Anda di halaman 1dari 4

O comum e o extraordinário.

"Osho, por favor, ajude-me a ser feliz, a ser comum.


Eu descobri que todas as minhas preocupações, conflitos e tormentos, têm a ver com esse desejo de ser especial
e nada mais.

"Sudha, é impossível ajudá-la, porque você não é comum - ninguém o é, ninguém pode
ser.Todo mundo é único e extraordinário. O problema surge quando você começa a tentar ser aquilo
que você já é. Aí você fracassa. Se você fosse comum, não haveria nenhuma dificuldade em
alcançar o extraordinário. Haveria toda possibilidade. Mas, o peixe está no oceano e ele está
tentando estar no oceano. O fracasso será total, ele está condenado a fracassar.
Como você pode ser comum? Toda essa existência é extraordinária. Cada grão de areia numa
praia é extraordinário, cada folhinha de grama é extraordinária. E eu não estou falando apenas de
lótus e rosas - naturalmente, elas também são extraordinárias - mas uma flor comum de um capim
não é comum. Tudo o que existe é divino, como pode ser comum?
Não tente ser comum, caso contrário você vai fracassar e você irá criar miséria para si
mesma. Eu mesmo não posso ajudar, eu não posso ir contra o Tao, contra a lei fundamental da vida.
Deus só cria o extraordinário. Toda essa existência é especial. Essas gotas de chuva, essa manhã,
as pessoas ao seu redor - este momento é extraordinário, ele não pode ser repetido novamente,
não, nunca, nem mesmo em toda a eternidade ele poderá ser repetido novamente. Você nunca
encontrará essas gotas de chuva caindo novamente, esse som, essa manhã, essas pessoas. Toda
essa situação é extraordinária. Ela só acontece uma vez.
Em todo o mundo você não encontrará uma outra Sudha. Você pode seguir procurando, e não
apenas neste momento presente, mesmo no passado ou no futuro, e nenhuma Sudha jamais será
repetida. É assim que nós somos. E se você começar a tentar ser extraordinária, você estará em
dificuldades.
Aceite a si mesma como você é, e aceite o todo como ele é - se você puder compreender que
tudo é extraordinário - então você terá se tornado comum.
Sudha, não é que você queira ser extraordinária, você quer ser especial comparada com as
outras pessoas. Isso também é absurdo, nenhuma comparação é possível. Como você pode ser
comparada com outro alguém? Ninguém é como você. Você não compara um cachorro com um
papagaio, ou compara? Não há qualquer similaridade, não há qualquer semelhança, como você
pode comparar um cachorro com um papagaio? Ou uma árvore com um homem? Ou uma pedra
com um rio? Na verdade, dois indivíduos não são iguais, por isso eles são incomparáveis. Você é
você e o outro é o outro.
Compreender isso é ser ambos: comum e extraordinário. Extraordinário no sentido de que a
existência somente cria pessoas únicas, e comum no sentido de que todo mundo é extraordinário.
Não há nada extraordinário em ser extraordinário, todo mundo é. A comparação desaparece e
quando não há comparação, não existe possibilidade de ego.
Você me pede: por favor, ajude-me a ser feliz... Eu só posso ajudá-la a não ser miserável. Eu
não posso ajudar você a ser feliz. Mas se você não for miserável, você será feliz. Mas nenhum
caminho direto é possível para fazê-la feliz. Se isso fosse possível, eu já teria feito você feliz há
muito tempo atrás. Eu não sou miserável, eu já teria dado isso a você se fosse possível. Mas não há
qualquer possibilidade.
A felicidade não é algo que possa acontecer com você a partir de fora. Uma vez que você pare
de ser miserável, a felicidade acontece, a felicidade brota dentro do seu ser. Ela simplesmente
cresce a partir de você, você começa a florescer e os obstáculos são removidos.
E esse parece ser o seu maior obstáculo: você quer ser extraordinária. Eu lhe declaro: Sudha,
você é extraordinária. Mas lembre-se de que todo mundo também é. Por isso, agora não há
necessidade de se preocupar. Eu lhe garanto, você não precisa provar isso. Deixe que esse
obstáculo desapareça. Aceite a sua qualidade de ser extraordinária, curta isso, celebre isso. Walt
Whitman diz 'Eu celebro a mim mesmo, eu canto a mim mesmo...' Celebre e cante. Você é
extraordinária. Deus não fez outra pessoa como você e nunca fará outra pessoa como você.
Somente por uma vez Deus existe como você, em você, nessa forma. Essa forma não se repete.
Então, o que está faltando? Toda a sua miséria está surgindo porque você está tentando se
tornar extraordinária. E essa já é a qualidade do seu ser. Tornar-se, não se aplica neste caso. E
então, de repente, você verá... Se você puder ver o ponto... Não pense a respeito disso,
simplesmente veja o ponto - ele é tão cristalino - e um grande fardo sobre o seu peito irá
desaparecer. Assim, você é extraordinária! Respire fundo, relaxe e, de repente, a felicidade está ali.
Felicidade não é alguma coisa que tenhamos que fazer ou produzir por ela. Ela é natural, ela
é espontânea. Eu posso ajudá-la a não estar na miséria. A miséria é criação sua, enquanto a
felicidade é criação de Deus. Miséria é um presente que você tem dado a si mesma, enquanto
felicidade é um presente que Deus tem lhe dado. Mas você se agarra à miséria e quando você se
agarra, você a alimenta com esse agarrar.Abandone isso. Comece a dançar e cantar e celebrar.
Ponha um fim nisso agora. E não diga 'amanhã', porque o amanhã nunca vem. E não diga 'eu vou
pensar mais sobre isso'. Pensar não vai ajudar. Isso é um fato simples. Ou você compreendeu ou
você perdeu o ponto.
Deixe-me repetir de novo: todo mundo é extraordinário, assim, ninguém precisa tentar. Não
sofra com essa inferioridade desnecessária. E se sofrer com isso, você poderá seguir sofrendo anos
e anos, e você continuará criando, e você continuará encontrando novas maneiras e meios. Alguém
tem um nariz mais comprido que o seu, aí você se sentirá inferior. Alguém tem o cabelo louro, aí
você se sentirá inferior. Alguém tem aqueles belos olhos, aí você se sentirá inferior. Alguém é mais
inteligente, aí você se sentirá inferior. Alguém é um pouco mais alto, aí você se sentirá inferior. Se
você continuar procurando e buscando miséria, ela estará disponível. Você pode encontrá-la em
qualquer pessoa com quem você cruze, você encontrará uma coisa ou outra que está faltando em
você. Mas é essa sua maneira de ver as coisas que cria a miséria.
Esqueça todo mundo e simplesmente olhe dentro de você, as dádivas que Deus tem lhe dado.
E a gratidão irá surgir. Na verdade não existe razão alguma, nenhuma razão para essa existência
existir, nenhuma razão para essa chuva, para essa manhã, para essa melodia, para essa bela
canção que as nuvens estão cantando ao seu redor. Se essas coisas não estivessem aí, nós não
poderíamos reclamar. Se essas coisas não estivessem aí, nós não poderíamos solicitar que elas
estivessem. Essas coisas simplesmente estão aí, sem a nossa solicitação. Elas estão aí. Nós nem
mesmo temos que bater na porta, e a porta está aberta. E milhões de dádivas estão sendo
derramadas sobre você, simplesmente olhe para essas dádivas e você se surpreenderá. Você se
surpreenderá ao ver como você tem perdido essas coisas. Só a alegria de respirar é suficiente para
estar agradecido, só a alegria de encontrar um amigo é suficiente para estar agradecido, só a alegria
de se sentar em silêncio, sem nada fazer... A alegria de uma manhã ou de um entardecer, a alegria
de uma noite... Simplesmente siga procurando por essas alegrias e você as encontrará.
Você só encontra aquilo que você procura.
Você tem estado procurando por miséria, daí você ter criado misérias. Hoje está chovendo e
amanhã não estará chovendo, então amanhã você poderá se sentir miserável. Você dirá: 'porque
não está chovendo hoje?' E quando estava chovendo, você não estava agradecido.
Comece a se sentir agradecido. A felicidade estará cada vez mais próxima, quanto mais você
se tornar agradecido. A gratidão funciona como um magnetismo. A mente reclamante repele a
felicidade, ela fecha as portas. Tudo depende de você. Eu posso mostrar para você o caminho, mas
é você que terá que caminhar nele. Buda disse 'os budas podem apenas apontar o caminho, eles
não podem caminhar por você. Você terá que caminhar. Eu estou mostrando a você o caminho, mas
você se tornou muito esperta, eficiente em criar miséria para você mesma. Mude a direção de sua
energia, canalize-a em direção à alegria, à beleza... esse cuco cantando lá longe. E pouco a pouco
você verá tantas coisas que sempre estiveram ali, mas que você não as estava vendo. Seus olhos
estavam cheios de miséria, por isso você estava perdendo tudo isso. Seus olhos estavam
anuviados, eles estavam nebulosos, nevoentos. É por isso que você estava perdendo tudo isso.
E a pessoa pode perder por uma pontinha, a pessoa pode perder por um pequeno
pensamento. Um pequeno pensamento pode se tornar uma barreira e você pode perder toda a
beleza do vasto Himalaia. Você pode estar ali, observando os belos picos do Himalaia e o sol se
pondo sobre as neves do Himalaia espalhando um dourado por toda parte, e um pensamento vem à
sua mente e o Himalaia desaparece, o pensamento anuvia você. Você se lembra de alguma coisa:
no outro dia alguém havia insultado você e isso foi o bastante. Ou você começa a fazer planos para
o futuro: 'amanhã eu vou ter que partir' e, aí, o Himalaia desaparece. E o pensamento era tão
pequeno, e o Himalaia tão grande... Mas mesmo um pequeno pensamento pode impedir. O
pensamento está tão próximo de você e ele pode se colocar no meio. Uma simples partícula de pó
pode cair em seus olhos, e só uma pequena partícula, quase invisível, pode tornar você cego, e
você não consegue abrir os olhos e não pode ver o sol brilhando.
Sudha, faça apenas uma coisa: comece a abandonar esse conceito de inferioridade, esse
conceito de que você tem que ser extraordinária. Veja que mesmo essa sua pergunta contém isso.
Você assinou a pergunta assim: ...uma buda comum, Sudha. Mesmo ali, o ego está reivindicando
que 'eu não sou algum buda comum. Eu sou um buda comum". Você consegue perceber? 'Os budas
são pessoas extraordinárias. Eu não sou como eles. Eu sou um buda comum.' Isso é reivindicar ser
extraordinário.
Ajude-me a ser comum.
Você quer ser extraordinariamente comum. O ego pode continuar jogando, jogos sutis. Você
terá que olhar completamente, do início ao fim. Simplesmente lembre-se de duas coisas: uma, que
você já é aquilo que quer ser, então não há necessidade de fazer qualquer coisa para isso. Você
pode chamar isso de comum ou pode chamar de extraordinário, não faz qualquer diferença. Você já
é isso e você não conseguirá ser nada além disso. Como você chama isso, não importa. Se você
está amando a palavra 'comum' então todo mundo é comum. Se você estiver amando a palavra
'extraordinário' então todo mundo é extraordinário. Lembre-se de mais uma coisa: o que quer que
seja que você esteja reivindicando para você, você terá que reivindicar para o todo.E esse é o
problema, você gostaria de ser especial, não ser como todo mundo.
Aconteceu...
Existe uma bela parábola...
Um homem adorava Deus por muito anos e sempre ele pedia 'satisfaça apenas um de meus
desejos.' Deus já devia estar cansado, aborrecido. Um dia ele apareceu e lhe disse 'OK, você não
me deixa em paz. De manhã, de noite, você segue batendo na mesma tecla 'satisfaça um de meus
desejos'. 'OK, eu estou aqui, qual é o seu desejo?'
E o homem disse: 'o que quer que eu peça, deverá imediatamente ser dado a mim, esse é o
meu desejo.' O homem era muito esperto! Deus, em sua inocência, deve ter pensado que ele iria
pedir uma só coisa, mas ele pediu tudo. Ele disse que só tinha um pedido e que era "o que quer que
eu peça deverá ser dado imediatamente a mim.' Mas você não pode derrotar Deus, porque a
esperteza nunca derrota a inocência. Deus disse 'perfeitamente certo, será como você pede, mas
lembre-se de uma coisa: o que quer que você pedir, ao seu vizinho será dado em dobro.'
Agora o homem estava acabado. Meses se passaram e Deus retornava sucessivas vezes.
'Você nada pede...?' Ele parou de rezar e Deus continuava retornar várias vezes, de manhã, de
tarde e ele dizia 'O que? Você ainda não pediu?' E o homem ficou muito cheio de Deus. Ele pensou
e pensou, mas qualquer coisa que ele tivesse, os vizinhos teriam em dobro. 'Isso não terá fim'. Ele
sempre quis ter um belo palácio, "mas qual é o sentido agora? Os vizinhos terão grandes palácios
em dobro.' Uma simples idéia estava esmagando ele, estava matando ele. Ele perdeu toda a alegria
de viver. Agora não havia qualquer possibilidade de um dia ser feliz, e esse Deus voltava de manhã
e de tarde para torturá-lo. Assim, um dia ele disse: 'OK, me dê um belo palácio
dourado.'Imediatamente a sua choupana se tornou um palácio dourado, e ele viu que toda a cidade
ficou cheia de palácios dourados - palácios maiores, palácios duplos, todos dourados - e o seu era o
mais pobre de todos.
Ele procurou então por um advogado, porque a quem você recorre quando algum problema
legal surge? O advogado lhe disse: 'não se preocupe.' E naturalmente Deus não poderia vencer um
advogado. O advogado lhe disse: 'você peça: faça agora um grande poço em frente à minha casa,
sem um muro.' Assim um grande poço apareceu diante de seu palácio e dois poços apareceram
diante dos palácios dos demais. O advogado disse: 'agora peça: faça com que um dos meus olhos
desapareça.' O homem disse: 'o que você está dizendo?' E o advogado disse: 'simplesmente
espere. Lei é lei.' Um de seus olhos desapareceu e ambos os olhos de seus vizinhos
desapareceram. Agora, toda a cidade ficou cega... e com dois poços diante de cada palácio
dourado... as pessoas começaram a cair nos poços e as pessoas começaram a morrer. E o homem
ficou muito feliz. Ele disse 'agora o meu desejo foi satisfeito'.
Assim, eu sei, Sudha, que você estará em dificuldades, pois eu declaro que você é
extraordinária, mas todo mundo, todos os seus vizinhos, inclusive o Pramod, são duplamente
extraordinários.
E, por favor, não procure por um advogado!"

OSHO - The Sun Rises in the Evening - discurso n. 8 - pergunta n. 1


(Tradução: Sw. Bodhi Champak)

Copyright © 2006 OSHO INTERNATIONAL FOUNDATION, Suiça.


Todos os direitos reservados.