Anda di halaman 1dari 2

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

Prezados Acionistas cujo recebimento ocorre anualmente. Em 2009, assim como nos anos anteriores, o recebimento ocorreu DIRETORIA ADMINISTRATIVA
A administração da WTorre VPA Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A. apresenta o Relatório da Admi- na data prevista em contrato, sem qualquer ocorrência de inadimplemento. Está composto, atualmente, por três membros, conforme demonstrado na tabela abaixo. Os mandatos de
nistração e as Demonstrações Contábeis com o parecer dos auditores independentes, referentes ao exercício A companhia em 2009 recebeu, nos vencimento, o aluguel do único imóvel, sendo essa sua principal todos os membros são válidos até a Assembléia Geral Ordinária do ano-calendário 2010.
social findo em 31 de dezembro de 2009. As Demonstrações Contábeis são elaboradas de acordo com o fonte de recursos. A Companhia tem suas receitas e endividamento, relacionados pelo Índice IGP-M/FGV
disposto na Lei das Sociedades por Ações e normas estabelecidas pela Comissão de Valores Mobiliários. O que apresenta em 2009, variação negativa de 1,71%, ante uma variação positiva de 9,81% em igual Membros Função
Relatório da Administração deve ser lido em conjunto com as Demonstrações Contábeis da Companhia e período do ano anterior.
respectivas Notas Explicativas. A Companhia não contratou ou contratará funcionários, sendo sua a administração exercida pela Diretoria, Solano Magno da Silva Neiva Diretor Superintendente
na forma da Lei e Estatuto Social. Durante o exercício de 2009, não houve remuneração aos diretores. Roberto Bocchino Ferrari Diretor Financeiro e de Relações com Investidores
Nosso Negócio Nilton Bertuchi Diretor Jurídico
A WTorre VPA Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A. foi constituída com o propósito específico de As atividades da Companhia não apresentam riscos ao meio ambiente.
securitizar os créditos oriundos do contrato de arrendamento mercantil firmado com a Telesp Celular CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO OUTRAS INFORMAÇÕES:
S.A.,referente ao imóvel localizado em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Está composto, atualmente, por três membros, conforme demonstrado na tabela abaixo. Os mandatos Nossos auditores KPMG Auditores Independentes, não prestaram outros serviços que não o de auditoria
Para tanto, a Companhia realizou, em 03 de Novembro de 2005, emissão de Certificados de Recebíveis de todos os membros são válidos por dois anos. das Demonstrações Contábeis da Companhia, inclusive para as companhias ligadas.
Imobiliários no valor de R$ 18,0 milhões, corrigidos por IGP-M + 10,3% a.a., pelo prazo de 15 anos. A Membros Função
operação detém rating brAA pela Standard and Poor’s e AA(bra) pela Fitch Ratings. São Paulo, 19 de fevereiro de 2010.
Paulo Eduardo Moreira Torre Conselheiro
Informações Operacionais Paulo Remy Gillet Neto Conselheiro
As receitas da Companhia são decorrentes do contrato de arrendamento mercantil acima mencionado, Walter Torre Junior Presidente do Conselho A Administração.

BALANÇOS PATRIMONIAIS FINDOS – EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 (Em milhares de Reais) DEMONSTRAÇÕES DE RESULTADOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO
Ativo Nota 2009 2008 Passivo Nota 2009 2008 DE 2009 E 2008 (Em milhares de Reais, exceto o lucro/prejuízo por ação)
Circulante Circulante Nota 2009 2008
Caixa e equivalentes de caixa 4 1.050 1.658 Fornecedores – 4 Receita bruta 3.144 3.239
Arrendamentos a receber 5 528 533 Certificado recebíveis imobiliários 8 1.238 1.181 Impostos (74) (17)
Créditos de impostos e outros ativos 186 50 Obrigações fiscais 156 7 Receita operacional líquida 3.070 3.222
1.764 2.241 1.394 1.192 Custos operacionais (551) (551)
Não circulante Não circulante Resultado bruto 2.519 2.671
Realizável a longo prazo Certificado recebíveis imobiliários 8 17.345 18.613 Outras receitas e despesas operacionais
Partes relacionadas 15 572 – Provisões de impostos sobre reserva Administrativas 11 (200) (266)
Imobilizado 6 19.883 20.434 de reavaliação 10 1.005 1.035 Amortização (176) (175)
Diferido 7 1.005 1.181 18.350 19.648 Comerciais – (14)
21.460 21.615 Patrimônio líquido Resultado financeiro líquido 12 (1.562) (3.886)
Capital social 9 4.859 4.859 Total despesas operacionais (1.938) (4.341)
Reserva de reavaliação 10 2.920 3.014 Resultado antes dos impostos 581 (1.670)
Prejuízos acumulados (4.299) (4.857) Imposto de renda e contribuição social 13 (117) 30
3.480 3.016 Lucro (prejuízo) do exercício 464 (1.640)
Total do ativo 23.224 23.856 Total do passivo 23.224 23.856 Lucro (prejuízo) do exercício por ação 0,10 (0,34)
As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras

DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIÔNIO LÍQUIDO – EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 (Em milhares de reais) DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA LÍQUIDOS - MÉTODO INDIRETO
EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008
Capital Adiantamento para futuro Reserva de Prejuízos
(Em milhares de Reais)
Nota social aumento de capital reavaliaçao acumulados Total
Saldos em 1º de janeiro de 2008 4.858 1 3.108 (3.311) 4.656 Fluxos de caixa das atividades operacionais 2009 2008
Aumento de capital 1 (1) – – – Lucro (prejuízo) do exercício 464 (1.640)
Realização de reserva de reavaliação – – (94) 94 – Ajustes para conciliar o resultado às disponibilidades geradas (aplicadas)
Prejuízo do exercício – – – (1.640) (1.640) pelas atividades operacionais:
Saldos em 31 de dezembro de 2008 4.859 – 3.014 (4.857) 3.016 Depreciação e amortização 727 726
Realização de reserva de reavaliação 10 – – (94) 94 – Apropriação de pagamentos operacionais passados 48 46
Lucro do exercício – – – 464 464 Apropriação de encargos sobre certificados de recebíveis imobiliários 1.664 4.037
Saldos em 31 de dezembro de 2009 4.859 – 2.920 (4.299) 3.480 Resultado operacional 2.903 3.169
Variações nos ativos e passivos
As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. Ativos
(Aumento) Redução de arrendamento a receber 5 (48)
NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS – EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 (Em milhares de Reais) (Aumento) Redução de impostos a recuperar e outros ativos (136) (26)
1 CONTEXTO OPERACIONAL: monetárias ou cambiais incorridos. As provisões são registradas tendo como base as melhores estimativas (Aumento) Redução de partes relacionadas (572) –
do risco envolvido. Aumento (Redução) de fornecedores (4) 3
A WTorre VPA Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A. foi constituída em 29 de julho de 2005 e tem Aumento (Redução) de títulos a pagar – (9)
como objeto social: i. Imposto de renda e contribuição social
Para neutralidade nos fins tributários da aplicação inicial da Lei nº 11.638/07 e da Lei nº 11.941/09 , Aumento (Redução) de impostos sobre reserva de reavaliação (30) (30)
a. A aquisição de terreno situado no Município e Comarca de Porto Alegre. Aumento (Redução) de obrigações trabalhistas e tributárias 149 7
b. A construção da sede administrativa e corporativa da CELULAR CRT S.A. a Companhia optou pelo Regime de Tributário de Transição (RTT), por meio da qual, por meio do qual
as apurações do imposto sobre a renda (IRPJ), da contribuição social sobre o lucro líquido (CSLL), da Disponibilidades líquidas geradas (aplicadas) nas atividades operacionais 2.315 3.066
c. A locação do Imóvel à Celular CRT S.A., pelo período de 180 (cento e oitenta) meses, uma vez con- Fluxos de caixa das atividades de investimentos
cluída e aceita a obra. contribuição para o PIS e da contribuição para o financiamento da seguridade social (COFINS), para o
biênio 2008-2009, continuam a ser determinadas sobre os métodos e critérios contábeis definidos pela (Aumento) Redução de imobilizado e diferido – 9
d. A securitização dos créditos imobiliários oriundos do Contrato de Construção e Locação (“Créditos”). Disponibilidades líquidas geradas (aplicadas) nas atividades de investimentos – 9
e. A emissão e colocação, no mercado financeiro, dos Certificados de Recebíveis Imobiliários (“CRIs”) Lei nº 6.404/76, vigentes em 31 de dezembro de 2007.
O imposto de renda e a contribuição social, do exercício corrente e diferido, são calculados com base nas Fluxos de caixa das atividades de financiamentos
lastreados nos Créditos. Pagamento de certificados de recebíveis imobiliários (901) (828)
f. A realização de negócios e prestação de serviços relacionados à securitização dos Créditos referidos no alíquotas de 15%, acrescida do adicional de 10% sobre o lucro tributável excedente a R$ 240 ano para
imposto de renda, e 9% sobre o lucro tributável para contribuição social sobre o lucro líquido e conside- Juros pagos sobre certificados de recebíveis imobiliários (2.022) (2.134)
item (e) anterior. Disponibilidades líquidas geradas (aplicadas) nas atividades de financiamentos (2.923) (2.962)
ram a compensação de prejuízos fiscais e base negativa de contribuição social, limitada a 30% do lucro
2 APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS tributável em cada exercício fiscal. Aumento (Redução) nas disponibilidades (608) 113
Os impostos passivos diferidos decorrem de diferenças temporárias, originadas dos efeitos das diferenças Caixa e equivalentes de caixa no início do período 1.658 1.545
As demonstrações financeiras foram elaboradas com base nas práticas contábeis emanadas da Lei das Caixa e equivalentes de caixa no final do período 1.050 1.658
Sociedades por Ações - Lei nº 6.404/76 alteradas pela Lei nº 11.638/07 e pela Lei nº 11.941/09, nas entre práticas contábeis e tributárias para a apuração do resultado do exercício (Reavaliação das Edifica-
normas estabelecidas pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC) e nas interpretações e deliberações ções e Instalações) e foram constituídos em conformidade com a NBC T 19.1.2 Imposto Diferido. As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras
emitidas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). j. Instrumentos financeiros
A moeda funcional da Companhia é o Real, mesma moeda de preparação e apresentação das informações. São registrados: (i) pelo seu valor de mercado ou valor equivalente, quando se tratar de aplicações desti- DEMONSTRAÇÕES DO VALOR ADICIONADO – EXERCÍCIOS FINDOS
A autorização para a conclusão destas demonstrações financeiras foi dada pela Administração da Compa- nadas à negociação ou disponíveis para venda; (ii) pelo valor de custo de aquisição ou valor de emissão, EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 (Em milhares de Reais)
nhia em 19 de fevereiro de 2010. atualizado conforme disposições legais ou contratuais, ajustado ao valor provável de realização, quando 2009 2008
este for inferior, quando se tratar de aplicações que serão mantidas até a data de vencimento; e (iii) pelo Receitas
3 PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS custo amortizado os empréstimos e financiamentos e contas a receber; conforme regulamentado pela Arrendamento 3.144 3.239
a. Resultado: deliberação da CVM Nº566/08 - Instrumentos Financeiros: Reconhecimento, Mensuração e Evidenciação. 3.144 3.239
As receitas estão registradas, por competência, mensalmente, conforme os contratos de locação do empre- k. Resultados por ação: É determinado considerando-se a quantidade de ações existentes nas datas dos Insumos adquiridos de terceiros
endimento, em base linear, conforme regulamentado pela deliberação CVM Nº554/08 – Arrendamentos balanços. Serviços prestados terceiros (148) (177)
Mercantis. As despesas são representadas basicamente por despesas administrativas e despesas financei- 4 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA Despesas com serviços por emissão de títulos (48) (106)
ras, as quais estão registradas pelo regime de competência. Outras despesas operacionais (21) –
b. Uso de estimativas O saldo está representado por: Valor adicionado bruto 2.927 2.956
A elaboração das demonstrações financeiras, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, Descrição Dez/2009 Dez/2008 Depreciação, amortização e exaustão (727) (726)
requer que a Administração use de julgamento na determinação e no registro de estimativas contábeis. Aplicações em Fundos de Investimentos 994 1.416 Valor adicionado líquido produzido pela entidade 2.200 2.230
Ativos e passivos significativos sujeitos a essas estimativas e premissas incluem, provisão para crédito Depósitos Bancários e outros 56 242 Valor adicionado recebido em transferência
de liquidação duvidosa, provisão para contingências, imposto de renda diferido, valores de mercado dos Saldo 1.050 1.658 Juros sobre aplicações financeiras 119 156
instrumentos financeiros, entre outros. A liquidação das transações envolvendo essas estimativas poderá 5 ARRENDAMENTOS A RECEBER Variação monetária ativa 4 3
resultar em valores diferentes dos estimados, em razão de imprecisões inerentes ao processo de sua Valor adicionado total a distribuir 2.323 2.389
determinação. A Companhia revisa as estimativas e premissas anualmente. Foi firmado, em 20 de julho de 2004, o Contrato de Construção e Locação de Imóvel (“O Contrato”), adita-
Distribuição do valor adicionado
c. Caixa e equivalentes de caixa do em 28 de dezembro de 2005, que terá a duração de 180 meses contados a partir da data de emissão
Impostos, taxas e contribuições sociais 195 (8)
Incluem caixa, saldos positivos em conta movimento, aplicações financeiras resgatáveis a qualquer prazo do Termo de Recebimento Provisório (TRP), podendo ser prorrogado por mais 360 meses de acordo com
Remuneração de capitais de terceiros 1.664 4.037
e com risco insignificante de mudança de seu valor de mercado. As aplicações financeiras são registradas o Contrato. O arrendamento será pago anualmente a partir da entrega definitiva da obra, sendo corrigido
Lucro (prejuízo) do exercício 464 (1.640)
ao valor de custo, acrescido dos rendimentos proporcionalmente auferidos até as datas de encerramento pela variação percentual acumulada do IGP-M/FGV, em novembro de 2009 foi recebido a quarta parcela
Valor adicionado distribuído 2.323 2.389
dos períodos. do aluguel no valor de R$ 2.923 (dois milhões, novecentos e vinte e três reais), sendo que a parcela
relativa ao exercício de 2010 será recebida em novembro próximo. As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras
d. Custo de Transação
Para possibilitar a colocação dos Certificados de Recebíveis Imobiliários no mercado, foram necessários O saldo de aluguel possui a seguinte composição:
12 RESULTADO FINANCEIRO LÍQUIDO
determinados gastos, que envolveram a contratação de uma instituição para coordenar o processo de Projeto Vencimento Dez/09 Dez/08
divulgação e captação de recursos. Esses gastos estão registrados em conta redutora dos CRIs (passivo Os saldos estão representados por:
Vivo - RS Anual Postecipado Nov/10 528 533
circulante e não circulante). Os custos são apropriados ao resultado em função da fluência do prazo, com Despesas financeiras Dez/2009 Dez/2008
Saldo 528 533 Juros s/ Empréstimos CRI (2.002) (2.119)
base no método do custo amortizado, considerando-se a taxa interna de retorno da operação.
e. Imobilizado 6 IMOBILIZADO Variação Monetária Passiva CRI 338 (1.918)
O imobilizado é registrado pelo custo de aquisição, formação ou construção, deduzido das respectivas Outras (21) (8)
A partir do exercício de 2007, em razão da vida útil remanescente e conforme Laudo de Reavaliação Total despesas financeiras (1.685) (4.045)
depreciações acumuladas, calculadas pelo método linear à taxas que levam em consideração o tempo de
de Ativo Imóvel, ocorreram alterações das taxas de depreciação praticadas, vide Nota Explicativa nº10.
vida útil estimado dos bens e da provisão para deterioração. Os gastos incorridos com reparos e manuten- Receitas financeiras Dez/2009 Dez/2008
Dez/2009 Dez/2008
ção que representem melhoria, aumento da capacidade ou de vida útil são capitalizados, enquanto que Juros s/ aplicações financeiras 119 156
Taxas anuais Imobilizado Depreciação Imobilizado Imobilizado Depreciação Imobilizado
os demais são registrados no resultado do período. A recuperação dos ativos imobilizados por meio das Variação monetária ativa 4 3
Imobilizado depreciação % bruto acumulada líquido bruto acumulada líquido
operações futuras é acompanhada periodicamente. Total receitas financeiras 123 159
Terreno - 1.897 - 1.897 1.897 - 1.897
Os juros e encargos financeiros, referentes aos financiamentos obtidos para as aplicações nas obras em Resultado financeiro líquido (1.562) (3.886)
Edifício 1,72% 16.161 (877) 15.284 16.161 (599) 15.562
andamento (imobilizado em andamento), são capitalizados até o momento da entrada em operação dos
Instalação 7,69% 3.547 (845) 2.702 3.547 (572) 2.975 13 IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL
bens.
Em dezembro de 2006, o imobilizado foi reavaliado conforme Laudo de Reavaliação de ativos elaborado Total 21.605 (1.722) 19.883 21.605 (1.171) 20.434 O imposto de renda e a contribuição social são calculados pelo regime de apuração com base no Lucro
por empresa especializada Global Consult Consultoria e Serviços Ltda. (vide Nota Explicativa nº 10). Real Anual. Em 2009, a Companhia apresenta R$ 4.623 de prejuízo fiscal acumulado, resultando em
7 DIFERIDO créditos tributários no valor de R$ 1.109, os quais não estão registrados nas demonstrações financeiras e
A partir do exercício social de 2007, a depreciação passou a ser calculada pelos prazos de vida útil rema-
nescente em função da reavaliação mencionada acima. (Vide Nota Explicativa nº 10). Saldo de diferido corresponde aos gastos que ocorreram na Companhia durante seu período pré-opera- só serão reconhecidos quando as condições para sua realização se tornarem efetivas.
Com base no Art. 6º da Lei 11.638/07 a Administração da Companhia decidiu manter o Saldo da Reserva cional. Sua realização é feita pelo prazo do contrato ou, se superior, até o limite máximo de dez anos. Imposto de renda e contribuição social Dez/09 Dez/08
de Reavaliação, considerando a amortização até o final do período pré determinado. Descrição Dez/2009 Dez/2008 Resultado líquido 581 –
f. Diferido Gastos pré-operacionais 1.754 1.754 Ajustes RTT 7 –
Conforme facultado na Medida Provisória nº 449/08 e CPC 13, os saldos existentes devem ser avaliados Amortização acumulada (749) (573) Adições 126 –
e classificados, quando aplicável, para outros grupos de contas e os gastos pré-operacionais lançados em Saldo líquido 1.005 1.181 Base de cálculo 714 –
lucros ou prejuízos acumulados na data da transição, ou mantidos no ativo diferido até a sua completa Compensação (214) –
amortização. A Companhia optou por manter os saldos remanescentes do ativo diferido referente a 31 de 8 CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS Base de cálculo 500 –
dezembro de 2007 até a sua completa amortização. Foram emitidos 60 (sessenta) certificados de recebíveis imobiliários (CRIs), nominativo-escriturais, para IR (75) –
É demonstrado pelo valor líquido do custo correspondente às despesas pré-operacionais, deduzidos da subscrição pública, em série única, relativa à 1ª emissão da WTorre VPA Securitizadora de Créditos Imobi- Adicional IR (27) –
amortização acumulada. liários S.A. com valor nominal unitário de R$ 300 na data de 3 de novembro de 2005 (data de emissão) CSLL (45) –
A amortização do diferido é realizada pelo prazo de contrato, não ultrapassando o limite máximo permitido perfazendo o valor total de emissão de R$ 18.000. Valor total apurado (147) –
de dez anos. Os CRIs têm prazo de 15 anos, vencendo em 3 de novembro de 2020, e têm como lastro os créditos Reversão dos impostos sobre realização da reserva de reavaliação 30 30
g. Avaliação do valor recuperável de ativos imobiliários emergentes do Contrato de Construção e Locação de Imóvel de 20 de julho de 2004, aditado Total dos Impostos (117) 30
A Administração revisa anualmente o valor contábil líquido dos ativos com o objetivo de avaliar eventos ou em 30 de outubro de 2005, 28 de dezembro de 2005 e 21 de janeiro de 2006, tendo como garantia: 14 INSTRUMENTOS FINANCEIROS
mudanças nas circunstâncias econômicas, operacionais ou tecnológicas, que possam indicar deterioração • Regime fiduciário e constituição de patrimônio em separado;
a. Gerenciamento de riscos
ou perda de seu valor recuperável. Quando tais evidências são identificadas, e o valor contábil líquido • Garantia flutuante sobre o patrimônio da securitizadora;
A administração da Companhia adota uma política conservadora no gerenciamento dos seus riscos. Essa
exceder o valor recuperável, é constituída provisão para deterioração ajustando o valor contábil líquido • Alienação fiduciária do imóvel; Fiança da Telesp Celular no âmbito do contrato de locação;
política materializa-se pela adoção de procedimentos que envolvem todas as suas áreas críticas, garantin-
ao valor recuperável. • Seguro de riscos empresariais do Imóvel.
do que as condições do negócio estejam livres de risco real.
h. Outros ativos e passivos (correntes e não correntes) Aos CRIs são conferidos: (i) atualização monetária pela variação percentual acumulada do IGPM/FGV,
i. Risco de mercado - relacionado com a possibilidade de perda por oscilação de taxas, descasamento de
Um ativo é reconhecido no balanço patrimonial quando for provável que seus benefícios econômicos anualmente, a partir da Data de Emissão no período compreendido entre os meses de novembro de cada
prazos ou moedas nas carteiras ativas e passivas. Esse risco é minimizado na Companhia pela compatibili-
futuros serão gerados em favor da Companhia e seu custo ou valor puder ser mensurado com segurança. ano a outubro (inclusive) do ano subseqüente e (ii) juros remuneratórios, a partir da data de emissão,
dade entre os títulos emitidos e os recebíveis que lhes dão lastro. Os indexadores condicionados nos instru-
Um passivo é reconhecido no balanço patrimonial quando a Companhia possui uma obrigação legal ou correspondentes a 10,30%, ao ano. A captação financeira dos CRIs ocorreu em 2 de maio de 2006 no
mentos de arrendamento são semelhantes aos utilizados nas operações estruturadas de emissão de CRI.
constituída como resultado de um evento passado, sendo provável que um recurso econômico seja re- montante corrigido de R$ 19.028 o qual serviu para quitação do empréstimo junto ao Banco Santander
ii. Risco de crédito - considerado como a possibilidade de a Companhia incorrer em perdas resultantes
querido para liquidá-lo. São acrescidos, quando aplicável, dos correspondentes encargos e das variações na mesma data.
de problemas financeiros com os arrendatários, que os levem a não honrar os compromissos assumidos
com a Companhia. Para minimizar esse risco, a Companhia celebra instrumentos de arrendamentos com
Dez-2009 Dez-2008
empresas de grande porte, além de serem submetidos à rigorosa análise qualitativa, abrangendo, entre
Encargos Data de Próximo Último Não Não
outros quesitos, a análise histórica da pontualidade na solvência das obrigações e a relação entre saldos
Projeto Garantias Financeiros a.a. emissão vencimento vencimento Circulante circulante Circulante circulante
devedores e garantias a eles relacionadas. Adicionalmente, quando aplicável, os instrumentos de arrenda-
Vivo - RS Regime Fiduciário e constituição de Patrimônio em Separado;
mento estão garantidos por possibilidade de alienação do imóvel arrendado.
Garantia Flutuante sobre o Patrimônio da Securitizadora;
iii. Risco de liquidez - considerado pela capacidade de a Companhia gerenciar os prazos de recebimento
Alienação Fiduciária do Imóvel; Fiança da Telesp Celular no âmbio do
dos seus ativos em relação aos pagamentos derivados das obrigações assumidas. Esse risco é eliminado
Contrato de Locação; Seguro de riscos empresariais do Imóvel. 10,30 %+ IGPM 03/11/2005 03/11/2010 03/11/2020 1.285 17.707 1.228 19.023
pela compatibilidade de prazos e fluxos de amortização entre títulos emitidos e lastros adquiridos.
Custo de transação (47) (362) (47) (410)
iv. Pré-pagamentos - o risco derivado dos pré-pagamentos por parte dos devedores dos créditos securiti-
Total 1.238 17.345 1.181 18.613
zados, comum nas operações de securitização, é neutralizado na Companhia pela disposição inserida nos
As parcelas classificadas no passivo não circulante têm o seguinte cronograma de pagamento: títulos emitidos que lhe permite pré-pagar os títulos emitidos na proporção das antecipações efetuadas
O saldo de reserva de reavaliação está líquido da provisão dos impostos e contribuições e foram calculados pelos devedores dos recebíveis utilizados como lastro.
Períodos Valor com base na legislação vigente.
2011 1.095 b. Análise de sensibilidade
Dez/2008 Movimentação Dez/2009 Em atenção ao disposto na Instrução Normativa CVM nº 475, de 17 de dezembro de 2008, a Companhia
2012 1.208 Saldo Saldo Realização Reversão Saldo
2013 1.332 confirma não estar exposta a instrumentos financeiros não evidenciados nas suas demonstrações finan-
Projeto reavaliação Impostos líquido depreciação impostos reavaliação Impostos líquido ceiras. Nesse sentido, os instrumentos financeiros representados pelos CRIs – Certificados de Recebíveis
2014 em diante 14.072 Vivo - RS 4.049 1.035 3.014 (124) (30) 3.925 1.005 2.920
(-) custos de transação (362) Imobiliários e pelos contratos de recebíveis tomados como lastro para a emissão desses certificados estão
Total 4.049 1.035 3.014 (124) (30) 3.925 1.005 2.920 sujeitos às condições equivalentes de taxas, indexadores e prazos, situação que torna neutro os efeitos
Total 17.345
decorrentes de quaisquer cenários econômicos aos quais a Companhia pode estar exposta. Essa condição
9 CAPITAL SOCIAL E DIVIDENDOS 11 DESPESAS ADMINISTRATIVAS
é reforçada por serem instrumentos financeiros cuja negociação é vedada, por estarem segregados do
Por disposição estatutária, a Companhia não contratou e não contratará funcionários, sendo todos os patrimônio comum da securitizadora. Nessa linha, quaisquer variações nos cenários econômicos implicam
O capital social atual é representado por 4.858.969 ações, sendo 4.858.959 ações ordinárias, nominati-
serviços necessários ao seu bom funcionamento, prestados pelos seus administradores ou por empresas igualmente em efeitos nulos para a Companhia.
vas, sem valor nominal, e com direito a voto, e 10 ações preferenciais, nominativas, sem valor nominal, e
especializadas terceirizadas. As despesas administrativas estão representadas conforme quadro abaixo: c. Demonstrativo de cálculo à valor presente dos Arrendamentos a Receber versus CRI
sem direito a voto. A distribuição de resultado apurado no encerramento do exercício obedecerá às seguin-
tes regras: a. Dedução dos prejuízos acumulados e a provisão para imposto de renda; e b. A distribuição Descrição Dez-09 Dez-08 Os Certificados de Recebíveis Imobiliários são títulos colocados no mercado com o objetivo de captar
do lucro líquido do exercício, da seguinte forma: i. 5% (cinco por cento) para a constituição de reserva Serviços prestados terceiros (92) (46) recursos que viabilizem a aquisição de recebíveis ou, a quitação dos empréstimos-ponte captados para a
legal, até que ela atinja 20% (vinte por cento) do capital social; e ii. 0,001% (um centésimo percentual) Publicações legais e outras (56) (109) aquisição dos terrenos e construção dos empreendimentos que darão origem aos recebíveis. As condições
do saldo, ajustado na forma do artigo 202 da Lei nº 6.404/76 alteradas pela Lei nº 11.638/07 e Lei Despesas com amortização dos custos de transação (48) (106) estabelecidas para resgates dos títulos são definidas em virtude das taxas, dos indexadores, dos prazos e
nº 11.941/09, será destinado ao pagamento do dividendo obrigatório; e iii. O saldo, se houver, após as Impostos e taxas (4) (5) do fluxo de amortizações dos recebíveis que lhes dão lastro, gerando compatibilidade entre ativos e passi-
destinações supra, terá o destino que lhe for dado pela Assembléia Geral. Total (200) (266) vos. A captação dos Certificados de Recebíveis Imobiliários não se concretizará se não existirem oportuni-
Conforme determinado no Estatuto Social, a Companhia não distribuirá dividendos intermediários. dades de aquisição ou geração de recebíveis em condições adequadas à garantia dos recursos captados.
Qtde. de ações Certificados de recebíveis imobiliários Direitos Creditórios sobre os contratos de arrendamentos
Acionista Participação- % em unidades Dez/2009 Dez/2009
WTorre Empreendimentos Imobiliários S.A. 99,99 4.858.956 wwNão Locação Período Valor Saldo a Taxa Taxa Valor
Outros 0,01 13 Empresa Corrente corrente Início Término em meses parcela receber contratual mensal presente
100,00 4.858.969 Vivo - RS 1.238 17.345 01/11/05 30/10/20 130 260 33.800 10,30% 0,82% 20.737
Total 1.238 17.345 33.800 20.737
10 RESERVA DE REAVALIAÇÃO
Em Assembléia Geral Extraordinária realizada em 18 de dezembro de 2006, os acionistas da Companhia
aprovaram a reavaliação dos bens imóveis do ativo imobilizado, contratando, assim a empresa Global 15 OUTRAS INFORMAÇÕES Conforme, cláusulas contratuais, especificadas pela contratada para a contratante, o empreendimento
Consult Consultoria e Serviços Ltda. para promover os trabalhos, sendo parte deles realizados em conjunto a. Partes relacionadas está suportado por seguro, cuja cobertura corresponde a:
com a Cushman & Wakefield Semco Consultoria Imobiliária Ltda. e ou Colliers International do Brasil e A Companhia possui R$ 572 a receber, a título de mútuo, com a WTorre Empreendimentos Imobiliários S.A. Descrição Incêndio Outros Vencimento
na Assembléia Geral Extraordinária realizada em 28 de dezembro de 2006 foram aprovados os laudos b. Provisão para Contingências VIVO RS 17.380 150 05/06/2010
de reavaliação com base nos saldos de novembro de 2006. Para determinação do valor do imóvel, foram A Companhia não possui qualquer provisão para demandas judiciais, tendo em vista que, com base em A administração da Companhia julgou as importâncias seguradas e os prazos de vigência suficien-
utilizadas as metodologias devidamente descritas e recomendadas pela Associação Brasileira de Normas seus assessores legais, não possui contingências judiciais com avaliação de risco de perda provável, pas- tes para cobrir possíveis sinistros.
Técnicas, bem como da mais moderna técnica avaliatória e, para as instalações foram avaliadas de acordo sível de provisão a que se refere a Deliberação nº 489 da CVM. A escolha dos riscos, respectivas coberturas, suficiência da cobertura e verificação das apólices,
com o método do custo de reposição a fim de determinar seu valor atual. c. Seguros não fazem parte do escopo dos trabalhos de nossos auditores.

CONTINUA
CONTINUAÇÃO

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS – EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 (Em milhares de Reais)
16 EVENTOS SUBSEQUENTES A Companhia está em processo de avaliação dos potenciais efeitos relativos a esses pronunciamentos, interpretações e orientações, os quais poderão ter impacto
Novos pronunciamentos, interpretações e orientações emitidos e não adotados relevante nas demonstrações financeiras relativas ao exercício findo em 31 de dezembro de 2009 a serem apresentadas comparativamente às demonstrações
Dentro do processo de convergência das práticas contábeis adotadas no Brasil para as normas internacionais de relatórios financeiros (IFRS) diversos pronuncia- financeiras relativas ao exercício a findar-se em 31 de dezembro de 2010, bem como sobre os próximos exercícios.
mentos, interpretações e orientações foram emitidos durante o ano de 2009 com aplicação mandatória para os exercícios encerrados a partir de dezembro de As demonstrações financeiras do próximo exercício serão elaboradas conforme o CPC 37 – Adoção Inicial das Normas Internacionais de Contabilidade, conforme
2010 e para as demonstrações financeiras de 2009 a serem divulgadas em conjunto com as demonstrações de 2010 para fins de comparação. Instrução CVM 457 de 13.07.2007.

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DIRETORIA CONTADORA


Walter Torre Junior Paulo Eduardo Moreira Torre Paulo Remy Gillet Neto Solano Magno da Silva Neiva Roberto Bocchino Ferrari Nilton Bertuchi Bruna Ceolin
Presidente do Conselho Conselheiro Conselheiro Diretor Superintendente Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Diretor Jurídico CRC 1SP 124.524/O-1

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES


Aos Acionistas e Administradores da WTorre VPA Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A. São Paulo - SP Em nossa opinião, as demonstrações financeiras acima referidas representam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e finan-
Examinamos os balanços patrimoniais da WTorre VPA Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A., levantados em 31 de dezembro de 2009 e 2008, e as respec- ceira da WTorre VPA Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A. em 31 de dezembro de 2009 e 2008, os resultados de suas operações, as mutações de seu
tivas demonstrações de resultados, das mutações do patrimônio líquido, dos fluxos de caixa e do valor adicionado correspondentes aos exercícios findos naquelas patrimônio líquido, os seus fluxos de caixa e os valores adicionados nas operações referentes aos exercícios findos naquelas datas, de acordo com as práticas
datas, elaborados sob a responsabilidade de sua Administração. Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações financeiras. contábeis adotadas no Brasil.
Nossos exames foram conduzidos de acordo com as normas de auditoria aplicáveis no Brasil e compreenderam: a) o planejamento dos trabalhos, considerando a 19 de fevereiro de 2010
relevância dos saldos, o volume de transações e o sistema contábil e de controles internos da Companhia; b) a constatação, com base em testes, das evidências
e dos registros que suportam os valores e as informações contábeis divulgados; e c) a avaliação das práticas e das estimativas contábeis mais representativas Auditores Independentes Ricardo Anhesini Souza Ederson Rodrigues de Carvalho
adotadas pela Administração da Companhia, bem como da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto. CRC 2SP014428/O-6 Contador – CRC 1SP152233/O-6 Contador – CRC 1SP199028/O-1

CONTINUA