Anda di halaman 1dari 20

BIBLIOTECA ESCOLAR

Modelo de Auto-Avaliação

Maria do Céu Amaral


ÍNDICE
1. A Biblioteca Escolar no actual contexto de
mudança;
2. O papel e mais – valias da auto-avaliação;
3. O processo e o necessário envolvimento da
Escola/ Agrupamento;
4. A relação com o processo de planeamento;
5. A integração dos resultados na auto-avaliação
da Escola/Agrupamento.

Maria do Céu Amaral


1. A BE NO ACTUAL CONTEXTO DE
MUDANÇA

 “ Os caminhos percorridos no âmbito tecnológico e


digital introduziram mudanças significativas na
sociedade e na forma de acesso, produção e
comunicação de informação, novas estruturas e
novos espaços de aprendizagem. As TIC e a
Internet, bem como a crescente portabilidade e
facilidade de acesso a equipamentos e
documentação online re-orientam as necessidades
dos utilizadores e as prioridades educativas.”

(Texto da Sessão)

Maria do Céu Amaral


1.A BE NO ACTUAL CONTEXTO DE
MUDANÇA

 Deve “ligar-se ao
currículo e contribuir
para o sucesso
educativo dos alunos,
 A BE dos dias de hoje trabalhando de forma
a favorecer a
transformação da
informação em
conhecimento.”
(Todd,2002)

Maria do Céu Amaral


2.O PAPEL E MAIS-VALIAS DA AUTO-AVALIAÇÃO DA
BE

Contribuir para a afirmação e


reconhecimento do seu papel;

Determinar o grau de consecução da


sua missão e objectivos;
 A Auto-Avaliação
Identificar práticas que têm sucesso
da BE permite: e pontos fracos a melhorar;

Aferir a eficácia dos serviços e a


satisfação dos utilizadores;

Delinear um plano de acção com


vista à melhoria.

Maria do Céu Amaral


2.O PAPEL E MAIS-VALIAS DA AUTO-AVALIAÇÃO DA
BE

A Auto-Avaliação

Permite”…validar o que fazemos, como fazemos,


onde estamos e até onde queremos ir…”

( Texto da Sessão 3)

Maria do Céu Amaral


2.O PAPEL E MAIS-VALIA DA AUTO-
AVALIAÇÃO DA BE

 “ …a avaliação não constitui um fim, devendo ser


entendida como um processo que deverá conduzir
à reflexão e deverá originar mudanças concretas
na prática.(…)a auto-avaliação, através da
recolha de evidências, ajudará cada BE a
identificar o caminho que deve seguir com vista à
melhoria do seu desempenho.”

(Bibliotecas Escolares-Modelo de Auto-Avaliação)

Maria do Céu Amaral


3.O PROCESSO E O NECESSÁRIO
ENVOLVIMENTO DA ESCOLA

São quatro os domínios em que se deverá


processar o trabalho da/com a BE e que
têm sido identificados como elementos
determinantes e com um impacto
positivo no ensino e na aprendizagem.

Cada ano, a BE deve seleccionar um


domínio. Ao fim de quatro anos, todos os
domínios terão sido avaliados.

Maria do Céu Amaral


3. O PROCESSO E O NECESSÁRIO
ENVOLVIMENTO DE TODA A ESCOLA

C - Projectos
A - Apoio ao parcerias e
desenvolvimento actividades livres e
curricular de abertura à
comunidade

Domínios

D - Gestão da
B - Leitura e BE
Literacia

Maria do Céu Amaral


3-O PROCESSO E O NECESSÁRIO
ENVOLVIMENTO DE TODA A ESCOLA
Etapas do processo:
Selecção do domínio a avaliar;*1

Escolha da amostra;

Definição dos instrumentos de recolha de evidências;

Produção e adaptação dos instrumentos;

Recolha de evidências;*2

Identificação do perfil de desempenho;*3

Elaboração do relatório de auto-avaliação;

Apresentação e discussão do relatório em C.P;

Integração de uma síntese do relatório no documento de avaliação


da escola;
Elaboração de um Plano de Acção, com base nos elementos
recolhidos, com o sentido de melhorar.
Maria do Céu Amaral
3.O PROCESSO E O NECESSÁRIO ENVOLVIMENTO
DE TODA A ESCOLA
*1

Indicadores

Factores críticos de sucesso


Cada
Domínio/Subdomínio
apresenta Evidências

Acções para melhorar

Maria do Céu Amaral


3.O PROCESSO E O NECESSÁRIO ENVOLVIMENTO DA ESCOLA
*2
Exemplos de evidências:

Documentos já existentes e que regulam a actividade da Escola ( PEE, PCT


,etc.) ou da BE(PAA, Regulamento, etc..);

Registos diversos(actas de reuniões, relatos de actividades, etc.,);

Materiais produzidos pela BE ou em colaboração( planos de trabalho,


planificações para sessões na BE, material de promoção ,etc..);

Estatísticas produzidas pelo sistema da BE (requisições, etc.);

Trabalhos realizados pelos alunos( no âmbito das actividades da BE, em


trabalho colaborativo, etc.)

Instrumentos especificamente construídos para recolher informação no âmbito


da avaliação da BE( registos de observação, questionários, entrevistas, etc.)

• (Bibliotecas Escolares : Modelo de Auto-Avaliação)


Maria do Céu Amaral
3.O PROCESSO E O NECESSÁRIO ENVOLVIMENTO DA ESCOLA

*3
 Perfil de Desempenho Caracteriza o tipo de
desempenho da BE em cada domínio.

Nível Descrição

4 A BE é bastante forte neste domínio. O trabalho desenvolvido


é de grande qualidade e com um impacto bastante positivo.
3 A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio mas
ainda é possível melhorar alguns aspectos.
2 A BE começou a desenvolver trabalho neste domínio, sendo
necessário melhorar o desempenho para que o seu impacto
seja mais efectivo.
1 A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domínio, o
seu impacto é bastante reduzido, sendo necessário intervir
com urgência.

Maria do Céu Amaral


3.O PROCESSO E O NECESSÁRIO
ENVOLVIMENTO DA ESCOLA

 A Avaliação da BE implica, necessariamente, o


envolvimento de todos os intervenientes no
processo educativo:

Direcção

Alunos,
Conselho
Professores
Pedagógico
e Pais/E.E

Auto-
Avaliação

Maria do Céu Amaral


4. A LIGAÇÃO DA AUTO-AVALIAÇÃO AO PROCESSO DE
PLANEAMENTO

“-Poderias dizer-me, por favor,


que caminho hei-de tomar
para sair daqui?
-Isso depende do sítio onde
queres chegar !- disse o Gato.
-Não interessa muito para onde
vou…-retorquiu Alice.
-Nesse caso, pouco importa
caminho que tomes -interpôs
o Gato.”

Alice no País das Maravilhas,Carroll,Lewis”

Maria do Céu Amaral


4. A LIGAÇÃO DA AUTO-AVALIAÇÃO AO PROCESSO DE
PLANEAMENTO

Auto-avaliação da BE

Conduz a caminhos sustentados e seguros porque se baseiam nas


evidências recolhidas ao longo do processo.

“As decisões a tomar devem basear-se nas evidências e


informações recolhidas, mas devem sempre ter em conta o
ambiente interno( condições estruturais) e externo da biblioteca:
oportunidades e ameaças, prioridades da escola, adequação aos
objectivos e estratégias de ensino/ aprendizagem.”
( Texto da Sessão 3)

Maria do Céu Amaral


5.A INTEGRAÇÃO DOS RESULTADOS
NA AUTO-AVALIAÇÃO DA ESCOLA

Maria do Céu Amaral


5.A INTEGRAÇÃO DOS RESULTADOS NA
AUTO-AVALIAÇÃO DA ESCOLA

Maria do Céu Amaral


5.A INTEGRAÇÃO DOS RESULTADOS NA
AUTO-AVALIAÇÃO DA ESCOLA

“ The school that knows


and understands itself
is well on its way to
solving any problems it
has…self-evaluation is
the key to
improvement.”

• (Ofsted,1999)

Maria do Céu Amaral


BIBLIOGRAFIA
 Eisenberg, Michael & Miller, Danielle (2002) “This Man Wants to
Change Your Job”, School Library Journal. 9/1/2002
<http://www.schoollibraryjournal.com/article/CA240047.html>
[13/10/2009].
 Todd, Ross (2002) “School librarian as teachers: learning outcomes
and evidence-based practice”. 68th IFLA Council and General
Conference August.
 Todd, Ross (2008) “The Evidence-Based Manifesto for School
Librarians”. School Library Journal. 4/1/2008. <
http://www.schoollibraryjournal.com/article/CA6545434.html>
[13/10/2009].
 Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares. Modelo de Auto-Avaliação
 Scott, Elspeth (2002) “How good is your school library resource
centre? An introduction to performance measurement”. 68th IFLA
Council and General Conference August.
<http://www.ifla.org/IV/ifla68/papers/028-097e.pdf> [14/10/2009]
 McNicol, Sarah (2004) Incorporating library provision in school self-
evaluation. Educational Review, 56 (3), 287-296. (Disponível na
plataforma)

Maria do Céu Amaral