Anda di halaman 1dari 3
ESCOLA PROFISSIONAL DA APRODAZ Curso Técnico de Contabilidade REFLEXÃO DA UFCD- AUDITORIA E CONTROLO INTERNO

ESCOLA PROFISSIONAL DA APRODAZ

Curso Técnico de Contabilidade

REFLEXÃO DA UFCD- AUDITORIA E CONTROLO INTERNO

No Curso Técnico de Contabilidade da Escola Profissional de Aprodaz, foi

leccionado o módulo Auditoria e Controlo Interno pelo formador Rogério Nicolau e teve uma carga horária de 50 horas.

Noção de Auditoria A auditoria é definida como uma análise sistematizada das demonstrações financeiras de uma empresa, preparadas de acordo com os registos contabilísticos da entidade, com o objectivo de expressar uma opinião sobre a posição financeira da empresa.

A auditoria tem como objectivo fundamental Dar credibilidade ás

demonstrações financeiras junto dos seus utentes/utilizadores, conhecer os pontos fracos existentes ao nível do controlo interno das empresas ou entidades auditoras, exercer acções pedagógicas e de controlo sobre a estrutura, concluir se as demostrações financeiras apresentam de forma verdadeira e apropriada a posição financeira da empresa ou entidade bem como os resultados das suas operações e os seus fluxos de caixa.

Entidades interessadas na informação financeira A informação financeira produzida pelas empresas destina-se a ser interpretada por um vasto leque de agentes, nomeadamente investidores, instituições financeiras, fornecedores, trabalhadores e autoridades fiscais, Esta deve ser credível de forma a permitir os utentes a tomada de decisões económicas.

As principais razões para a realização de uma auditoria são:

CONFLITO DE INTERESSES entre os gestores que produzem a informação contabilística e aqueles que a usam.

ESCOLA PROFISSIONAL DA APRODAZ Curso Técnico de Contabilidade A informação prestada pode resultar em decisões

ESCOLA PROFISSIONAL DA APRODAZ

Curso Técnico de Contabilidade

A

informação

prestada

pode

resultar

em

decisões

com

consequências

Económicas importantes para quem toma decisões e para a sociedade em geral.

A preparação e a verificação dos documentos de prestação de contas é um

processo de alguma complexidade e a necessitar de intervenção de peritos.

Tipos de Auditoria

Auditoria Financeira Quando a auditoria financeira, presume-se a auditoria às demonstrações financeiras das empresas.

Compreende todo o processo de apresentação de contas do fim do exercício, é também denominada auditoria contabilística.

Tem como objectivo, a emissão de opinião sobre as demonstrações financeiras, se são verdadeiras e apropriadas, até que ponto o são.

O auditor deve obter provas até se considerar satisfeito, de forma a poder emitir

conscientemente a sua opinião.

Auditoria Operacional Analisa as operações, de carácter corrente ou regular, e as funções empresa, de forma global.

Auditoria de Gestão Incide sobre a gestão das empresas, visando a actuação dos gestores, aos quais cumpre o dever de diligência nos termos do art.º 64 do C.S.C.

Auditoria Previsional A auditoria previsional não garante a previsibilidade, apenas certifica a credibilidade das mesmas.

Auditoria Fiscal Avalia a conformidade dos procedimentos da empresa com regras fiscais, com vista a controlar os resultados; verifica de que forma estão incluídos todos os ganhos e todas as perdas; è uma análise mais profunda, dado que tem um enquadramento jurídico tributário.

ESCOLA PROFISSIONAL DA APRODAZ Curso Técnico de Contabilidade Nas fases do planeamento e execução do

ESCOLA PROFISSIONAL DA APRODAZ

Curso Técnico de Contabilidade

Nas fases do planeamento e execução do trabalho de auditoria temos:

Procedimentos da Auditoria Procedimentos gerais Indagação; é indispensável para que o auditor obtenha os esclarecimentos necessários; o auditor não deve influenciar as respostas e deve confrontar várias informações obtidas para evitar más interpretações.

Testes em Auditoria

Risco inerente erros materialmente relevantes, não dependentes do controlo interno.

Risco controlo erros que possam ocorrer em saldos ou transacções que não sejam detectados pelo controlo interno.

Risco de detecção risco resultante de os procedimentos do auditor não conduzirem à detecção de erros.

Este módulo teve como avaliação um teste.

Ponta Delgada, 6 de Abril de 2011

Formador: Rogério Nicolau

UC/UFCD: ACI

Formanda: Manuela Melo