Anda di halaman 1dari 10

Tabela matriz a utilizar para a realização da 1ª parte da tarefa, conforme indicações do Guia da Sessão

Conhecimento na área Biblioteca escolar

Aspectos críticos
que a Literatura Desafios. Acções a
Domínio Pontos fortes Fraquezas Oportunidades Ameaças
identifica implementar

-Protagonizar - Produção de - Falta de recursos - Mudar - O professor


Competências do formação das materiais humanos na BE estereótipo de - Modelo de bibliotecário
professor bibliotecário competências educativos para para Prof. aprendizagem deverá apoiar-se
informacionais neste trabalho disponibilizar o Bibliotecário tradicional muito em acções e
Panorama de cooperativo professor –“Guardador de enraizado nalguns evidências
mudança educativa curricular bibliotecário para livros” docentes -Revelar o seu
- Dar enfoque ao -Apoio aos desenvolver papel -Ser pioneiro na - Falta de valor real na
Modelo de ensino utilizadores educativo e não mudança da cooperação de contribuição para
construtivista, para uso dos sobrecarregá-lo “arena alguns docentes os objectivos de
fazendo do aluno o novos recursos com tarefas educacional” em aderir a um aprendizagem da
principal construtor tecnológicos rotineiras - Uso crescente da trabalho escola
do seu conhecimento - Cooperação - Equipa da BE multimédia e cooperativo -Formar alunos e
-Assumir papel com bastantes com docentes sem hipermédia em - Incompreensão professores através
cooperativo com professores no habilidades ambientes cada do nosso papel da capacitação,
professores e desenvolvimen informacionais vez mais -Falta de conectividade,
educadores to de -Enfoque ainda interconectados e docentes com envolvimento e
- Assumir liderança estratégias muito marcado cooperativos experiência em interactividade
no paradigma de educativas da BE como -Utilizar a gestão de BEs -Manter-se em
formação contínua e espaço de informação em -Imposição de aprendizagem
mudança educativa informação e não fonte de trabalho rotineiro permanente e

Rosa Rebelo – Práticas e Modelos de Auto-Avaliação nas Bibliotecas Escolares


Conhecimento na área Biblioteca escolar

-Ensinar novos
recursos de
contínua
aprendizagem tanto a ao professor
-Assumir papel
alunos como a como espaço bibliotecário por
crescente num
professores excelente para parte da Gestão
modelo de ensino
-Oferecer apoio à desenvolver da escola
construtivista
aprendizagem em competências do -Visão pouco
produtividade e -Dinamizar a BE
ambientes digitais e “saber-fazer”, da clara de
poder com serviços e
no uso das TIC construção do professores e
recursos diferentes
-Trabalhar em conhecimento educadores das
orientados para a
espaços de e-learning nossas
aprendizagem do
-Manter-se competências
aluno e a
actualizado e em
investigaçãp
constante formação

-Gestão para o -Pouca motivação -Não ter o apoio -Gerir para o


Organização e Gestão da sucesso educativo - Afectação de de alguns -Prestação de um desejável da sucesso educativo
BE (melhoria dos um professor elementos da serviço de Gestão da escola -Gerir para a
resultados de bibliotecário equipa da BE qualidade a toda a -Postura de optimização da
aprendizagem e do que assegura a - Falta de comunidade incompreensão qualidade da BE e
trabalho escolar, criar sua gestão e conhecimento em educativa perante os novos dos seus serviços
mais valias articula e conceitos básicos desafios de - Gerir
comportamentais, trabalha com a de organização e mudança no criativamente e
formativas e de comunidade gestão paradigma da pro-activamente
aprendizagem nos educativa educação -O prof.
alunos) - Tomada de Bibliotecário
-Liderança centrada - Uso de decisões deverá: saber

Rosa Rebelo – Práticas e Modelos de Auto-Avaliação nas Bibliotecas Escolares


Conhecimento na área Biblioteca escolar

em acções e recolha
de evidências
-liderança com o
objectivo da plena estratégias
integração da BE na gestão baseada
comunicar
escola e no na recolha de
fortemente eficientemente;
desenvolvimento evidências
influenciada e Negociar;
curricular -Integração
prejudicada por Conduzir
-Valorização dos gradual e
escassez de mudanças; Obter
processos de gestão crescente da
recursos humanos cooperação ;
que colocam a BE no BE na escola e
e materiais Solucionar
centro da desenvolvimen
- Falta de mais conflitos;
aprendizagem e na to curricular
acções viradas Afixar objectivos
construção do -liderança que
para o para a BE;
conhecimento promove bom
ensino/aprendiza- Organizar recursos
-Gerir para optimizar relacionamento
gem por falta de e motivar a sua
os nossos serviços e bom clima de
recursos humanos equipa
- Gestão pró- trabalho
activa, e criativa - Gestão
criativa

-Assegurar recursos -Existência de - Pontos fracos -Disponibilização -Falta de verba -Conseguir o apoio
Gestão da Colecção diferentes e uma política em algumas áreas de um conjunto anual compatível da Direcção
orientados para a documental da colecção de recursos de com as -Concluir o
aprendizagem do definida para a -Falta de uma informação, em necessidades da processo de

Rosa Rebelo – Práticas e Modelos de Auto-Avaliação nas Bibliotecas Escolares


Conhecimento na área Biblioteca escolar

BE
-existência de
uma rede
partilhada de
documentação diferentes
entre as várias ambientes e
BEs do suportes,
Conselho actualizada e em
catalogação online
aluno e investigação -A colecção é extensão,
verba afectada escola -organizar os
-Gerir a colecção muito utilizada adequadas às
para actualização -Pouco recursos de
articulando com pelos alunos necessidades dos
da documentação investimento local informação por
departamentos, -Promoção de alunos
-Colecção pouco na cultura e na temáticas, de
professores e alunos actividades - Apresentar um
usado pelos participação de âmbito formativo,
-Organizar colecção e culturais e catálogo online
professores actividades para recreativo ou
equipamento de recreativas -Facultar boas
-Falta de angariar fundos cultural
acordo com os com o condições de
informatização da para a BE -Desenvolver uma
standards definidos objectivo de acesso, de
totalidade do - política de
angariação de trabalho
catálogo divulgação da
fundos para individual ou em
colecção
“refrescar” a grupo a todo o
colecção equipamento
-Boa política disponibilizado
de divulgação
de novidades
na colecção –
no blogue e no
boletim da BE

Rosa Rebelo – Práticas e Modelos de Auto-Avaliação nas Bibliotecas Escolares


Conhecimento na área Biblioteca escolar

A BE como espaço de -A BE como espaço - Abertura ao -Alguns docentes -A BE em - Pouca abertura - A BE fomenta
conhecimento e formativo e de diálogo com ainda não trabalho de alguns métodos de
aprendizagem. Trabalho aprendizagem todos os aderiram ao cooperativo e de docentes ao trabalho e de
colaborativo e articulado intrinsecamente Departamentos trabalho articulação com trabalho estudo autónomo
com Departamentos e relacionado com a da escola articulado com a todos os cooperativo pelos alunos
docentes. escola e com o -Alunos que BE Departamentos e -A BE colabora
processo de frequentam e - Resistência por docentes - Desvalorização activamente com
ensino/aprendizagem desfrutam da parte de alguns -Transformação do espaço da BE docentes na prática
-A BE no centro das BE sistemáti- docentes em da BE em espaço curricular
aprendizagens e na camente aderir a um de conhecimento -Falta -A BE rentabiliza o
construção do -Alunos que trabalho e de espaço, recursos e
conhecimento - recorrem muito articulado com a aprendizagem actividades com
Perspectiva aos nossos BE trabalho
construtivista serviços e colaborativo com
-A BE que articula prestações para docentes
com departamentos, as suas -A BE produz e
professores e alunos aprendizagens difunde materiais
na planificação e -Utilização da de apoio
actividades BE para
educativas e de actividades
aprendizagem culturais
(exposições,
debates,
cinema,
música) em
estreita
colaboração

Rosa Rebelo – Práticas e Modelos de Auto-Avaliação nas Bibliotecas Escolares


Conhecimento na área Biblioteca escolar

com docentes
e/ou
instituições
locais
-A BE promove a
-A BE como leitura para todos
espaço os alunos da escola
privilegiado de -Desenvolve um
- Muitos alunos
leitura leque alargado de
da escola com
-A BE desenvolve -Formar alunos actividades no
baixos recursos
competências de que constroem o âmbito da leitura
-A BE socioeconómicos
leitura e de um seu conhecimento -Produz materiais e
desenvolve um -A BE ainda não e culturais com
Formação para a leitura e programa de literacia -Formar bons instrumentos de
bom trabalho desenvolve poucos, ou
para as literacias de informação leitores apoio para
de promoção/ articulação com mesmo
integrado no -Formar alunos professores a
formação para alguns docentes inexistentes,
desenvolvimento participantes em alunos
a leitura e neste domínio hábitos de leitura
curricular, viradas actividades -a BE actualiza a
literacias - Alegada falta de
para a auto-educação culturais, sua colecção
tempo para leitura
recreativas e -A Be faz visitas à
recreativa
formativas sobre BM, livrarias, etc
-
a leitura e A BE tem abertura
literacias a projectos
exteriores

BE e os novos ambientes -Acompanhar a - A BE está -O Equipamento -Acompanhar a -Rapidez na -Fomentar a


digitais. evolução do envolvida no não é suficiente, evolução mudança dos utilização das TIC
paradigma PTE não tecnológica paradigmas -Formar os

Rosa Rebelo – Práticas e Modelos de Auto-Avaliação nas Bibliotecas Escolares


Conhecimento na área Biblioteca escolar

desenvolvendo tecnológicos
tecnológico e digital,
projectos em - Falta de apoio
criando ambientes
articulação financeiro para
virtuais de
com a sua acompanhar as
aprendizagem
equipa novidades
-Proporcionar e-
-A Be funciona tecnológicas utilizadores da BE
learninng como apoio
em rede e -Desactualização para uso
ao desenvolvimento
explora as suas correspondendo à constante de responsável dos
curricular
potencialidades procura e equipamentos recursos
- Organizar a
-A BE recorre solicitações dos -Acompanhar a -Dificuldades na tecnológicos
informação digital
a diferentes utilizadores globalização da obtenção de - Envolver a BE no
para a usar no quadro
ferramentas - Falta de quadros informação preparação cumprimento dos
digital
tecnológicas interactivos na adequada para os objectivos do PTE
-Proporcionar aos
-A BE vai escola novos desafios -Fazer formação
utilizadores acesso ao
integrar tecnológicos para os utilizadores
correio electrónico,
catálogo - Falta de nesta área
publicações
colectivo conhecimentos
electrónicas, tutoriais
online básicos de alguns
para desenvolvimento
-A BE possui docentes da
das habilidades
um blog Equipa da BE,
informacionais
nesta área
Gestão de evidências/ - Grande importância -A BE recolhe -Mostrar o valor e - Excesso de -Implementar
avaliação. na recolha de evidências eficácia dos tempo requerido rotinas de recolha
evidências concretas nossos serviços para aplicação das de informação e de
-Avaliação como -A BE avalia -Revelar a rotinas da recolha evidências
meio de gerir para o os seus importância das de informação -Gerir para o
sucesso educativo e serviços de nossas acções e -Cansaço causado sucesso educativo,

Rosa Rebelo – Práticas e Modelos de Auto-Avaliação nas Bibliotecas Escolares


Conhecimento na área Biblioteca escolar

aferir a eficácia dos


nossos serviços modo actividades tendo em conta que
-Avaliação para sistemático e -Ver reconhecido a avaliação é a sua
pelo
revelar os nossos faz disso uma o nosso trabalho e base
preenchimento de
resultados e real avaliação valor no -Aferir eficácia dos
inúmeros
impacto na formação formativa para cumprimento de nossos serviços e
inquéritos,
dos nossos detectar um dos objectivos melhoria de
formulários e
utilizadores aspectos bons e principais da resultados nos
relatórios
-Enfoque na auto- aspectos a escola: Sucesso nossos utilizadores
avaliação e auto melhorar educativo e revelá-los
correcção

Gestão da mudança
SÍNTESE Factores de sucesso Obstáculos a vencer Acções prioritárias

-BE como espaço de - BE que começa a apostar numa - Fazer ver aos que têm poder decisor -A Be tem que redefinir práticas e
construção de gestão de qualidade da irrefutável evidência de que a BE modelos de trabalho para provar aos
conhecimento e não contribui para o sucesso educativo dos mais cépticos o seu real valor
como mero espaço de -Acções cooperativas e articuladas com estudantes e para o desenvolvimento
acesso à informação quase todos os docentes da escola imprescindíveis na nossa sociedade - A Be tem que se transformar cada vez
- BE como elo de ligação mais em espaço de aprendizagem e de
para a construção do - BE que começa a apostar na Auto- - Inverter a posição de desvalorização construção do conhecimento - Fazer dos
conhecimento, não avaliação e auto-regulação do papel da BE e do professor seus utilizadores construtores de
apenas coleccionadora Bibliotecário junto da Comunidade conhecimento e não meros
- BE que forma para as -BE como espaço de aprendizagem educativa “recolectores” de informação
diferentes literacias cada vez mais virado para a construção

Rosa Rebelo – Práticas e Modelos de Auto-Avaliação nas Bibliotecas Escolares


Conhecimento na área Biblioteca escolar

contribuindo de forma do conhecimento e criação de alunos - Mudar a estereótipo do professor - A Be deverá disponibilizar e formar
colaborativa e articulada independentes bibliotecário fora de moda e simples para as novas infra-estruturas
com os outros docentes guardião de livros tecnológicas , criar ambientes virtuais
-BE que começa a criar evidências de aprendizagem
para o desenvolvimento
- Mudar mentalidades e correntes
de competências que “pseudo-modernistas” que consideram -Investir em recursos indispensáveis
suportam as os gastos da Biblioteca um desperdício para a missão da BE – Humanos e
aprendizagens e a de fundos financeiros
construção do
conhecimento. -Gerir o tempo para conseguir fazer o -Apostar na qualidade da Equipa da BE
que é realmente importante para a BE
- BE que disponibiliza e não o esgotar em meras rotinas de - A BE terá que investir mais na Auto-
recursos de informação, atendimento ao balcão, em burocracias Avaliação e recolha de evidências para
apoia a infra-estrutura pesadas, em reuniões infindáveis e dar rumo e fundamentar as nossas
incontáveis, sem proveito evidente e acções
tecnológica, contribui
reconhecido.
para o seu uso e integra-a - Investir na formação sistemática do
professor bibliotecário
-BE que aposta na sua
Gestão e Auto-avaliação

-Gestão baseada
na”evidence based
practice” ( cria
evidências em vez de
advocacias ou defesas)

Rosa Rebelo – Práticas e Modelos de Auto-Avaliação nas Bibliotecas Escolares


Conhecimento na área Biblioteca escolar

-BE que aposta no uso e


difusão dos novos
espaços de
aprendizagem,
nomeadamente nos
espaços virtuais como o
e-learning e organiza
informação digital em
interligação ao currículo

Rosa Rebelo – Práticas e Modelos de Auto-Avaliação nas Bibliotecas Escolares