Anda di halaman 1dari 6

1

Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo
Departamento de Engenharia de Estruturas
Alvenaria Estrutural
Dimensionamento ao
Cisalhamento
Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo
Departamento de Engenharia de Estruturas
Cisalhamento
Normalmente ocorre em conjunto com a solicitação por
momento fletor.
Elementos mais comuns: vigas e paredes de contraventamento
Tensão atuante:
NBR 10837
Texto da NBR 10837 : confuso e de difícil entendimento
2
Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo
Departamento de Engenharia de Estruturas
- Calcular a tensão atuante
- Comparar t
alv
com os limites fornecidos
Dimensionamento de elementos não-armados
Elementos não-armados
Elementos armados
A
V
alv
= t
d b
V
alv
= t
Seção T, I ou L : desprezam-se as abas
Proposta simplificadora:
Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo
Departamento de Engenharia de Estruturas
- Calcular a tensão atuante
- Comparar t
alv
com os limites fornecidos
Dimensionamento de elementos armados
Tensões admissíveis para alvenaria não armada ( NBR 10837 )

Tensão admissível (MPa)
Tipo de solicitação
12,0 s fa s 17,0 5,0 s fa s 12,0
Parede 0,20 fp R ou 0,286 fpar R 0,20 fp R ou 0,286 fpar R Compres-
são
Simples
Pilar 0,18 fp R 0,18 fp R
Compressão na flexão 0,30 fp 0,30 fp
Normal à
fiada
0,15 (bloco vazado)
0,25 (bloco maciço)
0,10 (bloco vazado)
0,15 (bloco maciço)
T
e
n
s
õ
e
s

n
o
r
m
a
i
s

Tração na
flexão
Paralela
à fiada
0,30 (bloco vazado)
0,55 (bloco maciço)
0,20 (bloco vazado)
0,40 (bloco maciço)
Cisalhamento 0,25 0,15

3
Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo
Departamento de Engenharia de Estruturas
Tipo de solicitação Tensão admissível (MPa)
Valor máximo
(MPa)
Parede 0,225 f
p
R
Compressão
simples
Pilar (0,20 f
p
+ 0,30 µ f
s,c
) R
0,33 f
p
s 6,2
Compressão na flexão 0,33 f
p
6,2
T
e
n
s
õ
e
s

n
o
r
m
a
i
s

Tração na flexão - -
Vigas
0,09
p
f
0,35
Se
M
V d ·
> 1
0,07
p
f
0,25
Peças fletidas
sem armadura
P
i
l
a
r
e
s

p
a
r
e
d
e

Se
M
V d ·
< 1
0,17
p
f
0,35
Vigas
0,25
p
f
1,00
Se
M
V d ·
> 1
0,12
p
f
0,50
C
i
s
a
l
h
a
m
e
n
t
o

Peças fletidas
com armadura
para todas as
tensões de
cisalhamento
P
i
l
a
r
e
s

p
a
r
e
d
e

Se
M
V d ·
< 1
0,17
p
f
0,80
Tensões admissíveis para alvenaria armada (NBR 10837)
Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo
Departamento de Engenharia de Estruturas
Para bielas comprimidas inclinadas de 45
o
e estribos a 90
o
d f
s V
A
t , s
, sw
=
o
na qual :
V : força cortante
s : espaçamento ( obs. modulação)
f
s,t
: tensão admissível de tração da armadura
d : altura útil
4
Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo
Departamento de Engenharia de Estruturas
Espaçamento mínimo para armaduras transversais (NBR 10837) :
fissura
max
s = d/2 ou 30 cm
estribo
potencial
d
Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo
Departamento de Engenharia de Estruturas
Exemplos (NBR 10837)
Verificar a necessidade de armadura transversal em uma viga de
seção 19 cm x 40 cm.
Dados: V
max
= 10 kN, f
p
= 4 MPa, d=33cm

MPa 16 , 0 cm / kN 016 , 0
33 19
10
bd
V
2
alv
= =
×
= = t

MPa 35 , 0 MPa 18 , 0 f 09 , 0 f
p 1 cis
s = =
Como t < f
cis1
, não há necessidade de armaduras de cisalhamento.
Solução:
5
Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo
Departamento de Engenharia de Estruturas
Dados: f
p
= 9,0 MPa = 0,90 kN/cm
2
f
s
= 165 MPa = 16,5 kN/cm
2
Dimensionar as armaduras transversais para a viga esquematizada
na figura a seguir.
Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo
Departamento de Engenharia de Estruturas
MPa 52 , 0 cm / kN 052 , 0
55 14
40
bd
V
2
alv
= =
×
= = t
MPa 00 , 1 MPa 75 , 0 f 25 , 0 f
p 2 cis
s = =
Como f
cis1
< t
alv
< f
cis2
→armadura de cisalhamento
Solução:
MPa 35 , 0 MPa 27 , 0 f 09 , 0 f
p 1 cis
s = =
kN 79 , 20 55 14 027 , 0 bd f V
1 cis 1
= × × = =
kN 75 , 57 55 14 075 , 0 bd f V
2 cis 2
= × × = =
Máximo sem armadura
Máximo com armadura
6
Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo
Departamento de Engenharia de Estruturas
Determinação dos estribos:
•supondo-se bloco 14 x 40 e estribo em todos os furos (s=20cm)
•observe-se que s=20 < d/2 ( limite a ser respeitado)
furo por cm 88 , 0
55 5 , 16
20 40
d f
s V
A
2
t , s
, sw
=
×
×
= =
o
Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo
Departamento de Engenharia de Estruturas
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
PAREDE PY 13
At =. 1277E+01 Aa=. 8890E+00 I =. 6843E+01 Ymax= 3. 381 Ymi n= 2. 969
Esf or cos Tensoes Nor mai s Composi coes Pr i sma/ Par Tens
NI V N V M PP Var Ven ( 1) ( 2) ( 3) Fp1 Fp2 Ci s
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
15 - 316. 27. 75. - . 2 - . 0 . 0 - . 2 - . 3 - . 2 1. 4 1. 1 . 031
14 - 569. 44. 196. - . 4 - . 1 . 1 - . 4 - . 5 - . 3 2. 5 2. 1 . 050
13 - 825. 62. 365. - . 5 - . 1 . 2 - . 6 - . 8 - . 4 3. 7 3. 2 . 069
12 - 1083. 86. 602. - . 7 - . 1 . 3 - . 8 - 1. 1 - . 4 4. 8 4. 3 . 097
11 - 1340. 103. 885. - . 9 - . 2 . 4 - 1. 0 - 1. 5 - . 4 5. 9 5. 6 . 116
10 - 1598. 119. 1212. - 1. 0 - . 2 . 6 - 1. 3 - 1. 9 - . 4 7. 1 6. 8 . 134
9 - 1856. 143. 1603. - 1. 2 - . 3 . 8 - 1. 5 - 2. 2 - . 4 8. 2 8. 2 . 161
8 - 2114. 154. 2026. - 1. 4 - . 3 1. 0 - 1. 7 - 2. 7 - . 4 9. 4 9. 5 . 173
7 - 2371. 156. 2455. - 1. 5 - . 3 1. 2 - 1. 9 - 3. 1 - . 3 10. 5 10. 9 . 176
6 - 2636. 52. 2596. - 1. 7 - . 4 1. 3 - 2. 1 - 3. 3 - . 4 11. 7 12. 0 . 058
5 - 2903. 98. 2864. - 1. 9 - . 4 1. 4 - 2. 3 - 3. 7 - . 5 12. 9 13. 2 . 110
4 - 3171. 130. 3221. - 2. 0 - . 4 1. 6 - 2. 5 - 4. 1 - . 5 14. 1 14. 5 . 147
3 - 3438. 156. 3649. - 2. 2 - . 5 1. 8 - 2. 7 - 4. 5 - . 4 15. 2 15. 9 . 176
2 - 3706. 166. 4105. - 2. 4 - . 5 2. 0 - 2. 9 - 4. 9 - . 4 16. 4 17. 4 . 187
1 - 3974. 155. 4531. - 2. 6 - . 5 2. 2 - 3. 1 - 5. 4 - . 3 17. 6 18. 8 . 175
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Verificar o cisalhamento em uma parede de contraventamento não-
armada de 14 x 635 cm.