Anda di halaman 1dari 2

Ano 1 - nº 02 - Raposos, 19 de setembro a 15 de outubro de 2.009.

Aconteceu buscando adaptar-se à realidade. Essa vivência foi mais


um exercício para o grupo, que ao final juntou à nossa
- 21 a 25/09 - O exercício principal da semana foi planejar caixinha dezenas de novos pontos luminosos. Para eles,
nossa prática a partir da discussão e da construção do MDI foi uma novidade, sobretudo a receptividade da
(Maneiras Diferentes e Inovadoras). comunidade, o prazer em receber propostas novas e a
vontade de mudar.

“Aprendi a trabalhar mais em grupo e também que o curso


nos prepara para construir uma cidade melhor para todos.”
Thiago Augusto, 16 anos

“Aprendi a respeitar a cultura de cada um, a ajudar sempre


que possível, a trabalhar em grupo e a dar valor a minha
cidade.”
Marine Paula, 16 anos

“Saí muito entusiasmado, mas dei o meu primeiro


‘tropeção’: um homem não quis me ouvir e disparou a me
xingar. Quando fomos a outras casas, as pessoas nos
receberam bem.”
- 23/09 - Realização de atividades na comunidade. Fomos, Breno Rosa Ribeiro, 17 anos
estrategicamente, a três pontos básicos, pré-definidos pelo
grupo a partir das atividades propostas: “Eu pensei que as pessoas iriam abraçar apenas a nós do
trabalho, mas elas atravessavam a rua e abraçavam outras
ƒ O primeiro grupo buscou um destino especial para o pessoas também e ficavam bastante alegres.”
encontro com pessoas variadas, transeuntes, de
preferência apressados, a quem pediam um momento para Esthfany Peixoto, 16 anos
falar do projeto.
“O contato com as pessoas na rua foi muito bom. Eu me
ƒ O segundo grupo teve uma das melhores experiências de senti à vontade, mas pensei que iria ser difícil e que as
vivência na comunidade: o exercício de construção do pessoas não iriam parar para nos ouvir.”
“Banco da Solidariedade”, de maneira simples e autêntica. Mileny Leal, 16 anos
O grupo visitou pessoas para um bate-papo informal sobre
o que gostariam de aprender e o que gostariam de ensinar. “Aprendi a dar valor à cidade e a trabalhar em equipe.”
ƒ O terceiro grupo buscou por crianças na rua e Roger Walters, 18 anos
rapidamente organizou uma oficina de brincadeiras.
Apesar de não ter conseguido muitas crianças, a avaliação - 28/09 a 02/10 - “Residência social” em Curvelo: a equipe,
foi muito positiva, pois reconhecemos a afetividade e a formada por 16 pessoas, passou toda a semana envolvida
carência das crianças por momentos lúdicos. em experiências que permitiram aprofundar o aprendizado
das tecnologias educacionais utilizadas nos projetos do
- Os roteiros planejados a partir dos pontos levantados CPCD. Vivenciou oficinas nos projetos Ser Criança,
pelo grupo sofreram algumas mudanças necessárias, Fabriquetas, Dedo de Gente, Banco do Livro S/A e AÇÃO,
na comunidade da zona rural de Estiva, onde todos Acontece
participaram da “Roda de Viola” e assistiram a um filme.
- 05 a 09/10 - A equipe continua a se reunir no salão da
“Foi muito criativo o brinquedo ‘Giroflê’, que construímos Casa Pastoral para avaliar a experiência da “Residência
com as crianças do projeto Ser Criança em Curvelo. Social” em Curvelo, montar o relatório de acordo com os
Parece com o mesmo modo de fazer desenho animado.” registros escritos e fotográficos e elaborar o Plano de
Trabalho e Avaliação (PTA), sob a coordenação de
Homero Umbelino, 24 anos
Ednalda Santos.
- A equipe ficou entusiasmada com essa nova experiência.
- 08/10 - Tião Rocha participa com a equipe da discussão
Foram tratadas algumas questões importantes, como o
para a conclusão do PTA.
relacionamento do grupo, que está sendo discutido, além,
é claro, da troca de experiência com os educadores do
- 08/10 - Tião Rocha e Doralice Mota participam de uma
CPCD, com as crianças, os agentes envolvidos nos
reunião com a equipe ANGLOGOLD ASHANTI.
diversos projetos, assim como as visitas às comunidades.
- 13 a 16/10 - Início das atividades de mobilização na
comunidade, de acordo com o PTA.

Acontecerá

- 19 a 23/10 - Coleta de cadastros das pessoas para


implementação do Banco da Solidariedade S/A.

- 16 a 30/10 - Realização de atividades nas comunidades e


com os jovens (oficinas de criação de jogos, oficina de
artesanato, grupo de estudo e pesquisa, oficinas
comunitárias).

Este informativo contou com a contribuição de Vânia Coutinho,


Ednalda Santos, Eliane Luiz, Dora e Simone Cecília.