Anda di halaman 1dari 3

ES3DS.CCTAE/3P. HSSTII.CEFECAAE.

3PP
PROF. RENATO COSTA

CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO
TESTE DE AVALIAÇÃO ESCRITA
FASE DE ITE5S ABERTOS
Ano 2/Tipo 2/Nível II/Curso de Educação e Formação de Empregado
Comercial
Tipo 3/Nível II/Curso de Educação e Formação de Acompanhante de Acção
Educativa

Critérios de Avaliação Escrita


Prova Escrita de Consulta da Disciplina de Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho II
Formação Sociocultural
Cidadania e Sociedade
Turmas 9º CEF EC/AAE
Momento de avaliação formativa de maior peso (em termos de %) na conjuntura do documento que
suporta os correspondentes critérios de avaliação
Maio de 2009/3º
9/3º Período | 2008/09 | Duração: 15 min | 1 página

PARA EFEITOS DE PO5DERAÇÃO DA CLASSIFICAÇÃO OBTIDA 5ESTA FASE EM CO5TEXTO DE


AVALIAÇÃO SUMATIVA, ESTE FORMA AVALIATIVA REPRESE5TA 25 % DO CAMPO DESTI5ADO
AOS TESTES DE AVALIAÇÃO ESCRITA.

CRITÉRIOS GERAIS DE CLASSIFICAÇÃO


As classificações a atribuir aos vários pares de competências da resposta são expressas em
números inteiros e resultam da aplicação dos critérios de classificação que a seguir se exploram para os
o
itens de resposta aberta.

− Itens de resposta aberta;

Os critérios de classificação dos itens de resposta aberta apresentam-se


apresentam se organizados por níveis de
desempenho. A cada par de níveis de desempenho, corresponde uma dada pontuação percentual (v. tab.
IV).
Se a resposta contiver informação contraditória em relação a qualquer um dos tópicos
considerados correctos que sustentam o domínio específico da disciplina, é invalidada a classificação
parcial do tópico em questão.
As respostas, desde que correctas, podem não apresentar exactamente os termos e/ou as
expressões constantes dos critérios específicos de classificação, desde que a linguagem usada em
alternativa seja adequada e rigorosa.
Nos itens de resposta aberta, as que apresentem pontos de vista diferentes dos mencionados
naqueles critérios, mas que sejam considerados cientificamente válidos e devidamente fundamentados,
fundamentados
devem também ser classificados. Nestes casos, os elementos cientificamente válidos devem ser
classificados seguindo os mesmos procedimentos previstos para os descritores apresentados.
A classificação a atribuir traduz a avaliação simultânea das competências no domínio
específico da disciplina (v. tab. II) e no domínio da comunicação escrita em língua portuguesa (v. tab.
III).

CCTAE4.pág1
ES3DS.CCTAE/3P. HSSTII.CEFECAAE.3PP
PROF. RENATO COSTA

Tabela II: descritores dos níveis de desempenho no domínio específico da disciplina

DESCRITORES
NÍVEIS DE
(Os tópicos relativos ao domínio específico da disciplina encontram-se discriminados nos
DESEMPENHO
critérios específicos de classificação)
3 A resposta contempla os três tópicos solicitados
2 A resposta contempla dois dos tópicos solicitados
1 A resposta contempla um dos tópicos solicitados
Se a resposta não atingir o primeiro nível deste domínio, a classificação é de 0 %, independentemente do nível de desempenho atingido na tab. III.

A avaliação das competências de comunicação escrita em língua portuguesa contribui para


valorizar a classificação atribuída ao desempenho no domínio científico-natural. Esta valorização é de 24 %
da cotação do item e faz-se de acordo com os níveis de desempenho a seguir descritos (v. tab. III):

Tabela III: descritores dos níveis de desempenho no domínio da comunicação escrita em língua portuguesa

NÍVEIS DE
DESCRITORES
DESEMPENHO
Composição bem estruturada:
− Utilização de terminologia científica adequada;
3 − Ausência de erros de sintaxe, de pontuação/ortografia;
− Ou com erros esporádicos, cuja gravidade não implique perda de inteligibilidade/rigor de
sentido.
Composição razoavelmente estruturada:
− Utilização ocasional de terminologia científica não adequada;
2
− E/Ou com alguns erros de sintaxe, de pontuação/ortografia, cuja gravidade não implique perda
de inteligibilidade/rigor de sentido.
Composição sem estruturação aparente:
− Utilização de terminologia científica não adequada;
1
− E/Ou presença de erros de sintaxe, de pontuação/ortografia, cuja gravidade implique perda
frequente de inteligibilidade/sentido.

Tabela IV: cruzamento dos níveis de desempenho nos dois domínios abordados nesta tipologia de itens com as respectivas
classificações percentuais/par de item.
NOTA: nesta tabela, demonstra-se o tratamento das classificações atribuídas aos itens de resposta aberta integrantes do
teste de avaliação

Níveis de desempenho no domínio da


comunicação escrita em língua
portuguesa ► 1 2 3
Níveis de desempenho no domínio
específico da disciplina ▼
3 19 22 25
2 10 13 16
1 1 4 7

CCTAE4.pág2
ES3DS.CCTAE/3P. HSSTII.CEFECAAE.3PP
PROF. RENATO COSTA

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE CLASSIFICAÇÃO

1. A resposta deve contemplar os seguintes três tópicos do domínio específico da disciplina:


− O stress é uma perturbação do trabalhador desencadeada por um desnível entre as exigências
requeridas pelo superior hierárquico e os recursos materiais e humanos (p. e., do próprio
indivíduo) disponíveis no ambiente de trabalho – especificamente, quando a primeira parte
prevalece sobre a segunda;
Ou
O stress influencia a prestação das dimensões biológica, social, cultural e psíquica do indivíduo.
O impacto resultante interfere na situação de equilíbrio do trabalhador enquanto humano, fazendo-o
accionar múltiplas estratégias para reintegrar o estado inicial em que se encontrava;

− O stress é susceptível de desencadear distúrbios psicossomáticos pelo tipo de reacção


provocada ao organismo – o indivíduo não consegue ser resiliente;

− O stress surge da interacção dos elementos que compõem, com as suas reservas conceptuais, a
tríade epidemiológica do Modelo da História Natural da Doença: o ambiente está associado ao
espaço físico e social do trabalho; o hospedeiro trata-se do próprio indivíduo; e o agente etiológico é
analogamente identificado como o stressor ou indutor de stress. Como é uma perturbação não
patológica, situa-se no período pré-patogénico daquele Modelo.

2. A resposta deve contemplar os seguintes três tópicos do domínio específico da disciplina:


− Na generalidade, a Ergonomia é vista como o estudo do Trabalho.
Em particular, a Ciência Ergonómica concebe instrumentos de avaliação das condições de
trabalho num determinado campo laboral com o intuito de as melhorar e adaptar ao Homem.
Desta forma, trabalha no ajustamento mútuo – as condições e os recursos humanos – ideal com
recurso a outras Ciências para materializar este exercício;

− A Ergonomia Antropométrica ou Gestual é o ramo ergonómico que se centra nas adaptações das
condições de trabalho directamente relacionadas com a própria figura humana, estudando os seus
gestos e posturas na realização da sua função profissional.
Esta ergonomia pretende fundir os materiais de trabalho e o Homem para que a tarefa seja
efectuada com o mínimo de consumo energético possível e o máximo desempenho. Assim, por
detrás da geração dos equipamentos profissionais, existe o estudo das medidas do corpo
humano e a engenharia da sua aplicação;

− A Ergonomia Antropométrica será uma ergonomia de concepção se for pró-activa, ou seja, se o


seu exercício ocorrer na fase de planeamento de um determinado espaço de trabalho;
Ou
A Ergonomia Antropométrica será uma ergonomia de correcção se for reactiva, ou seja, se a sua
acção de reacção se der numa situação já existente na qual serão identificados os pontos críticos
de controlo no âmbito de uma avaliação e se procederá a uma correcção dos problemas.

FIM

CCTAE4.pág3