Anda di halaman 1dari 2

PSICOLOGIA ANALITICA 10 de Fevereiro de 2009

Glossário Jung lendas e contos de fadas. Emergem nos indivíduos atra-


vés de sonhos e visões.
Ânima: (Em latim significa ALMA) O lado femi-
nino, inconsciente, da personalidade de um homem. Ela
se personifica, em sonhos, por imagens de mulheres,
Associação: Fluxo espontâneo de pensamentos e
imagens interligados em torno de uma idéia específica,
com conteúdos que variam: muito carregadas de ero-
determinada por conexões inconscientes.
tismo, com sentido ou atitude maternal, simbolizando a
guia espiritual (Sabedoria). Pode mostrar-se, geralmen-
te, nos sonhos masculinos, como uma figura única de Complexo: Grupo emocionalmente carregado
mulher. Para o homem ela é o princípio de EROS e o de idéias ou imagens. Ele constela em torno de si uma
desenvolvimento das imagens de anima, na vida de um grande gama de comportamentos “coerentes” com ele
homem, representa o modo como ele se relaciona com mesmo. No centro de um “complexo” está um arquétipo
o sexo oposto. No plano psicológico é o “elo criativo ou imagem arquetípica.
e inspiracional” do homem com o Inconsciente. Se a
personalidade do homem se identifica com a Ânima ele
apresentará inconstância de estados de espírito, humor
Constelado: Sempre que existe uma forte reação
emocional a uma pessoa ou situação, um complexo é
caprichoso, efeminação e hipersensibilidade.
constelado (ativado).

Ânimus: (Em latim significa ESPÍRITO) O lado Ego: Este também é um “complexo” e é central no
masculino, inconsciente, na personalidade de uma
campo da consciência. Um ego forte pode relacionar-se
mulher. Para a mulher ele é o princípio do LOGOS e
objetivamente com os conteúdos ativados do incons-
o desenvolvimento das imagens de ânimus, na vida de
ciente (isto é, com outros complexos) em vez de se
uma mulher (como Pai, como esposo, como guia espiri-
identificar com eles, o que constituiria um estado de
tual) representa seu estilo de relacionamento com o sexo
possessão (pelo complexo).
oposto. Pode mostrar-se em sonhos, no geral, como
múltiplas figuras masculinas. No plano psicológico é
o “Homem interior” que atua como uma ponte entre o Função transcendente: O “terceiro” recon-
ego da mulher e os seus próprios recursos criativos no ciliador que emerge do inconsciente (na forma de um
Inconsciente. Se a personalidade da mulher se IDENTI- símbolo ou de uma nova atitude) depois que os pares de
CAR com o Ânimus ela apresentará um comportamento opostos conflitantes foram conscientemente diferencia-
rígido, obstinado, opinativo e muito questionador. dos e a tensão entre eles, mantida.

Arquétipos: Irrepresentáveis em si mesmos, Individuação: A percepção consciente da


mas seus efeitos manifestam-se na consciência como realidade psicológica única de um indivíduo, incluindo
as imagens e idéias arquetípicas. São padrões ou moti- alcances e limites dos potenciais individuais. Leva à
vos universais que emanam do Inconsciente Coletivo e experiência do Si-mesmo como centro regulador da
constituem o conteúdo básico de religiões, mitologias, psique.

Inflação: Estado em que o indivíduo tem um


sentimento irrealisticamente alto ou baixo (deflação, ou
inflação negativa) de identidade. Indica uma regressão
da consciência para o inconsciente, o que tipicamente
acontece quando o ego admite um excesso de conteúdos
inconscientes e perde a faculdade de discriminação.

Intuição: Uma das quatro funções psíquicas. É


a função irracional que nos indica as possibilidades
inerentes no presente. Em contraste com a sensação (a
função, igualmente irracional, que percebe a realidade
PSICOLOGIA ANALITICA 10 de Fevereiro de 2009

imediata através dos sentidos físicos), a intuição percebe Projeção: O processo pelo qual uma qualidade ou
através do inconsciente; por exemplo, lampejos de insi- característica da própria pessoa é percebida como per-
ght de origem desconhecida e que se aplicam à situação tencendo ao mundo (situações, pessoas, objetos) e que
vivida de um modo inesperado. acaba gerando respostas correspondentes. A projeção
da Ânima ou do Ânimus (numa mulher ou num ho-
Pares de Opostos: Algo originalmente coeso mem real) é vivenciada como se fosse uma paixão. As
(um processo de alternâncias e ciclos) aparece à consci- expectativas frustradas indicam a necessidade de retirar
ência como dividido em pares de opostos destituídos de projeções (o que pode ser penoso) a fim de relacionar-se
sua organicidade original, no mais das vezes parecendo com a realidade de outras pessoas.
conflitantes. Para a consciência parece ser uma solução
(para sair do conflito) a opção pela identificação com Sentimento: Uma das quatro funções psíqui-
apenas um deles, com a conseqüente rejeição ou re- cas. É uma função racional que avalia o mérito (ou o
pressão do outro componente. Naturalmente, depois da sentido) das relações e das situações. A experiência do
opção, parecerá à consciência que o primeiro é o “certo” Sentimento deve distinguir-se da vivência da emoção,
e que este último é o “errado”. Podemos exemplificar que é devida a um complexo ativado.
com o quente/frio; vigília/sono; luz/sombra; união/sepa-
ração; agressão/inibição e assim por diante. São essen-
ciais aos processos vitais de todo tipo e perceptíveis em Símbolo: A melhor expressão possível para algo
todo o mundo natural. essencialmente desconhecido. O pensamento simbólico
é não linear, orientado pelo hemisfério cerebral alterna-
tivo; é complementar ao pensamento lógico/linear do
Persona: (latim: “máscara do ator”) O papel social hemisfério cerebral dominante.
do indivíduo, derivado das expectativas da sociedade
e do treinamento desde os primeiros anos de vida e ao
longo da vida inteira. Um ego forte relaciona-se com o Si-mesmo (Self): Arquétipo da totalidade e
mundo exterior através de uma persona flexível; a iden- centro regulador da personalidade. É vivenciado como
tificação do ego com uma persona específica (médico / um poder transpessoal que transcende o ego; por exem-
intelectual acadêmico / artista etc.) inibe o desenvolvi- plo, Deus.
mento psicológico. Este termo também é usado aqui sig-
nificando a identificação com um Personagem ou com Sombra: Uma parte inconsciente da personali-
um Eu-para-os-Outros. dade caracterizada por traços e atitudes, tanto “positi-
vos” quanto “negativos”, que o ego consciente tende a
Polaridade: Qualidade atribuída aos Pares de rejeitar, reprimir ou ignorar. É personificada em sonhos
Opostos para qualificar uma diferenciação natural entre por pessoas do mesmo sexo da pessoa do sonhador. A
eles. Como exemplo: Polaridade Ativa atribuída ao que assimilação (à consciência) da própria Sombra resulta
é Dinâmico e Polaridade Passiva ao que é Estático; usualmente num aumento de energia psíquica.
comédia/tragédia; ataque/defesa etc.