Anda di halaman 1dari 28
erent MAKRON: Books Capitulo 7 Técnicas de Comutag4o de Tiristores 7A INTRODUGAO Um tiristor normalmente 6 disparado através da aplicagio de um pulso de sinal no gatilho. Quando 0 tiristor esté no modo de condugio, sua queda de tensio é pequena, variando de 0,25 a 2 V, ¢ ser desprezada neste capitulo. Uma vez que 0 tiristor & disparado e os requisitos de saida s2o satisfeitos, usualmente & necessario desligé-lo. Desligar ou cortar significa que a condugao direta do tiistor tem de cessar ea reaplicacio de uma tensio positiva ao anodo sem a aplicagio de sinal no gatilho nie causard fluxo de corrente. Comutagio é © processo de desligamento ou corte de um tiristor, ¢ ele normalmente causa a transferéncia do fluxo de corrente para outras partes da circuito. Um circuito de comutagio em geral utiliza componentes adicionais para conseguir 0 desligamento. Com 0 desenvolvimento dos tiristores, muitos circuitos de comutagio também foram desenvolvidos e o objetivo de todos eles & reduzir o processo de desliga- Com a disponibilidade dos dispositivos semicondutores de poténcia de alta velocidade, tais como transistores de poténcia, GTOs e IGBTS, os circuitos com tiristores sio relativamente menos utilizados em conversores de poténcia, Entretanto, os tiristores tém um papel fundamental em aplicacées de correntes e tensées elevadas, geralmente acima de 500 Ae 1 kV. As técnicas de comutacao utilizam a ressonancia LC (ou circuitos RLC subamortecidos) para forcar a corrente e/ ow a tensio de um tiristora zero, cortando dessa forma o dispositive. AcletrOnica de poténcia utiliza dispositivos semicondutores como chaves para “ligar’ e “desligar” a energia para uma carga, SituagSes similares aos cireuitos de comu- tagdo normalmente ocorrem em muitos circuitos de eletrSnica de poténcia. O estudo das 283 294 __Eletrnica de Poténcia—Circuitos, Dispositioose Aplicagies Cap. 7 téenicas de comutacio exibe as formas de onda de tensio e corrente transit6rias dos circuitos LC sob vérias condigdes. Ele auxilia na compreensio do fendmeno transitério CC sob condigdes de chaveamento. HG varias técnicas para se comutar um tiristor; no entanto, elas podem ser classificadas, geralmente, em dois tipos 1. comutagio natural; 2. comutacio forcada, 7.2 COMUTACAO NATURAL (Quando a tensio da fonte (ou de entrada) éCA, a corrente do tiristor passa naturalmente por zero e uma tensio reversa aparece sobre ele. O dispositive é entao automaticamente desligado devico ao comportamento natural da fonte de tensio. Isso 6 conhecido como comutagio natural, comutagdo pela linha ou pela rede. Na pratica, 0 tiristor é disparado de maneira sincrona com a passagem pelo zero da tensio positiva de entrada em todo 0 ciclo, a fim de fornecer um controle continuo de poténcia. Esse tipo de comutacdo & aplicado aos controladores de tensio CA, retificadores de fase controlada e cicloconver- sores. A Figura 7.la mostra o arranjo do circuito para a comutagio natural ea Figura 7b, as formas de onda de tensio e corrente com um angulo de disparo a = 0. O ngulo de disparo 6 definido como o angulo entre a passagem da tensio de entrada pelo zero ¢ 0 instante em que o tiristor 6 disparado. Figura 7.1 Comutasio natural para (@) Crue (oy Fomes de onda 73 COMUTAGAO FORGADA Em alguns circuitos tiristorizados, a tensio de entrada & CC e a corrente direta do tiristor Eforcada a zero através de um circuito adicional, chamado circuito de comutagio, para desligaro tiristor. Essa técnica € chamada contacto forcada e normalmente é aplicada a Cop. 7 Téenicas de comutagio de iristores 295 conversores CC-CC (choppers) e conversores CC-CA (inversores), A comutagdo forgada de um tiristor pode ser conseguida através de sete maneiras, que podem ser classificadas 1. autocomutacio; 2 comutagio por impulso; 3. comutagio por pulso ressonante; 4. comutagio complementar; 5. _comulacio por pulso externo; 6. comutacéo do lado da carga; 7. comutagao do lado da linha ssa classificagio de comutagdes foreadas & baseada no arranjo dos compo- entes do circuito de comutagao e na maneira pela qual a corrente de um tiristor & forgada a zero. O circuito de comutagio normalmente consiste de um capacitor, um indutor e um ou mais tiristores e diodos. 7.3.1 Autocomuta: Nesse tipo de comutacio um tiristor ¢ desligado devido as caracteristicas naturais do citeuito. Considerar o circuito na Figura 72a supondo que 0 capacitor estejainicialmente descarregado. Quando o tiristor T; & disparado, a corrente de carga i é dada por pce ey Com as condigies iniciais v(t = 0) = 0 e i(f = 0) = 0, a solugio da Eq, (7.1) (que & obtida no Apéndice D, Secio D.3) da a corrente de carga i como iw sen Ont 72) € tensio no capacitor como Pelt) = Va(1 ~ cos omit) 73) donde wy) = 1AEC. Apés o tempo 1 = ty = x VEC, a corrente de carga tomna-se zero € 0 tiristor Ty se desliga. Uma vez que o tiristor T; é disparado, ha um atraso de fy segundos antes de ele ser desligado, sendo que tp podte ser chamado tempo de comutagio do circuito,