Anda di halaman 1dari 3

1 Debata e diferencie as características das matrizes liberal e

marxista. Qual matriz você acredita ser mais compatível com a


natureza humana? Por quê?

As diferenças entre as matrizes teórica Liberal e Marxista (usadas


para enfrentar os debates sobre a relação do Estado, governo e
mercado) podem ser assim resumidas:

Na matriz liberal o domínio do Estado sobre a sociedade funda-se em


um contrato social tácito por meio do qual os cidadãos abririam mão
de parcela de sua liberdade individual em troca de segurança e
justiça.

Para os liberais a vida em sociedade não é natural, ela nasce pela


necessidade de se superar um hipotético estado de guerra
generalizada de todos contra todos, situação de extrema
insegurança.

Essa vida em sociedade seria regida nos termos do contrato social, o


qual seria o instrumento balizador das relações entre o Estado e os
cidadãos.

A coerção física exercida pelo Estado sobre os cidadãos, portanto,


teria natureza legal, nos termos do contrato social que regularia a
relação entre o Estado e os indivíduos.

Assim, o matriz se baseia na premissa de que se os cidadãos abrem


mão de parcela de sua liberdade em troca de proteção e segurança,
eles também reconhecem que o Estado poderá usar a força, se
necessário, para garantir os direitos naturais (liberdade, igualdade,
propriedade) dos seus cidadãos.

Além disso, para a matriz liberal todos são iguais perante a lei e o
Estado, de modo que podem por conta própria lutar para conseguir
uma colocação adequada na sociedade e no mercado.
Na matriz marxista o debate começa pelo entendimento do
comunismo primitivo, onde haveria relação de igualdade dos homens
em face dos bens produzidos. No entanto, a partir do momento que a
produção passa a gerar excedente, e este excedente se concentra
nas mãos de uma ou poucas pessoas, passa a existir uma relação de
dominadores versus dominados.

Os detentores do excedente da produção seriam os dominadores, e


os trabalhadores seriam os dominados.

Na visão do marxismo o Estado nasceria para garantir essa


dominação de dominadores sobre dominados.

Assim, os marxistas teriam opinião no sentido de que a minoria é


aquela que exerce domínio sobre a maioria, pois à minoria cabe o
controle dos excedentes da produção.

Nessa razão, deveria a maioria, que detém a força de trabalho, tomar


o poder do Estado para acabar com as diferenças entre as classes
pelo processo revolucionário e, em seguida, acabar com o próprio
Estado, que, na visão dessa corrente, não teria razão de existir se não
houvesse diferenças entre os homens.

Em relação à pergunta sobre qual matriz seria compatível com


natureza humana e o porquê. Penso que todas as duas são
compatíveis, só que foram pensadas de ponto de vista diferentes e
olhando para um lado da natureza humana (luta de classes ou
espirito individualista/empreendedor), sou a favor da
Socialdemocracia e que seria, pra mim, um misto das duas matrizes.

2 Identifique as mudanças políticas e econômicas do final do século


XIX e começo do século XX, e mostre quais foram seus impactos
sobre as matrizes liberal e marxista.

“No final século XIX e inicio do século XX o mundo testemunhou


transformações nas sociedades contemporâneas. As matrizes teóricas
Liberal e Marxista (Socialista) não passaram ilesas a essas
metamorfoses. De modo que a forma de conceituar os Estados como
Liberal ou Marxista/Socialista também modificou-se no decorrer desse
século.
Hoje não se pode encontrar um Estado que possa ser conceituado
como Liberal ou Socialista no rigor de suas teorias originárias. Estados
tidos como liberais às vezes adotam posturas consideradas
socialistas, ou Estados conceituados como socialistas acabam por se
posicionar mais à direita, em determinadas ocasiões.

No Brasil esse dilema não é diferente. Em determinados assuntos o


Estado toma medidas liberais (neoliberais), enquanto em outros
adota posturas socialistas (intervencionista, distributivista). A política
macroeconômica do país é um exemplo de posicionamento liberal. Já
as políticas sociais assistencialistas podem ser vistas como
interferências socialistas. Em suma, o Brasil é um Estado moderno
que não pode ser enquadrado nos conceitos rigorosos da matriz
teórica Liberal ou Socialista.”

Por fim, acho que a pergunta ainda mais motivadora seria: e agora
como fica o Marxismo no inicio do século XXI? Como também nossos
colegas colocaram e a China que configuração de Marxismo é esse?
São coisas que nem mesmo os mais modernos Marxistas pensaram
acontecer.