Anda di halaman 1dari 7

atelier Coincidência ou talvez não, a formação do atelier em Beja, em Setembro de 2008, é consequente

das primeiras concretizações em obra por nossa própria intervenção e adjudicação dos projectos. Talvez não.
Os conhecimentos, profissionais e pessoais, dos anos de actividade em Coimbra e os
anteriormente adquiridos têm ajudado e os projectos estão chegando. Tudo muda. Tudo é compromisso. Procuramos dar uma
resposta pragmática mas inovadora aos problemas do quotidiano que se nos deparam.
É neste contexto que trabalhamos, o atelier _xel arquitectura, passando de uma partilha pontual
de projectos para uma colaboração mais frequente e profícua entre uma equipa multidisciplinar, constituída em consequência
dos projectos realizados nos oito anos anteriores.

“O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que
acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis."
[Fernando Pessoa]
filosofia pontuando

Reconhecer e reflectir sobre a mudança e sobre as suas implicações


permite-nos criticar e alterar não somente o mundo que nos rodeia
mas também os nossos próprios modelos mentais.
Permite-nos criar uma nova forma de viver.
A mudança e a nossa reacção à mudança são fundamentos da criatividade.

contextualizando

Nos tempos actuais a dinâmica profissional tem de ser fomentada de modo mais eficaz.
É necessário que nesta nossa nova fase e no desejo objectivo de sucesso,
aproveitemos os benefícios da abertura a outros mercados e outros serviços,
no assumir de riscos criativos e inovadores,
no sentido da exploração profissional numa escala mais alargada,
também para além do campo da arquitectura,
mas a ela sempre associado e por vezes dela dependente.
Esta mudança, já a ser implementada, creio, fará surgir oportunidades para novas iniciativas,
em especial no campo da Arquitectura
mas também nas áreas do design e das acções criativas.

Implementando

este nosso novo espírito é,


acima de tudo, uma atitude mental que engloba a motivação
e a capacidade para identificar novas oportunidades
e para as concretizar com o objectivo de produzir novos valores e novos resultados.
A criatividade e a inovação são necessárias para entrar e competir num mercado que já se conhece
e do qual se tem a noção das suas potencialidades.
Para transformar uma ideia profissional numa experiência de sucesso
é necessário possuir a capacidade de combinar a criatividade e a inovação com uma gestão rigorosa,
e de nos adaptarmos de modo a optimizar o nosso desenvolvimento
ao longo das futuras fases que se pretendem de evolução.
Isto ultrapassa a simples gestão quotidiana e prende-se com ambição e estratégia.
Esta nossa tomada de iniciativa, nova localização na cidade de Beja, novo espaço,
novas condições, novas valências, podem aumentar a produtividade,
na medida em que fazem subir a pressão competitiva,
que nos force a reagir mediante o melhoramento da eficácia e a introdução de inovações.
Uma maior eficácia e inovação na organização deste projecto profissional,
nos seus procedimentos, produtos e serviços, reforça a nossa força competitiva como um todo.
filosofia de A para B

Tem sido estimulante esta nova experiência apesar da sua ainda curta vida
e nos concede motivos para continuar a apostar.
E acreditar.
Mas com responsabilidade directa, ainda que pouco saboreada.
Até aqui, o que dava gozo era a crueza da coisa arquitectónica.
É que a 'coisa' não é nada fácil.
Tudo muda. Tudo é compromisso.
Compromissos. Parte da guerra interminável do projectar e criar. Compromisso do arquitecto consigo
mesmo. Com o mundo.
Com uma interminável lista de factores que ultrapassam muitas vezes a própria razão.

Projectar, deixa de ser apenas uma forma de produzir mundo,


[ou a nossa tentativa de o resolver], mas é também o meio pelo qual se poderá chegar à forma final
do objecto.
E o projecto não é apenas e só desenho. São muitas coisas.
Muitas mãos empunhando lápis, para não se saber bem para onde,
até à concretização, a acontecer, não sei quando, na obra concretizada.
Do projecto fazem parte as idiossincrasias dos intervenientes no processo
Entram no projecto as contingências pessoais, negociais, locais, culturais e económicas.
Talvez por isso deixemos por vezes de acreditar na pureza de uma folha de papel branco,
ou mais actual, na tela policromática de um computador, ou mais pessoal, o processo mental.
'Vamos fazer umas coisas'?
Parece, por vezes,
que entramos no forum pela discussão da incompreensão da beleza
ou das subtilezas do mundo.
Porque se o mundo é terrívelmente trágico também o é esplendorosamente belo.
Somos nós que o decidimos. E o Arquitecto fá-lo pelo acto de desenhar, projectar e permitir
concretizar.
Havemos chegar a algum lado.

101%

Acção.
O futuro em tempo real. Participação activa e construtiva. Verdadeira experiência, física e espiritual.
Possibilidade de construção de lugares.
Participação e produção de trabalho criativo e colectivo. Solitário. Partilhado.
Cumplicidade entre desejo e acção.
Inovar a cada gesto em momentos únicos de criatividade e emoção.
A cada projecto a originalidade
e as influências absorvidas na tentativa de adquirir um estilo [mais] pessoal, não deixando de
improvisar.
Desejo de implementar uma prática que possa, quando bem aprover, recorrer aos mais diversos
meios de expressão,
do desenho de projecto à pintura, da fotografia à banda-desenhada, do design à instalação.
A pluralidade das disciplinas envolvidas, as suas técnicas, o seu manuseamento,
não como um fim, mas um meio possível de alcançar e marcar uma postura conceptual,
um percurso em direcção a uma autonomia própria, a construção de uma memória individual no
colectivo,
na crítica real e construtiva, nas experiências vividas, de vida, por viver, numa clara 'miscigenação' de
atitudes.
filosofia >Responsabilidades
assistir, desenvolver e implementar planos estratégicos de componente criativa
trabalhar para optimizar processos
cumprir as 'deadlines' e trabalhar com múltiplos e simultâneos projectos

>Nível de Aptidões Técnicas


capacidades conceptuais e criativas
capacidade na resolução de problemas

>Nível de Capacidades Profissionais


capacidade de comunicação
capacidade de organização
capacidade de trabalhar eficientemente cruzando diferentes ambientes funcionais
atitude positiva
trabalhar em tempos de execução bem delimitados, de forma autónoma e grande produtividade
capacidade de análise

>Atributos
paixão por acções criativas
orientação a resultados
capacidade de adaptação
atenção ao detalhe
alta produtividade no trabalho autónomo

>Atributos da Personalidade Criativa


iniciativa e envolvimento na atividade realizada
abertura a novas experiências e à ambiguidade
optimismo versus coragem para enfrentar riscos
persistência
recursos pessoais
conhecimento
idéias criativas
motivação

>Produção de Idéias para


criar
substituir
combinar
adaptar|aumentar|arrumar
modificar
eliminar
concluir
filosofia unidades

Corpo,
mente,
papel,
lápis,
borracha,
zeros e uns,
tempo,
relevo,
terra,
betão,
tijolo,
reboco,
pedra,
metal,
madeira,
telha,
luz,
cor,
objecto,
uso,
lugar,
cidade,
território.

dualidades

Arquitecto e cliente.
Programa e interpretação.
Entidades e regulamentos.
Sítio e paisagem
Ideia e desejo. Esquissos e desenho. Palavras e texto. Maquetes e imagens. Modo e função.
Planificação e coordenação.
Projecto e licenciamento.
Gestão e direcção. Obra e emoção. Dever e satisfação.