Anda di halaman 1dari 4

EPÍSTOLA DE TIAGO

THE GENERAL EPISTLE OF JAMES

Data de Escrita: Por volta de 62 d.C (Pseudônima).

No período entre 70 e 110, mais provável entre 80 e 90 d.C.

Ou em mais ou menos 48 d.C.

Destino: Modelada em forma de carta às doze tribos dispersas. Destinada provavelmente aos cristãos fora da Palestina, conservadores em sua visão do Judaísmo.

Autenticidade: Tiago, irmão do Senhor (com a ajuda de um discípulo?)

Unidade e Integridade: (Não Questionada).

Segundo a classificação de Eusébio, no começo do quarto século, a Epístola de Tiago pertence aos cinco "livros disputados" (antilego/mena—, antilegómena) do Novo Testamento.(HALLE:264)

Pela época de Atanásio (367 d.C), a carta foi aceita no cânon e como sendo escrita por Tiago, o irmão do Senhor. (HALLE)

DIVISÃO CONFORME O CONTEÚDO (TÓPICOS)

1.1: Saudações (Fórmula Introdutória)

1.2 – 18: A função das tribulações e provações

1.19 – 27: Palavras e Ações

2.1 – 9: Parcialidade em relação aos ricos

2.10

– 13: Conservação de toda a lei

2.14

– 26: Fé e obras

3.1 – 12: Poder da Língua

3.13 – 18: Sabedoria do Alto

4. 1 – 10: Desejos que causam divisão

4.

11 – 12: Julgar um ao outro é como julgar a lei

4. 13 – 17: Manutenção de conduta arrogante

5.1

– 6: Advertência aos ricos

5.7

– 11: Paciência até a vinda do Senhor

5.12 – 20: Admoestações a respeito do comportamento da comunidade.

OBSERVAÇÕES

“A epístola de Tiago é o escrito de maior consciência social do Antigo Testamento”.

“A imagem que temos de Tiago é a de um judeu conservador”

“Ele não chega a ser um legalista extremado”

Citado em Gl 5, Gl 2.

Tiago usa a parelha Deus e o Senhor Jesus Cristo. Isso mostra a sua negação com a fé cristã tradicional. (Sua dedicatória é às doze tribos).

Ele se apresenta de forma modesta, conforme Jesus ordenou (MT 23.8-12)

Ele não usa saudação, ações de graças, sua característica é a exortação;

Provavelmente vivia em comunidade;

Insiste na insuficiência da fé sem obras;

Trata dos pecados ou defeitos que pudessem ameaçar a harmonia exigida pelo mandamento do amor;

Ele parece ser alguém severo, mas perdoador (5.19-20)

Questões

1. No capítulo 2, o que Tiago (na visão do

grupo), o que quer dizer com “Não fazer acepção de pessoas”. Façam um paralelo entre o contexto vivencial de Tiago e o contexto de nossos dias. Como crentes em Cristo temos um padrão, que é o próprio Cristo, que não faz acepção de pessoas. Tiago instrui aos

crentes a não tratarem as pessoas com preferência, com parcialidade. Ele dá um exemplo, no caso de classes sociais nas reuniões religiosas (v.2-4). Os cristãos não devem olhar para aparência, dar preferência aos ricos e discriminar os pobres. Todos devem ser tratados da mesma forma, pois até o Senhor Jesus, não discriminava as pessoas que eram desprezadas pela sociedade. Ele comia com publicanos e pecadores e não discriminava os samaritanos (Como no caso, da mulher junto ao poço em Jo 4).

Ele estava entre os pobres e os ricos (p.ex. entre os fariseus, com

o jovem rico, etc). Vale lembrar que o segundo maior

mandamento, é amar o próximo como a si mesmo, e a Palavra

também diz para considerarmos os outros superiores a nós mesmos.

Da mesma forma, em nossos dias, não devemos fazer discriminação aos irmãos mais pobres, menos preparados,

analfabetos. Todos são importantes para Deus na Igreja e podem ser úteis no ministério. Aqueles que estão à margem da sociedade

e são desprezados devem ser recebidos na igreja com amor de

Cristo, pois é o amor de Cristo que irá salvá-los.

2. Tiago propõe uma relação muito forte

entre fé e obras. Discorram sobre isso e falem de que maneira o grupo trabalha esta relação em um campo missionário. Somos criados em Cristo Jesus para “as boas obras”, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas (Ef 2.10). A fé deve ser acompanhada por obras. A fé verdadeira sempre se expressa em ação. Se amamos a Deus de todo coração devemos amar a nosso próximo. O cristão nascido de novo pratica o bem, e “quem sabe que deve fazer o bem e não faz, comete pecado (4.17).

No campo missionário levaremos o Pão da Vida que

é alimento espiritual e o pão que sacia o corpo, em suas

necessidades físicas. Pois como podemos falar do amor de Deus sem se compadecer das necessidades dos pobres, doentes e

aflitos e ajudá-los? A Missão da Igreja deve ser integral, redimindo

o ser humano por completo.

Reginaldo e Sara.

Grupo: Daniela, Luzia, Jairo, Maycon,

Aula de Cartas Gerais no Seminário Vale da Benção, com o professor Almir, Araçariguama, 2008.