Anda di halaman 1dari 11

FO ME OC UL TA

Volta R edonda
2007
FOME O CU LTA

Volta R edonda
2007
SU MÁ RIO

Introdução------------------------------------------------------------------------------- 04

Desenvolvimento---------------------------------------------------------------------- 05 a 09
Conclusão------------------------------------------------------------------------------- 10

Referências Bibliográficas---------------------------------------------------------- 11

3
INT RODU ÇÃ O

A deficiência de vitaminas, como a vitamina A e minerais, como ferro e


iodo, é um grave problema de nutrição/saúde pública em todo o Mundo e
principalmente nos países em desenvolvimento, como o Brasil, atingindo
especialmente crianças em idade pré-escolar, adolescentes, gestantes e
mulheres em idade fértil. Para uma vida saudável e produtiva, as pessoas
necessitam ingerir quantidades adequadas de alimentos, incluindo aqueles
ricos em vitaminas e minerais.

Refeições com pouca variedade de alimentos e com excesso de


gorduras, sal e açúcares, podem nos levar a um estado de saúde
extremamente contraditório: obesidade (ou até mesmo peso saudável)
aliada à carência de nutrientes essenciais ao perfeito funcionamento de
nosso corpo. Este costuma ser o quadro da “Fome Oculta” que não faz
distinção de classe social, renda ou grau de escolaridade. Uma em cada
quatro pessoas no mundo sofre de “Fome Oculta”.

4
DE SEN VOLVIME NT O

Fome oculta é uma carência não explícita de um ou mais


micronutrientes no organismo, sendo atualmente identificada como o problema
nutricional mais prevalente no mundo.
Constitui-se no estágio anterior ao surgimento de sinais clínicos de
carência detectáveis e não está necessariamente associado a patologias
claramente definidas, como as observadas na má nutrição protéico-energética.
Esta carência pode ocorrer devido à deficiência de um micronutriente
específico, porém, frequentemente ocorre combinada com outras deficiências
de vitaminas e minerais, em razão da estreita associação entre fontes
alimentares, vias metabólicas e funções fisiológicas de forma que, carências
múltiplas podem estar mascaradas pela carência maior de um único
micronutriente.
A fome oculta compromete várias etapas do processo metabólico,
merecendo destaque as alterações observadas no sistema imunológico e no
desenvolvimento físico e mental do indivíduo. Ocorre quando, por razões
econômicas, geográficas e/ou educacionais, o indivíduo têm acesso a uma
dieta básica pouco diversificada e, normalmente, deficiente em vários
micronutrientes, sendo o número de famílias afetadas ainda mais expressivo
que os acometidos pela desnutrição protéico-energética.
Em geral, a “Fome oculta” é lenta e silenciosa e não apresenta
sintomas aparentes em curto prazo. Entretanto, a médio e longo prazo,
aumentam os riscos para desenvolver doenças como osteoporose, câncer,
diabetes, problemas cardiovasculares, hipertensão e envelhecimento precoce.
O estresse, a poluição e o estilo de vida das grandes metrópoles
também causam o aumento do consumo de nutrientes.
Podemos até realizar refeições com adequado valor calórico, mas se
não escolhermos alimentos variados e nutritivos, nosso corpo sentirá “fome” de
nutrientes extremamente essenciais ao equilíbrio do metabolismo.
Como já citado na pesquisa, além dos macronutrientes presentes nos
alimentos (carboidratos, gorduras e proteínas), necessitamos também de
micronutrientes (vitaminas e sais minerais) que participam de várias reações
químicas em nosso “laboratório interno”. Se esses micronutrientes não
estiverem sendo oferecidos diariamente em quantidades adequadas através da
alimentação, nosso “laboratório” não funcionará de forma eficiente e as reações
químicas que nosso corpo precisa realizar ficarão comprometidas. Essas
reações envolvem desde a respiração, a transformação do alimento em
energia, a absorção dos nutrientes pelas células até a eliminação, pela urina e
fezes.
Nossas necessidades vão além da energia que os alimentos contêm,
precisamos de nutrientes e compostos bioativos que previnem doenças! É a
Nutrição básica evoluindo para a Alimentação Funcional.
Por exemplo, durante a atividade física, nosso gasto energético
aumenta, passamos a produzir mais radicais livres devido ao aumento do
consumo de oxigênio e, conseqüentemente, nosso corpo irá precisar de mais
vitaminas e minerais para funcionar em equilíbrio e combater os radicais livres.
Os principais minerais consumidos durante a atividade física são: ferro,
magnésio, sódio, potássio e cálcio, além de vitaminas. Sem eles, o corpo não

5
consegue dar conta de todas as suas funções em perfeita harmonia.

A prevenção da “Fome Oculta” deve ser a alimentação variada, colorida


e balanceada, rica em temperos naturais, leguminosas, oleaginosas (nozes,
castanhas), cereais integrais, sementes (girassol, gergelim, linhaça), frutas e
hortaliças. O foco principal das escolhas alimentares devem ser os nutrientes e
os fitoquímicos que os alimentos contêm, adaptados à necessidade orgânica
de cada indivíduo.
Através da "Nutrição Inteligente" podemos também nos adaptar melhor
às mudanças fisiológicas que ocorrem em nosso corpo com o decorrer da
idade.
É por meio de nossas escolhas alimentares que melhoramos nossas
defesas, nos protegemos das doenças, da poluição, do estresse, dos radicais
livres, das mudanças de temperaturas e retardamos nosso envelhecimento.

Onde se Encontra a Fome?

Você sabe onde está a fome? Provavelmente você deve ter pensado:
"Nas comunidades carentes, é claro!" Mas não é bem assim. Pesquisas
constantes de nutricionistas de todo o país, ou melhor, de todo o mundo tem
apontado para o que conhecemos como a "fome oculta”.

A monotonia alimentar pode ser responsável pela fome oculta?

Sim, pois o metabolismo de um nutriente depende do outro. Assim, a


monotonia alimentar – principalmente entre os adolescentes, onde o consumo
de um mesmo tipo de lanche (pão, refrigerante e complementos) é diário – faz
com que as poucas vitaminas da alimentação não sejam bem aproveitadas.

A fome oculta traz alguma conseqüência?

Sim. O reflexo dessa carência vem ao longo dos anos, quando, ainda
jovens, as pessoas manifestam problemas metabólicos importantes. Alguns
desses problemas são a osteoporoses (Síndrome que causa a fragilidade
óssea), devido à falta de cálcio; a anemia, por falta de ferro; problemas na
visão e na pele, devido à carência de vitamina A. São problemas não
facilmente perceptíveis e, depois que se manifestam, são muito difíceis de
reverter. Muitas vezes, as pessoas já chegam à adolescência com carência de
diversos nutrientes – o que, muitas vezes, não se nota de imediato.

O que pode ser feito para evitar a fome oculta?

A solução está em uma alimentação variável e completa, onde todas


as refeições tenham frutas, legumes e verduras, e onde às calorias vazias
(doces e refrigerantes, por exemplo) sejam deixadas de lado.
Cabe a cada um de nós ajudarmos a combater a fome – todas elas.

Coluna escrita pela nutricionista Cláudia H. Y. Hoff.

6
Def iciênc ia de V itam inas e Mi ner ai s

Vita mina s

As vitaminas são compostos essenciais para o crescimento,


desenvolvimento e manutenção da saúde, além de auxiliar nas funções de
defesa do organismo contra as infecções.

Vitamina A: espinafre, brócolis, couve galega, acelga suíça, nabo, repolho


crespo, cenoura, batata-doce, polpa da laranja, abóbora, tomates, damasco,
melancia e melão;

Vitamina A: mantém as gengivas saudáveis e propicia o crescimento dos


ossos, dentes, cabelos e da pele;

Carência de Vitamina A: Um indicador precoce da deficiência de Vitamina A é


a Cegueira Noturna.
A cegueira noturna ou nictalopia geralmente é difícil de detectar e
descreve uma condição na qual o cliente apresenta diminuição da acuidade
visual no escuro, principalmente após entrar em um ambiente escuro ou
enquanto dirige à noite. Cegueira Noturna é um sintoma da degeneração da
coróide e da retina, ocorre com várias doenças oculares. Se o cliente não
houver problemas oculares, como, glaucoma, miopia, cataratas, é importante
avaliar seu estado nutricional para investigar a deficiência de Vitamina A.

Miner ai s

Os minerais são nutrientes inorgânicos que participam do metabolismo


de nosso organismo, sendo necessários para o seu bom funcionamento.

Ferro: atua na formação da hemoglobina, na manutenção do apetite e do


crescimento;

Carência de Ferro: A anemia é considerada a principal conseqüência da


deficiência de ferro. Em sua fase mais avançada, está associada a sintomas
clínicos, como fraqueza, diminuição da capacidade respiratória e tontura.
Mesmo na ausência da anemia, a deficiência de ferro pode acarretar distúrbios
neuro – cognitivos. No organismo, a carência de ferro ocorre de forma gradual
e progressiva, passando por três estágios, até que a anemia se manifeste
como depleção de ferro, deficiência de ferro e anemia ferropriva. A carência de
ferro é a principal responsável pelas elevadas prevalências de anemia
encontradas e a anemia é a patologia de maior prevalência em todo o Mundo,
principalmente na população infantil e em mulheres grávidas de países em
desenvolvimento. Uma estratégia para se superar a alta prevalência de anemia

7
causada por deficiência de ferro, em países em desenvolvimento, é fortificar
diversos produtos alimentícios com ferro.

Iodo: age na formação de hormônios da tireóide;

Carência de Iodo: A deficiência de iodo poderá acarretar um aumento anormal


da Glândula Tireóide. Uma tireóide aumentada que causa edema visível na
região cervical anterior é chamada de bócio.
Os bócios são comuns em diversas regiões do mundo que apresentam
déficit de iodo, como Ásia, América Latina, África e partes da Europa.

Ou tr as V itam inas e Mi ner ais – O Que São e S uas


Pr incipa is Funções

VITAMINAS

Vitamina B1: grãos integrais, germe de trigo, produtos de farinha branca


enriquecida, miúdos, carne de porco, legumes e levedura fermentada;
Vitamina B1: auxilia no metabolismo de carboidratos, regula o funcionamento
do coração e do sistema nervoso, beneficia a musculatura e ajuda a repelir
insetos;

Vitamina B2: leite e produtos lácteos, ovos, vegetais verdes folhosos,


miúdos, rins, fígado, coração, levedura desidratada, amendoim, manteiga de
amendoim e grãos integrais;
Vitamina B2: transforma proteínas, lipídios e carboidratos em energia, e
participa da formação e manutenção dos tecidos da pele e dos olhos;

Niacina (Vitamina B3): carnes e miúdos, produtos de trigo integral, produtos


de farinha branca enriquecida, legumes e levedura fermentada;
Niacina: converte alimentos em energia;

Ácido Pantotênico: produtos animais, fígado, ovos, grãos integrais, legumes,


batata branca e batata-doce;
Ácido Pantotênico: estimula a reposição dos tecidos corporais, atua na
liberação de energia dos carboidratos e no metabolismo das gorduras;

Vitamina B6: fígado e carne vermelha, grãos integrais, batatas, vegetais


verdes e milho;
Vitamina B6: atua no metabolismo dos aminoácidos;

Vitamina B12: alimentos de origem animal, carnes, miúdos, leite em pó e


produtos lácteos e ovo (inteiro ou a gema);
Vitamina B12: evita a anemia e ajuda no desenvolvimento normal das células;

Vitamina D: leite fortificado e peixes com espinhas (como salmão e


sardinha);

8
Vitamina E: germe de trigo, óleos vegetais, legumes, castanhas, grãos
integrais, peixes e vegetais folhosos verdes;
Vitamina E: previne a anemia e auxilia na metabolização das gorduras;

Ácido Fólico (Folacina): carnes glandulares, levedura, vegetais folhosos de


cor verde-escuro, legumes e grãos integrais;
Ácido Fólico: também evita a anemia e ajuda na multiplicação das células;

Biotina: fígado, carnes, leite, óleo de soja, levedura fermentada e gema de


ovo (a clara destrói a biotina). Bactérias que estão presentes no intestino
também produzem a biotina.
Biotina: atua no metabolismo das proteínas que formam a pele, músculos e
ossos.

MINERAIS

Zinco: regula o crescimento por meio da síntese de proteínas, mantém as


defesas corporais e o petite;

Cobre: facilita a absorção do ferro;

Cálcio: forma e mantém ossos saudáveis e auxilia na coagulação do sangue;

Magnésio: converte o açúcar em energia e é necessário para o bom


funcionamento dos nervos e músculos.

Importante: Como as vitaminas não são sintetizadas em nosso organismo (ou


estão disponíveis em quantidades insuficientes), elas precisam ser adquiridas
por meio dos alimentos. O mesmo ocorre com os minerais. Por maiores que
sejam os cuidados com a dieta, nem sempre obtemos todos os nutrientes de
que precisamos. Por isso, seria bom consultar sempre um médico especialista
para avaliar as necessidades do corpo e de um suplemento vitamínico.

9
CO NCL USÃO

A Enfermagem é a profissão que compreende a arte e ciência de pessoas


que convivem e cuidam de outras. Portanto, o profissional de saúde deverá
saber como se portar diante de um cliente que sofre de tal patologia.
A Fome Oculta é uma doença lenta e silenciosa e não apresenta sintomas
aparentes em curto prazo. Devido a isso é importante que o profissional da
área de saúde sempre esteja agindo de forma paciente, humilde, ser
consciente e extremamente cuidadoso ao lidar com a vida do ser humano,
sabendo que este está confiando em suas mãos sua mais importante obra.

10
REF ERÊ NCI AS BIBLI OG RÁFIC AS

P. D. Baikie. Sinais e Sintomas; Traduzido por Cosendey C. H.; Revisão Técnica


Souza.S.R. – Guanabara Koogan - Rio de Janeiro, 2006.

11