Anda di halaman 1dari 32

Semanário Regional de Informação Director: João Campos www.jornalnordeste.

com
nº 688. 5 de Janeiro de 2010 . 0,75 euros

Cancro ameaça pinheiros


“A floresta portuguesa está por um fio”, alerta a Associação
Nacional de Empresas Florestais, Agrícolas e do Ambiente

DESPORTO Rª. Abílio Beça, nº 97, 1º


Tel: 273 333 883 - BRAGANÇA
IMOPPI Nº 50426

Macedo lidera
III Divisão
ADMINISTRAÇÃO INTERNA

Ministro reúne
governadores
civis em Miranda
BRAGANÇA Patronato
planeia futuro
Empresa de Inserção é um dos projectos
Réfega cumpre da Casa de Trabalho para alargar
tradição dos Reis respostas sociais

5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE 


OPINIÃO

Teatro Popular
turgo Orlando Vitorino fez o favor de
ser meu amigo, orientador e Mestre
concedendo-me o privilégio de ensi-
nar-me a toda a hora e momento que
ting invadem-nos colocando ao nosso presentações de alta qualidade mas devemos fidelidade à base, ao solo
alcance espectáculos e produtos li- cujas raízes estão e provêm do povo. e ao sólido. Tento não esquecer tais
vrescos banais, estou a ser indulgen- Não me referirei, pois, à melindrosa ensinamentos. A realização anual ou
Armando Fernandes bianual do Festival de Teatro Popu-
te, enquanto jóias da nossa cultura questão das causas do olvido, muito
– o caso do teatro popular – são pos- menos criticar seja quem for, mas lar seria (será) acontecimento de alto
No mês de Novembro, de forma tergadas ou acorrentadas na caverna se puder influenciar os decisores no significado na divulgação da herança
acidental troquei impressões com a do esquecimento. O tesouro é gran- sentido de o teatro popular readqui- cultural oriunda do terrunho trans-
Dra. Helena Genésio sobre a progra- de, peças alusivas ao Natal, lembro rir espaço – logo programação – fico montano e justa homenagem a figu-
mação do Teatro Municipal, dificul- as seguintes: Colóquio dos Pastores, embevecido, pois valeu a pena esta ras do talante de António Mourinho,
dades custos e públicos. Na ocasião Intermédio dos Caldeireiros, Passo chamada de atenção. Alvitro ainda: António Mourinho Júnior. Belarmino
lembrei a importância do teatro po- de S. José, Recitação de Santa Isa- a realização de um grande festival a Afonso, Francisco Rodrigues, Fran-
pular – especialmente –, do telúrico bel, Adoração do Deus Menino, Se- ele dedicado sem esquecer a possibi- cisco Videira Pires, Firmino Martins,
teatro popular transmontano. Uma gunda Pastorada, Entrada dos Reis lidade de ao mesmo tempo ser levado o cauteleiro Germano Gaioso, Hi-
excêntrica ocorrência de natureza em Belém e Embaixadores. Neste a efeito um Congresso (Seminário ou rondino Fernandes, João Carvalho,
cultural obrigou-me a interrogar li- tempo alguma destas peças mereceu Simpósio) onde as diversas artes da Manuel José Lopes e todos quantos
vros nos quais vêm referidas e es- a atenção das Escolas? Dos Centros arte de Talma sejam discutidas, ana- guardaram e trabalharam de modo
tudadas peças do nosso teatro de Culturais? Deixo as perguntas. A lisadas e recreadas. O grande Mestre a não ser perder pedra tão preciosa.
extracção e, sem espanto, mais uma torto e a direito clamamos contra a Paulo Quintela trouxe a Bragança o Não é a primeira, nem será a última
vez, verifiquei a espantosa e relevan- indiferença reinante em relação aos TEUC, trouxe igualmente os Jograis que lembro o teatro popular. Em
te riqueza existente nessa área. Não patrimónios imateriais, no entanto, de São Paulo (o Fernando Pires lem- vésperas de passagem de ano, talvez
é esta a altura azada para tecer con- por nás e nefas as Escolas seguem a bra-se), os estudantes concediam o Menino Jesus da cartolinha faça o
siderações sobre teatro e espectáculo moda no referente à literatura para atenção a Mestre Gil e o público res- milagre de no próximo termos Festi-
e persona: máscara, no entanto, até crianças, nalguns teatros prevale- pondia entusiasticamente. É minha val. Um Festival a internacionalizar.
no referente a esses parâmetros o ce uma programação centrada no convicção que um Festival de Teatro
teatro popular proporciona fundas e vestuário que não vá muito além da Popular também lograria o genuíno PS. Eu sei que há gente esforçada
vibrantes emoções. Estamos na épo- tanga a cobrir o corpo, colocando no favor de toda a sorte de gente – mi- na recolha de imateriais, caso de Ale-
ca natalícia, a propaganda e o marke- cesto das velharias expressões e re- údos e graúdos. O filósofo e drama- xandre Parafita.

Vendavais dos tomássemos banho neste início


de ano para tirar toda a porcaria de
cima e vestirmos uma roupa nova, la-

Ano novo roupa velha vada e podermos começar a sério um


ano a que não basta desejar boas ven-
turas, mas sim fazer por elas. Todos.
É que não tomar banho e não vestir
Luís Ferreira Comecemos por algumas “coisas” São quase todos. Era só o que faltava! roupa lavada no começo de mais um
do nosso Portugal. Se o nosso país Mas afinal com o que contamos? ano é querer continuar com toda a
Chegámos a 2010. Para trás ficou fosse igual ao que aparece caricatu- O certo é que apesar de serem sujeira que temos em cima e não
um ano que merece ser esquecido, rado, por exemplo, nas novelas de poucas as coisas que transitam do sermos sequer capaz de tentar lavar
embora isso seja impossível, dadas as produção interna, seríamos um ban- ano passado, elas são muitas as más. a cara! Que nojeira! Também tomar
suas especificidades em vários aspec- do de malfeitores, de maldizentes, Mesmo sem querer, as novelas de banho e continuar a vestir a mesma
tos, envolvendo toda a nossa socieda- de ladrões, de arruaceiros e de apro- 2009 continuam em 2010 e o que roupa suja, não é nada saudável!
de. Foi um ano de loucura, de crise, veitadores. É verdade. As novelas era desejável é que essas atrocidades O mundo vive momentos contur-
de manifestações, de má governação, portuguesas que passam nas nossas vivenciais não se projectassem neste bados. Não é só o nosso país. Era bom
de más soluções e de remendos. Não televisões têm todas características ano novo. A má governação não sei que se conseguisse sanear completa-
poderíamos jamais esquecer um ano comuns, que são os maus que andam se transitará para este ano, mas pelo mente o terrorismo e os atentados
assim. constantemente a tramar a vida dos começo não dá muitas esperanças de criminosos que vieram com o novo
Não vale a pena socorrermo-nos outros, os que se tentam aproveitar ser diferente. A única coisa diferente ano, que se ultrapassasse a crise eco-
de artifícios para julgar quem quer disso, os que pagam para que isso é o governo não ter maioria, mas pos- nómica e social em que estamos mer-
que seja e querermos solucionar os aconteça e alguns, poucos, inocentes sivelmente isso pode ser vantajoso gulhados, que houvesse um entendi-
erros cometidos adiantando críticas que são apanhados nas malhas des- para quem não quer governar. É mais mento global para salvar o planeta
e mais soluções que não passariam tes ladrões e aldrabões e que no final fácil atribuir culpas! Basta vermos o e acabar com a fome, que houvesse
disso mesmo. As coisas são mais pro- lá saem mais ou menos bem destas que está a acontecer nas negociações mais amor, compreensão, felicida-
fundas. Muito mais. armadilhas. Não há nada de salutar, para o Estatuto da Carreira Docente. de. Só assim os votos de um bom ano
O novo ano, que todos nós augu- de bom, de felicidade, não há relacio- A crise, essa que parece estar a di- novo seriam efectivados e todos nos
ramos de bom e fazemos votos para namentos verdadeiros, merecedores minuir lá por fora, não vai largar-nos sentiríamos com roupa nova e lava-
que seja melhor que o anterior, só de elogios e de atenção. Tudo o que tão depressa, de acordo com as ex- da, prontos para caminhar em frente,
depende em parte, do que 2009 nos acontece nas tramas, leva-nos a odiar pectativas e previsões dos entendidos de cara erguida e confiantes no futu-
deixou e este deixou pouco. Pelo me- o que lá se diz e passa e, felizmente, a na matéria. Também dispensávamos ro. Todos gostaríamos que isto acon-
nos pouco que valha a pena reter. Há procurar outras soluções. As novelas perfeitamente este terrível incómodo tecesse, mas seria preciso que todos
contudo, determinadas coisas que me portuguesas não podem ser conside- económico. O que precisamos é de quiséssemos a mesma coisa e não
levam a insurgir contra algumas men- radas o espelho do que se passa em dinheiro e empregos. Só pode haver queremos. Infelizmente.
tes, quiçá inteligentes, mas que não Portugal. Nunca! Todos sabemos que dinheiro em circulação se houver em- Pois é, a poeira continua no ar e
me convencem. A verdade é que este há malandros e ladrões em todo o pregos e só pode haver empregos se vai caindo aqui e ali, sujando tudo
mundo tem particularidades muito lado. Sabemos também que há sem- as fábricas voltarem a funcionar. Isso por onde passa. A chuva pouco lava.
específicas com as quais nós temos de pre alguns a querer viver à conta de não vai ser fácil. Nada fácil! Todos os Faz lama no chão pisado por todos e
contar e lutar contra algumas delas, outros, mas cuidado, pois nas nossas dias continuam a fechar mais fábri- suja … a roupa lavada.
pois só eliminando o que está mal se histórias não há só um malandro ou cas! Eu tomei banho. Eu vesti roupa
pode começar a viver melhor. um ladrão ou mesmo um malfeitor. Sinceramente, eu gostava que to- lavada. Por quanto tempo?

 5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE


Mau tempo atinge Espinhosela
às escuras
Mogadouro TERESA BATISTA

A aldeia de Espinhosela, no con-


celho de Bragança, está sem ilumina-
FRANCISCO PINTO
ção pública há seis dias. Nas habita-
ções os cortes de energia também são
Temporal causa prejuízos constantes, causando prejuízos às
avultados à população do pessoas que só se deslocam à locali-
dade ao fim-de-semana.
Planalto O presidente da Junta de Fregue-
sia de Espinhosela, Telmo Afonso,
Ao abrir a porta da garagem, Pal- afirma que este problema já se arras-
mira Veiga nem queria acreditar nos ta há dois anos. “Durante o Inverno,
estragos provocados pela chuva in- a luz vai abaixo com muita facilidade.
tensa que caiu ao longo da madruga- A EDP vai lá mas não resolve o pro-
da do passado dia 29 de Dezembro. blema”, denuncia o autarca.
Junto à sua habitação, a água atingiu Esta situação causa transtornos
1,5 metros de altura e danificou ar- aos habitantes, na sua maioria ido-
cas congeladoras, móveis, roupas de sos, que têm medo de sair de casa
cama e agasalhos, máquinas agríco- mal começa a escurecer.
las e muitos outros objectos. O problema estende-se a algumas
“Não tenho palavras para descre- Em alguns locais da vila, a água atingiu 1,5 metrosde altura
habitações, que também têm ficado
ver o que me aconteceu. Os prejuízos Celeste Messias. inundou a clínica. Só já vimos o pes- às escuras. “Há prejuízos, principal-
são elevados, apesar de ainda não Apesar dos prejuízos causados soal a tirar a água de dentro do centro mente aquelas pessoas que vivem em
estarem contabilizados. Em 30 anos em algumas habitações, os meios no de diálise para que não parasse com Bragança e só vão à aldeia ao fim-de-
é a segunda que tal situação se veri- terreno centraram-se junto à Clínica os tratamentos ”, relatou Norberto semana. Quando chegam têm os ali-
fica nesta zona da vila ”, desabafava de Hemodiálise de Mogadouro, onde Gonçalves, um taxista que fazia ser- mentos que guardam no frigorífico
a comerciante, com a voz embargada a água cortou o trânsito, invadiu a viço para a unidade de saúde. todos estragados”, acrescenta o res-
pelo nervosismo. unidade de saúde e ameaçou os re- Também o Parque de Lazer de ponsável.
Apesar dos meios da Protecção servatórios de água destinada à di- Penas Roías sofreu estragos, já que Contactada pelo Jornal NOR-
Civil Municipal e Bombeiros Volun- álise renal. Uma situação que só foi o ribeiro que atravessa aquele sítio DESTE, a EDP justifica a demora na
tários terem sido mobilizados, não foi evitada dada a mobilização de meios, galgou o leito, destruindo alguns dos reparação da avaria com o facto de
possível acudir a todas a ocorrências. já que foi preciso criar canais de es- equipamentos. O vereador da Câma- lhe ter sido comunicado que estavam,
Celeste Messias, outra habitante coamento com recurso a uma retro- ra Municipal de Mogadouro, António apenas, lâmpadas fundidas. Esta si-
de Mogadouro, mostrava-se inconso- escavadora para fazer baixar o nível Pimentel, adiantou que, “em alguns tuação não é considerada prioritária,
lável, já que a força da água também da água. No mesmo local, quatro au- casos, é preciso redimensionar os sis- principalmente numa altura em que
lhe causou prejuízos de monta. “Vi- tomóveis tiveram de ser removidos já temas de escoamento para fazer face a empresa registou um grande núme-
veram-se momentos de aflição, pois a que a água lhes entrou para o motor, a situações como esta”. ro de avarias, devido ao mau tempo.
água entrava por todo o lado. A gara- imobilizando-os.
gem ficou alagada e os mantimentos “A tromba de água começou a cair
para fazer face ao Inverno ficaram es- com força logo ao início da manhã. A
tragados. Os electrodomésticos não enxurrada durou cerca de uma hora,
funcionam e há roupa estragada. Foi sendo que a água começou a correr
um cenário para esquecer”, contou pelos terrenos e, em pouco tempo,

Licença Nº. 1330 AMI

Invista com confiança


Apartamento T3 - € 82.500 Apartamento T1 – Espanha T- 3 e T- 4 em construção
Usado, garagem fechada, dupla caixi- - € 90.000
lharia, bom isolamento, perto do centro A dois minutos do centro, ex-
Em zona turística, com bons
posição solar excelente, vistas
acabamentos
Apartamento T2 - € 78.000 panorâmicas, grandes áreas,
Excelente local, cozinha equipada c/ Rica Fé - Habitações de qualida- Acabamentos modernos etc.
móveis modernos, aquecimento central
completo. Óptimos acabamentos e vistas
de a preços imbatíveis
Últimos para venda – T-2 / T-3 /
panorâmicas para o Parque Natural de Escritório - Sá Carneiro
Montesinho T-4 / T-3 Duplex
Com 32 m2, venda € 32.000 /
arrendamento € 220/ mês
Apartamento T4 - € 135.000 Terreno - € 138.000
Com 182 m2, acabamentos de Av. Abade de Baçal, área 600
qualidade, junto ao Jardim da m2, com projecto Loja Comercial
Braguinha
Apartamentos T1 - Porto – € 65.000
Apartamento T3 - € 90.000 Ao bairro Santa Isabel
Ao Eixo Atlântico, último andar, Acabamentos de qualidade,
perto de tudo, mobília de cozinha, junto ao Hospital de S. João, a (antigos escritórios
grandes áreas. Como novo partir de € 90.000 Sisdouro)

R. Abílio Beça (Zn Histórica) • Tel: 273324569 • Fax: 273329657 • Bragança - www.predidomus.pt

5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE 


NORDESTE REGIONAL

Patronato aumenta Para que a vida


seja uma escolha

resposta social Prevenir o desmembramento das


famílias e o consequente internamen-
to de crianças e jovens em instituições
é o objectivo do projecto do Patronato,
aprovado, recentemente, no âmbito do
programa Escolas.
TERESA BATISTA “Nós pensámos nas dificuldades
que levam os miúdos a vir para cá.
Instituição de apoio a crian- Têm carências a vários níveis. O pro-
blema está essencialmente nas famí-
ças desfavorecidas melho- lias”, constata António Baptista.
ra condições e aposta em O primeiro passo foi dado através
da criação de cursos de formação para
novas valências adultos na Casa do Trabalho, que fo-
ram abertos à comunidade, e vai con-
Para melhorar as condições de tinuar com o projecto “Pontes de In-
vida de 43 crianças e jovens a Casa clusão”.
do Trabalho Dr. Oliveira Salazar, Este plano vai actuar em cinco
áreas estratégicas, nomeadamente a
mais conhecida por Patronato, sofreu
inclusão escolar, formação profissio-
obras de remodelação a vários níveis. nal e empregabilidade, comunidade e
A instituição prepara-se para abra- cidadania, inclusão digital, empreen-
çar os desafios futuros, apostando na dedorismo e capacitação de jovens.
ampliação da resposta social, que ac- “Queremos desenvolver nos jovens
tualmente abrange utentes dos 6 aos desfavorecidos, dos bairros carencia-
18 anos. dos e do Mundo Rural, competências
A vertente social é a grande apos- sócio-afectivas, através de programas
ta do Patronato, que procura rentabi- terapeutas e do seu acompanhamen-
Obras no Patronato melhoraram condições oferecidas aos utentes to”, vinca o responsável.
lizar a parte comercial, da qual fazem
Através deste programa, a insti-
parte as bombas de combustível ou a lazar, António Baptista. como mais apoio técnico.”Também tuição vai trabalhar directamente com
tipografia, para aumentar a sua capa- O espaço onde antes funcionava a houve necessidade de reforçar a equi- a escola e com as próprias famílias,
cidade de resposta na ajuda a quem serralharia foi completamente trans- pa técnica, com a contratação de mais apostando no combate ao abandono
mais precisa. formado, tendo sido construídas 3 sa- profissionais. Recrutamos quatro no- escolar, um factor que, na maioria dos
Para avançar com as obras no lar, las de trabalho, gabinetes, bem como vos técnicos: um psicólogo, um assis- casos, leva à exclusão social.
um espaço antigo que já não sofria 3 salas para apoio psico-pedagógico. tente social, um educador social e um Tendo como área de intervenção
melhoramentos há anos, o Patronato Os quartos também foram remodela- sociólogo”, enfatizou o responsável. todo o concelho de Bragança, o pro-
candidatou-se ao programa Medida dos, foram criadas 4 salas de conví- Os quatro técnicos foram con- jecto iniciou-se este mês e vai decorrer
de Apoio à Segurança de Equipamen- durante 3 anos, com um orçamento de
vio, uma biblioteca e um ginásio. tratados no âmbito do programa De-
tos Sociais (MASE). “Apresentamos 199 mil euros.
safios, Oportunidades e Mudanças
uma candidatura superior a 300 mil Patronato investiu 791 mil euros (DOM), através do qual a Segurança
euros, mas só foi aprovado o montan- Social assegura o pagamento do salá-
te de 189 mil euros, financiado em 80
na melhoria de instalações,
rio destes profissionais, durante um
por cento (151 mil euros). aquisição de equipamentos e período de 2 anos.
O projecto englobava obras, re- contratação de novos técnicos “No apoio aos jovens também
qualificação de espaços e a aquisição destaco o papel do padre José Bento,
de equipamentos”, explica o presi- Desta forma, as 43 crianças e jo- que é o nosso director pedagógico.
dente do conselho de administração vens que vivem na instituição ganha- Além disso, é um parceiro sempre
da Casa do Trabalho Dr. Oliveira Sa- ram conforto e qualidade de vida, bem disponível, que colabora na gestão da
instituição”, sublinha o presidente do
conselho de administração. António Baptista é o rosto da instituição
Jovens mais autónomos Durante um ano e meio, a direc-
ção liderada por António Baptista in- primária da Estacada, que foi cedido
vestiu cerca de 791 mil euros na me- em regime de comodato pela Câma-
A pensar nos jovens com mais de 18 anos que ainda não estão preparados para
lhoria das condições do Patronato, ra de Bragança à Casa do Trabalho,
seguirem a sua vida sozinhos, o Patronato criou uma nova valência: os apartamentos
comparticipados em 688 mil euros. para criar aí uma unidade social para
de autonomização. “Alugamos dois apartamentos, no bairro do Sapato, onde habi-
tam oito jovens. Isto obrigou-nos a fazer um acordo de cooperação com a Segurança No futuro, a instituição pretende utentes com necessidades educativas
Social, que comparticipa, parcialmente, as despesas que temos com os jovens nos continuar a aumentar as valências so- especiais. Queremos, também, criar
apartamentos”, explica o responsável. ciais e continuar a rentabilizar a ver- um centro de acolhimento temporá-
Os jovens são acompanhados por técnicos da instituição. “São jovens que estão tente comercial, para que os lucros rio e uma empresa de inserção social
a estudar, outros já trabalham, mas ainda não estão integrados na sociedade. Nós revertam a favor do social. “ Vamos na área da cozinha/refeitório”, enu-
pretendemos ajudá-los no início da vida”, realça o presidente do Patronato. candidatar o edifício da antiga escola mera António Baptista.

FICHA TÉCNICA
Fundador: Fernando Subtil - Director: João Campos (C.P. Nº 4110) - Secretária de Redacção e Administração: Cidália M. Costa
Departamento de Marketing e Publicidade: Bruno Lopes e Orlando Bragança - ASSINATURAS: Sandra Sousa Silva
REDACÇÃO: Bruno Mateus Filena, Orlando Bragança, Sandra Canteiro (C.P. Nº 8006), Teresa Batista (C.P. Nº 7576) e Toni Rodrigues
Correspondentes - Planalto Mirandês: Francisco Pinto - Mirandela: Fernando Cordeiro e José Ramos - Torre de Moncorvo: Vítor Aleixo
email:geral@jornalnordeste.com FOTOGRAFIA: Studio 101 e RC Digital
Propriedade / Editor: Pressnordeste, Unipessoal, Lda - Contribuinte n.º: 507 505 727 - Redacção e Administração: Rua Alexandre Herculano,
Nº 178, 1º, Apartado 215, 5300-075 Bragança - Telefone: 273 329600 • Fax: 273 329601
Registo ICS N.º 110343 - Depósito Legal nº 67385/93 - Tiragem semanal: 5.000 exemplares
Impressão: Diário do Minho - Telefone: 253 609 460 • Fax: 253 609 465 - BRAGA
Assinatura Anual: Portugal - 25,00 €; Europa - 50,00 €; Resto do Mundo - 75,00 €

 5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE


NORDESTE REGIONAL

Nordeste distribuído Macedo de Cavaleiros


Unidade de AVC
ampliada
com o Expresso
gratuitamente com o Ao circular com o Expresso, o
semanário Expresso Jornal Nordeste pretende reforçar a
nos 12 concelhos do sua política de crescimento e atingir
distrito de Bragan- novos públicos, oferecendo informa-
ça. ção regional aos leitores daquele se-
Com esta par- manário de âmbito nacional.
ceria, o Jornal Nor- A esta medida junta-se a remo-
deste aumenta a delação do portal na Internet e a
tiragem em 1.000 criação de um Departamento de As-
exemplares (totali- sinaturas, novidades introduzidas Henrique Capelas anuncia ampliações
zando 6.000 exem- em Setembro do ano passado.
plares por semana) Recorde-se que, desde Dezem- A Unidade de AVC do Centro
e reforça a presen- bro de 2003, que o Jornal Nordes- Hospitalar do Nordeste (CHNE) vai
ça nos 51 pontos de te faz parte da Rede Expresso, um ser ampliada. As obras vão avançar
venda do Nordeste conjunto de 17 jornais regionais do ainda este ano e deverão ser concluí-
Transmontano. País que o grupo de Francisco Pinto das no prazo de três meses.
Leitores do distrito de Bra- Este novo canal de distribuição, Balsemão seleccionou para promo- O anúncio foi feito pelo presiden-
contudo, não acarreta custos acres- ver parcerias de índole editorial e te do conselho de administração do
gança passam a levar dois cidos para os leitores do Jornal Nor- comercial, incluindo a distribuição. CHNE, Henrique Capelas, durante o
semanários no mesmo saco deste, que continuará a ser vendido, A partir de sábado, os leitores V Encontro Transmontano das Uni-
às terças-feiras, nos pontos de venda habituais do Expresso passam a le- dade de AVC, que decorreu no passa-
A partir deste sábado, o Jornal habituais, ao preço de capa de 0,75 var para casa dois semanários no do dia 18.
Nordeste passa a ser distribuído euros. mesmo saco. O projecto de execução da primei-
ra fase dos trabalhos já foi aprovado
pela administração, que vai avançar

…Em flagrante
com a empreitada, mesmo sem ter
conseguido fundos comunitários.
“Tínhamos um projecto que está em
‘stand-bye’ por causa da dificuldade
em conseguir financiamento comuni-
tário”, enfatiza Henrique Capelas.
Mesmo assim, o CHNE decidiu
avançar com a primeira fase da em-
Na Rua das Freiras, preitada, para melhorar as condições
em que são atendidas as pessoas que
em Vinhais, é a sofrem AVCs. Para já, a Unidade vai
passadeira que deveria ser ampliada de oito para 12 camas
e irá ocupar a ala do hospital onde,
estar mais ao lado, ou actualmente, funcionam os quartos
particulares. O primeiro projecto está
é o rebaixamento dos orçado em 50 mil euros.
No sentido de tornar mais rá-
passeios que deveriam pido o atendimento a utentes que
coincidir com as faixas sofreram um AVC, o CHNE já tem
em funcionamento a via verde, mas
da passadeira? ainda são poucos os casos atendidos
através deste serviço. Fazer com que
os utentes cheguem mais rápido ao
hospital é o desafio dos profissionais
de saúde, visto que as primeiras três
horas após o registo dos sintomas são
Envie-nos as suas sugestões para geral@jornalnordeste.com cruciais para o tratamento.

Teresa Batista

Tlm:
966830231

Lavagens
MARQUES
Parque do Feira Nova
BRAGANÇA

5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE 


NORDESTE REGIONAL

Fábrica amiga do ambiente


SANDRA CANTEIRO gem que ficarão cobertas, de modo
a evitar maus cheiros. O projecto
prevê, também, o aproveitamento
Escola de Mirandela parti- de gás metano para aquecimento e
cipa em concurso nacional salas de secagem.
da Toyota com projecto A par da instalação de ecopon-
tos, os estudantes da Escola EB N.º
ecológico 1 de Mirandela incluíram torres eó-
licas, bem como uma horta biológi-
Autonomia a nível da produção ca que fornecerá alimentos à canti-
energética, menos gastos de recur- na da fábrica.
sos hídricos ou de géneros alimen-
tares são, apenas, alguns dos crité-
rios tidos em conta pelos alunos do
Concurso já vai na terceira
4º ano da Escola EB N.º 1 de Miran- edição
dela na concepção do protótipo de
uma fábrica ecológica. Este é a terceira vez que a Toyo-
Trata-se de um projecto criado ta desafia os alunos do ensino bá-
no âmbito do projecto da Toyota, sico do País a conceberem uma fá-
Fábrica Amiga do Ambiente, e que brica de peças de automóveis que
concorre a nível nacional, depois de seja amiga do ambiente e sustentá-
ter ficado em primeiro lugar na fase vel. Para tal, os concorrentes devem
distrital. Alunos conceberam uma fábrica amiga do ambiente apresentar uma maqueta elaborada
Assim, a maqueta apresentada a partir do reaproveitamento de
pelos alunos destaca-se pelo apro- bem como pára-raios que encami- Os alunos pensaram, ainda, nas materiais utilizados no quotidiano.
veitamento do espaço interior e dis- nharão a energia das trovoadas para pessoas com dificuldades de loco- O objectivo desta proposta é
tribuição de calor, pelo que integra, transformadores adequados. moção, pelo que incluíram eleva- sensibilizar os mais pequenos para
apenas, janelas no tecto, de modo a Já no interior do edifício, fica- dores com capacidade para acolher a preservação do meio ambiente
tirar o máximo partido na luz e ca- rão instaladas os equipamentos uma cadeira de rodas. durante a concepção e produção de
lor solar. para fabrico das peças dos auto- Já no exterior das instalações, automóveis.
Serão, ainda, instaladas placas móveis e a linha de montagem que está prevista a criação de uma Es- Os participantes e vencedores
foto voltaicas no telhado para apro- transportam os veículos para fora tacão de Tratamento de Águas Re- receberão material didáctico ofere-
veitamento dos recursos solares, da fábrica. siduais e uma central de composta- cido pela Toyota.

Um gesto vale mais Eco Guia para


que 1000 palavras os mais pequenos
Campanha de solidariedade FERNANDO CORDEIRO tarmos e subirmos ao segundo ciclo
aquece o início do ano dos que ficarmos no primeiro ciclo como
mais desprotegidos Autarquia de Mirandela
aconteceu o ano passado”, informou
o vice-presidente da CMM, António

A vila de Vinhais foi palco da II


apresentou terceira edição Branco.
A agenda contém, assim, infor-
Campanha de Solidariedade – Por- da agenda anual mação sobre os equipamentos am-
que um gesto vale mais que 1000 pa- bientais locais.
lavras, que decorreu entre 23 de No- A terceira edição do Eco Guia, a “Pretendemos que as crianças
vembro e 31 de Dezembro de 2009. agenda anual da Câmara Municipal o levem para casa, já que, também,
A iniciativa foi organizada pelo Brinquedos e alimentos recolhidos
de Mirandela (CMM), foi apresentada tem passatempos para eles fazerem.
Gabinete de Serviço Social do Centro para que aquilo que uns já não neces- no final do passado mês de Dezembro Queremos que o leiam e que se sen-
de Saúde de Vinhais, em parceria com sitam possa ser útil a outros cidadãos na Escola EB 2/3 Luciano Cordeiro. sibilizem para a sustentabilidade e o
o Agrupamento de Escolas de Vinhais mais carenciados. Com informações importantes exemplo está nesta escola que ganhou
e com o Projecto A.S.A. – Contrato Durante a campanha deste ano para a comunidade, já que integra in- um prémio para a recolha de pilhas”,
Local de Desenvolvimento Social.   foram angariadas cerca de 200 peças formações sobre todas as comemora- salientou o autarca.
Esta campanha, organizada pelo de roupa, alguns brinquedos e cerca ções e eventos da autarquia, esta edi- Recorde-se que foram lançados 3
segundo ano consecutivo, surgiu de 100kg em bens alimentares, tais ção dirige-se, sobretudo, aos alunos 000 exemplares que estão a ser dis-
como um gesto de solidariedade, como arroz, massas, açúcar, azeite, dos 1º e 2º ciclos, sendo que o desejo tribuídos pelos alunos e população
para com as pessoas e famílias mais bolachas, entre outros. Os bens reco- da edilidade é que, em 2011, abranja em geral. O trabalho, com 250 pági-
fragilizadas, resultando na recolha de lhidos serão organizados em cabazes os alunos do terceiro ciclo. nas, foi suportado financeiramente
diversos materiais como roupa, brin- e entregues às famílias carenciadas, “O ano passado tínhamos o Eco por diversas empresas regionais e
quedos, electrodomésticos, entre ou- referenciadas pelo Centro de Saúde Guia para adultos e o júnior. Este locais, bem como por instituições pú-
tros. Os bens vão começar a ser dis- de Vinhais e residentes neste conce- ano, só temos o júnior, pois acha- blicas interessadas na sensibilização
tribuídos pelos mais desprotegidos, lho. mos que era mais importante apos- ambiental.

 5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE


NORDESTE REGIONAL

Condutores informados VOZES


José Carvalho

na fronteira
Barcelos
“Acho muito
bem estas acções
de sensibilização,
porque as pessoas
podem não ter co-
nhecimento daqui-
lo que podem ou
não trazer do lado
de lá da fronteira. Fiquei mais es-
clarecido.

Javier Sanrroro
Zamora
“Não fiquei sur-
preendido com este
aparato, porque já
tenho passado por
outros controlos das
autoridades, apesar
de hoje ser só de in-
formação. É importante esclarecer
as pessoas”.

Vítor Leite
Amarante
“Este tipo de ac-
ções é importante.
Como há nos outros
países, acho bem
que façam também
no nosso. A partir de
Condutores sensibilizados na fronteira
agora já sei o que se
pode transportar para não incorrer
TERESA BATISTA ternacional de Quintanilha para di- sem pagar imposto”, explica o verifi-
vulgar os serviços daquela delegação, cador auxiliar da delegação Aduanei- numa transgressão”.
que muitas vezes não são do conheci- ra de Bragança, António Fernandes.
Delegação Aduaneira de mento dos cidadãos. O responsável salienta, ainda, Telmo Samões
Bragança alerta automo- Quem entrava no País era brinda- que no caso dos produtos que exce- S. Pedro de Sarracenos
do com panfletos informativos, onde dam as franquias, o imposto tem que “Acho que as pessoas devem
bilistas para os produtos as pessoas podem confirmar quais as ser pago nos serviços Aduaneiros an- ser informadas so-
que podem transportar sem mercadorias que podem transportar tes de ser efectuado o transporte. “No bre aquilo que po-
com isenção de imposto. “Ao nível caso dos óleos para oficinas que cos- dem transportar de
pagar imposto dos combustíveis, por exemplo, uma tumam vir de Espanha, primeiro tem um país para o ou-
vez que estamos numa região de fron- que ser pago o imposto”, exemplifica tro. A maioria não
A delegação Aduaneira de Bragan- teira, os combustíveis do lado de lá António Fernandes. tem esse conheci-
ça realizou uma acção de sensibiliza- são mais baratos e as pessoas fazem, Entre as acções de fiscalização que mento. Costumo ir a
ção junto à fronteira, para informar muitas vezes, o seu transporte, além a delegação Aduaneira de Bragança Espanha em passeio
os automobilistas sobre os produtos do combustível que vem no depósito vai levando a cabo, António Fernan- e aproveito para encher o depósito
que podem transportar entre Portu- da viatura pode-se trazer, desde que des afirma que costumam ser detec- do carro”.
gal e Espanha sem pagar imposto. seja devidamente acondicionado, um tadas irregularidades que implicam
A iniciativa decorreu na Ponte In- depósito até 50 litros de combustível coimas, mas de pouca gravidade.

FELIZ 2010!
Açores | são Miguel – especiAl FAMíliAs desde:
Partidas de Lisboa, Porto ou Faro de 11 Jan. a 25 Mar. ‘10 cri
Reservas: de 1 Jan.’10 a 25 Fev.’10 AN
ç As
gr Á

€ 726
2 noites | APA| São Miguel Park Hotel | 3 estrelas tis
*
Inclui: avião + hotel + transfers + taxas de aeroporto, segurança e combustível (€ 41)
+ Seguro Multiviagens Valor para família de 2 adultos
* pagam apenas as taxas de aeroporto, segurança e combustível + 2 crianças

BrAsil irresistível - Fortaleza desde:


Partidas aos Domingos, 2ªs, 3ªs e 4ªs feiras de 10 Jan. a 24 Mar. ‘10
7 noites | APA | Hotel Oásis Atlântico Fortaleza | Primeira

€ 960
Inclui: avião + transfers + taxas de aeroporto, segurança e combustível (€ 287) + Seguro
Multiviagens
Opcional: (não incluído no preço) suplemento para pacote de excursões (€ 65 por pessoa)
(Inclui: City tour + Porto das Dunas + Praia do Cumbuco + Praia de Canoa Quebrada) por pessoa em quarto duplo

Exclui: Despesa de reserva (€29 por processo e não por pessoa) + suplementos;
lugares limitados; taxas sujeitas a alteração; sujeito às nossas condições gerais. CONSULTE-NOS.

ABERTO à hORA dE ALMOÇO


Av. Dr. Francisco Sá Carneiro, nº 169 5300-252 Bragança
E-mail: braganca@abreu.pt - Tel: 273302400 - Fax: 273302409

5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE 


NORDESTE REGIONAL

Oficina ensina
abertura de uma nova oficina de dese-
nho com modelo para a Primavera”, VOZES
salienta o director do Centro de Arte
Contemporânea, Jorge da Costa. Teresa Barros

a desenhar
O responsável realça que este gé- Professora aposentada
nero de iniciativas é uma forma de “Desde criança que
cativar visitantes e, ao mesmo tem- gosto de desenhar e de
po, proporcionar actividades que, pintar. É uma área que me fascina.
geralmente, só existem nos grandes Por isso, decidi inscrever-me nesta
centros. oficina. Está a ser uma experiência
Entre o público-alvo desta oficina muito boa. Nunca tinha desenhado
estão os alunos de artes, mas também a figura humana e estou a gostar
pessoas que gostam da área artística. muito”.
“ Temos aqui gente de todas as ida-
des, entre os quais muitos artistas
locais que quiseram experimentar
Maria Ferreira
outras técnicas e tiveram oportuni- Aluna do 11º ano de Artes Visuais
dade de trabalhar com modelo, que “Esta oficina é muito
também é profissional”, frisa Jorge boa, porque é algo que
da Costa. nós não temos oportuni-
Os estudantes do secundário e do dade de fazer na escola.
ensino superior também aderiram Não é todos os dias que
em massa a esta iniciativa. “Durante temos oportunidade de desenhar
a semana, a oficina funciona com o um modelo e é fundamental, por-
respectivo professor de desenho, que que contribui para a nossa forma-
traz aqui as suas turmas, tanto da Es- ção”.
cola Superior de Educação, como da
Escola Emídio Garcia”, explica o di- Fernando Pereira
rector do Centro de Arte. Professor
Centro de Arte Contemporânea promove oficina de desenho com modelo
Esta formação é coordenada pelo “Para além de dar au-
professor Manuel Trovisco, que enal- las, também pinto. Fui
TERESA BATISTA Arte Contemporânea, em Bragança, tece o facto dos alunos de artes do convidado pelo director
uma oficina de desenho inovadora na secundário terem oportunidade de do Centro de Arte, aderi à ideia,
região. Este espaço cultural iniciou o contactar com técnicas de desenho apesar de gostar mais da pintura
20 formandos descobrem as leque de formação com um atelier de profissionais. “Ter no secundário a do que do desenho. Eu sou muito
escultura, ao qual se seguiu a oficina experiência de desenhar a figura hu- exigente e de uma instituição como
técnicas de desenho com de desenho com lotação esgotada. mana com modelo é muito importan- esta esperava isto e muito mais,
modelo no Centro de Arte “Houve uma enorme adesão. te e representa uma aprendizagem aproximando a arte das pessoas”.
Como não podemos aceitar todos os muito significativa para estes jovens”,
Contemporânea inscritos, porque a oficina não com- concluiu Manuel Trovisco.
porta mais do que 20 pessoas, vamos O Centro de Arte vai dar conti- abertura de novas oficinas na área da
Está a funcionar no Centro de dar-lhe continuidade. Está prevista a nuidade ao leque de formação, com a pintura, gravura e serigrafia.

Piaget lança novos cursos balho, proporcionando uma aprendi-


zagem num ambiente empresarial de
contacto com potenciais empregado-

em Mirandela e Macedo
res.
Podem inscrever-se num CET os
titulares de um curso de ensino se-
cundário ou habilitação equivalente,
Formação subsidiada em vão funcionar em Macedo de Cava- Curso de Desenvolvimento de Pro- ou quem tenha concluído todas as
leiros e Mirandela, sendo subsidia- dutos Multimédia, ao passo que no disciplinas do 10º e 11º ano e tenha
Turismo, Multimédia e dos ao abrigo do POPH – Programa Campus Universitário de Mirandela estado inscrito no 12º ano. Podem
Construção Civil Operacional do Potencial Humano. funcionará o Curso de Condução e igualmente inscrever-se os titulares
Os formandos ficam assim isentos de Acompanhamento de Obra de uma qualificação profissional de
O Instituto Piaget vai lançar três pagar propina tendo ainda direito a Os CET são formações pós-se- nível III ou de um diploma de espe-
novos Cursos de Especialização Tec- receber subsídio de refeição. cundárias não superiores inteira- cialização tecnológica, bem como os
nológica (CET) nas áreas de Turismo, O Campus de Macedo de Cavalei- mente direccionadas para o mercado maiores de 23 anos, cuja experiência
Multimédia e Construção Civil. As ros acolhe o Curso de Animação em laboral. Cerca de um terço da carga profissional revele capacidade para
inscrições estão abertas e os cursos Turismo de Natureza e Aventura e o horária decorre num contexto de tra- frequentar o curso em causa.

 5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE


NORDESTE REGIONAL

Câmara de Bragança en- tos, procedeu-se a uma deslocação ao


Bairro da Mãe d´Água, onde um dos
apartamentos, já com nova caixilha-
ria, foi visitado por famílias, jorna-

trega habitação social...


listas, funcionários da Câmara e pelo
próprio Jorge Nunes, que salvaguar-
dava: “terá de haver um esforço da
vossa parte para verem os actuais in-
quilinos como membros de família.”
BRUNO MATEUS FILENA Anabela Nascimento, a futura ar-
rendatária do apartqamento visitado,
afirma que se mudará assim que lhe
Contratos assinados para derem a chave, “Há 10 anos que espe-
realojamento de famílias rava por este momento! Foi pior que
carenciadas em dois bair- um filho! Ainda nem consigo acredi-
tar!”, declara emocionada esta mãe
ros sociais da cidade casada com um filho de 13 anos.
A morar, actualmente, num T2
No último mês de 2009, a Câmara nas proximidades da Rotunda dos
Municipal de Bragança (CMB) pro- Touros, revela que a sua principal di-
cedeu à assinatura de contratos de ficuldade é a renda “enorme” de 300
entrega de fogos de habitação social euros. Com o marido desempregado
para realojamento de cinco famílias e ela quase a terminar o curso de co-
nos bairros sociais da Mãe d´Água e zinheira na Escola Profissional, vem
Coxa, bem como à transferência de também do estudo a sua única fonte
Anabela Nascimento na cozinha do seu “para breve” apartamento
habitação social de uma outra famí- de rendimento.
lia. Os primeiros cinco contratos de habitações sociais e destroem-nas cuidar daquilo que custa a todos”, re- Olívia Machado, uma adolescen-
realojamento, todos para o Bairro da completamente. É preciso preservar fere Jorge Nunes, sublinhando o “óp- te cuja família foi beneficiada com
Mãe d´ Água, foram celebrados com as coisas, pois elas custam a todos. timo trabalho de remodelação com uma habitação social, sente-se “feliz”
António José Gonçalves Esteves, É uma obrigação vossa!”, referiu o pavimentos excelentes, caixilharia de pela “casa nova”, testemunhando in
Sandra Cristina Salvador, Carlos Al- presidente da CMB, Jorge Nunes. Se- qualidade acrescida e apartamentos loco as suas “boas condições” de ha-
berto Major Carneiro e Angelina Ali- gundo o edil, estão a ser substituídas confortáveis.” bitabilidade. Oriunda do Bairro de
ce Teixeira Afonso. Esta última troca todas as caixilharias por vidro duplo S. Sebastião, a sua mãe, Ana Teresa
de casa com Alexandra Marisa Mon- para melhorar as condições de con- A importância de estabelecer Marta, além de Olívia, tem a seu ex-
teiro Costa, que assinou outro con- forto, “porque há dias difíceis, mais clusivo encargo mais duas filhas para
trato que vincula a sua transferência,
um bom ambiente com actuais criar, pagando, mensalmente, 175 eu-
frios e nos quais irão gastar menos
brevemente, para o rés-do-chão. Já energia”. Esta intervenção, acrescen- inquilinos para melhorar a qua- ros. As quatro serão realojadas num
Ana Teresa Marta será realojada no ta o autarca, será extensível aos vários lidade do próprio bloco T3 no Bairro da Coxa, entretanto,
Bairro da Coxa. blocos do Bairro da Mãe d´ Água. continuarão a pagar uma renda “de-
“Vou-vos pedir que tenham espe- “Houve fogos recuperados em que “Têm de conservá-los!”, repetiu o masiado cara”, refere a jovem.
cial cuidado na utilização dos fogos foi preciso contratar empresas para presidente, várias vezes, ao longo da A CMB recuperou 16 fogos e, nos
habitacionais, tanto que, o valor da tirar lixo e fazer desinfecções, antes cerimónia, apontando casos em que a próximos meses, haverá cerca de
renda não é mais do que simbólico. dos trabalhadores poderem entrar. madeira apareceu toda queimada. uma dezena de outros para entregar,
Há pessoas que têm passado pelas Há, de facto, pessoas que não sabem Depois de assinados os contra- garante o presidente da autarquia.

… e reforça investimento escolar


BMF que frequentam o estabelecimento.
Para além da remodelação do es-
paço existente, inclusive do recreio,
Quatro Centros Escolares procedeu-se à construção de uma sala
no concelho de Bragança para o jardim-de-infância e sala poli-
providenciarão condições valente. Relativamente a instalações
técnicas, todo o edifício foi dotado
propícias para o desenvol- de equipamentos de aquecimento,
vimento da educação ventilação, ar condicionado e estão
previstos equipamentos informáti-
Foram ontem inauguradas as cos com acesso à internet. Segundo a
obras de ampliação e remodelação Carta Educativa, homologada a 29 de
do Centro Escolar de Rebordãos, pelo Maio de 2007, e no âmbito da requa-
presidente da Câmara Municipal de lificação do parque escolar do ensino
Bragança, Jorge Nunes, e pelo presi- básico e da educação pré-escolar, esta
dente da Junta de Freguesia Adriano reorganização incide na ampliação
Rodrigues. e remodelação dos Centros Escola-
As obras, iniciadas em Dezembro res de Rebordãos e Quintanilha e na
de 2008, representam um investi- construção dos Centros Escolares da
Professora Esmeralda Certo com os seus meninos da pré-escolar
mento de cerca de 107 mil euros, co- Sé e Santa Maria. O investimento total
financiado em 70% pelo Programa ronda os cinco milhões de euros. áreas rurais. Daí Jorge Nunes con- permitam desenvolver, de forma cor-
Operacional da Região Norte – ON2 No concelho de Bragança, dos siderar que estas obras valem bem o recta, as orientações educativas para
(QREN), e melhoram as condições 2114 alunos no 1º ciclo e no ensino seu investimento. “É preciso resistir, uma boa qualificação dos jovens que
de conforto e recursos didácticos ade- pré-primário, envolvendo o público e contrariar a tendência desertificativa frequentam os Centros Escolares dos
quados à aprendizagem dos 25 alunos o privado, apenas 10% se situam em e garantir condições suficientes que meios rurais”, salientou o edil.

5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE 


10 5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE
Cancro dizima pinheiros
so, visto que, apenas, dois centros
de análise estão protocolados com
a AFN, o que condiciona a celerida-
de dos processos.

TERESA BATISTA Atraso no combate ao cancro


do pinheiro coloca em risco
Proprietários de viveiros milhares de postos de traba-
estão impedidos de comer- lho
cializar as espécies arbóre- “É inadmissível que um proble-
as, devido à doença ma detectado a nível nacional não
tenha sido encarado com a serie-
O cancro resinoso do pinheiro dade devida. Se, à partida, se sabia
(Fusarium Circinatum) está a afec- que todos os viveiros iriam ser alvo
tar os viveiros espalhados por todo de recolha de amostras, era de fá-
o País. Os proprietários das explo- cil percepção que, apenas, dois la-
rações estão, agora, impedidos de boratórios de análises não seriam
comercializar as espécies arbóreas, suficientes”, constata aquela asso-
devido à doença. ciação.
A Associação Nacional de Em- Os resultados das amostras
presas Florestais, Agrícolas e do recolhidas continuam sem ser co-
Ambiente (ANEFA) afirma que municados aos proprietários dos
esta situação está a causar inúme- viveiros. “Isto significa que plantas
ros prejuízos para os produtores e contaminadas continuam no terre-
aponta o dedo à Autoridade Nacio- no, juntamente com plantas sãs”,
nal de Florestas (ANF), por não ter adverte a ANEFA.
tomado medidas atempadamente. A preocupação assenta, agora,
“Já em 2008, a ANEFA alertou, sobre a decisão da Comissão, que
por diversas vezes, as autoridades adianta que os fornecedores de
portuguesas, tendo mesmo elabo- material florestal de reprodução
rado um documento em que reu- que apresentem amostras positivas
niu informação relativa à temática, para o Fusarium Circinatum, de-
alertando para que não se ignoras- verão ser proibidos de comerciali-
se o problema até já nada haver a zar plantas coníferas, durante dois
fazer, senão a destruição e corte anos.
massivo de plantas”, realça a ANE- O atraso na divulgação dos re-
FA, em comunicado. sultados das amostras compromete
A inércia do Governo durante a próxima campanha, uma vez que
mais de um ano e meio levou à se- os produtores não poderão correr
questração dos viveiros, visto que o risco de realizar a sementeira e
os proprietários das explorações depois não poderem realizar as
estão impedidos de comercializar plantas.
todas as espécies de Pinus. Esta situação está a pôr em ris-
Tendo em conta a dimensão do co a sustentabilidade da floresta de
problema, a associação promoveu pinho, visto que a doença afecta a
um Encontro Nacional de Viveiris- árvore em todos os seus estados de
tas, onde participaram dezenas de desenvolvimento e em qualquer al-
empresários, que falaram sobre a tura do ano.
Cancro mata pinheiros em todo o país
situação “insustentável” que estão Segundo a ANEFA, a atitude
a viver. veiros. “Já foram detectadas inú- tragem”, denuncia a ANEFA. do Estado coloca, agora, milhares
Com o problema “fora de con- meras irregularidades nas condi- Esta entidade salienta, ainda, a de postos de trabalho em perigo e
trolo”, a ANF está a desenvolver ções em que estão a ser realizadas falta de capacidade de resposta dos contribui para o encerramento de
inspecções fitossanitárias aos vi- as recolhas de material de amos- laboratórios envolvidos no proces- inúmeras empresas.

5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE 11


NORDESTE RURAL

Artesão por vocação


do Conde até Vimioso”, explicou o
artesão.

Artesão ocupa tempo livre a


FRANCISCO PINTO recriar instrumentos rurais

Lázaro Pires começou a Depois de descobrir a sua voca-


ção, Lázaro Pires sente-se uma pes-
criar peças artesanais de- soa renascida, agora que as forças já
pois dos 60 anos vão faltando. Contudo, o avanço da
idade não o impede continuar a ser
Aos 65 anos, Lázaro Pires des- observar atentamente os objectos do
cobriu uma forma de ocupar o seu quotidiano da lavoura, que fixa “como
tempo. Depois de enviuvar e de uma uma máquina fotográfica” para, de-
vida de trabalho como funcionário pois, os reproduzir de fielmente.
público, este artesão de Miranda do No entanto, o orgulho do artesão
Douro, mas residente em Macedo de são as réplicas de modelos de char-
Cavaleiros, começou a construir, por retes do século XVIII que, segundo
mero acaso, réplicas fiéis de utensí- o construtor, são réplicas féis dos
lios e engenhos utilizados no meio transportes da época.
rural da região trasmontana. “Agora, já não vou a tantas fei-
Na exposição de Lázaro Pires, Construção de miniaturas ocupa parte da vida de Lázaro Pires ras como gostava, pois faltam alguns
que actualmente conta com 82 anos, para um dos seus netos. Ainda o pe- tempo livre num qualquer café a jo- apoios e o lucro também é pouco”, la-
é possível apreciar miniaturas de la- queno carro de bois não estava con- gar as cartas ou sentado num vão de mentou o artesão. No entanto, Láza-
gares de azeite, teares, carros de bois, cluído e já alguém o queria comprar. escadas à semelhança do que aconte- ro Pires já garantiu que, enquanto
objectos do lar e animais esculpidos Lázaro Pires meteu mãos à obra de ce com a maioria das pessoas senio- puder, vai continuar a trabalhar e os
em madeira, entre muitos outros novo, já que o seu neto continuava res. seus lagares, carros de bois ou teares
utensílios, cujos preços variam entre à espera do brinquedo, que acabaria “Quando juntei algumas das mi- vão figurar nos escaparates dos apre-
os cinco e os 850 euros. por rumar para a Holanda. nhas peças fui convidado a participar ciadores deste tipo de trabalho.
O início desta aventura começou Incentivado por amigos, depressa numa feira de artesanato em Alfân- O artesão orgulha-se dos seus tra-
quando o artista, para “matar” o tem- descobriu uma nova vocação na sua dega da Fé. Daí seguiram-se outras balhos os quais se encontram espa-
po, decidiu construir um brinquedo vida, que o “salva” de passar o seu por toda a região Norte, desde Vila lhados um pouco por todo o mundo.

Escola de Carvalhais já tem biblioteca


Estabelecimento de ensino com a condição que abrisse portas a
18 de Dezembro.
inaugurou espaço de leitura As coordenadoras da Rede dizem
destinado às duas centenas que este seja, talvez, um caso inédi-
to a nível nacional, pois o espaço foi
de alunos concebido, instalado e inaugurado
em tão pouco tempo”, adiantou o res-
A Escola Profissional de Agricul- ponsável.
tura e Desenvolvimento Rural de Car- Recorde-se que a EPA era a única
valhais (EPA), a escassos quilómetros escola da região sem uma infra-estru-
de Mirandela, continua a celebrar o tura integrada na Rede de Bibliotecas
seu meio século de vida. Desta vez, Escolares, pelo que esta mais-va-
foi a inauguração de uma biblioteca, lia é, no ponto de vista da directo-
integrada na Rede de Bibliotecas Es- ra-adjunta da Direcção Regional de
colares, que marcou o dia dos cerca Educação do Norte, Ema Gonçalo,
de 200 alunos daquela instituição. o culminar de uma aposta do Minis-
Para o director do estabeleci- tério da Educação em inserir todas as
mento de ensino, Taveira Pereira, o bibliotecas das escolas nesta Rede.
acontecimento é fruto do empenho “Assistimos à abertura do espa-
de toda equipa que integra a EPA. ço e ao celebrar de um protocolo que Escola de Carvalhais esperou 50 anos pela biblioteca
“Esta inauguração foi um desafio, já estabelece uma rede de preparação
que, depois da Rede de Bibliotecas entre a biblioteca escolar e a munici- Este acordo foi assinado por Ta- mara Municipal de Mirandela, José
nos propor a adesão, nós aceitámos pal”, explicou Ema Gonçalo. veira Pereira e pelo presidente da Câ- Silvano.

12 5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE


LUGARES

Cumpre-se a tradição VOZES


Helena Subtil
SANDRA CANTEIRO – 82 anos
“Na pas-
População da Réfega conti- sagem do ano
nua a manter vivos festejos fazem sempre
uma festa mui-
natalícios to grande e re-
cebemos muita
Não há filho da terra ou descen-
gente de fora.
dente que não saiba contar ou não
Homens vão
goste de assistir às velhas tradições
para um lado
que, ao longo dos anos, passaram de
e mulheres para outro. No Dia dos
boca em boca e dão um colorido es-
Reis, celebra-se, também, a ma-
pecial aos meses de Dezembro e Ja-
tança do porco”.
neiro.
Depois do Natal e da entrada do
novo ano, o Dia dos Reis, comemo-
rado amanhã, é celebrado por todos Confecção das roscas é uma velha tradição na aldeia Angélica Fernandes
os habitantes da Réfega, freguesia de
será assada numa fogueira comuni- Menino Jesus, que decorre ao longo
– 58 anos
Quintanilha, a cerca de duas dezenas
de quilómetros de Bragança, encer- tária e saboreada com o pão e vinho de cerca de duas semanas, começa no
“Na pas-
rando, assim, as festividades natalí- produzidos na aldeia. dia da Consoada, quando a família se
sagem de ano,
cias. À noite, e já depois do manjar, é reúne à volta do polvo e bacalhau co-
fazemos roscas
Esta data começa a ser preparada a vez de todos afinarem as vozes para zidos e dos doces tradicionais, como
para a Senhora
alguns dias antes, com a tradicional percorrerem as ruas da Réfega, en- sonhos, rabanadas ou filhós.
do Carmo, que
e secular matança do porco, que tem quanto cantam as músicas de Reis. Mas é a última noite do ano que
depois são re-
sido promovida pelo Grupo Cultural e Este ano, e de forma a cativar mais jovens reunia, já que se “impon-
matadas. O di-
Recreativo da Réfega (GCRF). Sendo mais participantes, o Dia de Reis é tava o ano velho”. Era, assim, uma
nheiro conse-
um actividade cuja origem se perde celebrado em conjunto com a matan- forma de desejar a “morte” do ano que
guido vai para
no tempo, homens e mulheres têm, ça do porco no próximo sábado. findava e de todos os acontecimentos
a igreja. Antigamente, fazíamos
sempre, funções específicas, como o que o marcaram negativamente.
um ramo, o charolo, no qual metí-
desfazer do porco ou o lavar as tripas Desertificação da aldeia pode O simbolismo de queimar ou afo-
amos cigarros, doces e frutos”.
para encher o fumeiro. levar à extinção de algumas gar um boneco de palha à meia-noite,
É, então, no Dia dos Reis que se que representava o ano velho, segui-
tradições do de um enterro, ainda perdura na
provam os enchidos, sendo que cada
pessoa leva uma peça de fumeiro, que A celebração do nascimento do memória de alguns habitantes mais Margarida Subtil
velhos. – 70 anos
Já no primeiro dia de Janeiro,
os habitantes realizam uma festa em “Réfega tem
homenagem a Nossa Senhora do Car- muitas tradições
mo. Depois de um peditório, através nesta época na-
do qual se reúnem produtos, como talícia. Além das
farinha, ovos e fumeiro, eram prepa- comidas e doces
radas as roscas que iam a cozer num típicos, como
forno de lenha. sonhos, tínha-
Com estes doces, enfeitava-se o mos o charolo
charolo, que levava, também, fru- que era muito
tas, cigarros e rebuçados, entre ou- pretendido por
tros. Depois da celebração da missa, Quintanilha e Milhão, mas Réfega
o ramo era leiloado entre solteiros e unia-se para ficar com o ramo”.
casados. Já no final, os produtos que
constituíam o charolo dividiam-se
em quinhões, que eram vendidos a
famílias ou particulares por quantias
que revertem a favor da Senhora do a perder algum fulgor e força. Contu-
Carmo. do, e com vista a combater a deser-
Com a “fuga” de alguns filhos da tificação, foi criado o GCRF que tem
terra para outras localidades do País, promovido e dinamizado algumas
Grupo de jovens numa peça teatral na passagem de Ano muitas são as tradições que têm vindo das actividades culturais e sociais.

5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE 13


NORDESTE RURAL

GEADA quer “defesa” do Mirandês


FRANCISOC PINTO Miranda do Douro.
“É preciso passar da teoria à prá-
tica para que o mirandês deixe de
Estudiosos querem criação ser uma língua estudada e divulgada
de organismo ou instituto apenas por voluntários”, defendeu o
que preserve língua miran- presidente da Câmara Municipal de
Miranda do Douro, Artur Nunes, du-
desa rante a conferência “ Falar ye Bibir”
integrada no décimo aniversário de
É urgente a criação de um orga- oficialização do mirandês.
nismo público que represente os in- O autarca defende, ainda, que
teresses da língua mirandesa para esta língua deverá ter um estatuto
que, desta forma, a segunda língua cultural, de educação ou científico,
oficial de Portugal deixe de ser trata- para que, assim, possam haver novas
da e estudada de uma forma volun- parcerias.
taria. Esta é a ideia defendida pelos Ao longo de três dias, o GEADA Amadeu Ferreira e Artur Nunes numa das conferências que marcou o festival
linguistas e estudiosos da” lhéngua” ofereceu vivências únicas aos partici-
tas, sempre ao som dos instrumentos Por seu lado, Sílvia Pereira, que
durante a segunda edição do GEADA pantes e nem o frio gélido que asso-
mais tradicionais, como gaitas-de-fo- se deslocou de Tomar, adiantou: “a
– Festival de Cultura Mirandesa que lou o Planalto Mirandês afastaram os
les, bombo e caixa, que acompanha- cultura mirandesa e, dada a minha
reuniu dezenas de participantes em curiosos. As actividades foram mui-
ram as seculares danças dos paus ou formação em Antropologia, sempre
uma simples tertúlia. me despertou curiosidade. O am-
biente musical proporcionado pelos
Organização promete melhorar gaiteiros foi único, tendo sido uma
festa onde se conjugou um rol de tra-
a iniciativa, mas o GEADA nun-
dições que tornaram o ambiente rico
ca será um festival massificado e místico ao mesmo tempo”.
Já a organização promete melho-
“Pouco conhecia das tradições da rar a iniciativa, enquanto esclareceu
região de Miranda do Douro e, por que não se pretende fazer do GEADA
isso, aceitei o convite de duas amigas um festival massificado.
e vim conhecer uma nova realidade “Tentamos criar um ambiente
cultural. Tudo isto é diferente daquilo familiar, para que se possam estabe-
a que estou habituada, sendo que, em lecer laços de amizade com pessoas
termos culturais, a dança dos Pau- que saibam para o que vêm. A divul-
liteiros foi o que mais em marcou”, gação cultural é o principal objectivo
disse Sofia Barcelos, uma participan- do festival”, justificou Ivo Mendes, da
Pauliteiros disseram presente te vinda de Lisboa. organização.

DVD retrata festa de Constantim ideia bas-


t a n t e
completa
F.P. tim, Miranda do Douro. Mário Correia, este trabalho é o cul- daquilo
A realização do documentário é da minar de cerca de cinco anos a obser- que ainda
Documentário de 55 minu- responsabilidade de Ricardo Correia, var esta tradição ancestral. são estas
que assina um registo de 55 minutos, “Por vezes uma imagem vale mais tradições.
tos regista “La Fiesta de ls onde apenas fica de fora a eleição se- que mil palavras. Pode ser uma frase Os princi-
Moços” creta dos mordomos da festa. feita, mas o certo é que os textos es- pais acto-
Recorde-se que esta tradição é critos por diversos autores não con- res desta
Na senda da preservação dos va- uma das mais emblemáticas em toda seguem transmitir a exuberância e o DVD são
lores etnográficos e culturais da Terra região transmontana no que diz res- significado destas tradições”, subli- o Carocho
de Miranda, o Centro de Musica Tra- peito aos rituais do Solstício de In- nhou Mário Correia. e a velha
dicional “Sons da Terra” (CMTST) verno. O lançamento deste trabalho O trabalho é linear e não aprofun- de Cons-
acaba de lançar um DVD de que re- poderá ser o início de outros registos, da as questões ligadas ao ritual que se tantim,
trata todos os passos da “Fiesta de para que não se apague a memória prolonga naquela aldeia raina ao lon- bem como
San Juan”, também conhecida por colectiva de um povo. go de quatro dias. No entanto quem toda a mordia que teima em manter
“La Fiesta de ls Moços”, em Constan- Segundo o director do CMTST, visualizar o trabalho fica com uma vivos estes rituais.

14 5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE


Tierra, Giente i Lhéngua

MENSAIGES DE NATAL DE LS ALUNOS DE LS 7º, 8º I 9º ANHOS


DE L AGRUPAMIENTO BERTICAL DE SCUOLAS DE MIRANDA
Die ampossible de squecer todos cagados i las bicicletas stragadas. A perros. Eh eh eh! benir a coincer pessonas nuobas, podemos
la nuite jogamos un jogo, l “ Counter Stri- cumprar lhembráncias de l festibal, de las
You, ne l die 23 de Outube, a la nui- ke” i çpuis bamos anté l café adbertirmos- Vera Pires, 9º anho bandas i an festibales de tierras mais pe-
te, fui para casa dua amiga de Alcanhiças a mos i a jogar a las cartas. queinhas conhecemos sítios anteressantes i
Se algun de bós quejir un die ir a Pa- mui bonitos.
passar l fin de semana. Die 24 éran ls anhos
laçuolo hai presas, muitas fábricas de arte-
Más bal sola que mal Na nuossa region hai alguns festibales
de miu armano. Cumo nesse die el fazie
anhos fui you, miu pai, miu armano, miu sanato, museus i outras cousas mais. I se acumpanhada de folk, mas tamien podemos ir a ber gran-
primo i miu tiu a cenar a un restourante que un die furdes alhá a ber se çcubris porque des festibales de outros tipos de música. Ne
se chamaba “Hostal Argentina”. Puis you ye que mos cháman Caramonicos ou Afoga A las bezes más bal andar sola do que ls festibales ua cousa ye cierta, siempre l
esse die tenie que ir ambora para casa cun Santos. cun pessonas cun cabeça d’aire. A las be- passamos bien.
mius pais, mas la mie amiga querie que you zes las asparcéncias angánhan i cunfiamos
quedasse cun eilha. Diogo Fernandes, 9º anho an quien nun habiemos de cunfiar. Las ma- Catarina Alonso, 9º anho
You dixe a miu pai que querie quedar i las cumpanhas dan cuonta de nós. Las pes-
sonas júlgan-se buonas mas alhá no fondo
el alhá me deixou. Puis cumo you i la mie L rapaç trabiesso son falseiras i cobardas.
La nuossa amiga
amiga queriemos salir a la nuite, eilha pe-
diu a un amigo deilha para mos ir a buscar a i l bielho Sofia gustaba muito dun rapaç chama- apaixonada
sue casa. You nun conhecie l amigo deilha, do Garoto mor, mas eilha acabou l namoro
mas l amigo lhebou outro rapaç cun el. Pus Era ua beç un rapaç trabiesso que se cun el porque yá staba farta de las garotices Tengo ua amiga chamada Mariana.
essa nuite fui de squecer. Salimos de casa chamaba Rúben. El gustaba muito de an- del. Agora eilha stá mui arrependida, mas Eilha stá apaixonada por un rapaç chama-
a meia nuite i bolbimos a las 6 de la ma- dar de burrico. Un die andaba a passear ten de oultrapassar isso. Eilha yá chorou do Pedro. Mariana stá mui triste porque l
nhana. Nessa nuite cuido que caminemos pul monte i ancuntrou un bielho que quaije por el mas isso bai-le a passar. Bárias ami- rapaç de quien eilha gusta ten namorada.
pul mundo todo. Esse die fui l die que you nun cunseguie andar i andaba mi mal de las gas yá la ajudórun muito, mas eilha quier La namorada de l rapaç que Mariana gusta
ancuntrei l amor de la mie bida, l amigo de cuostas. L rapaç, cumo andaba siempre a squecer todo. I assi acabou l romance i chama-se Malgarida. Malgarida sabie que
la mie amiga. Era l rapaç más guapo de l fazer de las sues, dixo pa l bielho: todo… Mariana gustaba de Pedro, mas Malgarida
ouniberso. Agora stou feliç i gusto tamien - Ei, bós! Nun bos quereis chubir ne l cumo era traste i fazie de prepósito para
de la mie amiga. miu burrico. Bós andais algo mal… Andreia Rodrigues, 9º anho que Mariana deixasse de gustar del i çpuis
I diç l bielho: quedaba Malgarida cun todo. Mas Ma-
- Anton you yá bou! Mas adonde me riana fazie de cuonta que nun oubie nada
Maria Celina Meirinhos, 9º anho
chubo?
La anternete para nun s’anfadar más do que yá staba.
I dixo l rapaç: Andában las dues an guerra por un rapaç.
L miu amigo - Chubis-bos eilhi na parede.
La anternete ye ua lhigaçon de muitas
Deilhi a ua semana Pedro anfadou-se cun
pessonas, alhá l mundo todo stá junto. Po-
I l bielho alhá fui. Quaije yá staba an- Malgarida porque andou a traí-lo cun outro
Un de ls mius melhores amigos chama- demos conhecer pessonas, fazer amigos,
riba de l burrico, mas l rapaç dou ua patada rapaç. Dende pa lantre Mariana ajuntou-se
se Diogo. You gusto muito del, mas a las jogar, ber filmes, cumbersar i tantas outras
ne l burro i l bielho quedou anriba de la pa- a Pedro. Zde esse die bibírun felizes para
bezes zantendemos-mos. Jogamos, cum- coisas más. Mas ye pena que las pessonas
rede i dixo pa l rapaç. siempre. I Malgarida nunca se metiu.
bersamos i adbertimos-mos muito. Quando yá dua cierta eidade nun sában l que ye la
- I agora que fago?
ye brincadeira ye brincadeira, quando ye a anternete. Assi stá cerrada ua puorta a las
I diç l garoto: Magali Reis, 9º anho
sério i a sério. Parecemos l gato i l rato, an- pessonas dua cierta eidade que quédan más
-Abaixa-te i bai-te a pie.
damos siempre a picar-mos, mas siempre apartadas de l mundo.
I assi acabou la cuonta de l rapaç tra-
todo bien. biesso que andaba siempre a fazer de las
A andar de mota
El gusta muito de música electro, gusta Rui Miguel Pires, 9º anho
sues.
de jogar la bola i adora jogar C.S. El ye alto, Era ua beç dous primos, un deilhes era
mi ricalhaço. L primo mais ricalhaço bieno
delgado, guapo i mui bricalhon. Ua de las Tatiana Fernandes, 9º anho Las aulas de mirandés de la Spanha i chamaba-se Abran. I l mais
nuossa brincadeiras de Primabera ye andar
a la molha, mas el ganha-me siempre, por- probe chamaba-se Antonho, aquel que stá a
Las nuossas aulas de mirandés son
que ten más fuorça que you i tamien cuorre Ua banda Rock mui adbertidas. Nós fazemos muitos traba-
screbir esta pequeinha cuonta. An Agosto
más. Squeci-me de dezir que assi i todo, el ajúntan-se nua grande cidade, que ye Ma-
lhos an grupo, screbimos, lemos cuontas i
ye cumo un armano para mi, inda que ande No die 7 de Abril de 2010 ben al nuos- lhadas. A las bezes ajúntan-se i ban a dar ua
lhiendas. Juntos falamos acerca de la lhén-
siempre a caçuar de mi. Mas you tamien so paiç ua banda rock chamada Tokio Ho- buolta de mota. Estes dous primos, quando
gua mirandesa i de la situaçon deilha. A las
fago caçuada del. tel. L cuncerto desta banda será ua alegrie ban a dar ua buolta de mota, pássan l die
bezes fazemos barulho i l porsor anfada-se
para muita giente nuoba. You gustaba de ir todo a andar nessa mesma porra.
cun nós i de beç an quando sáltan uns cro-
Ana Cristina Gomes, 9º anho a ber esta banda, mas cumo you bou para Un die desses, ls dous primos fúrun-se
quetes pa las nuossas cronas. Mas por essas
Paris, nua biaige, cun la mie turma, nun bai a andar anté la casa de Antonho i l pai del
brincadeiras ye que nós gustamos muito
a dar. Spero que todo cuorra bien i que bén- staba mesmo a ber isso. I diç Abran pa ls
La mie tierra i ls mius gan outra beç para you ls poder ir a ber. del i de las sues aulas. Nós daprendemos armanos de Antonho.
muito cun las sues aulas i tamien tenemos
amigos l prebilégio de sermos la melhor turma de l
- L buosso armano yá sabe andar de
Bárbara Ovelheiro, 9º anho mota.
mundo, de l 9º anho, a tener mirandés.
La tierra adonde you bibo ye Palaçuolo - Nó! Nós nunca lo hemos bido, nien el
sabe. I se sabe ye porque tu sonheste.
i gusto muito de alhá bibir. Tengo muitas L miu animal de stimaçon Rafael Seixas i Tamara Leite, - Nó, el sabe, porque isto nun ye un bi-
cousas onde me puodo debertir: jogar a la 9º anho
bola, daprender a dançar pauliteiros, tocar You tengo un perrico que se chama Pa- cho de siete cabeças!
strumientos tradicionales i outras cousas tusco. Ten l pelo castanho claro i ls uolhos I diç l pai de Antonho:
- Anton deixa-le la mota a el. Pega na
mais. Als fins de semana, you i mais uns castanhos, muito pelo i ye mui lindo. Jogo Ls festibales de música mota i bai alhá riba, até la casa de Elson!
quantos amigos, çpuis de studar, claro, ba- cun el a la bola i a las scundidas. Bai cumi-
mos pa l monte a andar de bicicleta. A las go para todo l lhado. Guarda-me quando ls Antonho pegou na mota i botou-se a
Ls festibales de música son eibentos
bezes cuorre mal, mas outras bezes ye ad- outros perros me quieren atacar, ye l miu camino. Quando chegou a sue casa, la mota
mi anteressantes. Podemos ber bandas que
bertido. La parte mala ye quando chegamos melhor amigo. L que mais gusto nel ye que botaba auga. Antonho quedou assustado,
gustamos i até que nun gustamos i apuis
a casa i nuossa mai mos ralha por starmos ye eimaginário, porque you tengo miedo de podemos benir a gustar. Tamien podemos >>

5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE 15


LA FUOLHA MIRANDESA
>>
mas aquilo era porque tenie passado por ye un die mui feliç para todos nós. You gus- La Machorra La mie tierra
auga. Apuis deilhi a cachico yá nun botaba to de l Natal porque stamos cun la família
nada. i cun ls amigos. Na nuite de Natal tenemos La Machorra ye ua tradiçon de la mie
ye San Pedro
Fizo-se nuite i Abran fui-se para casa. prendas. Gusto de ber la mie casa anfeitada, tierra que se chama Malhadas. You bou a La mie tierra ye mui bonita. Alhá ten-
L pai de Antonho quedou mi cuntento por queda todo tan guapo. Na cena comemos falar deilha un cachico. Dá-se l nome de go las mies amigas. Ua ye Patrícia i outra
saber que Antonho sabie andar de mota. I peru, frango, polbo, bacalhau, rabanadas i Machorra a ua fiesta que ye feita por ra- ye Andreia. Passamos muito tiempo juntas.
acabou-se la cuonta. muitas cousas mais. Mas l melhor de todo pazes solteiros, que fázen parte de la mo- Falamos i a las bezes andamos de balancé.
ye starmos juntos, an família. Ye un die de cidade de la tierra. Assi que pula nuite, You gusto muito deilha i de l tiempo que
António Jordão, 8º anho paç, amor i muita alegrie. Feliç Natal para estes rapazes de bárias eidades fázen ua passo na mie tierra.
todos. cena que ye ourganizada pul Juiç de la mo-
cidade i pula restante mocidade. Tamien Verónica Sousa, 7º anho
Liliana João, 8º anho
L miu heirói hai ua fogueira para assar chicha. Apuis de
cumbibir, la mocidade bai pa l café, bebe
L miu heirói ye l melhor antreinador L miu jogador preferido uns cacharros balientes i joga a las cartas.
Las mies amigas
de l mundo. Quando el stubo ne l F.C. de l A la nuite fázen uas brincadeiras pul pobo.
Porto ganhou todas las cumpetiçones adon- L miu jogador preferido ye Lionel Trócan todo, pónen ampecilhos ne l meio
de ls caminos i de las stradas: caixotes de l La mie melhor amiga ye guapa i mui
de stubo metido i ne l anho a seguir ganhou Messi. El ye un jogador marabilhoso por-
lixo, arados, charruas, canhiças, l que benir cumpanheira. You gusto muito deilha. Ei-
tamien todas las cumpetiçones, a nun ser que ye mui nuobo i joga mui bien. El ye
a la mano i outras cousas mais! Çpuis la lha chama-se Mariana, ten catorze anhos i
la taça de Pertual. Apuis de haber ganhado rápido, halbelidoso cun las sues fintas. El
mocidade bai-se a calcer-se pa la foguei- somos las melhores amigas. Tamien tengo
la liga de ls Campeones Ouropeus, delan- joga nun clúbio que se chama Barcelona i
ra i soutordie bai mi debota a la missa. La a Verónica i a Susana que you tamien gusto
tre de l Mónaco, por 3-0, saliu. L Chelsea ye l númaro dieç. El ye l miu jogador fa-
Machorra ye ua tradiçon de giente nuoba. muito. La bida cun amigos lhieba-se me-
chegou al Porto i lhebou a Mourinho para borito.
A mi gusta-me muito. Hai giente que nun lhor.
Anglaterra. Çpuis de haber ganho uns cam- Flávio Delgado, 8º anho
peonatos angleses i uas taças de Anglaterra, le gusta muito.
Mariah Faria, 7º anho
Mourinho anfadou-se cun l presidente de l
Chelsea i stubo 2 meses na sue tierra natal.
L tombo de mota Nélio Teixeira, 8º anho
Mas quando l Inter de Milan ampeçou a te-
Un die a la nuite staba you a comer
L pastor
ner resultados malos, l sou presidente cha-
an casa de ua prima. Çpuis de cenar fui al
mou a Mourinho para lo antreinar. I alhá
café a tomar algo. Quando acabei de buer La mie melhor amiga Era ua beç un pastor mi pobre. Nun te-
stá el, até hoije, a anfadar muita giente i a nie denheiro para cumprar nien sequiera ua
un café fui-me a dar ua buolta de mota, cun
ganhar siempre. La mie melhor amiga ye ua amiga ba- maçana. Passaba bários dies sin comer na-
mie prima i…chimpei-me. Apuis alheban-
liente. Ye ua mulhier guapa i sabe l que fai. dica. A las bezes staba cun tanta fame que
tei-me i staba todo sboucelhado i mie mai
Ricardo Marcos, 8º anho Nun ye eigual a las outras mulhieres que até fazie caldo de piedras cun auga. L pas-
a ralhar-me, nun me deixaba an paç. Apuis
conheço. Eilha ajuda-me naquilho que tor oubiu dezir a las pessonas de la aldé que
fui para casa a fazer un curatibo i deitei-
preciso i scuita-me quando nun ando mui ne ls montes, de beç anquanto, aparecien
me cuns delores fuortes. Nessa nuite tube
uns papagaios amarielhos, que se la giente
L miu Natal un suonho, sonhei que tenie apanhado ua candeal cun la bida. Essa ye la mie melhor
ls comisse quedaba sien fame pa l resto de
caída mi grande. amiga.
la bida.
L miu Natal ye mui buono. La família
Luísa Rodrigues, 7º anho Un die l pastor andaba cun las sues
ajunta-se toda i ls ninos ándan pula casa Elson Igreja, 8º anho
canhonas i biu a drumir nun xeixo un pa-
a jogar. Ne l Natal recibo muitas prendas,
pagaio burmeilho i pensou: “Se calhar an-
como muitas rabanadas, fritas i muitas más
L Mu ganhórun-se, ls papagaios ciertos son ls
lhambisqueirices. Ah, ye berdade! Nas fé- Ua amiga burmeilhos”. Çpuis matou-lo i guardou-lo
rias de Natal you drumo até tarde i gusto
You tengo un amigo que se chama Mu. de baixo dua piedra. Passado pouco tiempo
tanto de drumir até tarde! Ye tan buono! La mie melhor amiga ye ua pessona
L nome berdadeiro del ye Samuel Montei- apareciu un cura a gritar:
ro. Nós chamamos-le Mu porque somos mui special que you puodo cuntar ls mius - Reissenhor?
Samuel Monteiro, 8º anho segredos más amportantes. La mie melhor
sous amigos. El ye un amigo mui porreiro i - Reissenhor? preguntou l pastor.
tamien ye mui debertido. amiga stá an todas las oucasiones: nas buo- - Si, ye l miu papagaio.
La mie eiquipa nas i nas malas i ajuda-me siempre. - Ah! Nun lo bi! respondiu l pastor
Élio Pera, 8º anho Para mi ls amigos sírben para mos aju- amedrancado al cura.
La mie eiquipa ye l Porto. Ye ua eiqui- dar a antender la giente nas melhores i nas - Ah, stá bien! Mas se l birdes deixai-
pa mui buona, ganha siempre todo i ye bien piores oucasiones. lo bibo.
ourganizada i ten buonos jogadores. You - Stá bien. Ide an paç.
sou portista zde pequerrica, porque l miu
La bola Inês Martins, 7º anho - Até lhougo.
pai tamien lo era. Agora inda gusto mais de Apuis desta cumbersa, l pastor pensou:
La bola ye mui guapa. Ye redonda i sal-
l ser, porque ye ua eiquipa ganhadora.
titona. Puode-se praticar çporto cun eilha, La pessona que me gusta “L papagaio puode nun ser mágico, mas
bou-lo a comer na mesma.” I nesse die l
quaije todos ls çportos. Cua bola puode-se
Raquel Teixeira, 8º anho La pessona que me gusta ye mui boni- pastor comiu melhor. Un papagaio burmei-
jogar futebol, basquetebol, andebol, ténis,
ta. Ye alto i guapo i mui fofico. You gusto lho.
pingue-pongue, matraquilhos i tantos más.
L çporto que ye más prática por cá ye l fu- del assi cumo el gusta de mi. Naide me am-
La mie tierra tebol i ye l çporto que a mi más me gusta. pide de gustar de quien you gusto. Mas de Pedro Velho Ferreira, 7º anho
quien you gusto nun bos l digo.
La mie tierra ye la Pruoba i tengo mui-
ta proua an sé-lo. Na Pruoba hai pouqui- José Carlos Cabreiro, 8º anho Susana Rodrigues, 7º anho La garrafica de bino
ta giente, mas la pouca que hai ye buona i
bien anxertada. Ne l miu pobo, l que a mi Era ua beç ua garrafica que staba guar-
mais me gusta ye l berano, quando chega Ser de la aldé L jogador de la bola dadica nua dega dun rei. La probe de la
la giente i ls mius amigos bénen de ls sítios garrafica bien querie ser buida, mas nun le
adonde stán a bibir. Ne l berano fazemos Ser de la aldé ye angraçado porque You conheço un jogador de la bola de calhaba a eilha ser buida. Até que un die
muitas cousas: jogamos a la bola ne l cam- se puode cuidar de ls animales i podemos quien you gusto muito. Este jogador de la la ampregada real, agarrou neilha i lhebou-
po nuobo, fazemos caminadas todos juntos plantar i sembrar aquilho que quejirmos. L bola chama-se Casilhas, que para mi ye l la para un banquete real. Nunca más chega
i muitas abinturas. Esta ye la mie aldé i you animal que a mi mais me gusta ye la per- melhor guarda-redes de l mundo. El come la nuite, dezie la garrafica para eilha. Éran
gusto muito deilha. diç. You puodo tener perdizes na aldé, se todos ls dies saladas i essas comidas que las siete i trinta minutos i nien más un. La
quejir. Claro que la maior parte de la giente solo fázen bien. El defende todas las bolas garrafica fui abierta. A las uito l rei fui a
Ângela Cordeiro, 8º anho que mora na aldé trabalha de la tierra, ye que ban a la baliza i se fur preciso até marca porbar l bino i a la purmeira trasgada…zás!
agricultora. Na cidade isso yá nun acuntece golos. Este jogador joga ne l Real Madrid, Botou-la para fuora. Cun tanta raiba botou
assi. Hai mais oufícios. Mesmo assi gusto ua de las melhores eiquipas de futebol de l la garrafa al suolo i partiu-se. Cuitada de la
L miu Natal cun la mie mais de bibir na aldé. L ambiente ye mais mundo. El yá cunta cun 33 anhos i cuntinua garrafica, tenie tanta buntade de ser abierta
família sano i la giente tamien. a defender bien. i apuis scachórun-la.

L die de Natal ye un die special porque David Ferreira, 8º anho Bernardo Gonçalves, 7º anho Fábio Pires Alves, 7º anho

16 5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE


OPINIÃO

Língua Portuguesa:
Traiçoeira ou Atraiçoada?
António Pires
pelos preceitos gramaticais, são, por ouvir-se a construção frásica “estás a tranheza pelo facto de, em relação ao
Certamente que muitos dos leito- culpa do “uso consagrado da língua”, ir de encontro às minhas palavras”, no verbo “matar”, ouvir e ver grafadas
res estarão de acordo que, para iniciar consensualmente aceites. contexto em que se percebe, a partir frases como “podia tê-lo morto” e, na
o novo ano, haveria temas mais perti- Os três exemplos de que me vou da conversa tida entre duas pessoas, linguagem venatória, “hoje, se não
nentes para submeter à reflexão do que servir, com a devida “correcção auto- existir convergência de opinião entre tenho tido azar, podia ter morto uma
o titulado. Mesmo correndo o risco do mática”, são a prova de que, por um os interlocutores. Ora, numa análi- data de perdizes”. Em relação ao verbo
desinteresse suscitado pelo assunto, lado, da insistência no erro grama- se puramente semântica, sem grande “surpreender; também ele admitindo
entendi fazer algumas considerações tical, provocado pelo contributo dos profundidade, podemos verificar que dois particípios, não sei se por influ-
sobre ele, tomando como ponto de mecanismos de divulgação do mesmo, a preposição “de encontro a” remete ência do País do Carnaval, há aí muita
partida a expressão natalícia Pai Natal, se faz a norma; e de que muita da evo- para a noção de oposição. Contraria- gente a dizer “ estou surpreso”, em vez
correlativa de Menino Jesus, em desu- lução da língua, ainda que por via da mente, “ao encontro de” veicula o sen- de “estou surpreendido”.
so. Abordagem que permite, de certa patacoada, assenta no fenómeno do tido de sintonia, de partilha da mesma Nestes dois últimos exemplos, sou
forma, perceber quem, na verdade, é modismo. ideia entre dois ou mais sujeitos. Con- levado a pensar que os autores desta
“traiçoeiro” ou quem é “atraiçoado”. 1 - Tenho ouvido e lido, nos meios fesso que fico baralhado quando, na incongruência gramatical o fazem em
A língua, entidade abstracta su- de comunicação social, a expressão le- lateralidade, ouço a parte final de uma consciência. Com toda a sinceridade, a
portada por regras gramaticais que xical “pais natal”, como corresponden- conversa em que o dialogante que se forma irregular, a que está na moda, é
possibilitam a comunicação, verbal e do ao plural de “pai natal”. Segundo as presta a ouvidos diz que aquilo que ou- mais apelativa, porque foneticamente
escrita, entre uma dada comunidade regras da gramática portuguesa, esta viu “vai de encontro às suas palavras”. mais agradável ao ouvido!
linguística, além do seu funcionamen- expressão, embora, em termos semân- 3 – Os compêndios da gramáti- Insisto na máxima de que as re-
to se reger a partir das normas esta- ticos, seja concebida como uma única ca portuguesa reconhecem, para um gras da gramática, ao contrário do que
belecidas pelos gramáticos, é, de um realidade, é composta por dois ele- grande número de verbos, na forma- acontece com os normativos que re-
modo geral, e em razão do seu carácter mentos distintos quer na significação ção dos tempos compostos, a exis- gem a vida em sociedade, não têm um
aberto e mutável, condicionada pelo que veiculam, quer na classe gramati- tência de um particípio passado com carácter impositivo. Sejam muitos ou
comportamento linguístico dos seus cal: o primeiro é um nome (substanti- dupla forma: a regular, terminada em poucos os pontapés na gramática, se
utilizadores, escreventes e falantes. E vo); o segundo é um adjectivo. Como ado ou ido, que se emprega junto dos as coisas não forem alteradas, as con-
é no meio desta liberdade concedida os adjectivos concordam, em género auxiliares “ter” e “haver”; e a irregu- sequências de tais inobservâncias são
aos anónimos utentes da língua que, e em número, com os substantivos, o lar, derivada do latim culto, precedida nulas.
não raras vezes, nos deparamos com plural de “pai natal” só pode ser “pais dos auxiliares “ser” e “estar”. Perante, Que as agruras de 2010 não sejam
um grande número de palavras e ex- natais”. pois, uma regra tão simples, que nada mais do que os atropelos à Pátria de
pressões que, não sendo admitidas 2 - É muito frequente, hoje em dia, tem de traiçoeira, admito a minha es- Camões. São os meus votos.

5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE 17


CULTURA

Festival de Ano Novo AGENDA CULTURAL


BRAGANÇA
Cinema
Forum Theatrum
Avatar
instrumentos menos habituais como Até dia 23 de Dezembro, Sala 1
o saltério (instrumento medieval), a Uma Aventura na Casa Assombrada
Até dia 23 de Dezembro, Sala 2
harpa, o acordeão e o saxofone. Ao Planeta 51
público infanto-juvenil, são ofereci- Até dia 23 de Dezembro, Sala 3
dos 10 “concertinhos” que contam Exposição
“A História de Babar”, uma obra do Centro de Arte Contemporânea
Graça Morais
compositor Francis Poulenc”, anun- Pintura e Desenho - 1986/87
ciou o director do Teatro de Vila Real, Sagrado e Profano
Vítor Nogueira, na apresentação do Até dia 10 de Janeiro de 2010
João Cutileiro
festival a 22 de Dezembro. Escultura, desenho e fotografia
O roteiro turístico do FAN 2010 Até dia 10 de Janeiro de 2010
foi também reforçado nesta edição,
com a integração de três novos edi- MIRANDELA
fícios para realização dos concertos. Exposição
Museu da Santa Casa da Misericórdia
Assim, os espectáculos terão lugar Pintura de Paulo Martinez Teixeira
em Vila Real, no Teatro Municipal, Até dia 31 de Janeiro
na Torre de Quintela e na Agência de
Ecologia Urbana; em Bragança, no VIMIOSO
Teatro Municipal, no Conservatório Exposição
Galerias de Exposição da Casa da Cultura
Regional de Música e no Centro de Exposição de peças em vidro “Cor de Luz”
Arte Contemporânea Graça Morais; e De 29 de Novembro a 11 de Janeiro
em Chaves, no Centro Cultural.

Numa altura em que acontecem


que, à semelhança do que aconteceu
poucas iniciativas a nível cultu- nas edições dos anos anteriores, “as
ral, “este é um esforço que con- pessoas da região e outras de fora,
tinua a valer a pena ser feito” possam comparecer, transformando
esta 4ª edição do FAN num sucesso
Como um roteiro turístico e cul- garantido”, conclui Vítor Nogueira.
tural, este festival de “música séria Quanto à programação, em Bra-
para gente divertida”constitui-se gança, poderemos contar, dia 9, no
também como pólo centralizador de Teatro Municipal, “Tríada – Vozes da
três objectivos distintos: proporcio- Bulgária”, e no Centro de Arte Con-
nar um acesso descontraído à música temporânea Graça Morais, dia 16,
erudita, descentralizar geografica- “Saxacordeon”, um duo português,
mente a oferta de espectáculos e di- composto, como o próprio nome
namizar espaços de interesse históri- indica, por um saxofone e um acor-
co e arquitectónico. deão. No Centro Cultural de Chaves,
“A ideia é juntar a música clássica o próximo concerto será no dia 14,
aos equipamentos que nós considera- com a pianista “Young-Choon Park”
mos interessantes, do ponto de vista da Coreia do Sul, que actuará, dia 16,
turístico, para os mostrar às pessoas em Vila-Real, seguindo-se, dia 23,
“FAN é um esforço que continua a valer a pena”, garante Vítor Nogueira em circunstâncias diferentes e para “Dizzi Dulcimer Trio”, uma formação
que elas possam, sobretudo, circu- oriunda de Inglaterra e liderada por
BRUNO MATEUS FILENA clássica com imaginários musicais lar pela região de Trás-os-Montes e Rebecca Anne Edwards, que recupera
menos comuns, como a tradição búl- Alto-Douro, numa altura que é difícil a utilização do saltério em concerto,
gara ou a música medieval inglesa. para qualquer programador”, explica um instrumento de cordas de origem
Durante o mês de Janeiro, Paralelamente, são apresentados o responsável. A organização espera medieval ou mesmo anterior.
24 concertos de música
clássica far-se-ão ouvir em
Bragança, Chaves e Vila-
Real, sob o slogan “música
séria para gente divertida”

A quarta edição do Festival de


Ano Novo (FAN), a mais internacio-
nal de todas e com um orçamento a
rondar os 30 mil euros, acolhe, este
ano, propostas musicais de cinco pa-
íses: Bulgária, Bélgica, Coreia do Sul,
Inglaterra e Portugal.
Organizado pelo Teatro de Vila
Real, em parceria com o Teatro Mu-
nicipal de Bragança e a Associação
Chaves Viva, o FAN começou no dia 1
e terminará a 30 de Janeiro, brindan-
do os diferentes palcos da região com
um total de 24 concertos.
“Procurámos conjugar a música Dizzi Dulcimer Trio recuperaram a utilização do saltério

18 5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE


III Divisão Série A 0 MORAIS
MACEDO 2
Estádio de Santo André, em Morais
Árbitro - Ambrósio Vara (A. F. Bragança)

Macedo ascende à
EQUIPAS
Armando Tiago
Ismael Bernardinho
Stigas Corunha

liderança em Morais
Gene Didácio
(Rui 71’) Eurico (cap)
Alexz Eduardo
Vitó Luís Carlos
Renato (cap) Hugo Ribeiro
FERNANDO CORDEIRO estão proibidos” e foi o que Karaté (Gancho 58’)
aconteceu. (Ibraima20’) Simanca
Típico futebol de Inver- Como derby que se preza, Denilson Tomané (62’)
Rudi Luizinho
no com o estado do terreno alguns casos para alimentar
Lixa
a condicionar a técnica. Mais as conversas dos adeptos até
TREINADORES
disputada que jogado, esta ao próximo jogo, porque com
o novo jogo o anterior fica es- Lopes da Silva Rui Vilarinho
foi uma partida digna de um
derby equilibrado, intenso e quecido. Golos: 0-1 ao intervalo – 0-1 e 02 Luizinho
emotivo. Os locais queixam-se de 24’ e 76’.
Muito naturalmente, a uma entrada mais viril de Eu- Disciplina: Vitó 60’, Alex 65’, Denilkson
iniciativa pela posse de bola rico sobre Karaté, uma bola 78’, e Stigas 79’, Hugo Ribeiro 41’ e
e domínio foi-se alternando no braço e uma entrada com Branco 42’.

entre uma e outra equipa, derrube na área de rigor.


com poucas aproximações A entrada foi, de facto, classificativa.
e ocasiões de eminência de bem durinha. Agora, se hou- Quanto aos árbitros, um
Encontro ficou marcado pelo intenso nevoeiro
golo muito naturalmente. A ve ou não intenção nos lances trabalho não imaculado, mas
diferença esteve no instinto da grande área que justificas- tiça do vencedor, se os casos Para o futebol ganhou a equi- altamente positivo, princi-
matador de Luizinho e nos sem sanção técnica, os atletas podiam ou não ter modifica- pa que menos errou e aquela palmente pelas dificuldades
velhos chavões do futebol. o saberão. O árbitro, bem em do a história do jogo, o fervor que teve mais eficácia. E o do terreno, já que os atletas
Com o terreno de jogo assim, cima dos lances, assim não clubista arranjará teorias e vencedor que ganhou em vá- não facilitaram e viu-se mui-
“a equipa que marcar primei- entendeu. justificações que valorizem rios campos num só dia, é o ta pressão por parte das cla-
ro ganha” e “erros defensivos Sobre a justiça ou injus- ou desvalorizem o resultado. actual líder isolado da tabela ques.

Reacções ao derby
Lopes da Silva Rui Vilarinho meçou a degradar-se e era só vel. De qualquer forma, o que um vício que apanhámos de
mesmo na força e na experi- interessa é ganhar e foi o que trocar a bola do meio campo
Técnico do Morais Técnico do Macedo
ência… Sabíamos que ia ser nós viemos aqui fazer. Penso para a frente”.
“Na primeira metade ti-
um jogo de muita luta, mui- que entramos da melhor for-
“É um campo difícil para vemos algumas situações
to contacto, muito combate e ma neste ano”.
implementar aquilo que pre- com perigo, de aproximações
para isso nos preparámos ao Rudi
tendíamos. à baliza com perigo. O Morais Atleta do Morais
longo da semana”.
Quem fizesse o primeiro teve momentos em que con- Lixa “A nossa equipa costu-
golo tinha fortes possibili- seguiu controlar e, até, domi- Atleta do Morais ma e gosta de trocar mais
dades de ganhar e foi o que nar o jogo. O jogo foi equili- Didácio “Quem não marca sofre. a bola no meio campo, mas
aconteceu. brado, com entrega total dos Atleta do Macedo Agora temos que pensar e com o estado do terreno foi
O Macedo fez dois golos jogadores”. “Foi um jogo muito bem trabalhar já para o próximo impossível.
de falhas individuais, mas disputado. O campo estava jogo. Eles são mais altos e
vamos procurar rectificar Eurico muito pesado e nós sabíamos O mister bem nos aler- mais fortes fisicamente do
certas situações na forma de Capitão do Macedo que não podíamos jogar boni- tou para o estado do terreno, que nós e conseguiram apro-
defender”. “O estado do campo co- to, mas fizemos o jogo possí- para jogar mais directo, mas é veitar-se desse factor”.

1 14 17 37 44 48 25

18 19 25 30 44 1 3

5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE 19


NORDESTE DESPORTIVO

III Divisão Série B


CLASSIFICAÇÕES

Liga Sagres Liga Vitalis III Divisão Série A AFB 2 MONCORVO
INFESTA 1
14ª. Jornada 14ª. Jornada Complexo Desportivo Eng.º José Aires
12ª Jornada 10ª Jornada
em Moncorvo
Classificação Classificação Classificação Classificação Árbitro – Carlos Taveira (AF Aveiro)
Clubes P J Clubes P J Clubes P J Clubes P J
1 Macedo de Cavaleiros 25 12 1 Argozelo 28 10 EQUIPAS
1 Sp. Braga 33 14 1 Beira-Mar 26 14 2 Rebordelo 27 10
2 Maria da Fonte 24 12
2 Benfica 33 14 2 Santa Clara 25 14
3 Montalegre 23 12 3 Vila Flor 23 10 Vítor Bruno Bruno
3 FC Porto 29 14 3 Portimonense 23 14 4 FC Vinhais 20 10
4 Bragança 22 12 Leandro Nuno
4 Nacional 24 14 4 Feirense 22 14 5 Mirandês 20 10
5 Mirandela 21 12
5 Sporting 21 14 5 Chaves 20 14
6 Valenciano 17 12 6 Sendim 16 10 Glauber Rui Jorge
6 U. Leiria 20 14 6 Fátima 20 13 7 Mogadourense 15 10
7 Limianos 17 12 Zé Borges Vicente
7 V. Guimarães 19 14 7 Trofense 19 14 8 Alfandeguense 13 10
8 Amares 13 12
8 Rio Ave 19 14 8 Estoril Praia 19 14 9 Talhas 11 10 Fernando Sidon
9 Santa Maria FC 13 12
9 Marítimo 19 14 9 Desp. Aves 17 14 10 Carção 10 10
10 Fão 11 12
10 Naval 15 14 10 Gil Vicente 17 14
11 Marinhas 11 12 11 Vimioso 7 9
(Flávio 55´´) Paulinho
11 Oliveirense 17 13
11 P. Ferreira 14 14 12 Morais FC 7 12 12 GD Poiares 4 10 Filipe Mesquita Serge
12 Académica 13 14 12 Sp. Covilhã 15 14 13 CCR Lamas 1 10
13 V. Setúbal 11 14 13 Freamunde 14 14 14 GD Milhão 1 9
Paulo Dores Pedro Nuno
14 Belenenses 10 14 14 Varzim
15 Penafiel
14
13
14
14
Resultados Elísio (Laranjeira 67´´)
15 Leixões
16 Olhanense
10
9
13
13 16 Carregado 10 14 Resultados Jaime Júlio
Valenciano  2-1  Marinhas
Pedro Borges Vitinha
Resultados Resultados Limianos  1-1  Mirandela
Morais FC  0-2  Macedo de Cavaleiros
Talhas  0-1  Sendim
Santa Clara  0-0  Gil Vicente Bragança  2-1  Amares
Carção  1-2  Vimioso (Rafa 59´´) Corina
V. Guimarães  1-0  Rio Ave GD Milhão  1-1  GD Poiares
V. Setúbal  3-2  Marítimo Beira-Mar  3-2  Desp. Aves Santa Maria FC  3-2  Maria da Fonte
Benfica  1-0  FC Porto Freamunde  3-0  Carregado Fão  2-1  Montalegre
Rebordelo  1-0  FC Vinhais TREINADORES
Mirandês  4-0  CCR Lamas
U. Leiria  1-0  Belenenses Trofense  0-0  Penafiel
Oliveirense  0-0  Feirense
Argozelo  6-2  Mogadourense Sílvio Carvalho Manuel António
Leixões  21/12  Olhanense
Naval  0-1  Sporting Varzim  0-0  Portimonense Próxima Jornada Vila Flor  1-0  Alfandeguense
Nacional  4-3  Académica Estoril Praia  0-1  Fátima
Chaves  3-1  Sp. Covilhã Montalegre  10/01  Valenciano
Próxima Jornada Golos: Pedro Nuno 5´´ e Filipe Mesquita
P. Ferreira  0-1  Sp. Braga
Marinhas  10/01  Limianos 81´´ e 88´´;
Próxima Jornada Próxima Jornada Mirandela  10/01  Morais FC
Mogadourense  10/01  Sendim
Vimioso  10/01  Talhas Disciplina: Amarelos – Zé Borges 50´´;
Feirense  10/01  Estoril Praia Macedo de Cavaleiros  10/01  Bragança
Sp. Braga  10/01  Nacional GD Poiares  10/01  Carção Flávio 59´´; Joca 59´´; Pedro Nuno 61´´;
Penafiel  10/01  Freamunde Amares  10/01  Santa Maria FC
Académica  10/01  Naval FC Vinhais  10/01  GD Milhão
Sporting  10/01  Leixões Desp. Aves  10/01  Santa Clara Maria da Fonte  10/01  Fão
CCR Lamas  10/01  Rebordelo Júlio 77´´ e Filipe Mesquita 90´´+4´´.
Olhanense  10/01  P. Ferreira Fátima  10/01  Chaves Argozelo  10/01  Vila Flor
FC Porto  10/01  U. Leiria Sp. Covilhã  10/01  Varzim Alfandeguense  10/01  Mirandês
Belenenses  10/01  V. Setúbal Carregado  10/01  Beira-Mar
Marítimo  10/01  V. Guimarães
Rio Ave  10/01  Benfica
Portimonense  10/01  Oliveirense
Gil Vicente  10/01  Trofense Dar a volta
Nacional Juniores C
III Divisão Série B Nacional Juniores B 14ª. Jornada
Nacional Juniores A
15ª Jornada
com Mesquita
12ª. Jornada 15ª. Jornada Classificação Classificação VÍTOR ALEIXO
Classificação Classificação Clubes
1 V. Guimarães
P
40
J
14
Clubes P J
1 Freamunde 33 15
Clubes P J Clubes P J 2 Sp. Braga 32 14 2 Famalicão 26 15 O Infesta até entrou me-
1 Vila Meã 24 12 1 V. Guimarães 34 15 3 Varzim 26 14
2 Fafe 22 12 2 Padroense 33 15 4 Bragança 26 14
3 Fafe
4 Moreirense
26
25
15
15
lhor, chegando ao golo logo
3 Varzim 30 15 5 Vizela 24 14
3 Amarante
4 Joane
21
20
12
12 4 Freamunde 30 15 6 Gil Vicente 23 14
5 Trofense
6 Chaves
23
22
15
15
aos cinco minutos, por in-
5 AD Oliveirense 19 12 5 Sp. Braga
6 Diogo Cão
29
25
15
15
7 AD Barroselas
8 Famalicão
23
13
14
14
7 Limianos 22 15 termédio do reforço Pedro
6 Torre Moncorvo 17 12 8 Diogo Cão 21 15
7 Rebordosa 16 12 7 Rio Ave 23 15 9 Marinhas 12 14 9 Vizela 20 15 Nuno, que aproveitou uma
8 Leça 16 12 8 Vizela 22 15 10 Chaves 8 13
9 Famalicão 16 12 9 Fafe 13 15 11 Ribeirão 8 14
10 Caç. Taipas
11 Bragança
16
15
15
15
descoordenação da defensi-
10 Régua 11 15 12 ARC Paçô 3 13
10 Serzedelo
11 Infesta
10
9
12
12 11 Limianos 9 15
12 Valdevez 0 15 va da casa para inaugurar o
12 Pedrouços 3 12 12 GD Cachão 0 15 marcador. O Moncorvo ten-
Resultados Resultados tou reagir ao tento sofrido,
Resultados Resultados
Vizela  10/01  Marinhas
Vila Meã  0-1  Leça
Limianos  1-1  Rio Ave Ribeirão  10/01  Famalicão
Fafe  1-0  Bragança mas a defensiva do Infesta
Torre Moncorvo  2-1  Infesta Caç. Taipas  0-1  Vizela
Fafe  0-0  Amarante Régua  0-9  V. Guimarães Sp. Braga  10/01  Gil Vicente
Bragança  10/01  Chaves
Freamunde  1-1  Moreirense ia evitando o perigo para a
Padroense  3-0  Fafe Trofense  1-2  Limianos
Famalicão  2-2  Rebordosa
Serzedelo  1-3  Joane Diogo Cão  3-0  Vizela V. Guimarães  10/01  Varzim
Diogo Cão  0-0  Famalicão baliza defendida por Bruno.
Freamunde  3-1  Varzim ARC Paçô  10/01  AD Barroselas
Pedrouços  0-2  AD Oliveirense
GD Cachão  0-6  Sp. Braga
Valdevez  0-3  Chaves
Depois do golo, os visitantes
Próxima Jornada Próxima Jornada só voltaram a assustar, com
Próxima Jornada
Rebordosa  10/01  Serzedelo V. Guimarães  10/01  Rio Ave Famalicão  17/01  Marinhas Próxima Jornada o autor do golo do Infesta a
Leça  10/01  Famalicão
Amarante  10/01  Torre Moncorvo
Fafe  10/01  Régua
Vizela  10/01  Padroense
Gil Vicente  17/01  Ribeirão cabecear uma bola à trave, no
Chaves  17/01  Sp. Braga Vizela  09/01  Bragança
AD Oliveirense  10/01  Fafe
Joane  10/01  Pedrouços
Varzim  10/01  Diogo Cão
Sp. Braga  10/01  Freamunde
Varzim  17/01  Bragança Moreirense  09/01  Caç. Taipas contra – ataque.
AD Barroselas  17/01  V. Guimarães Limianos  09/01  Freamunde
Infesta  10/01  Vila Meã GD Cachão  10/01  Limianos ARC Paçô  17/01  Vizela Famalicão  09/01  Trofense A segunda parte foi di-
Chaves  09/01  Diogo Cão
Valdevez  09/01  Fafe
ferente, com o Moncorvo a
Resultados
apostar tudo no ataque e com
as entradas de Flávio e Rafa
Futsal - I Divisão Benfica  10-1  Freixieiro
SL Olivais  6-5  Boticas
Onze Unidos  1-6  Belenenses Futsal Distrital tudo foi diferente. Mais velo-
15ª. Jornada AAUTAD/Real Fut  3-5  Mogadouro cidade e dinâmica no ataque
Ins. D.João V  7-3  Vila Verde 9ª Jornada
Classificação AD Fundão  2-2  Alpendorada e mais organização defensi-
Sporting  3-1  FJ Antunes Classificação va, foi assim que o Moncorvo
Clubes P J Clubes P J Clubes P J
1 Benfica 39 15 8 Boticas 19 15 Próxima Jornada 1 Vila Flor 21 9
passou a controlar as opera-
2 Belenenses
3 Sporting
39
35
15
15
9 Alpendorada
10 FJ Antunes
18
18
15
15 Boticas  16/01  Freixieiro
2 C. Ansiães 17 8 ções, encostando o Infesta à
3 FC Mirandela 17 9
4 Ins. D.João V
5 Mogadouro
28
27
15
15
11 SL Olivais
12 AAUTAD/Real Fut
13
7
15
15
Belenenses  16/01  SL Olivais
Mogadouro  16/01  Onze Unidos
4 SC Moncorvo 16 8 sua defensiva.
5 GD Poiares 14 9
6 AD Fundão 24 15 13 Vila Verde 6 15 Vila Verde  16/01  AAUTAD/Real Fut
6 Torre D. Chama 12 8 Mas o herói do jogo foi
7 Freixieiro 23 15 14 Onze Unidos 5 15 Alpendorada  16/01  Ins. D.João V
FJ Antunes  16/01  AD Fundão
7 GDC Roios
8 Stº Cristo
11
10
9
9
mesmo Filipe Mesquita, que
Sporting  16/01  Benfica
9 CA Carviçais 6 9 aos 81´´ e 88´´ minutos, re-
10 UD Felgar 3 9
solveu o jogo para os moncor-
venses, com dois remates fora
Resultados Resultados
Amanhã Criança  5-5  Contacto
da área, o último de bola pa-
Futsal - III Divisão - Série A Chaves Futsal  09/01  Paredes CA Carviçais  3-1  Torre D. Chama rada, garantindo a reviravol-
Monte Pedras  2-3  Macedense
12ª. Jornada Gualtar  0-1  Barranha SC ta no marcador e um triunfo
Pioneiros Bragança  4-3  Santa Luzia
Mondim de Basto  7-1  A.R.C.A.
que se justifica. Já o Infesta,
Classificação Junqueira  8-3  Guimarães Futsal na segunda etapa da partida,
Clubes P J Clubes P J
Próxima Jornada
limitou-se a defender.
1 Chaves Futsal 31 11 8 Guimarães Futsal 16 12 Próxima Jornada
2 Contacto 28 12 9 Paredes 15 11 Contacto  16/01  Chaves Futsal
A equipa de arbitragem
3 Junqueira
4 Mondim de Basto
25
23
12
12
10 Macedense
11 A.R.C.A.
12
9
12
12
Paredes  16/01  Monte Pedras
Macedense  16/01  Gualtar
SC Moncorvo  15/01  UD Felgar
FC Mirandela  15/01  GDC Roios
cometeu alguns erros. O mais
5 Barranha SC 21 12 12 Pioneiros Bragança 7 12 Barranha SC  16/01  Pioneiros Bragança Vila Flor  15/01  Torre D. Chama grave foi não assinalar uma
6 Monte Pedras 21 12 13 Amanhã Criança 7 12 Santa Luzia  16/01  Mondim de Basto CA Carviçais  15/01  GD Poiares
7 Gualtar 16 12 14 Santa Luzia 5 12 A.R.C.A.  16/01  Junqueira C. Ansiães  15/01  Stº Cristo grande penalidade sobre Flá-
Guimarães Futsal  16/01  Amanhã Criança
vio, aos 59 minutos.

20 5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE


NORDESTE DESPORTIVO

III DIvisão Série A 2 BRAGANÇA


AMARES 1
Estádio Municipal Bragança
e Pedrinha para a esquerda, Árbitro – F Nunes (Porto)

Fome de bola depois veio o segundo golo,


com Toni a ser mais rápido
do que a defesa minhota e a
EQUIPAS
Zé Luís
F Silva
Márcio
Hélder
marcar, apesar da bola ain- Carlitos (Ismael 46”)
Toni Remoa
O GD Bragança entrou em da ter batido no poste direi-
(Mirko 85”) Paulo Ricardo
2010 a vencer e somou pon- to antes de caminhar para as
Xavier (Hugo 69”)
tos, depois de mais uma boa redes. O GD Bragança jogou, Badará Duarte
exibição, que acabou por ser mais uma vez, com muita pa- (Sana 73”) Filipe
um pouco tremida já no final, ciência, procurando sempre Marco Fontoura Tiago
com o golo de Santa, numa pressionar a meio campo e Pedrinha David
bola parada que Zé Luís po- ganhar rápido a bola. Marco Pinhal Tiririca
Móbil Armando
deria ter feito um pouco me- Móbil foi o patrão, mas Car-
Rui Gil (Santa 46”)
lhor. O relvado ensopado foi litos esteve soberbo, ao agar- (Fábio Pinto 46”)
o grande inimigo das duas rar o jogo e distribuir. F Silva
equipas, que se apresentaram arranjou um companheiro TREINADORES
bem fechadas, com o Bragan- de classe, a defender e a co- Carlitos Alberto Mendes
ça a tentar jogar mais pela di- locar a bola, pois Xavier não
Golos: Rui Gil 24”, Toni 62”, Santa 72”
reita, enquanto os minhotos engana na direita. Pedrinha
tentaram o contra-ataque, Canarinhos vão recuperando da chicotada psicológica
manda na esquerda, mas sem
apoiados por um rapidíssi- Rui Gil torna-se difícil. No treinador veio trazer sangue
mo Tiririca e com o grande Era o aviso para o golo, que bragançanos e acalmar um entanto, a mudança não cau- novo, a equipa está equilibra-
avançado Armando. Quan- veio também de bola parada. pouco o pouco público pre- sou problemas, a não ser com da e quem vier terá problemas
do o miolo da casa se soltou, Canto de Pinhal, confusão na sente (cerca de 60 pessoas). a entrada de Santa, que colo- em entrar na equipa. Certo é
apareceu mais bola junto de pequena área, e Rui Gil, de Já na 2ª parte, a surpre- cou a defesa da casa em pe- que já se vê futebol e, mesmo
Márcio, mas o primeiro avi- pé direito, inaugurou o mar- sa veio do balneário, com Rui quenos sobressaltos, mas coi- assim, os associados fazem
so veio de um remate de Pe- cador. Para este esquerdino Gil a ser rendido por Fábio sa de pouca dura. O Bragança gazeta. O juiz entrou calmo e,
drinha, após livre directo. O de luxo, triturado por lesões, Pinto. reabilitou-se e lá garantiu, com a ajuda dos atletas, ga-
esférico tirou tinta da barra. nada melhor que adiantar os Carlitos foi para a direita com justiça, os três pontos. O nhou uma boa prestação.

III Divisão Série A 1 LIMIANOS


MIRANDELA 1
Campo de jogos do Cruzeiro

Árbitro protagoniza jogo


Árbitro – Jorge Oliveira (Braga)
EQUIPAS
Litos Norinho
Zé Manel Jonas
(David 78) Adriano
do jogo. Os atletas de Miran- lizador, passando o domínio como havia sido o forasteiro, César Álvaro
dela fizeram circular bem a trasmontano a ser avassala- mas, mesmo assim, a serem Boris Tchikoulaev Nana K
bolo, de pé para pé, com as dor e as situações de desper- melhores que o seu adversá- Hugo Soares Breno
transições entre os sectores dício de golo mais que mui- rio e acabando por justificar o Ribeira Rui Borges
defesa e ataque, ataque con- tas, atingindo-se o intervalo empate. Miguel Rui Lopes
Hugo Costa (Zé Luís 89)
tinuado ou em contra - ata- com o 0-1. Este resultado era Analisando pela contabi-
André Pinto Ivo Calado
que. As jogadas aconteceram lisonjeiro para os anfitriões e lização das situações de golo Tiago (Couto 69)
com naturalidade e na per- muito pouco para os visitan- conseguidas, o empate pena- (Correia 75) Vaguinho
feição, construindo inúmeras tes. liza demasiado os transmon- João Costa Maktar
situações de aproximação à Depois do descanso, tudo tanos. Se analisarmos pelo (Aires 81)
baliza, fazendo funcionar as foi diferente. Os locais regres- domínio de cada uma das
TREINADORES
diagonais na perfeição, a que saram mais atrevidos e apoia- equipas, o empate é o resulta-
José C. Fernandes Carlos Correia
faltava, apenas, a finalização dos por uma arbitragem ten- do justo, embora a haver um
para, aos 5’, ter um resultado denciosamente caseira, visto vencedor seria o conjunto de Golos: Vaguinho 13’, João Costa 78’.
descansado. que as faltas, quando come- Mirandela. Disciplina: Vaguinho 44’, Adriano 47’,
O golo forasteiro, que tidas pelos locais, eram con- Quanto aos árbitros, não Álvaro 56’, Rui Borges 67’, Norinho 69’,
Rui Lopes, um dos pilares do SCM Ivo Calado 69’, Jonas 78, Tchikoulaev 36’,
se adivinhava desde o apito siderados lances normais. Os podem ser ilibados do seu
Litos 72’, e Correia 89’.
Excelente entrada dos inicial, acabava por aparecer alvi-negros, para a sua defen- caseirismo, que pode muito
alvi-negros, liderando a pos- aos 13’, por Vaguinho, mas siva, conseguem o domínio bem ter interferido no resul-
se da bola e tomando conta funcionou como um revita- do jogo, não tão avassalador tado.

5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE 21


NORDESTE DESPORTIVO

AF Bragança 1 MILHÃO
POIARES 1
Campo do CEE
Árbitro – Rui Sousa (Bragança)

Para pior já basta assim EQUIPAS


Fevereiro
Coelho
Paulo André
Rui Portela
Cândido Nuno Teixeira
Este jogo entre Poiares e David Amorim
(Káká 77”) (Gaspar 89”)
Milhão foi muito mau para
L Filipe Filipe portela
ser verdade. (Toni 41”) Victor Gaspar
Apesar da forte chuva que Tino Sá Pedro Massano
caiu de madrugada, o campo Jean (Silva 52”)
não estava assim tão ruim Eldon João Carrasco
como poderia parecer, mas os Evanilton Yedba
jogadores não se deram, se- (Nuno 90”) Pedro Botelho 75”
Moreira Pedro Carrasco
quer, ao trabalho de dar uma
Cristiano Pires
boa imagem deste distrital.
As melhores oportunida- TREINADORES
des foram para os visitantes, L F Santos Carlos Madeira
com Pedro Carrasco a ser um
perdulário. Apesar de ter fei- Golos: Pedro Carrasco 74”, Daniel 75”
Disciplina: Moreira
to o 1-0 com um bonito golo
após cruzamento de Cristiano
Pires, mas foi um mal menor, Milhão conseguiu o primeiro ponto no Campeonato Distrital pois da saída de V. Rentes e
pois o jogador teve a vitória entrada de Madeira.
a seus pés por duas ou três ao máximo. Com estes jogadores não tos, já que, provavelmente, A partir da próxima de
vezes, mas mostrou não ter O Milhão sentiu o golo e se podia pedir melhor, já que teve mais espectadores que o sexta-feira passarão, tam-
muita pontaria. empatou de bola parada, mas o Milhão não treina há 18 dias. jogo Bragança – Amares. bém, a jogar futsal. Rui Por-
Valor para o presidente nada que disfarçasse o fute- Contudo, a partida ficou mar- O Poiares trocou de trei- tela fez obra e agora não é
Rui Portela que se esforçou bol pobre. cada pela afluência de adep- nador há pouco tempo, de- tempo de parar.

AF Bragança 1 REBORDELO
VINHAIS 0
Campo do Rebordelo
Árbitro – Rui Paulo (Bragança)

Lama estragou jogo


EQUIPAS
Nelo Nuno
Neca Rui
Bruno Pik
Miguel Nuno
essa prática britânica. Bem vistas as coisas, JoãoI Joli
ganhou quem melhor conhece o campo, com Joaõ II Filipe
um golo de pontapé para a frente, como uma Melão Migalhas
espécie de alívio. Na verdade, houve, ainda, Luby Tiago
Peseta Pedro
tempo para fortes emoções, com a expulsão
Ludovic Infesta
do guarda- redes da casa, Nelo, que, segundo Márcio Márcio
o juiz Rui Paulo, perdeu tempo e foi substitu- Cláudio Ricardo
ído por jogador sem rodagem na baliza. Mas, Pitufo Paulinho
não houve tempo para o Vinhais marcar. Mário
O árbitro Rui Paulo esteve a bom nível.
TREINADORES
Tendo em conta o estado do terreno, é de lou-
Jorginho Carlos Garcia
var não ter recebido qualquer tipo de crítica
de nenhum clube. Golos: Cláudio 86”

Não houve tempo para o golo do Vinhais

Um golo no lamaçal de Reborde- praticável.


lo acabou por apanhar Cláudio des- Depois, a mais valia técnica dos
marcado e dar ao Rebordelo forma de vinhaenses desapareceu e tornou-
respirar a um ponto do líder Argoze- se mais um jogo de bola para o ar, a
lo. Do jogo não se pode dizer muito, tentar alguma sorte na área, ou me-
pois a bola andou pouco mais de 10” lhores em ambas, pois a turma da
no pelado, até o futebol se tornar im- casa, dirigida por Jorginho, já tem

22 5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE


NORDESTE DESPORTIVO

AF Bragança 1 CARÇÃO
VIMIOSO 2 AF Bragança 6 ARGOZELO
MOGADOURENSE 2
Campo do Carção Campo do Argozelo
Árbitro – Rui Domingues (Bragança) Árbitro – Rui Mouta (Bragança)

Guerreiros EQUIPAS
Carlos Luís Mário Máquina EQUIPAS
Pedro Vila Bruno

no derby Pancha Carlos Miguel Adolfo Joni

trituradora
Hugo I Octávio Nuno Beto
Hugo II Cavaleiro Zamalek Filipe
Homenagem seja feita Vitinho Tó-zé Luizinho Vidinha
ao treinador do Carção, An- Pedro Marine Samuel Rogério
tónio Forneiro, pela forma Gancho Pedrinha Pedro Martins Fana
Luís Luizinho Ricardo Diz Nene
como tem levado este clube
Bruno Coutinho Bife Kita Marcos
a ter uma das melhores de- Chiça Vitinho Jorginho Paulo
fesas do campeonato. Uma Palhau ZéZé Paletas Frutuoso
equipa bem posicionada na Hugo III Faboy Serginho Lagoa
tabela e com jogadores ainda Micha Sheu JP Pires
sem grande nome na prova, Miranda Kina Canelão
à excepção de Palhau, Bruno TREINADORES TREINADORES
Coutinho ou mesmo o guar-
António Forneiro V R “Scolari” Fernando Teixeira Azevedo
dião Carlos.
Pouco se poderia esperar Golos: Hugo II 23”, Sheu 55”, 59” Golos: Kita 7”, 65”, Nene 10”, Pedro
desta partida depois de uma Disciplina: Faboy 85” Martins 15”, 26”, Samuel 70”, JP 75”, Joni
madrugada de chuva intensa (gp) 88”
Disciplina: Vermelho – Vidinha com duplo
e um campo sem muita dre- segundo tempo, colocaram
amarelo 39”
nagem. Mas não foi assim, e ordem no Vimioso.
viu-se 28 guerreiros em cam- Bem entretidos, os joga-
po, que, em conjunto com a dores deram forma ao jogo, Apesar das críticas ao distri-
equipa de arbitragem, mos- criaram imaginação e de- tal de Bragança, ver jogar este
traram muito sacrifício, von- ram um forte abanão a quem Argozelo é ver um “Barcelo-
tade de jogar e de marcar. pensa que há poucas equipas na” do nosso distrito.
O marcador abriu por competitivas no campeonato. O Mogadourense deu o
Hugo II, após um bonito pas- Este derby deu um sinal de que tinha, marcou dois go-
se de Bruno Coutinho. Com a esperança. los e reagiu sempre que tinha
vantagem na mão, o Carção Quanto ao árbitro, ambos o jogo na mão. Não foram
acabou por fazer tremer a os “contribuintes” não gosta- muitas vezes, mas razão tem
equipa de “Scolari”. ram, mas o velho problema o treinador dos Amarelos do
Depois do intervalo, e em deste juiz é apenas discipli- Kita assinou 2 golos Planalto, Azevedo, pois o que
9”, viu-se um penalti falhado nar. Mesmo assim, acabou se pode dizer quando o resul-
O Argozelo é uma máqui- nuto 65”. Foi este jogador a
por Vitinha e dois golos de por não ter nada que ver com tado é de 6-2? Na verdade,
na trituradora. Em três jogos marcar a grande diferença
Sheu, que tinha entrado no o marcador final. há que louvar este treinador,
marcou 15 golos, 6 dos quais no jogo. Tem muitos anos de
neste jogo, em casa, frente bola, mas esta partida pode- que não se desculpou com
ao candidato Mogadouren- rá ter-lhe ficado gravada na ninguém, a não ser com a exi-
se. Certo é que a equipa do memória, pois arte de saber bição da equipa da casa, que
Planalto não se preparou a estar na área, jogar à “Nene”, ainda falhou um penalti, por
tempo e começou a preparar- sem sujar os calções e dar bri- Pedro Martins. O campo não
se com o campeonato já em lho ao jogo, não é para todos. foi o melhor, mas teve um pú-
andamento. Mas, nada disto Mas, sozinho não se consegue blico fascinante. Muitos deles
retira mérito os homens das fazer nada. Jorginho, Luizi- estão em França e Espanha,
minas, equipados de verde nho, Pedro Martins, e, essen- mas nestas férias fizeram
esperança e cheios de talento. cialmente, Samuel foram a questão de ver a equipa ga-
Logo aos 7”, Kita, desmarca- cor da equipa. Samuel é um nhar em Alfândega e, agora,
do por Samuel sobre a direi- táctico por natureza, mas teve em casa. Marcaram presença
ta, apareceu isolado e com a tempo para marcar um gran- cerca de 150 pessoas, que vi-
sua já habitual arte marcou, de golo e dar uma classe ao ram espectáculo e um árbitro
como viria a repetir ao mi- meio campo impressionante. que gosta de deixar jogar.
Carção deixou vitória nas garras do Águia

5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE 23


NORDESTE DESPORTIVO

Distrital Iniciados 10 CACHÃO


MONCORVO 0
Árbitro: Nelson Ramos

Cachão arrasador EQUIPAS


Miguel Vieira
José Gomes
Manecas
Pedro
JOSÉ RAMOS Keven Mendes João
Fernando Pereira Daniel
Após a paragem do cam- Rui Cardoso Mário
peonato para festejar o Na- José Moreira André Miguel
Rui Seixas Samuel
tal e a passagem de Ano, o
Ruben Costa Pedro Pinto
Cachão recebeu, no passado Mário Silva Paulo Catalão
sábado, a equipa de Inicia- Ricardo Reis Rui
dos do Moncorvo.
TREINADORES
Com o apito inicial do
árbitro da partida, coube ao Fernando Tomas
Cachão tomar a iniciativa Golos: Mário Silva 2,13, Francisco Baptis-
do jogo, e no primeiro ata- ta 14, Ricardo Reis 21,30,31,10”,14” David
que, acabou por marcar o Rodrigues 24”, Victor Teixeira 32”
seu primeiro golo.
Já a equipa do Moncor-
vo, ao minuto 10, foi pela seu valor em campo e o Ca-
primeira vez a baliza adver- chão com o sentido da bali-
sária sem qualquer perigo za da equipa forasteira.
para a equipa da casa. O Moncorvo teve de se
Com o Cachão a ter a socorrer de alguns jogado-
mesma vontade e garra da res ainda infantis para po-
dilatar o marcador e sendo Cachão amoleceu a equipa da Capital do Ferro der ter alguns elementos no
a única equipa a procurá-lo, banco.
o resultado ao intervalo era e nenhuma para o Moncor- Na segunda parte, man- jogar, com o Moncorvo a A equipa de arbitragem
de seis bolas para o Cachão vo. teve-se a mesma forma da não conseguir demonstrar o esteve bem.

Mirandela Bragança
CTM em convívio natalício
A sede do Clube de Ténis
de Mesa de Mirandela (CTM),
animou a iniciativa durante
toda a noite.
Sérgio Ramos
no espaço da Reginorde, foi pe-
queno para acolher os atletas,
familiares e amigos daquela
Trata-se de um evento que
visa reunir todos os que “gos-
tam” e apoiam o CTM e que,
campeão em BTT
instituição para a Ceia de Fa- de ano para ano, tem contado
mília. com mais amigos e aderentes,
Mais de 600 quilómetros
Com pratos caseiros, con- sendo que a Ceia de Família foi a distância que a Associa-
feccionados pelos presentes, o que marcou esta época natalí- ção de Ciclismo de Bragan-
jantar contou com a actuação cia bateu todos os recordes de ça propôs aos participantes
do grupo Sons da Terra, que participação. do primeiro Campeonato
Regional de Maratonas em
BTT (XCM) que foi vencido
por Sérgio Ramos, da Bicicar
Team (Vila Real).
Freixo de Espada à Cin-
Bragança ta, Macedo de Cavaleiros,

Hóquei em Patins nos Reis Vila Flor, Vila Real, Bragan-


ça, Chaves, Vilar do Monte
e Mirandela foram algumas
O Torneio dos Reis, já na sua defrontar-se quatro equipas, a das paragens que, aliando a
4ª edição, realiza-se pela pri- AP Aveiro, AP Minho, AP Por- exigência física e técnicas dos
meira vez na cidade de Bragança to e AP Ribatejo. Serão quatro atletas, os levaram ao melhor
já no próximo fim-de-semana. poderosas selecções nacionais, da paisagem e gastronomia
Ao todo serão três dias (8, 9 e 10 em território brigantino, com
transmontanas.
de Janeiro) onde o hóquei em disputa marcada para encon-
Desde o início que a de-
patins é, de novo, tão rei como tros vigorosos e apelativos. Os
terminação de Manuel Melo e
nos tempos de antigamente, em dois primeiros serão sexta-feira,
que se vivia e respirava a moda- a partir das 19h. No sábado, as
Sérgio Ramos saltaram à vis-
lidade. Desta feita, serão os ini- hostes abrem às 18h e no domin- ta dos restantes participantes,
ciados a entrar em acção, num go encerram pela manhã, sendo sendo que os primeiros luga-
torneio promovido pela Associa- que, o primeiro jogo decorrerá res foram sempre disputados
Atleta da Bicicar foi o grande vencedor
ção de Patinagem (AP) do Porto, às 10h. Será um fim-de-semana pelos dois atletas.
em estreita colaboração com o onde o hóquei em patins será, Já fase final do campeona- como a altimetria. foram ocupados por Nuno
Clube Académico de Bragança e de facto, rei e senhor. Não fosse to, o percurso de Mirandela, Assim, Sérgio Ramos sa- Miranda e Pedro Botelho,
com o apoio da Câmara Munici- pela época que atravessamos e o com cerca de 80 quilómetros, grou-se campeão da prova, respectivamente. A última
pal de Bragança. nome continuaria a fazer senti- foi dos mais duros, devido ao seguido de Manuel Melo. Já posição destinou-se a Fran-
No Pavilhão Municipal, irão do. terreno de água e lama, bem os terceiro e quarto lugares cisco Fernandes.

24 5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE


NORDESTE DESPORTIVO

Futsal - Taça de Portugal 7 AC MOGADOURO


ONZE UNIDOS 3
Pavilhão da Junta de Freguesia
Árbitros: Romeu Afonso (A.F.C.

Jogo termina devido a agressões Branco)


Luís Marques (A.F. Coimbra)
EQUIPAS
Pina Nelson
CARLOS RIBEIRO Mogadouro terá ficado junto Boi Zezito
à porta de saída para os bal- Mancuso Penha
Mancuso e Sérgio foram neários e envolveu-se com o Mário Freitas Alex
expulsos e a dupla de árbitros rival do Onze Unidos, bem Ricardinho Barata
decidiu suspender o jogo. Os como com o dirigente que o Neysinho João Paulo
Bruno Pereira Barros
transmontanos venciam por acompanhava. Esta confu-
Miguel Castro Sérgio
7-3, mas agora é a FPF que são despoletou outra muito Wallace Cabral
decidirá. Onze Unidos saiu maior, pois o banco das duas Allison Patolas
do Pavilhão com protecção equipas saltou de imediato Pin Talaças
policial. para junto do trio. Kaka
Tudo dentro da norma- Após a tempestade veio a Golos: Neysinho, 14M, 15M, 17M, Mário
lidade, até Mancuso (Moga- bonança, mas a dupla de ár- Freitas, 16m, 19m, Mancuso, 4m Bruno
douro) e Sérgio (Onze Uni- bitros entendeu não ter con- Pereira10m; Barros 11m (GP), 12M, Penha
dos), aos 23”, terem sido dições para prosseguir com o 19m
expulsos. Depois, uma enor- jogo e terminou-o nesse ins- Disciplina: Mancuso A10M, A27M,
V27M, Bruno Pereira 11m, Neysinho 12m;
me confusão que levou a du- tante, embora os responsá- Académico vencia por 7-3 na altura em que o jogo foi interrompido Nelson V18M, Talaças A26M, Sérgio
pla de árbitros, Romeu Afon- veis das duas equipas já tives- A27M, A27M, V27M
so e Luís Marques, a terminar sem colocado um ponto final Um início esmagador do não existiu e aos 12” empatou
o encontro. Um caso a fazer nas agressões. A vontade das Académico que aos 10” já mesmo a partida. 2-2 no mar-
manchete no nosso desporto, duas partes jogarem não foi vencia por 2-0. cador. démico, levando o marcador
mais uma vez o Académico respeitada e agora é a Fede- Mas uma reacção posi- Surge então Neysinho para os 7-2. Penha reduziu
em situação difícil, falta ago- ração Portuguesa de Futebol tiva do adversário fez com que coloca, de novo, a equipa para 7-3, resultado ao inter-
ra o relatório para se saber que terá de decidir, com base que este marcasse através de da casa na frente. valo.
o que aí vem.O jogador do no relatório do árbitro. uma grande penalidade que A partir daqui só deu Aca- Depois não houve mais.

Futsal III Divisão 5 PIONEIROS


SANTA LUZIA 3
bola. O Santa Luzia entrava Pavilhão Municipal Bragança

Agarrar a esperança
Árbitros – A. Costa H. Marques e
facilmente na área de Sergi-
Adelino Costa (Braga)
nho, que está a tornar-se um
caso sério na baliza, já Curti- EQUIPAS

nhas não pode estar no banco Serginho Sérgio


Esta equipa “violeta” pa- tanto tempo, pois sabe coor- Matos Pedro
rece estar condenada a sofrer. denar o jogo, limitar o adver- Paulo Diogo
Paquito Bruno
Contudo, já arrecadou sete sário na posse de bola e, na
Pipoca Alex
pontos, e foram estes três os companhia de Paulo, Matos Dani Escola
primeiros em casa. e de André, é um verdadeiro Flávio Vilarinho
A situação é difícil, mas artista. Bruno Silva Bruno Loureiro
resta a eterna “esperança”. Já Bruno Silva é um diabo Curtinhas Pedrinho
O treinador tem um plan- que até se dá ao luxo de falhar André Orlando
tel muito apertado, no qual se Machado Mesquita
um golo com a bola em cima
nota alguma falta de coesão, de linha de golo. TREINADORES
pelo que vai ter vida compli- Depois um período mau, o Manuel Rodrigues Pedro Ferreira
cada. empate e o pior poderia acon-
A turma de Santa luzia é Golos: Bruno 17”, Curtinhas 18”, André
tecer, mas foi a velha raposa,
19”, 20”, Bruno Loureiro 29”Escola 34”,
jovem, mas beneficiou, só na Matos, a resolver o 4-3.
Matos 37”, Bruno Silva 40”
primeira parte, de três livres Em acto de desespero, e já
directos, convertendo somen- Pioneiros arrancaram a primeira vitória em casa com o guarda-redes avança-
te um. do, a bola sobrou para Bruno pa fez demasiadas faltas.
André, que está habituado los. Este jogador pode fazer do quer é que aparece. Silva que trouxe o descanso O trio de juízes esteve
a estas competições, esteve tudo o que quiser com o seu O intervalo veio na me- no último minuto. muito bem, pelo que não se
em grande na primeira parte pé esquerdo, mas, por vezes, lhor altura, mas a equipa que Foi uma vitória suada, compreendem alguns protes-
e acabou por marcar dois go- dá a impressão, que só quan- reentrou não soube segurar a mas com sorte, já que a equi- tos.

5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE 25


PUBLICIDADE

26 5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE


PUBLICIDADE

Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 688 de 5 contados da data da segunda e última publicação do anúncio, ci-
de Janeiro de 2010 tando o ausente Mário da Ressurreição Veríssimo, com a última
residência nas vila e comarca de conhecida Alfândega da Fé, para
Tribunal Judicial de Alfândega da Fé no prazo de trinta (30) dias, decorrido que seja o dos éditos, contes-
tar a justificação da sua morte presumida.
Secção Única Nos mesmos autos, são citados por éditos de trinta dias, igualmente
contados da segunda publicação do anúncio, os interessados incer-
ANÚNCIO tos para, no prazo de trinta (30) dias, depois de decorrido o dos
éditos, contestarem a referida justificação de morte presumida do
1ª Publicação ausente.
Fica(m) advertido(s) de que é obrigatória a constituição de man-
Processo: 117/09.6TBAFE datário judicial.
Justificação no Caso de Morte Presumida Para constar passei o presente e mais dois de igual teor que vão ser
N/Referência: 146035 legalmente afixados.
Data: 11-12-2009
Requerente: Alcina do Céu Leitão e outro(s)... A Juiz de Direito,
Requerido: Mário da Ressurreição Veríssimo Dra. Marta Inês Dias
A Oficial de Justiça,
Nos autos acima identificados, correm éditos de seis (6) meses, Lídia Olaio

Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 688 de 5 de Janeiro de 2010

LICENÇA DE FUNCIONAMENTO N.° 14/2009 - SERVIÇO DE APOIO DOMICILIÁRIO


REGIME DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO
DE ESTABELECIMENTOS DE APOIO SOCIAL

1. Identificação do estabelecimento
Denominação do estabelecimento SENIORMAIS
Localização do estabelecimento Avª. Ilha do Sal - Loteamento João António Afonso
C. Postal 5340-194 - Localidade Macedo de Cavaleiros
Distrito Bragança - Concelho Macedo de Cavaleiros - Freguesia Macedo de Cavaleiros
Telefone 916 944 557 – Fax - e-mail matos.catarina©gmail com

2. Identificação da entidade gestora


Nome completo Catarina Lúcia Pinto de Matos
Morada Vale de Prados
C. Postal 5340-482 - Localidade Vale de Prados

3. Actividade exercida no estabelecimento


Serviço de Apoio Domiciliário

AGRADECIMENTO 4. Lotação máxima


O estabelecimento pode abranger o número máximo de 40 (Quarenta) utentes.

5. Emissão
Data: 2009.12.09
Assinatura e selo branco

Ana Maria Felgueiras


Orlando S. Vaqueiro

Delegado Comercial / Distribuidor Empresa - Materiais de Construção


Empresa - Materiais de Construção
ADMITE
A família, na impossibilidade de o fazer, pessoal e individualmente, como ADMITE Responsável Armazém
era seu desejo, vem, por este meio, agradecer reconhecidamente a todas
/ Distribuidor
as pessoas que directa ou indirectamente lhe manifestaram o seu pesar e Para Trás-os-Montes (Bragança / Vila Real)
Para distrito do Porto
a acompanharam na sua dor e saudade.
Requisitos
- Experiência na área de vendas Requisitos
Valcerto (Mogadouro), 19 de Dezembro de 2009. - Boa apresentação
- Disponibilidade imediata - Domínio informático
- Carta de condução - Carta de condução
- Domínio informático - Disponibilidade imediata

AGRADECIMENTO As candidaturas deverão ser enviadas As candidaturas deverão ser enviadas


para: Jornal Nordeste - Apart. 215 para: Jornal Nordeste - Apart. 215
- Rª. Alexandre Herculano 178, - Rª. Alexandre Herculano 178,
1º andar - 5300-075 Bragança 1º andar - 5300-075 Bragança

Adérito Augusto Luís


25/04/1933 - 29/12/2009 Farmácias Sexta - Vale d’Álvaro
Sábado - Bem Saúde
A esposa e filhos, na impossibilidade de o fazerem, pessoal e individualmente,
como era seu desejo, vêm, por este meio, agradecer reconhecidamente a todas as
de Serviço Domingo - Mariano
Segunda- Soeiro
pessoas que directa ou indirectamente lhes manifestaram o seu pesar e a acom-
- Bragança -
panharam na sua dor e saudade.
Hoje: Soeiro
Comunicam que a Missa de Sétimo Dia se realizará dia 07/01/2009 pelas 16h00 Amanhã - Confiança Mais informações em
na Igreja de Travanca. Quinta - Atlântico www.jornalnordeste.com

5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE 27


PUBLICIDADE

Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 688 de 5 Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 688 de 5

Astrólogo Curandeiro
de Janeiro de 2010 de Janeiro de 2010
CARTÓRIO NOTARIAL DE MOGADOURO
NOTÁRIA : FÁTIMA MENDES
Abília Alves Gomes EXTRACTO PARA PUBLICAÇÃO
Solicitadora de Execução

Prof. SALOMÉ
Certifico, para efeitos de publicação, que no dia vinte e oito de De-
CÉDULA N.° 2271
zembro de dois mil e nove, no Cartório Notarial de Mogadouro,
sito no Palácio da Justiça, na freguesia e concelho de Mogadouro,
ANÚNCIO -EDITAL DE VENDA de fls. 15, a fls, 17, verso, do livro de notas para escrituras diversas
número Sessenta e três, foi lavrada uma escritura de justificação, na
Último Anúncio qual compareceram como outorgantes, DÁRIO DOS ANJOS PE-
REIRA, NIF 150 926 960, e mulher ILDA DE JESUS NETO NO-
Especialista dos casos amorosos, resolução
Tribunal Judicial da Comarca de Bragança - 1° Juízo
GUEIRA PEREIRA, NIF 210 124 768, casados sob o regime da
Acção Executiva sob a Forma de Processo Comum
comunhão de adquiridos, naturais, ela de Angola e ele da freguesia
Processo: 397/07.1 TBBGC-A
de Ventozelo, concelho de Mogadouro, onde residem quando em
N/Ref.: PE/0138/2007
Portugal, habitualmente residentes em Espanha, e declararam:
Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem,
969209609 em uma semana dos casos mais desespera-
Exequente: Jaime Manuel de Campos Pereira
Executado: Lucília Assunção Gonçalves
dos seguintes prédios, todos sitos na freguesia de VENTOZELO,
concelho de Mogadouro: dos tais como: Amarração, Afastamento,
Faz-se saber que nos autos acima identificados, encontra-se desig-
Um - Prédio rústico, sito em Cova dos Castanheiros, composto de
cultura arvense, com área de dez mil oitocentos e doze metros qua- 934074237 Problemas Profissionais e Familiares,
nado o dia 19 de Janeiro de 2010, pelas 09:30 horas, no Tribunal
drados, a confrontar a norte com Rua Pública, sul com herdeiros
Judicial da Comarca de Bragança, para a abertura de propos-
tas em carta fechada, que sejam entregues até esse momento, na
de António José Moreno, nascente com António Maria Afonso, e
de poente com caminho, inscrito na respectiva matriz sob o artigo
Negócios, Sorte, Justiça, Doenças estranhas
secretaria do Tribunal, pelos interessados na compra do seguinte
bem:
271 da secção F, como valor patrimonial de 11,31€, e atribuído de 917049293 e crónicas, e Impotência sexual.
duzentos e sessenta euros:
Dois - Prédio rústico, sito em Chinchalrada, composto de cultura
Espécie: Bem imóvel a vender:
arvense, com área de mil seiscentos e oitenta e sete metros quadra-

LOTE DESCRIÇÃO
dos, a confrontar a norte com herdeiros de Manuel António Sardi-
nha, sul com caminho, nascente com Dárido Emidio Pereira, e de
poente com Manuel Maria dos Santos, inscrito na respectiva matriz BRAGANÇA Não fique na Sombra
PRÉDIO URBANO - sito em “Alto das Cantarias”, sob o artigo 312 da secção A, com o valor patrimonial de 3,27€, e
composto de uma casa de habitação de rés do chão
e primeiro andar e logradouro, com área coberta de
atribuído de oitenta euros;
Três - Prédio urbano, sito em Vale de Rodelos, na dita freguesia PAGAMENTO APÓS RESULTADO
90m2 e descoberta de 420m2, a confrontar do Norte de Ventozelo, composto de armazém agrícola, com área coberta de
1 com Rua Pública, do Sul com Luís Gonçalves, do cento e quarenta e quatro metros quadradas, a confrontar a norte,
Nascente com Cecília Pires e do Poente com José sul e nascente com Rua Pública, e de poente com llídio José Pe-
Martinho, com o valor patrimonial de 33.676,46€, reira, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 547, com o valor
inscrito na Matriz respectiva sob o art. 2.477.° e des- patrimonial e atribuído de três mil novecentos e sessenta euros; e
crito na Conservatória do Registo Predial de Bragan- Quatro - Prédio urbano, sito na Rua de Santa Cruz, número 5, na
ça sob o n.° 2735/19980603, freguesia de Sé. dita freguesia de Ventozelo, composto de casa de habitação de rés
do chão, primeiro andar e logradouro, com área coberta de cento e
Serão aceites as propostas de aquisição do bem a quem melhor sessenta e sete metros quadrados, e descoberta de duzentos e três
preço oferecer igual ou acima de 35.000,00€ (trinta e cinco mil metros quadrados, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 372,
euros), correspondente a 70% do valor base de 50.000,00€, com o valor patrimonial e atribuído de trinta e sete mil seiscentos
(cinquenta mil euros), penhorado a executada Lucília Assunção e vinte euros.
Gonçalves, residente em Rua 5 de Outubro, loja n.° 5 - Edifício Que nenhum dos prédios supra identificados se encontra descrito
Domingos Lopes, Bragança, 5300-112, BRAGANÇA. na Conservatória do Registo Predial de Mogadouro, a cuja área
Os proponentes devem juntar á sua proposta, como caução, um pertencem, somam os mesmos bens o valor patrimonial global de
cheque visado, à ordem da Solicitadora de Execução, no montante 41.594,58€, e o atribuído de quarenta e um mil novecentos e vinte
correspondente a 5% do valor atribuído aos bens ou garantia bancá- euros, tenda os mesmos vindo à posse dos justificantes, já no estado
ria no mesmo valor - n.°1 do art. 897.° do C.P. Civil. de casados, do seguinte modo:
Serão consideradas todas as propostas recebidas na secretaria do O prédio identificado na verba número um foi por compra mera-
Tribunal. As Propostas devem vir em envelope fechado, contendo a mente verbal que fizeram por volta do ano de mil novecentos e
identificação completa do proponente, por quem exiba documento oitenta e cinco a António do Nascimento Martins, e mulher Car-
de identificação bastante. minda Augusta Pires, residentes na freguesia de Peredo de Bem-
As propostas enviadas por correio deverão conter, sob pena de não posta, sendo ele actualmente falecido, e a José Luís Caseiro, e mu-
serem consideradas, fotocópia do B.I. e NIF do proponente e/ou seu lher Rosalina Adelaide Cepeda, residentes na referida freguesia de
legal representante bem como telefone de contacto. Ventozelo; o identificado na verba dois foi verbalmente comprado
Sendo o proponente pessoa colectiva, deverá a referida proposta por volta do ano de mil novecentos e oitenta e sete a Ermezinda
ser acompanhada por documento de onde se possa aferir de quem a dos Anjos Ribeiro viúva de José Joaquim Fernandes, residentes
representa e que tem poderes para o acto. que foram na aludida freguesia de Ventozelo, actualmente ambos
É fiel depositário, que os deve mostrar, a pedido, Lucília Assunção falecidos; o prédio identificado na verba número três por o terem
Gonçalves, residente em Rua 5 de Outubro, loja n.° 5 - Edifício construído por volta do ano de mil novecentos e oitenta e oito em
Domingos Lopes, Bragança, 5300-112, BRAGANÇA. terreno verbalmente comprado por volta do mesmo ano à Junta de
Freguesia de Ventozelo, nunca antes participado à matriz; e por fim
Não se encontra pendente oposição à execução. o prédio identificado na verba número quatro foi por compra tam-
Não foram reclamados créditos. bém verbalmente feita no ano de mil novecentos e oitenta e quatro
a António China do Fundo, e mulher Lurdes dos Anjos Pereira do
A Solicitadora Fundo, residentes na referida freguesia de Ventozelo, não tendo
Abília Alves Gomes nunca porém sido celebradas as respectivas escrituras de compra
e venda.
Que assim, os justificantes, possuem todos os ditos prédios há mais
Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 688 de 5 de vinte anos, em nome próprio, na convicção de serem os únicos

VENDE-SE
de Janeiro de 2010 donos e plenamente convencidos de que não lesavam quaisquer di-
CARTÓRIO NOTARIAL DE MOGADOURO reitos de outrem, à vista de toda a gente e sem a menor oposição de
NOTÁRIA: FÁTIMA MENDES
EXTRACTO PARA PUBLICAÇÃO
quem quer que fosse desde o início dessa posse, a qual sempre exer-
ceram sem interrupção, gozando todas as utilidades por eles pro-
Bem situado. No Loteamento
Certifico, para efeitos de publicação, que no dia trinta de Dezembro
de dois mil e nove, no Cartório Notarial de Mogadouro, sito no
porcionadas, com o ânimo de quem exerce direito próprio, lavrando
e/ou mandando lavrar os prédios rústicos, tratando e colhendo os
Boa Oportunidade! Laranja, Nº 4, paralelo
Palácio da Justiça, na freguesia e concelho de Mogadouro, de fls.
40 a fls. 41, verso, do livro de notas para escrituras diversas número
respectivos frutos, nomeadamente cereal, uvas e lenha, cortando as
silvas e mato e procedendo a outros actos de limpeza, construindo o à Avª. do Sabor, junto ao novo
Sessenta e três, foi lavrada uma escritura de justificação, na qual prédio urbano identificado na verba número três, ocupando-o com
os seus haveres, nele guardando veículos automóveis, alfaias e pro- T3, T4 e Duplex Lar da Obra Padre Miguel,
compareceram como outorgantes, DINO MATEUS ALEIXO, NIF
196 902 061, e mulher FERNANDA MARIA ROQUE ESTEVES dutos agrícolas, habitando temporariamente o prédio identificado
em último, melhorando ambos os prédios urbanos e reparando-os Cozinha, casas de banho em Bragança
ALEIXO, NIF 175 851 000, casados sob o regime da comunhão
geral de bens, naturais, ele da freguesia e concelho de Mogadouro, com benfeitorias diversas, procedendo a actos de limpeza e con-
e ela da freguesia e concelho de Miranda do Douro, residentes na servação, e praticando os demais actos de uso, fruição e defesa dos mobiladas. Aquecimento
Rua das Bicas, número 274, na freguesia de Vila Nova da Telha,
concelho da Maia, e declararam:
mesmos, à vista de toda a gente e portanto de eventuais interessa-
dos, tudo como fazem os verdadeiros donos, sendo por isso uma completo. Garagens individuais, Calmo como se fosse um
posse de boa fé, pacífica, contínua e pública, pelo que, dadas as
Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem,
do seguinte prédio: enumeradas características de tal posse, os justificantes adquiriram
por usucapião os referidos prédios, figura jurídica que invocam, por
com bons acessos. condomínio fechado.
Rústico, sito em Estropiadeira, na freguesia de Travanca, concelho
de Mogadouro, composto de cultura arvense, com área de quatro não poderem fazer prova do seu direito de propriedade, pelos meios Bons acabamentos.
mil e sessenta e dois metros quadrados, a confrontar de norte e nas- extrajudiciais normais, dado os referidos modos de aquisição.
cente com herdeiros de Francisco Aleixo, sul com António Manuel Está conforme o original, na parte transcrita, o que certifico.
Mogadouro e Cartório Notarial, em 28 de Dezembro de 2009. Prédio só com 3 andares Contacto: 964 648 090
Granada, e de poente com herdeiros de Maria Aleixo, inscrito na
respectiva matriz sob o artigo 410 da secção F, com o valor pa- A Notária,
trimonial de 1,39€, e atribuído de quinhentos euros, não descrito Fátima Mendes
na Conservatória do Registo Predial de Mogadouro, a cuja área
pertence.
Que o referido prédio veio à sua posse por doação meramente ver- Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 688 de 5 Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem,
bal que foi feita ao justificante marido no ano de mil novecentos de Janeiro de 2010 do prédio rústico, sito em Fonte Caldeira de Baixo, freguesia de Se-
e oitenta e sete, quando ainda era solteiro, por seus pais, Belmiro rapicos, concelho de Bragança, composto por cultura e pastagem,
Fernandes Aleixo e Alcinda João, residentes na referida freguesia com a área de trezentos e oitenta metros quadrados, a confrontar
de Travanca, sendo ela actualmente já falecida, não tendo nunca do norte com António do Nascimento de Sousa, do nascente com
porém sido porém celebrada a competente escritura de doação. Luzia Augusta Pereira, do sul com Beatriz Oliveira e do poente
Que assim, os justificantes possuem o dito prédio há mais de vinte com estrada, não descrito na Conservatória do Registo Predial de
anos em nome próprio, na convicção de serem os únicos donos e Bragança, mas inscrito na matriz respectiva, sob o artigo 1726, sen-
plenamente convencidos de que não lesavam quaisquer direitos de do de 0,63 euros o seu valor patrimonial, a que atribuem o valor
outrem, à vista de toda a gente e sem a menor oposição de quem de vinte euros.
quer que fosse, desde o início dessa posse a qual Que entraram na posse do referido prédio, em mil novecentos e
sempre exerceram sem interrupção, gozando oitenta e seis, por compra verbal que dele fizeram a António Fran-
todas as utilidades por ele proporcionadas, com cisco dos Santos Borges e mulher Maria da Assunção Venâncio dos
o ânimo de quem exerce direito próprio, nome- EXTRACTO/JUSTIFICAÇÃO
Santos Borges, residente na referida freguesia de Serapicos, sem
adamente nele trabalhando, lavrando, semeando, que no entanto ficassem a dispor de título formal que lhes permi-
plantando, tratando e colhendo os respectivos CERTIFICO, narrativamente, para efeitos de publicação, que por
escritura lavrada no dia vinte e três de Dezembro de dois mil e nove ta, o respectivo registo na Conservatória do Registo Predial; mas,
frutos, limpando-o e praticando os demais actos desde logo, entraram na posse e fruição do identificado prédio, em
de uso, fruição e defesa do mesmo, à vista de toda no Cartório Notarial a cargo do notário Lic. João Américo Gon-
çalves Andrade, sito na Avenida Dr. Francisco Sá Carneiro, 16 em nome próprio, posse assim detêm há muito mais de vinte anos, sem
a gente e portanto de eventuais interessados, tudo interrupção ou ocultação de quem quer que seja.
como fazem os verdadeiros donos, sendo por isso Bragança, exarada de setenta e sete a folhas setenta e sete verso do
livro de notas para escrituras diversas número “Setenta e dois – B” Que essa posse foi adquirida e mantida sem violência e sem oposi-
uma posse de boa fé, pacífica, contínua e pública, ção, ostensivamente, com o conhecimento de toda a gente em nome
pelo que, dadas as características de tal posse, MANUEL AUGUSTO FERNANDES MORAIS e mulher MARIA
PALMIRA VENÂNCIO MIRANDA, casados sob o regime da co- próprio e com aproveitamento de todas as utilidades do prédio, no-
adquiriram por usucapião o identificado prédio, meadamente, amanhando-o, adubando-o, cultivando-o e colhendo
figura jurídica que invocam, por não terem do- munhão de adquiridos, ele natural da freguesia Vinhas, Concelho
de Macedo de Cavaleiros e ela natural da freguesia de Serapicos, os seus frutos, agindo sempre por forma correspondente ao exercí-
cumentos que lhes permitam fazer prova do seu cio do direito de propriedade, quer usufruindo como tal o imóvel,
direito de propriedade pelos meios extrajudiciais concelho de Bragança, onde residem, NIFS 192 432 044 e 196 180
333, fizeram as declarações constantes desta certidão, que com esta quer beneficiando dos seus rendimentos, quer suportando os res-
normais, dado o seu referido modo de aquisição. pectivos encargos, quer ainda pagando as respectivas contribuições
Está conforme o original, na parte transcrita, o se compõe de duas laudas e vai conforme o original.
Bragança, Cartório Notarial, vinte e três de Dezembro de dois mil e impostos, mantendo-o sempre na sua inteira disponibilidade.
que certifico. Que esta posse em nome próprio, pacífica, contínua e pública, con-
Mogadouro e Cartório Notarial, em 30 de De- e nove.
duziu à aquisição do imóvel, por usucapião, que invocam, justifi-
zembro de 2009. cando o seu direito de propriedade, para o efeito de registo, dado
A Notária, A Colaboradora Autorizada
Bernardete Isabel C. Simões Afonso que esta forma de aquisição não pode ser comprovada por qualquer
Fátima Mendes outro título formal extrajudicial.

28 5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE


PUBLICIDADE

Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 688 de 5 Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 688 de 5
de Janeiro de 2010 Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 688 de 5 de Janeiro de 2010 de Janeiro de 2010

Cartório Notarial de Miranda do Douro MUNICÍPIO DE BRAGANÇA


CÂMARA MUNICIPAL
Certifico narrativamente, para efeitos de publicação, que no dia de MUNICÍPIO DE BRAGANÇA EDITAL N° 705/2009
hoje, neste Cartório Notarial, foi lavrada uma escritura de Justifi-
cação e Permuta, exarada de folhas 70 a 72v do respectivo livro n°
101-C, em que foram justificantes: Maria Elisabete Ortega Raposo,
ASSEMBLEIA MUNICIPAL Alteração ao Alvará de Loteamento Urbano n.° 7/1976, sito na
N.I.F. 165 511 001 e marido, Manuel de Sousa Taxa, N.I.F. 150 331 Zona de Vale dÁlvaro, em Bragança
363, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais ela Nos termos do n° 3 do artigo 27° do Decreto-Lei n° 555/99, de
16 de Dezembro, com a redacção conferida pelo Decreto-Lei n°
da freguesia de Genísio, concelho de Miranda do Douro, e ele da
freguesia de Braga (São Vítor), concelho de Braga, residentes na EDITAL Nº. 20/2009 60/2007, de 4 de Setembro, torna-se público que, foi requerido
na Câmara Municipal de Bragança, nos termos abaixo indicados,
Rua Fonte do Mundo. n° 61. 2° direito, Braga (São Vicente), Bra-
ga, titulares dos bilhetes de identidade respectivamente, números em nome de Fernando José Peixinho de Araújo, contribuinte fiscal
3701486 e 1962804, emitidos em 30/09/2008 e 13/08/2004, ambas número 176.754.997, na qualidade de proprietário do prédio sito
pelo S.I.C. de Braga e declararam: Que são donos e legítimos pos- ACÚRCIO ÁLVARO PEREIRA, PRIMEIRO SECRETÁRIO DA em Vale de Alvaro, Rua Vasco da Gama, lote número quatro, da
suidores, com exclusão de outrem, da fracção indivisa de um quarto Freguesia da Sé, Concelho de Bragança um pedido de alteração ao
do prédio rústico, sito em Fontázia, freguesia de Genísio, concelho MESA DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE BRAGANÇA: Alvará de Loteamento Urbano n° 7/1976, com aditamento datado
de Miranda do Douro, composto de terra de lameiro com freixos, de 20/11/2006 por decorrência das deliberações tomadas em reu-
descrito na Conservatória do Registo Predial de Miranda do Douro nião de câmara de 14/08/2006 e 13/11/2006, respectivamente.
sob o número duzentos e noventa e três. sem qualquer inscrição de O pedido incide na alteração das especificações TERCEIRA E
transmissão, domínio ou mera posse correspondente à dita quota Torna público que, em cumprimento do disposto no artigo 91º.da Lei nú- QUARTA do alvará de loteamento urbano n° 7/1976, aditado atra-
indivisa, mas inscrita na respectiva matriz em nome da justificante vés dos pontos “cinco ponto dois” e “cinco ponto três”, respectiva-
mulher sob o artigo 3882, com o valor patrimonial tributário para mero 169/99, de 18 de Setembro com a nova redacção dada pelo número mente, da alteração ao alvará de loteamento urbano com obras de
efeitos de IMT de €129,07, igual ao atribuído. Que a mencionada urbanização datado de 20/11/2006 a que se alude, passando a cons-
fracção indivisa de um quarto do indicado prédio, foi por eles ad- um do artigo 91º. da Lei número 5-A/2002, de 11 de Janeiro, a Assem- tar: Alteração à especificação terceira, no sentido de ser permitida
quirida no ano de mil novecentos e oitenta e quatro, por partilha que a cave possa ter uma área de 240,00m2 em vez dos 210,00m2
não formalizada da herança aberta por óbito de seu pai e sogro, bleia Municipal de Bragança, na Primeira Sessão ordinária realizada no estabelecidos no referido aditamento ao alvará para aproveitamento
José Batista Martins Raposo, casado com Maria de Lurdes Afonso, do desnível do terreno e que se possam construir dois anexos em
sob o regime da comunhão geral, residente que foi no referido lugar dia 18 de Dezembro do ano 2009, aprovou em minuta as propostas - pre- vez de um só, com uma área máxima de 25,00m2 cada. Alteração à
de Especiosa, mas não dispõem de qualquer título formal para o especificação quarta, no sentido de ser permitido que o alinhamento
registar na conservatória. Que, no entanto a partir desse momen- viamente distribuída pelos Membros daquele Órgão Autárquico, com ex- do imóvel tenha um recuo de 4,40m em vez de 3,00m alinhando
to, sempre estiveram na composse do identificado prédio com os pelo imóvel construído no lote 5 e possibilitando uma entrada auto-
restantes compossuidores e com aqueles sempre praticaram actos cepção da proposta relativa ao ponto 4.3 - A solicitação do Grupo Munici- móvel para a cave em rampa devido ao desnível do terreno, respei-
concretos de posse em relação ao direito possuído, participando tante à edificação de imóvel em construção no lote 4.
nas vantagens e encargos na proporção das suas quotas, gozando pal do PSD, com vista ao exercício de competências prevista na alínea b) Mantêm-se válidas todas as disposições constantes do Alvará de
a partir desse momento em conjunto com todos eles, de todos os Loteamento Urbano n° 7/1976 e suas alterações que não se encon-
poderes que lhe pertenceram, nomeadamente, dele aproveitando do artigo 49.º do Regimento, proposta de deliberação sobre Constituição tram alteradas pelo presente aditamento.
a pastagem para bovinos, dele recolhendo feno, lenha e madeira, Conforme preceituado no n° 3 do artigo 27° do Decreto-Lei n°
pagando os respectivos impostos, taxas e contribuições, com vista de Comissões da Assembleia Municipal, que foi retirada da Ordem de 555/99, de 16 de Dezembro, com a redacção conferida pelo De-
ao integral aproveitamento de todas as utilidades e potencialidades creto-Lei n° 60/2007, de 4 de Setembro, a alteração da licença de
por ele proporcionadas. Que, esta posse tem sido exercida sem in- Trabalhos, e outras, as quais constam, com as respectivas votações, da operações de loteamento não pode ser aprovada se ocorrer oposição
terrupção, de forma ostensiva, com a convicção de serem os únicos escrita da maioria dos proprietários dos lotes constantes do alvará.
donos, à vista de toda a gente e sem violência ou oposição de quem certidão geral emitida em 30 de Dezembro de 2009. Durante a instrução do procedimento constatou-se que não foi
quer que sej a, de forma correspondente ao exercício do direito de possível realizar a notificação de todos os proprietários dos lotes
propriedade da referida fracção de um quarto indiviso. Que, assim, A referida certidão poderá ser consultada, nos termos e para os efeitos constantes do alvará n° 7/1976. Assim, nos termos definidos na
a posse pública, pacífica, contínua e em nome próprio do citado alínea d) do art° 70° do Código de Procedimento Administrativo,
imóvel desde o ano de mil novecentos e oitenta e quatro, conduziu à definidos na Lei, em qualquer dia útil, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às se publicam este e outros de igual teor que vão ser afixados nos
aquisição por usucapião do direito de propriedade da quota indivisa lugares de estilo.
de um quarto, direito este que pela sua natureza é insusceptível de 17h30 na Secção de Apoio Administrativo da Assembleia Municipal de Nos termos supra citados preceitos legais. o projecto apresentado
ser comprovado pelos meios normais. pode ser consultado, juntamente com a informação técnica elabora-
Está conforme o original o que certifico. Bragança, sita na Rua Abílio Beça nº. 75/77- Bragança. da pelos serviços municipais, na Divisão de Urbanismo da Câmara
Miranda do Douro, 21 de Dezembro de 2009. Municipal de Bragança, no horário normal de expediente – a saber:
A Conservadora em exercício de funções notariais, Para conhecimento geral se publica o presente Edital e outros de igual 09h00m às 12h30m e das 14h00m às 16h00m, aí podendo também
Carla Maria Ferreira da Silva ser apresentadas, por escrito, reclamações, observações ou suges-
teor que vão ser afixados nos lugares públicos de estilo. tões, pelo prazo de 10 dias (úteis), contados da data da publicação
do presente edital em dois jornais locais mais lidos.
Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 688 de
Bragança e Assembleia Municipal, 30 de Dezembro de 2009. Bragança, Paços do Município 30 de Dezembro de 2009.
5 de Janeiro de 2010
Acúrcio Álvaro Pereira O Vice-Presidente da Câmara
Engº. Rui Afonso Cepeda Caseiro

Soluções do Passatempo
Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 688 de 5
de Janeiro de 2010

de 22/12/2009
EXTRACTO/JUSTIFICAÇÃO
CERTIFICO, narrativamente, para efeitos de publicação, que por
escritura lavrada no dia vinte e oito de Dezembro de dois mil e
Sudoku Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 688 de 5
de Janeiro de 2010 Anúncio (1ª Publicação)
Citação de ausente em parte incerta - artigos 244.° 248.° do
nove no Cartório Notarial a cargo do notário Lic. João Américo
C. P. Civil
Gonçalves Andrade, sito na Avenida Dr. Francisco Sá Carneiro, 16
Processo Nº. 165/08.3TBBGC
em Bragança, exarada de noventa e quatro a folhas noventa e seis
2.° Juizo Tribunal Judicial da Comarca de Bragança
verso do livro de notas para escrituras diversas número “Setenta e
Execução Comum (Sol. Execução) Ref. Interna: PE/20/2008
dois –B”, ANTÓNIO MANUEL DOS SANTOS e mulher LÍDIA
ANÚNCIO DE VENDA (1ª Publicação) Data: 16-12-2009
DA CONCEIÇÃO DE JESUS, casados sob o regime da comunhão
Exequente: Banco Santander Totta. S.A.
de adquiridos, ele natural da freguesia de Carragosa, concelho de
Processo 22/07.0TBVMS Executado(s): Fernando Manuel e Silva António e Outro
Bragança e ela natural da freguesia de Castrelos, e residentes em
França, NIFS 168 285 150 e 210 318 139, fizeram as declarações Tribunal Judicial de Vimioso - Secção Única
Execução Comum (Sol Execução) Ref. Interna: PE- 32/2007 Agente de Execução, Agente de Execução Alexandra Gomes CP
constantes desta certidão, que com esta se compõe de duas laudas
Data: 07-12-2009 4009, com endereço profissional em Avª. João da Cruz, n.° 70, Edi-
e vai conforme o original.
Exequente: Man nordeste - Oficinas Auto Senhor dos Aflitos, fício S. Jose — 2.° Esq.° Frente, 5300-178 Bragança.
Bragança, Cartório Notarial, vinte e oito de Dezembro de dois mil
Lda. A CITAR: Fernando Manuel e Silva António, com última resi-
e nove.
Executado: Victor Manuel Cristino Garrido dência conhecida em Bairro da Mãe D’Agua - Rua do Souto 19,
A Colaboradora Autorizada
Jornal Nordeste – Semanário Regional de Informação Nº 688 de 5 de Janeiro de 2010 2° - 5300 Bragança.
Bernardete Isabel C. Simões
Agente de Execução, Solicitadora de Execução Alexandra Go- QUANTIA EXEQUENDA:46.252,69 €.
Afonso
mes CP 4009, com endereço profissional em Av. João da Cruz, n.° OBJECTO E FUNDAMENTO DA CITAÇÃO:
Que são donas e legítimos
70, Edifício S. José - 2.° Esq. Frente, 5300-178 Bragança. Nos termos e para os efeitos do disposto no art.° 248.° e ss, do C. P.
possuidores, com exclusão de
Nos termos do disposto no artigo 890° do Código de Processo Ci- Civil, correm éditos de 30 (trinta) dias, contados da data da segunda
outrem, do prédio urbano, sito
vil, anuncia-se a venda dos bens adiante designados: e última publicação do anúncio, citando o ausente Fernando Ma-
na Rua do Outeirinho, fregue-
Bens em Venda nuel e Silva António, casado, nascido a 31-03-1969, B.I. 9160062,
sia de Espinhosela, concelho
TIPO DE BEM: Bens Móveis não sujeitos a registo contribuinte fiscal n°217081860 com última residência conhecida
de Bragança, composto por
DESCRIÇÃO: em Bairro da Mãe D ‘Agua - Rua do Souto 19, 2° - 5300 Bragança.,
casa de habitação de res do
Lote 1: Um empilhador Manitu de cor vermelho, modelo 3240. comarca de Bragança, para no prazo de 20 (vinte) dias, decorrido
chão e primeiro andar, com a
Lote 2: Uma máquina pá-carregadora de cor amarela, modelo 916 que seja o dos éditos, pagar ou deduzir oposição à execução supra
área de sessenta e oito virgula
PENHORADOS EM : 09.01.2008 referida , nos termos do n° 1 do art.° 813.°, e n°6 do 812 ambos
cinquenta um metros quadra-
INTERVENIENTES ASSOCIADOS AOS BENS: do C. P. Civil.
dos, e logradouro com a área
EXECUTADO: Victor Manuel Cristino Garrido, BI: 11301678 Nos termos do disposto no art° 60.° do C. P. Civil e tendo em con-
de duzentos e oitenta e um
Nif: 223366501, com morada na Rua Alto do Feto, Carção - Vi- sideração o valor do processo, para se opor à execução e/ou à pe-
virgula cinquenta metros qua-
mioso. nhora (que terá que ser apresentada no Tribunal supra identificado)
drados, a confrontar do norte
MODALIDADE DA VENDA: é obrigatória a constituição de advogado. Caso não se oponha à
com Rua Pública, do sul com
Venda mediante proposta em carta fechada, a serem entregues na execução consideram-se confessados os factos constantes do reque-
Lindolfo Garcia Afonso, do
Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados na rimento executivo, seguindo-se os ulteriores termos do processo.
nascente com Lazaro Alfre-
compra, ficando como data para abertura das propostas o dia 04 de Poderá efectuar o pagamento da quantia exequenda acrescida das
do Martins e do poente com
Fevereiro de 2010, pelas 14 Horas. despesas previsíveis da execução ( n.° 3 do art.° 821.° do C. P. Ci-
Lindolfo Garcia Afonso, não
VALOR BASE: 4.000,00 Euros vil) e dos juros. Os honorários e despesas devidos ao Agente de
descrito na Conservatória do
Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 2.800,00 Execução ascendem no momento a 4.625,27 euros sem prejuízo
Registo Predial de Bragança,
Euros, correspondente a 70% do valor base, para a Lote 1 de posterior revisão. O Pagamento poderá ser feito no escritório do
mas inscrito na matriz respec-
VALOR BASE: 2.600,00 Euros Agente de Execução signatário, no horário indicado em rodapé.
tiva, sob o artigo 552, sendo
Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 1.820,00 O duplicado do requerimento executivo, da cópia do auto de penho-
de 7 330,00 euros o seu valor
Euros, correspondente a 70% do valor base, para a Lote 2 ra e dos documentos juntos encontram-se à disposição do citando
patrimonial, a que atribuem o
na Secretaria do Tribunal judicial da Comarca de Bragança.
valor de oito mil euros.
A sentença que se executa está pendente de recurso ordinário Não Este Edital encontra-se afixado na porta da último domicilio conhe-
Que os seus representados
Está pendente oposição à execução Não cido do citando, em local próprio da Junta de Freguesia respectiva
entraram na posse do referido Está pendente oposição à penhora Não e em local próprio do Tribunal Judicial da Comarca da última re-
prédio, em mil novecentos
sidência do citando
e oitenta e quatro, por com- A Solicitadora de Execução A Agente de Execução
pra verbal que dele fizeram Alexandra Gomes Alexandra Gomes
a Amílcar Rocha, residente
que foi na freguesia de Donai,
concelho de Bragança, sem
que no entanto ficassem a dis-

Leia,
por de título formal que lhes
permita, o respectivo registo
na Conservatória do Registo
Predial; mas, desde logo, en-
traram na posse e fruição do
identificado prédio, em nome
próprio, posse assim detêm há
assine e
muito mais de vinte anos, sem
interrupção ou ocultação de
quem quer que seja.
divulgue

5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE 29


LAZER

TECNOLOGIA & INTERNET PASSATEMPOS

, Sudoku
Vila de Lomba
mais próxima
http://www.vinhais.com.pt/paginas/ O objectivo é preen-
vilar-de-lomba.php cher um quadrado
9x9 com números
de 1 a 9, sem repetir
números em cada
linha e cada coluna.
Também não se pode
repetir números em
cada quadrado de
3x3.

No rescaldo dos festejos natalícios, a freguesia de Vilar de Lomba, no con-


celho de Vinhais, aproxima-se dos habitantes através do endereço http://www.
vinhais.com.pt/paginas/vilar-de-lomba.php.
Terra de gentes hospitaleiras, Vilar de Lomba é rica em história, paisagens
e tradições que fazem jus à reputação dos vinhaenses. Soluções no próximo número

HORÓSCOPO Por Maysa

CARNEIRO GÉMEOS LEÃO BALANÇA SAGITÁRIO AQUÁRIO


Mago Papa Dependurado Louco Morte Justiça
Talvez sinta necessidade, de ter ao Rectificar é de sábios. E você possui a Talvez não seja altura ideal para se per- Um pouco de loucura nunca fez Chegou a hora de esquecer o pas- Talvez seja altura ideal para
seu lado alguém especial, por quem paciência e a sabedoria necessárias para der em devaneios sentimentais. Concen- mal a ninguém mas convêm não sado e todas as situações em que aprender a superar a ansieda-
se sinta envolvido, apaixonado. dar volta as situações. Neste momento tre-se na sua relação actual, dê-lhe maior perder a noção da realidade. Evite nem sempre foi sincero, ou ainda de que os assuntos amorosos
Procure não andar nesse rodopio de não adianta rancores, o mais importante estabilidade, dialogo, de modo a obter
os devaneios efémeros. Controle as que lhe deixaram uma profunda lhe provocam. Viva sem me-
casos amorosos, que só lhe causam é libertar-se desses sentimentos negati- paz, equilíbrio, e momentos mais har-
desilusão. Com essas atitudes talvez vos, de modo a poder viver, sem toda moniosos. É capaz de superar a situação os impulsos de modo a não fazer mágoa no coração. Só irá colher dos, ame e deixe-se amar sem
nem tenha percebido que deixou para essa ansiedade, que não o levam a lado se souber gerir de maneira diferente os sofrer os outros, ou vir a sofrer, por aquilo que semeou, se tiver sido limites ou complexos, pois a
trás, um sem fim de corações magoa- nenhum. problemas. situações que você próprio ajudou a amor e compreensão será isso que vida poderá reservar-lhe muitas
dos. Deixe que o amor se aproxime Poderá ter que assumir responsabilida- Neste momento a solução não passa por criar. Deixe-se de andar nas nuvens receberá. surpresas.
calmamente, é benéfico para si. des extras, um pouco mais difíceis do mudar de emprego, mas por gerir melhor procure ter os pés na terra, é bem A nível laboral sentir-se-á recom- A nível laboral o balanço será
Embora se encontre um pouco can- que as habituais. o que tem, pois o problema não está nos mais seguro. pensado por ter cumprido os seus positivo, apesar de ter que fazer
sado, poderá vir a ser obrigado a fa- Na saúde os abusos pagam-se caros pelo outros, mas sim nas suas próprias limita-
Saiba conciliar os seus interesses objectivos. alguns sacrifícios.
zer um esforço, para estar altura dos que deverá fazer algumas mudanças na ções, saiba superá-las.
acontecimentos. sua vida. Cuidado com as variações de temperatu- pessoais e profissionais. Acalme-se, liberte-se dessa an- Seja prudente, reforce as suas
O peso das responsabilidades é mui- ra, pois pode vir a ter problemas. Aprenda a não dar ouvidos ás neu- siedade em que se encontra, pois defesas.
to e a sua saúde está a ser seriamente roses. senão o fizer, em breve sentirá as
prejudicada. mazelas.

TOURO CARANGUEJO VIRGEM ESCORPIÃO CAPRICÓRNIO PEIXES


Papisa Força Diabo Julgamento Imperador Ermita
Talvez neste momento passe por um De momento encontra-se numa posição Procure controlar a intensidade dos Neste momento talvez não seja con- Evite atitudes emocionais de posse Sente que para si chegou um mo-
processo doloroso, e tenha que fe- pouco comoda para si. Isto, porque tal- seus sentimentos, pois a tendência veniente perder-se em devaneios ou dependência. Aprenda a confiar mento de plenitude, de abundância,
char o seu coração, para que ele não vez tenha sido obrigado a rectificar ati- é deixar-se levar, como sempre, sentimentais. Se está livre, evite nas pessoas que o amam, sem pedir em muitos sentidos. No entanto a
sofra mais. Enfrente a situação, e tudes que em nada o beneficiavam, mas conjuntura é contraria a todas esta
pela paixão, do momento sem pen- envolver-se pois a única coisa que nada em troca. Se conseguir ser to-
com calma procure perdoar e tentar que ao seus olhos pareciam ser correc- euforia, e adverte-o para que seja
compreender o outro lado. E não se tos. No entanto foi necessário empreen- sar. Tenha por isso uma certa caute- necessita é de paz e de voltar a en- lerante, compreensivo, e se houver prudente, evitando excessos, pois
esqueça: “não ambicione o que não der um carácter forte em certas ocasiões, la com as emoções, mas para isso contrar o equilíbrio. Procure não uma maior entrega da sua parte, pode cair num estado emocional de
ganhou por direito próprio”. mesmo que tivesse sido obrigado a des- precisa manter a cabeça sobre os passar do amor ao ódio, só porque contribuirá para a felicidade dos exigências, intolerância, ao deixar-se
Os seus projectos profissionais re- virtuar a sua própria natureza, geralmen- ombros e a mente lúcida. as coisas falharam. outros, e para a sua também. levar pelos impulsos, criando situa-
querem força de vontade, paciência te mais doce e harmoniosa. Poderá ser confrontado com um Não se precipite e antes de tomar Talvez seja necessário recorrer a ções conflituosas.
e principalmente confiança em si. Seja paciente e um pouco mais diplo- ambiente agitado, por isso é acon- alguma decisão, analise primeiro os sua sabedoria, intuição, e paciên- Faça um controle exaustivo do di-
Melhor a sua qualidade de vida, pois mático, com as pessoas com quem tra- nheiro, pois só desse modo conse-
selhável toda a calma do mundo. seus objectivos, e com calma procu- cia, para acompanhar os aconteci-
senão tiver cuidado, poderá ter que balha. guirá resolver a situação.
pagar um preço demasiado alto. Com todas as alterações na parte afecti- Procure harmonizar corpo e mente, re chegar a conclusões praticas. mentos. Dê mais atenção ao seu organismo
va, ganhou novo entusiasmo, vitalidade, é algo que todos pretendem, mas Na saúde, algum cansaço que pode- Se insistir em levar uma vida dese- quando este se queixar.
juventude. muito poucos conseguem. rá afectar a sua vitalidade. quilibrada, lá se vai a sua saúde.

30 5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE


INZONICES

INCLINÓMETRO
O
Pelourinho
POSITIV
Escola de Pais – A Escola de Pais de Alfândega da Fé vai ficar sedeada
IVO
NEGAT na Biblioteca Municipal da vila. Em Bragança também há um projecto seme-
lhante em curso, que por sinal até começou mais cedo, mas ainda não tem
um espaço atribuído. A muito custo e com algumas promessas da Câmara
à mistura, parece que foi cedida uma salinha na Escola Secundária Miguel
Torga. Contrastes…

Gabinete no feminino – Maria da


Luz Almeida é a nova Chefe de Gabinete do
Município de Macedo Governador Civil de Bragança. A sucessora
de Leonel Afonso é analista de profissão e,
de Cavaleiros
EDP – Distribuição nas últimas Legislativas, integrou a lista de
candidatos à Assembleia da República, em
A cidade teve direito a fes- quinto lugar.
Depois das críticas de vá- ta de rua na noite de Passagem
rios autarcas da zona Oeste, a de Ano, uma moda que está a
EDP volta a estar debaixo de Escolhida – Depois das reviravoltas no
pegar em muitas cidades e vilas Centro de Emprego de Bragança, também há
fogo. Em Espinhosela (Bra- do País. Fácil e barato, é uma
gança) há falhas na ilumi- novidades em Mirandela. A ex-subdirectora
maneira de proporcionar bons regional de Agricultura e Pescas do Norte,
nação pública e em diversas momentos à população residen-
habitações. Inaceitável em Júlia Rodrigues, é o nome mais apontado
te e a todos os que regressam à para dirigir o Centro de Emprego da Prince-
qualquer época do ano, espe- terra nesta altura do ano.
cialmente no Inverno e numa sa do Tua, alcançando um merecido prémio
quadra festiva. pelo resultado na Autárquicas 2009.

foto
O Sócrates traz-nos
os Magalhães em Fevereiro, Engº, quando inaugurar o Centro
se não nevar... Escolar da Sé também convida
o Presidente da Junta?

Novela

Só nos falta aqui a Isabel


Um dia lá terei que regressar Alçada para escrever “Uma
à escola... ou serei a 1ª Aventura em Rebordãos”.
Presidente da CMB?

5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE 31


Última Hora
Miranda do Douro
Rui Pereira reúne
governadores civis

Ministro regressa às origens

A cidade de Miranda do Douro


acolhe, no próximo fim-de-sema-
na, uma das reuniões de trabalho
mensais promovidas pelo Ministé-
rio da Administração Interna. Nas
sessões de trabalho estarão presen-
tes o titular daquela pasta, Rui Pe-
reira, os respectivos secretários de
Estado e os 18 governadores civis
do território nacional, bem como
representantes de outros serviços
afectos à Administração Interna.
O governador civil de Bragan-
ça, Jorge Gomes, adiantou ao Jor-
nal NORDESTE que este tipo de
descentralização é uma prática que
já vem da anterior legislatura.
“Em vez de se fazerem reuni-
ões em Lisboa, o ministro enten-
deu por bem, e após consulta aos
governadores civis, realizar uma
sessão de trabalho em cada um dos
distritos”, explicou o responsável.
O distrito de Bragança recebe
assim, e pela segunda vez, uma
sessão de trabalhos de um dos mais
importantes Ministérios do País.
“Eu propus que a reunião fosse
realizada em Terras de Miranda,
uma vez que o ministro da Admi-
nistração Interna nasceu neste
concelho”, sublinhou Jorge Go-
mes.
Esta poderá ser uma oportu-
nidade única para divulgar as pai-
sagens, a cultura, a gastronomia,
o folclore e a língua deste rincão
trasmontano.
Quanto à agenda, sabe-se, ape-
nas, que no final dos trabalhos ha-
verá uma declaração pública, pro-
ferida por Rui Pereira.
Recorde-se que o ministro da
Administração Interna nasceu na
aldeia de Duas Igrejas, a 24 de
Março de 1956.

Francisco Pinto

32 5 de Janeiro de 2010 JORNAL NORDESTE