Anda di halaman 1dari 11

CURSO ON-LINE – DIREITO PROCESSUAL PENAL

CURSO ON-LINE–DIREITO PROC. PENAL-TEORIA E EXERCÍCIOS-TRE

PROFESSOR: PEDRO IVO

PROFESSOR PEDRO IVO

CURSO ON-LINE – DIREITO PROCESSUAL PENAL CURSO ON-LINE–DIREITO PROC. PENAL-TEORIA E EXERCÍCIOS-TRE PROFESSOR: PEDRO IVO PROFESSOR

AULA COMPLEMENTAR – PROCESSO DOS CRIMES DE RESPONSABILIDADE DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS

Futuros Aprovados,

A fim de complementar o curso aos que realizarão o concurso para o TRE-PR,

apresento abaixo o tema “processo dos crimes de responsabilidade dos

funcionários públicos”.

Trata-se de um assunto pequeno que abrange apenas 05 artigos do Código

de Processo Penal. É um tema pouco exigido pela FCC e que está presente

no edital para Analista Administrativo – Administrativa.

Vamos ao que interessa!

Bons estudos!!!

**********************************************************************

1.1 – PROCESSOS DOS CRIMES DE RESPONSABILIDADE DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS

O Código de Processo Penal definiu nos artigos 513 a 518 um rito especial

para a apuração dos crimes praticados por funcionários públicos contra a

administração pública. Desde já é importante ressaltar que este

procedimento diferenciado não abrange:

1 – Crimes cometidos por funcionários públicos contra particular;

Exemplo:

Art.150

-

Entrar

ou

permanecer,

clandestina

ou

astuciosamente,

ou

contra

a

vontade

expressa

ou

tácita de

quem de direito, em casa alheia ou em suas dependências: [

...

]

§ 2º - Aumenta-se a pena de um terço, se o fato é cometido

por funcionário público, fora dos casos legais, ou com

inobservância das formalidades estabelecidas em lei, ou com

abuso do poder.

CURSO ON-LINE – DIREITO PROCESSUAL PENAL

CURSO ON-LINE–DIREITO PROC. PENAL-TEORIA E EXERCÍCIOS-TRE

PROFESSOR: PEDRO IVO

PROFESSOR PEDRO IVO

2

Delitos

cometidos

por

particulares

contra

a

Administração

Pública;

 

Exemplo:

Art. 331 - Desacatar funcionário público no exercício da função

ou em razão dela:

Pena - detenção, de seis meses a dois anos, ou multa.

3 – Crimes contra a Administração da Justiça;

Exemplo:

Art. 339. Dar causa à instauração de investigação policial, de

processo judicial, instauração de investigação administrativa,

inquérito civil ou ação de improbidade administrativa contra

alguém, imputando-lhe crime de que o sabe inocente:

Pena - reclusão, de dois a oito anos, e multa.

4 – Crimes de Abuso de Autoridade Possuem procedimento especial

definido na própria lei instituidora (Lei 4.898/65).

Visto

isto,

chegamos

a

um

importante

questionamento:

Mas

qual

a

abrangência da palavra funcionário público dentro do nosso país? Para

responder a esta pergunta devemos recorrer ao Código Penal, que dispõe:

Art. 327 - Considera-se funcionário público, para os efeitos

penais, quem, embora transitoriamente ou sem remuneração,

exerce cargo, emprego ou função pública.

§ 1º - Equipara-se a funcionário público quem exerce cargo,

emprego ou função em entidade paraestatal, e quem trabalha

para empresa prestadora de serviço contratada ou conveniada

para a execução de atividade típica da Administração Pública.

CURSO ON-LINE – DIREITO PROCESSUAL PENAL CURSO ON-LINE–DIREITO PROC. PENAL-TEORIA E EXERCÍCIOS-TRE PROFESSOR: PEDRO IVO PROFESSOR

Cargos:

são criados por

lei, com denominação própria, em

número certo e pagos pelos cofres públicos. Emprego: para serviço temporário, com contrato em regime especial ou pela CLT. Função pública: abrange qualquer conjunto de atribuições públicas que não correspondam a cargo ou emprego público.

CURSO ON-LINE – DIREITO PROCESSUAL PENAL

CURSO ON-LINE–DIREITO PROC. PENAL-TEORIA E EXERCÍCIOS-TRE

PROFESSOR: PEDRO IVO

PROFESSOR PEDRO IVO

1.1.1 PROCEDIMENTO ESPECIAL

Para tratarmos deste tema, tínhamos que diferenciar o procedimento dos

crimes afiançáveis do rito para os delitos inafiançáveis.

Todavia, com o implemento da lei nº 12.403/11, não há mais delitos

inafiançáveis praticados por funcionários públicos contra a administração.

Antes, tínhamos o excesso de exação e a facilitação de contrabando ou

descaminho.

Dito isto, passemos à análise do rito no caso dos crimes afiançáveis.

1.1.1.1 CRIMES AFIANÇAVEIS

Nos crimes funcionais afiançáveis, a seguinte ordem dos atos deverá

ser observada:

1. Oferecimento da denúncia ou queixa:

a

queixa

ou

a

denúncia será instruída com documentos ou justificação que

façam presumir a existência do delito ou com declaração

fundamentada da impossibilidade de apresentação de

qualquer dessas provas (art. 513).

Art. 513.

Os

crimes

de

responsabilidade

dos

funcionários

públicos,

cujo

processo

e

julgamento

competirão

aos

juízes

de direito,

a

queixa

ou

a

denúncia será instruída com documentos ou

justificação que façam presumir a existência do

delito ou com declaração fundamentada da

impossibilidade

de

apresentação

de

qualquer

dessas provas. (grifo nosso)

2. Autuação

e

notificação

para

a resposta preliminar:

estando a denúncia ou queixa em devida forma e, portanto,

não sendo o caso de rejeição liminar (art. 395), o juiz

mandará autuá-la e ordenará a notificação do acusado, para

responder por escrito, dentro do prazo de quinze dias.

Art. 514. Nos crimes afiançáveis, estando a denúncia

ou queixa em devida forma, o juiz mandará autuá-la e

CURSO ON-LINE – DIREITO PROCESSUAL PENAL

CURSO ON-LINE–DIREITO PROC. PENAL-TEORIA E EXERCÍCIOS-TRE

PROFESSOR: PEDRO IVO

PROFESSOR PEDRO IVO

ordenará a notificação do acusado, para responder por

escrito, dentro do prazo de quinze dias.

  • 1. Recebimento ou rejeição da inicial. Após a apresentação da resposta e análise do juiz, este terá duas opções:

o

Rejeitar a denúncia ou queixa: se convencido, pela

resposta do acusado ou do seu defensor, da inexistência

do crime ou da improcedência da ação (art. 516).

Art. 517. O juiz rejeitará a queixa ou denúncia, em

despacho fundamentado, se convencido, pela resposta

do acusado ou do seu defensor, da inexistência do

crime ou da improcedência da ação.

o

Receber a denúncia ou queixa: ocasião em que

deverá citar o acusado para, no prazo de dez dias,

responder à acusação (arts. 396 e 396-A).

Art. 516. Recebida

acusado citado [

...

].

a denúncia ou a queixa, será o

  • 2. Com o recebimento da denúncia, prossegue conforme o

rito ordinário (art. 518).

Art. 518. Na instrução criminal e nos demais termos

do processo, observar-se-á o disposto nos Capítulos I

e III, Título I, deste Livro.

1.1.2 QUESTÕES CONTROVERTIDAS

CASO

01

Imaginemos

que

Tício

pratica

um

crime

contra

a

Administração Pública. Dias após, pede exoneração do cargo público.

Nesta situação, estará ele sujeito ao rito especial?

Segundo entendimento majoritário, Tício NÃO estará sujeito ao

procedimento especial. Com base neste entendimento, o STF revogou a

súmula 394 que dizia:

CURSO ON-LINE – DIREITO PROCESSUAL PENAL

CURSO ON-LINE–DIREITO PROC. PENAL-TEORIA E EXERCÍCIOS-TRE

PROFESSOR: PEDRO IVO

PROFESSOR PEDRO IVO

"cometido o crime durante o exercício funcional, prevalece

a competência especial por prerrogativa de função, ainda

que o inquérito ou a ação penal sejam iniciados após a

cessação daquele exercício".

Durante o julgamento do STF pela revogação da supracitada súmula, o

Ministro Sidney Sanches advertiu que "a prerrogativa de foro visa a

garantir o exercício do cargo ou do mandato, e não a proteger quem o

exerce. Menos ainda quem deixa de exercê-lo". Continuou o insigne

magistrado esclarecendo que "as prerrogativas de foro, pelo privilégio,

que, de certa forma, conferem, não devem ser interpretadas

ampliativamente, numa Constituição que pretende tratar igualmente os

cidadãos comuns, como são, também, os ex-exercentes de tais cargos ou

mandatos".

Restou sedimentado,

então,

no

STF,

que

deixando

o

cargo

definitivamente, seja qual for o motivo, seu ex-titular não terá direito a

processo e julgamento em órgão jurisdicional distinto daquele que teria

qualquer um do povo.

Finalizando, observe o elucidante julgado do STJ:

CURSO ON-LINE – DIREITO PROCESSUAL PENAL CURSO ON-LINE–DIREITO PROC. PENAL-TEORIA E EXERCÍCIOS-TRE PROFESSOR: PEDRO IVO PROFESSOR

A súmula 394 do STF, que dispunha acerca da prevalência da

competência especial por prerrogativa de função, foi cancelada,

firmando-se, em decorrência, a incompetência do STJ para o

processo e julgamento do paciente, juiz aposentado do Tribunal

Regional do Trabalho de São Paulo, sendo indevida ou até mesmo extravagante a tese de sua possível ultra-atividade por ter sido o crime cometido durante o exercício funcional. ( HC 14.270 – STJ )

CASO 02 Mévio praticou um crime funcional afiançável e não foi

notificado para apresentar a resposta preliminar prevista no art. 514.

Qual a consequência?

Segundo entendimento majoritário, se não houve inquérito policial a

falta de notificação dará causa à nulidade do processo. Diferentemente,

se houve um inquérito junto ao qual tenha existido a possibilidade do

acusado esclarecer o fato, a ausência de notificação constitui mera

irregularidade. Este entendimento está firmado na súmula 330 do STJ:

CURSO ON-LINE – DIREITO PROCESSUAL PENAL

CURSO ON-LINE–DIREITO PROC. PENAL-TEORIA E EXERCÍCIOS-TRE

PROFESSOR: PEDRO IVO

PROFESSOR PEDRO IVO

“É desnecessária a resposta preliminar de que trata

o

artigo 514 do Código de Processo Penal, na ação penal

instruída por inquérito policial.”

OBSERVAÇÃO O STF, em alguns julgados, apresenta sinal de

mudança de entendimento, entretanto ainda permanece válida a

súmula e o supracitado entendimento para efeito de PROVA.

CASO 03 Caio é um funcionário público com foro privilegiado. Neste

caso seguirá o rito especial?

O procedimento especial NÂO SE APLICA aos funcionários que detêm

foro privilegiado, ou seja, serão submetidos a outro procedimento que

não o disposto nos artigos 513 a 518 do Código de Processo Penal.

CURSO ON-LINE – DIREITO PROCESSUAL PENAL CURSO ON-LINE–DIREITO PROC. PENAL-TEORIA E EXERCÍCIOS-TRE PROFESSOR: PEDRO IVO PROFESSOR

É isso ai pessoal. Mais um passo dado rumo a tão sonhada aprovação.

Agora é hora de seguir em frente com força total.

Abraços e bons estudos,

Pedro Ivo

"Não são os grandes planos que dão certo;

são os pequenos detalhes."

Stephen Kanit

CURSO ON-LINE – DIREITO PROCESSUAL PENAL CURSO ON-LINE–DIREITO PROC. PENAL-TEORIA E EXERCÍCIOS-TRE PROFESSOR: PEDRO IVO PROFESSOR

CURSO ON-LINE – DIREITO PROCESSUAL PENAL

CURSO ON-LINE–DIREITO PROC. PENAL-TEORIA E EXERCÍCIOS-TRE

PROFESSOR: PEDRO IVO

PROFESSOR PEDRO IVO

PPRRIINNCCIIPPAAIISS AARRTTIIGGOOSS TTRRAATTAADDOOSS NNAA AAUULLAA

DO PROCESSO E DO JULGAMENTO DOS CRIMES

DE RESPONSABILIDADE DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS

Art. 513. Os crimes de responsabilidade dos funcionários públicos, cujo

processo e julgamento competirão aos juízes de direito, a queixa ou a

denúncia será instruída com documentos ou justificação que façam presumir

a existência do delito ou com declaração fundamentada da impossibilidade de

apresentação de qualquer dessas provas.

Art. 514. Nos crimes afiançáveis, estando a denúncia ou queixa em devida

forma, o juiz mandará autuá-la e ordenará a notificação do acusado, para

responder por escrito, dentro do prazo de quinze dias.

Parágrafo único. Se não for conhecida a residência do acusado, ou este se

achar fora da jurisdição do juiz, ser-lhe-á nomeado defensor, a quem caberá

apresentar a resposta preliminar.

Art. 515. No caso previsto no artigo anterior, durante o prazo concedido

para a resposta, os autos permanecerão em cartório, onde poderão ser

examinados pelo acusado ou por seu defensor.

Parágrafo

único.

A

resposta poderá ser instruída com documentos e

justificações.

Art. 516. O juiz rejeitará a queixa ou denúncia, em despacho fundamentado,

se convencido, pela resposta do acusado ou do seu defensor, da inexistência

do crime ou da improcedência da ação.

Art. 517. Recebida a denúncia ou a queixa, será o acusado citado, na forma

estabelecida no Capítulo I do Título X do Livro I.

Art. 518. Na instrução criminal e nos demais termos do processo, observar -

se-á o disposto nos Capítulos I e III, Título I, deste Livro.

CURSO ON-LINE – DIREITO PROCESSUAL PENAL

CURSO ON-LINE–DIREITO PROC. PENAL-TEORIA E EXERCÍCIOS-TRE

PROFESSOR: PEDRO IVO

PROFESSOR PEDRO IVO

EEXXEERRCCÍÍCCIIOOSS

  • 1. (Analista – TRE – 2009) Nos processos dos crimes afiançáveis

praticados por funcionário público contra a administração pública, o

funcionário será previamente notificado pela autoridade judiciária

competente para a apresentação de resposta escrita, antes do

recebimento formal da denúncia.

GABARITO: CERTA

COMENTÁRIOS: A questão apresenta, de forma correta, uma das fases do

processo dos crimes de responsabilidade dos funcionários públicos.

  • 2. (Agente – PC-RR – 2008) No processo e no julgamento dos crimes

de responsabilidade dos funcionários públicos o prazo para a defesa

prévia será de 60 dias.

GABARITO: ERRADA

COMENTÁRIOS: O prazo definido no CPP é de 15 dias:

Art. 514. Nos crimes afiançáveis, estando a denúncia ou queixa

em devida forma, o juiz mandará autuá-la e ordenará a

notificação do acusado, para responder por escrito, dentro do

prazo de quinze dias.

  • 3. (Analista Judiciário / 2007) No processo e no julgamento dos

crimes de responsabilidade dos funcionários públicos, antes de

receber formalmente a denúncia, o juiz ordenará a notificação do

acusado para que apresente defesa preliminar em trinta dias.

GABARITO: ERRADA

COMENTÁRIOS: Mais uma sobre o prazo da defesa preliminar que é de 15

dias. Atenção!!!

  • 4. (Agente – PC-RR – 2008) No processo e no julgamento dos crimes

de responsabilidade dos funcionários públicos, a queixa ou a

denúncia obrigatoriamente será instruída com documentos que

façam presumir a existência do delito.

CURSO ON-LINE – DIREITO PROCESSUAL PENAL

CURSO ON-LINE–DIREITO PROC. PENAL-TEORIA E EXERCÍCIOS-TRE

PROFESSOR: PEDRO IVO

PROFESSOR PEDRO IVO

GABARITO: ERRADA

COMENTÁRIOS: Dispõe o CPP:

Art. 513. Os crimes de responsabilidade dos funcionários

públicos, cujo processo e julgamento competirão aos juízes de

direito, a queixa ou a denúncia será instruída com documentos

ou justificação que façam presumir a existência do delito ou

com declaração fundamentada da impossibilidade de

apresentação de qualquer dessas provas.

Assim, fica claro que não é obrigatória a apresentação de documentos que

façam presumir a existência do delito.

5. (Agente – PC-RR – 2008) O rito a ser observado no processo e no

julgamento dos crimes de responsabilidade dos funcionários públicos

será o ordinário comum.

GABARITO: ERRADA

COMENTÁRIOS: O processo dos crimes de responsabilidade dos

funcionários públicos segue um rito diferenciado previsto nos art. 513 ao

518. Sabemos que segue em parte o rito ordinário comum, entretanto isto

não retira o caráter especial do rito procedimental.

CURSO ON-LINE – DIREITO PROCESSUAL PENAL

CURSO ON-LINE–DIREITO PROC. PENAL-TEORIA E EXERCÍCIOS-TRE

PROFESSOR: PEDRO IVO

PROFESSOR PEDRO IVO

EEXXEERRCCÍÍCCIIOOSS

  • 1. (Analista – TRE – 2009) Nos processos dos crimes afiançáveis

praticados por funcionário público contra a administração pública, o

funcionário será previamente notificado pela autoridade judiciária

competente para a apresentação de resposta escrita, antes do

recebimento formal da denúncia.

GABARITO: CERTA

COMENTÁRIOS: A questão apresenta, de forma correta, uma das fases do

processo dos crimes de responsabilidade dos funcionários públicos.

  • 2. (Agente – PC-RR – 2008) No processo e no julgamento dos crimes

de responsabilidade dos funcionários públicos o prazo para a defesa

prévia será de 60 dias.

GABARITO: ERRADA

COMENTÁRIOS: O prazo definido no CPP é de 15 dias:

Art. 514. Nos crimes afiançáveis, estando a denúncia ou queixa

em devida forma, o juiz mandará autuá-la e ordenará a

notificação do acusado, para responder por escrito, dentro do

prazo de quinze dias.

  • 3. (Analista Judiciário / 2007) No processo e no julgamento dos

crimes de responsabilidade dos funcionários públicos, antes de

receber formalmente a denúncia, o juiz ordenará a notificação do

acusado para que apresente defesa preliminar em trinta dias.

GABARITO: ERRADA

COMENTÁRIOS: Mais uma sobre o prazo da defesa preliminar que é de 15

dias. Atenção!!!

  • 4. (Agente – PC-RR – 2008) No processo e no julgamento dos crimes

de responsabilidade dos funcionários públicos, a queixa ou a

denúncia obrigatoriamente será instruída com documentos que

façam presumir a existência do delito.

CURSO ON-LINE – DIREITO PROCESSUAL PENAL

CURSO ON-LINE–DIREITO PROC. PENAL-TEORIA E EXERCÍCIOS-TRE

PROFESSOR: PEDRO IVO

PROFESSOR PEDRO IVO

GABARITO: ERRADA

COMENTÁRIOS: Dispõe o CPP:

Art. 513. Os crimes de responsabilidade dos funcionários

públicos, cujo processo e julgamento competirão aos juízes de

direito, a queixa ou a denúncia será instruída com documentos

ou justificação que façam presumir a existência do delito ou

com declaração fundamentada da impossibilidade de

apresentação de qualquer dessas provas.

Assim, fica claro que não é obrigatória a apresentação de documentos que

façam presumir a existência do delito.

5. (Agente – PC-RR – 2008) O rito a ser observado no processo e no

julgamento dos crimes de responsabilidade dos funcionários públicos

será o ordinário comum.