Anda di halaman 1dari 5

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA


EEL5104 – Circuitos Elétricos para Controle e Automação

AULA 12
DIODOS SEMICONDUTORES E RETIFICADORES

1 INTRODUÇÃO
A conversão de corrente alternada em contínua é conhecida como retificação. Esta
conversão é feita utilizando-se diodos semicondutores, que permitem a passagem da corrente
elétrica apenas num sentido. Além disso, os diodos semicondutores são usados em uma
grande variedade de circuitos eletrônicos e possuem inúmeras aplicações. Os objetivos desta
aula são:
• Introduzir conceitos básicos sobre diodos;
• Apresentar os circuitos retificadores de meia onda e onda completa a diodos;
• Verificar como polarizar um LED.

2 DIODOS SEMICONDUTORES
Os diodos são componentes eletrônicos formados por materiais semicondutores,
principalmente de silício e germânio, que em determinadas condições de polarização,
possibilitam a circulação de corrente.
Externamente, os diodos possuem dois terminais: Anodo (A) e o Catodo (K). Na
figura 1 pode-se ver o símbolo do diodo semicondutor.

Figura 1 - Simbologia do diodo.

Geralmente possui formato cilíndrico, como mostra a figura 2. Próximo ao terminal do


catodo há uma faixa que o indica.

Figura 2 - Apresentação usual do componente.


Aula 12 - Diodos e Retificadores

O diodo é composto por duas camadas de material semicondutor que apresentam


características de dopagem (concentração) diferentes. Por isso, uma das camadas é chamada P
(positiva) e a outra é denominada N (negativa). A figura 3 representa as duas camadas e a sua
junção (união).

Figura 3 - Representação das camadas P e N do diodo.

O diodo é a aplicação mais simples da união PN (semicondutores) e tem propriedades


retificadoras, ou seja, só deixa passar a corrente em um certo sentido (Anodo-Catodo).
Quando a tensão anodo-catodo for positiva (Vak>0), o diodo fica polarizado
diretamente e entra em condução, permitindo a passagem de corrente. A diferença de
potencial na junção não é nula, sendo de aproximadamente 0,7 V para diodos de silício, e de
0,3 V para diodos de germânio.
O diodo irá bloquear quando a corrente que circula por ele cessar, ou se a tensão
anodo-catodo for negativa (Vak<0), se comportando como um circuito aberto.

Assim :
• Conduzindo : Vak > 0. Irá bloquear quando a corrente que o atravessa chegar
a zero.
• Bloqueado : Vak < 0. Não circula corrente.

Existem também os diodos emissores de luz, os famosos LEDs (Light Emitting


Diode), que são representados por um diodo normal, mais duas pequenas flechas para fora,
que indicam a emissão de luz. Normalmente identifica-se o catodo (K) do LED como sendo
aquele com o terminal mais curto dos dois. Os LEDs operam com nível de tensão de 1,6 a
3,3V dependendo do comprimento da onda emitida, e não suportam tensão reversa de valor
significativo, podendo-se danificá-los com apenas 5Vka. A potência necessária está na faixa
típica de 10 a 150 mW.
A luz emitida é monocromática, sendo a cor dependente do cristal e da impureza de
dopagem com que o componente é fabricado. O LED que utiliza o arsenieto de gálio emite
radiações infra-vermelhas. Dopando-se com fósforo, a emissão pode ser vermelha ou amarela,
de acordo com a concentração. Utilizando-se fosfeto de gálio com dopagem de nitrogênio, a
luz emitida pode ser verde ou amarela. Hoje em dia, com o uso de outros materiais, consegue-
se fabricar LEDs que emitem luz azul, violeta e até ultra-violeta.

Figura 4 – O LED e sua representação.

Circuitos Elétricos para Controle e Automação – 2008/2 2/5


Aula 12 - Diodos e Retificadores

3 PARTE EXPERIMENTAL
3.1 Retificador de Meia Onda
O circuito a ser montado em aula é mostrado na figura 5. Como fonte de entrada use o
gerador de sinais com uma onda senoidal de 10 Vpp sem offset (Vm≈0). Coloque a freqüência
em 40 Hz.

Figura 5 - Retificador de meia onda.

Para o circuito da figura 5 deverá ser medida a tensão de entrada e de saída, com o
osciloscópio, anotando os valores na tabela 1 e esboçando as formas de onda Vin e Vo
observadas. Ajuste a posição vertical do CH1 na metade superior da tela, e a de CH2 na
metade inferior, para mostrar melhor o efeito retificador.
Mude a referência a fim de medir a queda de tensão apenas no resistor. Calcule a
potência RMS dissipada pelo LED.

3.2 Retificador de Onda Completa


O próximo circuito é mostrado na figura 6. Use a mesma configuração do gerador de
sinais.

Figura 6 - Retificador de onda completa.

Para o circuito da figura 6, meça apenas a tensão de saída com um dos canais do
osciloscópio, pois a entrada e a saída possuem referências em pontos diferentes. Anote os
valores na tabela 2 e esboce a forma de onda na quadrícula.
Calcule a potência dissipada pelo LED e comente sobre o seu brilho.

3.3 Retificador de Onda Completa com Filtro Capacitivo


Complemente o circuito anterior com a adição de um capacitor em paralelo com o
resistor, como mostra a figura 7.

Circuitos Elétricos para Controle e Automação – 2008/2 3/5


Aula 12 - Diodos e Retificadores

Figura 7 - Retificador de onda completa com filtro capacitivo.

Para o circuito da figura 7, meça apenas a tensão de saída com um dos canais do
osciloscópio, pois a entrada e a saída continuam com referências diferentes. Anote os valores
na tabela 3 e esboce a forma de onda na quadrícula. Depois troque o capacitor de 47μF por
um de 15μF e observe as diferenças.

Circuitos Elétricos para Controle e Automação – 2008/2 4/5


Aula 12 - Diodos e Retificadores

4 FOLHA DE DADOS
Indique a referência dos canais (V=0).

Tabela 1 – Medidas para o retificador de meia onda.


Grandeza medida Entrada do circuito Saída do circuito
Tensão pico a pico
Tensão RMS
Tensão média

Tabela 2 – Medidas para o retificador de onda completa.


Grandeza medida Saída do circuito
Tensão pico a pico
Tensão RMS
Tensão média

Tabela 3 – Medidas para o retificador de onda completa com filtro capacitivo.


Grandeza medida 47μF 15μF
Tensão pico a pico
Tensão RMS
Tensão média

Circuitos Elétricos para Controle e Automação – 2008/2 5/5