Anda di halaman 1dari 1

mM/L

Estudo dos efeitos da própolis na resistência à insulina em obesidade induzida por dieta hiperlipídica

Lucimara F. Veiga 1 , Aline C. Caetano 2 , Rosângela M.N.Bezerra 2 , Severino M. Alencar 2

1 Universidade Metodista de Piracicaba UNIMEP, Piracicaba-SP 2 Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, ESALQ/USP, Piracicaba-SP

1. Objetivos

A Obesidade é uma alteração metabólica que vem crescendo em todo o mundo. A incidência de Diabetes tipo 2 aumenta em números alarmantes. A relação causal e a correlação entre inflamação, obesidade, resistência á insulina e diabetes tipo 2 [2] fez surgir o interesse na busca de agentes antiinflamatórios capazes de agir nas vias moleculares da inflamação. A própolis [1] é um produto natural, rico em compostos fenólicos, que possuem atividade antioxidante, antiinflamatória, entre outras. Esse trabalho tem como objetivo estudar os efeitos da própolis nas etapas iniciais da via da sinalização da insulina em modelo de obesidade e resistência á insulina induzida por dieta hiperlipídica.

2. Material e Métodos

Camundongos da linhagem SWISS foram

divididos

em

3

grupos:

controle

comercial

(NUVILAB CR-1); controle hiperlipídico (AIN-93

modificada para hiperlipídica); Hiperlipídico +

própolis

300mg/Kg

de

peso

tratados

por

4

semanas. A própolis foi administrada diariamente através de gavagem. Ao final do

tratamento foi feito

o

teste de tolerância

a

glicose. Após 5 dias os animais foram sacrificados e o tecido hepático foi coletado

para

a

análise

das

proteínas por Westem

blotting.

 

3. Resultados e discussão

Na Figura 1 observamos que os animais tratados com própolis apresentam melhora na tolerância à glicose. A análise das proteínas envolvidas nas etapas iniciais da sinalização da insulina mostrou que os animais tratados com própolis apresentaram um aumento na fosforilação dos substratos 1 e 2 do receptor de insulina (Figuras 2 e 3).

.

25

20

15

10

5

0

Teste de tolerância oral a glicose

mM/L Estudo dos efeitos da própolis na resistência à insulina em obesidade induzida por dieta hiperlipídica
mM/L Estudo dos efeitos da própolis na resistência à insulina em obesidade induzida por dieta hiperlipídica
mM/L Estudo dos efeitos da própolis na resistência à insulina em obesidade induzida por dieta hiperlipídica

Basal

20 min

40 min

60 min

120min CTL (n=12)
120min
CTL (n=12)
Própolis (n=5) Hiper (n=14)
Própolis (n=5)
Hiper (n=14)

Figura 1. Teste de tolerância oral à glicose nos animais controle comercial, animais com dieta hiperlipídica e animais com dieta hiperlípídica tratados com própolis.

mM/L Estudo dos efeitos da própolis na resistência à insulina em obesidade induzida por dieta hiperlipídica
mM/L Estudo dos efeitos da própolis na resistência à insulina em obesidade induzida por dieta hiperlipídica

Figura 2: Análise de Western Blotting da fosforilação e expressão do substrato 1 do receptor de insulina (IRS-1) no tecido hepático de animais controle comercial, com dieta hiperlipídica e com dieta hiperlipídica tratados com própolis (CTL n=4, Hiperlipídica n=4, Própolisn=3.)

mM/L Estudo dos efeitos da própolis na resistência à insulina em obesidade induzida por dieta hiperlipídica

Figura 3: Análise de Western Blotting da fosforilação e expressão do substrato 2 do receptor de insulina (IRS-2) no tecido hepático de animais controle comercial, com dieta hiperlipídica e com dieta hiperlipídica tratados com própolis (CTL n=4, Hiperlipídica n=4, Própolisn=3.)

4. Conclusões

Os resultados indicam que a própolis leva a melhora na resistência à insulina, sendo uma das possíveis vias, a restauração na fosforilação do IRS2 no fígado dos animais alimentados com dieta hiperlipídica.

5. Referências Bibliográficas

[1]Burdock GA. Food Chem. Toxicol. 36:

347-363, 1998. [2]Montminy M, Koo,S.H. Nature 432: 958- 959, 2004.