Anda di halaman 1dari 54

Análise do Espiritismo

POR QUE NÃO SOU ESPÍRITA – O LADO B DA HISTÓRIA

A essência desvendada nos Evangelhos

“O essencial é invisível aos olhos” Pequeno Príncipe

INTRODUÇÃO:

A Teologia tem uma matéria de nome apologética, cujo dever é a defesa da fé. Foi neste aspecto que em 1998 escrevi o “O LADO A” deste tema que para mim é interessantíssimo. Hoje, 11 anos depois e após alguns conselhos, decidi escrever sobre a visão do Senhor Jesus Cristo a respeito do espiritismo e descartar toda essa sandice de apologética. Afinal um Deus que precise de defesa não passa de um ídolo mudo no altar do coração humano, o qual não é nada mais que uma imagem, obra das mãos de homens. “Têm boca e não falam; têm olhos e não vêem; têm ouvidos e não ouvem; têm nariz e não cheiram. Suas mãos não apalpam; seus pés não andam; som nenhum lhes sai da garganta” Salmo 115.4.

GLOSSÁRIO:

Convém definirmos os termos que usaremos por toda essa meditação para nivelarmos nossa comunicação que às vezes se mostra falha, quando o entendimento de determinadas palavras não são lidas de acordo com a intenção do autor.

Análise do Espiritismo

1) Palavra de Deus: É a Pessoa de Jesus Cristo, o verbo que se fez carne e viveu ou armou Sua tenda entre nós, segundo encontramos no Evangelho de João capítulo 1. Também há Palavras de Deus em toda a Bíblia como nos casos em que Jesus fala ou quando lemos “Assim diz o SENHOR:” 2) Escrituras: Refiro-me ao texto, à bíblia, ao conjunto de livros agrupados num único livro tido por sagrado pelos cristãos. As escrituras não são a Palavra de Deus, visto que Jesus é a Palavra. A bíblia não é Deus, não é inerrante e nem um livro de ciências como querem os protestantes. 3) Evangelho: O significado de Evangelho é “boa notícia ou boa nova” e a boa notícia que o Evangelho anuncia é que Deus estava em Cristo reconciliando Consigo o mundo. Qualquer ensinamento que não traga esta boa notícia não é o Evangelho, mas um outro evangelho conforme Paulo diz em Gálatas 1.6. Às vezes uso a palavra Evangelho me referindo aos 4 primeiros livros do Novo Testamento. 4) Graça: Graça é um favor imerecido. É algo que não exige pagamento, é de graça mesmo, pois se fizermos algo para recebe-la deixa de ser graça e passa a ser dívida conforme o ensino de Paulo a seguir: “E, se é pela graça, já não é pelas obras; do contrário, a graça já não é graça.” Romanos 11.6 5) Salvação: significa que seremos resgatados de nossos pecados e não sofreremos a morte espiritual que é ser separado de Deus para sempre. 6) Pecado: é tudo o que não está dentro da vontade de Deus revelada nas Escrituras. 7) Lei: Obrigações impostas por Deus no Antigo Testamento e resumidas nos 10 mandamentos.

Análise do Espiritismo

QUEM É JESUS?

Nesta semana em conversa com uma psicóloga de meu convívio, surgiu o assunto a respeito de Jesus e ela, como todo mundo, tem uma opinião formada de quem seja o Senhor de Nazaré. O que achei muito interessante é ver a atualidade do Evangelho, visto que no tempo de Jesus as pessoas faziam o mesmo. Minha ênfase é dada na perspectiva do que Jesus diz de Si mesmo. Quem Jesus Cristo disse que Ele era? Vejamos:

“Jesus foi para a região que fica perto da cidade de Cesaréia de Filipe. Ali perguntou aos discípulos: — Quem o povo diz que eu sou? Eles responderam: — Alguns dizem que o senhor é João Batista; outros, que é Elias; e outros, que é Jeremias ou algum outro profeta. — E vocês? Quem vocês dizem que eu sou? — perguntou Jesus. Simão Pedro respondeu: — O senhor é o Messias, o Filho do Deus vivo. Jesus afirmou: — Simão, filho de João, você é feliz porque esta verdade não foi revelada a você por nenhum ser humano, mas veio diretamente do meu Pai, que está no céu.” Mateus 16.13-17

Então vemos que Jesus Cristo concorda com Pedro e ainda lhe diz que esta verdade de que Ele é O Messias ou o Cristo, O Filho de Deus, foi revelada a Pedro diretamente por Seu Pai que está no céu. Em outras palavras ninguém jamais poderia chegar a esta conclusão a respeito de Jesus Cristo sem que Deus revele esta verdade ao coração. Continuemos ...

Análise do Espiritismo

“Então o povo se ajuntou em volta dele (Jesus) e perguntou: — Até quando você vai nos deixar na dúvida? Diga com franqueza: você é ou não é o Messias? Jesus respondeu: — Eu já disse, mas vocês não acreditaram. As obras que eu faço pelo poder do nome do meu Pai falam a favor de mim, mas vocês não crêem porque não são minhas ovelhas. As minhas ovelhas escutam a minha voz; eu as

conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna, e por isso elas nunca morrerão. Ninguém poderá arrancá-las da minha mão. O poder que o Pai me deu é maior do que tudo, e ninguém pode arrancá-las da mão dele. Eu e o Pai somos um. Então eles tornaram a pegar pedras para matar Jesus. E ele disse: — Eu fiz diante de vocês muitas coisas boas que o Pai me mandou fazer. Por causa de qual delas vocês querem me matar? Eles responderam: — Não é por causa de nenhuma coisa boa que

queremos matá-lo,

mas

porque,

ao

dizer

isso,

você

está

blasfemando contra Deus. Pois você, que é apenas um ser humano, está se fazendo de Deus.” João 10.24 – 33

“Vocês nunca conheceram a Deus, mas eu o conheço. Se eu disser que não o conheço, serei mentiroso como vocês; mas eu o conheço e obedeço ao que ele manda. Abraão, o pai de vocês, ficou alegre ao ver o tempo da minha vinda. Ele viu esse tempo e ficou feliz. — Você não tem nem cinqüenta anos e viu Abraão? — perguntaram eles. — Eu afirmo a vocês que isto é verdade: antes de Abraão nascer, “EU SOU”! — respondeu Jesus. Então eles pegaram pedras para atirar em Jesus, mas ele se escondeu e saiu do pátio do Templo.” João 8.55-59

Análise do Espiritismo

Um dos Nomes do Pai, Deus todo poderoso criador dos Céus e da Terra apresentado no Antigo Testamento é “EU SOU” vejamos:

“Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós outros.” Êxodo

3:14

Poderíamos ficar aqui verificando que a Escritura, o Evangelho e a Palavra de Deus afirmam que Jesus Cristo é o Filho único de Deus da mesma essência e substância do Pai, bem como tem todos os atributos divinos conforme as palavras de Paulo: “Porquanto, nEle, habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade” Colossenses 2:9. Mas o que importa é apenas mostrar quem Jesus diz ser.

Na opinião de várias pessoas desde os tempos do Novo Testamento há um escrutínio a respeito da Pessoa de Jesus. Para alguns Ele é um iluminado, um Buda, para outros o governador do planeta Terra, para outros um sábio, para outros um homem de bem, para outros o mestre dos cristãos. Acontece que o próprio Senhor Jesus pergunta aos discípulos qual havia sido o resultado do ibope em relação a quem era Ele. Se Ele teve essa preocupação de saber quem o povo achava que Ele era e em seguida esclareceu diversas vezes nos Evangelhos que Ele é o Filho de Deus, acredito ser coerente acreditar no que Ele disse de Si mesmo. Finalizando escutemos o que Ele disse: “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.” João 14:6 Portanto não iremos ao Pai através de reencarnações, de boas obras ou da caridade. Fora da caridade há salvação, fora de Jesus, não!

Análise do Espiritismo

SALVAÇÃO

Para alcançarmos a salvação o único requisito de Jesus é a fé nEle e crer no Evangelho que nos trouxe a boa notícia que Deus estava em Cristo tornando-Se amigo dos pecadores novamente. Jesus NUNCA, JAMAIS disse que precisaríamos fazer algo além de acreditar nEle. E acreditar nEle é entender que o cumprimento de todas as Leis descritas e exigidas por Deus para que a cumpríssemos foram cumpridas e consumadas por Jesus em nosso lugar. “nem considerais que vos convém que morra um só homem pelo povo e que não venha a perecer toda a nação. Ora, ele não disse isto de si mesmo; mas, sendo sumo sacerdote naquele ano, profetizou que Jesus estava para morrer pela nação e não somente pela nação, mas também para reunir em um só corpo os filhos de Deus, que andam dispersos.” João 11.50-52 Marcos 16:16 Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado. João 6:40 De fato, a vontade de meu Pai é que todo homem que vir o Filho e nele crer tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia. João 7:38 Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva. João 6.47 Em verdade, em verdade vos digo: quem crê em mim tem a vida eterna. João 11.25-26 Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. Crês isto?

Análise do Espiritismo

A GRAÇA

“Pois pela graça de Deus vocês são salvos por meio da fé. Isso não vem de vocês, mas é um presente dado por Deus. A salvação não é o resultado dos esforços de vocês; portanto, ninguém pode se orgulhar de tê-la.” Efésios 2.8-9 O texto acima é claríssimo, somos salvos da morte eterna ou da eterna separação de Deus exclusivamente pela GRAÇA DE DEUS. Graça é um favor imerecido. Não por obras, ou pela caridade, pelo bem que fizermos, mas pela GRAÇA DE DEUS. Então para que entendamos o Evangelho concluímos que somos salvos de graça por Deus através do exercício da fé em Seu Filho que cumpriu e executou todo o bem na Terra em nosso lugar, visto que as Escrituras afirmam:

“Mas agora Deus já mostrou que o meio pelo qual ele aceita as pessoas não tem nada a ver com lei. A Lei de Moisés e os Profetas dão testemunho do seguinte:

Deus aceita as pessoas por meio da fé que elas têm em Jesus Cristo. É assim que ele trata todos os que crêem, pois não existe nenhuma diferença entre as pessoas. Todos pecaram e estão afastados da presença gloriosa de Deus. Mas, pela sua graça e sem exigir nada, Deus aceita todos por meio de Cristo Jesus, que os salva. Deus ofereceu Cristo como sacrifício para que, pela sua morte na cruz, Cristo se tornasse o meio de as pessoas receberem o perdão dos seus pecados, pela fé nele. Deus quis mostrar com isso que ele é justo. No passado ele foi paciente e não castigou as pessoas por causa dos seus pecados; mas agora, pelo sacrifício de Cristo, Deus mostra que é justo. Assim ele é justo e aceita os que crêem em Jesus. Deus ofereceu Cristo como sacrifício para que,

Análise do Espiritismo

pela sua morte na cruz, Cristo se tornasse o meio de as pessoas receberem o perdão dos seus pecados, pela fé nele. Deus quis mostrar com isso que ele é justo. No passado ele foi paciente e não castigou as pessoas por causa dos seus pecados; mas agora, pelo sacrifício de Cristo, Deus mostra que é justo. Assim ele é justo e aceita os que crêem em Jesus. Será que temos motivo para ficarmos orgulhosos? De modo nenhum! E por que não? Será que é porque obedecemos à lei? Não; não é. É porque cremos em Cristo. Assim percebemos que a pessoa é aceita por Deus pela fé e não por fazer o que a lei manda.” Romanos 3.21-28

Portanto não seremos salvos obedecendo a Lei, sendo bonzinhos visto que não é o pecado que pratico que me afasta de Deus, mas o pecado que eu sou. Nós não somos pecadores porque pecamos, mas pecamos porque somos pecadores.

“Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem nele crê não é condenado; o que não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.” João 3.16-

18

“No dia seguinte, viu João a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” João 1:29

“Eles, pois, o venceram (os acusadores) por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e,

Análise do Espiritismo

mesmo em face da morte, não amaram a própria vida.” Apocalipse 12:11 - Não por obras, mas pelo sangue do cordeiro

A RELIGIÃO

Religião é a tentativa do Homem de alcançar a Deus. A religião, que em latim é religare, querendo dizer com isso que é possível que nós consigamos nos religar a Deus de baixo para cima; é a tentativa vã e inútil de atingir o patamar da divindade. Existem duas correntes que acreditam em Deus:

A primeira chama Deísmo, são aqueles que acreditam que Deus existe. A segunda chamada Teísmo são aqueles que acreditam que Deus existe e que Ele revelou-Se a nós. Daí existirem religiões com livros sagrados e oráculos. Bom, os discípulos de Jesus Cristo são Teístas e acreditam que Deus Se revelou a humanidade e Ele mesmo nos contou quem Ele é, como pensa, o que deseja de nós, o que Ele ama e o que abomina. Descreveu todas as Suas características e gostos, nos disse o que espera de nós. O raciocínio do Teísta é que se há um Deus e Ele se revela, então o deus dos deístas não passam de ídolos, filosofias humanas e tolices, pois no Deísmo as pessoas é que batizam seu deus com os atributos que eles mesmo julgam que um Deus deva ter. Sendo assim o deus deísta não passa de configurações de mentes humanas que criam seu próprio deus. Os cristãos nunca tiveram autorização de julgar como é Deus, mas apenas entender que Ele é como É porque Se revelou e nos

Análise do Espiritismo

contou. Nossa função é aceitar como Deus diz ser Ele e todo o resto e fim.

REENCARNAÇÃO

Comecemos vendo um texto dos Evangelhos:

“1 Caminhando Jesus, viu um homem cego de nascença.

  • 2 E os seus discípulos perguntaram: Mestre, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?

  • 3 Respondeu Jesus: Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus.

  • 4 É necessário que façamos as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar.

  • 5 Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo.

  • 6 Dito isso, cuspiu na terra e, tendo feito lodo com a saliva, aplicou- o aos olhos do cego,

  • 7 dizendo-lhe: Vai, lava-te no tanque de Siloé (que quer dizer

Enviado). Ele foi, lavou-se e voltou vendo.” João cap 9.

Este texto é algo que JAMAIS Jesus deixaria passar em branco caso existisse reencarnação. O que Ele está dizendo aqui é que este ser humano nasceu cego para ser curado por Jesus no caminho de Sua vida terrena. Assim como Ele diz que Judas nasceu para traí-lo quando o chama de “filho da perdição”. “E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo.” Hebreus 9:27

Gostaria de contar as duas linhas Teológicas existentes:

Análise do Espiritismo

Sinergismo: As religiões sinergistas pregam que ao Homem está ordenado praticarem boas obras, ou caridades para que através de seus próprios méritos alcancem suas salvações. Sendo assim através de sua bondade numa ou em múltiplas e sucessivas existências, eles por seus próprios esforços alcançarão um estado de felicidade.

Monergismo: É tudo o que venho mostrando acima, que através única e exclusivamente da graça de Deus, da fé em Jesus Cristo e SEM NENHUM esforço somos salvos e levados ao estado de felicidade eterna. Apenas porque a dívida adquirida por nós em relação a Deus foi paga por Seu Filho.

Portanto não sou espírita tão somente porque sou discípulo de Jesus Cristo, e é Ele quem me contou nos Evangelhos que está tudo pago, que está consumado, que basta a fé nEle para que sejamos salvos. A idéia reencarnacionista fica vã quando olhamos pela ótica de Jesus. Por ter havido cruz, não é mais preciso esforços, reencarnações, aperfeiçoamentos para que alcancemos a felicidade que através dEle teremos depois da morte.

João 1.10 “O Verbo estava no mundo, o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o conheceu. 11 Veio para o que era seu, e os seus não o receberam (os judeus).

Análise do Espiritismo

  • 12 Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem

feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome;

  • 13 os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne,

nem da vontade do homem, mas de Deus.

  • 14 E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de

verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.”

E se Ele é o UNIGÊNITO do Pai, ou seja o único filho gerado do Pai, é Deus também e eu creio em Deus e não em minhas vãs filosofias, a única alternativa que tenho é crer que é como Ele nos diz que é. Além de conhecer a fragilidade da lógica humana, pois nem tudo o que é lógico é verdade, por exemplo:

Deus cuida de Seus filhos, eu cuido dos meus filhos, logo eu sou Deus. É um raciocínio lógico, porém mentiroso.

Peço aos leitores que leiam os Evangelhos na Bíblia e julguem por si mesmos se o ensino de Jesus Cristo é este que lhes transmito ou não. Uma excelente tradução da Bíblia é a Versão King James Atualizada, você a encontra por R$ 9,00 no site da ABBA. Digite no google Abbapress, acesse o site, compre e leia os 4 evangelhos e se possível o Novo Testamento todo.

Que a graça de Nosso Senhor Jesus Cristo repouse sobre todos, hoje e sempre. Assim é.

Cláudio Nunes Horácio

19/07/2009

mentor do Caminho da Graça em Franca/SP

Análise do Espiritismo

ÍNDICE

Dedicatória Introdução História do Espiritismo Moderno Cronologia de Allan Kardec A Palavra Espiritismo Algumas Formas de Espiritismo Teologia Apologética O Espiritismo nega as maiores doutrinas Bíblicas A Reencarnação Diferenças Sociais Qual a razão Bíblica das diferenças sociais Textos Bíblicos Referentes ao Espiritismo Quem Somos? Saul consulta a médium de Em-Dor Solução Jesus e Nicodemos A dicotomia corpo e alma Quem foi afinal João Batista Simpatia / Antipatia

Análise do Espiritismo

DEDICATÓRIA

Dedico

esta

obra

às

minhas

filhas,

Larissa,

Laís

e

Amanda que

certamente muito se utilizarão dela para “

responder

a todo aquele que vos

pedir razão da esperança

Análise do Espiritismo

INTRODUÇÃO

Este livro destina-se aos cristãos que desejam entender de maneira séria o que a revelação de Deus, a Bíblia, nos diz sobre as comunicações com os espíritos. Peço a todos que tiverem a oportunidade de lê-lo, que não se exaltem com os espíritas, pois o mais importante em todo o cristianismo é o amor como vemos em I Coríntios 13, sendo assim temos o dever ético de respeitar todo e qualquer ser humano que pensa e acredita diferente de nós. Antes de escrever este livro apologético, fiz questão de estudar o espiritismo e principalmente Kardec. Sendo assim, sei que um bom espírita tem ao menos superficialmente um conhecimento que a Bíblia é totalmente contra qualquer tipo de comunicação com os espíritos. Allan Kardec, porém, não se esqueceu de instruí-los a respeito dos textos sagrados, e em seu livro “O que é o espiritismo”, Kardec até colocou um capítulo de um diálogo com um sacerdote. Entre as inúmeras questões levantadas neste livro, ele diz claramente que Moisés proibiu a comunicação com os espíritos devido ao povo daquela época procurar os médiuns (necromantes) mais para a adivinhação e especulação do que para qualquer outro objetivo. Segundo Kardec por isso Moisés lhes proibiu. Ao meu ver, a revelação bíblica é instrução direta de Deus, por isso as instruções que Moisés passou no Pentateuco, são palavras ditadas por Deus. As orientações de como devemos agir ou em quem crer são no meu entendimento, instruções divinas. Sendo assim, não só em Moisés poderemos analisar a doutrina espírita, mas no próprio Cristo. No Novo Testamento encontramos Jesus expulsando esses espíritos, que segundo Kardec são de pessoas desencarnadas, mas segundo a Bíblia são anjos caídos que se tornaram demônios, servos de Satanás que significa adversário de Deus. Não há aval cristão algum em dialogar com esses espíritos sejam eles demônios, sejam pessoas desencarnadas. Não há texto bíblico algum em que Jesus Cristo doutrine tais seres. Cristo sempre que os encontrou os expulsou e como vemos na Bíblia, nem mesmo os porcos os aceitaram (“Lucas 8:33 – “Tendo os demônios saído do homem, entraram nos porcos, e a manada precipitou-se despenhadeiro abaixo, para dentro do lago, e se afogou.”). Tenho de deixar claro que espírita não é cristão, visto que não aceitam os ensinamentos do Nosso Senhor Jesus Cristo, negam todas as doutrinas básicas do cristianismo como veremos ao ler este livro, porém merecem respeito como seres humanos.

Cláudio Nunes Horácio

Análise do Espiritismo

HISTÓRIA DO ESPIRITISMO MODERNO

Há duas fundadoras do espiritismo moderno. São elas as irmãs Margaret e Kate Fox. As irmãs Fox nasceram em Hydesville, estado de Nova Iorque nos Estados Unidos da América do Norte. Tornaram-se médiuns através de contatos com um espírito em sua casa em Hydesville e mais tarde tornaram-se as médiuns mais famosas do mundo. As irmãs Fox espalharam sua mensagem espírita por 30 anos, tendo mais sucesso nos E.U.A. e na Inglaterra. As primeiras manifestações fenomenológicas dos dias atuais começaram em 1847 e no Congresso Internacional do Espiritismo realizado em Paris, em 1925, foi aprovada por unanimidade a proposta de erigir um monumento comemorativo dessas primeiras manifestações. “Em 1847, numa pequena localidade dos Estados Unidos,

Hydesville, situada nas proximidades de Nova Iorque, duas meninas acordaram sobressaltadas com fenomenais pancadas nas paredes e móveis do seu quarto. Com elas, que eram irmãs, acordaram os demais membros da família dos Fox que intrigados procuraram os autores das pancadas. Mas, pressupondo a origem sobrenatural dos ruídos, o velho Fox logo imaginou um alfabeto para se comunicar com as entidades invisíveis baseando-se

nos

...

(batidas)

...

,

letra tal, e realmente entrou em contato com os batedores. Disseram-

lhe estes que outra coisa não eram senão homens despojados dos seus corpos físicos, ou “mortos”, ou Espíritos e que ali estavam porque as meninas Fox eram médiuns, capazes de lhes servir de instrumentos ou intermediárias; dispondo de certa força podiam ajudá-los a se manifestar, e eles se manifestavam para contar uma história muito antiga que inclusive envolvia um assassínio. Verificada a revelação dos Espíritos, achou-se verdadeira, com o que se patenteou à comunicação dos habitantes do Além. Viu-se depois que, dada à existência de médiuns ou criaturas dotadas como as meninas Fox, era possível provocar fenômenos idênticos e parecidos expandindo-se rapidamente a doutrina que vinha de muito longe, mas somente então começava a se sistematizar. (“O Livro dos Espíritos” pag. 28). Segundo o Teólogo Prof. Donald K. Keller, as irmãs Fox rejeitaram o espiritismo após 30 anos de prática, tornaram-se alcoólatras e morreram. Como o Rev. Donald não revelou sua fonte, eu perguntei pessoalmente a um médium se isso é fato e ele confirmou dizendo que elas no final de suas vidas diziam que as comunicações com os mortos eram puro misticismo. No espiritismo Inglês, Conan Doyle é a figura mais importante. Na França e no Brasil a liderança veio através de Allan Kardec [Hypólito Leon Denizard du Rivail]. Conan Doyle é conhecido mundialmente como escritor dos livros policiais “Sherlock Homes”, mas também promoveu o espiritismo em seus escritos. Conan Doyle foi o primeiro presidente da Federação Espírita Internacional e liderou o movimento espírita tanto em seu país, Inglaterra, como em todo o mundo.

O quarto líder do espiritismo moderno foi o Francês Hypólito Leon Denizard du Rivail, mas este tomou o nome de um poeta celta falecido: “Allan Kardec”.

Análise do Espiritismo

Uma grande diferença entre o espiritismo Inglês (Conan Doyle) e Francês (Allan Kardec) é a rejeição da reencarnação pelos espíritas Ingleses, apesar de Conan Doyle crer na reencarnação. Um dos livros de Allan Kardec é: “O Evangelho Segundo o Espiritismo”. Neste livro ele codificou as crenças espíritas. Codificar significa colecionar, escrever e organizar em seqüência

lógica. No Brasil o movimento espírita segue mais os livros de Allan Kardec, portanto, segue a ala do espiritismo Francês e não Inglês.

Análise do Espiritismo Uma grande diferença entre o espiritismo Inglês (Conan Doyle) e Francês (Allan Kardec)
Allan Kardec
Allan Kardec
Análise do Espiritismo Uma grande diferença entre o espiritismo Inglês (Conan Doyle) e Francês (Allan Kardec)
Conan Doyle
Conan Doyle

CRONOLOGIA DE ALLAN KARDEC

1804 – Nasce em 3 de outubro na cidade de Lião, as 19:00 horas.

1820 – Em Yverdun (Suíça) foi aluno do famoso mestre Pestallozzi, a quem substituía, às vezes, na direção da escola.

1822 – Tornou-se mestre, bacharelando-se em Letras e Ciências; doutorou-se em Medicina, lingüística e falava corretamente o Alemão, o Inglês, o Italiano, o Espanhol e o Holandês.

1824 –

Fundou

em Paris,

na Rua:

Sevres, n.

º

35, uma escola

idêntica

a

de

Pestallozzi, em sociedade com um tio. 1828 – Começou a publicação de obras didáticas que vão até 1848.

1829 – Publicou o Curso Prático e Teórico de Aritmética, de acordo com o método

Pestallozzi. 1830 – Publicou a Gramática Francesa Clássica.

1832 – Casou-se a 6 de fevereiro, em Paris, com a senhorita Amelie Gabrielle

Boudet (23/11/1795), nove anos mais velha que ele. 1835 – Seu tio e sócio o leva a ruína; com a liquidação da sua escola, aplicou o dinheiro que lhe coubera em partilha (45.000 francos) com um amigo íntimo, negociante, que também faliu e nada deixou aos credores. Trabalhou então, como contador de três empresas; fez traduções; organizou cursos gratuitos; ministrou aulas até 1840.

Análise do Espiritismo

1846

Elaborou

o

Manual

dos

Exames

para

Obtenção

dos

Diplomas

de

Capacidade. 1848 – Elaborou o Catecismo Gramatical da Língua Francesa.

1849 – Foi professor do Liceu Polimatico, lecionando Fisiologia, Astronomia, Química e Física. Publicada várias obras adotadas pela Universidade da França.

1854 – Dedicou-se aos

estudos de magnetismo, até

1855, quando se firma

publicamente sua posição de positivista. 1855 – No dia 25 de março, com a comunicação do Espírito Verdade, lhe é

transmitido seu pseudônimo “Allan Kardec”. 1857 – Editou ‘O Livro dos Espíritos” a 18 de abril. 1858 – Reedição do “O Livro dos Espíritos”, aparecimento do 1. º número da “Revista Espírita” a 1. º de janeiro e fundação da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas a 1. º de abril. 1859 – Publica “O que é o Espiritismo?”. 1860 – Confirmação do Espírito Verdade como guia de Allan Kardec. Reeleito

presidente da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas. Viagem de propaganda à região de Lião, visitando Sens, Macon e Lião. 1861 – Nova viagem a Sens, Macon e Lião. Em Barcelona, a 9 de outubro em um ato de fé (inquisição) um bispo queima mais de 300 obras espíritas, a maioria de Allan Kardec. Edição de “O Livro dos Médiuns” na primeira quinzena de janeiro.

1862 – Publica o histórico do Espiritismo: “O Espiritismo em sua mais simples

expressão” e “Refutação de Críticas contra o Espiritismo”. Em setembro e outubro, viagem de propaganda do Espiritismo a Lião e Bordéus. 1864 – Sai, em abril, “ O Evangelho Segundo o Espiritismo”. Viagem à Bélgica (Antuérpia e Bruxelas).

1865 – Editou nova obra em 1. º de agosto: “O Céu e o Inferno” ou “A Justiça Divina Segundo o Espiritismo”.

1867 – Curta viagem a Bordéus, Tours e Orléans.

1868 – Publica “A Gênese” – Os milagres e as Predições Segundo o Espiritismo,

em janeiro. Reestruturação da Sociedade Espírita. 1869 – Falece em Paris, na rua Santana, n. º 25 (Galeria Santana, n. º 59) aos 65 anos de idade, vítima de aneurisma cerebral, no dia 31 de março. Finalmente, Obras Póstumas publicadas depois da sua morte.

1883 – Aos 21 de janeiro, faleceu sua esposa, com 89 anos, sem deixar herdeiros diretos.

A primeira sessão espírita realizada no Brasil ocorreu em Salvados, Bahia, no dia 17 de setembro de 1865. A primeira publicação se denominava “Eco do Além Túmulo” e teve o seu lançamento em 1869. A FEB – Federação Espírita Brasileira se deu em 1. º de janeiro de 1884. O órgão oficial do Espiritismo é a revista “O reformador”.

A PALAVRA ESPIRITISMO

A palavra espiritismo é formada de duas palavras:

Espírito: do grego pneuma -

vento, respiração,

movimento de ar, alento, alma, espírito de vida, aquilo que dá vida ao corpo.

Ismós: ensino, doutrina, escola, teoria ou princípio artístico, filosófico, político ou religioso.

Análise do Espiritismo

Espírita:

Diz

Allan

Kardec

é

todo

aquele

que

acredita

nas

manifestações dos espíritos. (“Livro dos Médiuns” pag. 44).

ALGUMAS FORMAS DE ESPIRITISMO

1) Tendência ortodoxa: é o Kardecismo puro, exclusivo, que não permite ulterior desenvolvimento, nem tolera a presença de outros “espiritismos”.

2) Tendência rusteinista: João Batista Roustaing, advogado de Bordéus e presidente da Ordem dos Advogados, teve seu primeiro contato com o espiritismo em 1861. Leu então as principais obras de Kardec e começou a interessar-se morbidamente por questões religiosas. Meteu-se num desordenado estudo do Antigo e Novo Testamento e chegou a conclusão de que era necessário conseguir novas revelações sobre a Revelação contida na Bíblia.

3) Tendências ubaldista: Pietro Ubaldi nasceu na Itália em 1886. Estudou direito em Roma e dedicou-se depois ao magistério, ensinando inglês no Liceu de Módica, na Sicília. Desde muito cedo começou a ouvir uma “voz”. Essa misteriosa “voz” lhe ditou depois os seguintes livros: “A Grande Síntese”; “As Noures”; “Ascense Mística”; “História de um Homem”; “Fragmentos de pensamento e de Paixão”, “A Nova Civilização do Terceiro Milênio”; “Problemas do Futuro”; “Ascensões Humanas”; “Deus e o Universo”.

4) O Espiritismo Racionalista do “Redentor”:

A reação mais violenta e extremada dentro do Espiritismo Kardecista surgiu em 1910 com o Sr. Luiz de Mattos, fundador do “Espiritismo; Racional e Científico (Cristão)”, que tem sua sede principal no “Centro Espirita Redentor”, no Rio de Janeiro.

5) O Círculo Esotérico da Comunhão do “O Pensamento”: Foi fundado em 27/06/1909 pelo Sr. Antônio Olívio Rodrigues. Tem sua Sede central em São Paulo e possui mais de 1.400 centros (eles dizem “Tattwas”) espalhados por todo o Brasil.

6) O Rosacrucianismo; Temos no Brasil as seguintes organizações rosacrucianas: A Antiga e Mística Ordem Rosae Crucis (AMORC), a Fraternidade Rosacruz de Max Heindel, a Fratemitas Rosae Crucis (FRC) de Clymer, a Fratemitas Rosicruciana Antiqua (FRA) de Krumm-Heller, e a Igreja Expoente (Ordem Kabbalística da Rosa-Cruz) do Sr. Léo Álvares Costel de Marchevile (“Sevanada”).

7) A Legião da Boa Vontade: Organizada, fundada e dirigida pelo Sr. Alziro Zarur, nasceu do Programa “Hora da Boa Vontade”, que o Sr. Zarur lançou na Rádio Globo em 04/03/1949. No dia 01/01/1950 foi oficialmente fundada a LBV, para “promover a fraternidade humana em bases verdadeiramente cristãs” e proclamando que “ninguém será salvo pelas boas obras que praticou, em cumprimento aos mandamentos divinos” (o que está correto segundo a Bíblia).

Análise do Espiritismo

TEOLOGIA APOLOGÉTICA

João Calvino
João Calvino

Jesus Cristo em Seu Evangelho profetas (pregadores):

nos adverte sobre os falsos

“Acautelai-vos

dos

falsos

profetas,

que

se

vos

apresentam disfarçados

em

ovelhas,

mas

por

dentro

são

lobos

roubadores.” (Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus cap. 7 vers. 15).

Vejamos o que os espíritos nos ensinam a respeito das pregações:

“Se alguém tem uma convicção bem firmada sobre uma doutrina (ensinamento), ainda que falsa, necessário é lhe tiremos essa convicção, mas pouco a pouco. Por isso é que muitas vezes nos servimos de seus termos e aparentamos abundar nas suas idéias; é para que não fique de súbito ofuscado e não deixe de se instruir conosco. (“O Livro dos Médiuns” pag. 392).

CUIDADO! “servimo-nos de seus termos” “aparentamos abundar nas suas idéias”

Verdadeiros profetas não manipulam as verdades dados por Deus, pois não existe necessidade de politiquismo, visto que a mensagem pregada foi dada por Deus. Quem quiser aceitar ótimo, quem rejeitar é a Deus que rejeita. Kardec escreveu que o Espiritismo e o Cristianismo ensinam a mesma coisa (“Evangelho Segundo o Espiritismo”, pag. 48), só que o Cristianismo nos manda amaldiçoar qualquer pessoa que nos pregue evangelho que vá além do que já fôra pregado pêlos apóstolos:

“Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja

anátema. Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema.” (Epístola de Paulo aos Gálatas cap. 1 vers. 8 e 9).

Análise do Espiritismo

Nos lugares novos, geralmente a primeira coisa que pregam é que o Espiritismo não é religião, vejamos:

“Seu verdadeiro caráter,

é

o

de uma ciência,

e

não

de uma

religião: e a prova disso é que conta entre seus adeptos homens de todas as crenças,

que não renunciaram por isso às suas convicções: católicos fervorosos que não praticam menos todos os seus deveres de seu culto, quando não são repelidos pela Igreja, protestantes de todas as seitas, israelitas, muçulmanos, e até budistas e brâmanes.” (“O que é espiritismo”, pag. 79)

Mas depois de conquistar a confiança dos novatos à pregação

muda de figura:

“Aproxima-se à hora em que te será necessário apresentar o Espiritismo qual ele é, mostrando a todos onde se encontra a verdadeira doutrina ensinada pelo Cristo. Aproxima-se a hora que, à face do céu e da Terra, terás de proclamar que o Espiritismo é a única tradição verdadeira Cristã e a única instituição verdadeiramente divina e humana. Ao te escolherem, os Espíritos conheciam a solidez das tuas convicções e sabiam que tua fé, qual muro de aço, resistiria a todos os ataques. (“Obras Póstumas”, pág. 308)

“O Espiritismo é chamado a desempenhar imenso papel na Terra. Ele reformará a legislação ainda tão freqüentemente contrária às leis divinas:

retificará os erros da História; restaurará a religião do Cristo, que se tornou, nas mãos dos padres, objeto de comércio e de tráfico vil; instituirá a verdadeira religião a religião natural da que parte do coração e vai diretamente a Deus.” (“Obras Póstumas”, pag. 200)

Seus

livros

também

pregam

que

o

espiritismo

é

a terceira

revelação de Deus aos Homens, vejamos:

 

reconhece-se

que o Espiritismo realiza todas as promessas do

Cristo a respeito do Consolador anunciado. Ora, como é o Espírito da Verdade que preside ao grande movimento da regeneração, a promessa da sua vinda se acha por essa forma cumprida, porque, de fato, é ele o verdadeiro Consolador. (“A Gênese, pág.

34)

“A primeira revelação teve sua personificação em Moisés, a segunda, a terceira não a tem em indivíduo algum. As duas primeiras foram individuais, a terceira coletiva; aí está um caráter essencial de grande importância.” (“A Gênese”, pag. 35)

Na Bíblia o Consolador é chamado de Espírito Santo, vejamos:

“mas o Consolador,

o

Espírito

Santo,

a quem

o

Pai

enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará

lembrar de tudo o que vos tenho dito.” (Evangelho de Jesus Cristo segundo João cap. 14 vers. 26)

Em toda a Bíblia o Espírito Santo é mencionado como pessoa e não como movimento religioso:

Análise do Espiritismo

1)

Ele aparece entre as pessoas:

“Pois pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não vos impor maior encargo além destas coisas essenciais:”

Análise do Espiritismo 1) Ele aparece entre as pessoas: “Pois pareceu bem ao Espírito Santo e

(Atos cap.15 vers. 28)

“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações,

batizando-os em nome do Pai (1ª pessoa), e do Filho (2ª

pessoa), e do Espírito Santo ;” (Evangelho de Jesus Cristo

segundo Mateus cap. 28 vers. 19)

2)

Aparece no batismo de Jesus Cristo:

“Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele.” (Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus cap.3 vers. 16)

3)

Aparece na benção apostólica:

“A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós.” (2.ª Epístola de Paulo aos Coríntios cap. 13 vers. 13)

4)

É chamado Deus:

“Então disse Pedro: Ananias, por que encheu Satanás

teu coração, para que mentisse ao Espírito Santo, reservando parte do valor do campo? Conservando-o, porventura, não seria teu? E, vendido, não estaria em teu poder? Como, pois, assentaste no coração este desígnio? Não mentiste aos homens, mas a Deus.” (Atos dos Apóstolos cap. 5 vers. 3 e 4)

5)

Possui atributos de personalidade:

a) Inteligência:

“Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus. Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o seu próprio espírito que nele está?

Assim também as coisas de Deus ninguém as conhece, senão o Espírito de Deus.” (1.ª Epístola de Paulo aos Coríntios cap. 2 vers. 10 e 11)

b)Volição (vontade):

“Mas um só e o mesmo Espírito realiza todas estas coisas distribuindo-as, como lhe apraz, a cada um, individualmente.” (1.ª Epístola de Paulo aos Coríntios cap. 12 vers. 11) “E percorrendo a região frígio-gálata, tendo sido impedidos pelo Espírito Santo de pregar a palavra na Ásia,” (Atos dos Apóstolos cap. 16 vers. 6)

Análise do Espiritismo

  • c) Sensibilidade:

“E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção”. (Epístola de Paulo aos Efésios cap. 4 vers. 30)

6)

Exerce atividades pessoais:

  • a) Ensina:

“mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai

enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito.”

(Evangelho de Jesus Cristo segundo João cap. 14 vers. 26)

  • b) Intercede:

“Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira com gemidos inexprimíveis.” (Epístola de Paulo aos Romanos cap. 8 vers. 26)

  • c) Convence:

“Mas eu vos digo a verdade. Convém-nos que eu vá,

porque se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei. Quando ele vier convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo:” (Evangelho de Jesus Cristo segundo João cap. 16 vers. 7 e 8)

  • d) Fala:

“Enquanto meditava Pedro acerca da visão, disse-lhe o Espírito: Estão aí dois homens que te procuram; levanta- te, pois, desce e vai com eles nada duvidando; porque eu os enviei.” (Atos dos Apóstolos cap. 10 vers.19 e 20)

O espiritismo julga ser a terceira revelação. Admitindo-se ser a 3.ª revelação, estabelece-se que as 3 (três) revelações procedem da mesma fonte, que é Deus, chegando-se à conclusão que não pode haver contradição entre elas. Dessa forma como se explica às inúmeras contradições entre as doutrinas de Cristo e as do espiritismo?

O ESPIRITISMO NEGA AS MAIORES DOUTRINAS BÍBLICAS

1)

O espiritismo nega o mistério.

2)

O espiritismo nega o milagre.

3)

O espiritismo nega a inspiração divina da Bíblia.

4)

O espiritismo nega a Santíssima Trindade.

5)

O espiritismo nega a existência de anjos, diabo e demônios.

6)

O espiritismo nega a divindade de Jesus Cristo.

7)

O espiritismo nega a personalidade do Espírito Santo.

Análise do Espiritismo

8) O espiritismo nega a unicidade da vida terrena.

9)

O espiritismo nega a existência do céu e do

inferno.

10) O espiritismo nega a ressurreição corporal de

Jesus

e de todos. 11) O espiritismo nega o juízo particular depois da

morte.

12) O espiritismo nega a possibilidade de perdão de

pecados.

13)

O espiritismo nega a redenção pela crucificação de Cristo.

Tornando o Seu sacrifício vão e inútil.

Vejamos como a doutrina espírita nos ensina a identificar os

espíritos:

Análise do Espiritismo 8) O espiritismo nega a unicidade da vida terrena. 9) O espiritismo nega

1)

“Distinguir os bons dos maus Espíritos é extremamente fácil.

Os Espíritos superiores usam constantemente de linguagem

digna, nobre, repassada da mais alta moralidade, escoimada

de qualquer paixão inferior.” (“O Livro dos Espíritos”, pag.

24)

2) “Inegavelmente a substituição dos Espíritos pode dar lugar a

uma

porção

de

equívocos, ocasionar erros e, amiúde,

mistificações. Essa é uma das dificuldades do Espiritismo

prático.” (“O Livro dos Espíritos”, pag. 35)

3) Mas que importa, afinal, seja um Espírito, realmente ou não, o de Fenelon! Desde que tudo que ele diz é bom e que fala como o teria feito o próprio Fenelon, é um bom Espírito. Indiferente é o nome pelo qual se dá a conhecer, não passando muitas vezes de um meio de que lança mão para nos fixar as idéias. O mesmo, entretanto, não é admirável nas evocações íntimas; mas aí como dissemos há pouco se consegue estabelecer a identidade por provas de certo modo patentes.” (“O Livro dos Espíritos” pag. 24)

“Que nos importa? Importa-nos tudo. Tudo e mais alguma coisa. Porque se é Fenelon que nos aparece espírita depois da morte, quer dizer que ele se enganou aqui no mundo, quando tinha outra convicção religiosa e agora, passa para o espiritismo.”

A doutrina espírita, portanto ensina que pela linguagem do espírito temos condições de saber se ele é do bem ou do mal. Tudo depende da nobreza e dignidade da sua expressão verbal. Desta forma o mundo espiritual deve ser infinitamente diferente do material, pois aqui na Terra os mais desonestos são justamente esses que usam linguagem digna e nobre como, por exemplo, os políticos.

O que será que esses espíritos viriam furtar de nós?

Não seria a verdade que Jesus Cristo veio nos trazer e que deixou registrado na Bíblia?

No “Livro dos Espíritos”, pag. 32 lemos:

Análise do Espiritismo

“Espíritos inferiores muitas vezes usurpam (roubam) nomes conhecidos e respeitados. Quem pode, pois afirmar que os que dizem ter sido, por exemplo, Sócrates, Júlio César, Carlos Magno, Fenelon, Napoleão, Washington, etc., tenham realmente animado esses personagens? Esta dúvida existe mesmo entre alguns adeptos fervorosos da Doutrina Espírita, os quais a intervenção e a manifestação dos Espíritos mais inquirem como se lhes pode comprovar a identidade. Semelhante prova é, de fato difícil de produzir-se.”

Na pág. 38 lemos:

“Também pessoas que vêem perigo por toda parte e em tudo o que não conhecem. Daí a pressa com que, do fato de haverem perdido a razão alguns dos que se entregaram a estes estudos, tiraram conclusões desfavoráveis ao Espiritismo.”

Vemos pêlos textos acima que mesmo os espíritas reconhecem que esses espíritos mentem e que muitos que se dedicam ao estudo desta doutrina enlouquecem.

Vejamos as opiniões de alguns médicos psiquiatras:

O Dr. João Teixeira Alves escreveu a diversos médicos de renome, carta com a seguinte pergunta:

“Baseando

nas

suas

observações,

que

idéias

faz

V.

Sa.

do

espiritismo como fator de loucura e outras perturbações nervosas?

O Dr. Juliano Moreira, diretor do Hospício de Alienados do Rio de Janeiro respondeu: “Tenho visto muitos casos de perturbações nervosas e mentais evidentemente despertadas por sessões espíritas.”

O Dr. Joaquim Dutra, diretor do Asilo de Alienados do Rio de

Janeiro, respondeu: “As práticas espíritas estão incluídas

...

influindo

diretamente,

pelas perturbações emotivas, com um coeficiente avolumado para a população dos

manicômios.”

Será possível que Deus tenha instituído uma religião que faz endoidecer as pessoas?

Disse Jesus:

“O ladrão vem somente para roubar, matar, e destruir;

eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.” (Evangelho de Jesus Cristo segundo João cap. 10 vers. 10)

Se

temos

os

conselhos

genuínos

de

Jesus

Cristo,

por

que

optaríamos por conselhos de espíritos supostamente iluminados?

 

1)

Jesus ensinou a unicidade da vida: Ao contrário do espiritismo que ensina a pluralidade da existência.

Análise do Espiritismo

2) Jesus ensinou a existência de um lugar de tormento eterno, ao contrário do espiritismo que ensina o progresso contínuo depois da morte até a perfeição.

3)

Jesus ensinou a nossa redenção por sua morte e ressurreição, ao contrário do espiritismo que ensina expiação própria e aperfeiçoamento por méritos pessoais.

4)

Jesus ensinou a ressurreição final de todos os homens, ao

contrário do espiritismo que ensina espírito puro.

o

estado

final

como

A REENCARNAÇÃO

“O princípio da reencarnação, ressalta de muitas passagens das Escrituras, achando-se especialmente formulado, de modo explícito,
“O princípio
da reencarnação, ressalta de
muitas passagens das
Escrituras,
achando-se
especialmente
formulado,
de
modo
explícito,
no
Evangelho.”
(“O
Livro
dos
Espíritos”, pag. 146) “Não é
somente porque veio dos Espíritos
outros nos fizemos adeptos da
existências. É porque essa doutrina
lógica e porque resolve questões até
Ainda quando fosse da autoria de um
igualmente adotado e não houvéramos
renunciar às idéias que esposávamos. Em
que
nós
e
tantos
pluralidade
das
nos pareceu a mais
então
insolúveis.
simples
mortal
tê-la-íamos
hesitado um segundo mais em
sendo
demonstrado
o
erro,
muito mais que perder do que ganhar tem
o
amor-próprio,
com
o
se
obstinar
na
sustentação
de uma
idéia
falsa
...

O OBJETIVO DA REENCARNAÇÃO

”167 – Qual o fim objetivado com a reencarnação?”

“168 –

É limitado

Espírito reencarna perpetuamente?”

o

número das

existências

corporais, ou o

“A cada nova existência, o Espírito dá um passo para diante da senda do progresso. Desde que se ache limpo de todas as impurezas, não tem mais necessidade das provas da vida corporal.”

“169 – É invariável o número das encarnações para todos os

Espíritos?”

“ Não; aquele que caminha depressa, a muitas provas se forra. Todavia, as encarnações sucessivas são sempre muito numerosas, porquanto o progresso é quase infinito.”

Análise do Espiritismo

 

“Espírito

bem-aventurado;

puro

Espírito.”

(“O

Livro

dos

Espíritos”, pag. 117)

 

Então esta vida

é uma expiação,

o que sofremos

é

justo; foi

merecido por nós, ainda que seja noutras encarnações. Muito bem.

Então quando um homem mau persegue o seu semelhante, quando um ladrão furta, quando o capanga mata, é sempre instrumento da justiça divina.

Deus não pode deixar exceder o que a pessoa mereceu; pois que, se o sofrimento passasse o mal cometido, Deus seria injusto; faria diferença entre as suas criaturas inteligentes.

Segue-se que se matarmos, se torturarmos o próximo, não fazemos nada de mal. É apenas o que ele mereceu noutras encarnações! Sim, pêlos dizeres dos espíritas, Deus não pode permitir a injustiça; Deus não pode permitir a desigualdade no mundo. Se o permite, é porque foi merecida, e daí?

Daí que resulta que não há mal nenhum em matar, que é uma boa

obra o furtar, que há merecimento em martirizar os outros

e não é só isso. Deduz-se

... que se está fazendo um bem quando todo o mundo pensa que se está a fazer mal aos

outros.

Quando um amigo atraiçoa outro, rouba-o, deixa-o na miséria, devia ser abraçado por este com lágrimas de gratidão. Não lhe podia fazer bem maior.

 

E

depois, ele

já tinha

mesmo de passar

por

essa

Estava

escrito

Ele o tinha merecido na outra encarnação.

 
 

Logo, os espíritas, pelas suas doutrinas, avalizam a prática do

mal.

Quanto mais mal fizermos aos outros, maior será o benefício que eles recebem, quanto mais o próximo pagar as suas culpas, tanto mais nos agradecerá.

O pior nesta doutrina é que é uma bola de neve, pois para quem eu prejudico é bom, porém em minha próxima encarnação, alguém terá que fazer o mesmo comigo. Assim expiarei minha culpa na próxima existência, porém alguém terá que adquirir carma comigo para que os meus sejam expiados, e em sua próxima encarnação outro alguém o ajuda prejudicando-o e também adquire carma com este ... E assim a perfeição não chega nunca, mas o conformismo com a desgraça presente estará sempre nos imobilizando para que creiamos que tudo é o carma e não nossos pecados presentes como ensina a Bíblia.

Análise do Espiritismo

DIFERENÇAS SOCIAIS

“261 – Que é o que dirige o Espírito na escolha das provas que

queira sofrer?

“Ele escolhe, de acordo com a natureza de suas faltas, as que o levam à expiação destas e a progredir mais depressa. Uns, portanto, impõem a si mesmos uma vida de misérias e privações, objetivando suportá-las com coragem; outros preferem experimentar as tentações da riqueza e do poder, muito mais perigosas, pêlos abusos e má aplicação a que podem dar lugar, pelas paixões inferiores que uma e outras desenvolvem; muitos finalmente, se decidem a experimentar suas forças nas lutas que terão de sustentar em contato com o vício.” (“O Livro dos Espíritos”, pag. 168)

“814 – Por que Deus a uns concedeu as riquezas e o poder, e a

outros, a miséria?”

“Para experimentá-los de modos diferentes. Além disso, como sabeis, essas provas foram escolhidas pêlos próprios espíritos, que nelas, entretanto, sucumbem com freqüência.”

“815 – Qual das duas provas é mais terrível para o homem, a da desgraça ou a da riqueza?”

“São-as tanto uma quanto à outra. A miséria provoca as queixas contra a Providência, a riqueza incita a todos os excessos.” (“O Livro dos Espíritos”, pág. 366)

Será que alguém escolheria reencarnar na miséria, doente e desprovido de dons? Acho difícil de acreditar que alguém fizesse tal escolha.

VEJAMOS AGORA QUAL A RAZÃO BÍBLICA DAS DIFERENÇAS SOCIAIS:

O fato é que Deus ao nos criar deu-nos igualdade de condições. Tudo o que deu ao primeiro Homem, deu aos outros.

Quando escolhemos nos desviar de Deus a cerca de 6.000 anos atrás, optamos pelo pecado (que literalmente significa “Errar o Alvo”; do hebraico HATAH). A partir daí nosso pecado de egoísmo e ganância fez-nos transgredir os mandamentos de Deus e passamos a dominar os mais fracos, roubar-lhes os bens, escravizá-los, subjulgá-los, matá-los. Basta ler a história da humanidade que se encontra em todo o Antigo Testamento que comprovará o que estou dizendo. O desamor a Deus e ao próximo reina entre nós e isso faz com que sejamos desonestos e que visemos somente o nosso lado. Como diz o adágio popular: “puxar a brasa pra nossa sardinha”.

Análise do Espiritismo

Nunca foi da vontade de Deus que passássemos pela experiência do pecado, porém para que não fôssemos criados autômatos, Deus permitiu que optássemos entre seguir os Seus mandamentos ou à vontade de Satanás que na verdade é a mesma que a nossa natureza pecaminosa deseja. Chamamos isso hoje de “livre arbítrio” o que somente antes da queda do Homem, ou antes, de pecarmos possuíamos verdadeiramente. Hoje chamamos essa liberdade de “livre agência”, pois nossa natureza não é mais 100% livre para escolher entre o bem e o mal. Temos sim liberdade de ação, porém somos mais tendenciosos na escolha do mal. Fato este facilmente comprovado pela observação. Não temos grandes dificuldades para praticarmos o mal, porém o bem sempre tem de ser aprendido.

Vemos que pai sifilítico gera filho sifilítico. A TV apresentou uma reportagem a respeito de 8.000 crianças nascidas aleijadas e defeituosas, porque suas mães em estado de gravidez tomaram o famoso psicotrópico Talidomida. Isto é um fato, o resto não passa de pura fantasia.

Além deste fato, podemos observar que os diversos tipos de pecados como a cobiça, a lascívia, a zoofilia, a mentira, a mamonolatria (adoração ao dinheiro) e tantos outros tipos de pecados dos mais diversos, foram praticados pela humanidade durante o decorrer da nossa história.

As conseqüências são óbvias: misérias das mais diversas, tanto financeiras como orgânicas e espirituais.

A definição Teológica para o que é o pecado é:

“Pecado é qualquer falta de conformidade com a lei de Deus, ou a transgressão de qualquer lei por Ele dada como regra à criatura racional.”

A Bíblia

nos

diz

que

“o

salário

do

pecado é

a morte”

(Epístola de Paulo aos Romanos cap. 6 vers. 23) e é por isso que morremos,

porque aquilo que plantarmos colheremos (leia Epístola de Paulo aos Gálatas cap. 6

vers.7b).

Outra argumentação espírita absurda é que os ricos são espíritos adiantados e os pobres espíritos atrasados. Fosse assim, Jesus Cristo seria um espírito atrasadíssimo, pois morreu pobre, crucificado entre dois ladrões e caluniado. Pelo que sofreu deveria ter cometido crimes hediondos na encarnação anterior.

Allan Kardec também entra no rol dos espíritos atrasados, porque morreu de aneurisma quando faziam despejo de sua casa por falta de pagamento dos aluguéis.

Além

disso, vemos que mesmo entre os animais, os vegetais

e

também na parte somática (no corpo) dos indivíduos, não há nada absolutamente igual. Assim acontece com a inteligência, com as impressões digitais, com a vida e com a morte dos Homens. Nada é absolutamente igual.

Em relação à regressão de idade podemos observar que um indivíduo quando hipnotizado tanto pode retornar a infância, como o hipnotizador pode sugerir-lhe que ele é um ancião (situação irreal), que o hipnotizado agirá como um verdadeiro ancião. Isso prova que as situações vividas durante a hipnose são

Análise do Espiritismo

puramente

imaginárias,

sugeridas

tanto

pelo

consciente como pelo inconsciente

hipnotizado.

 

Lemos no “O Livro dos Espíritos”, pag. 207:

“392 – Por que perde o Espírito reencarnado a lembrança do

passado?”

“Não, pode o homem, nem deve, saber tudo. Deus assim o quer em sua sabedoria. Sem o véu que lhe oculta certas coisas, ficaria ofuscado, como quem sem transição, saísse do escuro para o aro. Esquecido de seu passado ele é mais senhor de si.”

“Em cada nova existência, o homem dispõe de mais inteligência e melhor pode distinguir o bem do mal. Onde o seu mérito se se lembrasse de todo o passado.”

Alguns fatos nos chamam a atenção neste texto.

Devemos aceitar que há sim uma evolução em todos os aspectos, nas pessoas que antes torturavam e matavam com os mais diversos aparelhos como,

por exemplo

“A virgem

de

Nuremberg”

ou

o

“Berço de Judas 1 , na ciência

e

na

tecnologia, nas crianças que já nascem “criadas” e cada vez mais espertas e preparadas para usar os vídeos games, computadores com Internet. Nos muitos artistas mirins que vemos na televisão, crianças que com a mais tenra idade já são talentosíssimas.

Como também veremos em breve, clones humanos, o que não há problema Teológico algum, visto que a linha traducianista desde o século XIV prega que a união do espermatozóide com o óvulo tem o poder de gerar o corpo e a alma do individuo. Sendo assim, Deus somente deu a vida ao primeiro ser humano e desde então o próprio ser criado passou esta vida as gerações vindouras. Isto explica melhor o por que o pecado de Adão foi-nos transmitido e temos a certeza que os clones têm alma.

Temos, porém de considerar que a evolução do ser humano caminhou juntamente com a evolução das leis criminais, que hoje não existe tortura, pois as leis são melhores. Acredito que as pessoas em sua grande maioria fazem o melhor que podem e nos seus íntimos acreditam ser boas, porém a doutrina do pecado

1

A VIRGEM DE NUREMBERG - Esse artefato de origem alemã teve sua "estréia" no ano de 1515. Tratava-se de uma espécie

de sarcófago - a máquina tem mesmo certa "aparência humana". Seu interior era oco e feito para acomodar uma pessoa viva que ali deveria permanecer trancada até a morte. A morte ocorreria com o infeliz ali "guardado", por abundante hemorragia. A máquina possuía lâminas pontiagudas que transpassavam o corpo de quem ali fosse posto para receber aquela sorte. As lâminas eram dispostas de forma que nenhum órgão vital fosse afetado. Isso evitava a morte rápida da vítima. As lâminas perfuravam partes do

corpo que provocavam uma hemorragia no indivíduo e que faziam com que, como no caso de muitos, levasse até três dias para vir a morrer trancado dentro da Virgem. Os que ali "entravam" padeciam dores com certeza inumanas. Sabe-se que a vítima:

"(

...

)

ia se esvaindo em sangue lentamente e às vezes só morria depois de dois, três dias. Segundo consta, a invenção da

Virgem de Nuremberg se deu por razões dogmáticas. Como o ato de assistir à morte de uma pessoa não era considerado um gesto

cristão, o bispo de Nuremberg mandou construir o terrível esquife, onde a vítima não podia ser vista. Apenas ouvida. 'Em

determinadas sessões de tortura mais demoradas, como no caso da Virgem, muitas pessoas chegavam a levar cadeira, pão e vinho

para assistir a elas' (

...

)

BERÇO DE JUDAS - Neste aparelho a vítima era amarrada por um sistema de cordas cujo objetivo era o de lançá-la de uma altura de até dois metros. As cordas eram então afrouxadas e o peso do corpo da vítima fazia com que ela caísse, com incrível precisão matemática, sobre uma espécie de pirâmide de madeira que penetrava então o seu anus. Essa prática era repetida diversas vezes.

Análise do Espiritismo

não deixa-nos dúvida alguma que nossa natureza tende sempre ao mal, mesmo quando pensamos ser bondosos e caridosos. Por isso somos pecadores, pois pecamos até mesmo involuntariamente, os pecados fazem parte da nossa natureza e somente através da graça de Nosso Senhor Jesus Cristo é que conseguimos ser bom. Observando-nos chegamos à conclusão que o mal nos é nato, porém o bem sempre tem de ser aprendido.

Quanto ao esquecimento de nossas outras encarnações, castigar alguém sem que o réu saiba o por quê, parece brutalidade e não satisfaz nem o nosso próprio sentimento de justiça, quanto mais o da justiça de Deus.

Creio ser impossível que Deus neste mundo esteja castigando faltas de que não nos deixa recordações.

Há outro problema. Se Deus não permitiu-nos que soubéssemos de nossas outras encarnações, por que diversas vezes ouvimos espíritas dizendo que foram fulano de tal em alguma de suas vidas passadas?

Se Deus não nos revela nossas outras vidas, com que autoridade um reles espírito o faz? Que diabo de espírito desobediente é esse? Se isso nos prejudica, então a intenção desses espíritos só pode ser a de nos prejudicar.

Há outro problema com a reencarnação que é a questão

populacional.

Sabemos que a população do mundo aumenta assustadoramente alcançando hoje (1990) aproximadamente 5 bilhões de habitantes . Sabemos também que há poucos anos eram 3 bilhões. No Brasil, por exemplo, em 1935 havia mais ou menos 34 milhões de pessoas, 1990 somos mais do que 150 milhões. Portanto, se a pessoa morre e se reencarna, não pode absolutamente aumentar a população. Donde, então, vem tantos espíritos?

Allan Kardec ensina

(o

que até

hoje não foi

Análise do Espiritismo não deixa-nos dúvida alguma que nossa natureza tende sempre ao mal, mesmo quando

que o Homem

Análise do Espiritismo não deixa-nos dúvida alguma que nossa natureza tende sempre ao mal, mesmo quando

vem

do macaco

provado), evoluindo, do macaco ao negro, do negro ao índio, do índio ao homem.

Os reencarnacionistas, para se saírem desta dizem: “o excesso de espíritos que reencarnam vem de outros planetas.”

Em primeiro lugar, teriam eles de provar cientificamente que existem astros habitados. Ninguém provou até agora.

Em

segundo lugar, teriam de

provar, ainda admitindo que há planetas habitados, que de lá os espíritos emigram para a Terra. Apontam os reencarnacionistas mais de 10 mil casos de crianças entre 2 a 4 anos que revelam suas vidas pregressas, porém nenhuma diz ter vindo de outros mundos.

Análise do Espiritismo

Outro fato é que a reencarnação ao contrário do que dizem é regressão, pois é contrária a ordem natural da vida onde se nasce, cresce, reproduz-se e morre. Se ao completar este ciclo, devo fazê-lo novamente, então estarei regredindo ao voltar novamente a ser um feto. Terei que aprender tudo novamente e viver tudo de novo. É como ser reprovado na escola, há naturalmente um atraso de vida. Já pensou no desperdício de tempo num sistema desses? A doutrina evolucionista/reencarnacionista leva a uma arrogância nata em sua aparente lógica, visto que em inúmeros casos, o espírita neófito se julga superior aos outros seres humanos sob os quais ele crê ser superior. Exemplo disso vemos em pessoas que tem maiores bens materiais que outras e que dão seu veredicto a respeito do próximo taxando-os de menos evoluídos ou mesmo que estão pagando um carma. Por isso suas vidas nesta encarnação não deslancham, estão sempre endividados, não conseguem comprar o que desejam e ficam muitas vezes na dependência da caridade desses ditos “mais evoluídos”. Outras vezes são pessoas extremamente doentes ou infelizes ou inconformadas, tudo isso é atribuído ao carma ou involução do espírito, sendo que a Bíblia nos dá a resposta segundo quem eles dizem ser o maior de todos os espíritos, Jesus Cristo, e te digo que Cristo não dá aval em absolutamente nenhum dos ensinamentos do espiritismo. Se este julgamento simplório fosse verdadeiro o próprio Cristo teria de ter um carma mega-gigantesco para nascer pobre, viver sem ter onde reclinar a cabeça e morrer assassinado crucificado. O mesmo poderia dizer de Kardec, Chico Xavier e Divaldo Franco. Certa vez uma colega de trabalho disse que ser espírita era uma responsabilidade muito grande, pois “a quem muito foi dado muito será cobrado”. Achei engraçado, pois ela estava se referindo a Lucas 12.48 e nem mesmo sabia que era um versículo bíblico, sendo assim desconhecia o contexto que Jesus Cristo disse isso. E, julgando-se tão superior por ser espírita, citou um versículo bíblico totalmente fora de contexto, sua pseudocultura tornou-se sandice. A psicologia de B.F. Skinner, o behaviorismo, ensina-nos algo chamado de “latência”. Note que não é teoria, é tese científica, ou seja, podemos reproduzir e comprovar esta tese em laboratório na hora que quisermos. Latência é o tempo que demoramos entre um comportamento aceitável e a sua recompensa ou entre um comportamento inaceitável e a sua punição. Por exemplo:

Eu tenho um cão e um gato. Eles aprenderam a fazer coco e pipi no local certo. Sabe por quê? Porque eu os pego NO ATO (latência) e os levo para o local adequado e ao mesmo tempo fico gritando "Não pode!" Esse método funciona porque o cão ou gato percebe o que está fazendo e associa a desaprovação com o ato que está praticando. E com o tempo eles aprendem a não fazer suas necessidades em nenhum outro local a não ser o indicado. Portanto, a latência jamais pode ser longa, temos de recompensar ou punir um comportamento poucos segundos após ou não funcionará como reforço positivo (recompensa) ou reforço negativo (punição) e, portanto o comportamento jamais será mudado. Se você vir o cachorro fazendo suas necessidades em um local proibido, esperar uma hora e depois xingá-lo, não funciona (latência errada). Ele não vai aprender nada. Por quê? Porque ele não sabe o motivo que está sendo punido. Sendo assim, é pura perda de tempo e até crueldade, puni-lo. O mesmo acontece com uma criança, se uma criança não sabe por que está sendo punida, porque não se lembra do que fez, a punição é cruel e injusta. Portanto até com as crianças convém punir em tempo hábil (dentro da latência correta). Vamos à reencarnação. Nela, eu estaria na mesma condição do cão. Estaria sendo punido por um crime que não sei que cometi. Se eu não me lembro de

Análise do Espiritismo

nada, a punição sempre será injusta para mim. Vou dar-lhe outro exemplo prático. Suponhamos que você esteja aprendendo a dirigir. Eu te ensino tudo que você tem que fazer. Passamos uma tarde inteira treinando. No dia seguinte, você esquece tudo que eu lhe ensinei. Tenho que começar tudo de novo. E assim por diante. É óbvio que você nunca vai EVOLUIR dessa forma. Você nunca vai aprender nada, porque a aprendizagem é um processo CUMULATIVO. É como a adição. Todo dia você vai acrescentando um número até chegar a um total. Esse total seria O QUE VOCÊ APRENDEU. Sem memória não há aprendizagem. Outro detalhe, a memória é mais importante do que você imagina. A memória é aquilo que você é. Quando você é uma criança você vai absorver aquilo que dizem a seu respeito. Dizem que você é brasileiro, que teu nome é Cicrano, que tua mãe é Beltrana e assim por diante. Você é o resultado de tudo que dizem que você é e mais as experiências que você teve. Ou seja, o que acham de você e o que você acha de si própria. Dependendo da sociedade que você nascer, você será totalmente diferente. Se você tivesse nascido nos EUA, hoje você seria outra pessoa. Se tivesse nascido na Etiópia, também. Tendências naturais fora e além de seu controle equivalem a pelo menos 90% do que você é. E isso é um fato cientifico. Mas a sua personalidade não poderia se desenvolver dentro de nenhum sistema cultural sem MEMÓRIA. Imagine se você ensina a seu filho quem ele é, sobre sua família, suas raízes, sua cultura e assim por diante e ele esquece tudo no dia seguinte? Não haveria evolução alguma. Como somos aquilo que lembramos que somos, a teoria da reencarnação cai por terra ai. O carma também é um conceito difícil de engolir. O carma é como se fosse o próprio Deus. Ele fica anotando tudo que você faz, momento a momento, e depois manipula as circunstâncias para você sofrer pelo que fez ou conseguir benções. Esse tipo de sistema não é compatível com o livre arbítrio. Ou seja, para o carma fazer você pagar ou ser recompensando, ele teria que manipular pessoas e circunstâncias para esse fim. Sendo assim, as pessoas não seriam livres. Ou pelo menos a grande maioria de suas ações não seriam geradas por si próprias, pois elas teriam que cumprir a vontade do Carma. E assim o Carma estaria usando uma pessoa para punir outra. Digamos que usa alguém para lhe dar uma surra porque você deu uma surra em outra pessoa em outra vida. Essa pessoa que está te dando uma surra hoje para puni-la vai ser punida também? Se você está sendo estuprada, você está pagando pelo que fez antes, então o estuprador está apenas cumprindo a vontade de Deus fazendo você pagar. Ou estaria ele iniciando a ação e gerando carma? E se é o caso, então você não pode explicar todos os seus sofrimentos baseando-se em vidas passadas. Muito do seu sofrimento seria sem causa mesmo. Está vendo? O tipo de controle que o carma teria que ter sobre todas as pessoas seria algo incompreensível. É muito mais fácil imaginar que as pessoas fazem o que querem e sofrem ou não conseqüências de seus atos dependendo das circunstâncias e não de uma força invisível controlando às mesmas. É mais simples, prático e lógico. O livre arbítrio exige o acaso. Somente num sistema imprevisível como é o nosso, a liberdade poderia existir. Liberdade de decidir o que é certo e errado. Se existir uma força controlando tudo, ninguém é livre e punições e recompensas se tornam INJUSTIÇAS. O arrependimento só é possível com a MEMÓRIA. Se eu não lembro que fiz algo ruim, então como vou me arrepender? No campo individual a teoria da reencarnação é totalmente inútil. Se você aceitar a teoria da reencarnação, tudo de ruim que acontece com você, você pensa que é punição por faltas passadas e ai agüenta calado. Aceita numa boa. Consola-se pensando que é um criminoso. E que tudo que lhe acontece é merecido. É por isso que sociedades que aceitam essa teoria não trouxeram evolução social. Quem nasce pobre se conforma com a pobreza pensando que na PRÓXIMA VIDA vai nascer melhor já que foi bom nessa. E o que é ser bom? Agüentar tudo

Análise do Espiritismo

calado e aceitar sua condição social é bondade? A história mostrou que não. A Europa só evoluiu e arrastou o resto do mundo quando pessoas em condiçoes sociais inferiores se revoltaram. Se acreditassem na reencarnação nunca fariam isso. Agüentariam as coisas calados esperando a próxima vida. Essa crença leva ao conformismo. Já que todos são criminosos, aceitam todo sofrimento numa boa sem reclamar. Se o ser humano aceitasse o sofrimento, o mundo não teria evoluído. Qualquer teoria que leve a aceitação do sofrimento é nociva à sociedade. O sofrimento tem que ser reduzido ou eliminado o máximo possível. Qualquer tipo de sofrimento é injusto. Se isolamos alguém na cadeia é para REDUZIR o sofrimento da sociedade como um todo, e não para AUMENTA-LO. É melhor um sofrendo que vários. O ser humano primitivo, quando queria algo, simplesmente ia e tomava. Depois passou a viver em sociedade. E aí a natureza selecionou um sistema para garantir a sobrevivência. Quando digo que ela selecionou, não estou dizendo que ela fez isso de propósito. O que aconteceu foi o seguinte: milhares de animais morreram porque não tinham um sistema que funcionasse. Quando um sistema que funcionou surgiu, ELE PERMANECEU. Esse sistema desenvolvido pelos animais sociais é o sistema hierárquico. Ou seja, todo grupo de animais tem um chefe. Isso funciona, porque sem um chefe (o chefe é o mais poderoso da turma), os animais lutam o tempo todo entre si. O chefe apareceu para manter a paz e garantir a partilha dos recursos. Antes da existência do líder, a vida social era uma luta constante. O que tem isso a ver com a reencarnação? O sistema hierárquico entre os animais sociais funciona. Se você examiná-lo comparando com vários grupos de animais sociais verá que ele é um fator positivo e explica muitos fatos. A reencarnação não explica as coisas a contento. A vida social é injusta porque as pessoas nascem diferentes. Uns nascem inteligentes, fortes e bonitos. Enquanto outros nascem feios, burros e fracos. Ou então uns nascem com algumas dessas qualidades e sem as outras. O fato é que sempre existe um membro da sociedade superior ao outro de algum modo. Essa superioridade é individual e não racial. Tanto que existem burros e inteligentes em todas as raças. Assim como existem feios e bonitos em todas e assim por diante. Você acha que se a Sandy tivesse nascido na Etiópia, ela teria se tornado o sucesso que é? Tudo que você é, é resultado de muitos fatores. Agora dizer que a Sandy nasceu assim porque ela foi melhor que alguém que nasceu na Etiópia na outra encarnação é puro elitismo. Você está dizendo que a Sandy é melhor que uma criança da Etiópia não só por causa das circunstâncias em que nasceu como também moralmente. Você está dizendo que ela é rica, bonita, canta bem porque é MORALMENTE SUPERIOR A QUEM NASCEU na Etiópia. Você está dizendo que uma pessoa saudável, rica e bela é MORALMENTE SUPERIOR A UMA PESSOA ALEIJADA, FEIA E POBRE. Por isso a idéia da reencarnação é o pensamento mais elitista e arrogante que conheço para explicar fatos naturais. Daí que quem crê na reencarnação não é melhor que quem crê em CÉU E INFERNO. O resultado é o mesmo. Os paises evoluídos são os céus e os paises pobres são os infernos. Qual a diferença? Nenhuma, a meu ver. A teoria da reencarnação surgiu para explicar a injustiça DO NASCIMENTO. Uma pessoa há muito tempo atrás perguntou: porque uns nascem superiores e outros inferiores? Estou falando aqui de indivíduos e não de raças. Isso é uma injustiça!!!! Daí ele desenvolveu a teoria da reencarnação para explicar a justiça e injustiça do mundo. Só que ela não funciona por causa dos fatores citados acima. Ao invés de trazer justiça ao sistema, ela trás mais injustiças ainda. Porque um ser humano sente pena do outro? Por causa de uma coisa chamada empatia. E não por causa da reencarnação. Você sente porque você se põe no lugar do próximo e sente o que ele sente. A empatia depende muito da sensibilidade de cada um. Tem gente que nunca consegue se por no lugar do próximo. E aí eles se mostram muito

Análise do Espiritismo

insensíveis. A reencarnação procura mostrar que os insensíveis ainda terão que nascer muito para desenvolver a sensibilidade. Mas o fato é que é a sociedade de cada um que determina esse grau de sensibilidade e não o indivíduo mesmo. Quanto mais avançada uma civilização maior à capacidade de se por no lugar do outro. Exemplos, quanto mais avançada é a cultura de um indivíduo mais sensível ele é. Europeus se preocupam com os direitos dos animais porque suas necessidades básicas foram preenchidas. Crianças da Etiópia sofrem tanto que não conseguem pensar em ninguém a não ser nelas mesmas. Se a reencarnação fosse um fato, ninguém nasceria em condições que promovessem a insensibilidade e a violência, e sociedades menos evoluídas desenvolvem mais esses fatores. De novo a reencarnação se mostra elitista. Ela está dizendo de fato que quem é SENSÍVEL é mais EVOLUIDO MORALMENTE que quem não é. Esquecendo de todos os fatores sociais e naturais que levam uma pessoa a ser assim. O que você é, é determinado pelo seu corpo, sua família, sua sociedade. Tantos fatores que o próprio Buda, que apoiava a teoria da reencarnação porque nasceu na Índia, questionou a mesma e, no final, disse que não temos um ego de fato. Que o que somos é uma relação de vários fatores e que se você analisar tudo no final, chegará a conclusão que a alma não passa de fantasia. Outro detalhe. A população aumentou bastante nos últimos 500 anos. De onde estão vindo todos esses espíritos? Muita gente faz terapia de vidas passadas, mas matematicamente a GRANDE MAIORIA ESTARIA AQUI PELA PRIMEIRA VEZ. E NUNCA falam para ninguém que essa é sua primeira vez. Para qualquer um que procurar fazer essa TERAPIA será dito que já passou por aqui antes. A LEI DA ESTATÍSTICA DIZ O CONTRÁRIO. A reencarnação também é uma teoria oposta a Deus e a Cristo. Qual a necessidade para Deus num sistema de causa e efeito como a reencarnação? Toda a ação gera uma reação e todo o processo é automático. Para que serviria Deus? Por isso o budismo é um sistema essencialmente ateu. Alguns outros sistemas querem juntar reencarnação e a idéia de Deus, mas não conseguem. E também se você evolui de vida em vida nascendo em condições cada vez melhores, qual a necessidade para um salvador? No sistema reencarnacionista, um salvador é inútil. Só que no sistema reencarnacionista as idéias de inferno e céu e medo permanecem. E até bem mais reais. O inferno é um país como o Afeganistão e o paraíso é um país Europeu ou os Estados Unidos. Você se torna bom para nascer nos EUA e evita o mal para não nascer na Etiópia. É a idéia do medo que predomina do mesmo modo. O maior defeito da doutrina espírita, porém, repousa em nenhum espírita conhecer a Bíblia, conhecem o Evangelho Segundo o Espiritismo e julgam saber o que Cristo disse, porém mesmo numa rápida análise percebemos a fragilidade dos argumentos espíritas que sofismam a Palavra de Deus com argumentos esdrúxulos tipo: “O Cristo disse que iria enviar o consolador e a doutrina espírita é este consolador anunciado pelo Cristo”. Visto que o Consolador prometido nas escrituras não é uma doutrina, mas uma pessoa que sente, que se entristece, que pensa e age, é impossível ao espiritismo cumprir a missão de consolador o qual Jesus Cristo se referiu nos textos sagrados. O único e verdadeiro Consolador é o Espírito Santo, a terceira pessoa da Santíssima Trindade, este é o Consolador que Jesus Cristo nos prometeu e enviou. Exatamente como lemos na Bíblia. Há ainda uma falta de unanimidade na doutrina espírita que é de se espantar, não existe uma doutrina sistemática, cada centro crê de uma forma, cada espírita enxerga a codificação de Kardec e as comunicações recentes sob sua ótica, sob seu prisma e suas tendências. Isso torna a doutrina praticamente impossível de se sistematizar, o que confunde em muito seus seguidores. Lendo Kardec impressionei-me com a lógica, com as explicações dos diversos mistérios que nos cercam, porém a cada argumento lógico que ele elaborava, vinha um texto bíblico para provar seu ponto de vista. Para quem

Análise do Espiritismo

nunca leu a Bíblia, pode até mesmo ser convincente, porém para quem a conhece, nota- se logo de cara que o texto bíblico na maioria das vezes está totalmente fora de contexto e que muitas vezes prova mesmo o contrário do que está sendo dito. Conclui que é infinitamente mais fácil crer na Bíblia que num dito espírito que sabe apenas um pouquinho mais do que os encarnados e que fica dando de professor. E o pior:

sofismando em cima da Palavra de Deus. As estórias contidas na literatura espírita são muito mais difíceis de acreditar que qualquer passagem Bíblica conhecida.

Poderíamos filosofar ainda por muitas páginas, porém como creio que a palavra final está na Bíblia, vejamos o que ela diz sobre a reencarnação:

...

aos

homens está ordenado morrerem uma só vez e,

depois disso, o juízo.” (Epístola aos Hebreus cap. 9 vers. 27)

“antes que eu vá para o lugar de que não voltarei, para a terra das trevas e da sombra da morte;” (O Livro de Jó cap. 10 vers. 21)

“Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem cousa nenhuma, nem tão pouco terão eles recompensa, porque a sua memória jaz no esquecimento. Amor, ódio e inveja para eles já pereceram; para sempre não tem eles parte em cousa alguma que se faz debaixo do sol.” (Livro do Eclesiastes cap. 9 vers. 5 e 6)

A maior prova de que não existe reencarnação são as palavras do Senhor Jesus a Dimas, o bom ladrão:

“Em

verdade

te

digo

que

hoje

estarás

comigo

no

Paraíso.” (Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas cap. 23 vers. 43)

TEXTOS BÍBLICOS REFERENTE AO ESPIRITISMO

A feiticeira não deixará viver.” (Êxodo cap. 22 vers.18)

“Não vos voltareis para os necromantes [pessoa que

pratica a necromancia, do grego

nekromanteia) pretensa

arte de adivinhar pela invocação dos mortos, ou seja necromante é o mesmo que

médium], nem para os adivinhos; não os procurareis para serdes contaminados por eles: Eu sou IAHWEH vosso Deus.” (Levítico cap. 19 vers. 31)

“Quando

alguém

se

virar

para

os

necromantes

e

feiticeiros para se prostituir (isto é, trair Deus, adulterar) com eles, eu (Deus) me voltarei contra ele e o eliminarei do meio do povo.” (Levítico cap. 20 vers. 6)

Análise do Espiritismo

“O homem ou mulher que sejam necromantes, ou sejam feiticeiros, serão mortos: serão apedrejados; o seu sangue cairá sobre eles.” (Levítico cap. 20 vers. 27)

“Não ofereçam os seus filhos em sacrifício, queimando-

os no altar. Não deixem que no meio do povo haja adivinhos ou pessoas que tiram sortes; não tolerem feiticeiros, nem quem faz despachos, nem os que invocam os espíritos dos mortos. O SENHOR Deus detesta os que praticam essas coisas nojentas e por isso mesmo está expulsando da terra esses povos, enquanto vocês vão tomando posse dela.” (A Bíblia na Linguagem de Hoje - Deuteronômio cap. 18 vers. 10 à 12)

“Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria,

...

Samuel cap. 15 vers. 23)

(I

...

Saul

Samuel cap. 28 vers. 3)

havia desterrado os médiuns e os adivinhos.” (I

“Assim morreu Saul por causa da sua transgressão cometida contra IAHWEH, por causa da palavra de IAHWEH, a que ele não guardara; e também porque interrogara e consultara uma necromante.” (I Crônicas cap. 10 vers. 13)

“Pois, tu, ó IAHWEH, desamparaste o teu povo, a casa de Jacó, porque os seus se encheram da corrupção do Oriente e são agoureiros (adivinhadores) como os filisteus ” ...

Algumas pessoas vão pedir que vocês consultem os adivinhos e os médiuns, que cochicham e falam baixinho. Essas pessoas dirão: “Precisamos receber mensagens dos espíritos, precisamos consultar os mortos em favor dos vivos!” Mas vocês respondam assim:

“O que devemos fazer é consultar a lei e os ensinamentos de Deus. O que os médiuns dizem não tem nenhum valor.” (A Bíblia na Linguagem de Hoje - Isaías cap. 8 vers.19 e 20)

O rico não podia comunicar-se com seus irmãos depois da morte, nem Lázaro podia fazê-lo: (Parábola contada por Jesus em Lucas cap. 16 vers. 19 a

31)

O Espírito de Deus diz claramente que, nos últimos tempos, alguns abandonarão a fé. Eles darão atenção a espíritos enganadores e a ensinamentos que vêm de demônios. Esses ensinamentos são espalhados por pessoas hipócritas e mentirosas,

pessoas cuja consciência está morta como se tivesse sido queimada com ferro em brasa. Essas pessoas ensinam que é errado casar e que é errado comer certos alimentos. Mas Deus criou esses alimentos para que aqueles que crêem e conhecem a verdade os comam depois de terem feito uma oração de agradecimento. (A Bíblia na Linguagem de Hoje - 1.ª Epístola de Paulo a Timóteo cap. 4 vers. 1 à 3)

Análise do Espiritismo

“Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas

(pregadores) operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos.” (Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus cap. 24 vers. 24)

“Porque

os

tais

são

falsos

apóstolos,

obreiros

fraudulentos, transformando-se em apóstolos de Cristo. E não é de se

admirar; porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz.” (2.ª Epístola de Paulo aos Coríntios cap. 11 vers. 13 e 14)

“Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus

e os homens, Cristo Jesus, homem.” (1.ª Epístola de Paulo a Timóteo cap. 2 vers. 5) – Somente Jesus Cristo nos liga a Deus, somente nEle temos contato direto com Deus Pai. Nem espíritos, nem santos, nem santas, nem o papa, nem pastores, nem Chico Xavier e nem ninguém mais pode fazer a ponte entre nós e Deus, exceto Jesus Cristo, Seu Filho Unigênito.

QUEM SOMOS ?

Somos gente, seres humanos criados a imagem e semelhança de Deus. Esta seria uma resposta aparentemente razoável, porém temos que saber que esta semelhança divina se perdeu no tempo e no espaço, pois o pecado tomou conta de todos nós e ofuscamos tal imagem.

Se isto fosse tudo estaríamos verdadeiramente perdidos, porém o

principal é que Deus, sendo todo Amor (

- agape) enviou-nos Seu Filho,

Jesus Cristo, para que através de Sua vida, morte e ressurreição pudéssemos recuperar esta Tua imagem e semelhança e nos livrarmos da condenação eterna.

E, ao contrário do que a nossa arrogância e o nosso orgulho pensam, basta crer para obtermos a vida eterna. Deus não nos manda executarmos obras magníficas para que mereçamos a salvação de nossas almas; pede-nos apenas fé na morte propiciatória de Seu Filho Jesus Cristo.

Muitas vezes não cremos por orgulho: “Imagina! Assim é fácil demais!” O que lhes digo é que a vida eterna sem dúvida alguma dependerá somente da tua fé em Jesus Cristo. Não irá depender das tuas caridades ou boas obras, pois a vida eterna não tem preço. Desta forma não podemos alcançá-la por méritos próprios. A eternidade celestial nos é oferecida pela GRAÇA de Deus mediante a nossa fé em Jesus Cristo.

“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não

vem de vós, é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.”

(Epístola de Paulo aos Efésios cap. 2 vers. 8 e 9)

Além do mais Jesus nos disse:

“Assim também vós, depois de haverdes feito quanto

vos foi ordenado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos apenas o que deveríamos fazer.” (Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas cap. 17 vers. 10)

Análise do Espiritismo

Não podemos fazer caridades e boas ações para obtermos direito à vida eterna, mas devemos praticar o Amor Cristão porque Deus nos amou primeiro, e enviou Jesus Cristo para morrer a nossa morte naquela cruz há cerca de 2000 anos atrás.

Nosso Senhor Jesus Cristo morreu e ressuscitou para nos dar a vida eterna, por isso hoje praticamos os Teus ensinamentos. Não somos bons visando os céus, mas porque já temos a certeza de que é para lá que iremos após a nossa morte física.

Deus é Amor, porém Ele é juiz também.

É como se você fosse juiz e pai, e teu filho cometesse um crime e você tivesse que julgá-lo. Como juiz tu o condenarias e como pai tu pagarias a fiança.

Como nossos pecados tem um inefável peso de morte diante da santidade de Deus, a conta que teríamos para pagar a Ele, só poderia ser saudada com a nossa morte (física ) e a condenação eterna (morte espiritual). Mas como Ele quis nos perdoar, providenciou para que Seu Filho “se vestisse de gente”, encarnasse e cumprisse a pena eterna a qual nós pecadores teríamos de cumprir por nossos pecados. Por isso lemos no Credo Apostólico Niceno: “desceu ao Hades” ou “desceu a mansão dos mortos”.

E esta declaração Teológica é baseada na 1.ª Epístola de Pedro cap. 3 vers. 19, por isso é verdadeira. Isso é o mesmo que dizer que Jesus pagou a nossa dívida para com o Pai.

Para que possamos obter reconciliação, porém, temos que crer que a conta está quitada, que Seu Filho proveu livramento e que a partir de agora devemos segui-Lo e praticar as obras que Ele nos ensinou, pois se cremos Nele certamente quereremos imitá-lo.

Quem

não

aceita

Jesus

é

como

um

tolo

que

deve

US$

100.000.000.000.000,00 (cem trilhões de dólares) a um banco e que se esforça em vão tentando pagar, quando na realidade o Filho do dono do banco já pagou a dívida em teu lugar.

Assim como o filho do dono deste banco usou de GRAÇA para com o devedor, Jesus Cristo usa de GRAÇA para conosco.

Graça, portanto é um favor concedido a alguém que não o merece e que está em débito com quem o concedeu.

E, a Salvação que Cristo nos oferece todos os dias é de Graça.

Aceite-a!

Análise do Espiritismo

SAUL CONSULTA A MÉDIUM DE EN-DOR

Análise do Espiritismo SAUL CONSULTA A MÉDIUM DE EN-DOR O texto abaixo foi copiado da Bíblia

O texto abaixo foi copiado da Bíblia na Linguagem de Hoje e se encontra no 1.º Livro de Samuel cap. 28 vers. 6 à 21:

  • 6 e perguntou a Deus, o SENHOR, o que devia fazer.

Mas o SENHOR não respondeu nem por sonhos, nem pelo Urim, nem

através dos profetas.

  • 7 Então Saul ordenou aos seus oficiais: —Procurem

uma mulher que seja médium, e eu irei consultá-la. —Em Endor há uma médium! — responderam eles.

  • 8 Então Saul se disfarçou, vestindo roupas diferentes.

E, quando escureceu, foi com dois dos seus homens falar com a tal mulher. Ele disse: — Consulte para mim os espíritos e me diga o que vai

acontecer. Eu vou dizer o nome de um homem, e você vai mandar subir o espírito dele.

  • 9 A mulher respondeu: — Com certeza você sabe o que

o rei Saul fez: ele expulsou de Israel os adivinhos e os médiuns. Então

por que é que você está tentando me pegar numa armadilha para que eu seja morta?

  • 10 Aí Saul jurou em nome de Deus, o SENHOR: —Pelo

SENHOR, o Deus vivo, eu prometo que você não será castigada por fazer isso.

  • 11 Então a mulher perguntou: —Quem é que você quer

que eu faça subir? —Samuel! —respondeu ele.

  • 12 Quando a mulher viu Samuel, deu um grito e disse a

Saul: —Por que o senhor me enganou? O senhor é o rei Saul!

  • 13 —Não tenha medo! —respondeu o rei. —O que é que

você está vendo? —Estou vendo um espírito subindo da terra! —disse ela.

  • 14 —Como é o jeito dele? —perguntou Saul. —É um

velho que está subindo! —respondeu ela. —Ele está todo enrolado numa

Análise do Espiritismo

capa. Aí Saul entendeu que era Samuel: ajoelhou-se e encostou o rosto no chão, em sinal de respeito.

  • 15 Então Samuel disse a Saul: —Por que é que você foi

me incomodar? Por que me fez voltar? Saul respondeu: —É que estou numa grande dificuldade! Os filisteus estão em guerra contra mim, e Deus me abandonou. Ele não me responde mais nem por profetas nem por meio de sonhos. Foi por isso que chamei o senhor para me dizer o que devo fazer.

  • 16 Samuel disse: —Por que é que você me chamou,

agora que o SENHOR Deus o abandonou e se tornou seu inimigo?

  • 17 O SENHOR fez com você o que ele, por meio de mim,

prometeu que ia fazer: ele tirou o reino de você e o deu a outra pessoa,

isto é, a Davi.

  • 18 Você desobedeceu às ordens do SENHOR e não

destruiu completamente os amalequitas e tudo o que eles tinham. É por isso que o SENHOR está fazendo isso com você agora.

  • 19 Ele vai entregar você e o povo de Israel aos filisteus.

Amanhã você e os seus filhos vão estar junto comigo. E o SENHOR

também vai entregar o exército de Israel aos filisteus.

  • 20 No mesmo instante Saul caiu no chão, de comprido,

apavorado com o que Samuel tinha dito. Ele estava fraco porque não tinha comido nada todo aquele dia e toda aquela noite.

  • 21 A mulher chegou perto dele e, vendo que ele estava

apavorado, disse: —Eu arrisquei a minha vida fazendo o que o senhor me pediu.

COMENTÁRIOS DO TEXTO ACIMA TRANSCRITO

O texto acima foi escrito por uma testemunha ocular; logo por um dos servos de Saul que o acompanhara à médium (ler versículos 7 e 8). Freqüentemente esses servos eram estrangeiros e quase sempre supersticiosos; crentes no erro (vers. 7).

Saul não conseguindo resposta de Deus (ler

vers.

6,

15

e

16),

recorre à médium caindo assim em pecado e sendo por Deus condenado à morte ,

conforme lemos em 1.º Crônicas cap. 10 vers. 13 como transcrito abaixo:

“Assim morreu Saul por causa da sua transgressão

cometida contra o SENHOR, necromante”.

...

porque interrogara e consultara uma

Segundo podemos ler em Deuteronômio cap. 18 vers. 21 e 22 como transcrito abaixo, as profecias devem ser julgadas:

Análise do Espiritismo

“Se disseres no teu coração: Como conhecerei a palavra que IAHWEH não falou? Saiba que quando esse profeta falar, em nome de IAHWEH , e a palavra dele se não cumprir nem suceder, como profetizou, esta é palavra que o SENHOR não disse; com orgulho a falou o tal profeta: não tenhas respeito por ele.”

Essas profecias do pseudo-Samuel não resistem ao exame.

Vejamos:

  • 1. Saul não foi entregue nas mãos dos filisteus conforme este

espírito disse no versículo 19, o correto é que Saul suicidou-se

(ler I Samuel cap. 31 vers. 11 à 13).

  • 2. Não morreram todos os filhos de Saul conforme

profetizado pelo espírito no versículo 19, ficaram pelo menos três filhos de Saul: Is-Bosete (ler II Samuel cap. 2 vers. 8 à 10); Armoni e Mefibosete (ler II Samuel cap. 21 vers 8), apenas três morreram (ler I Samuel cap. 31 vers. 2 e 6 e I Crônicas cap. 10 vers. 2 e 6).

  • 3. Saul não morreu no dia seguinte conforme profetizado

pelo espírito no versículo 19 (e amanhã tu e teus filhos estareis comigo;), ele morreu cerca de dezoito dias depois. Davi gastou na sua volta três dias, em que percorreu uns 128 km. Estava fora de Ziclague havia já uns dez dias. E gastou um dia com os preparativos para a nova expedição contra amalequitas.

4.

Saul

não

foi

para

o

mesmo

lugar

de Samuel. Saul

transgrediu a palavra de Deus que proíbe que se consulte os médiuns (Deuteronômio cap. 18 vers. 9 à 14) sob pena de morte por apedrejamento (Levítico cap. 20 vers. 27) e suicidou-se indo desta forma para o inferno. E visto que Samuel era um profeta de Deus e Lhe era fiel, conclui-se sem dúvida que estava no céu. Lugar onde Saul jamais poderia ir.

Versículo 6:

Argumento Exegético

“Nem por sonho” significa revelação pessoal;

“nem por sorte” (Urim) significa revelação sacerdotal;

“nem pelos profetas” significa revelação inspiracional da parte de Deus.

Fosse Samuel o veículo transmissor destas profecias, seria o próprio Deus respondendo, pois Samuel não podia falar senão pela inspiração do Espírito Santo. E, se não foi Deus quem falou, não foi Samuel.

Análise do Espiritismo

SOLUÇÃO:

Análise do Espiritismo SOLUÇÃO: Não negamos que haja comunicações de espíritos, negamos sim que estes espíritos

Não negamos que haja comunicações de espíritos, negamos sim que estes espíritos sejam pessoas desencarnadas. Cremos na revelação Bíblica que nos diz que estes tais espíritos são demônios disfarçados de anjos de luz.

Quando Deus criou o mundo espiritual, isto é, antes de criar este mundo o qual habitamos, houve uma rebelião nos céus que resultou na expulsão do então anjo querubim Lúcifer. Com a queda de Lúcifer, um terço dos anjos foram expulsos com ele.

Assim Lúcifer passou a ser chamado de Satanás (adversário) e seus anjos de demônios.

Vejamos os textos:

“Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. Contudo serás precipitado para o reino dos mortos, no mais profundo do abismo.” (Livro do profeta Isaías cap. 14 vers. 12 à 15)

“Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci; permanecias no monte santo de Deus, no brilho das pedras andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti” (Livro do profeta Ezequiel cap. 28 vers. 14 e 15)

“Viu-se

também outro

sinal

no

céu,

e

eis um

dragão,

grande, vermelho, com sete cabeças, dez chifres e, nas cabeças, sete

diademas. A sua cauda arrasta a terça parte das estrelas do céu; ” ...

(Apocalipse cap. 12 vers. 3 e 4)

Uma pergunta muito comum é:

Se Satanás sabe que irá perder, por que insiste nesta guerra com

Deus?

A resposta é bastante simples. Ele não quer servir a Deus de forma alguma, qualquer outra opção lhe é preferível.

Análise do Espiritismo

Como ele sabe que inevitavelmente será derrotado, seu trabalho aqui na Terra é arrebanhar o maior número possível de pessoas (almas).

Lemos no Livro de Satanás está aqui na Terra.

Jó cap. 1 vers. 6 e 7 transcrito abaixo, que

“Num dia em que os filhos de Deus (os anjos) vieram apresentar-se perante o SENHOR, veio também Satanás entre eles. Então perguntou o SENHOR a Satanás: Donde vens? Satanás respondeu ao SENHOR, e disse: De rodear a terra, e passear por ela.”

E o que será que Satanás fica fazendo aqui na Terra?

Vejamos mais um texto:

“Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário,

anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar.”

(1.ª Epístola de Pedro cap. 5 vers. 8)

A conclusão destes fatos Bíblicos são simples e diretas:

A Salvação de nossas almas; o ir viver para sempre com o Senhor nos céus, não depende daquilo que fazemos, mas em quem cremos. Ou seja, como Jesus Cristo deu Sua vida na cruz para que através do Seu sacrifício nossos pecados fossem perdoados, basta-nos aceitarmos o perdão de Deus crendo em Seu Filho Jesus Cristo que seremos salvos. Assim sendo o objetivo principal de Satanás é desviarmo-nos da fé em Jesus Cristo. Quando passamos a crer que existem outras vidas, que é através dos nossos próprios méritos que conseguiremos nos salvar, Satanás ganha a nossa alma, pois ao morrermos seremos dele, pois rejeitamos a salvação pela graça de Deus oferecida através da crucificação de Jesus Cristo.

JESUS E NICODEMOS

Os espíritas dizem que a reencarnação é ensinada nos versículos transcritos abaixo, vejamos o que de fato esse texto diz:

Evangelho de Jesus Cristo segundo João cap. 3 vers. 1 à 7:

“1 - Mas havia, entre os fariseus, um homem, chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus.”

“2 – Êste, de noite, foi ter com Jesus e lhe disse: Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer êstes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com êle.”

“3 – A isto respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.”

Análise do Espiritismo

“4 – Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, voltar ao ventre materno e nascer segunda vez?”

“5 – Respondeu-lhe Jesus: Em verdade, em verdade te digo:

Quem não nascer da água (batismo) e do Espírito (Santo), não pode entrar no reino de Deus.”

“6 – O que é nascido da carne, é carne (reencarnação); e o que é nascido do Espírito (Santo) , é espírito.”

“7 – Não te admires de eu te dizer: Importa-vos nascer

de novo.”

COMENTÁRIOS

Comentarei versículo por versículo do texto acima.

Versículo 1.º:

Alguns eruditos identificam Nicodemos com Naqdimon Bem Gorion, um rico cidadão de Jerusalém que, de acordo com o Talmud, foi encarregado de suprir de água os peregrinos nas grandes festas (Talmud Babilônico, artigo Ta’anith 20a). Os argumentos a favor desta identificação, no entanto, são bastante inconclusivos.

Os fariseus tinham uma influência

sobre o público

em geral

totalmente desproporcional ao seu número. Eles eram um grupo minoritário no Sinédrio (Josefo, Antigüidades 18.15,17).

O fato de Nicodemos ser um dos principais dos judeus implica em que ele era membro dos fariseus no sinédrio (veja também João 7;50-51).

Pode ser que o evangelista esteja considerando Nicodemos como um dos “muitos”, de João cap. 2 vers. 23. No entanto, é possível que a conjugação

grega [

]

de com que ele é apresentado no começo deste texto tenha força

adversativa: “Mas havia, entre os fariseus

...

Como os outros, Nicodemos ficara

impressionado com os sinais que vira, sem atinar para seu significado mais profundo, mas havia nele um desejo sincero de aprender mais, ao qual Jesus correspondeu “confiando-Se” a ele mais que a muitos outros.

Versículo 2.º:

É melhor considerar a afirmação de que a visita de Nicodemos foi feita à noite como simples lembrança dos fatos, sem dar-lhe uma interpretação alegórica, como se a escuridão lá fora refletisse as trevas do entendimento de Nicodemos, que precisou ser iluminado. Também não precisamos querer saber por que ele decidiu vir à noite – se não quis que seus colegas e outros soubessem dos seus

Análise do Espiritismo

passos, ou escolher uma hora em que era provável que Jesus não fosse perturbado, para terem tempo para uma conversa longa.

Nicodemos pode ter tido uma compreensão deficiente, mas pelo menos não estava cegado por preconceitos, como aqueles líderes religiosos cuja reação às palavras e obras de Jesus foi atribuí-las à atividade demoníaca (veja João 8:48,52; Marcos 3:22ss).

Mesmo que ele não tenha compreendido o significado dos sinais, percebeu que eles somente poderiam ter sido operados pelo poder de Deus. Por esta razão, apesar de Jesus não pertencer às escolas de ensino sacro reconhecidas, este mestre-líder em Israel saudou-o como um igual com o título Rabi – um sinal de respeito que valia mais partindo de Nicodemos que dos dois discípulos jovens de João 1:38.

As conclusões de Nicodemos eram válidas, até onde tinha ido, mas não chegaram ao ponto que importava. Jesus viu o estado de sua alma, por trás das palavras de saudação proferidas por ele e respondeu-lhe numa linguagem que, por mais desconcertaste e incompreensível que tenha parecido a Nicodemos, fora calculada com cuidado para falar à sua condição.

Versículo 3.º:

A maioria dos discursos e conversas registradas nos Evangelhos e em Atos dos Apóstolos são breves resumos, e isto ajuda a explicar às vezes, a rudeza aparente de transição entre um pensamento ou assunto e outro.

Aqui, porém, a aspereza pode ter sido real. Não importa quais tenham sido as expectativas de Nicodemos quanto ao curso da sua conversa com o rabino galileu, ele estava bastante despreparado para palavras como estas.

O Reino de Deus, no Antigo Testamento às vezes é apresentado como Seu governo eterno e universal: “O SENHOR reinará por todo o sempre” (Êxodo cap. 15 vers 18). Porém, mais especificamente, seu Reino ou realeza é manifestado na Terra onde é aceito e obedecido por pessoas – isto é, entre seu povo Israel ou, pelo menos, entre os justos em Israel.

Integrantes de outras nações podiam submeter-se a este governo, incorporando-se como prosélitos (convertidos) na comunidade de Israel; às vezes dizia-se que as pessoas que faziam isto “tomavam sobre si o jugo do Reino do Céu”.

Ao assumir este jugo, um prosélito na verdade começava uma vida nova. Dizia-se que “o prosélito é como uma criança recém-nascida” (Isto disse o rabino José – cerca de 150 d.C., de acordo com o Talmud Babilônico, artigo Ye Bamôth 48b).

Uma pessoa assim podia muito bem ser descrita como nascida do alto (tradução da “Bíblia de Jerusalém”) ou nascida de novo.

No relato sinótico insiste-se em que “quem

não receber o

reino de Deus como uma criança, de maneira nenhuma entrará nele”

(Marcos 10:15; Lucas 18:17; Mateus 18:3).

Análise do Espiritismo

Portanto não é de estranhar que Jesus reforce “quão difícil é entrar no Reino de Deus” (Marcos 10:24)

Para uma pessoa com experiência de adulto é muito difícil voltar à simplicidade da infância.

Um convertido do paganismo ao judaísmo estar começando uma vida nova era compreensível, mas como era possível falar assim de um verdadeiro Israelita?

Ver o Reino de Deus significa testemunhar (e participar) do

estabelecimento

do

governo

Real

de

Deus,

quando

seria

aceito e obedecido

universalmente.

Este aspecto futuro do Reino Divino também está previsto no Antigo Testamento, em especial no livro de Daniel (cap. 2 vers. 44; cap. 7 vers. 14 e 27). Para um judeu com a instrução de Nicodemos, ver o Reino de Deus significa participar da era vindoura, da vida ressurreta. Neste Evangelho, bem como nos outros, “ver o Reino de Deus” neste sentido é a mesma coisa que a “Vida Eterna” (compare “entrar na vida” em Marcos 9:43,45, com “entrar no Reino de Deus” no versículo 47).

A “regeneração” em Mateus cap. 19 vers. 28 é outro sinônimo. Porém, Jesus fala de uma regeneração a ser experimentada aqui e agora.

Ser nascido de

cima

ou

de novo (do grego:

-

anothen que significa literalmente de cima, do alto) no sentido que estas palavras têm significa “ser nascido de Deus” no sentido em que se emprega em João cap. 1 vers. 13,

entrar imediatamente na vida da era vindoura.

Nós, que lemos o prefácio do Evangelho, sabemos que aqueles que assim nascem na família de Deus e tornam-se filhos de Deus, são os que receberam Jesus (o Verbo encarnado) crendo em Seu Nome (leia João 1:12). Nicodemos não conhecia nada disso; por isso demonstrou espanto em sua resposta.

Versículo 4.º:

Nas conversas registradas neste Evangelho, Jesus diversas vezes faz uma afirmação que é mal-entendida; esta má compreensão expressa dá-lhe, então, a oportunidade de desenvolver mais o que quer dizer.

Se ele nesta ocasião estivesse falando de prosélitos do paganismo, Nicodemos o teria entendido muito bem; mas ele percebeu que estas palavras enigmáticas eram dirigidas a ele mesmo. Mas em que sentido? Como Nicodemos observou, uma repetição do nascimento natural, uma reencarnação, estava fora de cogitação. Justino Mártir provavelmente estava referindo-se a esta passagem quando disse: “É claro para todos que quem nasceu não pode voltar ao ventre de sua mãe.” (Justino, primeira apologia 61.4).

Análise do Espiritismo

Versículo 5.º:

Não há diferença entre ver o Reino de Deus e entrar nele; assim também não há distinção entre ver a vida (João 3:36) e entrar nela (Mateus 19:17). Também não há diferença entre nascer de novo (ou do alto, de cima, de Deus) e nascer da água e do Espírito; só que esta última maneira de dizê-lo ecoa a linguagem do Antigo Testamento e pode ter sido escolhida para fazer soar uma campainha na mente de Nicodemos. Se ele considerasse impossível adquirir uma natureza nova mais tarde na vida, agora deveria lembrar que Deus tinha prometido fazer exatamente isto em Seu povo Israel:

“Então, espargirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei. E vos darei um coração novo e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei o coração de pedra da vossa carne e vos darei um coração de carne. E porei dentro de vós o meu Espírito e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis.” (Ezequiel cap. 36 vers. 25ss). Este “espírito novo” era o Espírito do próprio Deus: “Porei dentro em vós o meu Espírito”.

A promessa a Israel através de Ezequiel foi ampliada na visão do vale de ossos secos, quando o profeta obedeceu à ordem divina: “Profetiza ao espírito, profetiza, ó filho do homem, e dize-lhe: Assim diz o SENHOR Deus: Vem dos quatro ventos, ó espírito, e assopra sobre estes mortos (“mortos” = os vivos não convertidos) , para que vivam(Ezequiel cap. 37 vers. 9).

Nesta passagem de Ezequiel, como na presente passagem do quarto Evangelho, deve ser lembrado que a mesma palavra hebraica ( xwr rûah) e

grega (

- pneuma) pode ser

“espírito”, dependendo do contexto.

traduzida por “sopro”, “vento” ou

A promessa em Ezequiel fazia referência em primeiro lugar a um reavivamento nacional, mas uma aplicação secundária a indivíduos não era desconhecida. A purificação com água, de Ezequiel 36:25, era invocada como autoridade Bíblica para o batismo dos prosélitos.

João Batista convocou seus ouvintes apesar de serem verdadeiros israelitas, a entrar no remanescente arrependido e crente de Israel, as “pessoas preparadas para IAHWEH”, deixando-se batizar por ele; mas ele deixou claro que administrava um batismo de água e que depois dele viria outro que os batizaria com o Espírito Santo.

Tanto o seu ministério como o dAquele que viria, eram necessários para cumprir a promessa do profeta. Agora Aquele que viria insiste pessoalmente que Nicodemos aceite a promessa em sua plenitude – o novo nascimento “da água e do Espírito”.

O Reino

de Deus

é uma nova ordem espiritual,

na qual

é

possível entrar através de um renascimento espiritual, uma regeneração.

O próprio Cristo diz que os descrentes estão mortos:

Análise do Espiritismo

Mateus 8:21 - “E outro dos discípulos lhe disse: Senhor, permite-me ir primeiro sepultar meu pai.” Mateus 8:22 – “Replicou-lhe, porém, Jesus: Segue-me, e deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos.”

Lucas 9:59 – “A outro disse Jesus: Segue-me! Ele, porém, respondeu: Permite-me ir primeiro sepultar meu pai.” Lucas 9:60 – “Mas Jesus insistiu: Deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos. Tu, porém, vai e prega o reino de Deus.”

O que será que Jesus quis dizer com estas palavras?

Não seria que o Homem natural, carnal, descrente (o não cristão) está morto em seus pecados e delitos?

Efésios 2:1 Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados,

Efésios 2:5 e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, —pela graça sois salvos,

Colossenses 2:13 E a vós outros, que estáveis mortos pelas vossas transgressões e pela incircuncisão da vossa carne, vos deu vida juntamente com ele, perdoando todos os nossos delitos;

O evangelista estava escrevendo em uma época em que, para os seguidores de Jesus, o batismo de João há muito tinha sido absorvido pelo batismo cristão. Se o batismo de João já ensinava a necessidade de um novo começo, o batismo cristão simboliza com ainda mais ênfase o novo começo para cada um que, pela união de fé com Cristo, participa da sua morte e sepultamento, num sentido espiritual, e ressuscita com ele para uma nova vida.

É uma pena quando a reação contra a idéia de uma regeneração pelo batismo leva a um esquecimento completo da referência ao batismo nestas palavras de Jesus.

Versículos 6 .º e 7.º:

Através do nascimento natural, as pessoas tornam-se membros de uma família terrena; para tornar-se membro da família de Deus, para receber a natureza espiritual que é o único meio de ser admitido em Seu Reino, um nascimento “do alto” torna-se necessário.

Traça-se uma antítese entre o campo de ação da carne e o do Espírito, mas os que nasceram no primeiro podem renascer no segundo através da fé em Jesus Cristo, que pertencia eternamente à ordem espiritual, mas se tornou carne, para regenerar a humanidade.

Análise do Espiritismo

Depois de compreendida esta antítese, não há nada de estranho na insistência de que dois “nascimentos” são necessários para entrar numa e noutra ordem.

Jesus estava falando individualmente a Nicodemos, mas suas palavras valem para todos. Por esta razão, ele muda para a segunda pessoa do plural na última frase: “Deveis nascer do alto.”

A DICOTOMIA CORPO E ALMA

Outro erro

da doutrina

espírita

é

dizer que

alma é

o

espírito

encarnado, ou seja, quando estamos vivos somos alma, quando morremos somos espírito.

Quem é Deus ?

Resp.:

“Deus é espírito, infinito, eterno e imutável em Seu ser,

sabedoria, poder, santidade, justiça, bondade e verdade”

Sendo Deus espírito, não possui corpo e a Bíblia nos diz que Ele

tem alma, vejamos:

“todavia, o meu justo viverá pela fé, e : Se retroceder, nele não se compraz a minha alma.” (Hebreus cap. 10 vers. 38).

“Eis

aqui

o

meu

servo,

a

quem

sustenho;

o

meu

escolhido, em quem a minha alma se compraz

...

(Isaías cap. 42 vers. 1).

encarnado.

Sendo assim, é impossível

a

teoria

de

que

alma

é

o

espírito

QUEM FOI AFINAL JOÃO BATISTA

TEXTO:

“Este foi o testemunho de João, quando os judeus lhe enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para lhe perguntarem: Quem és tu?”

“Ele confessou e não negou; confessou: Eu não sou o

Cristo.”

“Então lhe perguntaram: Quem és, pois? És tu Elias?

Êle disse: NÃO SOU. És tu o profeta? Respondeu: Não.” (Evangelho de Jesus Cristo segundo João cap. 1 vers. 19 à 21)

Análise do Espiritismo

Escutamos da própria boca de João Batista que ele não é a reencarnação de Elias, e mesmo que este texto não existisse seria uma incoerência total crer-se em tal afirmação, pois Elias não morreu, ele foi arrebatado.

Vejamos:

“E aconteceu que, enquanto andavam e conversavam, eis que um carro de fogo e cavalos de fogo os separaram um do outro, e Elias subiu ao céu no turbilhão.” (2.º Livro dos Reis cap. 2 vers. 11)

Kardec alega que foi o próprio Jesus quem diz que João Batista é a reencarnação de Elias em Mateus cap. 11 vers. 13 e 14, vejamos:

“Porque todos os profetas e a lei profetizaram até João. E, se quereis reconhecer, êle mesmo é Elias, que estava para vir.”

COMENTÁRIOS

Com estas palavras, Jesus mostra que todos os profetas, até João Batista, só poderiam falar sobre a vinda do Messias, sempre no futuro, explicando o caráter e ministério de Cristo. Mas João Batista era diferente, podia apontar com um dedo e, com essa simples ação, podia mostrar o Cristo para o povo inteiro.

Qualquer profeta gostaria de ter feito isso, mas esse privilégio estava reservado a João Batista.

Era idéia comum entre os judeus que o Messias não chegaria enquanto Elias não tivesse cumprido seu ministério, como precursor do Messias. Esse ministério seria a verdadeira indicação de que o Messias já estava entre o povo. Jesus quis mostrar que tal ministério já se cumprira, e que, através de João Batista, o profeta que tinham visto e ouvido, e que era o maior de todos profetas, segundo o testemunho de Jesus, já poderiam saber que o Messias já estava presente.

O

profeta

Malaquias

indicou

três

características

que

acompanhariam o ministério do precursor do Messias:

  • 1. Seria contemporâneo do Messias;

  • 2. Chegaria antes da destruição do templo (o segundo);

  • 3. Seria grande pregador de arrependimento entre o povo.

Ora, João cumpriu todas essas exigências. Os outros profetas

apenas

se

referiram

à

vinda

do

Reino,

mas

João

Batista

teve

parte

no

seu

estabelecimento.

 

As Escrituras evidentemente indicam um ministério futuro de Elias, porquanto lemos que seu ministério deverá cumprir-se antes do dia do Senhor.

Dificilmente João Batista teria cumprido essa exigência.

Análise do Espiritismo

Assim sendo, até hoje na Igreja, muitos cristãos ainda esperam por esse ministério de Elias, em sentido literal.

Outros também acham que tal ministério poderá ter cumprimento na vida de outro homem, que viverá no espírito de Elias, como João Batista também viveu.

Vimos no texto acima que João Batista nega ser Elias, mas ali ele alude à identificação literal com a pessoa de Elias, isto é, não eram a mesma pessoa. Contudo, João Batista viveu segundo o espírito e poder de Elias, e assim cumpriu a profecia do precursor, que deveria ser cumprida antes da primeira vinda do Messias. Neste último sentido, ele era Elias.

Porém, pelas palavras de Jesus, não se pode entender que João cumpriu todas as exigências relativas ao ministério de Elias, ministério esse que precederia à segunda vinda de Jesus Cristo.

As indicações dadas pelo profeta Malaquias não se cumpriram totalmente no ministério de João.

Neste caso, conforme se dá freqüentemente com as profecias, há um cumprimento parcial, e há um cumprimento mais completo reservado para o futuro.

João cumpriu parcialmente tais profecias; Elias, ou outra pessoa que surgirá no poder e caráter de Elias, ainda terá um ministério na terra, que preparará tudo para o segundo advento de Cristo, antes do grande e terrível dia do Senhor.

O texto de Malaquias cap. 4 vers. 5 e 6 diz:

“Eis que eu vos envio o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia de IAHWEH, converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que Eu não venha e fira a terra com maldição.”

A clara indicação, aqui, é que o ministério desse “outro Elias” terá ainda maior sucesso, na conversão dos pecadores, do que ocorreu quando do ministério de João Batista.

SIMPATIA / ANTIPATIA

Há um equívoco quando o espiritismo afirma que simpatia ou antipatia está relacionado com vidas passadas; que o nosso espírito identifica o espírito das pessoas.

O fato é que respondemos aos diversos estímulos enviados a nós pelas outras pessoas.

Desta forma, quando um médico bate no seu joelho (no tendão patelar) com um martelinho de borracha para examinar seus reflexos e se seus reflexos forem normais, sua perna responderá à batida do joelho com um movimento.

Análise do Espiritismo

O

objeto

estimulador

que

o

médico

usa

para

provocar

o

movimento da perna é o martelo, o estímulo que provoca o movimento da perna é a batida com o objeto estimulador ou martelo.

 

Quando

acabamos

de

conhecer

uma

pessoa

ocorrem

três

possibilidades:

 
  • 1. Gostarmos dela;

 
  • 2. Não gostarmos dela

  • 3. Não termos opinião formada;

No primeiro e no segundo caso nós só gostamos de alguém quando esta pessoa nos envia estímulos bons, ou seja, nos estimula positivamente, a simpatia ou a antipatia jamais é gratuita, o que ocorre é que a pessoa que acabamos de conhecer nos estimulou positivamente ou negativamente e por isso fomos ou não fomos com a cara dela. Além do mais, quando gostamos de alguém que acabamos de conhecer é também porque inconscientemente a associamos com alguém querido.

No terceiro caso não houve tempo suficiente para uma associação e não houve estímulos por falta de tempo. Não seremos contra e nem a favor desta pessoa ser ou não nossa amiga ou inimiga enquanto não tivermos um contato maior.

Em todas

as três situações

comportamento respondente.

não se trata de carmas ou vidas passadas, mas de