Anda di halaman 1dari 9

Anjos e Sombras.

Capitulo V.

Descobertas....

By: Denis Agellus Machado.

Paris não pode ser chamada de cidade luz. A Torre Eifel agora é só um monte de ferro
retorcido. Vocês perguntam ao Igor qual seu destino agora e ele diz: Notre Dame.
Catedral de Notre Dame. Seus vitrais estão destruídos e uns poucos gárgulas resistiram
no alto da catedral, isso não chama a sua atenção, mas deixa Igor em alerta.
- Temos compainha.
- Aonde?
- Lá em cima.
- Eles?
- Sim, mas depois nos preocupamos com eles.
- Nossa! Eu não sabia que tinha gárgulas dentro da catedral também.
- E não tem Benael.
- Problemas?
- Sim. E muitos pelo que vejo, mas algo me diz que eles não farão nada por
enquanto.
- E agora para aonde vamos?
- Esse mapa é meio esquisito, ele diz o local, mas também tem umas instruções
meio estranhas, aqui, por exemplo, diz: “observem as lágrimas da Notre Dame e
toquem o terceiro sinistro a partir do centro de sua dor.”
- Coméquié?
- É isso mesmo que você escutou Mikael.
- Observar as lágrimas da Notre Dame. Mas eu nunca vi uma catedral chorando.
- Nem eu ângelus, mas tem mais coisa por trás disso, isso ta me parecendo uma
charada.
- Você tem razão Aelus, isso é uma charada, mas o que podem ser as lágrimas de
Notre Dame?
- Será que a catedral tem algum par de janelas que lembrem um par de olhos ou
lágrimas?
- Bem o jeito é procurar.

E é o que vocês fazem, se dividem em dois grupos. Igor, Benael, Aelus e Salvatore
procuram do lado de dentro, Yaba, Angelus e Mikael, procuram do lado de fora.

- Os humanos são engraçados né?


- Porque você diz isso Salvatore?
- Porque tem várias Notre Dame aqui dentro.

Igor para de repente e com um olhar surpreso ele se dirige a Salvatore.

- Repita isso que você disse Salvatore.


- Eu só disse que os humanos são engraçados, por que cultuam várias Notre Dame
quando existe apenas uma.
- Várias Notre Dame?
- É isso mesmo, diz Igor. O Salvatore tem razão, Notre Dame é Nossa Senhora em
francês. Aelus chame os outros, temos que procurar somente aqui dentro.

Aelus manda um chamado telepático e rapidamente estão todos reunidos em frente o


altar central.

- Bem graças ao Salvatore, descobrimos que a notre dame do enigma não é a


catedral, mas uma das imagens de Nossa Senhora aqui da igreja.
- Mas e as lágrimas?
- Bem é uma imagem que chora ou que expresse dor, pois como diz o enigma,
temos que procurar um sinistro a partir do centro da dor.
- Isso ta meio complicado.
- Bem. Acho que primeiro devíamos achar que imagem é essa certo? E depois
tentar resolver o resto.
- Mas que imagem é essa?
- Uma imagem que sofre.
- Igor você é humano, que Nossa Senhora sofre?
- Uma que sente dores. É isso! Nossa Senhora das Dores, é essa a imagem que
temos que procurar, vamos nos espalhar e quem encontrar chama os outros.

Rapidamente vocês se espalham e iniciam a busca, até que ouvem o grito de Yaba.

- Encontrei.

Então vocês vêem as lágrimas de Notre Dame, uma bela imagem em mármore escuro,
mas em que se percebe todos os detalhes, não só do sofrimento em seu rosto, mas
também das lágrimas que escorrem por ele, ela tem as mãos estendidas para frente em
um gesto de suplica.

- Agora temos que entender o resto do enigma, tocar o terceiro sinistro a partir do
centro de sua dor.
- Como pode haver algo sinistro em uma imagem como esta?
- Terceiro sinistro, terceiro sinistro, que danado é isso?
- Pode não ser sinistro da maneira como estamos imaginando o sentido da palavra.
- Mas que outro sentido pode haver nessa palavra?
- Isso ta tão estranho quanto no dia que disseram que o Rafael era sinistro.
- O Rafael sinistro? Porque?
- Só por que ele faz as coisas com a mão esquerda. Uma pessoa assim é chamada
de sinistrosa ou sinistra.
- É isso! O terceiro sinistro a partir do centro de sua dor. O centro da dor é o
coração e o terceiro sinistro deve ser o terceiro dedo esquerdo contando a partir
do coração. Nesse caso vai ser... o dedo médio esquerdo.

Angelus então toca o terceiro dedo da imagem e Mikael quase cai no alçapão que se
abre sob sues pés. Vocês descem a pequena escada e caminham por um corredor até
uma porta de madeira que parece estar destrancada, Benael vai abri-la quando é
interrompido por Salvatori.
- Isso ta fácil demais, vai com calma.

Salvatori então usa sua lança para abrir a porta, nada acontece, mas no momento em que
ele se prepara para entrar leva a mão ao pescoço como se estivesse sido picado por
algum inseto, mas antes que ele diga algo Yaba e Benael também são atingidos.
Rapidamente os três ficam tontos e desmaiam, vocês ficam alarmados, pois não sabem o
que os atingiu e se eles podem morrer, então Igor se ajoelha junto de Salvatori e usando
seus dons de vampiro ele analisa o sangue dele e descobre que vão passar um bom
tempo desacordados, antes que aconteça o pior.

- deve haver algum antídoto por aqui, mas temos que ser rápidos.

Aelus vai na frente dessa vez, ele usa suas correntes sombrias e termina de abrir a porta,
assim que a porta é aberta uma lâmina cai, um apressadinho teria sido cortado ao meio.

- Com essas armadilhas, se o que estiver atrás dessa porta não valer realmente a
pena, eu mesmo derrubo o resto dessa catedral.

Vocês entram e vêem um quarto simples, mas de formato um pouco estranho, ele é
circular e há algo em seu centro coberto por um pano e vocês também ouvem barulho de
água correndo.

- O que é isso? Uma fonte?


- Bem, só tem um jeito de descobrir.

Ainda usando suas correntes, Aelus retira o pano e o que vocês vêem é uma belíssima
fonte, mas o que surpreende vocês é a imagem nela representada. Sentado em uma
pedra, um anjo com a cabeça apoiada em uma das mãos, o barulho de água são lágrimas
que escorrem dos seus olhos formando um lago aos pés da pedra em que ele está
sentado. Dois detalhes chamam a atenção de vocês, a cor das asas do anjo, que são
negras e a espada que pende de sua outra mão. Benael diz:

- Mas é Azrael.
- O que uma fonte representando o anjo da morte faz aqui? E porque ele estaria
chorando?
- Por causa da dor que sua missão traz ao seu coração.

Há algo escrito na pedra e vocês se aproximam para ler o que é, mas antes trazem seus
amigos também para o centro do quarto que é bem grande. Ao se aproximarem a porta
por onde vocês entraram é bloqueada e uma outra se abre, dela saem 4 esqueletos em
armaduras e então vocês ouvem um rugido e vêem surgir pela passagem, uma quimera.

- E agora? O que a gente faz?


- Eu não sei, eu só costumo enfrentar vampiros, lobisomens e alguns fantasmas
locais lá no Brasil, nunca enfrentei nada assim e eu pensei que quimeras só
fossem lendas.
- Muita gente pensa que vampiros são lendas.
- Bem isso é.
- Mas o que acontece agora?
Antes que alguém possa dizer algo, um dos esqueletos solta uma bola de fogo contra
vocês que explode perigosamente perto de Igor.

- Caracas, quase que eu viro churrasquinho de morcego.

Aelus então resolve atacar e vê espantado os esqueletos se esquivarem rapidamente de


suas correntes.

- Ufa! Ainda bem que eles desviaram.


- Ainda bem? Aelus cê é doido?
- Não. É que se eles fossem aquele tipo de esqueleto lerdo a luta seria sem graça.
- Ah ta! Sei. Ele é sempre assim?
- Ele ainda ta calmo, espera só a luta esquentar.

Os esqueletos avançam sobre vocês enquanto a quimera fica observando. Angelus puxa
suas faixas de luz, Mika resolve invocar um bastão de luz, Igor ta meio perdido, então
resolve usar suas garras e decide lutar contra o esqueleto que aparentemente parece ser
um mago. Os outros esqueletos usam uma alabarda, um escudo e uma grande espada e
dois machados. Aelus ataca o dos machados, que habilmente se defende de suas
correntes e lança um dos machados contra ele, Aelus da um mortal para trás se
desviando do machado e vê este retornar à mão do dono.

- Ora, ora, um machado de retorno. Faz tempo que não vejo um desses.

Então ele salta por cima do esqueleto caindo atrás dele e lançando suas correntes nas
pernas dele derrubando-o.

- Ta jurando que é o Spawn né Aelus? Rsrsrsrsrsrs.


- A Ângela é que não podia ser rsrsrsrsr.
- Vocês são sempre assim?
- Assim como Igor?
- Vocês sempre brincam enquanto lutam?
- Sempre. É uma maneira de relaxarmos enquanto lutamos, se ficarmos tensos não
lutamos direito.
- Não é que nós subestimamos nossos inimigos, mas é uma maneira de nos
mantermos concentrados. E a medida que brincamos uns com os outros, estamos
também tomando conta uns dos outros, se alguém fica calado demais durante
uma luta nós já ficamos preocupados e olhamos logo para ver se não está caído
no chão desacordado, ferido ou morto. Então tenta ficar conversando com a
gente enquanto luta, por que assim a gente sabe que você está bem.
- Ta ok.

Enquanto isso Angelus luta contra o esqueleto da espada e escudo, suas faixas de luz e
a maneira como ele luta faz com que sua briga com o esqueleto seja um balet.

- Ei Angelus! Ta pensando que ta nas olimpíadas é?


- Quem sabe dessa vez eu não ganho a medalha de ouro?
- Porque você perguntou isso pra ele Mikael?
- Você conhece aquela modalidade olímpica de ginástica com objetos?
- Conheço. Eles usam bolas, bastões, arcos e umas faixas, assim como o Ângelus.
- Pois é, um humano uma vez viu um anjo lutando contra um demônio e o anjo
usava as faixas de luz e ele ficou tão impressionado com a beleza do anjo
lutando com as faixas que criou essa modalidade olímpica tentando reproduzir o
que viu.
- Sério?
- Sim.
- Putz! Legal!

Ângelus ataca com suas faixas tentando enrolar o esqueleto para esmaga-lo com elas e
ele se defende usando a espada e o escudo. A luta de Mikael contra o esqueleto da
alabrada também parece uma dança, com eles atacando e defendendo rapidamente com
seus bastões, que passam perigosamente perto da cabeça de cada um deles. Mika é
atingido na barriga, mas rapidamente revida atingindo o adversário nas pernas
desequilibrando-o e depois antingindo-o no ombro direito.

- Que droga! Primeiro fogo e agora estacas, até parece que esse esqueleto fez
estágio com o Van Helsing. Ninguém merece.
- Rsrsrsrsrsr, cê já ta entrando no clima Igor.
- Acho que tô pegando o espírito da coisa, ou seria o esqueleto?
- Kkkkkkkkk.
- Minhas garras não estão sendo muito eficientes, então é melhor eu usar algo
mais prático contra esse monte de ossos.

Dizendo isso ele se transforma em um enorme lobo negro e salta sobre o esqueleto. Este
o arranha e tenta agarrar seu pescoço, mas Igor é mais rápido e com uma forte mordida
estraçalha parte do braço do esqueleto, que o joga para trás com o outro braço, ele rosna
e se prepara para um novo ataque, mas mesmo sem um braço o esqueleto ainda é
perigoso e lança farpas de gelo sobre Igor, mas este atento aos seus movimentos se
transforma em névoa e os dardos passam através dele e ele desce entrando pelas frestas
do piso.

- Putz que cara chato, ele quase me arranca um braço com esses machados.

Com isso Aelus fica furioso e suas correntes atacam com violência ainda maior, criam
lâminas e como duas serpentes se enrolam no esqueleto e começam a girar em torno
dele como um enorme moedor de ossos e rapidamente, um monte de pó branco começa
a se amontoar no chão. Enquanto isso um par de braços surge do chão e puxa o outro
esqueleto para baixo enterrando-o. Nesse momento a enorme quimera que até então só
observava a luta pula para cima de Aelus que consegue se esquivar.

- Epa! Agora o bicho vai pegar.

Igor reaparece do chão com vários arranhões e novamente se transforma em lobo


pulando pra cima do monstro e cravando os dentes atrás de uma de suas cabeças, mas
sendo arremessado para longe pela cauda serpente da fera.

- Calma aí amiguinho, que essa coisa é muito mais perigosa e mortal do que esses
esqueletos.
Enquanto isso Angelus e Mikael destroem seus oponentes e se juntam a vocês.

- Cara eu queria que os outros pudessem nos ajudar.


- Durante a luta eu consegui ler o que ta escrito na pedra.
- Sério? E o que é baixinho?
- Suas lágrimas se opõe à sua missão.
- O quê? Um enigma numa hora dessas?
- Igor, você tem que ajuda-los, nós lutaremos com essa coisa enquanto você tenta
decifrar esse enigma e tenta salvar os outros antes que seja tarde demais.

Nisso a fera solta um rugido e quase atinge o Angelus com seu bafo de dragão.

- Mas é atrevida né? Quem é você na noite bunicta?

A fera ataca Mikael com suas garras enquanto sua cauda em forma de serpente ataca
Aelus.

- É babado!
- Ah meu benhê!

Com esses gritos nada convencionais os três pulam pra cima do monstro. Enquanto isso
Igor esquenta a cabeça tentando decifrar o enigma.

- Pela careca de São Pedro, esse enigma ta de lascar, gente me dá uma pista, qual
era a missão do Azrael?
- Bem, ai! Ele é a morte, putz passou raspando essa.
- Então sua missão só pode ser matar, ui! Cacete essa doeu.
- Bem suas lágrimas se opõem a sua missão. Bemn a missão dele é matar e as
lágrimas se opõem a isso, o oposto da morte é vida. Então... Caracas! Que
merda.
- Que aconteceu?
- Lembrem-se, se Azrael se recusa a cumprir sua missão então os três não
morrem, sendo assim podem ficar desacordados pra sempre, mas acho que sei
como traze-los de volta.
- Então faz isso logo.

Igor então vai até sua bolsa e pega um pequeno frasco e enche com a água da fonte
derramando-a na boca doas três desacordados. Rapidamente eles acordam, mas antes
que eles comecem a fazer perguntas Igor mostra a eles a luta contra a quimera e eles
deixam a perguntas de lado, indo se juntar à pancadaria.

- Lembrem-se de uma coisa, temos que fazer com esse bicho a mesma coisa que
fizemos com os esqueletos, ela tem que ser destruída, se simplesmente for morta
ela retorna.
- Putz e o que a gente faz então? Queima?
- Boa idéia.
- Quero ver se ela vai brincar de fênix e renascer das cinzas depois que a a gente
acabar com ele. O plano é despedaçar a criatura e queima-la antes que os
pedaços se juntem de novo.
Eles partem com tudo pra cima da quimera. Enquanto os anjos lutam com a quimera
Igor se prepara pra queimar o bicho, preparando uma espécie de poção incendiária pra
jogar nos pedacinhos do bicho.

- Gente to pronto.
- Calma. Ta pensando que isso aqui é um boi pronto pro abate é?
- Por falar nisso quero ½ kg de lombo, 2 kg de patinho e 1 ½ de filé de primeira.
- Rsrsrsrsrs, o pirralho é dos nossos.
- Então prepara a churrasqueira que a carne ta chegando.

A primeira coisa a cair no chão é a cauda-serpente, logo depois a cabeça de bode, o


bicho já ta quase indo, mas vocês ainda precisam corta a cabeça de leão e a de dragão
antes que as outras se juntem ao corpo novamente.

- Tive uma idéia, grita Igor. Cortem a cabeça de dragão por ultimo.
- Porquê?
- Façam o que eu to dizendo e vocês vão entender rápido.
- Ok.

E com um golpe certeiro Yaba consegue cortar a cabeça de leão, a quimera está quase
destruída, mas ainda tem força suficiente pra alguns ataques com a cabeça de dragão.

- agora é comigo.
- Que cê vai fazer baixinho?

Usando suas garras Igor faz vários ataques a quimera provocando-a, os outros não
entendem bem o que ele está fazendo até que percebem que a quimera vai atacar, Igor
toma posição e parece que vai atacar ao mesmo tempo que a quimera, mas no momento
em que o dragão espele seu bafo de fogo Igor salta para o lado e as chamas atingem as
outras cabeças que ele havia empilhado atrás de si queimando-as completamente, então
Benael corta a última cabeça e Igor lança a poção incendiária sobre ela e o corpo da
quimera queimando-os completamente. Angelus explica rapidamente para os outros o
que aconteceu com eles.

- Então a fonte pode ressuscitar as pessoas?


- Mas como essa fonte surgiu? E porque ta relacionada com o Az?
- Bem isso nós temos que descobrir depois, agora temos que procurar pistas da
espada, vamos tentar na fonte.

Vocês observam a fonte ao mesmo tempo em que consultam o mapa pra ver se ele dá
mais alguma indicação, mas nada.

- Não acredito que entramos naquela briga por nada.


- Até que não foi tão ruim, eu estava sentindo falta de uma briguinha assim.
- É? Dessas que a gente quase dança?
- É.

Salvatore dá um cascudo na cabeça de Benael e diz:

- Mas, e aí?
- Não sei. Ô baixinho, que cê acha? Igor, o que aconteceu? Porque você está
assim?

Então todos percebem o pequeno vampiro olhando fixamente para a fonte com um olhar
triste e distante.

- Ei, o que houve?


- Ãn? Ah! Eu estava pensando no poder da fonte e que tipo de efeito ela teria
sobre mim, sou um morto-vivo, será que eu ressuscitaria por completo e voltaria
a ser um humano normal? Será que eu voltaria a ser um humano, mas com todos
os meus poderes vampíricos? Ou será que devido à minha condição de morto-
vivo eu morreria e finalmente teria meu descanso eterno?

Então vocês vêem uma lágrima de sangue correr por uma de suas faces, então ele se
abaixa e uma de suas mãos toca na água, então ele ergue a cabeça e fita a espada e nesse
instante sua fisionomia muda, ele vai até sua bolsa pega um estilete e volta pra estátua
mexendo no cabo da espada.

- Que ce ta fazendo aí nanico?


- Uma das coisas que quase nos enlouquece quando renascemos é a nossa visão,
nós enxergamos mundo completamente diferente dos humanos e até mesmo de
vocês e isso chega a ser um sério problema, pois podemos perder horas em
frente a um quadro analisando todas as matizes utilizadas pelo artista, ou como
ele foi capaz de reproduzir os detalhes nas roupas das pessoas que ele pintou,
estátuas parecem ganhar vida aos nossos olhos e as cores saltam o tempo todo à
nossa frente, às vezes pegamos uma pessoas não para nos alimentarmos, mas
para ficarmos observando cada detalhe do seu corpo, ver o sangue correndo em
suas veias e artérias, os pelos do seu corpo crescendo, os diferentes tons da pele
por toda a superfície do corpo e desse modo conseguimos perceber detalhes que
passam desapercebidos dos olhos mais atentos, tanto é que vocês estão vendo
que eu estou mexendo no cabo da espada, mas não enxergam em que eu estou
mexendo.

Então vocês percebem que ele retira da espada algo + - do tamanho de um dedo
indicador e mostra pra vocês.

- Pronto, aqui está. É um ankh, também chamado erroneamente de cruz egípcia,


mas o que um símbolo egípcio está fazendo incrustado no cabo de uma espada,
de uma estátua do anjo da morte embaixo de uma catedral gótica na França e
numa fonte que pode ressuscitar os mortos?
- Peraí? Qual o significado do ankh para os egípcios?
- Vida ou eternidade se não me engano.
- Um símbolo de eternidade numa fonte que pode ressuscitar, isso ta ficando
estranho.
- E pelo jeito vai ficar mais estranho ainda, pois segundo o mapa, nossa próxima
parada deve ser no Egito.

Angelus começa a abrir o portal e então Yaba vê Igor parado junto à fonte.

- Você pretende beber dessa água?


- Talvez, mas não agora, no momento sou mais útil assim, do jeito que sou, bem
agora vamos embora, só espero que esteja de noite quando chegarmos lá, não
estou a fim de virar cinzas, além do que, estou cansado e com fome.
- Não se preocupe com isso, nós damos um jeito, até porque também precisamos
descansar um pouco. Ei yaba, vamos!
- Já vou, já vou.

Então todos vocês entram no portal e quando saem é dia, mas vocês se encontram
dentro do museu do Cairo, vocês riem quando vêem Igor se dirigir rapidamente para um
dos sarcófagos vazios, lhes desejar boa noite e se trancar lá dentro, logo um suave ronco
ecoa pelo museu.

- rsrsrsrsr. O muleque tava mesmo cansado, sabe, até que ele não teve uma má
idéia.

Então todos vocês procuram um “confortável” sarcófago aonde possam dormir um


pouco ou pelo menos tentar.