Anda di halaman 1dari 2

Fantasia de carnaval.

Minha mulher é normal, sem grandes atributos, mas muito bonita e gostosa. Se cuida
bastante, usa vários produtos de beleza, já fez plástica e turbinou os seios e fez uma
verdadeira escultura no corpo. Nenhuma mulher é tão vaidosa pra manter-se
escondida, e ela na é exceção e adora se exibir. Usa roupas que mostrem seus seios
grandes e durinhos, seus quadris largos e suas coxas grossas e malhadas. No último
carnaval foi minha comprovação final de que ela é mesmo muito exibida e se excita
muito com isso. Ela foi convidada pra sair como destaque de uma escola de samba e
discutiu com o carnavalesco o desenho de sua fantasia, fez algumas provas e somente
quando ficou pronta foi que ela me deixou ir acompanhá-la pra ver o resultado final.
Fomos ao ateliê onde a fantasia estava sendo feita e ao chegar ela já foi encontrada
por um travesti que a recebeu com beijinhos e sorrisos. Fomos apresentados e minha
mulher pediu que eu esperasse porque para vê-la com a fantasia, só poderia ser
completa, ou seja, maquiada, penteada e tudo que tem direito, ou quase tudo...
Quando eu a vi quase tive um troço: um arranjo de cabeça com penas coloridas, umas
armações decorativas no braço e nos quadris, um fio dental com uns enfeites fazendo
parecer uma sainha e só. Ah, claro, havia também as sandálias de salto altíssimo e
fitinhas amarrando na panturrilha. Nesse momento chegava o carnavalesco com alguns
rapazes da escola que eram os cantores e vinham também ver suas roupas. Nem
precisa dizer que foi uma sensação incrível ver minha mulher daquele jeito e a
homarada babando pelo que viam. Os cantores logo se chegaram e começaram a
improvisar um samba e ela se pôs a sambar e rebolar. Ela começava a se realizar. No
dia do desfile saímos de casa com ela usando um robe e pronta pra se montar na
fantasia já na avenida. Lá, ela até que nem chamava tanto a atenção no meio daquela
mulherada seminua, mas quando ela se montou e foi tomar seu lugar no grupo saiu
desfilando seu rebolado e todo seu charme e mostrou porque tinha sido convidada pra
ser destaque. Fui pra o meu camarote e curti o desfile. Quando a escola dela passou,
eu já tinha tomado algumas e estava só na alegria. Desfilando ela rebolava muito,
sambava e cantava cheia de empolgação, com seus seios nus e praticamente nua
naquela avenida cheia de olhos sobre ela. Na avenida alguns passistas dançavam junto
dela, seguravam, pegavam, apalpavam e apreciavam seus seios chacoalhando livre e
sua bunda oferecida rebolando ao som do samba. Se seu fio dental já era entalado,
dançando ele praticamente sumia entre suas pernas. Depois do desfile, ou quando
estava chegando ao final eu saí do camarote, já meio torto ou muito alegre, e fui pra
área de saída do pessoal da avenida. Demorei um pouco pra chegar, mas quando
cheguei tive já de longe uma visão muito doida e excitante: minha mulher estava
cercada por homens, alguns com camisetas de segurança e outros com fantasias que
haviam acabado de desfilar com ela. Fiquei observando enquanto ela curtia seu
momento sendo olhada, abraçada e tocada por muitas mãos. De repente, como
curtindo um momento de muita euforia ela se joga nos braços do carinha que estava
enlaçando sua cintura, como numa comemoração do grande desfile feito. Assim que
eles se soltaram outros vieram e começaram um abraço coletivo tendo ela ao centro, e
eu podia ver muitas mãos, bolinando-a e aproveitando o momento da gostosa de fio
dental com os seios nus. Então cheguei mais perto levemente e fiquei apreciando a
comemoração. Quando ela me viu veio correndo em minha direção e se jogou nos
meus braços. Eu havia esquecido de levar seu robe e fomos andando até nosso carro,
e ela foi aproveitando pra se exibir pra todos por quem passava. Pegamos o robe e
voltamos pra o camarote. Lá ela era só alegria e se tornou o foco da atenção de todo
mundo. O auge foi quando ela tirou o robe, a pedido da galera, pra mostrar sua
fantasia. Claro que naquele momento, ela já havia tirado alguns enfeites e na real
tinha apenas seu corpo maquiado com muita purpurina, o fio dental e as sandálias.
Estava literalmente um tesão e praticamente nua. Foi um tal de aparecer gente
querendo tirar foto com ela. Eu mal conseguia ficar com ela e assim acabei perdendo-a
de vista por uns momentos. Saí procurando e a vi num canto num tremendo
agarramento com um cara moreno sem camisa. Eram beijos e passadas de mão pra
todo lado. Cheguei junto discretamente e ao me ver ela o soltou sorrindo e começou a
me agarrar e fazer comigo o mesmo. Saímos rindo e fomos terminar nossa noitada em
casa fodendo até que o cansaço nos fez cair no sono.