Anda di halaman 1dari 2
Notícias 12/Dezembro/2000 No encunhamento de alvenarias de "tijolo baiano", comparativamente ao tradicional
Notícias 12/Dezembro/2000 No encunhamento de alvenarias de "tijolo baiano", comparativamente ao tradicional

Notícias

12/Dezembro/2000

No encunhamento de alvenarias de "tijolo baiano", comparativamente ao tradicional encunhamento com tijolos de barro cozido, qual a eficiência dos sistemas alternativos (aperto com argamassa) e quais os procedimentos corretos para execução desse tipo

No encunhamento de alvenarias de "tijolo baiano", comparativamente ao tradicional encunhamento com tijolos de barro cozido, qual a eficiência dos sistemas alternativos (aperto com argamassa) e quais os procedimentos corretos para execução desse tipo de serviço? Pergunta elaborada por Giancarlo Maria Ferracuti(São José dos Campos-SP); Resposta de referência por Ercio Thomaz( IPT-Divisão de Engenharia); Palavras-chave: alvenaria de vedação, encunhamento, coordenação de projetos, aditivo expansor; Abordagem(ns):

Qualidade na execução Independentemente do sistema, o sucesso do encunhamento está diretamente relacionado com o grau de flexibilidade dos componentes estruturais (vigas ou lajes) e com o nível atingido da retração de secagem da alvenaria. Neste particular, o encunhamento deve ser retardado ao máximo, sendo recomendado um intervalo mínimo de três semanas entre a elevação e o encunhamento da alvenaria. (CONSTA UM GRÁFICO NA TÉCHNE 4).

O sistema tradicional de encunhamento (tijolos de barro cozido inclinados, assentados com argamassa mista 1 : 0,5 : 4,5 a 5,5 nas estruturas mais rígidas, 1 : 2 : 9 a 11 nas estruturas relativamente flexíveis), sempre que bem executado (prévio chapisco do concreto, necessária pressão no assentamento etc), assegura adequada aderência entre alvenaria e estrutura, além de funcionar como um "colchão de amortecimento" para que as deformações da estrutura não introduzam tensões consideráveis na alvenaria de vedação.

O sistema alternativo de "aperto" com argamassa não apresenta as mesmas potencialidades de aderência e capacidade de acomodação, não sendo por isso mesmo recomendado no caso de estruturas muito flexíveis. O desempenho desse encunhamento pode ser otimizado por:

- modulação vertical da alvenaria, garantindo folga em torno de 2,0 / 2,5 cm entre o topo da parede e a base do componente estrutural;

- prévio chapisco do concreto, execução retardada do encunhamento;

- emprego de "massa podre" (argamassa mista 1 : 3 : 12 a 15) em excesso, com adequada pressão no assentamento e com refluxo da argamassa.

No caso de estruturas com deformabilidade muito pequena, o emprego de aditivo expansor pode melhorar o desempenho da junta/encunhamento, recomendando-se nesse caso o emprego de argamassa de cimento e areia (traço 1: 3 a 4) e simultânea utilização de aditivo plastificante. Alternativamente, poderá ser empregada argamassa de cimento e areia (1:3 a 4) bem seca

(consistência de "farofa"), fortemente apiloada no interior da junta.