Anda di halaman 1dari 10

ESGOTAMENTO SANITÁRIO

• 3750 a.C. galerias de esgoto: Nipur (India) / Babilônia


• 3100 a.C. manilhas cerâmicas
• Idade Média desleixo e desconhecimento de
microbiologia = grandes epidemias séc. XIII e XIV.
Pandemia peste bulbônica.
• Séc. XVIII e XIX crescimento cidades (Manchester
909% em 40 anos). Epidemias de cólera na Europa
(Inglaterra 1831 / 1848 = 75.000 visitas fatais).

Evolução da população mundial


ESGOTAMENTO SANITÁRIO

Inglaterra mais castigada com epidemias: berço da


Rev.Industrial, cidades sem infra-estrutura, rios de
curta extensão, desconhecimento de microbiologia e
suas relações com as doenças.
Inglaterra Séc.XIX - Pesquisas e medidas saneadoras
Ano Ocorrência
1822 1º levantamento condições sanitárias rio Tâmisa
1848 1ª leis de saneamento e saúde pública
1854 John Snow prova relação doençasXqualidade água
1857 Criado Conselho Proteção das Águas Rio Tâmisa
1865 1º experimentos microbiologia degradação lodos
1882 Início investigações sobre os fundamentos
biológicos processo de lodos ativados
1914 Ardern e Lockett apresentam o processo de lodos
ativados para tratamento de esgotos
Fonte: Metcalf e Eddy (1977)

França (1872): tanque séptico


EUA (1887): Estação Experimental em Massachusetts
ESGOTAMENTO SANITÁRIO
SISTEMA UNITÁRIO
Lançamento de esgoto nas galerias de águas pluviais:
Londres (1815), Hamburgo (1842), Paris (1880)

SISTEMA SEPARADOR ABSOLUTO


Construção de canalizações exclusivas para os
esgotos: concebido em 1879 e implantado pela 1ª vez
na cidade de Memphis no Tenessee/EUA
HISTÓRICO NO BRASIL
1857 Rio de Janeiro: Implantada a primeira rede de esgotos do país
1876 São Paulo: construida por ingleses a primeira rede de esgotos
1887 Constituida a Cia. Cantareira de Água e Esgotos de São Paulo
1897 Inaugurada a cidade de BH (já projetada com redes de água e esgoto)
1898 Realizado exame bacteriológico das águas do Rio Tietê
1907 Saturnino de Brito inicia obras de saneamento em Santos-SP
1911 Alerta sobre a crescente poluição do Rio Tietê a jusante da cidade de SP
1912 Introdução do sistema separador absoluto na cidade de SP
1923 Realizado 1º Congresso Brasileiro de Higiene
1938 Inaugurada a 1ª ETE em SP : ETE Ipiranga
Proposta a criação da O.M.S. Organização Mundial de Saúde por iniciativa do
1945
brasileiro Geraldo H. Paula Souza
1954 Criado o Departamento de Água e Esgotos da cidade de São Paulo DAE-SP
1958 Estabelecidos os padrões internacionais para água potável (OMS)
1963 Estabelecidos os padrões internacionais de potabilidade das águas (ABNT)
1968 Estabelecido o Plano Nacional de Saneamento (COMASP/FESP-CETESB)
1973 Criadas as Companhias Estaduais de Saneamento. SABESP/SANEPAR...
1986 Resolução CONAMA nº 001 - diretrizes para elaboração de EIA-RIMA no Brasil
Revisados os padrões de potabilidade das águas de abastecimento -
1990
Portaria nº 36 Min.Saúde
1991 Lançado o Programa de Despoluição do Rio Tietê. Implantação/Ampliação 5 ETEs
Revisados os padrões de potabilidade das águas de abastecimento -
2000
Portaria nº 1469 Min.Saúde
Entra em vigor a Portaria MS nº 518 Qualidade da água para consumo humano e
2004
seu padrão de potabilidade
2007 Sancionada a Lei nº 11.445 - Diretrizes Nacionais para o Saneamento Básico
ESGOTO
ORIGEM
Esgoto Doméstico
Resíduos líquidos industriais (Efluente)
Águas de Infiltração

COMPOSIÇÃO
99,9% líquido
0,1% material sólido

CARACTERIZAÇÃO
Parâmetros físicos: Temperatura, odor, cor e turbidez,
sólidos sedimentáveis, materiais solúveis.
Parâmetros químicos: pH, DBO, DQO, Nitrogênio (N),
Fósforo (P), dentre outros.
Parâmetros biológicos: A Escherichia coli é o parâmetro
indicador da presença de fezes humanas e animais em
águas. A poluição fecal possibilita a veiculação de vários
microorganismos patogênicos como vírus entéricos e
outros,bactérias enteropatogênicas, protozoários e vermes.

DESTINO Corpo Receptor


Cursos d’água, Lagos, Oceano, Solo

Oxigênio
Oxigênio

ESGOTO AUTODEPURAÇÃO POLUIÇÃO


(Matéria
orgânica)
Microorganismos Microorganismos
aeróbios aeróbios
ESGOTO

CONTRIBUIÇÕES INDEVIDAS

Vazões parasitárias
-subsolo (terreno);
-encaminhamento acidental ou clandestino de águas
pluviais (ligações de canalizações pluviais prediais à
rede de esgoto, interligações de galerias de águas
pluviais à rede de esgoto, tampões de poços de visitas
e outras aberturas, ligações abandonadas)

Infiltrações
-Juntas tubulações;
-Imperfeições nas paredes dos condutos;
-Poços de visitas (PVs) e EEE
Condições meio: nível lençol freático, material do solo,
permeabilidade.
ESGOTO

Inconvenientes nos corpos d’ água, causados pelo


lançamento de esgotos não tratados
SISTEMA DE
ESGOTAMENTO SANITÁRIO

 CONDUTOS
 ÓRGÃOS ACESSÓRIOS
 ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS
 ESTAÇÕES DE TRATAMENTO
BACIAS DE
ESGOTAMENTO SANITÁRIO

SUB-BACIA 8 4

1 3
2 ETE SOROCABA 2 5 5
4 EE CAJURU
3

6' 6
ESTAÇÃO ELEV. 2
EEF PIRELLI
4'
3 23 7
7.a EEE CAJURU
SUB-BACIA 14 1 C=51,07 1/s (2ºET)

21 3'
22 7.b 2'
25
24 2.s SUB-BACIA 16
ETE PITICO 2
ETE ITANGUÁ 20
4 1'
ITAVUVÚ
1.s
23 7.c ETE APARECIDINHA
20 1
C=40,97 1/s (2ºET)
SUB-BACIA 13
32
17 SUB-BACIA 12
ETE SÃO BENTO 19
(EXISTENTE) 2.a''
16
19 7.d 1.a" 5.a'
31 22
EE APARECIDINHA 2
4 4.a'
3 PITICO
15
21 EE APARECIDINHA 1
SUB- PINHEIROS 3.a'
18 4.a
4
20 BACIA 11
12 18 2.a'
2 14 3.a
2 5
11 2.a
30 FORMOSA 19 4

1 13 ESTAÇÃO ELEVAT. SAAE 1.a


3
EESD IBITI DO PAÇO 1.a'
SÃO BENTO 4 18 3 2

10 9 17 PARQUE NATURAL
8 1
1
29 8
SUB-BACIA 9
1
5
7 SUB-
9 ESTAÇÃO ELEVAT. BAHIA
6 BACIA 10 EEFD
28
6 11 16 17
PRESÍDIO 10 2 ESTAÇÃO ELEVATÓRIA
5 PARQUE NATURAL
ETE SOROCABA 1
EEE BRIGADEIRO TOBIAS
9 14 C=67 1/s (2ºET)
8 15
7
11 7 6 16
4 4 12 7"
19 5 10 LEOCÁDIA
15 14 13 10.b
13
3 9.b
18 27
ESTAÇÃO ELEVAT. SUB-BACIA 7 6"
26 3 EEFE
SUB-BACIA 8
2 5"
SUB-BACIA 6
2 MATADOURO 9 12 8.b
25 1
8
10 11
24 7 7.b
1 3
2
1 2
23 STA. ROSÁLIA
ITANGUÁ 3 5 11
4 6 15
1 16 5.b
22 10 9 8
17 1 10 4"
21 TICO-TICO 14 13 7
9 13 CIC 9 8
1 2 10 6
7 12 3"
14 6 2"
3 4
20
2 3 SUPIRIRI 9 11 5 4.b
15 8 9 6.b
15 5 6 4 3
7 8 1"
17
8 7
4 12 16 6 5 3.b
7 SUB-BACIA 4 3 2
13 11
16 7 9 10
5 1
DRURY´S
1
7
6 2.b
LIGHT 2 4
12 4 8 2
1 PIRATININGA
15 4
2
3 4
6 5 1.b
RODOVIÁRIA 1
14
10 6
SUB-BACIA 3
8 3
16 4
15 5
17 18 2
11 4
SUB-BACIA A 3 13 LAVAPÉS
5 3
9 11 10
7 6 4 1
5 BARCELONA
3 3 9 2
4 2

3 2 7 1
2 8 6
2 12
5 SUB-BACIA 2
ÁGUA-VERMELHA
SUB-BACIA 1
1
1

1
1