Anda di halaman 1dari 1

CIVIL E PROCESSUAL CIVIL. CONSUMIDOR. REPARAO DE DANOS MORAIS E MATERIAIS. CIRURGIA PLSTICA. ERRO MDICO. DEFEITO NO SERVIO PRESTADO.

CULPA MANIFESTA DO ANESTESISTA. RESPONSABILIDADE SOLIDRIA DO CHEFE DA EQUIPE E DA CLNICA. 1. O Tribunal a quo manifestou-se acerca de todas as questes relevantes para a soluo da controvrsia, tal como lhe fora posta e submetida. No cabe alegao de violao do artigo 535 do CPC, quando a Corte de origem aprecia a questo de maneira fundamentada, apenas no adotando a tese da recorrente. Precedentes. 2. Em regra, o cirurgio chefe dirige a equipe, estando os demais profissionais, que participam do ato cirrgico, subordinados s suas ordens, de modo que a interveno se realize a contento. 3. No caso ora em anlise, restou incontroverso que o anestesista, escolhido pelo chefe da equipe, agiu com culpa, gerando danos irreversveis autora, motivo pelo qual no h como afastar a responsabilidade solidria do cirurgio chefe, a quem estava o anestesista diretamente subordinado. 4. Uma vez caracterizada a culpa do mdico que atua em determinado servio disponibilizado por estabelecimento de sade (art. 14, 4, CDC), responde a clnica de forma objetiva e solidria pelos danos decorrentes do defeito no servio prestado, nos termos do art. 14, 1, CDC. 5. Face as peculiaridade do caso concreto e os critrios de fixao dos danos morais adotados por esta Corte, tem-se por razovel a condenao da recorrida ao pagamento de R$ 100.000,00 (cem mil reais) a ttulo de danos morais. 6. Recurso especial conhecido em parte e, nesta parte, provido.1

REsp 605.435/RJ, Rel. Ministro JOO OTVIO DE NORONHA, Rel. p/ Acrdo Ministro LUIS FELIPE SALOMO, QUARTA TURMA, julgado em 22/09/2009, DJe 16/11/2009.