Anda di halaman 1dari 2

Esponjinha (Calliandra selloi)

• Aramado por Vinicius Costa


• 19 de março de 2008

A Calliandra é a árvore preferida de 7 entre 10 bonsaístas. O formato de suas folhas, seu


tronco rígido e a facilidade com que ela aumenta sua massa foliar, fazem dela uma
ótima escolha para quem deseja começar a cultivar bonsai.

Abaixo, uma Calliandra de autoria de Rock Jr.

Nome Popular: Esponjinha

Nome Científico: Calliandra (selloi, brevipes… o segundo nome científico depende da


cor das flores, ou da ausência de floração)
Origem: Regiões tropicais e subtropicais das Américas, entretanto são encontradas
também na Ásia e na Índia. Existem mais de 120 espécies de Calliandra diferentes.

Ambiente: As Calliandras precisam de muita luz para florescer abundantemente, sendo


o ideal colocá-las no exterior, protegidas com telas de sombreamento (sempre que
possível). Em regiões com estações bem definidas, é possível mantê-las dentro de casa,
desde que seja em um local com bastante luminosidade e boa ventilação. Nunca as
coloque próximas a fontes de calor.

Características: É um pequeno arbusto de folhas perenes e delicadas, de um verde bem


claro e vibrante quando ainda são brotos, e mais escuros quando envelhecem, que se
fecham à noite ou quando a planta perde muita água. Algumas espécies possuem flores
que vão do branco ao rosa e ao vermelho, em formato de pompom. Os brotos das flores
(começam a aparecer no final da Primavera e ao longo do Verão), parecem pequenas
framboesas e surgem da axila das folhas. Das flores, surgem frutos, que se partem
quando maduros, espalhando as sementes (como o legume vargem). A coloração do
tronco é de um tom cinza-claro, quando novo, tornando-se marrom com o tempo e
podendo ficar quase negro.

Adubação: Fertilizante líquido, para bonsai, a cada duas semanas (lembrando sempre
de usar metade da quantidade indicada na embalagem) durante a estação de
crescimento (início da Primavera até o final do Outono) e durante o inverno, adube
apenas a cada trinta dias. O incremento de fósforo (P) no fertilizante ajudará a estimular
o surgimento de flores. Outra opção é o uso de adubos com longa duração (que liberam
os nutrientes toda vez que são molhados), como o Osmocote.

Rega: Mantenha o solo sempre úmido. Como na maiorias das plantas, o ideal é que se
regue em abundância, até que a água escorra pelos orifícios do fundo do vaso. Em dias
de muito calor, às vezes, se faz necessário regar até 3 vezes por dia. Durante o inverno,
regue menos, principalmente se a planta estiver em locais muito frios, mas mantenha o
solo sempre úmido.

Poda: Deve ser feita durante o período de crescimento, cortando os novos brotos
deixando apenas um ou dois pares de folhas, tão logo o broto tenha desenvolvido cinco
ou seis novas folhas. Isso fará com que a planta adquira uma aparência compacta, com
bastante massa foliar.

Transplante: De dois anos em dois anos, de preferência na Primavera, cortando-se


certa de 2/3 das raízes. É importante utilizar um substrato com boa drenagem, com pelo
menos 30 ou 40% de pedriscos de 2mm.

Aramação: Arame apenas os galhos mais jovens, durante o Verão, pois os galhos mais
velhos quebram com facilidade, devido à sua rigidez.

Dica: A Calliandra é facilmente cultivada através do plantio de sementes ou por


estaquia, sendo que com a estaquia, você consegue árvores com aparência mais velha.