Anda di halaman 1dari 5

Gabaritos

última operação.
737. 24 g/L b) 0,025 mol/L
738. 2,5%
c) pH = 7
739. III e V
793. E
740. 0,4 mol/L
741. 40 g 794. C
742. [Al3+] = 2 mol/L e [SO42-] = 3 mol/L 795. C
743. C 796. E E C C C
744. A porcentagem em massa de soluto é 10%, e 797. E
Cg/L é igual a 120 g/L 798. D
745. 1656 g/L 799. a) Sn2++ 2Ce4+  Sn4+ + 2Ce3+
746. a) 0,025 g/L b) Redutor  Sn2+ e oxidante  Ce4+
b) 7,14 x 10-3 mol/L 800. 1/2H2(g) + 1/2 Cl2(g)  H+(aq) + Cl-(aq)
747. A 801. a) Porque o único produto é a água.
748. 1,6 mol/L b) O gás H2, porque é onde ocorre a oxidação (ou
749. C onde o H2 se transforma em H+) e, portanto, é onde os
750. 9 doses elétrons são liberados.
751. 12,5% c) 1 g de H2 : 8 g de O2, pois a relação
752. 0,03 mol/L estequiométrica da reação é 1 mol de H2 reage com 1/2
753. CEE
mol de O2.
754. C 802. C
755. CECEE 803. B
756. 10 804. C
805. D
757. 0,06 mol/L
806. E
758. 1,304 x 10-2 mol/L
807. a) No eletrodo A, porque ali o Cu2+ recebe elétrons
759. C
e se deposita como Cuº.
760. 3 x 104 g
b) A intensidade da cor permanecerá a mesma, pois o
761. C
Cu2+ que se deposita como Cuº no eletrodo A é reposto
762. 83
pela oxidação do cobre metálico no eletrodo B.
763. 0,5 L
808. a) A mensagem não é correta. O tratamento da
764. B
água consiste num processo de eletrólise, o que
765. A
corresponde a um processo químico.
766. 0,02 mol/L
b) Semi-reação de redução: 2H+ + 2e-  H2
767. 120 g Semi-reação de oxidação: 2Cl-  Cl2 + 2e-
768. 15 cm3 Semi-reação global: 2H+ + 2Cl-  H2 + Cl2
769. 500 L Resíduo dissociado: NaOH.
770. A Porém, o gás cloro em meio básico sofre a seguinte
transformação:
771. 1250 mL e 1750 mL, respectivamente
772. 06 Cl2(g) + OH-(aq)  Cl- (aq) + ClO-(aq) + H2O(l)
773. 4 mol/L
774. V 809. a) O pólo positivo está indicado pelo número 2, pólo
775. ácida e Cmol/L = 0,02 mol/L onde ocorre a oxidação do cobre; o pólo negativo está
776. 2000 mL indicado pelo número 1, pólo onde ocorre a redução dos
777. a) neutra; b) 0,66 mol/L
íons H+.
778. 200 mL
b) Devido à formação dos íons Cu2+.
779. Neutra
c) O gás hidrogênio e sua equação de formação é 2H+(aq)
780. Ácida
+ 2e-  H2(g)
781. a) 0,25 mol; b) 0,20 mol/L 810. I, II, III e IV
782. B
811. a) O gerador é o elemento BETA, enquanto o
783. ECCCE
784. 50 mL elemento ALFA é a cela eletrolítica.
785. B b) BETA (gerador) = c é o ânodo e d é o cátodo ALFA
786. A (receptor) = a é o ânodo e b é o cátodo
787. B c) A oxidação sempre ocorre no ânodo e a redução no
788. B cátodo, tanto no gerador como no receptor.
789. E E C C
790. C 812. B
791. 3,3 L
813. R$ 1649,57
814. 19,10 g
792. a) Básico, pois se adiciona excesso de base na
815. B

www.alcidesquimica.com.br 166
Alcides Ribeiro – Curso Especial de Química
816. A b) A garrafa 4 corresponde à menor temperatura, devido
817. a) 0,5 mol à presença de maior número de partículas em solução. O
b) A prata metálica forma-se no cátodo e o etano forma- NaCl se dissocia em Na+ e Cl-, enquanto a sacarose não se
se no ânodo. dissocia, sendo que as concentrações das duas
818. a) 0,040 mol; b) 171u substâncias são iguais (0,5 mol.dm-3).
819. a) 7,2C; b) 8 . 10-3g
862. A
820. C C C C
863. B
821. 91
864. A
822. 04
865. D
823. 24 866. CEC
824. 28 867. a) O volume do sistema aumenta, pois ele
825. B
corresponde ao meio hipertônico.
826. Bc
b) O volume do sistema se mantêm constante, já que ele
827. A
e a solução de pentanoato de sódio são isotônicos.
828. E
868. a) São mais baixos.
829. a) - 585 kJ/mol; b) 101 kJ/mol
b) Glicose, pois sua massa molar é menor do que a da
830. a) C2H6O + 3O2  2CO2 + 3H2O ou sacarose; quando as massas são iguais, o número de
C8H18 + 25/2 O2  8CO2 + 9H2O moléculas de glicose é maior.
b) 3420 kJ/mol liberados 869. A presença de sais dissolvidos diminui a temperatura
c) 30.742 kJ/mol liberados de congelamento da água.
831. -57 kcal 87O. B
832. Todas as afirmativas estão corretas. 871. a) I e III  solvente puro ferve a uma temperatura
833. - 24,9 kcal mais baixa que a solução; I é mais volátil, pois para uma
834. C C C C mesma temperatura esse solvente possui maior P.M.V.
835. a) ∆H=+1,9kJ; b) ∆H= -3935kJ
836. b) I e IV  a presença de soluto dificulta a ebulição do
solvente. Assim, o solvente em uma solução tem menor
P.M.V. e maior P.E. do que o solvente puro.
872. E
873. A
874. D
875. V F F V F
876. a) É o frasco que contém o líquido X, pois ele
estará em ebulição a 50ºC.
837. E b) A temperatura do frasco que contém o líquido X
838. C C aumentará enquanto a do Y permanecerá em 100ºC. A
839. a) Calor de combustão do etanol temperatura de ebulição de um líquido aumenta com a
b) Calor de formação do etanol adição de um soluto não-volátil.
840. B 877. a) O abaixamento da pressão de vapor em (1) é
841. A maior que em (2). Portanto a pressão de vapor em (2) é
842. D maior que em (1) e irá passar água de (2) para (1). Com
843. D isso a quantidade de água irá aumentar em (1) e diminuir
844. C E C E C em (2).
845. D b) Em(1)=240g e em (2)=120 g.
846. C 878. E E
847. E C C C C
879. 14
848. A
880. D
849. C
850. D
851. B
852. - 110 kcal 881. a)
853. B
854. C Local de Aspirina p-aminofenol
855. V absorção
Estômago Alta Baixa
856. E C C E E Intestino Baixa Alta
857. C
858. C C E C C b) Apresenta baixo caráter ácido-básico, pois não se
859. B ioniza significativamente em meio ácido ou básico nas
860. B
condições do corpo humano.
861. a) T1= T2 >T2 > T4

167 www.alcidesquimica.com.br
Alcides Ribeiro – Curso Especial de química
919. a) pH = 8 ∴ [H+] < [OH-], que produz o deslo-
882. a) Não, pois a concentração de cloro é muito camento do equilíbrio para a direita. Com isso os íons Fe3+
pequena no pH da água potável. são retirados do equilíbrio.
b) [H+] > [OH-], portanto, pH < 7
− +
[ClO ][H ] 920. O pH do estômago é igual a 2. A absorção da
[HClO] anfetamina é mais rápida nesse órgão, pois a
b) Kc = concentração de OH- é menor. Já o pH do intestino é igual
c) Kc = 1 . 10-8 a 7, o que facilita a absorção da aspirina, pois a
883. a) CO3 < HCO < C2O4
2-
3
- 2+
< HC2O 4
-
concentração de OH- é maior.
b) H2O2O4, pois possui o maior valor de Ka 921. a) A maior eficiência na absorção do oxigênio
884. C é no pH = 7,6, pois a curva que representa o processo é
885. a) 9, 10-5 mol/L e 10-9mol/L, respectivamente mais inclinada do que em pH = 7,2.
b) 9, 5 e 10-5 mol/L, respectivamente b) Na alcalose, pois o NH4Cl se hidrolisa em meio aquoso
c) 8, 10-8 mol/L e 10-6 mol/L, respectivamente deixando a solução ácida diminuindo o pH.
d) 14, 1 mol/L e 10-14 mol/L, respectivamente 922. E C E C
886. pH = 2 923. E E C C
887. [H+] = [OH-] = 10-7mol/L
888. [H+] = 10-3 mol/L e [OH-] = 10-11 mol/L 924. C C
889. a) 2; b) 12; c)0; d) 2; e) 11 925. C C
890. 2 x 10-4 926. E
891. 4 x 10-4 mol/L 927. E
892. a) Ka=M.α2 ; b) [H+]=M. α
928. D
Ka 929. Na alta atmosfera o ozônio é benéfico, pois filtra os
c) α=
M raios ultravioleta do Sol. Já na baixa atmosfera, ele é um
893. A poluente nocivo a animais e vegetais.
894. Kb = 1,69 x 10-5 930. C C
895. 2 x 10-2 mol/L
931. C C C E E
896. E
932. C E
897. 100
898. [OH-] = 10-2 mol/L e pH = 12 933. C
899. 100 934. C
900. Ácido: 2 e 4, pois [H ] > [OH ]
+ - 935. Etóxi-etano, etóxi-isopropano e isopropóxiisopropano
Básico: 1 e 3, pois [H ] < [OH ]
+ - 936. a) CH3CH2CH + O2  CH3COOH + H2O

Neutro: 5, pois [H ] = [OH ]


+ - b) CH3COOCH2CH3  etanoato de etila
901. B 937. a) CH3CO2H + HO(CH2)7CH3 
902. C C C E E  CH3CO2(CH2)7CH3 + H2O
903. C C C b) ácido etanóico e octanol
904. CEEEEECE 938. C
905. D
906. C
907. A
908. E
909. B
910. A 939.
911. D
912. D

913. C
914. A
915. C E C E
916. E C E E
917.a) No intestino, pois [OH-] > [H+]. Dessa forma os
íons OH- consomem os íons H+ deslocando o equilíbrio no 940.
sentido da ionização do ácido fosfórico.
H3PO4  3H+ + PO43-

A concentração do íon fosfato é grande e precipita o Ca 2+


na forma de Ca3(PO4)2. 941. C E C
b) 3Ca2+ + 2PO43- Ca3(PO4)2 942. C
918. a) pH = 8 ∴ [H+] = 10-8mol/L e 943. A
[OH-] = 10-6 mol/L. Assim, [H+] < [OH-]. 944. C
b) 100 vezes. 945. 1-buteno

www.alcidesquimica.com.br 168
Alcides Ribeiro – Curso Especial de Química
946. C
947. C

948.

968.

949. 2-metil-2-hexeno

950.
969. E E C C E

970. a) CH3 — CH = CH2 + H2SO4 


 CH3 — CH(OSO3H) —CH3
CH3 — CH(OSO3H) — CH3 
Os produtos são etanal, água e óxido de zinco,
 CH3 — CH(OH) — CH3 + H2SO4
respectivamente. b) 2-propanol

951. Metanal e propanona 971. a) Em 100 L de gás de nafta encontramos 45 L de H2,


952. 35 g 30 L de CH4, 20 L CO2 e 5 L de CO. A combustão total
953. D desses 100 L consome 85 L de gás oxigênio; veja
954. C
955. CEEC
956. a) 3; b)2

957. 2-metil-2-buteno

958. V
A segunda equação nos mostra que para queimar 100 L
959. de gás natural (100% metano) seriam necessários 200 L
de gás oxigênio. Sendo assim, se os queimadores dos
fogões não forem trocados não haverá fluxo de gás
oxigênio para promover a combustão completa,
produzindo chama fuliginosas.
960. E b) Diminui o seu poder calórico, pois o gás carbônico não
961. E C C E
é combustível.
962. C
c) O gás de nafta, pois contêm um gás muito tóxico, o
963. a) 1-butanol produzirá o butanal e o 2-
monóxido de carbono.
butanol produzirá a butanona.

b) 1-butanol = CH3 — CH2 — CH2 — CH2 — OH


2-butanol = CH3 — CH2 — CH2 (OH) — CH3
butanal = CH3 — CH2 — CH2 — CHO
butanona = CH3 — CH2 — CO — CH3

964. a) butanal = CH3 — CH2 — CH2 — CHO


b) 1-buteno = CH3 — CH2 — CH = CH2 e
2-buteno = CH3 — CH = CH — CH3

965. Hidrogênio (H2); reação de adição.


Ni
Óleo vegetal + H2 → margarina (gordura sólida)
966. a) Ácido clorídrico (HCl)
b) A solução de bromo é consumida em presença
de DDE, sendo, portanto, descorada (reação de adição). Já
o DDT não sofre adição, assim a coloração castanha da
solução permanece.

967.

169 www.alcidesquimica.com.br
Alcides Ribeiro – Curso Especial de química

www.alcidesquimica.com.br 170