Anda di halaman 1dari 6

Ética e relações pessoais no ambiente de trabalho

Autor: Jefferson Carlos Martins e Manoel Flávio Leal

1. Introdução

A Ética é o ideal para conduta humana, pois a evolução de seus princípios deu-se juntamente
com o processo evolutivo da humanidade, e orienta o ser humano sobre o que é bom e correto
e o que deveria assumir, orientando sua vida em relação a seus semelhantes, visando o bem
comum.

A Ética de nossa sociedade e a Ética empresarial são inseparáveis, algumas vezes


indistinguíveis. Nossas preocupações diárias com a eficiência, competitividade e lucratividade
não podem prescindir de um comportamento ético.

A Ética no trabalho orienta não apenas o teor das decisões (o que devo fazer) como também o
processo para a tomada de decisão (como devo fazer).

A adoção de princípios éticos e comportamentais reflete o tipo de organização da qual fazemos


parte e o tipo de pessoa que somos. Nosso respeito pelas diferenças individuais e a
preocupação crescente com a responsabilidade social, onde inserimos as questões de
segurança, meio-ambiente e saúde no cotidiano da nossa gestão empresarial, refletem as
relações com seus empregados e para com a sociedade.

Cada indivíduo tem o seu próprio padrão de valores. Por isso, torna-se imperativo que cada
empregado faça sua reflexão, de modo a compatibilizar seus valores individuais com os valores
expressos nos Princípios Éticos.

2. Ética no trabalho

Para que seja ético no trabalho é preciso antes de tudo ser honesto em qualquer situação,
nunca fazer algo que não possa assumir em público, ser humilde, tolerante e flexível. Ser ético
significa, muitas vezes, abrir mão de algumas coisas e perder algo.

É preciso ouvir mais as idéias de seus colegas, pois muitas idéias aparentemente absurdas
podem ser a solução para um problema. Para descobrir isso, é preciso trabalhar em equipe,
ouvir as pessoas e avaliar a situação sem julgamentos precipitados ou baseados em
suposições, e principalmente dar crédito a quem realmente é merecedor. Muitas vezes
recebemos elogios pelo trabalho realizado por outras pessoas, sem sequer repassar os
mesmos ou citar o nome dos colegas que contribuíram para tal, e isso é ser antiético, pois
está-se aceitando um elogio pelo trabalho de outra pessoa e, cedo ou tarde, o mesmo será
reconhecido e você ficará com fama de mau-caráter.

Outra coisa muito importante é a pontualidade, pois se você sempre se atrasar, será
considerado indigno de confiança e pode perder boas oportunidades de carreira. Infelizmente
em muitas empresas julga-se o caráter e a competência de um funcionário pelo cumprimento
de horário e não pela sua produtividade ou habilidades técnicas/gerenciais.

Tente também nunca criticar seus colegas de trabalho ou culpá-los pelas costas, e quando
tiver de corrigir ou repreender alguém, faça-o em particular, não o humilhe perante outros,
respeite sua privacidade e se for o caso ofereça apoio, pois ele poderá estar passando por
dificuldades sem você saber.

Existem outras ponderações que devemos fazer, tais como: maneiras de utilização de
telefones, e-mails, assim como comportamentos em reuniões/palestras e em situações de
fofocas de corredor.
“Aja de acordo com seus princípios e assuma suas decisões, mesmo que isso implique ficar
contra a maioria”.

2.1. Utilização do telefone

Ao se utilizar o telefone na empresa devemos tomar alguns cuidados, tais como:

- Dar toda a atenção à pessoa que ligou sem ficar distraído com outras atividades em paralelo;

- Evitar intimidades com a pessoa que está do outro lado da linha, pois isso poderá causar
constrangimentos com os colegas que estão ao seu redor;

- Ao falar ao telefone, você é julgado pela dicção, capacidade de articular pensamentos e por
tratar os outros com cortesia ou não. A voz deve ser alegre, clara, calorosa e em bom-tom,
nem alta nem baixa demais;

- Ao atender telefonemas alheios, anote o recado escrevendo o nome da pessoa que ligou, o
número do telefone, o assunto e a hora;

- Não faça ligações pessoais demoradas;

- Não entre em discussões por telefone;

- Retorne as ligações, mesmo que você não conheça quem deixou recado;

- Se estiver ocupado, não tenha medo de interromper a conversa, diga que não pode falar e
que ligará em seguida e não esqueça de retornar a ligação;

- Todos estamos sujeitos a ter de atender a um telefonema com alguém ao lado. Quando for
inevitável, procure fazer com discrição, nada de gestos, caretas ou comentários tapando o
bocal do telefone;

- Jamais deixe alguém esperando na linha, melhor dizer que está ocupado e que retornará a
ligação depois;

- Se a linha cair não se preocupe, pois a responsabilidade de ligar novamente é de quem


telefonou.

2.2. Utilização de e-mail

A utilização do e-mail é algo extremamente polêmico e atualmente se discute muito sobre o


direito das empresas monitorarem os e-mails de seus funcionários, violando assim sua
privacidade. Então, é importante que se tenha alguns cuidados ao se utilizar o e-mail fornecido
pela empresa:

- Nunca escreva algo que possa constrangê-lo depois, evite intimidades e escreva aquilo que
você falaria pessoalmente para a pessoa;

- Verifique sempre a gramática e a ortografia do texto antes de enviá-lo, pois não existe nada
pior do que um texto cheio de erros que, em muitos casos, pode ofender pessoas que prezam
muito uma boa grafia;

- Seja claro e objetivo, pois hoje em dia ninguém tem tempo para ler textos extensos demais
ou ficar pensando em palavras fora de contexto;

- Um e-mail, apesar de também ser um documento, não deve ser tão formal quanto uma
carta;
- Jogue fora todos aqueles e-mails que não servem para nada, como malas diretas, correntes e
piadinhas infames e só responda àqueles que realmente mereçam sua atenção;

- Não mande correntes, piadas - obscenas ou não - e pegadinhas por e-mail para quem não
conhece.

2.3. Comportamento em Reuniões

É neste momento que seu profissionalismo é posto a prova e onde sua postura profissional
estará sendo julgada, então tome alguns cuidados ao participar de reuniões de trabalho.

- Não chegue atrasado. Além de irritar quem chegou na hora, sua imagem ficará péssima, pois
sua pontualidade foi ineficaz;

- Nunca sente à cabeceira da mesa, pois esse lugar normalmente é reservado à pessoa que
conduzirá a reunião. Assim você dará a entender que conhece seu lugar, demonstrará apoio e
deixará claro que não ameaça a pessoa que está conduzindo a reunião;

- Leia e pesquise sobre o assunto que será colocado em pauta. Dessa maneira você estará
preparado e poderá participar da discussão, sem passar pelo constrangimento de dar um fora;

- Quando participar de uma reunião não entre mudo e saia calado, torne sua participação
ativa;

- Exponha todas suas idéias independentemente de boas ou ruins, e quando achar que deve
discordar, discorde, mesmo que seja com quem está conduzindo a reunião. Dessa maneira
você tornará a reunião mais produtiva e não apenas um encontro de amigos;

- A pessoa que está conduzindo a reunião deve ser o primeiro e o último a falar. Ou seja, é ela
que abre e fecha a reunião;

- Se for encarregado de conduzir uma reunião, lembre-se de que um bom condutor é aquele
que expõe suas opiniões de modo que todos entendam, sabe ouvir e mediar conflitos;

- Ao fazer um comentário, apresentar uma idéia ou sugestão, seja claro e objetivo. Resuma ao
máximo o que tem a dizer para não tornar a reunião longa e cansativa demais;

- Olhe para os outros quando estiverem falando para mostrar interesse. Não baixe os olhos
para a mesa;

- Apresente suas idéias como recomendação e não como ordens. Senão você poderá
comprometer a autoridade diante dos demais participantes;

- É importante manter a postura durante uma reunião. Evite ficar gesticulando, rabiscando,
mexendo no celular e principalmente entrar em uma reunião com o celular ligado.

2.4. Fofocas de corredor

Algo inevitável nas empresas são as fofocas de corredor, por isso evite ao máximo fazê-las.

- Afaste-se das fofocas e maledicências. Só o fato de prestar atenção nelas pode lhe dar a
fama de fofoqueiro, e aquele que lhe conta a última novidade pode levar também um
comentário péssimo sobre você e aumentar o conflito interpessoal;

- Evite fazer profecias. As previsões podem não se realizar e as palavras se voltarão contra
você;
- Não seja inconveniente, aparecendo em outros setores da empresa sem ligar antes só para
fazer uma fofoca rápida;

- Mantenha a voz baixa, especialmente quando precisar falar de assuntos de caráter


confidencial;

- Quando se referir a um colega numa conversa, use o nome completo dele para evitar mal-
entendidos;

- Evite falar de sua vida pessoal com quem você não conhece o caráter;

- Não comente com qualquer um os seus resultados positivos, prêmios e novos projetos que
lhe foram confiados;

- Caso trabalhe com alguém de quem não gosta, troque cumprimentos, mantenha distância e
não comente a antipatia que sente. Isso minimiza os atritos e evita que os outros reparem a
incompatibilidade e façam fofocas.

3. Exercícios do cargo/função

Jamais use seu cargo, função, atividade, posição ou influência com o fim de obter qualquer
favorecimento para si ou para outros. Busque o melhor resultado mantendo sempre uma
atitude transparente, de respeito e colaboração com os colegas de trabalho.

- Procure saber como seus superiores trabalham e como gostam que seus colaboradores
exerçam suas atividades, pois dessa maneira você poderá guiar suas atitudes e reações;

- Deixe claro quais são as suas funções, principalmente se elas incluírem obrigações pessoais e
particulares. Sobretudo, no caso de secretárias e assistentes que são encarregados de
controlar as contas do chefe, organizar agenda, comprar presentes para os familiares, etc.;

- Caso tenham afinidades ou amigos em comum, não há mal algum em fazer comentários
pessoais, mas seja discreto e tome cuidado para não parecer inconveniente nem puxa-saco;

- Reconheça os erros, mas não exagere no arrependimento nem na culpa. A fala correta é:
“não foi um erro intencional, isso não vai ocorrer de novo e vou remediar o acontecido”;

- Jamais diga a palavra problema para se referir a uma situação desfavorável. Dá a impressão
de que você não consegue controlar a situação.

4. Relacionamentos

4.1. Entre colegas, coordenadores e gerentes

Saiba respeitar as diferenças individuais, aja de forma cortês, com disponibilidade e atenção a
todas as pessoas com quem se relaciona, independentemente de seu cargo na empresa.

- Reconheça os méritos relativos aos trabalhos desenvolvidos por colegas ou gerentes;

- Não prejudique a reputação de colegas ou gerentes por meio de julgamentos


preconceituosos, falso testemunho, informações não fundamentadas ou qualquer outro
subterfúgio;

- Não busque obter troca de favores que aparentem ou possam dar origem a qualquer tipo de
compromisso ou obrigação pessoal;
- Estimule a manifestação de idéias, quando alinhadas com os objetivos das empresas, mesmo
que representem mudança significativa.

4.2. Emocionais entre colegas de trabalho

Este assunto foi, é e sempre será muito polêmico, pois dependendo da diferença de
hierarquias entre o casal, com certeza surgirão comentários maldosos. Portanto, ao se
relacionar com um colega de trabalho tome os seguintes cuidados:

- Você e um colega se apaixonaram: se a empresa não proíbe namoro entre funcionários e


vocês são desimpedidos, não vale a pena esconder. Os colegas desconfiam, descobrem e
fofocam;

- Enquanto estiver na empresa evite os apelidos carinhosos e telefonemas melosos. Nada de


“fofo”, “lindinha”, “bebê” e “neném”;

- Não constranja os colegas nem cause falatório criando situações para ficar a sós com seu
amado ou sua amada.;

- Cenas de ciúme e bate-boca são péssimas para sua imagem na empresa;

- Se brigar com ela (ele), deixe a cara fechada e a reconciliação para fora da empresa. Seu
romance não é novela, para ser acompanhado capítulo a capítulo;

- Não policie os horários da (o) sua (seu) parceira (o) e muito menos crie empecilhos para que
ela (ele) almoce com colegas ou superiores sob o argumento “você não liga mais para mim”;

- Você e o chefe se apaixonaram: em muitas empresas, trata-se de amor proibido. Vocês


podem tentar escondê-lo por um tempo, mas correm sérios riscos;

- Do ponto de vista ético, o melhor a fazer é pedir, rapidamente, uma transferência de


departamento, já que o romance pode comprometer o trabalho. Se não for possível uma
transferência, a saída mais correta é um dos dois pedir demissão. Durante o período de
impasse, ajam com absoluta discrição, pois os fofoqueiros de plantão adoram comentar sobre
situações como essa;

- Paixão por alguém casado: em casos assim, trata-se de nitroglicerina pura. Se o romance se
tornar público, amor, trabalho e família virarão uma grande confusão e isso é péssimo para a
carreira;

- Evite comentar o assunto em voz alta e não transforme seu drama em tema de debate no
fumódromo.

5. Intimidações

- Jamais tolere ameaças ou assédios de qualquer tipo;

- Não se submeta a situações de assédio moral (entendido como o ato de desqualificar


repetidamente, por meio de palavras, gestos ou atitudes, a auto-estima, a segurança ou a
imagem do empregado em função do vínculo hierárquico) e denuncie o assediador;

- Respeite a hierarquia, porém informe imediatamente à gerência superior qualquer


comportamento irregular, desde que devidamente fundamentado;

- Comunique imediatamente aos seus superiores hierárquicos, para que as providências


cabíveis, qualquer aliciamento, ato ou omissão que julgue contrários ao interesse da empresa;
- Não ceda a pressões que visem a obtenção de vantagens indevidas.

6. Feedback

Feedback: conjunto de sinais perceptíveis que permitem conhecer o resultado da mensagem; é


o processo de se dizer a uma pessoa como você se sente em função do que ela fez ou disse.
Para isso, fazer perguntas e obter as respostas, a fim de verificar se a mensagem foi recebida
ou não.

Como a comunicação eficaz é um processo de troca bidirecional, o uso de feedback é mais


uma maneira de se reduzir falhas de comunicação e distorções.

Habilidades de Feedback:

- Assegurar-se de que quer ajudar (e não se mostrar superior);

- No caso de feedback negativo, vá direto ao assunto; começar uma discussão com questões
periféricas e rodeios geralmente cria ansiedades ao invés de minimizá-las;

- Descreva a situação de modo claro, evitando juízos de valor;

- Concentre-se no problema (evite sobrecarregar o receptor com excesso de informações ou


críticas);

- Esteja preparado para receber feedback, visto que o seu comportamento pode estar
contribuindo para o comportamento do receptor;

- Ao encerrar o feedback, faça um resumo e reflita sobre a sessão, para que tanto você como o
receptor estejam deixando a reunião com o mesmo entendimento sobre o que foi decidido.

7. Conclusão

A Ética é algo que não pode ser definido como certo ou errado. É a forma de como as pessoas
acreditam, é o bom senso, em suma, e como você observa o mundo ao seu redor.

Infelizmente a Ética, postura profissional, relacionamentos no ambiente de trabalho,


transformou-se em chavões onde ninguém sabe explicar o que é certo ou não, ou melhor,
pode-se notar que a Ética já não está sendo respeitada.

O coerente seria que as organizações desenvolvessem códigos de condutas, assim poderiam


mostrar o que é “correto” para aquele ambiente de trabalho. Uma vez tendo isso bem
exemplificado e explicado, não deixaria margem para questões sem o menor pingo de cuidado
do uso de termos sem o menor sentido, que em vez de ajudar acabam por prejudicar e muitas
vezes ofender as pessoas.

jeffcm@celepar.pr.gov.br

mfleal@celepar.pr.gov.br