Anda di halaman 1dari 3

Fichamento

Linguagem, língua e fala – Ernani Terra

 Coisa é tudo aquilo que existe objetivamente, com exceção do ser humano;

 Segundo o filosofo Immanuel Kant, “coisa é todo ser desprovido de razão cuja
existência dependa, não da nossa vontade, mas da natureza”;

 Bens são aquelas coisas, que por serem úteis ao homem, são objetos de apropriação. É
tudo aquilo que é vantajoso, ou útil a um dado fim;

 Os bens podem ser classificados em públicos e privados. Bens públicos são aqueles de
domínio nacional, aqueles que pertencem à União, aos estados, municípios, aqueles de
uso comum do povo. Os demais bens são os privados.

 As pessoas utilizam as palavras linguagem, língua e fala para descrever a mesma


realidade. Do ponto de vista lingüístico, esses termos não devem ser confundidos;

 A língua é um aspecto da linguagem que utiliza a palavra como sinal de comunicação. É


uma instituição social de caráter abstrato que somente se concretiza pela fala, ato
individual de vontade e inteligência.

 Linguagem é tudo que se utiliza para se comunicar, seja símbolos, imagens, gestos;

 Língua é um bem público, um ato coletivo, pertence a quem utiliza. É um aspecto da


linguagem, que utiliza a palavra como sinal de comunicação;

 Não se deve confundir língua com escrita. A escrita representa um estágio posterior de
uma língua, tanto que muitas pessoas utilizam a língua sem saber utilizar a forma escrita;

 Fala é um ato individual, um bem privado. Cada falante tem o domínio da língua que
fala e pode usá-la como lhe agradar;

 A língua é o lado publico e coletivo da linguagem humana, ao passo que a fala é seu
lado privado e individual;

 A utilização da língua através de atos de fala também sofre restrições de uso. Embora
cada falante se julgue proprietário da língua que fala, o uso que ele pode fazer dela não é
limitado, já que está sujeito a algumas restrições. Restrições de ordem intrínseca que
limita o conjunto de possibilidades de uso através de regras naturais e as restrições de
ordem extrínseca que são impostas pelo conjunto dos falantes. Intrínsecas as regras que
nos permitem a construção de enunciados ilegíveis e extrínsecas as regras ditadas pela
comunidade para o bom uso da língua;

 Toda língua possui uma estrutura (a sua gramática) que o falante aprende desde cedo. A
gramática é o conjunto sistemático de regras de combinação das palavras de uma língua,
conjunto de regras.

 É importante salientar que o processo de apropriação de uma língua se faz por


aprendizagem;

 Signo é tudo aquilo que permite fazer uma associação de algo e substituição de alguma
coisa relacionada. Os signos podem se classificados em índices, ícones e símbolos;

 Signo é uma entidade que se caracteriza por possuir: significante a parte do signo que
pode se tornar sensível, significado a parte ausente do signo e significação a relação que
se mantém entre significante e significado, o que as coisas querem dizer;

 A transformação de uma língua opera-se pelo constante contato com outras línguas ou
mesmo com as suas variantes regionais e sociais;

 O caráter individual da fala é responsável pela diversidade da língua: cada falante acaba
utilizando de maneira peculiar, de modo que a forma utilizada por um falante
individualmente é diferente da utilizada pelos demais;

 Registro é a mudança do vocabulário na fala de um individuo em função da situação em


que o sujeito se encontra;

 Fatores que determinam os níveis da fala: fatores regionais, fatores culturais, fatores
contextuais e fatores naturais;

 É importante observar que o falante altera o registro de sua fala em decorrência do meio
que está empregando para transmitir sua mensagem. Ninguém se serve da língua na sua
forma escrita da mesma maneira que o faz quando a utiliza em sua forma oral, ou seja,
não escrevemos do mesmo modo que falamos;

 Níveis de fala: nível coloquial-popular, nível formal-culto, nível técnico ou profissional,


nível artístico ou literário;
 A gíria é uma variante da língua padrão utilizada por indivíduos de um grupo social ou
profissional em circunstâncias especiais, e que constantemente sofre modificação;

 A gramática normativa não é uma ciência, ela não descreve a língua como ela é, mas
como deveria ser. A ciência que estuda os fatos da linguagem denomina-se Lingüística;

 A lingüística não é uma ciência isolada, ela relaciona-se com outras áreas do
conhecimento, tomando emprestados alguns conceitos: psicolingüística, sociolingüística e
lingüística aplicada;

 Conhecer a língua é poder tomar contato com o pensamento dos outros, adquirindo
cultura.