” (Jz 7.3, 5-7).

O que aconteceria se Deus fizesse esta seleção de homens nos dias


atuais. Imaginemos que o critério para dispensa fosse: retirem-se os
acomodados e omissos. Talvez sobrassem 10 ou 20% dos homens que
freqüentam as igrejas atualmente. Pesquisas revelam que as mulheres estão
assumindo funções até então desempenhadas pelos homens, e que em muitos
cargos superam os homens, pois a percepção e sensibilidade feminina são
diferencias delas. Parabéns às mulheres, pois buscam seus espaços e
conseguem conquistá-los. As mulheres estão cuidando da educação dos filhos,
da administração da casa (incluindo a manutenção financeira), e ainda
participam da igreja de forma mais efetiva que os homens.

Segundo o Ministério Homens de Valor, um grande número de homens


freqüenta as igrejas apenas por um hábito e não são afetados por aquilo que
ouvem. Muitas vezes vão à igreja para atender o desejo de suas esposas,
mães, namoradas e noivas. A maioria não participa de nenhuma outra
atividade que poderia ajudá-los a crescer na fé. A maciça maioria das igrejas
não possui atividades específicas para os homens, o que prejudica mais o
engajamento destes nos ministérios eclesiásticos.

“Morto aos 26 anos; sepultado aos 64”, segundo Howard G. Hendricks


(1996, P. 65) este poderia ser o epitáfio de muitos homens acomodados que
não procuram ser útil enquanto vivem, pois como está escrito em II Pedro 3,
18:” Antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo”.
Enquanto vivermos, estaremos aprendendo; enquanto estivermos aprendendo,
estaremos vivendo.

Portanto, os homens estão acomodados nas igrejas, que também não


tem contribuído para o efetivo desenvolvimento e engajamento deles como
discípulo de Cristo liderando a igreja, o lar e a sociedade. Podemos constatar
nas declarações de grandes lideranças evangélicas, que os pastores anseiam
pelo despertar dos homens cristãos nas igrejas e na sociedade:
"Um esforço para motivar homens para se unirem na busca de um compromisso
maior com Deus; a integridade e serviço no Reino são mais que bem vinda”. Minha
esperança é e sempre será que se consiga alcançar este alvo precioso e prioritário." (Dr.
Russel Shedd – Teólogo, escritor e conferencista. Fundador das Edições Vida Nova e editor
da Bíblia Shedd).

"A liderança masculina saudável e equilibrada é a maior necessidade dos dias


atuais. Se combatermos o perigoso "silêncio de Adão" na igreja brasileira, a igreja fará
progressos jamais vistos na história de nossa nação." (Pr. Luiz Sayão – Fundador e pastor
titular da Igreja Batista Nações Unidas em São Paulo. Teólogo, hebraísta, escritor e tradutor
da Bíblia).

“Não é tão difícil encontrar homens dispostos, mas encontrar homens fiéis é muito
mais desafiador. Portanto, é com grande regozijo que vejo a chegada do Ministério
“Homens de Valor”. Sem dúvida, será um canal de bênçãos para a igreja brasileira.” (Pr.
Lisânias Moura – Pastor Sênior Igreja Batista do Morumbi – São Paulo).

Em média 15 a 20% dos membros das congregações são ativos. Deus


concede dons espirituais a todos os crentes, no intuito de que todos atuem no
corpo, e não de que se limitem ao papel de simples espectadores, como quem
assiste a um espetáculo das arquibancadas (1996, P. 61). Como cristãos
temos o objetivo de buscar a transformação de vidas, adotando um conjunto de
valores muito especial, tendo como principal preocupação cultivar em nós e
nos outros um ideal de excelência, para crescimento espiritual, aprendendo a
rejeitar a mania da mediocridade, o pensamento de que para Deus qualquer
coisa serve.
4.2 – A DIVINA CONVOCAÇÃO PARA O HOMEM
Que os homens se envolvam com as obras do reino de Deus é, antes de
tudo, uma idéia do próprio Senhor Jesus, que escolheu inicialmente doze
homens para serem seus discípulos:

“Chamando a si os seus doze discípulos, deu-lhes poder sobre os espíritos imundos,


para os expulsarem e para curarem toda sorte de enfermidades. Ora, são estes os nomes
dos doze apóstolos: O primeiro, Simão, chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de
Zebedeu, e João, seu irmão; Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o cobrador de impostos;
Tiago, filho de Alfeu e Tadeu; Simão o Selote, e Judas Iscariótes, aquele que o traiu” (Mt
10.1- 4).

O Ministério de Homens é um poderoso instrumento de Deus para


alcançar, apascentar e organizar homens, debaixo da proclamação do
Evangelho. Randy Phillips, presidente dos Promise Keepers, afirma que Deus
está dirigindo um apelo premente à sua igreja, e, mais especificamente aos
homens. H.B.London Júnior diz que trabalhar o ministério de homens é plano
de Deus para a igreja, com o intuito de formar uma linhagem de homens
crentes que vivam na prática a expectativa proposta em 2 Timóteo 2.2:” E o
que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo
transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros” (1996,
P.173).

4.3 – A OMISSÃO DOS HOMENS FORÇA AS MULHERES A


ASSUMIREM PAPEIS QUE NÃO SÃO DELAS
Randy Phillips (1996, p. 10) diz que “Muitas mulheres – esposas, mães,
irmãs e filhas – têm orado no sentido de que os homens atendam o chamado
de Deus para eles.” As mulheres estão sendo forçadas a assumirem funções
que não são delas, devido à passividade masculina diante dos fatos.

O número de mulheres na obra de Deus vem crescendo, enquanto o de


homens diminui. As mulheres são a maioria nas igrejas cristãs. No âmbito
missionário, o número de homens que ingressam de tempo integral em
missões está se tornando cada vez menor. Na Missão AMEM, dos 112
missionários brasileiros em atividade, 63,4% são mulheres e apenas 36,6% são
homens. A cada ano, o número de homens tem diminuído consideravelmente
em comparação com o número de mulheres. Outras agências encontram as
mesmas dificuldades no recrutamento de obreiros. No Brasil, historicamente
sempre houve mais mulheres do que homens missionários. Nos últimos dois
séculos elas têm representado cerca de dois terços da força missionária
mundial. Não podemos negar que o ministério feminino como nunca antes na
história, está ganhando força em todos os seguimentos da Igreja e
principalmente em missões. Isto porque lideranças no mundo inteiro, finalmente
reconhecem que as mulheres têm muito a oferecer ministerialmente, e que
muitas delas são até mais capacitadas que muitos homens.

O homem tem abdicado de seu papel de líder espiritual. Isto obriga a


mulher a preencher o vazio criado pela omissão masculina, causando uma
desintegração da família. Segundo Tony Evans, em 60% das famílias de baixa
renda as mulheres assumem a condição de chefe da casa, nas escolas 83%
dos professores são do sexo feminino. O fato é que se o pai não exercer uma
liderança espiritual séria, os filhos fatalmente sofrerão as conseqüências. Se
não tivermos famílias fortes, edificadas sobre os alicerces da moralidade
bíblica, não haverá dinheiro nem programa governamental que resolva o
problema da destruição da família.

4.4 – A LIDERANÇA DAS IGREJAS PRECISAM VALORIZAR O


MINISTÉRIO COM HOMENS
Segundo Nélio Da Silva, coordenador nacional do Homens de Valor,
“líderes de igrejas desejam ardentemente envolver homens em ministérios,
mas não sabem sequer como começar.” Recentemente, uma pesquisa feita
junto as Igrejas metodistas pelo Sr. Antonio Batista Galvão Júnior, presidente
da Federação de Homens Metodistas apresentou o seguinte comentário do
pesquisador: “Na semana passada encaminhei a alguns pastores uma
pesquisa com a simples pergunta: Sua igreja tem sociedade de homens? Se a
resposta for sim, informe o nome e contato com o presidente. Pois bem,
primeiro foram poucos que se deram ao trabalho de responder, não chegando
nem a vinte; segundo, a grande maioria (em torno de 70%) não tem sociedade
de homens nas sua igrejas. Alguma realmente não tem homens para formar
sociedade ou ministério de homens; mas não são todas. Muitas não têm
ministério de Homens porque não há motivação, não se trata ou nunca se
tratou desse assunto na Igreja ou ainda, os homens não se interessam”.

Tristemente, a igreja de uma maneira geral, não tem ajudado muito.


Salvo poucas exceções, ela tem sido omissa em seu papel de ensinar os
homens a serem homens segundo o ponto de vista bíblico. Os pastores não
estão valorizando o ministério de homens nas igrejas, muitas denominações
nem pensam em atividades específicas para o crescimento espiritual e integral
dos homens.
4.5 – A IMPORTÂNCIA DO MINISTÉRIO COM HOMENS
Randy Phillips (1996, p.9) sugere que imaginemos o que aconteceria se
centenas de milhares de homens começassem a agarrar todas as
oportunidades – diante de Deus, de sua família, de sua igreja e comunidade? O
que poderia suceder se os homens se submetessem a Deus e fizessem a
vontade Dele em todos os aspetos de sua vida? Se todos nos uníssemos
tendo por base aquilo que possuímos em comum – nosso amor a Jesus?
Certamente o ganho seria muito enorme. O trabalho bem estruturado com
homens proporcionará um fortalecimento da igreja e crescimento do reino de
Deus, pois ajudará a suprir a enorme carência de líderes nos lares, nas igrejas
e na sociedade. Falta liderança no lar, as famílias estão se desintegrando.
Estudos revelam que o marido, que no trabalho é muito eficiente, atuante, forte
e, em geral, bem-sucedido, em casa é fraco, letárgico, inativo e ineficiente. No
relacionamento com a esposa, ele é passivo. Essa passividade deixa a mulher
desarvorada. Diante da omissão do marido, ela se vê desnorteada. Há falta de
líderes também na sociedade, na polícia, nos negócios, nas indústrias, na
educação, na agricultura, nas profissões liberais, nas corporações militares.

Vivemos a crise dos pais ausentes, não só fisicamente, mas também


emocional e espiritualmente. A conseqüência disto são filhos crescendo sem
referências masculinas, os meninos crescem sem ter a mínima idéia do que
seja um bom pai. (1996, P. 63) A nova geração de meninos está sendo criada
com referenciais extremamente fracos, até inexistentes em alguns contextos,
do que é ser homem, sua função na sociedade e na família e na igreja.

O Ministério com homens precisa existir com o objetivo de ser um


valoroso instrumento nas mãos de Deus a fim de alcançar o homem
individualmente e, conseqüentemente, seu lar e família, seu trabalho e o
mundo ao seu redor. Deve encorajar homens a amar o Senhor com toda a sua
alma, mente e coração e capacitá-los a serem os líderes espirituais em seus
lares. George Barna apresenta uma estatística que mostra a importância do
ministério com homens: Quando uma criança assume compromisso com a
igreja, 2% da família se envolvem juntamente com ela; assumindo a
mulher/mãe leva 17%. Porém, o homem/pai leva 93% da família com ele para a
igreja. Isto enfatiza que o grupo de homens é um dos departamentos mais
importantes da igreja, pois o homem, na sua condição de cabeça do lar, chefe
da família, representa um papel muito importante na igreja.

Ao investir no trabalho com os homens, a igreja estará trabalhando com


toda sua família, e a igreja é composta por famílias. Ganhar Homens é ganhar
famílias, estruturar homens é estruturar famílias. Os homens são uma grande
potencia dentro da Igreja. Quando a igreja ganha à habilidade de alcançar
homens e desenvolve-los, ela passa a ganhar uma nova vitalidade como
congregação tanto dentro de si mesma como do lado de fora. H. B London Jr
(1996, P. 168) afirma: “Quando os homens de uma igreja não assumem a
liderança, ela nunca se torna equilibrada. É sempre uma congregação
vulnerável, que não exerce influência sensível na comunidade.”

4.5.1 - ALGUNS TESTEMUNHOS


Homens são impactados ao participarem de congressos específicos
para eles. Voltam para suas casas transformados, causando grandes alegrias
aos seus familiares. Assumem posturas corretas que determinam novos rumos
em seu relacionamento com Deus, com seus familiares e com seus irmãos em
Cristo.

Relato de uma esposa sobre seu marido após voltar de um congresso


de homens: “Eu havia dito ao John que precisávamos dar um jeito para que ele
fosse ao congresso. Afinal, conseguimos o dinheiro e ele foi. Ao voltar, afirmou
que o congresso tinha sido a melhor coisa que acontecera em sua vida (depois
de conhecer Jesus e a mim, claro)! Então sentiu vontade de passar a outros
homens o que aprendera.” Conversou com o pastor e fundou um grupo. As
próprias esposas estão comemorando o quanto a situação em seu lar tem
melhorado, inclusive no plano espiritual.

“Eu estava precisando muito ter contato com outros homens que
estivessem enfrentando as mesmas lutas que eu, buscando um relacionamento
mais profundo com Deus e melhor orientação espiritual. Hoje a primeira coisa
que faço pela manhã, todos os dias, é ajoelhar ao pé da cama e confiar ao
Senhor minha esposa e meu filho. Além disso, estou mais atento a tudo o que
digo, principalmente ao que digo a eles.” (Jerry Smith)

4.5. 2 - PROMISE KEEPERS


Ao se falar de ministério com homens, a grande referência é sem dúvida
o Promise Keepers (Cumpridores de Promessas) fundado em julho de 1991 por
iniciativa de Bill McCartney e o Dr. Dave Wardell. Dois anos depois da
fundação realizou um congresso com a participação de 50.000 homens que
encheram um estádio de futebol e tinham o propósito de aprender a levar a
sério a Palavra de Deus. Além de adoração através de cânticos e orações,
estudaram sobre honestidade no mundo dos negócios, o fortalecimento da vida
familiar, e o fim do ódio racial. À medida que aqueles homens iam descobrindo
soluções legítimas para seus problemas, casais e familiares se reconciliavam,
e muitos voltavam a pensar no futuro do país: seus filhos, sua igreja e sua
comunidade. Hoje nos EUA, muitos homens estão derrubando as barreiras
denominacionais, socioeconômicas e raciais, que há muito impedem que os
cristãos daquele país sejam um só corpo a atuar conjuntamente sob a
liderança de Jesus Cristo, como podemos observar na Palavra de Deus que
nos ensina:

“Ora, o Deus da paciência e da consolação vos conceda o mesmo sentir de uns


para com os outros, segundo Cristo Jesus, para que concordemente e a uma voz
glorifiqueis ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.” (Rm 15.5,6.)

“Eu neles, e tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o
mundo conheça que tu me enviaste...” (Jo 17.23)

“...Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará.


Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios e sim como sábios, remindo
o tempo, porque os dias são maus.” (Ef 5.14-16)

Nos EUA antes do “Promise Keepers” qualquer igreja que conseguisse


reunir vinte e cinco participantes num seminário dirigido a homens, seria visto
quase como um milagre. Atualmente facilmente reúnem centenas de milhares
de homens nas principais cidades do país. Estão à procura de soluções para
os grandes problemas de nossos dias, cientes de que só as encontrarão em
Jesus. São realizados congressos com 50.000 homens onde durante três dias
adoraram a Deus com orações, palavras de louvor e cânticos, ouvem
mensagens e palestras sobre diversos assuntos, do casamento e a criação de
filhos às tentações sexuais e à necessidade de prestarmos contas de nossos
atos uns aos outros.

4.5.3 – MINISTÉRIOS COM HOMENS NAS IGREJAS


EVANGÉLICAS BRASILEIRAS
Embora existam trabalhos com homens nas principais igrejas
evangélicas brasileiras, são poucos os que se destacam, sendo os principais:
Homens de Valor, Homens da Promessa, Sociedade Metodistas de Homens,
Confederação Nacional de Homens Presbiterianos e Homens em Ação da PIB
Curitiba.

Confederação Nacional de Homens Presbiterianos (CNHP): A


organização do trabalho masculino na Igreja Presbiteriana do Brasil começou
nos primórdios da organização da Igreja. Antes de 1900 já existia homens
presbiterianos organizados em Igrejas locais, com o nome de “Esforço Cristão”
que durou até a organização da CNHP. Em 2003 contava com
aproximadamente 23.000 homens presbiterianos, membros das Uniões
Presbiterianas de Homens.

Homens de Valor (HV): O ministério “Homens de Valor” é uma iniciativa


da Mocidade Para Cristo, e tem por objetivo alcançar o homem como um todo.
Um dos principais grupos de homens no Brasil.
Homens da Promessa (HP): Fundado em abril de 2004. O trabalho do
Homens da Promessa é baseado no Promise Keepers dos EUA. É uma
associação civil, sem fins lucrativos, de cunho interdenominacional, situada em
Belo Horizonte, que objetiva levar mensagem de restauração aos homens.

Federação das Sociedades Metodistas de Homens: É um órgão de


representação e de assessoramento às Sociedades Metodistas de Homens da
Igreja Metodista. O grupo societário dos homens numa Igreja local é a
Sociedade de Homens e/ou Ministério de Homens.

Homens em Ação: Ministério de Homens da Primeira Igreja Batista de


Curitiba, fundado em 1997. Tem como missão promover a unidade e o
engajamento de homens integrado aos Ministérios da PIB, visando a
excelência no cumprimento dos propósitos de Deus no poder do Espírito Santo.
Realiza reuniões semanais com participação de 40 a 70 homens. Promove um
congresso anual para homens, nos quais tem participado, em média, 240
homens.

5 - AS PRINCIPAIS ESTRATÉGIAS DE ALGUNS GRUPOS DE


HOMENS
Existem muitas semelhanças nas estratégias de trabalho com grupos de
homens. Inicialmente desenvolvem estudos para sedimentar os valores
cristãos e levarem os homens a assumir compromissos que impactarão suas
vidas e de todos ao seu redor. O livro Sete Promessas de Um Homem de
Palavra foi escrito especialmente para o ministério de homens. Neste livro são
feitos estudos e reflexões buscando levar os homens aos seguintes
compromissos:

1. O cumpridor de promessas compromete-se a glorificar a Jesus Cristo


adorando-o, orando e obedecendo à Palavra de Deus no poder do Espírito
Santo.

2. Reconhecer que necessita do apoio de irmãos que o ajudem a


cumprir esses compromissos. O cumpridor de promessas se compromete a
buscar um relacionamento mais profundo com outros homens.

3. Comprometer-se a viver em pureza espiritual, moral, ética e sexual.

4. Comprometer-se a fortalecer o casamento e a família pelo amor,


proteção e pela adoção dos valores bíblicos.

5. Comprometer-se a dar todo o apoio à igreja no cumprimento da sua


missão, honrando seu pastor, orando por ele e contribuindo ativamente com
seu tempo e recursos.
6. Comprometer-se a desconsiderar as barreiras sociais de qualquer
natureza, no objetivo de demonstrar como é poderosa a união preconizada
pela Bíblia.

7. Comprometer-se a influenciar positivamente o mundo que o cerca,


obedecendo ao grande mandamento (MC 12.30,31) e à grande comissão de
Jesus (Mt 28. 19,20).

Segundo os autores, o princípio básico é que se não nos


comprometermos seriamente a modificar-nos, não conseguiremos mudar o
mundo. Quem vive um cristianismo confortável, que não lhe apresenta
exigências, nunca promoverá mudanças em sua vida.

Realizam eventos para ajudar os homens a superar a inércia, refletir,


ganhar uma nova perspectiva e mudar. Geralmente os Ministérios dos Homens
tem como meta buscar, através do relacionamento, um amplo crescimento
individual e familiar, fundamentado no desenvolvimento espiritual e nos
preceitos cristãos. Para isso, utiliza-se de eventos como:

a - Negócios: Viabilizam transações comerciais entre os membros,


utilizando o potencial de confiabilidade cristã. Ex: Compras, serviços,
indicações, etc.

b - Esportes: Permitir, de forma saudável e prazerosa, o convívio entre


os membros, restabelecendo antigas e novas amizades.

c - Lazer: Propiciar momentos de descontração, aproveitando todos os


meios existentes. Ex: Caminhada, confraternizações, cinema, passeios
ciclísticos, acampamentos, viagens e pescarias.

d - Cultura: Participação em eventos educativos para a formação e bem


estar do cristão. Ex: Palestras, visitas, cinema, vídeos, entre outros.

O objetivo maior sempre é levar os homens a assumirem compromisso


verdadeiro com Deus e com outros homens. Despertar os homens para
assumirem o seu papel de líder, sacerdote e profeta.

6 – CARACTERÍSTICAS PECULIARES AOS HOMENS


No livro Sete Promessas de um Homem de Palavra, encontramos
algumas características peculiares aos homens: Eles têm muita dificuldade de
se envolver emocionalmente com outro homem, o que dificulta a formação de
boas amizades. São autoconfiantes. Em geral nunca pedem ajuda uns aos
outros, nem mesmo quando perdidos. Tem dificuldade em demonstrar suas
emoções, conseqüência do que ouviram quando meninos: Engula esse choro!
Homem não chora! Seja homem! Os homens não se tocam – o toque físico tão
comum entres as mulheres, quase não ocorre entre os homens. Os homens
pensam que não precisam de comunhão uns com os outros – geralmente estão
tão voltados para o trabalho, para os negócios. Os homens usam as pessoas e
amam as coisas – Dão grande importância a aquisição de bens e tendem a
manter relações de conveniências, isto é, utilizar pessoas para obterem
riquezas e poder. Os homens são fortemente competitivos – competem até nos
momentos de recreação. Ganhar não é tudo; é apenas a única coisa que
realmente interessa. Os homens são machões – Tanto no cinema como nos
noticiários, os considerados “homens de verdade” são os violentos e valentões.

Os homens cristãos precisam ter o propósito de despertar em si e nos


outros o desejo de serem parecidos com Cristo Jesus, buscando a excelência
em tudo o que fazem, não se omitindo dos papéis que Deus lhes concedeu,
lembrando que a Bíblia nos convoca a não nos conformarmos com este
mundo, mas transformá-lo pela renovação do nosso entendimento. Do homem
se espera atitude de ousadia e ação eficaz.

7 - CONCLUSÃO
O conteúdo deste artigo mostra que a omissão dos homens tem levado
as mulheres a assumirem papéis que não são delas, principalmente no que diz
respeito à família e a igreja. Muitas mulheres atualmente são a principal fonte
de renda dos seus lares, além de se responsabilizarem pela educação dos
filhos e cuidar da casa. Vivemos uma grande crise de liderança masculina
devido à acomodação do homem que está confundido com a feminização
existente no mundo atual, onde as mulheres estão tomando conta de tudo.
Porém cremos que não é desejo de Deus nem delas que seja assim. Isto está
acontecendo porque cada vez mais os homens estão passivos diante das
situações que se apresentam.

Parece evidente a grande contribuição que um ministério de homens


ativo e comprometido fará para a igreja, a família, a sociedade e,
conseqüentemente para o país. Estruturando o homem compõe-se a família,
que é a célula mãe da sociedade. Infelizmente as lideranças eclesiásticas
pouco têm feito para ajudar o homem em seu desenvolvimento integral.

Os homens precisam despertar da inércia que se encontram, e os


pastores devem fazer a parte deles neste processo. Enxergar a importância de
fortalecer os homens de suas igrejas fará grande diferença na expansão do
reino de Deus. Cremos que os ministérios com homens estão no coração de
Deus, mas ainda são poucos os pastores que efetivamente apóiam este
segmento. Assim, não aproveitam o potencial que existe entre os homens, que
estão passivos e, não são motivados para agir. Homens têm que estar em
ação!

8 – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BÍBLIA. Português. Bíblia Sagrada. Trad. João Ferreira de Almeida. 1ª
ed. Edição Contemporânea. EUA: Editora Vida, 1990.

BRIGHT, Bill; COLE. Edwin; DOBSON. James; HENDRICKS,Howard;


HAYFORD, Jack; McCARTNEY, Bill; PHILIPS,Randy; SMALLEY, Gary. Sete
Promessas de Um Homem de Palavra. Belo Horizonte: Betânia, 1996.

GRAY, Alice; GRAY, Al. Histórias para o Coração do Homem. São


Paulo: Hagnos, 2004.

BOCK, Ana Mercês Bahia; FURTADO, Odair; TEIXEIRA. Maria de


Lourdes Trassi. Psicologias: Uma Introdução ao Estudo de Psicologia. 13ª Ed.
São Paulo: Saraiva 2002.

Homens de Valor, disponível em:


< http://www.homensdevalor.com/recursos/artigos.html>

Homens da Promessa, disponível em:

<http://www.homensdapromessa.com/2009/>

Homes da Sexta, disponível em:

<http://www.homensdasexta.com.br/conteudo.asp?
local=16&id=main&pag=main&act=lista>

Igreja Presbiteriana do Brasil, disponível em:

<http://www.ipb.org.br/uph/historia.html>

Homens em Ação, disponível em:

<http://www.pibcuritiba.org.br/site08/index.php?
option=com_content&view=article&i...>