Anda di halaman 1dari 13

Madeira Emigrante

Madeira Emigrante
Serviço de Notícias Regionais

Madeira aprova Orçamento


de 1.531 milhões de euros para 2010
A Assembleia Legislativa da Madeira aprovou quarta-feira, com os votos favoráveis do PSD, contra
do PS, CDU e BE e abstenções do CDS e PT, a proposta de Plano e Orçamento da Região para
2010, que inscreve um valor de 1.531 milhões de euros.
No habitual discurso de encerramento, o presidente do Governo Regional disse com clareza a todos
os deputados que a estratégia para os próximos dois anos “é de dureza”, mas que mesmo assim o
Governo pretende lançar todas as obras previstas.
Os tempos vizinhos são no entender do próprio Alberto João Jardim dos “mais difíceis de todos os
anos de governo”, não só pelo crescimento da dívida regional, como pelas infra-estruturas que
faltam concretizar até 2011.
Mais optimista para 2012, Jardim afiança que a Região estará em condições de iniciar um “novo
ciclo político-económico”, e de rentabilização das infra-estruturas agora criadas, já que para essa
altura “estarão previstas receitas para amortecer a dívida pública regional”.
Sublinhando a necessidade de entendimento com a Banca, os empresários e os trabalhadores, o líder
madeirense recuperou a ideia de tornar a Madeira uma espécie de Singapura da Europa, enquanto
praça financeira de desenvolvimento económico.
“Tal como ficou demonstrado, para enfrentar crises e desafios temos de ter meios que nos permitam
a proximidade com a população e desenvolver um projecto político”, lembrou o líder madeirense
questionando se o Estado Português, em sede de revisão constitucional, “nos vai dar os meios a que
temos direito e que precisamos para ultrapassar as dificuldades económicas que não as teríamos se a
autonomia política da Madeira fosse maior e se não houvessem as restrições que existem em relação
ao poder legislativo do parlamento”.
A propósito da revisão constitucional, Jardim disse-se contra a independência, que considerou não
ser benéfica, neste momento, para a Madeira, mas foi avisando que se continuarem a ser negados os
meios próprios a que o povo tem direito, “então temos de pensar noutros caminhos”.
Falando do Orçamento para 2010, o qual estabelece um corte de 5% nas despesas correntes e
reserva 60% para questões sociais e de combate ao desemprego, Alberto João Jardim não deixou de
tecer duras críticas ao Governo da República por retirar à Madeira 1% nas receitas de IVA da
Madeira Emigrante

Região Autónoma da Madeira.


Esta questão levou o líder regional a dizer que o Governo da República “violou” compromissos
anteriormente assumidos com a Madeira e a afirmar mesmo que Lisboa “sugou” a Madeira “durante
mais de cinco séculos”, contrariando assim a ideia de que “os madeirenses continuam a viver à
custa dos continentais, o que é mentira”.

Saúde e desemprego dominaram debate


do Orçamento na Assembleia Legislativa
O período de perguntas e respostas durante a discussão e do Orçamento da Região para 2010 foi, na
generalidade, calmo e sem grandes surpresas. No pouco tempo que tiveram, quer os membros do
governo, quer os deputados regionais dirimiram os seus argumentos sempre numa entoada morna.
O mais veterano dos secretários regionais, Brazão de Castro, foi quem abriu os debates sectoriais
apresentando os dados oficiais do desemprego. Segundo enunciou, a Madeira tem actualmente uma
taxa de 7,9%, contra a média europeia de 9,3% e de mais de 10% de Portugal.
A oposição, através dos deputados do PS e do BE, Carlos Pereira e Fernando Letra, contrariam a
versão do Governo, afirmando que os cerca de 13 mil desempregados existentes na Madeira
deverão superar a taxa apresentada. Brazão de Castro lembrou que os números são do INE e
aproveitou para dizer que em 2010 o Governo Regional irá disponibilizar 12 milhões de euros, mais
38% face a 2009, para o combate ao desemprego, através de apoios a desempregados de longa
duração, de criação do próprio emprego, na contratação de desempregados e em medidas de
formação.
Brazão de Castro aproveitou a oportunidade para informar que o Instituto do Emprego conseguiu
garantir a colocação de 1509 desempregados no mercado, tendo também registado 121 candidaturas
para a criação de postos de trabalho em empresas e prestado apoio a 57 pessoas para a criação do
seu próprio emprego.
Em termos de desemprego qualificado, este terá atingido 759 licenciados de diferentes áreas, o que
representa 5,9% dos desempregados da Região.
Igualmente serena foi a intervenção do responsável da Saúde, com Francisco Jardim Ramos a
confirmar a não construção de um hospital no Porto Santo, nos próximos anos, e a garantir que os
problemas nos centros de saúde e nos serviços do Hospital Dr. Nélio Mendonça, motivados por
mudanças nos serviços, estão resolvidos.
O secretário regional argumentou que esta situação gerou-se com a necessidade de se efectuarem
alterações profundas nalguns serviços, assim bem como o controlo de despesas, mas que agora tudo
Madeira Emigrante

estará sanado.
Por sua vez, o secretário regional de Educação - sector que absorve 429 do Orçamento - falou
resultados obtidos no ensino profissional e nas apostas feitas na inovação, no apoio social e na
estabilidade de quadros de docentes.
Francisco Fernandes, que tutela também a pasta da Cultura, viu subir em 56% o orçamento para este
sector, mas também viu perder 11% do orçamento destinado ao Desporto.
Como sempre, o desporto é um dos temas quentes nos debates do Orçamento Regional, com a
oposição a acusar o Governo de desperdiçar verbas e a criticar a atribuição de subsídios, em
particular ao futebol profissional, mas curiosamente este ano os assuntos que geraram maior
discussão foram a saúde e o desemprego.

Mau relacionamento institucional teve


"repercussões negativas" na economia regional
O secretário das Finanças da Madeira afirmou no último dia 15, que o relacionamento institucional
entre os executivos central e madeirense tem sido um "elemento gerador de repercussões negativas"
na região, quando a conjuntura económica exigiria um reforço da solidariedade nacional.
Ventura Garcês falava na Assembleia Legislativa da Madeira, na abertura do discussão do
Orçamento e Plano da Região para 2010, no valor de 1.531 milhões de euros, que contou com a
presença de todo o elenco do Governo Regional, incluindo Alberto João Jardim, que logo após o
discurso do secretário das Finanças abandonou o hemiciclo.
"Neste contexto, não deixa de ser inevitável fazer referência ao relacionamento institucional entre o
Governo da República e Regional, que tem constituído mais um elemento gerador de repercussões
negativas -- num quadro já de si extremamente desfavorável - quando seria de esperar, isso sim, o
reforço da solidariedade nacional no sentido de esbater os efeitos da conjuntura adversa", declarou
Ventura Garcês.
O governante destacou que o executivo insular está "empenhado em garantir a manutenção da
estabilidade económica e social da região", sublinhando que um dos pontos determinantes da
actuação será o combate ao desemprego no arquipélago, motivo pelo qual está previsto um "reforço
das dotações orçamentais na política de promoção e do emprego".
Apontou que o saldo corrente previsto para o próximo ano é "excedentário em 5,1 milhões de euros
e as receitas correntes previstas são superiores às despesas totais de funcionamento". Ventura
Garcês disse que para cobrir as necessidades de financiamento do Orçamento para 2010 está
previsto um endividamento líquido na ordem dos 180 milhões de euros, valor aquém daquele que
Madeira Emigrante

resultaria da capitação", atestando que "vão ser realizados e aproveitados todos os fundos
comunitários".
Referiu que o Governo Regional espera ver regularizados acertos relativos aos anos anteriores com
o Estado, sendo 53,2 milhões de transferências orçamentais e 25,6 milhões para projectos da
agricultura.
Respondendo às perguntas dos deputados durante 40 minutos, Ventura Garcês garantiu também que
"não haverá aumento da carga fiscal", a menos que esta medida seja adoptada a nível nacionalSobre
a construção do novo hospital do Funchal, o governante adiantou que caso a sua realização não seja
aprovada como "projecto de interesse comum" pelo Governo da República, o executivo regional
fará uma parceria público-privada para a execução da obra", garantindo que os serviços de saúde
"serão sempre públicos e não privatizados".
Criticou ainda o anterior Governo da República pelo facto de ter "cortado 85 milhões de euros do
Fundo Coesão da União Europeia para Região por motivos político-partidários" e apontou que a
dívida real da Madeira, com base nos dados do Instituto Nacional de Estatística, é de 18 por cento
do PIB.

Vendaval arrancou iluminações


de Natal na Ribeira Brava
A vila da Ribeira Brava foi fustigada, no último dia 15, durante breves minutos por ventos intensos
e chuva que arrancaram iluminações de Natal, esplanadas e telhados, segundo fonte dos bombeiros.
O Comandante dos Bombeiros da Ribeira Brava, Agostinho Silva, disse à agência Lusa que "tudo se
passou depressa demais, com registo de chuvas intensas e vento forte".
"As iluminações de Natal que estavam presas por mastros, na frente mar da vila, foram arrancadas e
acabaram por partir a varanda onde estavam agarradas", disse. Adiantou ainda que "a ribeira estava
com um enorme caudal.
Uma testemunha contou à Lusa que "tudo aconteceu de repente". Passavam poucos minutos das 11
horas do dia 15, quando um "vento forte de sentido Norte/Sul, levou iluminações de Natal,
esplanadas, arrancando tudo", disse.

Mau tempo na Madeira


provoca estragos em várias “frentes”
O mau tempo que se abateu sobre a Madeira nos últimos dias provocou danos materiais de alguma
monta por toda a Ilha, mas sobretudo nas encostas viradas a Norte, e deixou o Porto Santo sem
Madeira Emigrante

ligações marítimas durante dois dias.


Em algumas zonas, as rajadas de vento atingiram os 130 km/h e as fortes chuvas provocaram
problemas no trânsito e algumas inundações.
A Ribeira Brava foi uma das zonas mais fustigadas pelo mau tempo, onde os fortes ventos
destruíram telhados, esplanadas, iluminações de Natal e provocaram a queda de árvores.
O vento e a chuva provocaram ainda derrocadas em diversas zonas da Ilha, havendo zonas de baixa
altitude a registarem rajadas de vento na ordem dos 120 e 130km/h.
No Funchal, os bombeiros foram chamados para acudir a situações de inundações em várias casas e
para remover da estrada árvores que se abateram com a força do vento.
O Aeroporto da Madeira esteve encerrado durante algumas horas, provocando o cancelamento de
nove voos provenientes do Porto Santo, Lisboa, Las Palmas e Gatwick. Ao final da tarde de quarta-
feira, as operações já decorriam com normalidade.
Também no mar, a forte ondulação, que variava na costa norte com ondas de noroeste de 2,5 a 5
metros e na costa sul com ondas entre os 3 e os 4,5 metros, provocou atrasos nas ligações, em
particular com o Porto Santo.
O Serviço Regional de Protecção Civil mantém o alerta “amarelo” para a Região e recomenda à
população a “tomada das necessárias e habituais medidas de precaução e, particularmente,
desaconselha os percursos auto e apeados, sobretudo nas zonas montanhosas e vertentes expostas”.

Empresário José Avelino Pinto


foi homenageado na Câmara do Funchal
A Câmara Municipal do Funchal homenageou esta semana o empresário madeirense já falecido
José Avelino Pinto, natural de Câmara de Lobos, com o lançamento da biografia “José Avelino
Pinto - Um Construtor da Madeira Nova”.
A cerimónia de apresentação da obra, de autoria do escritor Emanuel Janes a pedido da filha do
empresário, Lúcia Pinto, decorreu no Salão Nobre da CMF, juntando amigos e familiares do
empresário.
Alberto João Jardim, que fez questão de marcar presença nesta homenagem ao amigo José Avelino
Pinto, recordou o homem de “palavra dada, palavra cumprida”, “sério, honesto” e que fazia “obras
impecáveis”, que viveu entre 1941 e 1998 e “subiu a pulso na vida”.
O presidente do Governo aproveitou a ocasião para lembrar «outros empresários», mais
precisamente «da casta velha da Madeira, quase sempre estrangeiros», que nunca perdoaram que
homens vindos do povo subissem tão alto.
Madeira Emigrante

Por sua vez, Lúcia Pinto, a filha do empresário homenageado, manifestou a sua satisfação por ter
conseguido concretizar o sonho que o seu pai tinha de não ser esquecido quando morresse.
Já o autarca funchalense lembrou as obras «muito, muito difíceis» que José Avelino Pinto ajudou a
câmara a construir, como a recuperação total da Rua 31 de Janeiro e a de São João Latrão, que
iniciou.
Miguel Albuquerque sublinhou que José Avelino Pinto “foi um homem que deixou boas
recordações e é um bom exemplo para as novas gerações”, tendo sido ainda “um homem de grande
afectividade, alegria de viver e muito ligado à família”.

Confirmados 493 casos


de Gripe A na Madeira
O Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais contabilizou a existência de 299 casos de
gripe A nas escolas e creches da Região.
O primeiro caso foi notificado a 21 de Outubro na Escola da Lourencinha, em Câmara de Lobos,
chegando ao Funchal a 6 de Novembro, na Escola do Tanque, em São Roque.
Segundo um relatório do IASAUDE, destes 299 casos de gripe A confirmados até 13 de Dezembro,
173 foram do sexo masculino, sendo a média dos alunos de 9 anos, com um desvio padrão de
quatro anos.

Secretário regional das Finanças


satisfeito com acordo de 79 milhões de euros
O secretário regional do Plano e Finanças, Ventura Garcês, congratulou-se com o entendimento
entre os governos da República e Regional e anunciou que apresentou uma candidatura de
empréstimo de mais 34 milhões de euros ao ministro das Finanças.
Ventura Garcês fez esta revelação durante o debate sobre a alteração ao Orçamento Regional de
2009 que contempla a possibilidade da Região recorrer ao empréstimo de 79 milhões de euros já
autorizado pela Assembleia da República.
"No dia 02 de Dezembro, apresentámos uma autorização ao ministro das Finanças para contracção
de mais 34 milhões de euros para projectos co-financiados", disse. Esta proposta, que não tem de ir
à Assembleia da República, está dependente de despacho do ministro das Finanças ao abrigo do
financiamento de projectos co-financiados.
Ventura Garcês considerou positivo que a Assembleia da República e o PS tenham entendido a
proposta de endividamento "para bem dos madeirenses". "Faço votos para que no futuro haja cada
Madeira Emigrante

vez mais um maior fortalecimento dessas relações para bem dos dois governos", declarou.
"Efectivamente houve aqui uma abertura, um primeiro passo que foi, de facto, esta questão do
aumento do endividamento aprovado na Assembleia da República", reconheceu o governante
madeirense. "Só tenho pena que muitas coisas podiam ter sido feitas na anterior legislatura",
lamentou numa alusão à Lei de Finanças Regionais.

Inaugurada primeira mesquita


no Arquipélago madeirense
Foi inaugurada, no último dia 14, a primeira mesquita no Arquipélago da Madeira e 34ª em
Portugal, recordando o imã local, Abdel Lasri, que a comunidade islâmica se reunia há cerca de
cinco anos num apartamento no Funchal.
Na cerimónia, o presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim agradeceu o "trabalho
desenvolvido pela comunidade islâmica em prol da Região e a forma generosa como se integrou
com o povo da Madeira".
Alberto João Jardim criticou o facto das actuais sociedades terem "caído no materialismo despido
de humanismo", comentando: "Apesar da Europa ter atingido o desenvolvimento, a perda dos
valores da espiritualidade acabará por ser a decadência de uma forma de viver". O presidente da
comunidade islâmica em Lisboa, Abdool Karim Vakil, considerou, por seu lado, que "Portugal é um
exemplo ímpar de respeito mútuo e convívio harmonioso entre etnias, que vivem lado a lado,
contribuindo para o desenvolvimento da Madeira".
Salientou que esta inauguração surge num "contexto europeu algo estranho, onde existem
manifestações de xenofobia e islamofobia". Para ele, "todas as religiões são caminhos diferentes
que nos conduzem ao mesmo Deus". Apelou ao esforço de todos, no sentido de "transformarem as
espadas em arados, fazendo do actual mundo de desavenças um lugar melhor".
A cerimónia de inauguração da mesquita contou com a presença dos embaixadores do Irão, Arábia
Saudita e representantes da Líbia, e elementos de diversas religiões da Madeira.
O imã da Madeira, Abdel Lasri, referiu que a comunidade islâmica "está a crescer e agora tem mais
condições para receber as diferentes culturas, o que é importante para ligação com a comunidade
madeirense".O grupo é composto por cerca de 700 pessoas, sendo a maioria africana mas existindo
também cidadãos do Paquistão, Cazaquistão, Bangladesh, Índia e alguns árabes.
Madeira Emigrante

Comissão Permanente dos Assuntos Económicos do Conselho das Comunidades Portuguesas

Por sugestão de José António Gonçalves, conselheiro das Comunidades Portuguesas, membro da
Comissão Permanente dos Assuntos Económicos e conselheiro Permanente das Comunidades
Madeirenses, apresentamos as conclusões do último encontro da Comissão Permanente dos
Assuntos Económicos do Conselho das Comunidades Portuguesas:

Conselho das Comunidades Portuguesas

COMISSÃO PERMANENTE DOS ASSUNTOS ECONÓMICOS (CPAE)


Lisboa, 3 e 4 de Dezembro de 2009

CONCLUSÕES:

A Comissão Permanente dos Assuntos Económicos (CPAE) reunida em Lisboa de 3e 4 de


Dezembro de 2009, ouviu com muito interesse as exposições da NETINVEST (Embaixadora
Margarida Figueiredo e Dr. André Magrinho), do Secretário de Estado Turismo (Dr. Bernardo
Trindade), AICEP (Engº RuiBoavista Marques – Administrador Executivo) e Dr. Renato Leal,
Adjunto doGabinete do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, emrepresentação do
mesmo.

Depois de analisado o conteúdo das mesmas apraz-lhe recomendar às entidades


competentes, o seguinte:

NETINVEST
- A Comissão Permanente dos Assuntos Económicos (CPAE) insiste nassuas recomendações de
Março último e reafirma a necessidade de verviabilizada com carácter de extrema urgência a
implementação da NETINVEST.
Nesta conformidade volta a recomendar
- Que seja feito um levantamento rápido e exaustivo das empresas de capitalde portugueses no
estrangeiro.
- Que seja lançado um primeiro concurso destinado aos empresários dasComunidades Portuguesas.
- Que se reconheça a CPAE como parceiro permanente envolvido na acção daNETINVEST.
Madeira Emigrante

A CPAE tomou conhecimento que a Embaixadora Margarida Figueiredo –Directora-Geral dos


Assuntos Técnicos e Económicos do Ministério dosNegócios Estrangeiros tem a NETINVEST sob
a sua alçada e está disponívelatravés do endereço electrónico dgam@sg.mne.gov.pt para prestar
quaisqueresclarecimentos sobre esta tão importante ferramenta institucional.

* A CPAE tomou boa nota que a sua recomendação relativa à “Mostra dasEmpresas com capitais
portugueses ou de luso-descendentes” tipo Workshoppode ser, em determinados casos, apoiada
economicamente como evento de divulgação da NETINVEST.
* A CPAE congratula-se com a assinatura do Memorando de Entendimentoestabelecido entre os
Ministérios das Finanças e Administração Pública e d aEconomia e Inovação com a AIP-CE, a CIP
e AEP visando o estabelecimento duma parceria para a internacionalização das PME’s e tendo como
objectivoreforçar a qualificação, o investimento e a inovação. Mais solicita que sejadivulgado junto
do Conselho das Comunidades Portuguesas em geral e daComissão Permanente dos Assuntos
Económicos em particular, o conteúdo domesmo, a fim de ser feito o melhor aproveitamento por
parte dos empresários da Diáspora.

SECP/AICEP
A CPAE regozija-se com o facto de que, a sua recomendação para que os jovens portugueses
licenciados possam também estagiar nas empresas de propriedade de empresários portugueses e nas
Câmaras de Comércio de Portugal ser já, decerto modo, possível via o Programa INOV-
CONTACTO. Para este efeito, estasentidades devem candidatar-se on-line via o site
www.portugalglobal.pt.
A CPAE ao tomar conhecimento de que está em vias de concretização o importantíssimo Programa
INOV-MUNDUS a cargo do Ministério dos Negócios Estrangeiros destinado a facultar estágios a
jovens luso-descendentes, no âmbito da Cooperação com os países de acolhimento, apela a que o
mesmo tenhaem atenção os países de maior concentração das nossas Comunidades e que o mesmo
seja finalizado sem demora e divulgado também via o CCP e as suas Comissões Permanentes.

A CPAE recomenda que a AICEP incentive as suas Delegações a estreitar, cada vez mais, as
relações de colaboração com as Câmaras de Comércio de Portugal,a fim de aproveitar o esforço
comum. Isto, a bem da divulgação da Economia Portuguesa com realce para o apoio às PME’s com
capitais de Portugueses ou/luso-descendentes cujo acesso às entidades oficiais portuguesas continua
Madeira Emigrante

limitado.
A CPAE ouviu com atenção o que a AICEP reserva para alguns países de acolhimento,
nomeadamente, África Austral, Magreb e alguns países da Ásia e tomou boa nota de que todos os
Conselheiros da CPAE vão receber diariamente o Boletim da AICEP “Portugal News” e que a sua
nova interlocutora com a AICEP passa a ser a Dra. Elisabete Guerreiro – E-
mail:elisabete.guerreiro@portugalglobal.pt.

TURISMO/COMUNIDADES

- A CPAE manifesta a sua satisfação por, no encontro com o Senhor Secretário de Estado do
Turismo, ter constatado que as suas recomendações de Março último, foram em parte, atendidas
nomeadamente no que se relaciona com umamaior e melhor divulgação do destino Portugal nos
principais países de acolhimento com a atribuição de 2 milhões de euros.
- A CPAE lembra para os fins considerados como mais convenientes, que aOrganização Mundial de
Turismo Capítulo Latino-América será presidida em2010 pela Venezuela e de que sua Assembleia-
Geral terá lugar em Abril do próximo ano.
- Manifesta também a sua satisfação por constatar que a Comunidade Portuguesana África do Sul
vai ser parte integrante da dinâmica promocional do nosso País aquando do campeonato do Mundo
de 2010.
- Recomenda que esta mesma oportunidade seja aproveitada para dar a conhecer a potencialidade de
Portugal como País de oportunidades em matéria de negócios e investimentos.
- Volta a insistir na necessidade de que se aproveite o mesmo momento paraefectuar nas Agências
de Viagens e Turismo, Seminários de Venda do destinoPortugal, acompanhados por uma maior
distribuição de propaganda turística epresença em feiras do sector na África do Sul, designadamente
Lusito Landque terá lugar em fins de Abril de 2010.
- Em virtude de um período de férias escolares excepcionais, na África do Sul durante a realização
do Campeonato do Mundo, a CPAE recomenda que a TAP-Ai rPortugal e os demais parceiros
proporcionem preços super competitivos que possibilitem a criação de pacotes turísticos
promocionais da África do Sul para Portugal.
- A CPAE regista com agrado o interesse com que o Senhor Secretário de Estadodo Turismo
acolheu esta proposta e sobretudo a disponibilidade quemanifestou para proceder aos contactos com
a transportadora aérea e demaisentidades relacionadas com este processo.
Madeira Emigrante

REMESSAS PARA PORTUGAL


- A CPAE consciente do clima de grande dúvida que continua a pairar nas populações emigrantes,
nomeadamente quanto à pertinência da continuidade das suas remessas para Portugal, volta a propor
que as entidades relacionadas com estes assuntos se debrucem sobre a implementação de medidas
que transmitam a necessária confiança e garantam aos portugueses residentes no estrangeiro a
segurança das suas economias depositadas nas Instituições Financeiras do nosso País.

Desporto

Lista de atletas de bom nível


na "São Silvestre" do Funchal
A Associação de Atletismo da Madeira (AAM) organiza a 51.ª Volta à Cidade do Funchal, a 28 de
Dezembro, apresentando uma lista de atletas de bom nível, tanto nacionais como internacionais. O
presidente da AAM, Policarpo Gouveia, revelou à Agência Lusa, que estão já confirmados
"grandes nomes do atletismo nacional e internacional", nomeadamente o queniano Kiprono Menjo e
a portuguesa Jessica Augusto, que irão tentar defender o título de 2008.
Segundo Policarpo Gouveia, estarão na "São Silvestre" madeirense nomes como Josphat Bett
(campeão mundial de juniores 2008), Rui Pedro Silva (campeão português de Corta-Mato 2007),
Hans Janssens (campeão Europeu de Corta-Mato), Krijn Van Koolwijk, Francisco Bachiller
(Campeão de Espanha dos 5.000 mts e Corta-Mato), António Travassos, Sérgio Silva, Manuel
Damião, Manuel Magalhães, Alberto Paulo, Bruno Jesus, Tiago Rodrigues, Bruno Albuquerque e
Eduardo Mbegani.
Em femininos, a prova insular irá contar com Fernanda Ribeiro, Inês Monteiro, Iness Chenonge,
Veerle Dejaeghere e Eunice Jepkorir. "Garantida a qualidade, a nossa aposta vai agora para a
segunda meta que é a de atingirmos 1200 participantes, o que constituiria um recorde nacional",
realçou Policarpo Gouveia.
Segundo o presidente da Associação de Atletismo da Madeira, face ao número de atletas que ao
longo do ano têm aderido às provas realizadas, "este número é possível de alcançar".
A prova, fortemente acarinhada por milhares de madeirenses que enchem as principais ruas do
Funchal, tem uma extensão de seis mil metros, com partida e chegada junto ao cais da cidade,
realiza-se a partir das 21:00 horas. A prova é antecedida de uma competição mais curta para jovens,
Madeira Emigrante

entre os 11 e os 15 anos e de uma marcha denominada "VII Volta pela Saúde", aberta à população
em geral.

Obras no Estádio dos Barreiros


estão dentro da legalidade
A direcção do Marítimo esclareceu, no último dia 13, que as obras que decorrem no Estádio dos
Barreiros decorrem dentro da legalidade e do projecto aprovado. "É falso que haja qualquer
ilegalidade na obra de remodelação do Estádio dos Barreiros", garantiu a direcção do clube, em
comunicado, lido pouco antes do jogo com o Rio Ave, da 13.ª jornada da Liga de futebol.
O clube madeirense assegurou que "todos os trabalhos desenvolvidos estão de acordo com a
legislação em vigor, licenças emtidas e demais autorizações". No comunicado, o Marítimo disse
estar em condições de assegurar aos seus sócios, adeptos e simpatizantes que a obra em curso não
sofrerá qualquer paragem.
A reacção da direcção do clube madeirense, surgiu depois de uma notícia publicada no DN do
Funchal, que avançava com a possibilidade das obras poderem parar por eventual diferendo entre o
clube e a Câmara Municipal do Funchal.
O matutino madeirense refere na notícia que "o Marítimo não tem na sua posse o necessário alvará
de construção", existindo um diferendo que resulta num impasse sobre pagamento de taxas e
licenças, que o clube se terá recusado a pagar numa primeira instância, por entender que o valor
(cerca de 600 mil euros) era exorbitante e que outros clubes ficaram isentos.
O DN refere que o clube sentiu-se na obrigação de mostrar que tem estatuto de utilidade pública e
como tal deveria ficar isento das taxas e licenças.
A autarquia do Funchal, em reunião camarária, terá refeito as contas, e deliberou que o Clube Sports
Marítimo terá de pagar à Câmara, 250 mil euros para poder continuar com a obra. Sobre esta
decisão camarária, o comunicado do Marítimo não esclarece se já procedeu ao respectivo
pagamento, apenas garantindo que, efectivamente, "as obras no Estádio dos Barreiros não vão
parar".

Jokanovic assume comando


técnico do Nacional
O sérvio Predrag Jokanovic assumiu o comando técnico do Nacional, devido à ausência prolongada
do treinador Manuel Machado, anunciou o clube madeirense, quarto classificado da Liga
portuguesa de futebol. Jokanovic, que já treinou o Nacional nas épocas 2006/07 e 2007/08, orientou
Madeira Emigrante

o treino vespertino realizado hoje no Estádio da Madeira e vai ocupar o lugar de Manuel Machado,
que está internado no Hospital do Funchal desde 27 de Novembro.

Madeira Emigrante *** 20 de Dezembro de 2009 *** FIM