Anda di halaman 1dari 16

VIVENDO À LUZ DA VOCAÇÃO

Ef 4: 1 – 16. Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, Com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, Procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz. Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; Um só Senhor, uma só fé, um só batismo; Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós. Mas a graça foi dada a cada um de nós segundo a medida do dom de Cristo. Por isso diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, E deu dons aos Ora, isto--ele subiu--que é, senão que também antes tinha descido às partes mais baixas da terra? Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas. E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, Do qual todo o corpo, bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor.

Vamos orar:

“Senhor, obrigado porque até aqui tens nos conduzido Senhor. como te agradecemos porque nos tem dado a Tua comunhão pelo Teu Espírito nesses dias junto dos irmãos. Mais uma vez nos entregamos ao Senhor, e entregamos essa palavra lida ao Senhor, para que o Senhor venha pelo teu Espírito Santo, explicá-la e interpretá-la aos nossos corações. Senhor mais uma vez, te dizemos que nós confiamos em Ti. Que nós dependemos de ti e que nós esperamos em ti. Toda nossa suficiência vem de Ti. Habilita-nos para sermos servos da Nova Aliança, não da letra, mas do Espírito. Abre a Tua Palavra a nós e nos socorre uma vez mais. Te pedimos em Nome do teu Filho, Senhor Jesus, amém”

Graças ao Senhor por esse final de semana que ele nos tem dado aos Seus pés, e pela comunhão do Corpo, comunhão da Igreja. Essa passagem de Efésios capitulo 4, introduz a segunda seção desse livro. É claro que a riqueza de conteúdo desse livro faz necessária mais de uma forma de divisão desse livro tão precioso. Mas, de maneira geral podemos dividir esse livro ao meio. Ele tem seis capitulo, sendo que os três primeiros capítulos tratam da Visão Celestial, e uma vez mais vamos reforçar isso: “Só há uma Visão Celestial. Não há a minha visão, nem a sua visão e nem visão de ninguém. Só há: A VISÃO”.

Pelo que ó rei Agripa, eu não fui desobediente A Visão Celestial. Esse mesmo homem que disse isso pelo Espírito, esse mesmo escreveu esta Carta, Paulo. Nesta Carta ele abre para nós aquilo que ele chama de: “As riquezas insondáveis de Cristo”, que estão contidas no Evangelho. Então quando no

capitulo três verso oito de Efésios, ele considera alto esse privilegio, ele diz assim: “A mim. O menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o Evangelho cujo conteúdo então é:

“Das insondáveis riquezas de Cristo”. E ele continua no verso nove dizendo assim: “E manifestar qual seja a dispensaçao do mistério, desde os séculos ocultos em Deus que criou todas as coisas” Então perceba o que está escrito nesse versículo como uma introdução daquilo que vamos compartilhar no texto que lemos em Ef 4: 1- 16. Veja o que Paulo está dizendo e a maravilha disto. Ele está dizendo em primeiro lugar que o conteúdo do Evangelho são as riquezas insondáveis de Cristo. Ele está também dizendo que quando esse Evangelho é pregado, e eu gostaria de chamar a sua atenção para isso, “O mistério oculto dos séculos e das gerações é manifestado”. Que coisa maravilhosa!

A pregação do Evangelho não é a pregação de perdão de pecados apenas, por mais maravilhoso que

isso seja, e é. A pregação do Evangelho não é apenas a pregação da justificação por mais tremenda que isso seja, e como é. Mas o Evangelho contem tudo isso e muito mais, Ele é o Evangelho das

riquezas insondáveis de Cristo. Quando Ele é pregado, essas riquezas insondáveis de Cristo são manifestadas, da maneira que Paulo diz aqui: “O Mistério Oculto, dos séculos e das gerações”. Se você olhar com atenção o verso oito e o verso nove, você verá que uma genuína pregação do Evangelho, deve manifestar o mistério, porque o verso nove diz: E

“manifestar”. Como? Pela pregação do Evangelho das riquezas insondáveis de Cristo. Digamos, não o Evangelho do perdão, o evangelho da justificação, o Evangelho da santidade, o Evangelho do reino, mas o Evangelho das insondáveis riquezas de Cristo que contém tudo isso.

É por causa disso que esse mesmo homem pode dizer assim para o presbíteros de Efésios quando

são chamados em Mileto em Atos 20 que: “Ele jamais deixou de anunciar a eles durante três anos, publicamente e também de casa em casa, advertindo até mesmo com lagrimas a cada um. Ele jamais deixou de lhes anunciar “Todo o desígnio de Deus”. Você vê que Evangelho que Paulo pregava? Não era um Evangelho parcial, um Evangelho que tem ênfase aqui ou ali, mas era um Evangelho que anunciava todo o desígnio de Deus. Ó Irmãos, como nós precisamos de evangelistas dessa natureza na Igreja hoje! Que preguem o

Evangelho das Insondáveis Riquezas de Cristo, com tudo o que isso significa.

Então, quando Paulo conclui essa primeira seção até o capitulo três de Efésios, ele completa a Visão,

e quê Visão! Sabe o que é que temos nesses três capítulos? Temos a Fonte: “Bendito Deus e Pai”.

Esse é o veiculo, o agente, “De Nosso Senhor Jesus Cristo”. Aquele que traz tudo isso a nós, “O penhor do Espírito no qual fostes selados” capitulo 1. Então Paulo começa a dissecar ali qual é o conteúdo desse Evangelho. Ele diz que esse Evangelho começa lá na eternidade. Ele, Deus o Pai nos escolheu nEle em união com Cristo, antes da fundação do mundo. Esse que nos elegeu nos predestinou para filhos de adoção, em amor nos predestinou para Ele, para adoção de filhos. Essa palavra adoção fala de formar filhos maduros. A palavra adoção

é colocada numa posição de maturidade e responsabilidade. Ter uma adoção significa isso. Já somos

filhos, mas o formar de Cristo em nós, até que todos cheguemos, a unidade da fé, do pleno conhecimento do filho de Deus, a plena varonilidade e a medida da estatura da plenitude de Cristo. É isso que vai nos colocar como filhos maduros e responsáveis nessa administração de Deus, ou nessa Economia de Deus, ou nessa dispensaçao de Deus, que significa exatamente a mesma coisa.

Esse é o propósito eterno de Deus. Ele fará isso amados. A questão é: Ele poderá contar conosco ou não. Se Ele não contar conosco, ele contará com outros, mas Ele terá uma vanguarda. Por isso o nosso coração de verdadeira humilhação diante do Senhor, dizendo: “Senhor, eu quero ter o privilegio, pela graça, de participar de tudo aquilo que o Senhor intentou no Seu coração”. Ele vai manifestar plenamente os Seus filhos maduros. Romanos 8 diz de outra maneira impressionante esse mesmo assunto sobre “Adoção de filhos”. Esse é também um assunto de Romanos 8. Romanos 8 diz que toda a criação está em ardente expectativa. Isso não é maravilhoso irmãos? Quando pensamos sobre esses muitos movimentos existentes por ai, vamos pensar no “GREEN PEACE”. Quanto esforço para restaurar a ecologia do planeta terra. Mas Romanos 8 nos ensina? A criação vai continuar gemendo, e gemendo e gemendo. Não importa o que seja feito, ela vai gemer

até, aguardando a manifestação da Glória nos filhos de Deus. Irmãos, que lugar a Igreja foi colocada! Por isso que na epistola de Efésios 1:10, diz que quando o Evangelho é pregado e o Mistério é manifestado, isso tem um objetivo. O objetivo é que a pregação do Evangelho manifeste o Mistério para quê? Para que pela Igreja, a Multiforme Sabedoria de Deus

se torne conhecida agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais.

Querido irmão e irmã, o que o Senhor está fazendo em nós não tem comparação em todo esse universo. Você sabe que depôs de descrever essas bênçãos espirituais, Paulo começa o capitulo dois, na verdade, o texto original começa com uma nota negativa. Começa dizendo: “Ele vos deu vida estando vós mortos. Ele começa com: “Estando vós mortos em vossos delitos e pecados, andando

segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar”. Primeiramente, Paulo vai descrever toda questão negativa, ai sim. Então, lá no verso Ef 2: 4, diz assim: “Mas Deus sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, estando nós mortos em nossos pecados, no deu Vida, juntamente com Cristo. É aqui que entra a nota positiva.

O material que o Senhor tomou para constituir isso que é chamado de Igreja, uma palavra usada

primeiramente pelo Senhor Jesus. “Eu edificarei a minha Igreja”. O material que o Senhor usou para fazer esse poema, palavra do verso 10 que em algumas Bíblias dizem: “Feitura”, mas essa palavra no original é “Poema”. O material que Deus usou para compor esse Poema era inicialmente o material estragado citado nos quatro primeiros versos de Efésios 2. aqueles que faziam a vontade da carne, segundo o curso do mundo, debaixo do príncipe da potestade do ar e do espírito que atua nos filhos da desobediência, entre os quais todos nós andamos outrora. Esse foi o material que o Senhor tomou. Irmãos, que obra essa da Feitura de Deus! Ou do Poema de Deus! Eu queria que os irmãos ouvissem isso com muito critério e cuidado. A obra do nosso Deus em Cristo Jesus, pelo Espírito, constituir essa Feitura é uma obra maior do que a obra de redenção. A Redenção é uma obra tremenda porque ela não fala só de perdão de pecados, a Redenção inclui a Reconciliação. Pela Redenção, o poder o Sangue da Redenção do Senhor Jesus, segundo Colossences 1, ela tem poder de reconciliar todas as coisas, tanto as do céu, quanto as da terra. Redenção é um assunto imenso, ela inclui a Reconciliação. Pois amados irmãos, esse assunto da Feitura do verso 10 de Efésios 2, é maior que a Redenção. Porque digamos assim: A redenção está incluída nesse assunto da Feitura. O Senhor operou essa Redenção maravilhosa que inclui a Propiciação, a expiação, a Reconciliação, com um propósito alem dessa imensa Redenção, essa imensa expiação, essa imensa Reconciliação de todas as coisas com Ele, Cristo. Tanto as coisas do Céu quanto as da terra. Ele fez isso visando algo maior que isso. Então, as alturas de revelação de Efésios toca nesse ponto: “POIS SOMOS UMA FEITURA DELE, CRIADOS EM CRISTO Jesus PARA AS BOAS OBRAS”.

A epistola de Efésios é uma perola do Espírito Santo através de Paulo, ela ´precisa ser lida com muito cuidado e muitas vezes, e com joelhos dobrados para que o Senhor nos conceda espírito de Sabedoria e de revelação. Muitos detalhes, muitos elos entre uma passagem e outra para podermos contemplar a beleza de tudo isso. Vou citar um exemplo para os irmãos, que toca essa questão da Feitura, que é o nosso assunto por agora. Por três vezes aparece nessa epistola a palavra: “CRIADOS e CRIASSE” ambas tem a mesma raiz. Só três vezes aparecem. Se você ler com atenção, vais perceber e vais encontrá-las. A primeira menção está em Efésios 2: 10 que diz: Pois somos FEITURA, somos um POEMA Dele. CRIADOS em Cristo Jesus, para as boas obras. Daqui a pouco vamos entender o que são essas boas obras, porque elas estão explicadas aqui nessa mesma epistola. A Palavra de Deus se auto-interpreta. Criados em Cristo Jesus para as boas obras. Vejamos então que obras são essas. “As quais Deus lá de antemão. Esse antemão aqui é lá na eternidade. De antemão Deus as preparou para que nós andássemos nelas. Andássemos é outra palavra chave dessa carta”. Aqui tem duas palavras chaves importantes e chaves. Criados então apareceu a primeira vez, agora precisamos ter atenção ao que está acontecendo aqui. O que foi Criado em Cristo Jesus? Uma Feitura, sim, um Poema. Agora no verso 15 aparece a palavra CRIASSE, com a mesma raiz, a mesma palavra e a mesma idéia. Diz que Ele aboliu na sua carne a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, Efésios 2: 15. para que dos dois, Judeus e gentios, Ele CRIASSE, criasse onde? Em Si mesmo. Criasse o quê em Si mesmo? Um Novo Homem. Então já tem uma coisa importante para nós ai. Se ajuntarmos esses dois versiculos nós já estamos sabendo que a Feitura e o Novo Homem são a mesma coisa, certo? Porque se o Senhor Jesus, na obra de cruz criou em Si mesmo uma Feitura Dele criada em Cristo. E se na mesma obra da cruz Ele criou em Si mesmo um Novo Homem, Ele não criou duas coisas; Ele criou uma só coisa. Então, o Novo Homem é o Poema, o Novo Homem é a Feitura, porque foi isso que o Senhor Jesus criou em Si mesmo quando Ele se ofereceu sem mácula a Deus na cruz do calvário. A primeira questão importante que nós inferimos ai claramente do texto, a Feitura é o Novo Homem. Então o Novo Homem é o Poema de Deus. Irmãos, não precisamos explicar o que é poema. Poema é aquilo que flui como o mais importante, o mais significativo, o mais profundo de Deus, feitura Dele. Criado em Cristo Jesus o Novo Homem. Para não gastarmos tempo demais aqui, só por não ser o nosso encargo para essa noite. Nosso encargo é voltado para o capitulo 4 onde nós lemos. Mas também para não passar por alto dessa perola de grande valor, vamos observar que Paulo gasta três capítulos para mostrar para nós qual é o Poema de Deus, ou qual é a Feitura de Deus, que é a mesma coisa, que é esse Novo Homem criado em Cristo. Três capítulos para fazer isso. E resumindo, sabe o que Paulo disse ser esse Novo Homem? Ele é o Novo Homem de uma Nova Criação. Nós já vimos que Deus começou de novo em Jesus de Nazaré, porque o Verbo se fez carne e habitou entre nós, esse principio de Deus Cristo Jesus. Ele foi semeado na morte, ressuscitou, ascendeu, foi entronizado, derramou o Seu Espírito Santo. Então esse Poema de Deus no que concerne a obra de Cristo, Ele foi executado. Agora, o Espírito Santo, do Cabeça exaltado no trono foi derramado, para trazer à Luz este Novo Homem. Esse é o encargo do Espírito Santo.

Ele começou a trabalhar em nós quando Ele nos regenerou. Nosso espírito estava morto, Ele nos deu vida e veio habitar em nós nos selando para Deus, ali o trabalho começou. Como o trabalho continua? O Espírito Santo vai usar a Palavra. O Espírito Santo vai usar as circunstancias. Todas as coisas cooperam para o bem, esse bem é o propósito. Então Ele vai usar as circunstancias todas, uma escola de vinte e quatro horas sem férias, graças ao Senhor. Vai usar todas as circunstancia por um lado e vai usar a Palavra por outro lado. A poderosa Palavra afiada de dois gumes para fazer o quê conosco? Formar um Novo Homem. Trazer à luz um Novo Homem na nossa vida e na nossa experiência, porque ele já foi criado em Cristo Jesus. O Espírito Santo foi derramado para que Esse Novo Homem se tornasse real. Experiência, manifestação. Então, a palavra CRIASSE está ai no versículo 15 pela segunda vez. Criando em Si mesmo esse Novo Homem. O que é esse Novo Homem? Jesus Cristo foi feito Cabeça deste Novo Homem. Ele não é todo este Novo Homem. Ele é o Novo Homem pessoal, o principio de Deus. Com Ele Deus iniciou. Ele é o Redentor. O Redentor se torna Cabeça e quando Ele derrama o Seu Espírito, Ele une com Ele organicamente um Corpo de muito membros, 1Corintios 12 trata desse mesmo assunto maravilhoso. Em um espírito, todos nós fomos batizado em um Corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos quer livres, a todos nós foi dado beber de um só Espírito. Então, quando o Senhor Jesus derramou o Seu Espírito, Ele constituiu um Corpo, agora plural, coletivo de muito membros. E esse é o Novo Homem de uma Nova Criação. Irmãos, como nós precisamos que o Espírito Santo abra os nossos olhos para vê-lo. O Novo Homem da Nova Criação tem Jesus Cristo como Cabeça e tem o Corpo coletivo de muitos membros como Seu Corpo e Sua expressão. É um homem plural, um homem coletivo. Paulo usa a palavra Cristo assim em 1Corintios 12: 13, de uma maneira muito especial naquele versículo. Ele diz assim: “Assim como o Corpo é um e tem muito membro, e todos os membros sendo muitos constituem um só Corpo. Paulo aqui está falando de algo plural, não de algo individual. Ele está falando de um Corpo de muito membros. Mas olha como é que ele termina o versículo de 1Corintios 12: 13. ele termina assim: “Assim também com respeito a Cristo”. Paulo está tratando aqui do Cristo Jesus individual? Não. Nesse versículo Paulo está tratando desse Cristo sendo o Novo Homem de uma Nova Criação, que tem Jesus Cristo como cabeça e um Corpo de muitos membros unidos organicamente a Ele. Esse é o Novo Homem de uma Nova Criação. Por isso ele fala assim aos Coríntios: “Aquele que está em Cristo, é uma Nova Criação, as coisa velhas já passaram, inclusive o velho homem, eis que tudo se fez novo”. Esse é o Novo Homem da Nova Criação. Quando ele conclui isso do capitulo 3 até o final, nós vamos começar a estudar juntos os versiculos que lemos, capitulo 4 então. Então quando ele conclui 3, ele inicia o capitulo 4 assim: Os três últimos capítulos falam da nossa vocação celestial. Então o livro de Efésios foi composto pelo Espírito Santo assim com três capítulos de visão celestial, porque embora visão não seja tudo, a visão é a base de tudo, onde não há visão o povo se corrompe. Então, três capítulos de visão e três capítulos de vocação, assim se divide o livro de Efésios. Vocação está ai logo no primeiro versículo do capitulo 4: Rogo-vos, pois eu prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da VOCAÇÃO a que fostes chamados. Então, são três capítulos de Visão e três capítulos de Vocação. Você compreende o que está acontecendo aqui? Como nós vamos andar de modo digno da vocação se nós não temos a Visão? Nós não podemos corresponder a Vocação sem Visão. Vocação do quê? Vocação pra quê? Ou

vocação pra quem? Então, a ordem é muito exata de Visão e vocação. Por isso o “POIS”. Rogo-vos POIS. Outro detalhe ainda rápido antes de entrarmos no capitulo 4. Alguns chamados eruditos não gostam de Paulo nem um pouco. Sabe qual é o motivo que eles não gostam? Eles dizem que Paulo é evasivo, muito evasivo. Ele faz muita digressão. Digressão significa que você está indo num raciocínio aqui de repente se desvia e dá uma volta tão grande e volta depois ao mesmo assunto, ou as vezes nem volta, esse é Paulo quando escreve pelo Espírito. Paulo quando escreve, ele não está escrevendo tratados de teologia sistemática, ele está escrevendo cartas. E ele está fluindo a revelação de Deus nessas cartas. Ele escreve assim no capitulo 3:1: “Por esta causa eu Paulo, o prisioneiro de Cristo Jesus por amor de vós gentios”, Agora vem uma virgula ai, e sabe o que acontece? Uma digressão. Não perca isso ai. Agora Paulo vai no versículo 2, 3, 4 e 5 e saiu da idéia principal. Ele escreve todo esse texto maravilhoso, que bom que Paulo saiu da idéia principal. Porque ele escreve nos versículos 2 do capitulo 3 até o versículo 13, ele vai por essas vias laterais, e escreve essas coisas maravilhosas sobre o Evangelho, o mistério, a Igreja e depois ele volta no verso 14. por isso é que ele repete assim: “Por esta causa”. Viu como foi que ele fez? Então o “Por esta causa” do versículo 1, entre ele e o “por esta causa” do versículo 14. Paulo deu uma volta enorme. E essa causa que ele está descrevendo aqui, é a mesma causa que ele já descreveu no primeiro e segundo capitulo. Que causa é essa? É o Novo Homem da Nova Criação, a feitura de Deus em Cristo Jesus. É por essa causa que ele faz o quê no verso 14? Por essa causa é que ele se Poe de joelho diante do Pai. Irmãos, que verso maravilhoso esse. Se essa causa, Novo Homem da Nova Criação, feitura de Deus, aquilo que Deus está fazendo em Cristo Jesus pelo Espírito agora. Se essa causa não no poe de joelho, mas ela pode até gerar outras coisas em nós que não tem nada a ver em nos por de joelhos, então ele não é a verdadeira causa e nós não tivermos visão da causa. A única causa que nós devemos nos envolver, essa causa é: “O Novo Homem da Nova Criação”. Então Paulo diz: “Por essa causa eu me ponho de joelho”. Ele orava pelos irmãos duas vezes nessa epistola, para que eles tivessem um profundo entendimento espiritual, espírito de sabedoria e revelação. Essa é a primeira necessidade. Na primeira oração, essa é a maior necessidade. Na segunda oração a maior necessidade é: “Que Cristo habite nos vossos corações”. Muito interessante essa palavra. Se você não estudá-la, parece uma incoerência de Paulo, porque se ele está escrevendo para a Igreja em Efeso, como ele pode orar para que Cristo habite no coração deles? Você já se perguntou isso? Eles eram crentes ou não? Eram selados com o Espírito Santo ou não? Cristo estava neles ou não? Então, o que significa: “Cristo habite nos vossos corações?” Habitar onde Ele já habita? Não tem sentido, mas o sentido está na palavra “habite”. A palavra habite no original significa: “Fixar residência”. A idéia implícita nela é: “Que esse Cristo que já está, lhes ocupe o ser do homem”. Que maravilhoso isso! Essa é a oração de Paulo: O Cristo que já está ocupe o vosso ser totalmente. Que Cristo habite nos vossos corações pela fé. Que coisa maravilhosa irmãos! Paulo se poe de joelhos por causa dessa causa. Ele via que sem essa realidade, essa causa na qual ele estava envolvido, ela não poderia se cumprir. Ele sabia que o Espírito Santo foi enviado por essa causa, “Que Cristo habite nos vossos corações”.

Vamos colocar isso em outra linguagem, em outra carta de Paulo mesmo. Gálatas 4: 19, a mesma idéia. Ele escreve assim para os gálatas: “Meus filhinhos”, a palavra no original é essa: “Filhinhos”, algumas versões trazem “Filhos”. A palavra é: “tecnós” no original, e significa “filhinhos, crianças”. Meus filhinhos por quem eu de novo sofro dores de parto. Qual o propósito? Por que essas dores de parto? Por que esse sofrimento de Paulo? Em oração, em lutas, em humilhação diante do Senhor, em pregação e de todas as maneiras? Por quê isso? O motivo está ai, sofro dores de parto, até que Cristo seja formado em vós. Sabe uma expressãozinha significativa que falta nesse versículo ai? Os eruditos vão nos ajudar de acordo com os textos originais. Ela é importante e deveria ter sido posta ai, “O Plenamente”.

O versículo é assim: “Sofro dores de parto, até que Cristo seja plenamente formado em vós”, então,

essa é a causa, os irmãos percebem? Por isso ele diz: “Me ponho de joelhos, que Cristo habite nos

vossos corações”.

Então é assim que Paulo descreve a visão, ora sobre a visão, o Novo Homem da Nova Criação. Ele ora

e chora, esse é Paulo. Ele disse para esse efésios aqui a qual ele descreve que admoestou a eles

durante três anos, com lagrimas a cada um e anunciou todo desígnio de Deus. Que riqueza esses efésios puderam receber de Paulo. Então ele começa o capitulo 4 que diz assim: “Rogo-vos POIS”. Esse “Pois” faz todo sentido porque, depois de dar três capítulos de Visão, ele vai roga, vai clamar, vai exortar em cima do “Pois”. É por causa do Novo Homem, é por causa da Feitura, é por causa do que a Igreja é, é por causa do que Deus está fazendo, é por causa do que o Espírito Santo veio fazer, é por causa do Cristo formado em vós, é pra que Cristo lhes ocupe plenamente o ser. Rogo-vos, pois. Esse “pois”. Essa clausula conclusiva tão significativa. Agora, observe a expressão que ele coloca logo a frente. É aqui que nós temos que começar. 34.24 Quem roga? “Rogo-vos, pois eu”, Eu quem? O prisioneiro no Senhor. Irmãos vamos começar por ai. Vamos chamar essa seção que nós começamos ler, mas na verdade ela vai até o fim de Efésios, ela vai do capitulo 4 ao capitulo 6. vamos chamar esse capitulo como expressão normal para os irmãos que os irmãos conhecem como: “A PRÁTICA DA VIDA DA IGREJA”. Sabe qual é a pratica da vida de igreja. Nós vamos começar a ler aqui. Essa é a pratica da vida da igreja. Assim se pratica a vida da igreja, como? “Eu, o prisioneiro no Senhor”. Amados irmãos e irmã, esqueça a vida da igreja se você não é um prisioneiro de Cristo Jesus. Nós não somos prisioneiros da igreja, nem somos prisioneiros de homem nenhum. Nós somos prisioneiros de Cristo Jesus. Então Paulo diz: “Rogo-vos pois eu o prisioneiro de Cristo Jesus. Tem beck grawnd ai do Novo Testamento tão lindo para nos ajudar nisso ai. Sabe qual é? Êxodo 21. Aquele servo que tinha as suas orelhas furadas. O Espírito Santo preservou aquele figura de maneira muito especial para nos falar o que significa ser prisioneiro de Cristo Jesus. Sabe o que acontecia lá? Depois que um escravo servia ao seu Senhor porque ficou pobre, porque foi comprado, porque teve dificuldades. Aquela lei de Deus maravilhosa pra reger a sua nação, para trazer aquela teocracia sobre eles, revelando seu caráter, seu amor, sua justiça. Ele queria guardar aquelas pessoas de serem um escravo pelo resto da vida. Então eles serviriam o seu Senhor seis anos. Quando chegasse o sétimo anos eles teriam um direito dado por Deus de fazer uma carta de alforria, uma carta de liberdade no sétimo anos, mas ela tinha um condicional. Se ele tomasse essa carta, ele podia ir para onde quisesse e fazer o que quisesse da sua própria vida. Mas se ele não quisesse ele tinha que fazer uma declaração e dar um testemunho publico. Ele ia tomar esse seu direito de alforria , ele diante de Juízes e toma-los como

testemunho, e sabe e frase que ele iria dizer? “Eu amo o meu Senhor, a minha mulher e os meus filhos. Eu não quero sair livre”. Que testemunho irmãos! Um morreu por todos, logo todos morreram para que os que vivem, não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. Quando ele dava esse testemunho, ele era levado na porta da cassa do seu Senhor e a sua orelha era furada na sovela da porta. Então aquele escrevo não precisava falar mais nenhuma palavra. Quando ele estivesse circulando na rua com a sua orelha furada, o seu testemunho já estava dado. Ele era um servo voluntário por amor. Isso significa ser escravo de Cristo Jesus. Ele não nos amarrou, senão com cordas humanas e laços de amos. Como diz Oséias: o amor de Cristo nos constrange. E essa palavra constrange significa, agarra e amarra. Nos constrange o amor de Cristo. Então ele diz: Eu o prisioneiro no Senhor, ou prisioneiro de Cristo Jesus. Irmãos, parece que Paulo está só usando uma palavra a mais, como temos falado para os irmãos, essa é a bíblia, essa é a palavra inspirada de Deus, verbalmente, então, não perca nenhuma Palavra, não jogue a palavra prisioneiro fora. As vezes jogamos muita coisa fora, atente para esse prisioneiro, porque se queremos falar sobre vida da igreja e sobre praticas da vida da igreja, está ai a primeira palavra. “O Prisioneiro de Cristo Jesus”. É ai que toda a realidade espiritual da Igreja começa, ou da vida pratica da igreja. O prisioneiro no senhor. Rogo-vos o quê então? Que andeis. Irmão se você quiser de habito fazer isso, leia então Efésios estudando, e marque todos os lugares onde aparece a palavra “andeis, andavam, andásseis, ou andar e suas conjugações”. Você verá que essa é uma palavra chave do livro de Efésios. Nos quais andastes outrora segundo o curso deste mundo. Não mais andeis como andam os gentios na vaidade dos seus pensamentos. Andai em amor, andai como filhos da luz. Vede prudentemente como andais, não como nécios e sim como sábios. Andai, andai e andai, é uma das palavras chave desse livro. Então andeis de modo digno. Nós já falamos que a palavra digno significa harmônico. Então se o Senhor nos chamou com uma vocação, então o nosso andar, ele pode e deve por causa do Espírito Santo que veio habitar em nós. Então ele pode e deve ser um andar digno e harmônico com a vocação a que fomos chamados, graças ao Senhor. por isso nós precisamos andar no espírito, para que então possamos cumprir a vocação a que fomos chamados. O que é andar no Espírito, não tem técnica para andar no Espírito. Não tem nenhuma coisa que você pode fazer para dizer que está andando no Espírito, não tem. A maneira de andar ma Espírito é em primeiro lugar não entristecer o espírito. Ef 4: 30, se temos alguma amargura, cólera, ira, blasfêmia, e malicia, nós estamos ofendendo o Espírito, e não podemos andar no Espírito e nada vai te colocar no Espírito, a não ser que você se arrependa diante do Senhor e confesse ao Senhor, e então retorne a andar no Espírito. Esse é o andar no Espírito para que essa vocação possa ser cumprida na nossa realidade. Andeis de modo digno. Porque destacamos a palavra andeis? Precisamos fazer mais uma parada aqui porque essa palavra apareceu em Efésios 2:10. Somos feitura Dele, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que nós andássemos nela. Então Deus preparou boas obras desde a eternidade, de antemão para que nós andássemos. Se você destacar a palavra andar, porque ela é uma das palavras chave importante. Você vai fazer conexão de Efésios 2: 10 com Efésios 4:1. nos dois pontos aparece a palavra andar. Então vamos colocar assim de outra forma. Se nós perguntássemos assim ao Senhor, Quais são as boas obras Senhor, que o Senhor preparou desde antemão para que nós andássemos nelas?

Poderíamos inferir muitas coisas pensando que boas obras é fazer obra aqui, obra ali, essa obra e mais aquela obra. Mas Efésios vai explicar quais são as obras porque andar é o link. “Rogo-vos, pois eu prisioneiro no Senhor que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamado”. Agora vai começar a explicação de quais são as boas obras do verso dois que fomos chamados para andar. Porque andar está em Ef 2: 10, e andar está em Ef 4:1. irmãos. Irmãos, não são dois andar diferentes, mas é apenas um andar. Então quando nós andamos de modo digno da vocação com toda humildade, mansidão, longaminidade, suportando uns aos outros em amor, essas são as boas obras que Deus preparou para que andássemos nela. Alias são o começo dela, tem muito mais boas obras ai pela frente. Sabe qual é a outra boa obra para dar um pulo bem grande lá no final? A lista de boas obra aqui é enorme em Cristo. Sabe qual uma das boas obras? “Maridos, amai as vossas mulheres como Cristo amou a igreja e a Si mesmo se entregou por ela”. Mulheres sede submissas aos vossos maridos. Isso é parte das boas obras que Deus preparou de antemão para que nós agora pelo Espírito e por causa da obra de Cristo pudéssemos andar nela. Ou você acha que poderia amar a sua esposa sem o Espírito? Impossível. Nós todos temos muito amor uns pelos outros, sabe como? Até que se pise no calo certo. Quando se pisa no calo certo o amor vai embora tão rápido porque isso não é amor em hipótese nenhuma. Então nós só podemos amar as nossas esposas no amor Ágape sacrificial com o qual o Senhor amou a Igreja. Se nós formos prisioneiros de Cristo Jesus, então honrarmos o Espírito Santo na nossa vida interior. A liderança do Espírito, o prazer do Espírito que habita em nós. A unção que nos ensina todas as coisas permanece em vós. Então as boas obras começam a ser descritas no versículo dois. Agora irmãos, dos dezesseis versos que nós lemos, vamos fazer uma divisão que penso ser de ajuda para nós. Os dois primeiros versos tem ênfase ou chave nessa questão do amor, por isso eles terminam “Em Amor”. Essa humildade com mansidão, com longaminidade suportando uns aos outros, tem essa coroa ai no final, “Em Amor”. Porque esse amor que há em Cristo Jesus, o amor de Deus que foi derramado nos nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado, esse amor inclui todos esses elementos anteriores, por isso é que diz: “Em Amor”. Então digamos que na primeira pequena seção um e dois, o foco é amor. Dos versos um a dezesseis temos quatro pequenas seções, eu vou dizer para os irmãos até onde elas vão e qual é a idéia central. Para que nós vejamos um pouquinho dessas boas obras que Deus nos chamou para andar nelas. Então digamos, nos primeiros dois versos, a primeira boa obra é: Andar em Amor. Depois, olhe para sua Bíblia por favor, dos versos três até seis, a boa obra aqui é unidade. Unidade é a chave aqui. Fomos chamados para preservar, e aqui, queria chamar a atenção dos irmão, nunca use a expressão: “Estabelecer Unidade”. Porque só tem um que estabelece unidade, o Espírito Santo, ele é o Espírito da unidade, só há unidade Nele. Quem somos nós para estabelecer a unidade? É Ele quem estabelece e a Palavra está clara aqui, nós somo chamados para preservar. Preservar não é criar, preservar não é fazer e nem estabelecer, preservar é cuidar, é guardar aquilo que já foi feito. Sabe o que já foi feito? Há um Espírito e há um Corpo. E nós fomos chamados para preservar essa Unidade, aprendendo a guardar o essencial com sete chaves, os fundamentos. Nós aprendemos a ser tolerantes com aqueles que pensam diferentemente de nós, preservando a unidade do Espírito no vinculo da paz. Então, os verso de 3 a 6 falam de Unidade. Mais uma boa obra maravilhosa preparada de antemão para andarmos nela. Agora vamos a próxima boa obra. Ela vai do verso 7 ao verso 12. Sabe qual é essa boa obra aqui que Deus preparou? É que esse mesmo povo que foi feito Um só Corpo por Um só Espírito, era um povo

que manifestaria uma diversidade. Que linda essa seção irmão! Porque esse é o Corpo de Cristo em unidade porque é um só Espírito e há um só Corpo, mas em diversidade porque o olho não é o olfato, porque a mão não é pé, então a diversidade do Corpo de Cristo. Unidade em diversidade. Essas duas questões colocadas juntas nos guardam muito. Se guardamos as duas juntas nós não corremos o risco de interpretar Unidade como sendo Uniformidade. Fazermos as mesmas coisas, falarmos as mesmas palavras, lermos o mesmo livro em todo lugar ao mesmo tempo. Isso não significa Unidade, mas significa Uniformidade. Cada Igreja tem a sua particularidade. Cada Igreja está num tempo do Senhor. não estou dizendo cada localidade, estou dizendo cada Assembléia de santos que estão juntos para viverem juntos em amor e serviço. Eles tem um tempo diante do Senhor e o Espírito Santo é quem administra esse tempo quanto o que aquela assembléia precisa naquele momento. Essa administração não vem de algum lugar central, mas essa administração é do Espírito através dos irmãos mais velhos naquele grupo de santos. Foi assim que o Espírito Santo estabeleceu desde o principio. Então, diversidade vais dos versículos 7 até o 12. Depois temos os últimos quatro versos, o 13, 14, 15 e 16, maravilhosos também. O assunto aqui é Maturidade. Olha agora os quatro versículos juntos, dezesseis versículos, quatro seções. Primeira seção Amor. Segunda seção, Unidade. Terceira seção, Diversidade e quarta seção, Maturidade, Não é maravilhoso? Fomos chamados para andar em amor. Fomos chamados para preservar a Unidade. Fomos chamados para exercitar a Diversidade porque esse é o Corpo de Cristo, porque isso vai nos conduzir a Maturidade. Esses são os dezesseis versículos. Então irmãos, se nós negligenciarmos qualquer uma delas, se negligenciar o Amor, você nunca será Maduro. Se negligenciar a Unidade, você nunca será maduro e se negligenciar a Diversidade do Corpo, você nunca será maduro. Nenhuma Assembléia que negligencie isso poderá ser madura, porque a Maturidade está lá no final. “Até Que Todos Cheguemos a Unidade da Fé”. Então no versículo 13, “Perfeita Varonilidade, Medida da Estatura da Plenitude de Cristo”, isso é maturidade? Versículo 14: “Para que não sejamos mais como meninos”, isso é maturidade. Versículo 15: “ Seguindo a Verdade em Amor cresçamos em tudo”, isso também é maturidade, e i versículo 16 finalmente: “Todo Corpo bem ajustado, consolidado pelo auxilio de toda junta, segundo a justa cooperação de cada parte, efetua seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em Amor. Todos esses versículos falam de maturidade. Então, amor, unidade, diversidade e maturidade. Então agora vamos ver brevemente a pratica da Vida d Igreja nessa seção tão linda nesses dezesseis versículos. O versículo dois faz o primeiro par de muito valor para nós. Como que essa mossa vocação começa a ser respondida? Como nós podemos responder a essa vocação? Versículo 2, olhe para ele por favor, “Com Toda Humildade e Mansidão”. É difícil ler esse texto aqui sem nos lembrar das palavras do nosso Senhor Jesus. “Vinde a mim todos vós que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei”. Não acabou ai o Evangelho, essa é só a metade do chamado do Senhor. a outra parte é: “E tomais sobre vós o Meu jugo e aprendei de mim”. Esse é um chamado para o discipulado A Cristo, “Aprendei de Mim que sou manso e humilde”. “Com toda Humildade e Mansidão”. Aqui vemos o que significa ser prisioneiro de Cristo Jesus como nós falamos. O jugo do Senhor Jesus foi tomado. O meu jugo é suave e o meu fardo é leve. Tomais o meu jugo e aprendei de mim. Quando somos discípulos de Cristo, sabe o que vai acontecendo conosco? Tem uma figura que usamos que acho que é de ajuda. Em Minas Gerais tem uma figura muito bonita, é a figura da canga, em alguns lugares é chamada de jugo mesmo, mas lá se chama de canga normalmente. A canga é

aquele instrumento de madeira onde se coloca o pescoço normalmente de dois bois para ararem a terra ou para puxar um carro. Essa é uma das figuras mais lindas de discipulado a Cristo. Todas as vezes que você ver um carro de boi passar, e isso hoje é raridade, você deveria parar e começar a meditar em Cristo e no jugo de Cristo. Porque ali você vê normalmente um boi mais velho e adestrado e um boi mais novo. O mais novo está sendo treinado por esse mais velho. O nosso Senhor Jesus é chamado em Isaías 53 de: “O Servo do Senhor”, com “S” maiúsculo. Lembra- se em outros capítulos se refere a Ele. Quem é esse servo do Senhor? É o servo do Senhor que foi adestrado. Como nós sabemos disso? Sabemos porque a vontade do Senhor prosperará nas suas mãos. Ele é aquele que verá o penoso trabalho da sua alma e Ele ficará satisfeito. Ele é aquele que foi levado como cordeiro mudo perante os seus tosquiadores. Foi adestrado, provado, fiel, obediente até a morte e morte de cruz. Sabe o que Ele fez depois que realizou a sua obra maravilhosa de redenção? Ressuscitou, enviou o Espírito, e através do Espírito Santo Ele nos chama, sabe para que? Para tomar o Seu jugo. Então, para explorar a figura ele nos diz assim: Eu já coloquei a minha cabeça do lado de cá do jugo e aqui do meu lado tem um lugar vazio. Mas você não pode pegar o pescoço da sua esposa e colocar aqui. Você não pode pegar o pescoço do seu marido e colocar aqui. Você não pode pegar o pescoço do seu irmão e colocar aqui. Você tem que colocar o seu pescoço aqui voluntariamente. E sabe quando é que colocamos o nosso pescoço? Quando sabemos quem está do outro lado do jugo. Do outro lado está aquele que disse assim: “Aprenda de mim, Eu Sou”. Esse Eu Sou é maravilhoso. No Velho Testamento nós não sabíamos bem quem o “Eu Sou” era porque ele disse a Moisés apenas:

“Eu Sou o que Sou”. Mas não explicou quem Ele era”. Então veio filho de Deus, o Logos encarnado e vem nos explicar quem Ele é. “Eu Sou o pão da vida, Eu Sou a ressurreição e a vida, Eu Sou a porta das ovelhas”. Então neste texto Ele diz: Eu sou manso e humilde de coração. Irmãos e quando nós tomamos esse discipulado do Senhor, sabe qual é o resultado em nós? “E achareis”. Os discípulos de Cristo acham o jugo de Cristo, e acham descanso, descanso para as vossas almas porque meu jugo é suave e meu fardo é leve. Irmãos, o nosso cansaço, e toda a fonte do nosso cansaço tem um nome de três letras chamado:

”Ego”. Esse era o nome do nosso cansaço. O nosso descanso também tem um nome de seis letras:

“Cristo”. Na medida em que tomamos o Seu jugo e aprendemos dele o Seu caráter, o Seu caráter não a Sua humana, a natureza humana é dele e só dele. Ninguém pode tomar a natureza humana dele, ela é só dele. Nós vamos tomar através do jugo de Cristo o seu caráter formado em nós na medida que somos discípulos de Cristo. E quais são as marcas mais centrais do caráter de Cristo. Ta escrito aqui e escrito lá em Mateus 11 onde nós citamos. Por isso Paulo coloca esse par de palavra aqui. “Com toda humildade e mansidão”. Ele não jogou isso ao acaso, é porque Cristo disse: “Tomai sobre vos o meu jugo e aprendei de mim, eu sou”. Porque Ele não disse: “Eu Sou amor, porque Ele não falou: Eu Sou Paz, porque Ele não falou: Eu sou alegria?” porque Ele falou: “Eu Sou Manso e Humilde de Coração?” Porque é isso que Ele é em essência. Ele é manso e humilde de coração. Então irmãos a medida em que tomamos o discipulado de Cristo, o jugo de Cristo, o caráter de Cristo, o caráter de Cristo é formado em nós. Isso nos conduz ao descanso. Então aquele boi colocado do lado de cá da canga ou do jugo, ele vai arar um campo, sabe o que acontece? Ele já está tão acostumado que quase que ele ara tudo sozinho e o seu dono assenta para olhar. Ele sabe caminhar, precisa de pouca orientação. Mas o boi mais novo é completamente diferente, se assenta um passaro do lado de cá, ele leva um susto e quer correr. E o mais velho fala com ele: calma meu filho isso é só um passarinho. E ali eles ficam o dia todo levando tranco no pescoço, porque o jovem aqui não sossega,

ele é agitado de um lado para outro, porque ele é imaturo. Ele vai ele vem, ele para na hora de andar, ele anda na hora de parar, e o boi mais velho está lá firme arando e arando passo a passo. Então aquele boi mais novo vai sendo treinado, mas a custa do mais velho tomar muitos trancos em seu pescoço. Se ele pudesse tira o jugo no final do dia e dizer: “Ufa” você me deu trabalho hoje. Mas esse então é o nosso Senhor. ele usou essa figura: “E tomai sobre vós o meu jugo”. Então irmãos esse que nos chama é aquele que foi fiel, obediente, o servo do Senhor. irmãos como nós podemos pensar em obra? Como nós podemos pensar em serviço se não entendemos o jugo de Cristo, que serviço é esse? É serviço da carne, esse é o nome desse serviço, não é serviço de Cristo porque não tem marcas da cruz de Cristo, porque não tem caráter de Cristo, porque não reflete Cristo. Então irmãos o Senhor não nos chama para servi-lo, o Senhor nos chama para por nosso pescoço no jugo e aprender dele que é manso e humilde de coração. Então nós vamos servi-lo. Serviço é sub-produto do discipulado. Humildade e mansidão, sabe o que significa humildade? Essa palavra vem de húmus que significa terra. Sabe qual é a única maneira de nós não cairmos na vida cristã e no nossa relação com Cristo? É de andar caído. É já andar prostrado. É já andar arrastando com toda humildade. Isso fala de um espírito aos pés do Senhor. isso é humildade, um espírito aos pés do Senhor. bem aventurado os humildes de espírito, porque deste é o reino dos céus, isso é humildade. Mansidão significa: “Um poder sobre controle”. Ela tem uma relação direta com domínio próprio. Não é um poder desvairado, não é um poder da carne, não é emocional, não é um poder que tenta bombear os outros a ser emergir de carne, não é nada disso. É um poder sobre controle, mansidão. Esse é o Senhor Jesus. Você lembra que quando Ele foi expulsar aqueles vendilhões do templo virar as mesas e fazer o que Ele fez. Você lembra o que Ele estava fazendo antes disso: nós tentamos as vezes interpretar o Senhor Jesus de acordo com o que nós somos e não como Ele é. Olha que o nosso Senhor era bravo também. O texto diz: Ele teceu um azorrague de cordas. Se leva um bom tempo para tecer um azorrague de corda. Um chicote de cordas. Ele não foi intempestivo e nem bravo, pelo contrario, quem estava expulsando os vendilhões e virando as mesas era o cordeiro manso e humilde de coração. Se vê que maravilhoso. Porque humildade não é passividade. Mansidão não é omissão. Então, esse era o nosso Senhor. Irmãos, nós somos tão confusos, nós somos tão complicados. Então a não ser que nós tomemos o jugo de Cristo e aprendamos dele pelo caminho da cruz, a palavra nos separando, a palavra nos cortando, as circunstancias trabalhando em nós, o poder da pressão, como dizia nosso irmão W, Nee. A medida em que Cristo vai trabalhando em nós então o caráter Cristo vai sendo formado. Esses são servos de Cristo. Essas são as boas obras que Ele preparou para a feitura dele manifestar. Se a feitura dele não manisfesta isso, ela não responde a sua vocação. Humildade, mansidão com longanimidade. São palavras lindas, nós não vamos ter tempo suficiente para ver uma por uma, mas é a tentação de para em cada uma delas é grande. Quando nós somos discípulos de Cristo, essa outra palavrinha aqui se torna a marca de caráter em nós. Sabe como é que se explica longaminidade no sentido bíblico? Com uma outra figura. A bomba está a um quilometro e o pavio é acesso aqui, ou seja, tem um longo caminho pra bomba explodir. Mas como somo nós? A bomba está aqui e o pavio está aqui, é só acender e a explosão vem rápido. Então, longânime é o nosso Senhor Jesus. Irmãos, sabe quanto tempo o Senhor Jesus que é juiz de vivos e de mortos, sabe quanto tempo ele está aguardando para julgar esse mundo? Quase dois mil anos. Dois mil anos tolerando. Irmãos hoje nós mal conseguimos ligar a televisão, não é? Violência sexual, pedofilia, assassinatos, coisas cruéis, não é? Não temos estomago para ouvir e ver essas coisa, e o nosso Senhor, ele tolera isso séculos e séculos. E so tem um motivo, grande é Sua longaminidade. O desejo dele é que todos sejam salvos e que cheguem ao

arrependimento. Mas irmãos, enquanto essa longaminidade do Senhor não for formada em nós, nós temos pouca condição de viver essa vida cristão como feitura dele porque não temos condição de expressar o caráter dele. Tenham longaminidade uns com os outros. Sabe quanto tempo ele está aguardando a sua noiva? Alguns de nós no dia do nosso casamento aguardamos a nossa noiva uma hora em pé durante a cerimônia, uma hora. O Senhor tem aguardado a dele dois mil anos. O desejo matrimonial dele é imenso, mas ele está tendo que esperar dois mil anos porque a sua noiva ainda não está pronta depois de dois mil anos. Então seu coração geme, o seu coração clama porque ele quer levá-la pra suas núpcias. Mas irmãos, nós não podemos ter núpcias com ele com vestes maltrapilhas. Nós teremos que ter núpcias com Ele com vestes nupciais, esse é o adorno do Espírito Santo. Essas são as vestes bordadas do salmo 45. Ungida é a sua noiva, Salmo 45, que linda é essa palavra. Em vestes bordada conduzem-na perante o Rei. Assim será as bodas de Cristo. Então esse é o discipulado e a vocação para a qual nós fomos chamados. Que o Senhor nos ajude a ver isso. Essa é a vida pratica da igreja. É isso que o Senhor quer formar em nós, nem uma coisa que fazemos nem uma coisa que falamos, mas é um caráter que tem sido formado em nós. Então, suportando uns aos outros em amor, vamos passar a crer. Vamos só citar alguma coisa do verso 3 a 6 sem ler nada. Tem sete fatores ai de unidade espiritual, e sete não é ocasional. Sete fala de plenitude. Sete fatores, um corpo, um Espírito, um Senhor, uma fé, um Deus, uma esperança, um batismo. Sete aspectos que falam então daquilo que temos de preservar. A unidade do espírito, a unidade da nossa confissão. Depois nos versículos de 7 a 12, seção de diversidade, aqui vamos fazer um comentário a mais, que é necessário para nós para esse tempo. Quando Paulo cita assim no verso 8: por isso diz: quando Ele subiu as alturas levou cativo o cativeiro agora você vai ver ai na sua tradução possivelmente é a de todas as traduções que estão aqui. Concedeu, ou deu dons aos homens. Agora se você for buscar de onde Paulo importou esse versículo, e sempre que você está estudando o Novo testamento, é importante fazer isso. Quem esta fazendo essa importação é o Espírito Santo, então ele não faz essas importações tola, ele vai importar o versículo do Velho Testamento aplicar no novo testamento e nessa importação está a explicação e muitas vezes o complemento. Abra lê em Salmos 68, é de la que o versículo vem, mas sabe o que diz o Salmos 68:18? Vejo o que ele diz: “subistes as alturas, levaste cativo o cativeiro”. Até afora está igual ao que Paulo citou lá, mas agora, recebestes não concedeste. É o contrario né? Receber é diferente de conceder, é o exato contrario, mas que contrario maravilhoso. Sabe o que Paulo esta fazendo la em Efésios? Ele está continuando o que o Salmos 68 começou. Ele está dizendo que quando o Senhor Jesus desceu até o hades, até as regiões inferiores da terra ele levou cativo o cativeiro, ele recebeu homens por dádivas. Irmãos não há outra maneira de interpretar isso senão da linguagem dele mesmo do Senhor Jesus em jao 10, quando ele fala desse que ele recebeu por dádiva que ele chama em João 10 que ele chama de as suas ovelhas. Ele fala delas, minhas ovelhas ouvem a minha voz e não seguirão a voz dos entranho. E naquele contexto ele usa a seguinte expressão: “aquilo que o meu pai me deu, é maior do que tudo, e das mãos do pai ninguém pode arrebatar”. De quem ele está falando? Das suas ovelhas, do seu povo. Então, em primeiro lugar, quando o Senhor Jesus desce, versículo 9. até as regiões inferiores da terra, o que ele faz? Ele primeiro recebe homens como dádivas de do Pai pra ele. Que ele faz com esses homens? Os purifica, os santifica, os equipa, essas três palavras, e agora ele os concede à Igreja, que maravilha irmãos. No caso especifico desse texto no seu contesto, ele está se referindo ao que é chamado aqui de Ministério. Porque ele não se refere a dons abstratos, ele se refere a dons pessoas. Ou se quisermos colocar assim: Homens dons. Esses dons são homens. Quem são eles? Esses

ministérios fundamentais. Os apóstolos, os profetas, os evangelistas, os pastores e mestres. São dons daquele que levou cativo o cativeiro, recebeu esses rebeldes, purificou, santificou, equipou e deu a Igreja. Sabe qual o propósito? Não é que eles sejam postos em plataformas, não é que eles sejam postos em vitrines de observação, não é que eles recebam coroa de louros na cabeça e sejam glorificados, mas ele concebeu para o aperfeiçoamento dos santos, para que os santos possam desempenhar o serviço deles, dos santos, o seu serviço para a edificação. Irmãos se há uma figura que nós temos que usar para interpretar o que significa esses homens dons ou esses ministérios, penso que não há uma figura melhor do que a do andaime. Um andaime de uma construção. Quando no final do dia os pedreiros terminam o serviço num prédio que está sendo construído, o andaime que fica do lado de fora, eles não vão varrer e limpar o andaime todo dia e nem vai pintar o andaime. O andaime é um instrumento de serviço. O andaime não é o foco ele é apenas um meio, o foco está na casa, no edifício, no prédio. Esses ministérios fundamentais são andaimes, para a edificação da casa de Deus, para a edificação da feitura de Deus do Poema de Deus. Porque haverá um tempo que eles não mais serão necessários, como instrumento à serviço porque a noiva já estará adornada. Então o servo não são mais necessários, até mesmo porque os servos compõem a noiva. Então, graças ao Senhor porque foi assim qaue Ele estabeleceu. Então irmãos, o

Senhor nos ajude a ver bem essa questao de ministérios fundamentais. Nós não somos para o ministério, é o ministério que é para nós, a Igreja. Então que o Senhor nos ajude a ver isso, nós não somos para ministérios nenhum, nós não somos para obra nenhuma, é a obra que é para nós, e são os ministérios que são para nós. Segundo o texto de Efésios 4 tão claro.

A ultima seção, verso 13 a 16. essa é a seção sobre maturidade, muito linda. Cada versículo é lindo.

Vamos destacar o versículo 15: Seguindo a verdade em amor. Como crescer em Cristo? Sim há muitos versículos que contem muitas coisas importantes sobre crescer em Cristo, mas olhando esse ai, como crescer em Cristo segundo esse versículo? Uma balança muito equilibrada, muito preciosa. Num prato “Verdade”, no outro prato Amor porque Amor sem verdade é uma coisa só romântica, melosa, emocional. Amor sem verdade é inútil, mas verdade sem amor é legalismo, dureza, frieza. Então verdade e amor. Irmãos esse é um guia tão importante no nosso relacionamento em todos os níveis. Nós queremos crescer em Cristo? Vamos usar a verdade uns para com os outros. Paulo, na seqüência de Efésios 4 ele vai reforçar isso. Deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo. Lá não significa simplesmente falar a verdade no sentido de ser verdadeiro, mas significa

você falar A Verdade, ou aquilo que é verdadeiro, compreendeu? Seguindo a verdade em amor. Essa

é uma chave tão importante no nosso relacionamento, como nós vamos cuidar uns dos outros, o que

nós vamos exercer as expensas do outro. Um irmão está sofrendo, um irmão está com dificuldade, um irmão está com aflição. Então nós falamos assim: “Aquele irmão está precisando do nosso amor”. Em todo e qualquer caso, nós deveríamos dizer assim: “Nosso irmão está precisando do amor com verdade, ou da verdade em amor”. Que nós nunca podemos negligenciar a verdade. Nós temos que usar a verdade no âmbito do amor como o Senhor usa. Só tomando o jugo de Cristo nós podemos aprender isso. Irmãos quanto das nossas doenças, desvios, paralisias e até enfermidades, inclusive

enfermidades, sejam psicológicas, sejam físicas tem como raiz a desobediência, pecados, carnalidade, amor ao mundo, inversão de prioridades. Uma pessoa trabalha demais e fica doente e ela está precisando só do nosso amor ou da verdade? Ou dizer para ela que ela tem que mudar de emprego, mesmo que ela perca financeiramente para que ela possa viver de modo digno do Senhor e não de prioridade de trabalhar doze horas por dia, para aumentar o salário. Exotando-vos uns aos outros para que ningeum seja endurecido pelo

engano do pecado. Por isso nós p´recisamos da verdade em amor para crescermos em tudo naquele que é o cabeça. E para concluir, alguma coisa sobre o verso 16, também muito precioso. O verso 16 diz: que a Igreja cresce porque ela é habitada pelo Espírito, ela cresce como uma edificação nela mesma. A expressão ai é: Efetua o seu próprio aumento. Que é uma expressão muito significativa irmãos, especialmente nos dias em que vivemos, sabe por que? Nós vivemos dias em que o cristianismo está encharcado de auto ajuda, psicologia e filosofias. E sabe o que essse texto está dizendo? Que a Igreja efetua o seu próprio aumento, ela não precisa de nada externo a ela mesma para que ela efetue o seu aumento. Ela só precisa do Espírito Santo, honrar o Espírito Santo e amar a palavra de Deus. O espírito e a palavra para que ela efetue o seu próprio aumento. Nós precisamos é do contrario, nós precisamos que o espírito e a palavra arranque do meio de nós toda auto ajuda, toda pscologia e toda filosofia para que nós possamos crescer em tudo naquele que é o cabeça, Cristo. Auto ajuda do mundo nós não precisamos dela, porque nós já obtivemos uma auto ajuda com Ele. O verbo se fez carne e habitou entre nós cheio de Graça e de Verdade. Então irmãos, são só desesseis versículos sobre a pratica da vida de igreja. Tem muito mais, ainda faltam dois capítulos e meio, nós não vamos ter tempo para isso tudo, mas lembre-se disso: pratica da vida da igreja inclui tudo isso ai. É uma longa lista da pratica da vida de Igreja. Só é possível pelo Espírito, e é isso que honra o Senhor. pais criando seus filhos na disciplina. Como tem faltado disciplina para os filhos hoje. A pouco tempo, esse pouco tempo entre aspas, acho que não tem mais de dois anos, não sou muito bom para tempo não, mas acho que não passa de dois anos. Uma revista ímpia chamada VEJA em uma reportagem escrita por psicólogos ímpios. O nome da reportagem era: “A tirania dos filhos”, essa era a matéria de capa. Na capa da revista tinha um filho com bonezinho e shortinho enorme, um filhão. Ele estava com o pé assim. E debaixo do pé dele tinha um paizinho pequenininho assim. A tirania dos filhos. Isso desonra o Senhor e entristece o Espírito Santo, porque nós fomos chamados para criar os nossos filhos na disciplina e na admoestação do Senhor. Eles tem que conhecer limites. Eles têm que conhecer autoridade, assim como eles tem que conhecer amor, porque o amor tem que permear tudo isso. Nada disso é feito sem amor. Então irmãos, realmente o Senhor precisa nos desintoxicar também dessas coisas para que possamos honrar o Senhor na disciplina dos nossos filhos, criando no temor do Senhor, não provocando a ira os nossos filhos para que não fiquem desanimados. Filhos obedecendo aos seus pais no Senhor. os patrões, os senhores como é chamado em Efésios 6. os senhores tratando os seus servos da maneira como é orientado-os no Senhor. Os empregados, aqueles que tem patrões, obedecendo aos seus senhores e servindo como a Cristo. É isso que honra o Espírito Santo e é isso que vai nos levar a essa pratica maravilhosa do significado da vida da igreja. Sabe qual vai ser o resultado disso? Testemunho, plenitude, abundancia. O mundo vai perguntar assim para nós: Qual é o comprimido que vocês tomam para ser desse jeito e para viver essa vida que vocês vivem? Irmãos, agora encerramos de verdade essa mensagem. Uma pessoa que é considerada um historiador atual da historia da igreja, um querido irmão do século passado Jones. Ele escreve um pequeno grande livro chamado: “O Puritanos”. Ele fala muito sobre a historia recente da igreja nos últimos séculos nesse livro. E um dos relatos que ele faz agora remontando a igreja pirmitive é muito precioso. Eu vou terminar com ele sobre esse aspecto de marido e mulheres. Ele fala assim: Que quando a igreja nasceu no século primeiro, o que mais impressionou aqueles pagaos foi que aqueles homens que trATAVAM SUAS MULheres como sendo um pouco mais do que escrevas, capachos para serem pisados, agoras eles estavam amando a suas mulheres e se entregando por elas. Aquelas mulheres que odiavam os seus maridos porque eram exploradas por eles, agora elas estavam alegres

e

voluntariamente se submetendo aos seus maridos. Então esse irmão disse que esse testemunho foi

o

que revolucionou o mundo pagão naquela época, ou seja: Não foi exatamente a pregação aqui e a

pregação ali, mas foi as suas vidas de testemunho. Aquelas famílias tinham diante daqueles pagãos, como seria diferente irmãos, imaginem uma cena dessa. Como aquele mundo vivia. Os relacionamentos conjugais hoje é uma ´piada nesse mundo. E nós somo chamados para viver essa realidade. Mulheres felizes, alegres, submissas aos seus maridos como ao Senhor. maridos que encabeçam o seu lar sendo profetas para iluminar, rei pra fortalecer e sacerdote para enterceder, que conduzem seus lares no Senhor e dão bom testemunhos. Para essas pessoas que não sabem nado do que significa ser homem, embora achem que são. E não sabem nada do que significa ser marido e nem pai. A igreja foi colocada aqui para isso. Essa é a pratica da vida da Igreja. Que o Senhor nos ajude nisso irmãos. Tomar o jugo de Cristo, discípulos dele para que o mundo veja e para que o mundo creia que Tu me enviastes. Graça aos Senhor por esse chamamento. Vamos orar. Ó Senhor, querido Deus nós nos entregamos a Ti nesse final de tempo juntos. Com gratidão, com alegria nos nossos corações, mas também com uma profunda petição diante do Senhor. Senhor completa aquilo que o Senhor já começou em nós. Senhor pela Tua misericórdia, e pela Tua fidelidade, não nos deixa a margem do caminho. Senhor usa o que for necessário para dispertar os nossos corações. Usa o que for necessário para nos tirar de qualquer mornidão e também de desencorajamento. Ó Senhor nos ajuda, renova nossa visão a respeito de Ti. Quem é o Senhor? nosso grande apostolo e sumo sacerdote. Aquele que penetrou os céus, o cabeça da igreja. Aquele que vive para interceder por nós. Senhor renova nossa fé. Renova nossa visão. E renova a nossa confiança em Ti. Nós somos Teus Senhor. nós entregamos a Ti a Tua Palavra mais uma vez compartilhada nessa noite e Te pedimos que o Senhor a use em todos nós. Como espada afiada de dois gumes. Vem nos renovar pra Ti Senhor. vem nos reabilitar para Ti Senhor. vem nos conquistar para Ti Senhor. de todo

o coração, muito obrigado. Em nome de Jesus oramos, amém Senhor.