Anda di halaman 1dari 6

POBREZA E FOME Página 1

EM CADA 3,5 SEGUNDOS MORRE UM


SER HUMANO NO MUNDO!!

O que é a fome? - pg 2
Causas da fome - pg 3
Malária - pq 4
Doenças do 3º Mundo - pg 5
Bibliografia - pg 6

Trabalho realizado por:


Jéssica Luz 8ºC
Flávia Pereira 8ºC
Página 2 POBREZA E FOME

O que é a fome?
A fome é a escassez de alimentos que, afecta uma grande extensão de um território e
um grave número de pessoas.

No mundo:
Cerca de 100 milhões de pessoas estão sem tecto;
1 Bilhões são analfabetos;
1,1 Bilhão de pessoas vivem na pobreza, destas, 630 milhões são extremamente pobres,
com renda anual bem menor que 208.903069 Euros.
1,5 Bilhão de pessoas sem água portável;
1 Bilhão de pessoas passam fome;
150 Milhões de crianças morrem com menos de 5 anos por Falta de comida ou água.
12,9 Milhões de crianças morrem a cada ano .

Causas da fome em África


Causas naturais: Causas humanas :
Clima; Instabilidade política;
Seca; Ineficácia e má administração dos recursos naturais;
Inundações; A guerra;
Terramotos; Os conflitos civis;
As pragas de insectos O difícil acesso aos meios de produção pelos trabalhadores
e as enfermidades
rurais, e pela população em geral;
As invasões;
das plantas. Deficiente planificação agrícola;
A destruição deliberada das colheitas;
A relação entre a dívida externa do Terceiro Mundo e a dete-
rioração cada vez mais elevada do seu nível alimentar;
A relação entre cultura e alimentação.
POBREZA E FOME Página 3

Causas da fome

Fome Causas da fome crónica e


infantil desnutrição
Cerca de 5 a 20 Pobreza;
milhões de pessoas Distribuição ineficiente dos alimentos;
morrem por ano por Crescimento desproporcional da popula-
causa da fome. Mui- ção em relação à capacidade de sustenta-
tas dessas pessoas ção.
são crianças.

Consequências da fome

As consequências da fome são a perda de peso nos adultos e o


aparecimento de problemas no desenvolvimento das crianças. A
desnutrição, principalmente devido a falta de alimentos ener-
géticos e proteínas, isso faz com que a população fiquem afec-
tada e faz crescer a taxa de mortalidade, causada pela fome e,
também, pela perda da capacidade de combater as infecções.

Classe dominante

Alterar essa situação significa alterar a


vida da sociedade, o que pode não ser
desejável, pois iria contrariar os interes-
ses e os privilégios em que se assentam
os grupos dominantes. É mais cómodo e
mais seguro responsabilizar o crescimen-
to populacional, a preguiça do pobre ou
ainda as adversidades do meio natural
como causas da miséria e da fome no
Terceiro Mundo.
Página 4 POBREZA E FOME

Malária
Definição da doença
Doença mortal, fígado e segui- sangue ou até
causada por um damente à cor- mesmo partilha
parasita Esta rente sanguínea de seringas infec-
doença é trans- aniquilando os tadas com o
mitida aos glóbulos verme- Parasita.
humanos, por lhos tornando as
meio de uma pessoas anémi-
picada de mos- cas. Outras for-
quitos que injec- mas de transmis-
tam o parasita são da doença,
que se dirige será por meio de
directamente ao transfusões de
Sintomas
em fases Transmissão
graves da
A malária é trans- urbanas. A trans- necessário para
doença: mitida através de missão da malá- o seu desenvolvi-
Insuficiência uma picada de ria pode dividir- mento ovular.
renal; um mosquito se em: Este é portador.
infectado, que Que com o pas-
Ataques Transmissão sar do tempo
suga o sangue
epilépticos; necessário para natural : desenvolve-se
Confusão o seu desenvolvi- É aquela em que nas glândulas
mental. mento ovular. A o Parasita é salivares que ao
transmissão introduzido no desenvolver já
mais comum é organismo huma- injectada no
no interior das no por meio da organismo huma-
habitações, em picada fica infec- no.
áreas rurais e tada, e suga o
nas periferias sangue humano

Sintomas
Febre alta (40º); Náuseas e vómi- olhos);
Suores abundan- tos; Cansaço;
tes; Anemia; Dores abdomi-
Calafrios; Icterícia nais e corporais;
Dores de cabeça; (coloração ama- Diarreia;
Falta de apetite; rela na pele e
POBREZA E FOME Página 5

Doenças do 3º Mundo
A malária envol- mentos. Os tipos maioritariamen-
ve 4 tipos, que são o Plasma- te em África.
diferem entre si, riam vivas, Plas-
na incidência do mariam Ovale,
parasita a nível Plasmariam
do organismo do malharia e Plas-
ser humano, na mariam falcipa-
rapidez do para- rum, sendo este
sita alastrar a ultimo o mais
doença e na fatal e preocu-
resistência ofere- pante, pois existe
cida aos trata-

Prevenção
Insecticidas Roupa a cobrir o Evitar a perma-
potentes e tóxi- corpo, evitando nência em ar
cos; assim a picada livre nos horários
Uso de redes pois o mosquito mais nocturnos.
mosquiteiras . não tende a
Uso de Telas nas picar mãos e
janelas e nas cara;
portas; Drenagem de
Cremes repelen- pântanos e
tes (DEET); águas paradas;

A vacina da malária não existe embora


por vezes possa ser confundida pela
vacina contra a febre-amarela. Outras
medidas de prevenção envolvem o
impedir do desenvolvimento das espé-
cies. Os medicamentos que evitam a
multiplicação do Parasita. Alguns des-
tes anti-maláricos já se mostraram ine-
ficazes frentes à resistência adquirida
pelo protozoário.
Página 6 POBREZA E FOME

Tratamento
Os diferentes tipos de malária são curados de diferentes formas. Os medi-
camentos anti-maláricos baseiam-se principalmente em Mefloquina ou Clo-
roquina. Ambos estes medicamentos são feitos com base na quinina. O
primeiro medicamento tem limitações, nomeadamente no que diz respeito à
administração a crianças, sendo mesmo contra indicado visto alterar a
condução cardíaca e mesmo ataques epilépticos. A Cloroquina não deve
mais ser usada, visto o parasita já oferece resistência a este remédio. A
mistura destes dois remédios também é utilizada pois os parasitas apenas
oferecem resistência a cada um dos remédios. Ultimamente a china tem
uma planta chinesa, que tem dado resultados importantes, pois a planta
produz ferro existente nas hemácias, destruindo o parasita. No entanto o
inconveniente desta planta é a sua existência em pequenas quantidades,
mas poderá desenvolver-se em África a baixos custos. Este remédio é o
único ao qual o parasita actualmente não oferece resistência. Em suma o
tratamento farmacológico da malária baseia-se na susceptibilidade do para-
sita as substâncias oxidantes, morrendo milhares de pessoas por causa do
Parasita.

Doenças
mais
comuns em
África:
Lepra
Malária
Tuberculose
Ect.

Bibliografia:
http://doencasemafrica.wetpaint.com/page/Tuberculose
http://pobrezafrica.no.sapo.pt/primeirapagina.htm